Busca:








Sem toner   O projeto de   distribuição de tablets e chromebooks para os cerca de 116 mil estudantes e professores da rede municipal de Salvador, anunciada pelo alcaide da capital, Bruno Reis (União Brasil), não tem gerado impressão parecida na xerox do gestor de Camaçari. Sempre se orientando pelos movimentos do correligionário da capital, desde os tempos do antecessor, o alcaide Antonio Elinaldo tem tirado nota baixa no quesito modernização da educação.


Sem toner 2 Passou toda a pandemia e não viabilizou ferramenta necessária para integrar e conectar alunos e professores nos tempos de distanciamento das salas de aula. Segundo apurou a Coluna, não existe nenhuma licitação em andamento para viabilizar esse projeto que beneficiaria os cerca de 37 mil alunos da rede municipal.


Sem toner 3 Falta de tinta na impressora do alcaide Elinaldo fica ainda mais clara com a proposta do seu farol, líder político e candidato a governador, ACM Neto, de assegurar o indispensável equipamento para todos os alunos da rede pública do estado, caso seja eleito em outubro.


Desaceleração Depois de adiar por uma semana a abertura dos trabalhos, que regimentalmente deveriam começar na terça-feira passada, dia 2, os vereadores de Camaçari retomam as sessões plenárias nesta terça-feira (9) com novo calendário. Como antecipou a Coluna, as sessões das quintas-feiras devem ser suspensas em agosto.


Desaceleração 2 Se não houver recuo no acordo entre governistas oposicionistas, agosto terá apenas quatro sessões plenárias, nas terças dias 9, 17, 23 e 30. Os encontros das quintas-feiras: 11, 18 e 25, no plenário Osvaldo Nogueira serão suspensos. Ainda segundo o acordo, setembro terá apenas uma das 4 sessões das terças-feiras.


Desaceleração 3 Os encontros de setembro serão suspensos para facilitar a movimentação dos vereadores nas bases, em apoio aos seus candidatos. Como informou o Camaçarico (Confira), apenas dois dos 21 vereadores estão na disputa de outubro. Pelo calendário, vereadores deveriam comparecer a 16 sessões entre gosto e setembro.

 







Escorregão Surpreendendo aliados e até adversários, o alcaide Antonio Elinaldo (União Brasil), segue criando novos conceitos e contrariando o bê-á-bá do marketing político. Para espanto dos correligionários e alegria dos adversários, o gestor de Camaçari postou foto na sua rede social onde aparece nocauteado e literalmente no chão, após um golpe de uma aluna de Jiu jitsu, durante visita sábado (6), ao centro de iniciação ao esporte (CIE), de localizado em Arembepe, orla do município. A cara de surpresa registrada na imagem diz tudo.


Escorregão 2 Reação de espanto de especialistas em construção de imagem, e dos políticos, que não querem e sabem que não podem sair ´mal na fita`, fez lembrar a imortalizada declaração do então ministro da economia, Rubens Ricupero: “o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde". O alcaide e sua equipe devem ter avaliado que seria ´bom`aparecer na lona do tatame.


Na real A eleição de 8 dos 9 novos conselheiros representantes dos artistas, mídia e demais setores da sociedade civil e movimentos sociais, para o conselho municipal de cultura de Camaçari (CMCC), é a mais nova gota de esperança num colegiado que  tem se mostrado omisso. Com direito a voto e missão de fiscalizar e formular a política cultural do município, os novos conselheiros terão mandato até agosto de 2025.  


Na real 2 Formalmente, o CMCC é formado por 23 membros, sendo 11 indicados pelo governo. Outros 2 representantes, na cota da sociedade civil, serão escolhidos pelo empresariado do polo (Cofic) e setores do comércio do município (Acec). O 23º assento, que pertencia à Cidade do Saber, deixou de ter representante com a incorporação da estrutura de arte e educação à pasta da cultura (Secult).


Olhar O concurso de vídeos “Curta Camaçari” inscreve até 9 de setembro, produções com até 1 minuto de duração, de preferência produzidos por celular. Serão premiadas 28 produções. Para facilitar a produção de quem só tem a ideia, será realizado um workshop sobre roteiro, direção e produção, fotografia e aplicativos para edição e captação de vídeo e áudio. Mais informações no Instagram @coletivoforadacaixaprod ou no e-mail: curtacamacari@gmail.com


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


8/8/2022 Fechamento: 14h59


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Ajustes As sessões plenárias da Câmara de Vereadores de Camaçari, retomadas nesta terça-feira (2), ganham calendário elástico. Segundo apurou a Coluna, os encontros das quintas-feiras no plenário Osvaldo Nogueira devem ser suspensos. Ainda de acordo com a proposta, consensuada entre governistas e oposicionistas, as sessões das terças permanecem semanais em agosto.


Ajustes 2 Em setembro as sessões das terças-feiras passariam a ser mensais. A justificativa está nas necessidades dos vereadores mergulharem de cabeça nas campanhas de presidente, senador, deputado federal e estadual.


Embate Por falar em Legislativo, dos 21 representantes eleitos em 2020, apenas dois tentam voos mais altos nas eleições de 2 de outubro. O vereador Dentinho do Sindicato (PT) briga por uma das 63 vagas na Assembleia Legislativa, na faixa dos votos do eleitorado lulopetista. Já na base de ACM Neto, a outrora oposicionista Professora Angélica (PP) busca uma das 39 vagas na bancada baiana de deputado federal.


Embate 2 Candidatos nas eleições de outubro, Dentinho do Sindicato e a Professora Angelica protagonizam outra pauta que pode ter reflexos muito além nas eleições de outubro. A Câmara de Camaçari deve iniciar nesta terça-feira (2), o processo de formação da comissão que vai apurar as denúncias de assédio moral, sexual e preconceito racial, feitas pela vereadora contra o colega de Legislativo. Situação nada singular e sem precedentes, como mostrou a Coluna (Confira), não deve ter desfecho imediato e com total imprevisibilidade.   


Baixa dosagem A Lei que cria a política municipal de prevenção e combate às amputações em pacientes diabéticos em Camaçari, aprovada no final do ano passado pela Câmara de Vereadores, parece ser mais um exemplo da desarticulação da secretaria de governo (Segov) do alcaide Antonio Elinaldo (União Brasil) com o Legislativo.


Baixa dosagem 2 Ouvida pela Coluna, a secretaria de saúde de Camaçari (Sesau) garante que possui uma estrutura que atende plenamente as necessidades dos pacientes com diabetes no município. Com médicos especialistas, fornecimento de medicamentos e com todas as unidades básicas de saúde (UBS) orientadas e seguindo o programa nacional de diabetes, a Sesau nada sabe sobre o projeto, muito menos os motivos pelo não veto do alcaide Elinaldo.


Baixa dosagem 3 Sem veto e sem a sanção de Elinaldo, a Lei de autoria do vereador Jamesson Silva, do mesmo partido do alcaide, agora espera a “sanção tácita” do presidente do Legislativo, também do UB, como determina a Lei Orgânica do Município. Junior Borges, por sua vez, segue sem saber o que fazer com a lei engavetada desde o começo do ano.


Baixa dosagem 4 Essa inexplicável ´babel` entre Legislativo e Executivo, que apesar de contar com 18 dos 21 votos dos vereadores da Casa, cria uma estranha situação. Acionado, o Ministério Público vira personagem em um debate só possível quando a sintonia e a eficiência entre os poderes não funcionam  e precisar desse tipo de interferência. 


Calibre Camaçari registrou 10 assassinatos em julho, segundo informações da secretaria de segurança pública (SSP-BA). Os números mostram queda em relação ao mesmo mês de 2021, com 14 registros oficiais. Julho deste ano voltou a cair na comparação com o mesmo mês de 2020, 2019 e 2018, com 11, 22, 13 e 21 assassinatos, respectivamente.


Calibre 2 No somatório dos 7 primeiros meses do ano, 2022 registra 115 assassinatos, 10 a menos que o período janeiro/julho de 2021. Nos mesmos 7 meses de 2020 foram 143 assassinatos. Ainda segundo dados da SSP-BA, entre janeiro e julho de 2019 foram contadas 108 mortes violentas no município. Entre janeiro e julho de 2018 a SSP registrou 114 assassinatos em Camaçari. Recorde dos últimos 6 anos no período janeiro/julho continua com 2017, quando foram contados 145 assassinatos. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


1/8/2022 Fechamento: 17h18


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Vai e Vem O ex-vereador e candidato a deputado federal pelo Podemos, Jackson Josué, garante que sua postulação avança. O mais recente movimento foi a formação do diretório municipal que agora é presidido pelo advogado e integrante do seu grupo político, Petter Diego Souza.


Vai e Vem 2 A expectativa do ex-petista era ampliar ainda mais o partido e a base de apoio à candidatura ACM Neto (União Brasil), com a adesão de Téo Ribeiro, também ex-vereador e ex-companheiro de partido. Segundo apurou a Coluna, as conversas estavam adiantadas, mas Téo segue cheio de dúvidas. Deixa o PT e muda, ou volta para os braços do grupo do ex-prefeito Luiz Caetano, e marcha com a candidatura Jerônimo.


Respaldo A Igreja Católica já está tratando de promover as correções necessárias para atender o decreto de tombamento da Igreja do Espirito Santo, em Vila de Abrantes. Num movimento inédito, a diocesese recebeu puxão de orelha público do conselho municipal de cultura de Camaçari (CMCC), por promover mudanças na estrutura do centenário templo.


Respaldo 2 Comunicação publicada no Diário Oficial surpreendeu a todos. Até então o CMCC não havia se manifestado sobre qualquer intervenção que agredisse o patrimônio do município. Foi assim com as obras de requalificação da praça da Matriz e os seus riscos para integridade da paisagem de importante sítio histórico que tem como elemento principal, justamente o templo de Vila de Abrantes, um dos 10 mais antigos do Brasil.


Respaldo 3 O conselho, que mesmo com parte de seus integrantes formado por representantes da comunidade artística, cultural e até da mídia, tem histórico de negligência. Se omitiu sobre as demolições do centenário casarão sede dos 3 poderes, em 2019 (Confira), e o do antigo cine-teatro da cidade.  


Topada Camaçari segue sem planejamento e fazendo de contas que tem projeto de cidade e soluções técnicas para seu traçado futuro com a construção de caminhos para fugir dos gargalos naturais causados pelo crescimento urbano e a consequente necessidade de soluções em transporte e trânsito. Com um plano diretor de desenvolvimento urbano (PDDU) atrasado 14 anos, já que deveria ter sido atualizado de 10 em 10 anos, como manda a Lei, portanto em 2018, município se enrosca no seu próprio mapa de crescimento.


Topada 2 Incapaz de atualizar o PDDU (Confira), município, através da secretaria de desenvolvimento urbano (Sedur), também passa longe de construir um plano integrado de resíduos. Outra necessidade, não menos urgente é o plano de mobilidade urbana. Sem o Plamob, que prevê o crescimento das vias e seu planejamento para pedestres, ciclistas, carros e sistema de transporte, que o município aboliu, como se a população na sua maioria trabalhador, não precisasse de ônibus, Camaçari perigas perder verba federal para projetos de mobilidade caso não construa e aprove o seu Plamob até abril de 2023.


Topada 3 Bafejada pelos números desatualizados sobre população, a dscuidada gestão de Camaçari terminou ganhando fôlego. O critério que deveria incluir o município na lista do inadimplentes já neste ano, usa dados do Censo 2010. Por esses números, Camaçari não somava 250 mil habitantes. Na definição dos critérios da política nacional de mobilidade urbana (PNMU), de janeiro de 2012, município ficou milagrosamente fora da punição com o corte de verbas. 


Movimento Camaçari realiza no próximo domingo (31) a sua copa de xadrez rápido. A competição, a partir das 9h, no shopping Camaçari Boulevard, terá 9 rodadas e já conta com mais de 100 participantes. A inscrição dos competidores, com idade a partir dos 8 anos, é gratuita e pode ser feita no site da FBX (Confira). A Copa de Camaçari tem coordenação de Michel dos Santos.


Movimento 2 Como parte da competição, o campeão e mestre Gilberto Milo faz palestra no sábado (30), a partir das 13h, na unidade da UNIFTC localizada no shopping. Em seguida, às 14h30, enfrenta de forma simultânea 26 enxadristas. 


Calibre Camaçari registrou 12 assassinatos em junho, segundo informações da secretaria de segurança pública (SSP-BA). Os números mostram uma significativa queda em relação ao mesmo mês de 2021, com 21 registros oficiais. Junho voltou a cair na comparação com o mesmo mês de 2020 e 2019, cada um com 10 assassinatos. Número deste ano ficou longe do recorde de 2018, quando Camaçari registrou 23 mortes violentas.


Calibre 2 Já no somatório dos 6 primeiros meses do ano, 2022 registra 105 assassinatos, uma queda de 6 registros em relação a 2021 (111). No mesmo primeiro semestre de 2020 foram 132 assassinatos. Ainda segundo dados da SSP-BA, em 2019 foram contadas 86 mortes violentas entre janeiro e junho, 101 em 2018, e 124 em 2017.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


25/7/2022 Fechamento: 15h04


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Números Camaçari fica ainda mais próxima da lista de cidades que poderão ter eleições em dois turnos no pleito de 2024. É o que mostram projeções feitas pela Coluna, com base nos números oficiais de votantes e o seu crescimento nas últimas 5 eleições (2012/2014/2016/2018/2020), e para o pleito deste ano.   


Números 2 De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), município que tinha 146.187 eleitores no pleito de 2012, soma agora 191.507 aptos a votar em outubro. Esses 45.326 a mais nos últimos 10 anos, representa um crescimento de 31%.


Números 3 Aplicada a média de crescimento de 5,5% no eleitorado nos últimos 6 pleitos, Camaçari somaria em 2024 pouco mais de 10 mil novos eleitores, ultrapassando assim os 200 mil votantes necessários para poder escolher o futuro prefeito em eleições de dois turnos.  


Números 4 Segundo os números oficiais do TSE, município saltou dos pouco mais de 146 mil em 2012, para 151.938 em 2014, 5.751 a mais e um crescimento de 3%. Dos quase 152 mil aptos no pleito de 2014, Camaçari  passou para 158.125, portanto 6.187 novos votantes  e um aumento de 4,1%.


Números 5 Crescimento registra salto maior entre os pouco mais de 165 mil eleitores aptos de 2018, para 179.126 de 2020. Foram 13.721 a mais, o equivalente a 8,3%.


Números 6 Entre 2020 (179.126 eleitores) e este ano de 2022, com 191.507 aptos, Camaçari somou 12.381 novos eleitores, um aumento de 6,9%.


Números 7 Nesse período de 6 eleições o crescimento do eleitorado, nunca inferior a 3,9%, entre 2012 e 2014; e de 8,3% entre 2018 e 2020, registrou uma média de 5,5%.


Números 8 Ainda segundo dados do TSE, divulgados na sexta-feira (15), Camaçari é o quarto município em número de eleitores. Fica atrás de Salvador (1.983.198), Feira de Santana (424.521), e Vitória da Conquista (250.908), cidades que já decidem seu gestor em   duas votações, caso não exista vencedor com metade mais um dos votos válidos no primeiro turno.


Números 9 A Bahia tem 11,2 milhões de eleitores aptos a votar nas eleições de outubro. Estado é o quarto colégio eleitoral, atrás de São Paulo (34.667.793), Minas Gerais (16.290.870) e Rio de Janeiro (12.827.296). Em todo o país são pouco mais de 156 milhões de eleitores. 


Elástico O caso envolvendo os vereadores Professora Angelica (PP) e Dentinho do Sindicato (PT), acusado pela colega de assédio moral, sexual e racismo (Confira), segue em stand-by. Início do processo de definição, independente qual seja o caminho, só deve começar a andar em agosto, com o fim do recesso parlamentar.


Elástico 2 O vereador tem até o começo da próxima semana, dia 25, para apresentar sua defesa contra as acusações da colega. Segundo apurou a Coluna, a defesa do petista ainda não definiu se ganha tempo e usa o prazo final ou se apresenta sua contestação nos próximos dias.


Elástico 3 Desgaste da imagem do vereador petista, independente de ser comprovada ou não sua inocência, se ampliou com a exibição do vídeo em que o parlamentar aparece arrancando a marcação do nome da colega da bancada do plenário (Confira).


Elástico 4 Um ritual legal, até o desfecho do caso, deve prosseguir com a instalação da comissão especial, já que a Câmara de Camaçari não tem comissão de ética. Os 5 membros da comissão, 3 titulares e 2 suplentes, serão escolhidos pelo presidente do Legislativo, Junior Borges (União Brasil), que ainda não sinalizou nenhum movimento. Comissão, com maioria governista por serem os elinaldistas donos de 18 das 21 cadeiras do Legislativo, deve discutir e apresentar seu parecer num prazo que varia de 10 a 13 dias, de acordo com a interpretação do Regimento.


Elástico 5 A conta é simples. A defesa, que deve ganhar tempo e só apresentar sua versão no último dia do prazo, na próxima semana, dia 25. Num segundo momento vem a decisão pela formação da comissão, que não sai antes da primeira semana após a volta dos trabalhos, no dia 2 de agosto. Completam essa soma o prazo dos trabalhos da comissão especial que apura as denúncias.


Elástico 6 Arriscar a finalização desse processo para antes da segunda quinzena de agosto é apostar numa velocidade que o Legislativo não costuma exibir quando se trata de questões relacionadas aos seus pares.


Reprovado O PSOL de Camaçari manda nota para Coluna onde cobra posicionamento do alcaide Antonio Elinaldo (União Brasil), sobre a greve dos professores da rede municipal. Movimento iniciado na semana passada reivindica melhoria na qualidade do ensino e a reposição salarial de 33,24%.


Reprovado 2 Nota também acusa a gestão municipal de não usar os 25% destinados à educação. Ainda segundo o PSOL, o corte promovido no ano passado representou uma perde de cerca de R$ 30 milhões para o desenvolvimento de projetos nas escolas e a consequente melhoria para alunos, professores e servidores. As creches, prometidas desde 2019, também são lembranças feitas pelo PSOL.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


18/7/2022 Fechamento: 14h40


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Estrago As denúncias de assédio moral, sexual e preconceito racial, feitas pela vereadora Professora Angelica (PP), contra o colega de Legislativo de Camaçari, Dentinho do Sindicato (Confira), não atingiram apenas o petista e o seu partido. Morde as demais legendas e, de forma mais incisiva, o próprio Legislativo.


Estrago 2 Em nota postada no site do Legislativo, dia 6, a Câmara Municipal informa que notificou o vereador e abriu prazo de 15 dias, segundo apurou a Coluna, para que o petista se manifeste sobre as acusações. O documento, que não foi distribuído para a imprensa, como manda a transparência, não especifica o prazo dado para a defesa (Confira). Apenas informa que vai analisar o caso e avaliar “se o teor das acusações é passível de abertura de processo disciplinar”.


Estrago 3 Mais uma vez, a Mesa da Casa, presidida pelo vereador Junior Borges (União Brasil), descuida das suas responsabilidades quando não informa como será esse processo. Regimentalmente, essa apuração é da esfera da  comissão de ética, colegiado que nunca foi formado, portanto não tem membros para discutir e votar qualquer demanda envolvendo um vereador. Crair um comissão especial e a sua composição vai ser outra batalha.   


Estrago 4 Nesse festival de descuidos, os partidos políticos, apesar de parte do processo, se comportam como se nada tivessem com o caso.  Omissão começa com o PP, partido da vereadora. Comandado pelo sempre falante, o vice-governador João Leão, legenda sequer manifestou solidariedade. Se apresentou aopio, esqueceu de publicizar.


Estrago 5 Com intensa presença em debates sobre questões como violência contra a mulher e preconceito, o PSOL de Negra Magna, e o PCdoB de Branca Patrícia também passaram longe, como lembrou o colunista do Camaçari Agora, Adelmo Borges. No seu artigo “A vez de Matildes” (Confira), Borges também cita a advogada e esposa do 3 vezes alcaide do município, Luiz Caetano, Ivoneide Caetano, candidata a deputada federal, como outra mulher a silenciar, apesar de todas defenderem a bandeira da valorização da mulher e a sua ocupação dos espaços de poder.


Estrago 6 Outra estrutura, que mesmo sem obrigação legal de se manifestar, engrossou o coro dos mudos foi a Ordem dos Advogados do Brasil–OAB Camaçari. Quem fez diferente e sinalizou compromisso com a luta das mulheres foi a secretaria da mulher (Semur). Dirigida pela vereadora licenciada Fafá de Senhorinho (União Brasil), a pasta distribuiu nota onde declara seu “profundo repúdio e indignação ao momento vivido pela vereadora”.


Estrago 7 Em todo esse processo, o PT, legenda do vereador acusado, foi o mais atingido. Em nota postada semana passada nas redes sociais, o partido sai em defesa do filiado e lembra que o vereador Dentinho do Sindicato “sempre teve uma história de luta pelos trabalhadores e por toda a sociedade Camaçariense”. Ainda segundo o documento, que reafirma seu apoio às mulheres, negros e todas as minorias, o partido “aguarda a apuração dos fatos e o desenrolar da representação pela mesa diretora da Câmara”.


Estrago 8 Mesmo considerando o seu vereador inocente e acreditando na confirmação da sua conduta pelo Legislativo, o mal-entendido não apaga o processo de desgaste do seu filiado e o consequente  respingo no partido.


Estrago 9 Assunto dos últimos dias em todas as redes sociais, denúncias de assédio e preconceito racial não deixam de refletir nos planos da candidata Ivoneide. Como será essa agenda conjunta com o vereador daqui para frente. A repercussão negativa entre o eleitorado, em especial o feminino, pode ser um fator decisivo na revisão do projeto de candidatura do vereador a deputado estadual.


Senha  Servidores da prefeitura de Camaçari andam desconfiados com a inclusão de seus dados pessoais, como número de telefone, na lista de propaganda de cooperativa habitacional. Dizem que essa nova oferta começou a encher as caixas de mensagens justamente depois da mudança do banco que administra a folha de pagamento da categoria.  


Alimento O Cozidinho do Dinho é muito mais que energia para o corpo. Nesta quinta (14) o tradicional restaurante recolhe os talheres e põe filosofia, artes e a poesia africana no cardápio. O bate papo com entrada franca, a partir das 19h, no espaço localizado na avenida Eixo Urbano, centro de Camaçari, tem coordenação do professor e filósofo João Borges.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


11/7/2022 Fechamento: 16h37


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Carimbo A tentativa de intimidação e de censura do vereador e presidente do Legislativo de Camaçari, Junior Borges (União Brasil), contra o Camaçari Agora e o Compartilha Bahia ganhou o apoio e a solidariedade de veículos de imprensa, entidades e até de partido político. A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e o Sindicato dos Jornalistas da Bahia (Sinjorba) emitiram nota (Confira). A Associação Bahiana de Imprensa (ABI) também condenou atitude de Borges (Confira). A ação equivocada e desprovida de qualquer amparo legal teve ampla repercussão na mídia estadual e de fora da Bahia.


Carimbo 2 Agora identificado como inimigo da liberdade de expressão e da imprensa livre, o vereador segue silencioso e tem evitado lugares públicos. Apesar de anunciar pelas redes sociais que desfilaria ao lado do ex-gestor da capital e pré-candidato a governador pelo seu partido, ACM Neto, Borges não deu as caras no desfile do 2 de Julho, em Salvador. Quem entende minimamente de política sabe que Borges não seria boa companhia. Só ´queimaria o filme` de Neto, completou uma fonte governista da Coluna.


Carimbo 3 Borges também não calçou tênis de competição, muito menos prestigiou a festa de premiação da Corrida e Caminhada 2 de Julho, prova realizada no município há mais de duas décadas e que atrai uma grande multidão.  


Carimbo 4 Único partido político a se manifestar em defesa da liberdade de imprensa e contra a censura, o PSOL, que também se posicionou através de Moção na Assembleia Legislativa da Bahia (Confira), não economizou munição. Com sua metralhadora giratória, o PSOL de Camaçari não atingiu apenas o vereador do União Brasil. O documento do diretório municipal da legenda também disparou contra os demais partidos políticos e os outros 20 vereadores que preferiram o silêncio e nada falaram sobre a agressão (Confira).


Distraídos A prefeitura de Camaçari segue ignorando a importância de Camaçari no processo de Independência da Bahia. Os alertas substanciosos começaram no ano passado, com o livro "Do Joanes ao Jacuípe, uma história de muitas querelas, tensões e disputas locais". Trabalho do professor e historiador Diego Copque reposiciona a data de fundação da cidade e coloca Camaçari e sua Vila de Abrantes  entre as  10  mais antigas do Brasil. Aula que o poder municipal insiste em ´matar`, apesar da cidade já comentar e se orgulhar, prosseguiu com  “A presença do Recôncavo Norte da Bahia na Independência do Brasil”, publicação do mesmo autor,  lançado no final de maio deste ano. 


Distraídos 2 Ao não montar um plano de presença e consequente reivindicação de Camaçari como uma das protagonistas da festa de Independência da Bahia, a prefeitura, através das pastas da educação (Seduc), comandada pela professora-doutora Neurilene Martins; e da cultura (Secult), chefiada por Marcia Tude, mostra uma condenável acomodação. Não foi por falta de aviso. O último alerta foi dado pela Coluna  de 4 de maio, quase dois meses antes do desfile (Confira).


Distraídos 3 Ao invés de apenas assegurar ônibus para o transporte de aliados, todos vestidos de azul, e na sua maioria cargos comissionados, para engrossar o coro em favor de ACM Neto, a prefeitura poderia ter garantido muito mais.


Distraídos 4 Seguramente, a presença de Camaçari e seu povo no desfile de sábado último, pelo centro da capital, teria muito mais peso político se fosse puxada pela Bamuca, ou qualquer outra fanfarra do município, como a Fanesc. Lucraria a cidade que amplia seu orgulho, e o próprio alcaide Antonio Elinaldo. Chegaria com história para contar, ao invés de ser apenas um mero coadjuvante da festa do seu candidato a governador.


Distraídos 5  Nem tudo está perdido. No 2 de Julho de 2023 a Bahia comemora o bicentenário da Independência. Agora é acordar e se mexer.


Pela raiz Depois da denúncia do Camaçarico, a secretaria de desenvolvimento urbano e meio ambiente (Sedur), resolveu reconhecer o erro e mandou cancelar a licitação que entregava para a iniciativa privada a exploração comercial do viveiro instalado no horto de Camaçari.


Pela raiz 2 O atestado da doutora Andrea Montenegro, de que pisou feio na grama e levou o alcaide Antonio Elinaldo (União Brasil) a também sair avançando sobre o verde que deveria preservar, foi publicado no portal de compras da prefeitura.


Pela raiz 3 O “Termo de Revogação”, estranhamente sem data, anula o processo que asseguraria a empresa vencedora o poder de comercializar não apenas plantas ornamentais, como mostrou a Coluna (Confira). A licitação/concorrência garantiria também que o horto, que leva o nome do pai do alcaide, Linaldo Silva, se transformasse quase que num mercadinho verde.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


5/7/2022 Fechamento: 14h43


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Censura O vereador Junior Borges (União Brasil), atual presidente da Câmara de Camaçari, segue com dificuldades de entender o processo democrático e a relação dos agentes políticos com a imprensa e seu papel como divulgador das ações dos representantes eleitos pelo povo. A sua mais recente tentativa de manifestação de força contra jornalistas e veículos de imprensa mostra justamente esse comportamento nada republicano.


Censura 2 Este editor foi surpreendido com ação no Juizado de Pequenas Causas, impetrada pelo vereador. Não satisfeito, o vereador Junior Borges também tenta intimidar o site Compartilha Bahia, editado pelo colega Julio Ribeiro, ao acusar a publicação de também produzir fake news. 


Censura 3 No seu pedido, datado de 2 de junho, mas só comunicado oficialmente a esse editor, através de citação, via correios, e recebido na última semana do corrente mês, o vereador entra com “Ação Por Danos Morais”. Pede o valor de R$ 28 mil, teto estipulado pela Justiça para casos em Pequenas Causas, por suposta violação do seu direito, que segundo ele, se trata de um caso de “injúria, difamação ou calúnia”. 


Censura 4 Na ação, o vereador cita apenas o link para a postagem no site Compartilha Bahia do dia 10 de maio (Confira). Mas, estranhamente a ação não informa o link da Coluna Camaçarico (Confira), origem do material repercutido no site editado pelo colega Julio Ribeiro. 


Censura 5 Impetrada no Juizado Especial Cível da Comarca de Camaçari, ação do vereador vai além da tentativa de punição econômica a veículos de comunicação. junior Borges avança e tenta atropelar o mais precioso princípio que deveria defender como representante eleito pelo povo, que é a liberdade de expressão.


Censura 6 Numa clara e abominável tentativa de censura a veículos de imprensa, o vereador Junior Borges não apenas pede a remoção dos textos postados na Coluna Camaçarico e no Compartilha Bahia, como pede a aplicação de uma multa diária de R$ 1 mil por não cumprimento da decisão.


Censura 7 Diferente dos impulsos autoritários do vereador Junior Borges, a juíza Elbia Rosane Souza de Araújo desconsiderou o pedido de censura e apenas marcou a audiência judicial, em formato telepresencial, para o próximo dia 15 de agosto.


Censura 8 O editor lamenta o equívoco e considera essa tentativa de intimidação contra a imprensa um capítulo negativo no currículo do vereador, que ocupa até dezembro o cargo de presidente do Legislativo (biênio 2021/2022). Missão de comandar a Câmara de Vereadores de Camaçari não pode deixar o personalismo e a vaidade atropelarem sua tarefa de vigilância redobrada no respeito aos atos e comportamentos impostos pela democracia.


Censura 9 Para quem tem pretensões políticas de galgar novos degraus, como ser prefeito de Camaçari, por exemplo, exibir esse tipo de ação só mostra o perigo que representa para a democracia.


Censura 10 Infelizmente, o vereador Junior Borges não está sozinho. Parece que se espelha em exemplos de desrespeito à imprensa e à livre e responsável manifestação dos meios de comunicação em que vive o Brasil. Copiar esse manual autoritário, seguramente só ajuda a diminuir a consistência de quem desejaria crescer na política. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


27/6/2022 Fechamento: 12h33


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Divã O PSOL de Camaçari segue uma estranha trajetória que parece conduzir a legenda ao isolamento e à sua consequente inviabilização como alternativa de poder para as eleições municipais de 2024. A última movimentação que sinaliza essa `marcha à ré` e sinais claros de racha foi a exclusão de Sócrates Magno da lista de candidatos a deputado federal pelo Partido Socialismo e Liberdade. O nome do educador vinha se consolidando como único candidato de esquerda com raiz no município para a disputa de uma das 39 cadeiras da bancada baiana no Congresso Nacional.


Divã 2  Ex-candidato a prefeito nas eleições de 2020 e reconhecido como uma liderança em ascensão, Sócrates parece que estava incomodando além da conta, um pedaço do PSOL. Para completar o festival de estranhices e contradições, o mesmo PSOL que rifou o educador, indicou os nomes locais de Negra Magna e Nilton para compor o time de candidatos a deputado estadual. Legenda sem representante na Câmara Federal, segue com Hilton Coelho como candidato a reeleição.  


Divã 3 Processo de exclusão da candidatura Sócrates pela executiva estadual, com o aval do diretório municipal, não deixa de ser mais um presente para fortalecer a já gorda cesta de votos da petista e esposa do ex-alcaide Caetano, Ivoneide Caetano.


Queridinho Força total na máquina do governo municipal para fazer o ex-alcaide de Coribe, Manoel Rocha (União Brasil), o candidato a deputado estadual mais votado em Camaçari. Aposta de ACM Neto, o filho do veterano deputado federal José Rocha é o novo chamego do alcaide Elinaldo. Não é por acaso que a jovem liderança conta com o apoio de 10 vereadores, sendo 8 na titularidade e dois no comando de pastas municipais.


Queridinho 2 Conta rápida mostra que o time formado por Deni de Isqueiro, Doutor Samuka, Dudu do Povo, Flavio Matos, Herbinho, Jamesson, Mar de Areias e Niltinho, além dos licenciados Elias Natan (Sesau) e Jorge Curvelo (Sejuv) somou pouco mais de 20 mil votos nas últimas eleições. Agora é aguardar o potencial de transferência dessas lideranças e a ajuda do restante da máquina e das dezenas de candidatos da base governista que disputaram o último pleito.


Preju Já está valendo a isenção do pagamento da taxa de manutenção para os permissionários da feira de Camaçari. Como antecipou a Coluna (Confira), o mimo votado  de forma veloz pelo Legslativo e sancionado na terça-feira (21), livra de despesas os cerca de 1.100 feirantes do centro comercial, entre março de 2020 até o final do mandato do alcaide, em dezembro de 2024.


Preju 2 Sem contar os dois anos passados, quando a maioria não pagou a taxa que banca as despesas de água, luz, limpeza, segurança e manutenção da feira, anistia a partir de julho vai representar uma renúncia para os cofres públicos de algo em torno de R$ 4 milhões até dezembro de 2024. Enquanto isso, o restante do comércio da cidade segue pagando o preço da pandemia e sem qualquer direito a isenção ou anistia de taxas e impostos cobrados pelo município.


Apartada Para tristeza dos técnicos da secretaria de desenvolvimento social e cidadania (Sedes), não passa de boato a troca de Renoildes Oliveira pelo vereador licenciado e atual secretário de esportes, Jorge Curvelo, no comando da pasta. Quinta titular da Sedes, desde o primeiro governo do alcaide Elinaldo, a doutora Reni é quase uma unanimidade. Segue distante do entendimento da verdadeira missão da pasta e das políticas públicas da assistência social, dizem fontes da Coluna.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


22/6/2022 Fechamento: 14h36


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 

 







Generoso O alcaide de Camaçari deve imaginar ser apenas a feira o único segmento do comércio no município a sofrer com os impactos econômicos negativos provocados pela pandemia da covid-19. Focado nas soluções que contemplam apenas os cerca de 1.100 permissionários e ex-colegas do espaço conhecido como centro comercial, Antonio Elinaldo (União Brasil) mostra que governa para poucos.


Generoso 2  Medida mostra descuido com o setor como um todo,  do qual a feira representa apenas uma parcela nessa economia  que gera  milhares de empregos. Esquece que a queda nas vendas, o desemprego e até o fechamento de negócios provocados pela pandemia não foram  consequências sofridas pelos demais micro e pequenos empresários de Camaçari.


Generoso 3 Sem dar qualquer anistia em impostos como IPTU e sobre serviços ao comércio como um todo, Elinaldo faz mais um aceno para os feirantes que já não vinham cumprindo suas obrigações desde antes da pandemia.


Generoso 4 Pelo projeto de Lei em tramitação no Legislativo, o alcaide isenta débitos do preço público cobrado dos permissionários pelo uso de área pública na feira. A anistia vai de 23 de março de 2020, até quando perdurar a vigência do estado de calamidade pública decorrente da pandemia de Covid-19. Caso seja revogada em julho, só aí serão 27 meses de isenção.


Generoso 5 Provavelmente considerando o período de 27 meses curto, caso seja revogada no final desse mês, o alcaide Elinaldo ainda propõe que a isenção das taxas avance por, no mínimo, 15 meses. Espichada pode ser maior, já que o projeto estabelece a prorrogação da isenção por outros 15 meses. Conta rápida mostra que a medida pode isentar os comerciantes da feira até o final de 2024, justamente quando fecha seu 2º mandato. 


Generoso 6 A história de protecionismo com os comerciantes da feira é antiga. Desde as gestões anteriores que ninguém paga nada. Prejuízos para os cofres públicos, que sempre bancaram os custos com energia, água, limpeza, manutenção e segurança, começaram a ser revistos em 2015, com a ação do Ministério Público (MP), que obrigou o município a cobrar uma taxa de manutenção dos permissionários. Os ex-alcaides Luiz Caetano (PT) e Ademar Delgado, ex-petista e depois sem partido,  chegaram a ser enquadrados, mas nada andou.


Generoso 7 Taxa só começou a ser cobrada em 2017, mas enfrentou uma série de dificuldades. Como a prefeitura   não cumpriu sua parte, e a inadimplência chegou a quase 50%, o descontrole obrigou a Justiça a fechar o centro comercial em duas ocasiões. Medida, pelo visto, não foi suficiente para que a atual gestão entendesse a sua responsabilidade e a necessidade de cumprir a Lei. 


Sinal Amarelo O coronel PM, Alfredo Castro, chefe da superintendência de trânsito e transportes de Camaçari (STT), perdeu mais uma batalha na ação  em que virou réu, acuado  de  improbidade administrativa. De acordo com decisão, datada de 24 de maio, assinada pelo desembargador relator Manoel Carneiro Bahia de Araújo, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), não provcede a alegação de ausência de fundamentação na decisão do juiz Cesar Augusto Borges de Andrade, da Primeira Vara da Fazenda Pública de Camaçari.


Sinal amarelo 2 O militar que comandou a Polícia Militar da Bahia entre 2011 e o começo de 2015, é réu numa ação iniciada em janeiro deste ano (Confira). De acordo com o investigação do Ministério Público, autora da ação,  Castro teria liberado um veículo apreendido e removido para o pátio da STT, sem o devido pagamento das multas e taxas.


Sinal amarelo 3 Agora, é aguardar a decisão do Juiz Cesar Borges. Caso seja condenado, pode perder imediatamente o cargo na STT, ficar sem poder ser nomeado para cargo público, além de ter os seus direitos políticos suspensos por até 8 anos.


Fermento O ex-prefeito de Salvador e candidato a governador, ACM Neto (União Brasil), recebe nesta terça-feira (14) o título de Cidadão Camaçariense. Festa capitaneada pelo correligionário e presidente do Legislativo, Júnior Borges, autor da proposta, está prevista para começar oficialmente às 14h, mas não acontece antes das 16h.


Fermento 2 Neto não deve demorar muito. Além da agenda apertada, com visita na sequência à vizinha Mata de São João, os imbróglios da política também interferem nessa receita que poderia ser maior, inclusive com a realização de uma grande carreata. Depois do ´vai não vai` de Junior Borges para a base de Rui Costa (PT), fontes elinaldistas avaliam que a azeitona de Neto merece rechear empada maior e mais consistente.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


13/6/2022 Fechamento:14h50


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 

 







Compromisso É sempre bom lembrar a necessidade do jornalismo independente para a democracia. Neste 7 de junho, Dia Nacional da Liberdade de Imprensa, o jornalista precisa reafirmar a sua missão de investigar e informar. Ceder às pressões dos grupos políticos e/ou empresariais é renunciar à sua função de manter a sociedade informada. Fazer diferente é proliferar o fake news. 


Ecossistema A prefeitura de Camaçari segue sem responder a denúncia da Coluna (Confira), sobre o processo de licitação que escolheu uma empresa, a única a participar da disputa, para explorar comercialmente o viveiro que integra e funciona no horto florestal do município.  


Ecossistema 2 A secretaria de desenvolvimento urbano e meio ambiente (Sedur), comandada pela   doutora Andrea Montenegro, responsável pelo estranho processo, não está sozinha. Conta com o apoio, ainda que implícito da Câmara de Vereadores.


Ecossistema 3 Destaque vai para a silenciosa bancada de oposição, que mesmo criticando os governistas, rotulados de bancada do amém, prefere ignorar e achar normal e legal uma manobra que fere a legislação e representa um grave risco para o prosseguimento do já precário programa municipal de proteção ao meio ambiente.


Ecossistema 4 Grupo de representantes dos antigovernistas no Legislativo nasceu quinteto, logo mingou para quarteto, com a saída do pedetista Manoel Filho para a base elinaldista. Agora, com o rompimento do vice-governador João Leão (PP), com o PT, e sua ida para o projeto de ACM Neto (União), a vereadora Professora Angelica também entrou para a orquestra da maioria.


Ecossistema 5 Mesmo com o encolhimento e a possibilidade de unidade maior, o agora trio, formado pelos petistas Dentinho do Sindicato e Tagner Cerqueira, e pelo socialista Vavau, segue exibindo sinais claros de desarticulação. Só reforçam a tese do ex-ministro do meio ambiente, Ricardo Sales, de “passar a boiada” com o descuido de quem deveria fiscalizar.


Ecossistema 6 Nesse processo crescente de desequilíbrio, apesar do foguetório na mídia chapa branca, outro personagem tem destaque. Em nota distribuída para a imprensa, a presidente do conselho municipal de meio ambiente (COMAM),  Ana Mandim, cobra velocidade do secretário de governo, José Gama, na viabilização da instalação da base da polícia ambiental.


Ecossistema 7 Reinvindicação antiga ganhou reforço em meados do ano passado, como mostrou o Camaçarico (Confira). Base da companhia de polícia de proteção ambiental (COPPA),  está prevista para ser instalada em Jauá, um dos locais mais agredidos pelas invasões e furto de areia das dunas. A Polícia Militar já fez sua parte. Espera a contrapartida da prefeitura.


Ecossistema 8 O professor doutor Paulo Brandão Chiaccio lança domingo (12), os livros “Meio Ambiente, Ações de Sustentabilidade e Impactos Ambientais” e “Resíduos Sólidos e Seu Gerenciamento”. Será às 10h, no condomínio Albatroz, em Jauá, orla de Camaçari. Colunista do Camaçari Agora, Chiaccio é engenheiro agrônomo, ex-diretor da escola de agronomia da UFBA e estudioso da questão ambiental.


Calibre Camaçari registrou 19 assassinatos em maio, segundo informações da secretaria de segurança pública (SSP-BA). Os números mostram uma leve queda em relação ao mesmo mês nos últimos 2 anos. Em 2021 foram 20 registros oficiais, enquanto que em 2020 a SSP-BA contou 21 assassinatos no município. Maio deste ano ficou maior que o mesmo mês de 2019 (16), de 2018 (18), e de 2017 (18).


Calibre 2 Já no somatório dos 5 primeiros meses do ano, 2022 registra 93 assassinatos, uma queda de 3 registros em relação a 2021 (90). No mesmo mês de 2020 foram 122 assassinatos. Em 2019 foram contadas 76 mortes violentas, 78 em 2018, e 112 em 2017.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


7/6/2022 Fechamento: 13h13


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Gincana A disputa pelo título de mais votado para deputado estadual em Camaçari caminha para a polarização entre os nomes de Junior Muniz (PT), pleiteando a reeleição; e Manoel Rocha (União), em busca do 1º mandato.


Gincana 2  O petista, pouco conhecido na cidade, onde andou durante a 2ª gestão Luiz Caetano (2009/2012), é o preferido e já conta com o apoio de significativo grupo de lideranças que seguem o 3 vezes alcaide. Mesmo cedo para números, grupo estima que Muniz pode somar em Camaçari, algo em torno dos 10 mil votos, mesmo volume de apoio obtido em 2018 pelo ex-vereador Jackson Josué, hoje candidato a federal pelo Podemos.


Gincana 3 Já o grupo do alcaide Elinaldo esconde o jogo e fala em 3 mil, no máximo 6 mil votos. Mas, a movimentação intensa e crescente, com pelo menos 4 vereadores confirmados como cabos eleitorais, isso sem falar no empenho pessoal do alcaide e de um grupo significativo de secretários, o filho do deputado federal José Rocha deve ficar próximo dos dois dígitos.


Gincana 4 Longe da unanimidade, movimentação dos grupos caetanista e elinaldista surpreende lideranças locais dos dois lados e gente acostumada com a geografia política na cidade, que não economizam objeções aos dois escolhidos. Afinal, qual o lucro da cidade com essas candidaturas, questionam.


Currículo A secretaria de desenvolvimento urbano da prefeitura de Camaçari (Sedur) parece que tem como uma das suas finalidades instalar jabutis em árvores. Não pode ter outra explicação para a recente licitação/concorrência em que pretende entregar o viveiro situado no horto florestal de Camaçari para exploração comercial pela iniciativa privada. Publicada no Diário Oficial do Município nº 1871, de 22 de março deste ano, concorrência n.° 0003/2022  teve  a definição do vencedor no último dia 5.


Currículo 2 Sem definir o valor de locação do espaço, num acordo de uso por 24 meses, edital postado no site da prefeitura cita apenas a modalidade de classificação pela “melhor técnica”. Também define como critério que a empresa possua um especialista em abelhas (apicultor) nos seus quadros.


Currículo 3 Principal equipamento do horto, viveiro que desde a inauguração nunca cumpriu de forma efetiva a sua função, segue como um precário depósito de mudas e plantas ornamentais. Com mais da metade de sua área ociosa, e já precisando de ajustes e pequenas reformas, horto batizado de Linaldo Silva, em homenagem ao pai do alcaide, perde de vez uma das suas funções que nunca foi posta em prática. Privatizado, deixa de promover programas de educação ambiental para alunos das escolas do município.


Currículo 4 Única a disputar o certame e vencedora da concorrência, a empresa Agrotopo Engenharia LTDA vai administrar um equipamento inaugurado no final de setembro do ano passado, e localizado dentro de um espaço público onde a segurança e toda a manutenção é bancada pelos cofres do município.


Currículo 5 Viveiro é parte integrante de um projeto onde foram gastos R$ 8 milhões financiados pela Corporação Andina de Fomento (CAF), estrutura vinculada ao Banco de Desenvolvimento da América Latina. Dinheiro oriundo de um pacote mais amplo de 80 milhões de dólares, perto de R$ 400 milhões a dinheiro de hoje, tem como condição a sua aplicação em programas de infraestrutura urbana e de desenvolvimento socioeconômico sustentável.


Currículo 6 Estranhezas na pasta comandada pela doutora Andrea Montenegro tem lista ampla e começa com o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU, engasgado desde o ano passado e  que teve sua concorrência para contratação de empresa executora questionado pela Coluna (Confira). O projeto de privatização do espaço público com a criação do chamado “loteamento fechado”, denunciado pelo Camaçarico (Confira), é outro jabuti, réptil que não sobe em árvore, mas aparece lá instalado por obra e graça de mãos humanas. 


Currículo 7 Lista também inclui o projeto Reflora Camaçari, sob a lupa do Ministério Público (Confira); o descontrole sobre o uso de espaços públicos para concessão de espaços comerciais para apaniguados, transformando Camaçari numa quiosquelândia (Confira). A mal explicada licença para obras na área de desova de tartarugas na praia de Busca Vida, e a falta de transparência das ações da pasta, que nos últimos anos se esquiva de compartilhar informações ao conselho municipal de meio ambiente (COMAM) reforçam esse currículo.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


31/5/2022 Fechamento: 14h33


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Agraciados Parece que o alcaide Antonio Elinaldo (União) finalmente fechou a lista dos nomes de candidatos a deputado estadual que deve ajudar com os votos da máquina de Camaçari. Segundo apurou a Coluna, a deputada Katia Oliveira (União), esposa do gestor de Simões Filho, puxa a lista que tem também a correligionária e candidata à reeleição, Mirela Macedo. Outro candidato que chega com bons padrinhos e deve somar votação diferenciada na cidade é o filho do deputado federal José Rocha (União) e ex-prefeito de Coribe, Manoel Rocha.


Agraciados 2 Lista já foi maior e sofreu mudanças nos últimos 60 dias. Os deputados e candidatos à reeleição Sandro Regis (União) e Tiago Correia (PSDB), e os ex-deputados Luciano Ribeiro e Maurício Trindade também entraram e saíram das contas. Consenso e fechado desde o começo, só o federal e candidato a um novo mandato, Paulo Azi (União).


Agraciados 3 Ainda na base governista, corre por fora o correligionário do vice-governador João Leão, Fábio Lima (PP); a irmã da secretaria de turismo do município, Cristiane Bacelar e do deputado federal Jonga Bacelar, Kátia Bacelar (PL). Outro que deve seguir a orientação do seu partido, o Republicanos, e ficar fora desse mapa é o vereador Val Estilos.  


Agraciados 4 Já na base oposicionista o deputado estadual e candidato a um 2º mandato, o agora petista Junior Muniz segue reunindo todas as preferências. Queridinho do 3 vezes alcaide Caetano, Muniz se movimenta com desenvoltura no círculo mais próximo do caetanismo. Postagens nas redes sociais e movimentos nos encontros promovidos por Caetano e sua esposa e candidata a deputada federal, Ivoneide Caetano, não deixam dúvidas sobre as preferências e orientações do chefe para garantir votação significativa para Muniz, em Camaçari.


Agraciados 5 Quem segue correndo por fora, e enfrentando dificuldades para se manter no páreo é o vereador Dentinho do Sindicato. Mesmo com o carimbo de ´nativo`, presença significativa no cenário municipal e  apoio  de sindicatos de trabalhadores, Dentinho, como outro petista, o deputado e candidato à reeleição Bira Coroa, devem ficar de fora desse pacote de votos comandado por Caetano.


Aquecimento Com a saída do presidente do Legislativo de Camaçari, Junior Borges, e do ex-gestor municipal e atual secretário de administração, Helder Almeida, da lista de candidatos a uma das 63 cadeiras da Assembleia Legislativa, dupla também ganha distância da escalação para as preliminares de 2024. Disputa pela camisa de titular no time governista para a sucessão do alcaide Elinaldo segue com os vereadores Flávio Matos e o edil licenciado, o atual titular da pasta de esportes (Sejuv), Jorge Curvelo.


Aquecimento 2 Líder do governo e fiel escudeiro da gestão no embate com a oposição, o filho de José Matos, ex-vereador e atual secretário de relações institucionais (Serin), já declarou que quer ser o nome. Começa sua peregrinação com o apoio de um grupo de ex-vereadores capitaneados pelo papai. Ágil, focado e sempre simpático, Flávio Matos não dispensa um evento, mesmo que seja aniversário de pet. Deve ganhar significativo reforço na sua pretensão a partir de janeiro, quando assume a presidência do Legislativo, biênio 2023/2024, conforme acordo selado com o alcaide, ainda em 2020, e sacramentada pela bancada governista.


Aquecimento 3 Já Curvelo, amigo e preferido de Elinaldo, desde o primeiro momento, finalmente se convence que precisa andar rápido e cadenciado se quiser fazer jus ao apoio. Depois de levar nota baixa no comando do Legislativo (2019/2020), se reeleger com o empurrão do amigo, e se manter paradão no primeiro ano como titular da Sejuv, Curvelo parece que acordou. Se quiser se manter no jogo vai ter que contratar técnico, personal e montar um esquema tático, estrutura que o seu concorrente usa desde o ano passado.


Na mira  O pré-candidato a vice-governador na chapa do petista Jerônimo Rodrigues, o presidente do Legislativo de Salvador, Geraldo Junior (MDB), parece que não desistiu de levar o amigo e presidente da Câmara de Camaçari, Júnior Borges (União), para o projeto capitaneado pelo governador Rui Costa (PT).


Na mira 2 Em recente entrevista à repórter Camila São José, do Destaque1, Geraldinho voltou a mirar Borges. Fez elogios ao “amigo”, disse que espera trazer ele “senão agora, em algum momento” para seu lado. Nessa estratégia de apertar a mente de Borges, Geraldinho avançou nas reticências ao deixar dúvidas sobre a atuação do filho do vereador, Leonardo Borges, atual presidente do diretório do MDB de Camaçari, no jogo sucessório estadual e na conjuntura municipal.


Sem mira  Por falar em Junior Borges, o presidente da Câmara de Camaçari segue com dificuldades para encontrar  seu eixo e, por consequência, abandonar a sua agenda de equívocos. Visto com desconfiança pelos ´capas` do time azul, mesmo antes de ensaiar abandonar a base elinaldista para embarcar no projeto do PT, Borges voltou a chamar a atenção durante a inauguração da nova praça e campo Pedro Tudão, na noite de segunda-feira (23), bairro Mangueiral, sede do município.


Sem mira 2 Visivelmente desconfortável, e consumido pela necessidade de deletar o emblemático mês de abril da sua história política, como mostrou o Camaçarico (Confira), Borges mais uma vez perdeu a medida. Em quase 15 minutos de um discurso confuso e nada empolgante, avançou na sua equivocada estratégia ao surpreender os presentes com juras de amor, e até declaração de apoio ao projeto de reeleição do federal Paulo Azi. A festa acabou, ninguém entendeu nada, e Borges saiu do mesmo tamanho.


De turma Quem sela seu apoio ao projeto de eleição de ACM Neto (União), ao governo do estado, é o ex-vereador e candidato a deputado federal, Jackson Josué (Podemos). O encontro oficial acontece na tarde desta  terça-feira (24), no escritório do ex-prefeito, em Salvador. Segundo apurou a Coluna, Jackson não será o único ex-petista a aderir ao projeto de ACM Neto.  


Referência O professor, historiador e pesquisador Diego Copque autografa seu mais novo livro, sábado (28), a partir das 10h na praça Desembargador Montenegro, centro de Camaçari. No livro “A presença do Recôncavo Norte da Bahia na consolidação da Independência do Brasil”, Copque apresenta aspectos relacionados à participação de Camaçari, a partir de sua primeira povoação, em Vila de Abrantes, e das demais localidades da região outrora conhecida como Recôncavo Norte, no processo de consolidação da Independência do Brasil na Bahia.


Referência 2 Lançada a pouco mais de um mês dos festejos do 2 de Julho, e um ano antes das comemorações do bicentenário da Independência da Bahia, publicação também destaca as presenças de Santo Amaro de Ipitanga, hoje município de Lauro de Freitas, Feira de Santo Antônio de Capuame (Dias D’Ávila), e a freguesia de São Pedro de Açu da Torre (Mata de São João). Com esse novo trabalho, o professor Copque, também autor do livro “Do Joanes ao Jacuípe – Uma história de muitas querelas, e disputas locais”, lançado no ano passado, entra no seleto clube das referências sobre estudos da Independência da Bahia.


Fôlego Depois de realizar o “sonho” dos 21 quilômetros da corrida entre os faróis de Itapuã e da Barra, em Salvador, o alcaide Elinaldo já pode avançar no currículo. Os cerca de 15 quilômetros da São Silvestre, em São Paulo, considerada a mais importante corrida de rua do país e uma das mais famosas do mundo, podem ser o próximo desafio. Mesmo mais curta, prova com subidas e descidas, tem percurso e atmosfera diferentes do trajeto plano e bafejado pela orla salitrosa da capital baiana. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


24/5/2022 Fechamento:10h39


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 


 

 







Marreta A prefeitura de Camaçari aplica mais um golpe na sua já rachada capacidade de realizar obras de requalificação do centro antigo da cidade, ou promover qualquer outra ação de preservação do patrimônio histórico no município. Anunciado em junho de 2019, com o custo de aproximadamente R$ 1,5 milhão, obra de reconstrução do antigo cine teatro, como mostrou o Camaçari Agora (Confira), exibe agora mais dois valores totalmente diferentes do custo inicial.   


Marreta 2 A prova dessa desordem da gestão do alcaide Antonio Elinaldo (União) está publicada no portal da transparência/controladoria geral do município. De acordo com relatório de despesa demonstrativa de abril de 2022, portanto mês passado, a dotação orçamentária para as obras do cine teatro somam R$ 972 mil em valores atualizados. Esse valor é cerca de R$ 600 mil a menos que o previsto inicialmente para a obra. Apenas com fundações e parte das paredes erguidas, cronograma segue longe de sua finalização.


Marreta 3 Mas, estranhamente no mesmo abril, dia 7, a prefeitura de Camaçari lança um novo edital de licitação, dessa vez para a realização de “serviços remanescentes das obras de reforma e requalificação da edificação do cine teatro”. Mais uma vez os números não batem. Neste edital, publicado no portal de compras do município, o valor do serviço salta para R$ 2.372,642,15. Ainda segundo esse mesmo conjunto de informações oficiais, a obra foi vencida por uma nova construtora que apresentou um preço de pouco mais de R$ 2 milhões para a conclusão dos serviços até março de 2023.


Marreta 4 Conta rápida mostra que a nova proposta orçamentária para finalização da obra exibe uma diferença superior a R$ 1,1 milhão em relação ao relatório de abril da controladoria geral do município, e cerca de R$ 800 mil na confrontação com o primeiro valor, em 2019. Confusão se amplia quando a prefeitura não informa os motivos da troca da construtora e como seu deu a composição desse  novo valor.  


Marreta 5 As obras no centro antigo de Camaçari, que também envolvem a construção de outro equipamento cultural no espaço onde existia o casarão centenário sede dos 3 poderes, demolido em junho de 2019, como mostrou o Camaçari Agora (Confira), fazem parte de um conjunto de ações que contrariam qualquer política pública de preservação da cultura e da história de uma cidade.


Marreta 6 Nesse mesmo espaço, conhecido como coração da cidade, outra obra com a grife capitaneada pela pasta da cultura (Secult), da doutora Márcia Tude, a reforma da antiga estação de trens e sua transformação em museu da cidade, segue atestando esse descompromisso. Segundo a prefeitura, obra com atraso de 2 anos, tem previsão de inauguração nos próximos meses.


Marreta 7 Como vem denunciando a Coluna, fecha esse triste atestado de descuido com a história da cidade que o alcaide Elinaldo tem obrigação constitucional de cuidar, as obras de requalificação da praça da Matriz, na histórica Vila de Abrantes. Agressões só começaram a ser corrigidas em fevereiro deste ano, com a demolição de parte dos quiosques, elementos estranhos e incompatíveis com o conjunto histórico, que tem como principal peça a centenária igreja do Espirito Santo, uma das 10 mais antigas do Brasil. Denúncias no Camaçarico e a pressão de historiadores, da Igreja Católica e entidades, como a OAB, obrigaram o município a recuar (Confira).


Sinal amarelo O serviço de fiscalização da superintendência de trânsito e transporte de Camaçari (STT), que já andava em marcha lenta, parece que estacionou de vez. Segundo apurou a Coluna, os quase 100 agentes de trânsito do município estão sem talão eletrônico. Com o contrato de fornecimento dos equipamentos vencido, motoristas que cometem infrações de trânsito no município seguem livres da punição financeira.


Sinal amarelo 2 O transporte público municipal, outra responsabilidade da STT, também segue sem controle. Com o fim do sistema por ônibus, avanço e hegemonia do ligeirinho e a consequente quebradeira das cooperativas, as vans trocadas pelos micro-ônibus, aparecem como a solução para o setor retomar uma fatia desse mercado que movimenta mais de 70 mil pessoas por dia, entre a sede, orla e zona rural.


Calibre Camaçari registrou 17 assassinatos em abril, segundo informações da secretaria de segurança pública (SSP-BA). Os números, só disponibilizados na segunda-feira (15), apesar da solicitação feita por e-mail no dia 3, mostram queda em relação ao mesmo mês dos últimos 3 anos (2021, 2020 e 2019). Já no somatório dos 4 primeiros meses do ano, 2022, com 74 registros, só fica atrás de 2020 (91 assassinatos), e 2017, com 94 mortes violentas no primeiro quadrimestre do ano. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


18/5/2022 Fechamento: 14h58


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Bam-bam-bam Não satisfeito em protagonizar o fiasco político que foi a ´novela vai não vai`, como mostrou o Camaçarico (Confira), o presidente do Legislativo de Camaçari, Junior Borges (União Brasil) segue achando que possui os poderes da onipotência, da onipresença e da onisciência.


Bam-bam-bam 2 A mais nova demonstração dessa falsa consciência dos poderes ilimitados, da capacidade de reunir todo o conhecimento, e de poder estar presente em todos os lugares, é a sua interferência na comissão que discute o novo Regimento Interno da Câmara de Camaçari. Segundo fontes ouvidas pela Coluna, Borges tenta se manter no comando da presidência do Legislativo por mais 2 anos, biênio 2023/2024, com a inclusão do direito à reeleição do presidente dentro da mesma legislatura.


Bam-bam-bam 3 Como mostrou a Coluna (Confira), a proposta de reeleição do presidente do Legislativo de Camaçari sequer foi discutida e não constava do projeto que muda as regras de funcionamento da Câmara. Mas, provavelmente achando que pode tudo, o atual presidente Junior Borges resolveu interferir na comissão e incluir o mecanismo. Proposta não apenas atropela os trabalhos da comissão. Rompe o acordo que ele, Junior Borges, e demais integrantes da base governista, fecharam com o alcaide Elinaldo, de eleger o colega de partido, Flávio Matos, presidente para o próximo biênio.


Bam-bam-bam 4 Mesmo tentando exibir uma capa de poderoso, Borges segue fragilizado e com duas alternativas, asseguram essas mesmas fontes da Coluna. Desiste e retira sua proposta da comissão, ou será derrotado pelos seus pares, quando as mudanças do regimento seguirem para votação em plenário.


Bam-bam-bam 5 Isolado desde a sua indecisão, se permanecia com o grupo e a candidatura de ACM Neto (União), ou rompia e marchava com o projeto capitaneado pelo PT de fazer Jerônimo Rodrigues governador, Borges parece não entender o jogo da política e segue cometendo novos equívocos. Sua permanência no grupo, festejado com música, como mostrou a Coluna (Confira), foi outro movimento confuso. 


Bam-bam-bam 6 Depois de comandar caravana com 17 dos 21 vereadores de Camaçari, reforçada por uma equipe de assessores, na 21ª Marcha dos Vereadores, onde até palestrou, Borges parece que não se contentou com a mídia gratuita sobre o encontro, veiculada na imprensa e nas redes sociais.

 







Bam-bam-bam 7 Despesas de 4 dias em Brasília, que numa conta geral para os cofres públicos não ficou abaixo dos R$ 100 mil, ganhou reforço com os outdoors que mandou espalhar por toda a Camaçari. Sempre seguindo os princípios do ´tudo e todo`, peça onde exibe sua imagem em dupla sobreposição, se completa com 4 fotos menores dos vereadores como meros coadjuvantes do encontro. Até um leigo constata que as expressões “mais representatividade” e “mais protagonismo”, destacadas na peça, fazem referência de forma explícita ao presidente Borges.  


Gaveta A oficialização da fusão dos colégios estaduais José de Freitas Mascarenhas e Cidade de Camaçari deve ficar para depois das eleições. Processo iniciado sem o devido debate entre a comunidade das duas unidades que abrigam cerca de 3,5 mil alunos e 140 professores, como mostrou a Coluna na edição de 15 de fevereiro (Confira), agora é agenda negativa.


Gaveta 2 Afinal, o ex-secretário de educação do estado, Jerônimo Rodrigues, que vinha pilotando o projeto, agora é candidato a governador pelo PT. Além da questão da violência nas escolas, que ganha novos componentes com a concentração de um grande número de alunos, a fusão ameaça empregos de professores e outros profissionais.


Gaveta 3 Do projeto total, segue em andamento, com previsão de inauguração antes das eleições de outubro, apenas a piscina, o auditório e quadras com grama sintética, que servirão às duas unidades.


Borracha Se alguém falou, esqueça a dobradinha eleitoral que o ex-gestor de Ibititá e candidato a deputado estadual, Cafu Barreto (PSD) articulava com a candidata a deputada federal, Ivoneide Caetano (PT). Cafú, que chegou a exibir sua gorda campanha em Camaçari, foi preso semana passada pela Polícia Federal, na operação Rochedo.


Borracha 2 O ex-alcaide de Ibititá, cidade da Chapada Diamantina, com pouco mais de 18 mil habitantes, sendo cerca de 13 mil eleitores, é acusado de comandar uma organização criminosa, que a PF chama carinhosamente de “Orcrim”, responsável pelo desvio de cerca de R$ 7 milhões de recursos obtidos através de licitações fraudadas nas áreas da saúde e educação. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


10/5/2022 Fechamento: 15h04


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Foco O lançamento do documentário “Descontrole: o Ministério Público no centro das atenções”, pela Anistia Internacional, semana passada, é mais uma luz sobre a atuação do MP da Bahia e o sua ação no enfrentamento da violência.  Citando a Bahia entre os estados onde mais se mata pessoas negras em ações policiais, o vídeo de quase 3 minutos (Confira), não deixa de reacender a discussão sobre Camaçari e o papel do MP num contexto mais amplo da violência no município. 


Foco 2 Apesar dos números de assassinatos, que em março (23 registros) bateram todos os recordes para o mês nos últimos 6 anos, Camaçari segue longe desse debate. Números de abril, indisponíveis no site da secretaria de segurança pública da Bahia (SSP-BA), e não informados, apesar da solicitação formal por esse editor, até o fechamento desta edição, reforçam essa triste realidade. O que deveria ser uma estrutura mais atuante, como questiona a própria Anistia Internacional, o MP da Bahia, citado de forma clara e direta no documentário, segue aquém do esperado.


Foco 3 Como andam as ações do Comitê Institucional de Segurança Pública de Camaçari (Cisp), que até onde foi divulgado, teve sua última reunião em setembro do ano passado? Qual o resultado dos debates sobre a reativação do conselho municipal de segurança pública, do fortalecimento da ronda Maria da Penha, e da necessidade de criação do centro integrado da infância?. Os questionamentos da Coluna são antigos (Confira) ... (Confira).


Foco 4 Debate se amplia ainda mais com a revelação de um novo estudo sobre a ação da polícia baiana. De acordo com levantamento da ONG IDEAS Assessoria Popular, publicado pelo Camaçari Agora (Confira), a Bahia registrou entre janeiro e fevereiro deste ano, 104 homicídios decorrentes de intervenção militar.


Foco 5 Desse total, Camaçari aparece com 4 registros. Mesmo sem possibilidade de comparação, já que o estudo da ONG IDEAS foca na violência sobre pessoas negras, estatística da SSP-BA, referente ao mesmo período (janeiro/fevereiro), mostra 34 mortes violentas no município.


Foco 6 Sem dados de abril, números mostram que o trimestre janeiro/março deste ano, com 57 assassinatos, está entre os mais altos dos últimos 6 anos. Em 2021 foram 48 registros, 2020 (60), em 2019 (38), em 2018 (42), e 66 assassinatos nos 3 primeiros meses do ano de 2017.


Foco 7 Criado em 2015 e coordenado pelo MP, Cisp é formado por representantes das polícias militar e civil, secretarias municipais de educação e de turismo, Uneb e entidades religiosas e da sociedade civil de Camaçari.


Foco 8 O silêncio e a velocidade dessa agenda do Cisp, com pouco mais de duas dezenas de reuniões publicizada nos últimos 7 anos, como mostrou o Camaçarico de 5 de outubro do ano passado (Confira), não deixam de contribuir para ampliar a negativa estatística. 


Compromisso O livro “A presença do Recôncavo Norte da Bahia na Independência do Brasil”, do professor e historiador Diego Copque, com lançamento previsto para os próximos 30 dias, é mais um alerta contra a letargia das autoridades de Camaçari, sobre a importância de incluir o município na agenda dos festejos pela Independência da Bahia.


Compromisso 2 No 2 de julho do próximo ano a Bahia comemora os 200 anos de consolidação da independência do Brasil, oficialmente registrada um ano antes, em 1822.


Compromisso 3 Apesar de possuir orçamento cevado, estrutura e fanfarras premiadas, como a Bamuca e a Fanesc, Camaçari se omite da sua missão constitucional de lembrar para seu povo e para a Bahia a sua importância histórica. Neste ano, que deve retomar o desfile, depois de 2 anos de pandemia, os carros do Caboclo e da Cabocla cumprirão seu ritual conduzindo o orgulho baiano entre a Lapinha e o Campo Grande, em Salvador. Mais uma vez Camaçari deve se manter ausente do desfile que conta com dezenas de cidades.  


Compromisso 4 Mesmo alertada, inclusive com farta documentação no livro “ Do Joanes ao Jacuípe - Uma história de muitas querelas, e disputas locais“, do mesmo Copque, sobre a importância do município, a partir de Vila de Abrantes, para a libertação do Brasil de Portugal, a Camaçari oficial, que deveria zelar por esse rico patrimônio, prefere ignorar todo o movimento que a cidade já absorve sobre sua história a partir do trabalho que virou leitura obrigatória e já faz parte de muitos lares camaçarienses.


Compromisso 5 Confirmado, o 2 de julho deste ano eleitoral será mais um onde os representantes de Camaçari, independente da matiz política, vão preferir uma vaguinha, com direito a selfie, em um dos blocos dos candidatos às eleições de outubro.


Moldura  Prometido, reprometido e novamente reafirmado pela secretaria de cultura (Secult), como projeto importante para a memória de Camaçari, a inauguração do museu da cidade segue sem previsão. Previsto para ser entregue até o final de 2019, equipamento na antiga estação de trens terminou tendo seu cronograma, que já andava atrasadíssimo, sendo beneficiado pela desculpa da pandemia. Mesmo com as obras físicas concluídas desde o ano passado, museu segue cercado de mistérios.


Sem freios O titular da secretaria de governo (Segov), José Gama Neves, segue disparado na disputa pelo “troféu melancia”. A última investida do secretário, conhecido entre os colegas de poder pelo seu estilo ´selfie`, foi sua aparição na  última terça-feira (3), durante a solenidade de aquisição, pelo município, de 40 toneladas de produtos, entre frutas, raízes, verduras, hortaliças e grãos, de pequenos produtores rurais de Camaçari.


Sem freios 2 Ato, que deveria ser capitaneado pelos titulares da agricultura e pesca (Sedap), Antonio Falcão; e Renolides Oliveira, da secretária de ação social e cidadania (Sedes), teve que abrir espaço para mais uma aparição desnecessária do doutor Gama. Mesmo representando o alcaide Elinaldo em  algumas situações, o doutor Gama insiste em usar seu poder de chefe da comunicação municipal para atropelar a discrição exigida pelo ritual do poder. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


4/5/2022 Fechamento: 11h08


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Menor  Mesmo mudando 5 vezes o titular da secretaria de desenvolvimento social e cidadania (Sedes), o alcaide Antonio Elinaldo segue sem saber o que fazer com a casa da criança e do adolescente de Camaçari (Cica). Espaço que, num passado distante, foi referência em fortalecimento de vínculos e no trabalho de arte/educação para crianças e adolescentes carentes do município, começa mais um ano no mesmo triste roteiro de faz-de-conta. 


Menor 2 O que já era problema antes de Elinaldo, só se reforçou nos últimos 5 anos com a falta de soluções necessárias através da aplicação das políticas públicas para esse segmento. Desmonte, amenizado apenas com a troca de cores das paredes e de alguns equipamentos, se agravou com o avanço das desigualdades geradas pela pandemia.


Menor 3  Apesar do retrocesso, confirmado em todos os indicadores sociais, e sempre longe da necessária  lupa da Câmara de Vereadores, gestão não deixa de destacar premiação de cidade que tem um “Prefeito Amigo da Criança”.  De acordo com o site da fundação Abrinq, premiação reconhece as gestões que implementam “ações e políticas públicas que resultem em avanços na garantia dos direitos das crianças e dos adolescentes”. Ainda segundo a Abrinq, que seguramente nunca visitou a casa da criança de Camaçari, essas ações são recomendadas “pela Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança e pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).”


Menor 4 Incapaz de identificar e construir uma solução para a Cica, a Sedes, que já foi comandada por Simara Ellery, Janete Ferreira, Ilai Ellery, Andrea Montenegro, e agora por Renoildes Oliveira, segue atestando seu descuido, como mostrou em várias postagens, com destaque para a Coluna do dia 6 de fevereiro de 2018 (Confira).


Menor 5 Nada mudou do quadro denunciado desde as gestões passadas e reforçado pelo Camaçarico de setembro de 2019 (Confira). Longe da necessária democratização digital, com computadores, internet e moderno sistema de inclusão dos seus alunos, a casa da criança sequer conta com instrumentos musicais necessários. Apesar da falta de básicos, como cordas de violão, a Cica anda cheia de servidores remanejados de outras estruturas do município apenas para atender acordos políticos.


Ofídico Mesmo com o fim da novelinha do vai-não-vai para a base do governador Rui Costa (PT), protagonizado pelo vereador Junior Borges (União), enredo que se estendeu nas duas primeiras semanas de abril não foi esquecido por nenhum dos lados. Pelo contrário, segue alimentando a necessária e saudável alquimia do veneno na política.


Ofídico 2 Durante a sessão de aniversário dos 74 anos da Câmara de Camaçari, o vereador e líder da oposição, Dentinho do Sindicato (PT), aproveitou para registrar o carinho do presidente do Legislativo da Capital e agora candidato a vice-governador na chapa do petista Jerônino Rodrigues, Geraldo Junior (MDB), com Camaçari.


Ofídico 3 Em tom irônico, Dentinho justificou através de “questão de ordem” o impedimento de comparecimento do agora aliado Geraldinho, por problemas na agenda. Portador da mensagem de parabéns, o petista fez questão de destacar que o mimo se estendia ao presidente do Legislativo, Junior Borges, pela realização da sessão.


Ofídico 4 Restou a Borges absorver a picada, agradecer e reafirmar seu carinho ao “amigo” e “irmão” Geraldinho. Como mostrou o Camaçarico (Confira), Borges apostava num projeto conjunto com Geraldinho. Numa trama mambembe e cheia de dúvidas terminou desistindo da mudança e seguindo sob a liderança do candidato a governador ACM Neto (União), como voltou a registrar a Coluna (Confira).


Quórum A Câmara de Camaçari marca presença na 21ª Marcha Legislativa. Encontro de 4 dias, entre esta terça-feira (26) e a próxima sexta-feira (29), em Brasília, terá a participação de  17 dos 21 vereadores do município. Apenas os vereadores Bispo Jair e Val Estilos (Republicanos), Tagner Cerqueira (PT) e Vavau (PSB) não viajaram. Com o tema “Compromisso com o Brasil, mobilização organizada pela confederação nacional dos municípios (CNM), deve reunir uma parcela significativa dos cerca de 58 mil vereadores dos 5.570 municípios brasileiros. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


26/4/2022 Fechamento:12h26


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 

 







Memória Mais uma vez a Câmara de Vereadores de Camaçari segue injusta com sua história e distante do seu compromisso constitucional. Mesmo festejado durante a sessão especial, pelos 74 anos do Legislativo Municipal, na terça-feira (20), o ex-vereador Raymundo Mônaco, 80 anos, merecia mais. Muito mais que um histórico de 6 mandatos e 28 anos de intensa participação no cenário político, Mônaco é memória e consciência da necessidade de compartilhar essa história com as gerações futuras. 


Memória 2  É de sua autoria um minucioso estudo sobre o Legislativo Camaçariense. Trabalho que já deveria ter sido publicado há pelo menos uma década, segue engavetado por falta de entendimento e vontade política da mesa diretora. Apesar do milionário orçamento de cerca de R$ 70 milhões, Legislativo segue copiando o Executivo, que não apenas ignora a história da cidade, como manda demolir suas referências, como fez com o centenário casarão que foi sede dos 3 poderes. 


Memória 3 O triste movimento de esquecer a necessidade de contar e compartilhar essa história virou marca. O atual presidente do Legislativo, vereador Junior Borges, apenas deu prosseguimento ao lamentável descuido. Lista é engrossada pelo seu antecessor, pelo antecessor do antecessor, pelo antecessor do antecessor que o antecedeu...


GPS Depois de muito vai-não-vai, o vereador Junior Borges (União) finalmente sinalizou que fica na base do alcaide Elinaldo. Sem uma declaração contundente e necessária, reafirmando sua crença no projeto político do grupo, que tem o correligionário ACM Neto como candidato a governador, o presidente do Legislativo de Camaçari preferiu uma manifestação inusitada.


GPS 2 Provavelmente apostando na música como bálsamo até na política, levou ao gabinete do alcaide o grupo musical gospel “Arautos do Rei” para uma apresentação. Econômico nas manifestações sobre o tema, que todos esperavam ouvir, Borges apenas reafirmou seu ´amor` a Elinaldo.


GPS 3 Borges, que chegou a conversar com o governador Rui Costa (PT), sobre rompimento com o grupo do alcaide Elianldo e sua ida para o MDB, com o apoio a seu projeto de conquista de uma cadeira na Assembleia Legislativa, segue fragilizado e com baixíssimo grau de confiança. Essa certeza, tanto de um lado, como do outro, se cristaliza com sua indecisão ao recusar do apoio oferecido por Rui. A Coluna apurou que o governador ofereceu espaço eleitoral em algumas cidades e a certeza de ser o estadual em Camaçari, inclusive com uma dobradinha especial com a candidata a federal Ivoneide Caetano (PT).


GPS 4 Já o alcaide, segundo fontes ouvidas pela Coluna, segue engasgado com a situação, mas paciente e estratégico, como manda o manual da política, com o aliado de histórico cheio de imprevisibilidades. Esse entendimento ficou claro durante o encontro musical, terça-feira (12). Em fala capturada pelo repórter Moura Positivo, do Portal Abrantes, Elinaldo não deixou de dar o aviso: “Quando ele sinaliza que é preciso defender ele, o problema não é com o prefeito, é com todo o grupo e dentro disso eu tenho orientado, mas isso não quer dizer que sou dono da verdade, acho que na vida cada um aprende um pouquinho, eu aprendo com ele, ele aprende comigo. Acho que temos que mergulhar, avaliar e deixar passar o tempo para ver se amadurece. A gente planta, cuida, a fruta cresce, amadurece, mas é tudo no tempo de Deus “, disse.


GPS 5 Num sinal claro de crise de identidade política, Borges termina exibindo uma trajetória de oscilação. Não é a primeira vez que o jovem político pratica movimentos de discordância com a gestão Elinaldo. Ainda nas negociações de montagem do governo, em 2016, tencionou para ser o presidente do Legislativo, tentando em vão atropelar um acordo que assegurou o tucano Oziel Araújo, e o então demista Jorge Curvelo, para os dois biênios (2017/2018 e 2019/2020), respectivamente. Sua oportunidade só veio com a reeleição em 2020, com o comando da casa no biênio iniciado em 2021, e que se encerra em dezembro, daqui a pouco mais de 9 meses.


GPS 6 Em 2017 o vereador seguiu insatisfeito e ensaiou rompimento. Chegou a anunciar a entrega dos cargos que possuía na máquina municipal. A crise foi contornada e Borges terminou ganhando a secretaria de habitação (Sehab) no começo de 2018. 


GPS 7 Com inegável capacidade de articulação, histórico de atuação nos movimentos sociais e presença política desde os tempos de estudante, quando presidiu a associação municipal de estudantes secundaristas (Ames), Borges, apesar dos 3 mandatos de vereador, parece não saber juntar essa experiência e definir seu caminho. Sem esse posicionamento, e tentando se equilibrar em caminhos exigem definição, vai ser mais um como tantos outros que passaram pela política de Camaçari.


Também O empresário Fábio Lima (PP) não está sozinho no nicho de candidatos da base do governo municipal, com o carimbo de ´nativo de Camaçari`. O microempresário Cal (DCC) garante que seu nome é a outra alternativa para o eleitorado governista.


Capitania Guarajuba, famoso point da orla de Camaçari, se comporta como se fosse uma região autônoma, onde as decisões sobre a organização do seu espaço urbano parecem não passar pelo crivo da administração do alcaide Antonio Elinaldo (União).


Capitania 2 O mais recente sinal dessa ´autonomia` foi a alteração do letreiro gigante destacando o nome da localidade. Instalado pela prefeitura, dentro do projeto de identificação visual das localidades da orla, peça foi modificada e ganhou novas cores e teve até a marca “Costa de Camaçari” apagada e substituída pelo “Eu amo”, representado por um coração vermelho.


Capitania 3 Essa não é a primeira vez que moradores e comerciantes de Guarajuba interferem na região. Numa tentativa de privatizar e elitizar a praia, até o roteiro dos ônibus do sistema municipal de transporte de passageiros foi alterado para dificultar o banho de mar da população.


Capitania 4 Agora, é aguardar as manifestações das secretarias do desenvolvimento urbano (Sedur), e do turismo (Setur), sobre a alteração da peça instalada em área pública do município.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


20/4/2022 Fechamento: 12h42


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 

Mapa de Camaçari






Encruzilhada O vereador e presidente do Legislativo de Camaçari, Junior Borges (UB) vive um conflituoso silêncio sobre seu futuro político. Desde o fim do prazo para mudança de partido, dia 2 de abril, que esse anúncio é esperado.


Encruzilhada 2 Afinal, Borges segue na base do correligionário, o alcaide Antonio Elinaldo, e confirma o apoio à candidatura a governador do ex-prefeito da capital, ACM Neto ? Ou vai para o MDB, ou outra legenda da base do governador Rui Costa (PT), e engrossa as fileiras do oponente Jerônimo Rodrigues (PT) ?


Encruzilhada 3 Esse vai-não-vai se arrasta desde a quarta-feira (30/3), quando o amigo vereador e presidente do Legislativo de Salvador, Geraldo Junior (MDB), rompeu com a base de ACM Neto (UB), desistiu da disputa por uma cadeira na Câmara dos Deputados, e virou candidato a vice-governador de Jerônimo.


Encruzilhada 4 Com a decisão de Geraldo Junior, com quem apostava numa dobradinha para deputado estadual, Borges preferiu o silêncio, quando todos esperavam uma posição.


Encruzilhada 5 Desde a decisão de Geraldo Júnior, sintonizado com Borges no projeto político, lá se vão 12 dias. Procurando se manter longe do plenário, o presidente do Legislativo tem usado as redes sociais para postar mensagens pouco esclarecedoras sobre seu futuro.


Encruzilhada 6 Borges pode até ganhar tempo ao se beneficiar de um detalhe da legislação. Mesmo com o prazo de troca de legenda ter se encerrado dia 2, os partidos políticos terão até a próxima segunda-feira (18) para enviarem a lista de filiados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Só com a lista dos filiados aos respectivos partidos, que o TSE divulga dia 19, se terá a certeza de quem ficou e quem mudou.


Encruzilhada 7 Ao usar esse artifício, mais um triste jeitinho nada republicano da política brasileira, Borges não apenas ignora uma regra convencionada e amplamente divulgada na imprensa. Afinal, a população foi levada a acreditar que os candidatos tiveram até a noite do dia 2 para trocar de partido.


Encruzilhada 8 O presidente da Câmara de Vereadores de Camaçari, portanto importante guardião da legalidade e da necessidade de aparência do Legislativo para a opinião pública, descuida dessa missão, ao mesmo tempo em que parece esquecer o novo ritmo da política. Imposto pelo avanço e poder das redes sociais, capazes de ampliar, esmiuçar e até desconstruir narrativas que se imaginavam perfeitas, esse novo tempo exige cada vez mais transparência.


Encruzilhada 9 Apostar nesse intervalo, entre o que a lei diz e o que a lei assegura, para decidir seu futuro político, quando teve todo o tempo para fazer opções, não é um bom caminho.


Encruzilhada 10 Quem sabe nesta terça-feira (12), quando teremos mais uma sessão plenária do Legislativo, o vereador anuncia se fica no grupo do alcaide, ou segue novo caminho  na base  do governador.


Exemplo O camaçariense Danival Dias acaba de galgar mais um degrau na estrutura do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Funcionário concursado do TCM desde 1997, Danival é a prova de que é possível crescer longe do ranço e da desigualdade comuns no apadrinhamento político no serviço público.


Exemplo 2 A nova missão, na gerência financeira e execução orçamentária do TCM, é apenas mais uma etapa nessa escada de crescimento de um servidor   compromissado com o bem público. Danival, que é formado em direito, contábeis, administração e letras, já chefiou o setor de documentação de auditoria, a diretoria de controle externo e a seção de controle e pagamento de pessoal.


Exemplo 3 O filho de Seu Domingos, operário do Pólo, e da professora Nice, da Creche comunitária Emanoel, é certeza de que, apesar dos pesares, o serviço público contempla os que possuem méritos.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


12/4/2022 Fechamento: 08h53


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 



Anterior | |1| 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 | Próxima

Encontrado(s): 294 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2022 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL