Busca:






Adelmo Borges


O novo



Durante as festividades da orla de Camaçari, a sociedade camaçariense passou por um sentimento de esperança com movimentos de renovação do parlamento local que viera a se incorporar a outros nomes e agrupamentos que já iniciava a se manifestar publicamente nos eventos e principalmente nas redes sociais. Houve alguns posicionamentos contrários e favoráveis como era de se esperar.


As manifestações contrárias, de maneira infundadas e de baixa qualidade partiu de membros do parlamento atual numa demonstração de apego ao poder e alheio aos anseios da população. Do lado contrário, de maneira insipiente, por membros de movimento jovens e de agrupamentos que    se notabiliza pela crítica anarquista desprovida de contexto político e de ideias programáticas voltados para enfrentar os principais problemas socioeconômico de Camaçari.


Com a proximidade do período para finalizar as filiações e efetivação das convenções partidária, segundo o calendário estabelecida pela justiça eleitoral, se tem notícia que apenas o Partido dos Trabalhadores conduziu sua nova direção e ocasionou a aparição de jovens, inclusive com anseios de ocupar o parlamento, no entanto sob a égide de velhos e saturados métodos sob a condução. Os que se manifestaram durante aas lavagens da orla, sumiram, os denominados 3 Via se confunde com candidaturas de periódicos, que a cada quatro anos se posicionam no sentido de negociar apoio.


O governo atual mantém a estratégia do pleito anterior, satisfeito com os números das pesquisas e com a confirmação dos partidos da bancada. O fato novo é a redução dos números do pleiteantes no DEM com potencial eleitoral no sentido de garantir as posições dos atuais vereadores do partido.


Assim, rege a dúvida de qual será a composição do parlamento de Camaçari que sairá do pleito de outubro 2020. Marcelino se reelegerá e garantirá sua aposentadoria com vereador para o resto da vida? Téo Ribeiro fará mais um mandato, a juventude petista elegerá Tagner e Kaique, o PCdoB garantirá a reeleição de Binho, O desempenho de Curvello no comando da Câmara de Vereadores, de Gilvan no Turismo, Falcão na agricultura, Junior Borges em relação à política social e Natan na saúde é do agrado eleitoral?


São perguntas que só o conjunto do eleitorado poderá responder coletivamente nas urnas.


O que fica é a certeza que os novos não são novos. As práticas apresentadas são tão arcaicas, retrogradas e improdutivas como as até então vistas. Apenas chingamentos e desqualificação. Sem propostas, sem postura. Não tem se mostrado capazes de trazer a esperada criatividade e proposição que atenda e desperte a atenção do eleitor.


Quem viver verá.


Adelmo Borges adelmobs@terra.com.br é dirigente do Rede Sustentabilidade de Camaçari


Opiniões e conceitos expressos nos artigos são de responsabilidade do autor


 
Últimas Publicações

Mar tranquilo não produz bom marinheiro
Medo de que?
Uma loucura
Roda da história II
A busca do sol
Agenda perdida
Traição ou escolha?
O preço da escolha
Cenário 2020
Fundo de quintal
Tá pago
Perfil e Perfis
Aranhões nos joelhos e cicatrizes nas canelas
Dilema
O novo
O novo


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2020 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL