Busca:






Adelmo Borges


Perfil e Perfis



Nos quase meios séculos, o cenário sócio-político em Camaçari sofre a influência de duas mentalidades políticas. José Eudoro Tude e Luiz Caetano. Duas visões aparentemente diferentes, se observado a matriz ideológica, embora muito semelhantes em diversos sentimentos prático e comportamental. 


Nem Tude nem Caetano podem se caracterizar como gestores. Tude é um executivo devoto da disciplina hierárquica e da autoridade. Assim como Caetano, geriu a municipalidade com ações sem um planejamento estratégico como requer um município de características estratégica da Região Metropolitana de Salvador. Camaçari poderia ser um polo de prestação de serviços contábeis, médicos, exames laboratoriais, consultoria aos demais municípios da região (candeias, Madre de Deus, Das D’Ávila, Mata de São João, etc.) gerando emprego e renda para a população


Tude poderia se beneficiar dos recursos produzidos pela implantação do Polo Petroquímico e dos projetos direcionados para o município, pelo governo federal, para planejar não só a urbanização do centro, assim como a expansão da cidade e o desenvolvimento socioeconômico das comunidades interiorizadas e do litoral. Apenas deu continuidade à implantação dos phocs e das glebas sem observar a necessidade da autossustentação de comercio e serviços em função do grande contingente populacional ali alocados.


Caetano poderia aproveitar, também, dos recursos originário do Polo e do programa habitacional Minha Casa Minha Vida para expandir o município e possibilitar não só a fluidez do centro urbano assim como estruturar e fortalecer economicamente as comunidades interiorizada e do litoral a partir do comércio com novos consumidores e ampliação dos serviços públicos já existentes, desde que as unidade implantadas não fossem edificadas em locais isolados a exemplo da Cetrel, São Vicente, etc. que se colocam como dormitórios.


Tude implantou a rodoviária, nas proximidades do centro urbano, assim com implantou e ampliou o centro de abastecimento. Com o crescimento populacional e o fluxo de veículos, Caetano poderia ter remanejado os dois equipamentos para uma área no vetor da expansão urbana do município a exemplo do que tem ocorrido, pela iniciativa privada, com o Shopping Boulevard e os atacadistas Assaí, Atakarejo e Atacadão, ao lado de novos conjuntos habitacionais periférico ao centro.


Caetano é um ser político e concebe atingir a população a partir das suas infindáveis necessidades, induzindo-o ao sentimento do desejo extraordinário embora não tenha consciência das razões da imperfeição humana em relação ao déficit emocional. Essa tática tem dias contados. As necessidades não são plenamente e coletivamente realizadas dando lugar a crítica e rejeição. É um sentimento efêmero com permissividade à comparação da elevação econômica do mandatário – e os mais próximos - em detrimento do empobrecimento da população.


Caetano, assim como Tude elegeram o cimento, a areia e o asfalto como marcas de suas oportunidades à frente do paço municipal. Se descuidaram e permitiram a deterioração dos serviços ao não prever o aumento populacional concentrado e por consequência a demanda.


Tude não apresenta a desenvoltura no trato político junta à população, muito menos na mídia e nas redes sociais com a facilidade de Caetano. Pratica, também, a tapinha nas costas, mas é discreto, considerado frio. Caetano chega a exagerar nesses itens e diferente de Tude segrega e desagrega seus parceiros em direção a uma intuição pessoal.


As oportunidades em que Camaçari teve de presenciar um modelo diferente, de Tude e Caetano, foi atropelada pelo interesse de retorno, dos dois, ao poder. Isso ocorreu com Helder Almeida e com Ademar Delgado que assim pouco puderam realizar e se constituíram, no senso comum da população pelo princípio da comparação, os dois piores prefeitos do município.


O cenário político passa por grandes e consequentes mudanças pelos fatores naturais do desenvolvimento social. Camaçari enfrenta uma ausência de liderança por não observar novos valores, principalmente provocado pela utilização das redes sociais disponíveis e por consequência os desgastes das personalidades politicas.


Adelmo Borges adelmobs@terra.com.br é dirigente do Rede Sustentabilidade de Camaçari


Opiniões e conceitos expressos nos artigos são de responsabilidade do autor


 
Últimas Publicações

Mar tranquilo não produz bom marinheiro
Medo de que?
Uma loucura
Roda da história II
A busca do sol
Agenda perdida
Traição ou escolha?
O preço da escolha
Cenário 2020
Fundo de quintal
Tá pago
Perfil e Perfis
Aranhões nos joelhos e cicatrizes nas canelas
Dilema
O novo
O novo
A caverna


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2020 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL