Busca:








Coluna Camaçarico 4 de março 2024


Máquinas O festival e Arembepe, aberto na manhã da próxima sexta-feira (8), com a lavagem do adro da igreja do padroeiro São Francisco, é mais que uma manifestação cultural. Neste ano eleitoral a festa se transforma numa passarela de desfile dos grupos majoritários na disputa pelo comando da prefeitura de Camaçari, a partir de janeiro de 2025. O petista Luiz Caetano promete ir com tudo, todos, todas e todes. A mesma receita de abundância será seguida na campanha do elinaldista Flavio Matos (União).


Máquinas 2 Sombreados pelas máquinas da prefeitura e governo do estado, não vão faltar camisetas, feijoadas 0800, charangas, trios elétricos, apoio a blocos locais e outros etc que também fazem parte do jogo. Afinal, dinheiro para as campanhas eleitorais não vai faltar até o dedo na urna em 6 de outubro. 


Máquinas 3 Só com apoio a blocos, fornecendo ajuda e bancando atrações, como os cachês do cantor Felipe Escandurras, o governo do estado vai gastar cerca de R$ 500 mil. Já a prefeitura, responsável por todo o Festival de Arembepe, que só termina na segunda-feira (11), inclusive bancando os mesmos agrados para entidades, vai desembolsar mais de R$ 3,5 milhões.


Medidas Não foi uma boa estratégia do candidato Flavio Matos (União) a realização de um encontrão de aliados, na noite de quinta-feira (29/2), no Clube Arsenal, sede do município. Definido após o petista  e também candidato a alcaide de Camaçari, Luiz Caetano, anunciar sua festa de oficialização de  candidatura para a sexta-feira (1), no Clube Social, movimento do time azul terminou virando o mesmo do mesmo. Contas mostram que o time vermelho  conseguiu reunir mais de 3 mil pessoas, enquanto que o time azul não somou 2 mil apoiadores no seu encontro.


Medidas 2  Mesmo com a inflada dos forasteiros  deslocados em ônibus de outras cidades, como insinuou o senador Angelo Coronel (PSD), durante sua fala de festejo ao candidato petista, o ato de Caetano mostrou força com grande número de  eleitores da cidade e disposição da militância. Já a apressada festa azul mais uma vez sinalizou que a estratégia da campanha precisa mudar se quiser ampliar a conquista de espaços junto ao eleitorado da cidade, seja na sede, orla ou zona rural.


Medidas 3 Com estrutura de marketing definida e marca aprovada “Mudança para a vida melhorar”, segundo apurou a Coluna, o candidato ao quarto mandato de alcaide de Camaçari apenas segue o cronograma. Do outro lado não se tem sinais de que a equipe, apesar de esforçada e criativa, terá reforço de novos profissionais com experiência em campanhas tamanho ´C` como exige a disputa na complexa e multifacetada Camaçari.


Contra pedal  Segue no velô a campanha de apoio aos microempresários Geysi e Ney, que perderam cerca de R$ 200 mil com o incêndio e destruição de toda a loja Sol bike shopping, no dia 2 de fevereiro. Um show do cantor Bimbinho, próximo dia 28, é mais uma etapa da campanha que vem arrecadando recursos com eventos e doações através de conta Pix e vakinha pela internet.


Contra pedal 2 Nessa pedalada sincronizada, que vem mobilizando toda a cidade, em especial os vizinhos do casal, na Gleba A, onde funcionava loja, chama a atenção dos amigos do bairro a distância do famoso ex-morador do bairro, o agora alcaide Elinaldo.


Lembranças O vereador caetanista e candidato a reeleição, Tagner Cerqueira (PT), é só sorriso na lembrança do eleitorado. Já na base elinaldista aparecem bem no raio x da boca do povo o ex-vereador Jackson Josué e o candidato ao segundo mandato Dudu do Povo. Eleito pelo Cidadania e ainda sem destino partidário definido, Dudu aguarda o melhor caminho. Já o ex-petista Jackson, subsecretário de serviços públicos até o final do mês, quando se desincompatibiliza do cargo, está confirmado no time de candidatos do União Brasil.


Calibre Apesar da queda no número de assassinatos nos dois primeiros meses de 2024, os registros de mortes violentas de menores em Camaçari mostram que município segue longe de conter a violência. De acordo com o Instituto Fogo Cruzado, 10 adolescentes foram mortos entre 1º janeiro e 1º de março na Região Metropolitana de Salvador (RMS). A Coluna apurou, com base em registros na imprensa local, que Camaçari soma metade desses assassinados contados pelo instituto. O último e 5º registro foi de um jovem de 17 anos, uma das três vítimas do triplo homicídio ocorrido na sexta-feira (1/3), na localidade de Barra do Pojuca, região norte do município.


Calibre 2 Camaçari voltou a registrar significativa queda nos números de assassinatos em fevereiro. Fechou os 29 dias do mês com 9 registros, metade dos contados no mesmo período do ano de 2023. A Coluna lembra que esses números, apurados a partir de informações postadas na imprensa, podem ser maiores, já que a secretaria de segurança pública (SSP-BA) segue sem atualizar no seu site os registros dos chamados crimes violentos letais intencionais (CVLI).


Calibre 3 Apuração extraoficial mostra que os dois primeiros meses do ano registraram os menores números de mortes violentas desde 2017. No ano passado foram 30, em 2022 foram contados 34 registros, 31 em 2021, 40 em 2020, 24 em 2019, 30 registros em 2018. O recorde com 50 assassinatos nos meses de janeiro e fevereiro foi em 2017.


Mão única Será nesta quinta-feira (7), a partir das 14h, a audiência pública para discutir o projeto de requalificação das praças e ruas do entorno do centro de Camaçari. Expectativa é que o encontro na sede da subseção Camaçari da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), uma das organizadoras do debate, junto com a ACEC, CDL e Sicomércio, conte com as presenças do Ministério Público, Defensoria, Câmara de Vereadores,  grupos ambientalistas e entidades ligadas ao esporte. A prefeitura, responsável pelas obras, também convidada.  


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


4/03/2024 Fechamento: 13h02


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Desenho A decisão da subseção Camaçari da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), de patrocinar, junto com entidades do comércio do município, a realização e uma audiência pública para discutir o projeto de requalificação do chamado centro antigo de Camaçari, era tudo que a gestão do alcaide Antionio Elinaldo (União), e seu correligionário e candidato a prefeito, o vereador e presidente do Legislativo, Flavio Matos, não precisavam enfrentar.


Desenho 2 Fruto do equivocado cronograma, onde propostas de intervenção urbana, datas e prazos nem sempre seguem a lógica de contemplar os setores envolvidos, reunião no próximo dia 5 de março, a partir das 14h, no auditório da OAB-Camaçari, empurra o projeto para uma órbita que foge ao controle da máquina municipal. Uma verdadeira caixa de surpresas, principalmente  em ano eleitoral.


Desenho 3 Entidades do comércio, como ACEC, CDL e Sicomércio, Ministério Público, Defensoria, representantes de associações da engenharia, grupos ambientalistas, entidades ligadas ao esporte e a cultura foram convidados e devem marcar presença na audiência. Esperam obter respostas da prefeitura sobre mais um projeto onde a sociedade organizada sequer foi informada, muito menos chamada para discutir.


Desenho 4 Unânimes no apoio à necessidade de requalificação do centro da cidade, entidades que nada fizeram quando o cinema e o histórico casarão foram demolidos, finalmente acordam. Se mobilizam e cobram transparência e o direito ao debate democrático, obrigação constitucional do poder público.


Desenho 5 Sem consultar sequer setores estratégicos da própria prefeitura, como apurou a Coluna, a secretaria de infraestrutura (Seinfra) dá mais uma marretada que pode até inviabilizar o projeto.


Desenho 6 Nesse pacote de nenhuma transparência, nem a imprensa foi convidada para conhecer o projeto. Apenas foi informada através de material fornecido pela assessoria da prefeitura sobre o anúncio da obra e o resultado do encontro com empresários para apresentação do projeto.


Desenho 7 Iniciar em ano eleitoral um projeto deste tamanho, numa área estratégica, e previsão de conclusão em 12 meses, é qualquer coisa surreal. Anunciada no final de janeiro, obras não acabam na gestão do alcaide Elinaldo, segundo a própria prefeitura. A depender de quem sente na cadeira de gestor municipal, a partir de janeiro de 2025, cronograma sofre risco de suspensão com consequente aumento dos custos para os cofres públicos e mais prejuízos para toda a cidade.


Desenho 8 Não é de agora que a Coluna vem cobrando a requalificação das praças da Catedral (Desembargador Montenegro), Abrantes e 1º de Maio, como parte de um projeto maior de melhorias no chamado centro antigo da cidade.


Desenho 9 Mesmo demolindo duas importantes marcas da história da cidade, como denunciou o Camaçarico em 2019 (Confira), a prefeitura insiste na falsa narrativa de ´recuperação do centro histórico´, quando na verdade começou do zero as construções de novos equipamentos. Onde estão nascendo os novos prédios funcionaram o antigo cinema e o casarão centenário de João Francisco da Costa, posteriormente do desembargador Montenegro, e depois transformado em prédio público como sede dos três poderes no município. Dessa sanha escapou apenas a antiga estação de trens, por se tratar de imóvel particular, com permissão apenas para requalificação.


Desenho 10 Neste ano, o Camaçarico voltou cobrar melhorias para o centro e a necessidade de respeitar as datas calendarizadas e os impactos de obras no comércio da região (Confira). Projeto que se arrasta desde a primeira gestão do atual alcaide também foi cobrado no ano passado (Confira).


Desenho 11 Orçado em cerca de R$ 30 milhões, sendo R$ 14 milhões para as praças e ruas, e outros R$ 16 milhões para a Eixo Urbano, conhecida como avenida da linha do trem, projeto só foi apresentado para entidades empresariais na primeira semana deste mês de fevereiro.


Desenho 12 Sob os auspícios do Banco de Desenvolvimento da América Latina, conhecido como Corporação Andina de Fomento (CAF),  projeto é mais complexo que se imagina. Mesmo promovendo mudanças significativas no trânsito e na circulação de pedestres, com alteração do perfil das ruas que interligam e margeiam as praças da região central, área de maior movimento de pessoas e veículos da cidade ficou entres as quatro paredes da Seinfra.


Desenho 13 Não foi discutido com as entidades empresariais, não recebeu a chancela da Câmara de Vereadores, onde o governo tem ampla maioria. Também ignorou possíveis sugestões de ambientalistas e outros representantes da sociedade preocupados e interessados no debate sobre mobilidade numa cidade com cerca de 300 mil habitantes e referência mundial pelo seu polo  industrial integrado.


Desenho 14 O projeto do centro é apenas mais um. A requalificação da avenida Jorge Amado, a reforma da praça na histórica Vila de Abrantes e a inacabada ponte do bairro Dos 46 são marcas desse equívoco. Obra que estourou todos os cronogramas de prazos de custos, a principal entrada da cidade terminou virando ´toco` eleitoral como mostrou em 2018 a Coluna (Confira). Outro projeto comandado pela doutora Joselene Cardin, chefona absoluta e incontestável da Seinfra, foi a reforma da praça da Matriz (Confira). Também com dinheiro da descuidada CAF, espaço onde surgiu a primeira povoação da região, e uma das primeiras do Brasil, teve que sofrer mudanças por ignorar a importância histórica do local (Confira). 


Virou a chave   O secretário de relações institucionais do governo Jerônimo, Luiz Caetano (PT), conversa com a imprensa na próxima terça-feira (27), quando oficializa sua pré-candidatura ao quarto mandato de alcaide de Camaçari. Na conversa, marcada para começar às 15h, num hotel localizado na sede do município, Caetano deve detalhar o roteiro da festa de lançamento, na próxima sexta-feira (1/3), a partir das 17h, no Clube Social.


Virou a chave 2 Nome mais forte da oposição para enfrentar o governista Flavio Matos (União), o petista, tido como candidato pelos próprios liderados desde o ano passado, insistia em se manter no ´armário`. Só para efeito de comparação, sem entrelinhas ou etc, expressão´sair do armário`, usada no dicionário LGBTQIA+ classifica aquele ou aquela que todos sabem que é, se comporta como tal, mas nega.


Sangue novo  A educadora Adriana Marcele quer ser a candidata a vice na chapa oposicionista encabeçada pelo petista Luiz Caetano. A diretora do colégio D. Pedro II, a mais antiga instituição privada do município, não esconde suas intenções e já usa as redes sociais para falar de sonhos, desejos e mudanças.


Sangue novo 2 É filha de educadores e tem DNA na política. Bisneta do duas vezes alcaide de Camaçari (1936/1939 e 1943/1945), o coronel da Guarda Nacional, José Nunes Matos, Adriana, que não tem nenhum parentesco com o candidato governista, aposta na educação como sua principal peça nessa prova de currículos.


Festim A tentativa de assalto sofrida pela vereadora Professora Angélica (PP), na noite de sábado (24), na Via Parafuso, é mais um indício de que a segurança anda precisando de mudança. Mesmo com histórico de área com intensa prática desse tipo de crime, a polícia não consegue identificar e prender esses grupos criminosos que atuam na região.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


26/02/2024 Fechamento: 13h03


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Coluna Camaçarico 19 de fevereiro 2024


No limite Finalmente, a Câmara de Vereadores de Camaçari vai garantir acesso de pessoas com dificuldades de locomoção ou portadores de necessidades especiais a todas as suas dependências. Apesar da Lei Federal obrigar desde 2015 a instalação de elevador especial em edifícios públicos ou privados destinados ao uso coletivo, o descaso com o cumprimento da legislação soma mais de  8 anos. Só agora, em ano eleitoral, que o presidente do Legislativo de Camaçari, vereador Flavio Matos (União) inicia a construção do equipamento que vai garantir acesso a metade dos 21 gabinetes dos vereadores instalados no primeiro andar do prédio.


No limite 2 Prometido por Matos, desde março do ano passado, primeiro ano no comando do Legislativo, como registrou a Coluna (Confira), instalação do equipamento virou entrave para a própria caminhada do vereador e pré-candidato a prefeito pelo grupo governista. Sem a construção e entrega do ´sobe e desce` no Legislativo, como poderia Flavio Matos fazer discurso e apresentar propostas de mobilidade urbana para a cidade que quer governar, se não fez o dever de casa.


No limite 3 Segundo apurou a Coluna, obra de instalação do elevador e toda a sua estrutura de acesso vai custar pouco mais de R$ 345 mil e tem previsão de começar a funcionar até abril.


No limite 4 Apesar de constitucionalmente obrigados a observarem e cumprirem as leis, descaso dos vereadores é antigo e não pode ter como alegação falta de orçamento. Conta deste ano para manter as despesas do Legislativo é de R$ 60 milhões. Simplificando na regra de três, os R$ 345 mil para instalação do elevador representa pouco mais de 0,5% do orçamento deste ano. Valor total de 2024 é cerca de R$ 2,3 milhões a mais que os R$ 57,6 milhões do orçamento da Câmara de Vereadores de Camaçari no ano passado. 


No limite 5 Omissão vem dos presidentes José Marcelino 2015/2016 (PT), Oziel Araújo, 2017/2018 (PDT), Jorge Curvelo 2019/2020 (União). O último a descuidar foi o companheiro de legenda de Matos, o vereador Ednaldo Borges. Presidente no biênio 2021/2022, o midiático Borges também não cumpriu o discurso de mobilidade e direitos iguais festejado na imprensa, nas redes sociais e na ampla propaganda institucional do Legislativo que patrocinou durante sua gestão.


No páreo O ex-vereador Jackson Josué vai disputar uma vaga pelo União Brasil nas eleições para vereador em outubro. Outro que entra firme na disputa por uma das prováveis seis cadeiras que o partdo deve assegurar, segundo previsões, é o ex-vereador Zé do Pão.


No páreo 2 Vereador por dois mandatos (2013 a 2020), o ex-presidente municipal do PT e atual subsecretário de serviços públicos da gestão Elinaldo soma histórico de mais de 1.600 votos nos dois pleitos em que saiu vitorioso e 1.190 votos na disputa de 2020, quando ficou na suplência.


No páreo 3 Outro que entra no UB com `sangue no olho` é o ex-vereador Zé do Pão. Eleito com 2.111 votos pelo PTB, para o mandato 2016/2020, o atual ouvidor do município ficou na suplência em 2020 com 1.532 votos pelo Cidadania.  


No páreo 4 O União conta hoje com os vereadores Jorge Curvelo, eleito em 2020 com 2.940 votos, Ednaldo Borges (1.967 votos), Deni de Isqueiro (1.657 votos), Fafá de Senhorinho (1.191 votos), e Herbinho, eleito pelo PSL com 1.406 apoios, virou União com a fusão com o Democratas.


No páreo 5 Conta, que sinaliza uma disputa feroz, inclui ainda o vice-prefeito, três vezes alcaide do município e tido como uma incógnita, José Tude, e os suplentes Vaninho da Rádio e Mar de Areias. Vaninho, eleito em 2016 pelo Democratas, com 1.920 votos, ficou na suplência em 2020, quando somou 1.103 apoios. Já Mar de Areias, teve melhor desempenho e ficou com a primeira suplência no pleito de 2020, ao assegurar 1.180 votos, um salto de 920 votos em relação aos 260 apoios que somou nas eleições de 2016.


Stand by Afastado dos núcleos governista e oposicionista, o Republicanos segue com a pré-candidatura a prefeita da empresária Sineide Lopes. O nome foi ungido no último dia 10, em pleno sábado de carnaval, pelo presidente do partido na Bahia, bispo e membro prestigiado da cúpula da Igreja Universal, deputado federal Marcio Marinho.


Stand by  2 O encontro no plenário da Câmara de Vereadores também definiu Thiago Lopes, filho da pré-candidata, como presidente municipal da legenda. A vice-presidência fica como pastor Luís Claudio Costa. Luizão, como é conhecido, é filho e herdeiro político do vereador Bispo Jair, que não disputa o sexto mandato e abençoa o rebento nessa nova caminhada.


Calibre Camaçari fechou janeiro com o menor número de assassinatos nos últimos 8 anos. Foram 8 registros no primeiro mês do ano, quatro a menos que os 12 contados mesmo período de 2023.


Calibre 2 Como mostrou a Coluna no balanço de 2023 (Confira), Camaçari fechou o ano pssado com 223 registros de crimes violentos letais intencionais (CVLI). Foi o segundo maior dos úlimos sete anos. Ano de 2023 ficou atrás apenas de 2017, com 249 assassinatos. Esses números, apurados a partir de registros postados na imprensa, podem ser maiores. Até o fechamento dessa edição a secretaria de segurança pública (SSP-BA) exibia dados no seu site dados atualizados até agosto do ano passado.


Calibre 3 Ostentando o título de uma das mais violentas do Brasil, Camaçari ganha contornos ainda mais graves com a inclusão do seu território no mapa da disputa entre as duas maiores facções criminosas do país. Segundo informações do site Bahia Fatos News, apuradas junto a fontes policiais da região, o homem assassinado com cerca de 100 disparos de armas de fogos, sábado (17), na localidade de Monte Gordo, teria ligações com a facção criminosa comando vermelho (CV). Ainda segundo apurou o site, os disparos partiram de elementos ligados ao rival primeiro comando da capital (PCC). 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


19/02/2024 Fechamento: 16h15


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Coluna Camaçarico 6 de fevereiro 2024


Pré-carnaval A arrumação dos times partidários, em Camaçari, começa a ganhar definições, mas pode e deve sofrer alteração. Certo mesmo só em março, depois do recolhimento dos trios elétricos, quando os prazos de filiação e o pula-pula de partido chegam na reta final, como já mostrou a Coluna nas notas ´Deadline` (Confira). 


Pré-carnaval 2 No bloco oposicionista a definição dos presidentes de agremiações só tem como novidade o advogado Claudecio Taroba na presidência do PV.  O PSB continua com Fátima Trabuco, o PCdoB com Branca Vieira Lima, o PSD com Dr. Vital Sampaio, e o PT com o professor Marcio Neves. Com a federação formada pelo PT, PCdoB e PV não vai ter muito estresse para definir os 24 candidatos a vereador, caso se confirme o aumento de 21 para 23 cadeiras no Legislativo.


Pré-carnaval 3 Dos prováveis 21 nomes que o PT terá direito, 15 já estão com legenda praticamente confirmada, segundo apurou a Coluna. Lista é encabeçada pelos vereadores e candidatos a reeleição Dentinho do Sindicato e Tanger Cerqueira. Também aparecem como certos depois da peneirada, Ara Brasil, Ariel Silva, Bira do Sindicato, Bispo da Cultura, Cristovam Colombo, Ellen Borges, Gabriela Mendes, kaike Ara e Marinês. No rol, dos ´vips` aparecem o presidente do partido, professor Marcio Neves, o ex-deputado e também ex-vereador Bira Coroa, e os ex-vereadores Paulinho do Som e Téo Ribeiro. O terceiro oposicionista com mandato, o vereador Vavau é o preferencial na reeleição pelo PSB.


Pré-carnaval 4 No PV aparecem certos para as prováveis duas vagas na federação, a advogada Dulce Nazaré e Valtinho Pakalolo. Por questões estratégicas o PCdoB fecha com o nome da atual presidente municipal, Branca Patrícia.


Pré-carnaval 5 Já na bancada governista, com prováveis seis partidos e 144 vagas na disputa proporcional, a briga é grande. São 18 vereadores candidatos a reeleição e mais 4 suplentes que seguem no mandato até o final de março.


Pré-carnaval 6 Segundo apurou a Coluna, o mais recente quadro no União Brasil, presidido pelo atual chefe da STT, o ex-alcaide Helder Almeida, tem os vereadores e candidatos a reeleição Jorge Curvelo, Fafá de Senhorinho, Deni de Isqueiro, Ednaldo Borges e Herbinho para a disputa de 6 de outubro. Reforçam o time os suplentes no exercício do mandato Mar de Areias e Vaninho da Rádio, e o vice-prefeito e três vezes alcaide Tude.


Pré-carnaval 7 O PSDB deve seguir com o Dr. Natan, secretário de saúde até o final de março, e os suplentes com assento no Legislativo, Gilvan Souza e Manoel Jacaré. Quem pode pousar no ninho tucano é o vereador Jamelão (Cidadania). As fortes ligações com o presidente da legenda, o ex-vereador e atual secretário de desenvolvimento econômico, Waldy Freitas, podem pesar nessa acomodação.


Pré-carnaval 8 O PP, presidido pelo ex-vereador petista Otaviano Maia, deve abrigar Dilson Magalhães (PSDB) e Dedel, que deixa o Republicanos.


Pré-carnaval 9 Pelas últimas apurações da Coluna, o PL, presidido por Tiago Peixoto, terá os vereadores e candidatos a reeleição Jamesson Silva, eleito pelo PSL em 2020 e   alojado no União desde a fusão em 2022, deve somar com o colega de Legislativo Manoel Filho que deixa o PDT.


Pré-carnaval 10 Nessa conta governista ainda faltam definir os abrigos partidários para Dudu do Povo, Dr Samuka e Ivandel, todos filiados ao Cidadania.


Pré-carnaval 11 Na lista dos partidos ainda virgens, sem candidatos com mandato e aguardando o aval do alcaide Antonio Elinaldo, estão o PDT, presidido por Anderson Santos; e o PRD, resultado da fusão do PTB com o Patriotas, e presidido por Áldene Mota, presidente da Limpec. A outra alternativa para o abrigo de aliados governistas é o DC, sétimo na conta.


Pré-carnaval 12 Já o Republicanos segue sem definição. Não se sabe se fica na base governista, pula para o time comandado pelo petista e candidato ao quarto mandato de alcaide, o secretário de relações institucionais do governo Jerônimo, Luiz Caetano. Certo, até agora, só a desistência do vereador Bispo Jair na disputa do sexto mandato. Outra aposta, que empurraria o partido para um dos lados é a vaga de vice para o Bispo Jair. Em seu lugar na disputa pela vereança entra seu filho, o também membro prestigiado da Igreja Universal, pastor Luís Claudio Costa. O último movimento da legenda é o lançamento do  nome da empresária Sineide Lopes para prefeita.


Desembarque  O administrador Paulo Soares não integra mais o grupo do alcaide Antonio Elinaldo (União). Segundo apurou a Coluna, a oficialização foi feita na manhã desta terça-feira (6), com a entrega protocolada do pedido de exoneração do cargo de confiança que ocupava desde 2017. Paulinho, como é conhecido, foi o responsável pela montagem e coordenação do ´Camaçari de verdade` programa de reuniões e atos de campanha da vitoriosa eleição do alcaide Antonio Elinaldo (União), em 2016.


Desembarque 2 Esse movimento que se finaliza com a adesão ao grupo do três vezes alcaide e candidato ao quarto mandato, o petista Luiz Caetano, é fruto de uma relação desgastada com a estrutura governista. Ainda segundo fontes do Camaçarico, Paulo Soares, que também é radialista, foi diretor da rádio Líder FM e acumula experiências em campanhas políticas desde 2006, sempre organizando e coordenando eventos e promovendo a articulação com lideranças, nunca teve seu valor reconhecido.


Turno extra O petista Luiz Caetano deve deixar o cargo de secretário de relações institucionais do governo Jerônimo nos minutos finais da prorrogação, pouco antes do apito final em 5 de abril. Se engana quem imagina que mesmo fora da Serin o candidato ao quarto mandato de alcaide de Camaçari vá se apartar da missão de ajudar o ´gov` na articulação estadual. Pela proximidade e relação construída na campanha e nesse primeiro ano de governo, vai continuar com parte do baralho nas mãos.


Sangue novo  Referência nacional e internacional quando se fala em Futebol 7, a camaçariense Dilma Mendes se prepara para um jogo novo. Deixa em março a subsecretaria de esportes e juventude (Sejuv) para disputar uma vaga de vereadora nas eleições de outubro. Ainda sem legenda definida para a disputa de outubro, certeza só a camisa azul do time do amigo e candidato a prefeito, o vereador Flavio Matos (União).


Sangue novo 2 Listada como uma das melhores treinadoras de futebol feminino do mundo e conhecedora de cada campo e espaço do universo do esporte em Camaçari, Dilminha, como é conhecida em toda cidade, é promessa de jogo organizado e voto na rede.


Pá de cal  O ex-vereador Val Estilos perdeu, provavelmente a última batalha para reaver o mandato, cassado em 2021, por abuso de poder político e econômico. No dia 1º de fevereiro o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu por unanimidade não acatar o pedido de declaração de embargo com efeitos infringentes.


Pá de cal 2 De acordo com decisão relatada pelo ministro Ramos Tavares, com placar de 7x0, não existem dúvidas para serem esclarecidas pelos embargos, muito menos possível modificação na votação em que o TSE confirmou a perda do mandato de Val estilos, gerada pelos chamados efeitos infringentes. Val Estilos, eleito pelo Republicanos com a segunda maior votação de 2020, teve seu pedido de cassação acatado pela Justiça em junho de 2021 (Confira).


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


6/02/2024 Fechamento: 11h20


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Fogueira  A mudança do Camaforró para os dias 13, 14 e 15 de junho tem tudo para ser uma boa ideia. Vai depender apenas da capacidade da administração do alcaide Antonio Elinaldo (União) de organizar a festa, que passa abrir o mês junino. Esticada no calendário em mais de uma semana não vai exigir apenas uma boa programação de atrações.


Fogueira 2 A boa música nordestina de raiz precisa garantir espaço nessa agenda cheia de ´devinhos`, onde impera a falsa regra de que tudo se resolve colocando um sanfona no palco. A gestão, em especial seus responsáveis pela cultura, precisam entender que a acertada aplicação do dinheiro público vai além do termômetro das redes sociais e seus artistas da hora. Garantir as tradições nordestinas é Lei e precisa ser cumprida.


Fogueira 3 A antecipação da festa, que segundo os organizadores, representa melhores condições de negociação de cachê com artistas, precisa gerar ações de fortalecimento da nossa cultura nordestina e suas manifestações verdadeiras. Essa festejada redução de custos com atrações deve ser convertida em  apoio ao São João nos bairros e localidades, já que a população não terá a tradicional agenda de shows do Camaforró nos dias 22, 23 e no feriado do dia 24. Não faltam praças para instalarem coretos e garantirem apresentações de grupos regionais nas comunidades.


Fogueira 4 Nessa nova construção, as festas nos bairros e distritos, durante os dias em que se comemoram o São João, terão papel fundamental no fortalecimento e resgate da tradicional festa de ´casa em casa`. Sem a decoração das ruas e a ampliação da beleza e animação das quadrilhas e dos grupos de forró com seu som autêntico das sanfonas, zabumbas e triângulos, além de outras manifestações culturais, como samba junino, a antecipação do Camaforró vai ser o show pirotécnico condenado ao chabú.


Fogueira 5 O foguetório do comércio, mirando o natural aumento das vendas com a antecipação do Camaforró, também vai exigir mais ação da gestão municipal. A já anunciada antecipação de metade do 13º salário dos servidores do município, algo em torno de R$ 22 milhões, em boa parte injetada na economia local, não é suficiente para garantir o sucesso na aposta.


Fogueira 6 Totalmente descuidado, com ruas esburacadas, iluminação deficiente, desordem no trânsito, e segurança precária, como mostrou a Coluna nas notas ´Pecadores` (Confira) o principal e tradicional espaço de compras da cidade precisa de requalificação.


Fogueira 7 Formada pelo quadrilátero das praças Montenegro e Abrantes, e a grande feira, região central da cidade espera há sete anos por melhorias e mobilidade. Agora, sem tempo para ajustar o cronograma de grandes obras sem prejudicar o comércio e suas datas calendarizadas, só resta à doutora Joselene Cardin, a que decide sobre o que fazer e não fazer no espaço urbano da cidade, ajustar o foco e fazer as obras em caráter emergencial.  


Fogueira 8 Sem esse fogaréu calculado de ações no período junino, que só termina com os festejos de São Pedro, na sede e zona rural, vai ser difícil manter a temperatura favorável. O resultado negativo do projeto Camaforró temporão e toda a programação durante o mês de junho, a pouco mais de três meses das eleições municipais, seguramente vai sapecar o governo, em especial o seu candidato a prefeito.


Termômetro  Sábado (3) tem campeonato de camisas e narrativas nas redes sociais com a disputa entre as manifestações dos times azul e vermelho. Os azulzinhos, com o bloco ´Azul folia`, formado por apoidores do candidato a prefeito pelo time governista, o vereador Flavio Matos (União), fazem festa animada pelo cantor o kannalha, a partir das 16h, na Gleba C.


Termômetro 2 Já os vermelhinhos, com o bloco ´Pela esquerda é mais gostoso`, capitaneados pelo três vezes alcaide de Camaçari, atual secretário de relações institucionais do estado, e candidatíssimo ao 4º mandato, Luiz Caetano (PT), agitam no mesmo horário a praça Montenegro. Até o fechamento da Coluna, o PT não havia confirmado se o bloco terá ou não atração.


Sangue novo  Na disputa por uma das  23 cadeiras da Câmara de Vereadores de Camaçari, os defensores dos animais pode ganhar uma representante. Candidatíssima pelo União Brasil, a educadora e estudante do curso de medicina veterinária, Natália Vieira, começa a se movimentar com mais intensidade.


Sangue novo 2  Presidente do grupo de proteção e apoio a animais de rua (Gapar), Natália, que somou 642 votos nas eleições de 2020, aposta no novo momento com mais presença nas redes sociais e reconhecimento da sua luta em defesa dos pets.


Calibre  Dos 100 mortos em 144 tiroteios contados em janeiro deste ano, na região metropolitana de Salvador (RMS), 9 foram em Camaçari. De acordo com levantamento divulgado terça-feira (30), pelo Instituto Fogo Cruzado, Camaçari fica atrás apenas de Salvador, com são 71 registros.


Calibre 2 Ainda segundo o levantamento com dados até o dia 27 de janeiro, o número representa uma alta de 35% em comparação com o mesmo período de 2023, quando foram contabilizados 74 mortos na RMS. A vizinha Dias D`ávila contou 6 mortes; Lauro de Freitas e Mata de São João aparecem cada uma com 4 mortes; Simões Filho e Madre de Deus registraram 2 cada; Vera Cruz e Itaparica 1 registro cada. 


Calibre 3 Chama a atenção as mortes de pessoas negras. Das 100 pessoas mortas durante ações policiais, o estudo mostra que das 59 com cor/raça identificadas, 55 eram negras e 4 brancas. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


31/01/2024 Fechamento: 13h15


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Receita Uma parte significativa dos prestadores de serviço da Maternidade de Camaçari continua com atraso nos pagamentos. Apesar da reconhecida excelência dos serviços, a estrutura bancada pelos cofres do governo do estado vem sofrendo com a miudeza da política.


Receita 2 Administrada pela fundação estatal saúde da família (Fesf-SUS), que gerencia outras estruturas de saúde no estado, equipamento vem sofrendo com a retenção de valores por parte da secretaria de saúde do estado (Sesab). Atrasos, segundo apurou a Coluna, é resultado das pressões da Sesab, que busca mexer na estrutura diretiva da fundação. O resultado é a redução da capacidade da maternidade com prejuízo para a população.


Replay  Amanhã (26) é dia de lavagem na orla de Camaçari. Quarta festa de um calendário que se encerra em março, com Arembepe, festa de Jauá, testemunha nesta sexta-feira a velha fórmula de presença e movimento dos dois principais grupos políticos.


Replay 2 No time azul, capitaneado pelo alcaide Elinaldo, todos as flores e banhos de cheiro serão para o seu candidato a prefeito, o vereador e presidente do Legislativo, Flavio Matos, também do União.


Replay 3 No time vermelho, o também painho e candidato Luiz Caetano (PT) carrega a sua própria quartinha. Cercado por suas ´baianas`, segue o cortejo cheio de fé no quarto mandato como alcaide do município.


Replay 4 Desfilam numa terceira ala os candidatos das demais legendas. Com seus minijarros e poucas flores, seguem movidos pela fé da política, onde tudo pode e nada é impossível.  


Reboco Depois de quase seis anos ´queimando o filme`, a prefeitura de Camaçari anuncia um prazo provável, até o final de junho, para concluir as obras de construção do novo cineteatro.


Reboco 2 Assim como o casarão centenário, sede dos três poderes, o antigo cinema formava com a estação de trens o mais antigo conjunto de prédios históricos da cidade. Formava... O casarão e o cinema foram demolidos em 2019 (Confira) sob o pretexto fake de que não possuíam condições de restauro.  


Reboco 3 Belo exemplar reconstruído nos anos 1940, e transformado em museu desde setembro de 2022, a antiga estação de trens, felizmente foi salva das marretas da secretaria de cultura (Secult).


Reboco 4 No lugar do antigo cinema e do prédio que guardou parte da história da cidade, surgiu um projeto modernoso, sem debate e desconhecido até pelo próprio conselho municipal de cultura, como mostrou o Camaçarico dias antes da demolição (Confira).


Sangue novo A disputa com chances pelas prováveis seis cadeiras na bancada formada pelo PT, PCdoB e PV pode ganhar nome novo. A servidora municipal e advogada Dulce Nazaré (PV) começa a se movimentar na sua principal base, Vila de Abrantes. Com a política no DNA, Dulce é filha do ex-vereador Eloildo, com três mandatos entre o final nos anos 1970 e 1980, e sobrinha do também representante do Legislativo, entre 1989 e 2004, Heloino Nazaré, conhecido como Ninho.


Sangue novo 2 Apoiada pelos irmãos Maurício Bacelar, atual secretário estadual de turismo, e pelo irmão e chefe do PV no estado, o deputado federal João Bacelar, a doutora Dulce entra para disputar as prováveis três vagas restantes na federação formada pelas três legendas. Contas internas do PT dão como certos nas outras vagas, os atuais vereadores Dentinho do Sindicato e Tagner, e o ex-secretário de educação, professor Márcio Neves.


Regador O movimento ambientalista de Camaçari segue vivo e gerando novos rebentos. Grupo, que tem entre seus integrantes a jornalista Ana Mandim, também  integrante do time de Colunistas do Camaçari Agora, acaba de publicar o “Folha do Parque” Informativo detalha os movimentos em defesa da instalação do  parque natural municipal das dunas de Abrantes e Jauá.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


25/01/2024 Fechamento: 14h53


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 

 







Deadline  O grupo do alcaide Antonio Elinaldo tem até março para  anunciar a composição dos nomes de cada partido para a disputa proporcional de vereador em 6 de outubro. Prazos, atrelados ao calendário eleitoral que definem o dia 31 de março como limite final para mudança de partido, e 5 de abril para filiação partidária, também se aplicam a base oposicionista capitaneada pelo três vezes alcaide e candidato ao quarto mandato, o petista Luiz Caetano.


Deadline 2  Nesse processo, com 20 vereadores, já excluídos Flavio Matos (União) e professora Angélica (PPP), 16 com mandato e quatro suplentes no exercício do cargo até final de março, duas legendas da base governista ganham sangue novo. O PP será presidido pelo ex-vereador Otaviano Maia, e o PDT pelo também ex-petista Anderson Santos. O União Brasil segue sob a batuta do ex-alcaide e atual chefe da superintendência de trânsito e transportes (STT), Helder Almeida. O PSDB fica sob a coordenação do secretário de desenvolvimento econômico, o ex-vereador Waldy Freitas.


Deadline 3 Faltam fechar os comandos de outras duas legendas: o Democracia Cristã (DC) e o PRD, fruto da fusão do PTB com o Patriotas. O Republicanos segue indefinido em Camaçari. Com dois vereadores: Bispo Jair, que não disputa o 6º mandato e cede o lugar para o filho, pastor Luiz Claudio, também da igreja Universal, e Dedel Reis, partido tende a sair rachado. Se deixar a base elinaldista em direção ao ninho caetanista vai desidratado com a saída de Dedel e de outras lideranças pastoradas pelo esquema governista.


Deadline 4 Nessa acomodação, o médico e atual chefe da pasta da saúde (Sesau), Elias Natan, pode trocar o PSDB pelo PP. O também tucano Dilson Magalhães, atual titular da pasta de relações institucionais (Serin) é outro com possibilidades de seguir o mesmo caminho, apesar da resistência do amigo e correligionário, o deputado estadual Paulo Câmara. Partido que tem hoje a vereadora Professora Angélica, ainda não  oficializada vice na chapa com Flavio Matos, deve manter a filiação de Fábio Lima, atual subsecretário de integração da orla (Seorla). Lima e a Professora, que não se entendiam desde as eleições passadas, fumaram o ´cachimbo da paz`. Sob os auspícios do presidente do União, Helder Almeida, os pepistas foram convencidos de que o adversário é outro e colecionar rusgas é perder votos.


Deadline 5 Mudou a previsão de volta dos quatros vereadores alojados em secretarias. Dr. Natan (saúde), Dilson (Relações Institiucionais), Jorge Curvelo (Esportes), e Fafá de Senhorinho, na secretaria da mulher (Semu) ficam até o final de março para alegria dos respectivos suplentes: Gilvan Souza e Manoel Jacaré (PSDB), Mar de Areias e Vaninho da Rádio (União). Como registrou a Coluna em maio do ano passado (Confira), o desenho era reduzir esse prazo para o final de janeiro.


Deadline 6  Na base elinaldista, o xadrez para montar o time de candidatos será no União Brasil. Somados aos eleitos pela legenda em 2020: Deni de Isqueiro, Ednaldo Borges, Fafá de Senhorinho e Jorge Curvelo, o UB tem ainda Jamesson Silva e Herbinho, que deixaram o PSL e migraram para o ´44`. O atual vice-prefeito José Tude é nome certo para permanecer na legenda.


Deadline 7  Não vai ser fácil fechar o rol de candidatos no União. Ainda estão indefinidos os caminhos dos suplentes no exercício do mandato, Mar de Areias e Vaninho da Rádio. 


Deadline 8  Na oposição, o três vezes alcaide Luiz Caetano (PT) não terá os mesmos problemas. Com dois vereadores eleitos: Dentinho do Sindicato e Tagner Cerqueira, partido aposta na eleição de até 6 nomes, mesma conta do União Brasil. Unidos pela federação com o PCdoB e o PV, o PT deve ficar com no mínimo 18 das 24 vagas de candidatos na disputa de 6 de outubro. Não é imposição. É a matemática eleitoral de que  quem tem mais  votos fica com mais vagas.


Deadline 9 Já os aliados PSB e PSD seguem com suas apostas de garantir mais de um eleito. No time dos socialistas a prioridade é a reeleição de Vavau. No PSD do senador Otto Alencar, que fechou a porta para vereador candidato a reeleição, o cantor Bimbinho, Neidinha, o professor João Dão e Sinho do Box são nomes confirmados. Até a ex-vereadora petista Professora Patrícia pode entrar no ´55`. No Podemos e no Avante, também na base caetanista, nada foi definido. 


Deadline 10 Sobre a possibilidade de disputa num segundo turno, os dois lados majoritários no embate, União X PT, acreditam que mesmo com mais de 200 mil eleitores, o que permite uma segunda votação no dia 27 de outubro, o cenário em Camaçari é de polarização e não permitirá esse novo e definitivo confronto. Ainda segundo essas mesmas fontes, caso sigam até o retratinho na urna, as candidaturas para prefeito de Cleiton Pereira (Novo), Osvaldinho (MDB) e Sineide Lopes (Republicanos), não somam votos capazes de influenciar na votação e impor um segundo turno. 


Deadline 11 Nesse estresse de montagem de chapas, as mudanças no calendário eleitoral e a ´Constituição` que rege a festa na Bahia deixam os prazos ainda menores. Calendário de lavagens e festejos dos padroeiros nas localidades da orla, iniciadas semana passada, com Barra do Pojuca,  prossegue nesta sexta-feira (19), com Guarajuba/Monte Gordo, e sábado (20), na histórica Vila de Abrantes, maior colégio eleitoral fora da sede, com cerca de 17 mil eleitores. Desfile de lideranças, aderentes e o tradicional burburinho do ´pula-pula` e pouquíssimas definições, prossegue com a festa de Jauá, no último final de semana de janeiro. 


Deadline 12 Fevereiro não será diferente com 15 dias onde a festa predomina e escanteia a política. A partir do dia 2, com o presente de Yemanjá de Arembepe, e o carnaval de Salvador, aberto com o Fuzuê, dia 3, não se fala em partido, coligação e política de forma ordenada e finalizada antes da tarde de quarta-feira (14), com o arrastão de cinzas. Primeiras definições devem desfilar no dia 8 de março, colado no cortejo das baianas que lavam a igreja do padroeiro de Arembepe, São Francisco de Assis. Calendário eleitoral sem fantasias e desculpas de ressacas, só depois da segunda-feira (11), último dia do tradicional encerramento do verão da Bahia. Antes disso, só muita água de cheiro.


Pontuação O secretário de relações institucionais do estado, Luiz Caetano (PT), parece que não anda bem contado com parte da base governista. De acordo com nota da coluna Radar, do site Política Livre, o petista é o responsável pela “marcha lenta na realização de audiências” de lideranças e deputados com o governador Jerônimo Rodrigues (PT).


Pontuação 2 Com os títulos “Marcha lenta” e “Defict eleitoral”, notas que abrem a coluna postada quarta-feira (17) informam que dos 42 deputados da bancada governista, apenas 9 foram atendidos pelo governador. Ainda segundo a coluna, outra queixa é a falta de audiências reservadas do governador com lideranças, durante as viagens ao interior. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


18/01/2024 Fechamento: 13h26


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Pule  As dúvidas sobre o nome para a vice na chapa para prefeito, encabeçada pelo vereador e presidente do Legislativo, Flavio Matos (União), ficaram ainda menores com a movimentação do alcaide de Camaçari, durante sua participação na Lavagem do Bonfim, quinta-feira (11). Além do seu candidato e da esposa, D. Ivana Paula, Antonio Elinaldo levou na sua comitiva a vereadora Professora Angélica (PP).


Pule 2 Mesmo com a presença dos demais postulantes, vereadores e assessores, a vereadora Professora Angélica foi a única a visitar o alcaide de Salvador, Bruno Reis, na sua residência, nas cercanias da Conceição da Praia, de onde saiu o cortejo em direção ao Bonfim. Na foto postada no Instagram do alcaide aparecem ainda o ex-gestor da capital e chefão da legenda no estado, ACM Neto. Acenos foram repetidos nesta sexta-feira (12), durante o cortejo e lavagem da igreja do padroeiro de Barra do Pojuca, São Francisco de Assis.


Pule 3 Mesmo com definição  oficial prevista para junho, conforme determina o calendário eleitoral,  aceno do alcaide ao nome da vereadora só se intensifica. Foi destacado pela Coluna, durante a oficialização de Flavio Matos (Confira). O Camaçarico também antecipou a definição pelo nome de Matos (Confira). 


Pule 4  A opção Professora Angélica atende critérios que a política nunca esquece. Ser mulher e mãe, representante da maioria do eleitorado, negra, evangélica, moradora de Vila de Abrantes, maior colegio eleitoral da município, depois da sede, e um histórico de luta e afirmação como empreendedora ajudam nessa construção de perfil. 


Pule 5  Escolha também adoça a boca dos vereadores. Sem a vereadora na disputa, somada a Flavio na cabeça da chapa, cai para 20 o número de postulantes da base governista na briga pela renovação do mandato. Conta total soma 16 vereadores eleitos que seguem no páreo, e 4 suplentes no exercício do mandato.


Pule 6 A zebra, de última hora, é Tude. O três vezes alcaide aparece como candidato forte a uma das 23 vagas. Ampliação em duas cadeiras é certa e conta com o apoio de todos dos atuais 21 vereadores. Expectativa é que ele apresente um bom desempenho nas urnas.


Pule 7 Governistas e oposicionistas ouvidos pela Coluna dizem que vai ser difícil para Tude igualar o alcaide Elinaldo, que na sua segunda eleição para vereador, em 2016, somou 5.545 votos. Outro recordista foi o médico e ex-secretário de saúde do próprio Tude, Vital Sampaio, que em 2000 somou 4.321 votos. Se Tude bater a marca dos 3.345 apoios, número conquistado por Flavio Matos nas eleições de 2020, já está de bom tamanho. Menor que isso...


Movimento O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) deu prazo até o dia 23 para que o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) apresente as informações sobre a denúncia de entidades de trabalhadores e ambientalistas que acusam o titular da Promotoria do Meio Ambiente de Camaçari, Luciano Pitta, de não cumprir sua função de fiscal da Lei.


Movimento 2 O promotor é acusado de conivência com a prefeitura do município na construção e aprovação do novo Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Camaçari (PDDU), e dos Códigos de Urbanístico, de Meio Ambiente e de Obras e Edificações. Assinado pelo conselheiro relator o CNMP, Engels Augusto Muniz, o “Pedido de Providências”, com prazo de 15 dias e datado de 8 de janeiro, agora será apurado pelo MP-BA.


Movimento 3 No documento protocolado no CNMP em 13 de dezembro, que o Camaçari Agora teve acesso, o promotor Luciano Pitta, que está há mais de 20 anos no MP de Camaçari, é acusado de omissão, conivência e de agir de forma “tendenciosa e parcial diante da gravidade de apreciação do tema e do clamor popular”. Pedido intitulado “Ausência do representante do MP-BA na defesa da sociedade de Camaçari” cita como reforço da tese de omissão e conivência, uma reunião, convocada pelo próprio promotor, com a titular da Secretária de Desenvolvimento Urbano de Camaçari (Sedur), Andrea Montenegro, e técnicos da pasta, onde foi apresentado o cronograma de discussão do PDDU. Encontro não contou com a presença de representantes da sociedade civil e da Câmara de Vereadores.


Movimento 4 Ainda de acordo com denúncia feita pelas entidades, que reúnem agricultores, pescadores e ambientalistas, o promotor Luciano Pitta não tomou providências, apesar das queixas e debates na imprensa e redes sociais sobre a legalidade do processo de discussão do PDDU iniciado no começo de 2022.


Movimento 5 Em março de 2022 o Camaçarico já alertava sobre os custos estimados para elaboração do PDDU, mais altos que os gastos com a atualização do mesmo conjunto de leis de Salvador (Confira). Tema foi assunto de outras postagens da Coluna que questionou a atuação do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e do próprio MP (Confira).


Movimento 6 A política equivocada de condução da questão ambiental pelo município não é recente. O enfraquecimento e desmonte do conselho municipal do meio ambiente (COMAM) foi denunciado em agosto de 2021 pela Coluna (Confira).


Movimento 7 Também foi motivo de questionamentos pela Coluna e cobrança de ação por parte do MP de Camaçari no projeto de requalificação da histórica praça da Matriz de Vila de  Abrantes, situada sobre um sítio arqueológico, datado do século XVI (Confira).


Movimento 8 Histórico de descuidos do município ganhou destaque e com a demolição do centenário casarão sede dos três poderes e do cinema, em meados de 2019 (Confira). Descompromisso prosseguiu com a precariedade de equipamentos de mobilidade e o descumprimento da lei de acessibilidade no centro da cidade, cortada pela  via férrea e reforçada com a instalação do museu na antiga estação de trens (Confira). 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


12/01/2024 Fechamento: 15h06


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Calibre Camaçari fechou 2023 com novo recorde de assassinatos. Os 223 registros de crimes violentos letais intencionais (CVLI) foi o segundo maior dos últimos sete anos, ficando atrás apenas de 2017, com 249 assassinatos. Esse total pode ser maior, já que parte desses números foram apurados a partir de registros postados na imprensa. A Coluna lembra que desde agosto do ano passado que a secretaria de segurança pública (SSP-BA) não atualiza os dados no seu site.


Calibre 2 Levantamento da Camaçarico mostra que em 2022 foram contados 164 assassinatos, 52 a menos que em 2021, com 216 registros. Em 2020 foram 198 mortes violentas em Camaçari, mesmo número do ano anterior (2019). Em 2018 caiu para 173 registros. Recorde dos últimos sete anos continua sendo o ano de 2017, com 249 assassinatos.


Calibre 3 Diferente dos altos números dos demais meses de 2023, Camaçari registrou 8 assassinatos em dezembro do ano passado. É o mais baixo número de mortes violentas em dezembro dos últimos sete anos.  Queda no último mês do ano foi fato isolado, já que em novembro foram contados 21 assassinatos. Soma dos 10 meses anteriores (janeiro/outubro) dá uma média de 19 assassinatos. A coluna destaca os picos de violência em maio (25), julho (27) e agosto, o mês campeão com 28 registros de assassinatos.


Calibre 4 Em meio a esse tiroteio, estruturas como a prefeitura de Camaçari, OAB e Ministério Público seguem discutindo com ´munição de socar` a construção de um plano municipal de segurança. Quando não falta pólvora, falta chumbinho para fazer funcionar uma garruncha que nunca engata um tiro.  


Calibre 5 Nessa mesma falta de mira e ainda mais protegidos e imobilizados pelos pecados dos aliados no município, no estado e na esfera federal, os candidatos a prefeito de Camaçari, independente da farda governista ou oposicionista, seguem confortáveis nos seus bunkers. Distantes desse debate que tanto aflige a população, o vereador Flavio Matos (União) e o secretário de estado e três vezes gestor da cidade, Luiz Caetano (PT), se omitem na busca de soluções que reduzam o mapa de riscos da cidade que  querem governar a partir de 2025 e está no mapa dos negócios como sede de um dos maiores complexos industriais do planeta.  


Sim é Sim Na Bahia se costuma dizer que o ano só começa depois do carnaval. Em Camaçari, o ´1º de janeiro` é a festa de Arempebe, que neste ano acontece entre os dias 8 e 11 de março, portanto quase 30 dias depois do recolhimento dos trios elétricos na capital.


Sim é Sim 2 É com esse prazo que trabalha o candidato ao quarto mandato de alcaide de Camaçari, o petista Luiz Caetano. Durante a procissão do padroeiro São Thomaz de Cantuária, no domingo (7), o atual secretário de relações institucionais do governo Jerônimo seguiu o roteiro e desconversou. Disse que ´pode ser ele`, como ´pode ser a esposa` e companheira de legenda, a deputada federal Ivoneide Caetano, que disputou e perdeu por cerca de 16 mil votos para o atual gestor, o reeleito em 2020 e com mandato até 31 de dezembro, Antonio Elinaldo (União). Como o prazo de desincompatibilização é começo de abril, Caetano vai continuar andando, falando e se vestido de candidato.


Sim é Sim 3 Já o seu principal oponente, o vereador Flavio Matos (União), não descuidou durante a procissão. O presidente do Legislativo aproveitou os cerca de 3 quilômetros de percurso do santo pelas ruas do centro para reforçar seu nome. O vai e vem dos abraços, beijos, fotos, selfies e entrevistas fizeram parte da liturgia do candidato que precisa ser conhecido como o adversário.


Sim é Sim 4 Perguntado sobre a situação do apóstolo Santa Fé, que andou distribuindo agressões, como relembrou a nota “Pecadores 2”, postada abaixo, Flavio Matos desconversou. Provavelmente acreditando que o assunto está sepultado, disse que não pode tomar decisão ”no calor da emoção”, e que por enquanto “nada muda”. O vereador não deixou a festa do padroeiro, finalizada com a grande missa campal, sem nenhuma objeção.


Sim é Sim 5 A Igreja Católica, que oficialmente permaneceu em silêncio sobre a agressão do apóstolo evangélico, não deixou de falar em firmeza na fé, constância, coragem e instabilidade. Em sua homilia, durante a missa campal de domingo (7), o bispo da Diocese, Dom Dirceu, citou São Thomaz e sua luta contra a tirania. Lembrou que a Igreja Católica é uma “igreja que tem história” e é feita por “mártires”. Fez questão de destacar a morte de 200 cristãos, na Nigéria, na noite de Natal, “vítimas do fundamentalismo que cresce”. Na sua fala tranquila, mas firme, Dom Dirceu prosseguiu: “que Deus nos livre do fundamentalismo, que Deus nos livre do radicalismo, que Deus nos livre da intolerância, que são males do nosso tempo”.


Sim é Sim 6 O condenável comportamento do líder da igreja Restituição de Camaçari nunca foi um problema exclusivo do presidente do Legislativo. Ao se recusar exonerar o amigo e aliado da função de ouvidor da Câmara de Camaçari, Flavio Matos empurrou o problema para os demais vereadores. A esperada, mas condenável omissão não ficou apenas entre os seus 17 aliados no plenário.


Sim é Sim 7 Nesse episódio perdem pontos os três vereadores da oposição. Os petistas Dentinho do Sindicato e Tagner Cerqueira, e Vavau (PSB) mostram um comportamento incompatível com os discursos que tanto pregam de liberdade religiosa, de crenças e de orientação sexual, pilares que o poder Legislativo constitucionalmente é obrigado a defender. 


Sim é Sim 8 Ao ignorarem as queixas de setores católicos, das religiões de matriz africana e da comunidade LGBTQ+, o trio oposicionista se soma aos 18 governistas num pecado consensual. Preocupados com as urnas de  6 de outubro, querem ficar longe de qualquer desgaste com a significativa parcela do eleitorado evangélico que comunga com as mesmas ideias do religioso.


Pecadores O vereador e candidato a prefeito pelo União Brasil, Flavio Matos, segue descuidando da imagem que tanto deveria zelar. O último escorrego foi a alteração da imagem do santo padroeiro, São Thomaz de Cantuária, com vestes originais em tons vermelho, mudadas para o azul, marca da sua campanha e do seu time político.


Pecadores 2 A reação da oposição nas redes sociais, e de fiorma  mais discreta, mas não menos  incisiva entre católicos, já decepcionados com a falta de atitude do presidente do Legislativo no episódio envolvendo o apóstolo Maurício Santa Fé, da Igreja Restituição de Camaçari, como mostrou a Coluna (Confira), ganhou novos ingredientes. O resultado foi mais um recuo, com a substituição por nova peça publicitária com fundo azul, mas mantendo as cores originais da imagem. 


Pecadores 3 Já a comunicação do alcaide Antonio Elinaldo foi mais discreta, mas não menos desrespeitosa. Não satisfeita com as cores originais, vestiu o santo com uma camisa azul, mas manteve o manto vermelho da imagem.


Pecadores 4 Nesse show de descuido com a história, onde as regras elementares da política foram para a lata do lixo, num claro atestado de dificuldade de encontrar o rumo certo e consequente comunhão com o eleitor, apenas o três vezes alcaide José Tude (UB) fez o dever de casa. O atual vice-prefeito e candidato a vereador usou nas suas postagens uma imagem de São Thomaz de Cantuária sem retoques ou modificações.


Pecadores 5 Tentando fugir da polêmica, o candidato ao quarto mandato de alcaide de Camaçari, o atual secretário de relações institucionais do governo Jerônimo, o petista Luiz Caetano, só postou referência à festa católica no dia da procissão. Um card com a imagem do padroeiro, nas cores originais, convidava a população para o ato de encerramento das homenagens ao padroeiro.


Pecadores 6 Não é a primeira vez que se tenta alterar as vestes do santo para atender as miudezas da política. Em 2018, o então vereador Adalto dos Santos, eleito pela oposição, mas logo transferido para o time governista, inovou ao produzir camisas com a imagem original do santo sob um fundo azul. Pelo visto, as reclamações foram esquecidas e a lição não foi absorvida.


Narrativa Do ponto de vista da liberdade de informação não dá para comemorar, só lamentar, mas é preciso reconhecer a eficiência e o poder de convencimento da estrutura de comunicação do governo Jerônimo. Mesmo pontuando em 11º no ranking nacional dos governadores, com 56% de aprovação, o gestor foi festejado na mídia baiana como o primeirão do Nordeste. Não é bem assim. O petista baiano, segundo pesquisa do instituto Atlas Intel, além de não pontuar bem no quadro nacional, aparece no Nordeste em situação de ´empate` com o colega de partido, o governador do Piauí, Rafael Fonteles.


Narrativa 2 Com os mesmos 56% de aprovação do piauiense, Jerônimo fica em desvantagem no quesito reprovação, outro importante fator na avaliação. O baiano tem com 35% de reprovação e 9% de eleitores que declararam não saber, enquanto que o piauiense Fonteles tem reprovação 11 pontos percentuais menor (24%), e outros 20% dos entrevistados não souberam responder.  


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


8/01/2024 Fechamento: 13h19


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Expiação Segue indefinida a posição do presidente do Legislativo de Camaçari, vereador Flavio Matos (União), sobre o destino do Ouvidor da Câmara de Camaçari, Maurício Santa Fé. Ao agredir o papa Francisco, a Igreja Católica e a comunidade LGBTQ+, como mostrou o Camaçarico (Confira), o Apóstolo da Igreja Restituição de Camaçari,  exibiu um comportamento preconceituoso e incompatível com a função de confiança que exerce na Câmara de Vereadores.


Expiação 2 Manifestação destoa da missão de ouvir todos, independente de religião, crenças e orientação sexual. Afinal, ser Ouvidor da Casa do Povo é estar disposto a acolher e representar uma instituição plural formada por 21 representantes de todos os segmentos da sociedade.


Expiação 3 Apesar da demora na resposta à sociedade, o presidente do Legislativo, vereador Flavio Matos (UB), parece entender e sinalizar o inequívoco caminho de desligamento do auxiliar e amigo. Em material distribuído para a imprensa, no dia seguinte ao encontro provocado por representantes de movimentos sociais de Camaçari, na última sexta-feira (22), de quem recebeu um Carta Aberta exigindo providências contra a postura de Santa Fé, Matos reagiu.


Expiação 4 O presidente do Legislativo, que também é candidato a prefeito pela base governista liderada pelo alcaide e correligionário Antonio Elinaldo, reconheceu a legitimidade do movimento e considerou importante a entrega da Carta Aberta. Finalizou sua nota à imprensa com uma declaração, Frase do Dia do Camaçari Agora do dia 24, que não deixa dúvidas: ”Esta Casa é e sempre será do povo, e a Câmara representa toda a sociedade, independente de cor, raça ou religião. As pessoas são livres e não vamos tolerar que esse tipo de discurso manche a imagem de uma instituição séria, que representa o povo e tem como principal papel cuidar de gente, assegurando os principais direitos e garantias tipificados em nossa Constituição”. 


Expiação 5 Definir imediatamente, agora que já passou o clima de solidariedade do Natal, é fundamental para o candidato Flavio Matos. Se quiser avançar na sua postulação, somando apoios e afastando a pecha de candidato que quer governar a cidade para apenas um grupo, gesto de grandeza e de firmeza tem data limite.


Expiação 6 Postergar para depois da festa do padroeiro da cidade, São Thomaz de Cantuária, que começa com o novenário, sexta-feira (29), e tem seu  encerramento e ponto alto próximo dia 7 de janeiro, com a procissão pelas ruas da cidade, é risco alto de abalar o andor.


Expiação 7 O comportamento equivocado do apóstolo da Igreja Restituição parece não ser exceção no grupo governista. Segundo apurou a Coluna, membros do movimento responsável pelo documento entregue ao presidente do Legislativo chegaram a sofrer pressões de integrantes da administração municipal. As ameaças, ainda que sutis, partiram principalmente de quem deveria defender as políticas públicas de inclusão social, acolhimento e quebra de barreiras e preconceitos.


Retornáveis O ex-deputado Bira Coroa e o ex-vereador Teo Ribeiro serão candidatos a vereador pelo PT.  Bira, que foi duas vezes vereador, e Teo, com quatro mandatos no Legislativo, engordam o time que terá ainda o ex-vereador Paulinho do Som como postulante. Independente de projeto familiar, Paulinho, o sobrinho de Caetano, soma para a legenda que projeta fazer até 6 vereadores e abocanhar mais de 20 mil votos.


Boia Por pouco, as praias do Paraíso (Guarajuba), e da Espera (Itacimirim), não ficaram sem o selo internacional de banho de mar recomendado. Além da limpeza, do ordenamento do comércio local, organização do tráfego e saneamento básico, praias só recebem a Bandeira Azul com a segurança dos postos de salva-vidas. A Coluna apurou que o cochilo só foi corrigido na prorrogação, com a designação de guarda-vidas nas duas praias, exigência básica da organização dinamarquesa foundation for environmental education (FEE) para a certificação.


27/12/2023 Fechamento:13h02


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Tentação A manifestação de intolerância do apóstolo Maurício Santa Fé, da Igreja Restituição, de Camaçari, acendeu a luz amarela no comando da campanha do candidato a prefeito pela base governista, o vereador e presidente do Legislativo, Flavio Matos (UB). Com cargo de ouvidor da Câmara de Vereadores, nomeado por Matos, e tido como um dos coordenadores da campanha do candidato governista, Santa Fé terminou expondo o aliado com seus comentários preconceituosos e desrespeitosos.


Tentação 2 Postou no stories da sua conta no Instagram um comentário, com a foto do papa Francisco, onde anuncia: “A FALÊNCIA MORAL DA IGREJA CATÓLICA ESTÁ DECRETADA”. Manifestação, que faz coro com outras lideranças evangélicas radicais, critica o sumo pontífice por ter liberado padres para bençãos a casais homossexuais.


Tentação 3 Sem medir as consequências políticas do seu ato, criticado por representantes da Igreja Católica e membros das religiões de matriz africana, Santa Fé também somou desgaste com significativa parcela da sociedade, inclusive formada por evangélicos, que condenam esse tipo de atitude. Manifestação empurra seu candidato na direção oposta a que Flavio Matos, como prefeito, precisa defender. Igualdade de direitos e combate à discriminação, que tem como aliado e defensor o poderoso o movimento LGBTQ+ é política de governo. 


Tentação 4 No seu discurso, durante o lançamento da pré-candidatura do aliado, segunda-feira (18), em Camaçari, o ex-alcaide de Salvador e principal liderança estadual do União Brasil, ACM Neto, lembrou que a mão espalmada, marca da campanha de Flavio Matos, vai sofrer o corte de um dos cinco dedos. ´Vão ficar quatro`, disse Neto, para alertar a militância, que lotou o Clube Social de Camaçari, da necessidade de ajuste na marca ao 44, número do candidato.


Tentação 5 O movimento dos dedos, explicada por ACM Neto, é simbólico e serve para toda a campanha a prefeito que entra numa nova fase. Cabe ao alcaide Antonio Elinaldo (UB), coordenador e principal liderança do processo, redesenhar e ampliar essa mão, se quiser manter seu candidato na disputa pela prefeitura de Camaçari.


Delas A lista de nomes para vice na chapa do candidato governista, o vereador Flavio Matos (UB), não para de crescer.  Depois da vereadora Professora Angélica (PP); da titular da secretaria da mulher (Semu), a vereadora licenciada Fafá de Senhorinho (UB); da secretária de turismo, Cristiane Bacelar (PL); e da empresária Sineide Lopes (Republicanos), duas novas divas aparecem como alternativas.


Delas 2 Fontes ouvidas pela Coluna acreditam que a ex-candidata a vereadora, Ana Gomes (Cidadania) e a empresária e a promoter na área de gastronomia, Rose Braga, são mulheres que somam. É consenso que todas exibem preparo para a missão. Lembram que Ana Gomes e Rose Braga estão fora do espaço evangélico, representado pelo candidato governista e demais postulantes à vaga de vice.


Delas 3 Ana Gomes é católica praticante e tem grande inserção nos movimentos populares e de empoderamento de mulheres na cidade. Não menos conhecida, Rose Braga é ligada ao candomblé e tem intensa e positiva presença nas redes sociais e imprensa pelos seus projetos de empreendedorismo feminino.


Microfones Os cantores e compositores Bimbinho e Junior Barley seguem em busca de outros palcos, com os projetos de eleição para uma cadeira na Câmara de Vereadores de Camaçari. Amigos nas artes, a dupla B & JB trilha caminhos e conjunturas políticas diferentes. Bimbinho vai tentar uma das cadeiras pela base do três vezes alcaide e atual secretário de relações institucionais do governo Jerônimo, o petista Luiz Caetano. Já o elinaldista Barley, um dos coordenadores de eventos da prefeitura, segue no time do candidato vereador e atual presidente do Legislativo, Flávio Matos (UB).


Microfones 2 Com chances remotas de serem eleitos, segundo projeções dos dois grupos, pleitos se diferenciam apenas na vontade. Enquanto Bimbinho é estimulado pelo grupo caetanista, Barley vem enfrentando freios na cúpula elinaldista. Com dificuldades para arrumar os times de candidatos, como anotou o Camaçarico, notas ´Doril`(Confira), Bimbinho reforça o time e soma preciosos votos para a base oposicionista. Já Barley, também com sua cesta de apoios, enfrenta uma lista com nomes mais fortes na peneira das vagas de candidatos governistas.


Microfones 3 Pela nova legislação, cada partido terá direito a apresentar chapa com 24 candidatos, isso com a ampliação das atuais 21 para 23 cadeiras no Legislativo. Nesse contexto, é sempre bom lembrar o político camaçariense José Ellis. Ex-vereador e secretário de saúde de Camaçari nos anos 1980, Dr. Zé Ellis, como era conhecido, dizia que em período eleitoral chove candidato. Experiente, lembrava com sua voz grave: “É candidato, mas não é para ganhar”


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


20/12/2023 Fechamento: 14h56


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 

 







Coluna Camaçarico 15 dezembro 2023


Efeito A decisão do atual vice-prefeito e três vezes alcaide de Camaçari, José Tude (UB), de disputar uma das cadeiras do Legislativo nas eleições de 2024 ampliou o já complicado quadro de montagem do time de vereadores governistas para a disputa de outubro de 2024. Apesar dos festejos para consumo externo, o clima é de preocupação para a maioria dos 21 postulantes (17 com mandato e 4 suplentes). Não dá para negar que Tude é um mistério numa conjuntura que já exibia dificuldades.


Efeito 2 Sem conseguir suplantar o correligionário e atual presidente da Câmara de Vereadores, Flavio Matos, na disputa pela indicação como nome governista para a sucessão do alcaide Elinaldo, Tude surpreendeu. Hábil e experimentado, jogou a última boia para se manter no cenário político municipal.


Efeito  3 Movimento mostra que Tude já não conta com a liderança e a capacidade de angariar e transferir votos como no passado. Um desses indicativos é a não opção pelo nome da filha, a atual secretária de cultura, Marcia Tude, caminho natural e que chegou a ser discutido no tudismo como forma de manutenção do seu legado na política. Figuras governistas e até oposicionistas ouvidas pela Coluna dizem que Márcia Tude teria muita dificuldade de se eleger vereadora.


Efeito 4 O desconforto com a construção atípica, que contraria o projeto acertado com o alcaide, onde a possibilidade de  disputar a vereança não existia, ficou claro em conversas de Elinaldo com lideranças, e na sequência, durante o anúncio oficial do cabeça de chapa, na tarde/noite de terça-feira (12), num espaço de eventos, na sede do município. Caso estivesse convencido de que o movimento de Tude seria conta de somar na base e politicamente festejável, o próprio Elinaldo soltaria o foguete. Preferiu que o candidato anunciasse seus novos planos.


Efeito 5 Segundo apurou a Coluna, projeto de disputar uma vaga no Legislativo foi apresentado pelo atual vice-prefeito durante reunião, segunda-feira (11), ao líder estadual do União, ACM Neto. Distante das questões paroquiais, o ex-prefeito da capital apoiou a postulação de Tude e empurrou o problema para Elinaldo e seus aliados locais.


Efeito 6 Decisão de Tude mexe com toda a composição na base partidária governista e nos projetos de reeleição dos atuais vereadores. Um dos maiores atingidos é o vereador Jamelão (Cidadania). Único a apoiar Tude na disputa com Flavio Matos, pela cabeça de chapa na sucessão de Elinaldo, Jamelão perde um dos seus principais cabos eleitorais.


Efeito 7 Colegas de plenário também citam Gilvan Souza (PSDB) nessa lista de perdas de apoios com o efeito Tude. Gilvan tem se mostrado muito próximo da chamada ´capitania de Guarajuba`. Com interesses no setor imobiliário e intensa influência nos projetos bancados pela prefeitura na orla do município, grupo sempre teve Tude como grande amigo, apoiador e incentivador.


Efeito 8 As dúvidas são muitas. O três vezes alcaide sai com qual tamanho das eleições. Soma e fortalece com sua história de gestor a campanha dos demais candidatos e vereadores governistas que disputam a reeleição. Quais as suas chances de presidir o Legislativo, caso o aliado Flavio Matos vença as eleições para prefeito. Como vai se comportar caso o petista Luiz Caetano vença a prefeitura e ele, Tude seja eleito vereador.  


Efeito 9 Tude não é o primeiro ex-prefeito a descer degraus na escada da política para se manter no poder com uma cadeira no Legislativo. O ex-gestor Huberto Ellery, que comandou a cidade por 11 anos, quando Camaçari era área de segurança nacional, também tentou ser vereador. Depois de se eleger prefeito e governar a cidade pelo voto direto entre 1992 e 1996,  Ellery arriscou sem sucesso a vereança nas eleições de 2000.


Efeito 10 Se já estavam convencidos da ajudinha de mais duas cadeiras no Legislativo, a entrada de Tude na disputa consolidou essa certeza entre os vereadores. Projeto de alteração da Lei Orgânica, com e ampliação das atuais 21 cadeiras para 23, pode ser votada ainda neste ano, em sessão extraordinária, caso avaliem riscos de contestação  da mudança no mesmo ano das eleições.


Efeito 11 Já com o chamegão de todos os 21 vereadores, alteração, segundo  apurou a Coluna, tende a ser aprovada logo na reabertura dos trabalhos, em fevereiro de 2024. Como anotou o Camaçarico (Confira) criação de mais duas vagas ajuda na matemática de reeleição dos atuais ocupantes, mas gera uma despesa anual de R$ 3 milhões para os cofres públicos.


Sinais Se depender da vontade do alcaide Antonio Elinaldo, a vereadora Professora Angélica (PP), aliada do deputado federal João Leão, será a vice na chapa encabeçada pelo vereador Flavio Matos (UB). A sinalização, ainda que discreta, mas notada, foi feita durante o anúncio oficial do nome governista para a sucessão municipal de 2024, no ato da última terça-feira (12).


Sinais 2 Mesmo citando a também vereadora, atualmente licenciada e exercendo o cargo de secretária da mulher (Semu), Fafá de Senhorinho (UB), como a outra forte candidata, a vereadora Angélica parece levar vantagem. Assim como Fafá, com residência na orla, que comporia com Flavio Matos, com CEP na sede, a Professora Angélica reúne mais potencial que a colega, dizem fontes governistas ouvidas pela Coluna.


Sinais 3 Precipitando um debate, que só deve acontecer entre a janela partidária de março, depois do recolhimento dos trios elétricos, e com prazo final em junho, quando acontecem as convenções dos partidos, o alcaide foi mais longe. Sinalizou pouco conforto com os nomes da atual secretária de turismo, Cristiane Bacelar, irmã do deputado federal Jonga Bacelar (PL); e da sua ex-aliada Sineide Lopes, hoje no Republicanos, partido da base governista. Lembradas pela plateia, formada por secretários, subs e assessores mais graduados presentes ao ato político, Elinaldo desconversou. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


15/12/2023 Fechamento: 19h20


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Mãos O alcaide Antonio Elinaldo (UB) oficializa nesta terça-feira (12), o vereador, presidente do Legislativo e correligionário de partido, Flavio Matos, como o nome governista para a disputa da sua sucessão em Camaçari. O anúncio apenas confirma o que a Coluna havia antecipado (Confira). Nome do jovem político já aparecia como melhor opção na base dos partidos que formam a aliança de sustentação do governo municipal.


Mãos 2 Semana passada, durante conversa com alguns representantes da imprensa, o alcaide tentou despistar sobre o processo de escolha e exibiu uma estranha narrativa de que caberia a ele a decisão, com base na sua ´intuição`.


Maos 3 Não é bem assim. Como em qualquer outro processo de escolha, a vontade do líder político tem peso, mas se baseia em alguns parâmetros. E, foram essas medidas que definiram Flavio Matos como o nome. Além das pesquisas que mostram que o eleitorado aposta num nome novo e defende a renovação, entra nessa equação o crescimento de Matos, na dianteira em todas as sondagens realizadas. Contou ainda, e teve peso decisivo, o amplo apoio de Matos na base governista.


Mãos 4 Como mostrou o Camaçarico (Confira), o presidente do Legislativo soma até agora o apoio de 14 dos 16 colegas da base governista, além dos 4 suplentes no exercício do mandato. Tude apenas conquistou o aval de um vereador. Restaram os vereadores Dr. Elinas Natan (PSDB) e Jorge Curvelo (UB), que independentemente do tamanho da simpatia pelo colega de Legislativo, vão correr para o abraço com a derrubada do muro onde estavam comodamente instalados.


Mãos 5 Entra ainda nessa conta de somar em favor de Flavio, a condução equivocada de Tude. Acomodado e provavelmente acreditando que a indicação cairia no seu colo por gravidade, com consequente aclamação do seu nome, por conta do seu histórico de gestor e liderança estadual reconhecida, Tude não acelerou e terminou  perdendo terreno.


Mãos 6 Depois da festa da cidade, no 28 de Setembro, quando aparecia como o nome para enfrentar o também três vezes alcaide do município e atual secretário de estado, o petista Luiz Caetano, Tude só experimentou descida. Com uma coordenação de campanha fragilizada, ausência de projetos e  interferências familiares, Tude entrou num processo crescente de isolamento. Sem vereadores para formar a capilaridade necessária nas bases, e com reduzido número de lideranças, Tude se inviabilizou.


Mãos 7 Mesmo sem chances, como mostrou o Camaçarico (Confira), Tude insistiu. Recusou o gesto grandioso da desistência, com o discurso de apoiar o novo, defender a renovação e garantir sua experiência na construção do projeto liderado pelo aliado Flavio Matos. Agora, numa outra conjuntura, vai ter que dar a volta por cima e exteriorizar esse gesto nesta terça-feira (12), durante ato político de anúncio oficial da candidatura governista.


Mãos 8 Fora da disputa, Tude agora pode emplacar o nome da filha, a atual secretária de cultura, Marcia Tude, como candidata a vereadora. Projeto que chegou a ser gestado nas eleições de 2020, terminou abortado pelo alcaide. Pressionado pela base, Elinaldo não avalizou Tude disputando um segundo mandato de  vice-prefeito, enquanto a filha tentaria uma vaga no Legislativo.  


Lousa  Não anda nada boa a caderneta de notas do sindicato dos professores de Camaçari (Sispec). Racha da atual diretoria, exibe até projeto de golpe com a antecipação das eleições, apesar do mandato da atual gestão, encabeçada pela professora Sara Santiago, só terminar em dezembro de 2025.


Lousa 2 Dividido em três correntes, o comando do Sispec experimenta uma tóxica disputa de poder que mira a sucessão municipal de 2024 e seus reflexos na corrida pelo Legislativo estadual em 2026. Além de parte da diretoria que permanece fiel à professora Sara, também disputam o controle do Sispec os grupos do ex-presidente da entidade Jorge Freitas, e dos partidários do vereador Tagner Cerqueira (PT).


Lousa 3 Nessa confusão, que mais parece sala de aula sem professor, não faltam denúncias de assédio moral de diretor contra colaborador da entidade e atraso na prestação das contas do sindicato. O resultado desgasta a imagem do Sispec e impõe uma paradeira nos debates sobre a educação, a categoria e suas estratégias de lutas e avanços.


Futuro A Justiça de Camaçari deve julgar nos próximos dias o mandado de segurança com pedido de liminar contra o prosseguimento do cronograma de discussão e consequente aprovação pela Câmara de Vereadores, do novo o plano diretor de desenvolvimento urbano (PDDU) do município. Assinada pelo Instituto Restinga, ação também pede mais tempo para um amplo debate sobre outras três importantes leis que definem o futuro da cidade: os códigos urbanístico, de meio ambiente, e de obras e edificações.


Futuro 2 Enquanto a Justiça não julga, a Câmara corre com seu cronograma que prevê votações nesta terça-feira (12) e na próxima quinta-feira (14), quando os vereadores governistas esperam fechar o pacote. Ambientalistas e grupos de entidades preparam manifestação contra a pressa dos vereadores na aprovação dessas leis. Criticam a velocidade e a falta de transparência de todo o processo iniciado no ano passado, como mostrou a Coluna (Confira). Críticas ao processo  de   atualização do PDDU só cresceram como registrou o Camaçarico (Confira).


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


11/12/2023 Fechamento: 17h45


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Passe O presidente do Legislativo de Camaçari, vereador Flavio Matos (UB) ganhou um presentão do alcaide Antonio Elinaldo. Candidato a prefeito pelo grupo governista, aguardando apenas o anúncio oficial, Matos terá de desenrolar o imbróglio que virou o projeto do novo Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU).


Passe 2 Questionado na Justiça e reconhecido pelo seu debate acelerado e prejudicial para a cidade, por ambientalistas e especialistas em questões urbanísticas, projeto está na agenda para ser aprovada a toque de caixa pelo Legislativo, ainda neste ano. Prazo de 15 dias, para os debates entre os vereadores e votação de um projeto com cerca de 5 mil páginas, é reconhecido como curto até por governistas ouvidos pela Coluna.


Passe 3 Cheio de furos, como vem mostrando a Coluna desde o início (Confira), o projeto do PDDU precisa de mais tempo para ser debatido, tal a sua complexidade e o volume de estranhezas exibidas pelo Camaçarico (Confira).


Passe 4 Legitimar o erro do alcaide, que não entende nada sobre o assunto, e se assessora por técnicos com pouca intimidade sobre o tema, é jogar a bola para fora do campo. Atropelar um debate que precisa ser amplo, principalmente para quem quer ser prefeito, é tudo que Flávio Matos não pode fazer. Ampliar essa agenda de discussões é mostrar posição e desejo de contribuir de forma efetiva para a cidade que deseja governar. Fazer diferente é bola nas costas e perda de preciosos gols na corrida eleitoral.  


Bola Por falar em passe e jogada que não faz gol, o três vezes alcaide e atual vice-prefeito, José Tude (UB), insiste é seguir no campo. Mesmo sem condições de prosseguir no jogo e sabedor que o nome governista na disputa pela prefeitura de Camaçari será seu correligionário de legenda, o vereador Flavio Matos, como anotou a Coluna (Confira), Tude não tira as chuteiras. Vai esperar o anúncio oficial, provavelmente dia 16, numa grande festa política no Clube Social. Ou entrega as chuteiras antes, como última jogada.


Pecadores A pouco mais de um mês da procissão do padroeiro de Camaçari, dia 7 de janeiro, e distante 24 dias para o início do novenário em louvor a São Thomaz de Cantuária, festejado  dia 29 próximo, a prefeitura segue sem dar sinais de que vai recuperar a abandonada praça Desembargador Montenegro. Além da catedral, principal templo católico do município, logradouro localizado no coração da cidade, também é referenciado pela antiga estação de trens, hoje museu municipal. Pisos destruídos, iluminação precária, bancos e mesas precisando de reforma formam um cenário de abandono do principal e um dos mais antigos espaços de convivência da cidade.


Pecadores 2 Ao descuidar da praça da catedral, a secretaria de infraestrutura (Seinfra), comandada pela doutora Joselene Cardim, só atesta e expõe a falta de planejamento gestão do alcaide Elinaldo (União). Sem prazo para a realização de uma reforma que o local merece, só resta promover um remendo, para que mais pessoas não se acidentem nos buracos e mobiliário danificado da praça. 


Pecadores 3 Descompromissada com a história da cidade e apartada do calendário que precisa compatibilizar obras com as principais datas do comércio, a Seinfra não consegue sair do buraco que construiu com sua incompetência. Com a chegada do mês do Natal e das compras de final de ano, e consequente movimento intenso no centro, qualquer  serviço de recuperação só vai ajudar a piorar o que já não está bom para lojistas e população.


Pecadores 4 Com um calendário que se arrasta por mais de 6 anos, proposta de requalificação do centro antigo de Camaçari nunca saiu do papel. De real apenas a reforma da antiga estação de trens, hoje Museu Camassary. Não se concretizou a promessa de recuperação do antigo cinema e do histórico casarão, antiga sede dos três poderes. Marcas da história de Camaçari viraram escombros, como registrou a o Camaçari Agora em 2019 (Confira).


Pecadores 5 Demolidos, quando deveriam ser restaurados, o cinema deu lugar a uma construção que nunca fica pronta, enquanto que o terreno do casarão centenário virou um depósito de documentos. Batizado como arquivo público, estrutura está longe das modernas instalações necessárias para preservação de documentos.


Pecadores 6 Sempre apostando na desinformação e omissão, inclusive dos adversários, que nada fizeram pela preservação desse patrimônio, e hoje querem voltar ao poder, a gestão do alcaide Elinaldo aposta no esquecimento e consequente aprovação e reconhecimento da sua gestão, como a que fez a requalificação do centro antigo, com um projeto fake de preservação do patrimônio.


Pecadores 7 Descuido não fica na Montenegro. Se estende por todo o centro. Principal zona de comércio da cidade, região que abrange a praça Abrantes e o centro comercial, conhecida como Feira de Camaçari, não recebeu a requalificação que precisava, com mudança do piso, reordenamento do trânsito, iluminação e paisagismo.


Calibre  Camaçari contou 21 assassinatos no mês de novembro. Número, que pode ser maior, é resultado da apuração paralela da Coluna, já que os registros oficiais seguem sem divulgação pela secretaria de segurança pública (SSP-BA).


Calibre 2 Soma dos 11 meses de 2023 chega a 215 assassinatos. Na comparação com o mesmo período dos últimos 7 anos, 2023 só perde para 2017 com 235 mortes violentas. 


Calibre 3 O penúltimo mês do ano também registrou mais crimes violentos letais intencionais (CVLI) que o mesmo período dos anos de 2022 (5), 2021 (10), 2020 (20) e 2018 (14).


Calibre 4 Na comparação com novembro de 2022, com 5 registros, houve um aumento de mais de 300%. Novembro deste ano também superou setembro e outubro. Ficou abaixo de maio, junho, julho e agosto. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


5/12/2023 Fechamento: 12h02


 

 







Ladeira O pré-candidato José Tude (UB) segue enfrentando baixas significativas no seu desejo de ser o nome governista na disputa sucessória de 2024. Confirmam o quadro de velório a agenda esvaziada e a fuga de lideranças e correligionários históricos. Apesar dos intensos e inequívocos movimentos, o três vezes alcaide de Camaçari insiste numa batalha já definida em favor do seu aliado, o vereador Flavio Matos.


Ladeira 2 Um desses sinais foi a ausência dos comandantes da campanha, José Cupertino e Waldir Freitas, respectivamente titulares das pastas da Orla (Seorla), e de desenvolvimento econômico (Sedec),  durante “encontro de lideranças”, realizado sexta-feira (24) à noite, na sede da Bamuca.


Ladeira 3 Com dificuldade de admitir que está fora do páreo, Tude prefere alimentar um debate que só gera desgaste político para a base elinaldista. Nessa luta inglória, a imprensa é sempre o alvo. Tude seguiu velha fórmula ao tentar desqualificar o Camaçarico que relata seu calvário e mostra com números a inviabilidade política de prosseguir com chances na disputa (Confira). Mesmo sem receber a “Nota à Imprensa”, a Coluna teve acesso pelas redes sociais e publica abaixo a íntegra do documento.


 “O processo político não será decidido com mentira e desinformação. Continuo em agenda, realizando reuniões, visitando as comunidades, em diálogo constante com a população na construção de um projeto para Camaçari. Queremos ouvir o povo. O grupo irá fortalecer a pré-candidatura a partir dos anseios da população, a definição da escolha do nome para liderar as eleições de 2024 será pautada em pesquisas de forma democrática.” 


Funil Mesmo com uma caçamba de diferenças, como o polêmico concurso público e a desmontagem da fundação criada em seu mandato pesidencial (2021/2022) para gerir a milionária verba de comunicação da Câmara de Vereadores, só para citar duas rusgas, o vereador Ednaldo Borges (UB) aderiu à candidatura a prefeito do colega de partido e presidente do Legislativo, Flavio Matos. Depois de uma trajetória oscilante entre continuar governo e desembarcar no projeto da oposição, Borges se definiu. Não tinha como fugir da lei da gravidade. Anunciou seu apoio durante discurso no plenário do legislativo, nesta terça-feira (28).


Funil 2 Com a adesão de Borges, lista engordada nos últimos dias com os apoios dos vereadores Deni de Isqueiro (UB) e Jamesson (UB), sobe para 14 dos 17 vereadores com mandato da base governista. Conta exclui naturalmente o candidato Flávio, o 18º nome da base.


Funil 3 Seguem fazendo charminho, o Dr Natan (PSDB), licenciado e no comando da pasta da saúde (Sesau); e Jorge Curvelo (UB), titular da secretaria de esportes (Sejuv). Entre vereadores e os quatro suplentes no exercício do mandato, o atual vice-prefeito Tude (UB) conta apenas com o apoio do vereador Jamelão (Cidadania).


Lembranças José Tude (UB), atual vice-prefeito e ainda oficialmente pré-candidato à sucessão do correligionário, o alcaide Elinaldo, não ficou sozinho na reação ao Camaçarico, que informou ser uma questão de dias, o anúncio da sua desistência na disputa da cabeça de chapa na base governista.


Lembranças 2 Sem sequer ouvir uma voz em seu favor na sua base, Tude ganhou a solidariedade do vereador Tagner Cerqueira (PT). Único a fazer coro contra a Coluna, o petista aproveitou para calibrar sua justificativa dizendo o que não está escrito no Camaçarico (Confira). “Vi, aí essa semana, uma matéria que ele retirou a candidatura, e ele desmentiu. Solidariedade ao senhor”, disse o vereador, que preferiu não citar o Camaçarico, durante discurso proferido quinta-feira (23), no plenário do Legislativo.


Lembranças 3 Não satisfeito, o petista, que durante sua juventude integrou o fã clube de Tude e do chefe ACM, ainda acusou a Coluna de postar informação falsa. Lembrou que Tude usou as redes sociais para desmentir “as fake news que inventaram”. 


Lembranças 4  Pelo visto, o jovem político, hoje um dos principais e mais prestigiados quadros do PT de Camaçari, queria semear a discórdia na base elinaldista, inflando o seu adversário preferido. Por falta de assessoria terminou errando no verbo.  


 

 







Assessora A estranha e constante presença de um equipamento nada usual, ao lado do alcaide de Camaçari, tem intrigado fontes mais atentas da Coluna. Sempre que despacha no seu gabinete, Antonio Elinaldo (UB) se deixa fotografar ou filmar ao lado de uma geladeira. Mesmo necessária nesses dias de calor na cidade, em especial nesse período de altas temperaturas na política, a branquinha, posicionada à direita do chefe, acabou virando uma espécie de meme.


Assessora 2 No mundo dos símbolos e signos da política nada passa despercebido. Aliados governistas ouvidos pela Coluna dizem que a auxiliar não apenas fornece água gelada. Também ajuda no resfriamento e conservação ´in natura` de boa parte dos pedidos que o alcaide recebe diariamente durante suas audiências.


Open door O Solidariedade (77), comandado em Camaçari por Francisco do Gás, está de portas abertas para receber os insatisfeitos rifados pelos grupos do alcaide Elinaldo e do petista Luiz Caetano. Legenda, ainda sem nome para a cabeça da chapa, quer formar um time de candidatos a vereador capaz de abiscoitar ao menos uma vaga das atuais 21 cadeiras do Legislativo. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


28/11/2023 Fechamento: 13h10


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Martelo O três vezes alcaide e atual vice-prefeito de Camaçari, José Tude (União Brasil) deve anunciar nos próximos dias sua desistência na disputa a sucessão do gestor e aliado de partido, Antonio Elinaldo. Com a saída de Tude, o nome do presidente do Legislativo, Flávio Matos, também do UB, deve ser oficializado numa grande festa política até meados de dezembro.


Martelo 2 Os sinais dessa desistência ficaram claros nos últimos 15 dias. A pouco mais de uma semana para dezembro, agenda de Tude mostra desaceleração. Sem nenhum evento anunciado para os próximos dias, a Coluna apurou que esse vazio é resultado da divisão gerada dentro do próprio grupo de apoiadores. Visões diferentes sobre estratégias e demora na montagem da campanha foram decisivas para o enfraquecimento da postulação.


Martelo 3 Movimento de encolhimento contrasta com o crescimento de Flavio Matos. De acordo com sua agenda oficial, semana tem 6 eventos noturnos até sábado (25). Volume de presença e interação com o eleitorado fica maior se somado aos encontros e caminhadas, não anunciadas, mas previstas para o restante do dia.


Martelo 4 Tude, que fechou setembro festejado como o nome mais forte e consistente para enfrentar o petista e também três vezes alcaide de Camaçari, Luiz Caetano, só fez perder terreno. Com uma pré-campanha modesta e discreta para os padrões da nova política, em parte ditada e guiada pelas redes sociais, Tude ficou aquém do necessário. Confiar apenas no seu currículo de gestor experiente e tocador de obras não foi um bom caminho.


Martelo 5 Um desses sinais de desarticulação foi a falta de apoio no Legislativo, principal base de capilaridade de qualquer candidatura majoritária. Como mostrou o Camaçarico (Confira), Tude conta apenas com o apoio do vereador Jamelão (União), enquanto Flavio, com números atualizados, soma 13 dos 17 colegas eleitos que integram a base governista. Conta favorável inclui ainda os 4 suplentes no exercício do mandato. Na lista dos vereadores muristas restam apenas os ex-postulantes Dr Natan, Ednaldo Borges e Jorge Curvelo.


Martelo 6 Diferente do companheiro de legenda e adversário pontual nessa disputa, Flavio Matos acelerou e não descuidou. Buscou presença onde não era conhecido e reforçou a estratégia de nome novo e juventude, sempre destacados como desejos de parcela significativa do eleitorado, segundo sinalizam as pesquisas. Avançou e, segundo todos os levantamentos que a Coluna teve acesso, já ultrapassou Tude.


Martelo 7 Com o nome governista na disputa pela prefeitura de Camaçari aguardando apenas a oficialização, movimento agora é de ajustes longe dos olhares e ouvidos do eleitorado. No jogo da política, os acordos de apoio e participação no futuro governo, em caso de vitória, definem o tamanho da vontade dos grupos de arregaçar as mangas na campanha.  


Martelo 8 Como anotou a Coluna (Confira), o cronograma de anúncio do nome governista imaginado pelo alcaide Elinaldo não se confirmou. Antecipação em mais de 30 dias da data prevista para o anúncio oficial, a procissão do padroeiro São Thomaz, mostra que a dinâmica da política exige experiência e compreensão da sempre necessária parcimônia no anúncio e definição de datas.


Martelo 9 Com um currículo de três gestões, mandato de deputado federal e ex-presidente da Conder, Tude não deve aposentar sua marca. Com sua desistência, a candidatura a vereadora da sua filha e atual secretária de cultura do município, Márcia Tude, volta ao mapa da sucessão.  Afinal, não existe mais quebra do acordo que impedia a dobradinha familiar no mesmo pleito. Tendência, dizem tudistas, é carimbar a filha como sua herdeira política.


Martelo 10 Com a definição do nome governista, a oposição não perdeu tempo e acabou com as dúvidas de parte do eleitorado sobre qual Caetano iria disputar a sucessão do alcaide Elinaldo. O petista Luiz Caetano, três vezes gestor do município (1986/1988, 2005/2008 e 2009/2012), foi aclamado como o nome na disputa pelo comando da milionária e problemática Camaçari, a partir de 2025. Anúncio, que descartou de vez o nome da sua esposa, a deputada federal Ivoneide Caetano, aconteceu no sábado (18), durante a plenária do PT no município.


Martelo 11 O atual secretário de relações institucionais do estado, falava, se movimentava, e sempre tido como o melhor candidato para enfrentar o nome governista, deixa o cargo antes de 6 de abril, seis meses antes do pleito, como manda a legislação. Mas, a depender da temperatura em Camaçari, prazo de desincompatibilização da Serin pode acontecer antes. 


Reforço O marqueteiro, publicitário e jornalista, Geraldo Honorato comanda no próximo sábado (25) um programa de treinamento para políticos e candidatos nas próximas eleições. O “Confirma – Marketing Digital Eleitoral” contará com a participação de profissionais das áreas de produção audiovisual, criação de jingles, fotografia e de podcast. O curso acontece das 8h às 18h, no hotel Cambuci, em Camaçari. Inscrições no link https://www.sympla.com.br/evento/confirma-marketing-politico-digital/2219304


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


13/11/2023 Fechamento: 11h20


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Peleja  O vereador e atual presidente do Legislativo, Flávio Matos (União Brasil), segue na preferência entre seus pares para a disputa da sucessão do alcaide de Camaçari e companheiro de legenda, Antonio Elinaldo. De acordo com levantamento feito pela Coluna, Matos soma 11 apoios de vereadores com mandato e mais o aval dos 4 suplentes atualmente no exercício do mandato. Já o seu concorrente, o atual vice-prefeito e três vezes alcaide, José Tude, também do UB, conta apenas com o apoio oficializado do vereador Jamelão (Cidadania). Base governista soma 18 das 21 cadeiras do Legislativo de Camaçari. 


Peleja 2 Integram a lista dos que já vestiram a camisa do time de Matos, os vereadores Bispo Jair (Republicanos), Dudu do Povo (Cidadania), Dedel (Republicanos), Dilson Jr (PSDB), Dr Samuka (Cidadania), Fafá de Senhorinho e Herbinho (UB), Ivandel (Cidadania), Manoel Filho (PDT), Niltinho (PSDB) e Professora Angélica (PP). 


Peleja 3 O Matos futebol clube conta ainda com o apoio dos suplentes no exercício do mandato, Gilvan Souza e Manoel Jacaré (PSDB), Mar de Areias e Vaninho da Rádio (UB). 


Peleja 4 Na lista dos com mandatos, mas indefinidos estão Dr. Elias Natan (PSDB), Ednaldo Borges, Jorge Curvelo, Deni de Isqueiro (UB) e Jamesson (UB). Como foram pré-candidatos e gozam da prerrogativa de instalar uma poltrona no muro, Natan, Borges e Curvelo, por motivos diferentes, devem esperar o anúncio oficial do nome do grupo, no começo de dezembro. Jamesson deve descer do muro e correr para o abraço de Flávio Matos nos próximos dias. Já Deni de Isqueiro, tido como pró-Tude, segue no muro olhando o movimento das ondas em Arembepe, sua principal base eleitoral. 


Peleja 5 Pesam nessa conta a influência da proximidade de Matos com os seus pares e a tinta da sua caneta de presidente do Legislativo. Mas, a tão grande desvantagem numérica do vice-prefeito Tude no placar do Legislativo, com sua importância como irradiador de uma candidatura nas bases, não pode ser atribuída apenas ao reforço de Matos no projeto de reeleição dos colegas de Legislativo. 


Peleja 6 Número em desfavor do três vezes alcaide, ex-deputado federal e ex-presidente da Conder tem causas mais profundas. Tude não vinha se movimentando como pré-candidato. Talvez apostando no seu “recall” de sempre bem lembrado como o alcaide que realizou grandes obras, Tude se acomodou. No jogo da política, a retranca permite que o adversário avance nos espaços do campo.


Peleja 7  Conta ainda a pouca intensa presença de Tude  no governo Elinaldo, e o desgaste da própria gestão, comprovado com a ausência de divulgação de pesquisas de satisfação do governo municipal. Nesta complexa soma não dá para ignorar os números de todas os monitoramentos, feitos pelos governistas e não governistas, que mostram um crescimento do nome do presidente do Legislativo. 


Doril Adversários e sempre se olhando de cara feia, o alcaide Elinaldo (UB) e o ex-gestor Luiz Caetano (PT) possuem um diagnóstico em comum. Ambos vivem a dor de cabeça para montar seu time de vereadores.


Doril 2 Elinaldo, com a perigosa fartura, bate cabeça para arrumar seu time de candidatos a vereador de forma a contemplar seus 22 nomes preferenciais. Lista é formada pelos 18 eleitos e 4 suplentes que assumiram o mandato e disputam a reeleição. Com prováveis 6 partidos: UB, federação PSDB/Cidadania, Republicanos, PP, PL e PDT, o alcaide precisa montar uma equação para distribuir com menos traumas os 22 vereadores. Vai ter que ´estimular` a maioria dos novos postulantes a se manterem na disputa, mesmo que as chances de eleição sejam pequenas.


Doril 3 Já Caetano vive o inverso. Com secura de nomes para compor a chapa de candidatos por partido, a cefaleia do petista e três vezes alcaide é justamente a falta de lideranças competitivas. Com esse mapa, a tendência do grupo oposicionista é sair com quatro partidos. O PT, que forma federação com o PCdoB e PV; o PSD do senador Otto Alencar; o PSB liderado pela deputada federal Lídice da Mata, e  uma quarta legenda.


Doril 4 Pela atual legislação, cada partido ou federação, pode apresentar 22 candidatos, resultado da soma das atuais 21 cadeiras mais um. Esse número pode subir para 24, caso os vereadores de Camaçari aprovem o aumento de duas vagas no Legislativo. Como mostrou o Camaçarico (Confira), aumento de cadeiras também gera mais despesas para os  cofres públicos.


Doril 5 Expectativa é de que projeto de criação de mais duas cadeiras seja apresentado nos próximos dias. Ampliação deve contar com o apoio de todos os 21 vereadores. Em tese, a proposta beneficia todos os candidatos, sejam eles em busca da reeleição ou na disputa de um mandato. Na prática, aumenta as chances dos atuais detentores de mandato.


Conta de somar A sucessão do alcaide Elinaldo (UB), ganha mais um nome. Ex-PP e liderança com presença na orla de Camaçari, Ari Barboa disputa pelo Democracia Cristã (DC).  Com entrada de Barbosa, disputa municipal soma 5 nomes. O escolhido pelo grupo do alcaide, entre Flávio Matos e José Tude, ambos do União Brasil; o quase certo Luiz Caetano (PT), Cleiton Pereira (Novo) e Oswaldinho Marcolino (MDB).


Em cena Quem também coloca seu nome no palco, só que para a Câmara de Vereadores é o  diretor, produtor de teatro e agitador cultural Bispo da Cultura. Ex-vice presidente do PT de Camaçari, ex-membro do conselho de cultura, e com intensa presença na cena cultural da cidade, debatendo e ajudando a formular políticas para o setor, Bispo acredita que tem bagagem para contribuir no Legislativo. Aposta num eleitorado órfão, filho da indigência no setor, parida pelas últimas e desastradas gestões culturais no município. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


13/11/2023 Fechamento: 15h20


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Conserva A demora do conselheiro Nelson Pelegrino, do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), em liberar o processo em que a corte votou pela rejeição das contas 2012 do então alcaide de Camaçari, Luiz Caetano (PT), vem gerando desgaste desnecessário para a imagem do ex-deputado federal petista.


Conserva 2 O pré-candidato a prefeito pelo partido Novo, Cleiton Pereira, entrou com pedido no Ministério Público para que acione o conselheiro por prevaricação e suspeição. Segundo Pereira, reforça o pedido de impedimento de Pelegrino a condição de aliado partidário, a amizade e a relação direta com a gestão. A irmã do conselheiro, Sandra Pelegrino, foi diretora, subsecretária e chegou a assumir a secretaria de saúde de Camaçari durante os dois últimos governos (2005/2012) de Caetano. Também dirigiu a ONG Fesf-SUS que respondeu por parte da gestão de saúde terceirizada do município já na gestão do então aliado Ademar Delgado (2013/2016).


Conserva 3 O TCM votou pela rejeição das contas 2012 do ex-alcaide Caetano, aplicou multa de R$ 30 mil, até hoje não paga, além de cobrar o ressarcimento de R$ 808 mil relativos a gastos não comprovados com publicidade e pagamento de subsídios a maior a secretários municipais.


Conserva 4 Demora é cheia de coincidências. Com o processo enviado para o Legislativo de Camaçari, contas serão julgadas e tendem a ser reprovadas pela maioria governista, de 18 a 3, ligada ao alcaide Antonio Elinaldo (UB).  Decisão, se ocorrer dentro dos prazos, pode deixar Caetano inelegível, portanto fora da disputa municipal de outubro de 2024, e impedido de ocupar cargo público.


Fermento A lista de agraciados pela Câmara de Vereadores de Camaçari pode ficar maior, caso se confirme a criação de mais título. Segundo apurou a Coluna, rol de homenagens, hoje beirando os 150 nomes, como mostrou o Camaçarico (Confira), mira como patrono da nova honraria o ator Paulo Gustavo, morto em 2021 e já padrinho da lei nacional de incentivo à cultura.


Fermento 2 Lista de agraciados por serviços prestados ao município inclui as medalhas Marques de Abrantes, Desembargador Montenegro, Zumbi dos Palmares, Maria Quitéria e Irmã Dulce. Seguindo o mesmo critério de representatividade, o Legislativo entrega ainda os prêmios Mulher Destaque, Camaçari da Inclusão e Honra ao Mérito.  


Fogo baixo A engorda de números na Câmara de Camaçari pode ir além das honrarias. Com o aumento da população para mais de 300 mil habitantes, segundo conta oficial do IBGE, município pode ampliar das atuais 21 para 23 cadeiras no Legislativo.


Fogo baixo 2 Mesmo sem a mudança oficializada até um ano antes das eleições, como determina a Lei, a proposta não foi esquecida e segue na cozinha da política. Apesar de beneficiar os atuais ocupantes de mandato, ampliação das cadeiras, em tese, garante mais espaço de disputa para todos, inclusive para os virgens. De um jeito ou de outro, a criação de mais duas cadeiras vai gerar uma despesa anual de cerca de R$ 3 milhões para os cofres do Legislativo.


Receita O atual vice-prefeito e candidato ao quarto mandato de alcaide de Camaçari, José Tude (União Brasil), conversa com a imprensa na próxima quinta-feira. Durante o café da manhã, a partir das 8h30 no Hotel Plaza, Tude antecipa o seu “Plano Municipal de Crescimento Sustentável” que será detalhado num grande encontro de lideranças, sexta-feira (10), a partir das 18h, no espaço Armazém, sede do município.


Calibre  Camaçari contou 19 assassinatos no mês de outubro. Número é parcial, já que os registros da orla e zona rural não foram informados pelas autoridades policiais. Na comparação com outubro de 2022, com 9 registros, houve um aumento de 100%. Outubro também supera setembro, com 13 assassinatos e a mesma imprecisão por falta de números oficiais completos.


Calibre 2 Os 10 meses de 2023 somam 194 assassinatos. Na comparação com o mesmo período dos últimos 7 anos, 2023 só perde para 2017 com 210 assassinatos.


Calibre 3 Com menos de uma semana de novembro, número de mortes violentas em Camaçari já iguala ao mesmo mês de 2022. São 5 registros, sendo quatro só no sábado (4), enquanto que em todo o mês de 2022 foram contados 5 assassinatos.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


6/11/2023 Fechamento:17h06


 

 







Conserva A demora do conselheiro Nelson Pelegrino, do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), em liberar o processo em que a corte votou pela rejeição das contas 2012 do então alcaide de Camaçari, Luiz Caetano (PT), vem gerando desgaste desnecessário para a imagem do ex-deputado federal petista.


Conserva 2 O pré-candidato a prefeito pelo partido Novo, Cleiton Pereira, entrou com pedido no Ministério Público para que acione o conselheiro por prevaricação e suspeição. Segundo Pereira, reforça o pedido de impedimento de Pelegrino a condição de aliado partidário, a amizade e a relação direta com a gestão. A irmã do conselheiro, Sandra Pelegrino, foi diretora, subsecretária e chegou a assumir a secretaria de saúde de Camaçari durante os dois últimos governos (2005/2012) de Caetano. Também dirigiu a ONG Fesf-SUS que respondeu por parte da gestão de saúde terceirizada do município já na gestão do então aliado Ademar Delgado (2013/2016).


Conserva 3 O TCM votou pela rejeição das contas 2012 do ex-alcaide Caetano, aplicou multa de R$ 30 mil, até hoje não paga, além de cobrar o ressarcimento de R$ 808 mil relativos a gastos não comprovados com publicidade e pagamento de subsídios a maior a secretários municipais.


Conserva 4 Demora é cheia de coincidências. Com o processo enviado para o Legislativo de Camaçari, contas serão julgadas e tendem a ser reprovadas pela maioria governista, de 18 a 3, ligada ao alcaide Antonio Elinaldo (UB).  Decisão, se ocorrer dentro dos prazos, pode deixar Caetano inelegível, portanto fora da disputa municipal de outubro de 2024, e impedido de ocupar cargo público.


Fermento A lista de agraciados pela Câmara de Vereadores de Camaçari pode ficar maior, caso se confirme a criação de mais título. Segundo apurou a Coluna, rol de homenagens, hoje beirando os 150 nomes, como mostrou o Camaçarico (Confira), mira como patrono da nova honraria o ator Paulo Gustavo, morto em 2021 e já padrinho da lei nacional de incentivo à cultura.


Fermento 2 Lista de agraciados por serviços prestados ao município inclui as medalhas Marques de Abrantes, Desembargador Montenegro, Zumbi dos Palmares, Maria Quitéria e Irmã Dulce. Seguindo o mesmo critério de representatividade, o Legislativo entrega ainda os prêmios Mulher Destaque, Camaçari da Inclusão e Honra ao Mérito.  


Fogo baixo A engorda de números na Câmara de Camaçari pode ir além das honrarias. Com o aumento da população para mais de 300 mil habitantes, segundo conta oficial do IBGE, município pode ampliar das atuais 21 para 23 cadeiras no Legislativo.


Fogo baixo 2 Mesmo sem a mudança oficializada até um ano antes das eleições, como determina a Lei, a proposta não foi esquecida e segue na cozinha da política. Apesar de beneficiar os atuais ocupantes de mandato, ampliação das cadeiras, em tese, garante mais espaço de disputa para todos, inclusive para os virgens. De um jeito ou de outro, a criação de mais duas cadeiras vai gerar uma despesa anual de cerca de R$ 3 milhões para os cofres do Legislativo.


Receita O atual vice-prefeito e candidato ao quarto mandato de alcaide de Camaçari, José Tude (União Brasil), conversa com a imprensa na próxima quinta-feira. Durante o café da manhã, a partir das 8h30 no Hotel Plaza, Tude antecipa o seu “Plano Municipal de Crescimento Sustentável” que será detalhado num grande encontro de lideranças, sexta-feira (10), a partir das 18h, no espaço Armazém, sede do município.


Calibre  Camaçari contou 19 assassinatos no mês de outubro. Número é parcial, já que os registros da orla e zona rural não foram informados pelas autoridades policiais. Na comparação com outubro de 2022, com 9 registros, houve um aumento de 100%. Outubro também supera setembro, com 13 assassinatos e a mesma imprecisão por falta de números oficiais completos.


Calibre 2 Os 10 meses de 2023 somam 194 assassinatos. Na comparação com o mesmo período dos últimos 7 anos, 2023 só perde para 2017 com 210 assassinatos.


Calibre 3 Com menos de uma semana de novembro, número de mortes violentas em Camaçari já iguala ao mesmo mês de 2022. São 5 registros, sendo quatro só no sábado (4), enquanto que em todo o mês de 2022 foram contados 5 assassinatos.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


6/11/2023 Fechamento:17h06

 



Anterior | |1| 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 | Próxima

Encontrado(s): 383 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2024 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL