Busca:








Descobrimento O alcaide Antonio Elinaldo (União) parece que começa a se esforçar para entender a importância de Camaçari nas lutas pela independência da Bahia e seu lugar de destaque no mapa nacional desde o século 16. O professor, pesquisador e historiador Diego Copque foi recebido pelo gestor na última quarta-feira (6). Deu uma rápida aula sobre os 465 anos de Camaçari e apresentou detalhes sobre o roteiro da passagem do Fogo Simbólico da Independência por Camaçari.


Descobrimento 2 Para que o gesto avançasse para além da formalidade da audiência, em que se discutiu o apoio logístico na organização do ato, na manhã do próximo dia 30, o professor presenteou o alcaide com o seu segundo livro “A presença do Recôncavo Norte da Bahia na Consolidação da Independência do Brasil”. Publicação lançada em maio do ano passado, na praça Montenegro (da Matriz), foi totalmente financiada pelo autor.


Descobrimento 3 Também é de autoria do professor Copque, o livro “Do Joanes ao Jacuípe – Uma história de muitas querelas, tensões e disputas locais”. Lançado em maio de 2021, publicação parcialmente financiada pela Lei Federal Aldir Blanc, de incentivo à cultura, registra o surgimento dos aldeamentos que hoje formam Camaçari.


Descobrimento 4 Nos últimos anos o tema Camaçari e sua importância histórica e econômica pautou e ganhou intensidade com palestras em universidades, escolas públicas e privadas do município e outras cidades da região, e em instituições de pesquisa, como o Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB). Debate cresceu com o apoio da imprensa e intensa repercussão nas redes sociais e chegou até a Câmara de Vereadores.


Descobrimento 5 Apesar da rica fundamentação dos dois livros e do consequente enriquecedor debate sobre o tema, a importância de Camaçari nas lutas pela Independência seguiu ignorada pela gestão e só virou pauta para a prefeitura em maio deste ano. O reposicionamento da data de surgimento  da cidade, em Vila de Abrantes, no século 16, portanto 200 anos a mais que o festejado, é outra luta que o município insiste em ignorar.


Descobrimento 6 Atrasada, a gestão do alcaide Elinaldo se apresentou quando as conversas do historiador e entidades da sociedade civil dos demais municípios, com a Fundação Gregório de Matos e IGHB, responsáveis pela organização dos festejos da Independência, já definiam os detalhes finais da programação. Além de Camaçari, o Fogo Simbólico vai passar por Mata de São João, Dias d`Ávila e Lauro de Freitas.


Descobrimento 7 Apesar de faltarem apenas três semanas para o 2 de Julho, nada se sabe sobre a participação de Camaçari no histórico desfile que comemora em Salvador o bicentenário da Independência da Bahia. A Coluna chegou a sugerir a realização de um grande desfile com a participação de fanfarras do município e distribuição de material contando a história do singular município. Afinal, Camaçari tem presença histórica, um polo industrial referência mundial e um rico território com 42 quilômetros de praias, rios, dunas e uma grande área de vegetação nativa.


Descobrimento 8  A atuação da prefeitura como guardiã da história, da cultura e da memória do município nunca foi exemplo. Infelizmente, se ampliou nos últimos 6 anos, quando deveria fazer o caminho do resgate. A Coluna perdeu a conta dos alertas e cobranças de responsabilidades. Destruiu o patrimômio, quando deveria preservar (Confira), ignorou a importância de Camaçari nos festejos da independência (Confira), não usou o tombamento da igreja Igreja do Espírito Santo para reforçar a importância de preservação do seu entorno (Confira), muito menos a necessidade de preservação da memória da cidade (Confira). Agora, é aguardar o tamanho de Camaçari nos festejo do 2 de Julho.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


9/6/2023 Fechamento: 8h04


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Desmonte A gestão do alcaide Antonio Elinaldo (União) segue descuidando da sua missão constitucional e não parece medir esforços para atropelar princípios de cidadania que deveria respeitar. Mesmo com o processo de revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) em andamento, e todo os seus questionamentos e imbróglios como vem mostrando a Coluna (Confira), governo de Camaçari resolve mexer na legislação para retirar poderes dos conselhos municipais da Cidade (CONCIDADE) e do Meio Ambiente (COMAM).


Desmonte 2 Não tem como fazer outra leitura do projeto de Lei encaminhado à Câmara de Vereadores, dia 29 de maio, em “regime de urgência”. Ao propor alteração nos “dispositivos do Capítulo IV, Dos Órgãos Julgadores, da Lei Complementar nº 913 de 13 de setembro de 2008 – Código Urbanístico e Ambiental”, a prefeitura simplesmente retira poderes do Concidade e do COMAM, órgãos colegiados deliberativos e fiscalizadores nos julgamentos em “Segunda Instância” dos processos de fiscalização da secretaria de desenvolvimento urbano (Sedur). 


Desmonte 3 Com a mudança proposta, os representantes do CONCIDADE, que tratam de matérias relativas a planejamento urbano e uso do solo, e do COMAM, que atuam em questões relativas ao meio ambiente, perdem força e deixam de ser os julgadores, virando apenas membros em minoria. 


Desmonte 4 Pela proposta de alteração da Lei, apresentada pela prefeitura, a “Segunda Instância” passa a ser uma outra estrutura e com nova formação com a inclusão de mais três membros, indicados pela prefeitura, portanto maioria de 3X2. A Lei atual diz no seu artigo 174 do seu Codigo Urbanístico: “São órgãos de julgamento de segunda instância o Conselho Municipal da Cidade (CONCIDADE), para as matérias relativas ao planejamento urbano e uso do solo e o Conselho Municipal de Meio Ambiente (COMAM), para as matérias relativas ao meio ambiente, conforme regimento interno.”


Desmonte 5 Mudança fecha o cerco, tirando a possiblidade de um maior controle sobre as ações do governo em matérias de interesse social, como a punição relativa à crimes ambientais, poluição sonora e atividades perturbadoras da ordem e da paz.


Desmonte 6 Proposta também aumenta o número de sessões que podem chegar a 13 (10 mais 3 extras), amplia o colegiado dos atuais 6 para 10 membros, além de estender o mandato desses representantes de 2 para 4 anos.


Desmonte 7 Mais membros e mais gastos para os cofres públicos. Pela proposta em tramitação no Legislativo, o valor do jeton pago por cada sessão para o presidente e seu suplente salta dos atuais R$ 150 para cerca de R$ 500. Já os demais membros saem dos R$ 150 para R$ 340 por sessão. Com o reajuste e consequente aumento das sessões, o presidente da junta, que será indicado pela prefeitura, pode receber até cerca de R$ 6,5 mil mensais, enquanto que os demais membros do colegiado podem somar cerca de R$ 4,5 mil, caso realizem as 13 sessões permitidas no mês. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


2/6/2023 Fechamento: 14h01


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Memória Território referência na construção do Brasil e nas lutas contra o domínio português, encerradas simbolicamente no 2 de Julho de 1823, Camaçari completa nesta segunda-feira (29), 465 anos de fundação. Infelizmente, o atraso nesse debate, que reposiciona esse marco em 200 anos no seu surgimento como uma das primeiras povoações do Brasil, encontra amplo e inexplicável patrocínio.


Memória 2 Descuido capitaneado pela atual gestão do alcaide Antonio Elinaldo (União) se reforça com a omissão do grupo do seu adversário político, o petista e três vezes alcaide do município, o atual secretário de relações institucionais do governo do estado, Luiz Caetano. Debate também segue fora da agenda da Câmara de Vereadores.


Memória 3 A comprovação dos 465 anos está nos documentos que embasaram o livro “Do Joanes ao Jacuípe, uma história de muitas querelas, tensões e disputas locais”, do professor, historiador e pesquisador Diego Copque. Em artigo postado no Colunistas de março do ano passado, o professor lembra que o território, hoje conhecido como Camaçari, nasceu em 1558 como Aldeamento do Espírito Santo (Confira). 


Outra bússola A Concessionária Bahia Norte parece que espera o próximo reajuste nas tarifas do pedágio para realizar os necessários e já atrasados serviços de manutenção das vias sob sua responsabilidade. A Via Parafuso (BA-535), principal pista do chamado “Sistema BA-093”, formado por sete rodovias, está com problemas em quase toda a sua extensão.


Outra bússola 2 Sem o ´norte` da AGERBA, orgão estadual que deveria fiscalizar o cumprimento do contrato de privatização, o risco fica ainda maior nesse período chuvoso. Buracos, afundamento de pista e cobertura asfáltica de qualidade duvidosa são constatações vividas pelas centenas de motoristas que trafegam diariamente na principal ligação entre Salvador, Camaçari e o seu polo industrial. Atualmente, a tarifa para automóveis pequenos custa R$ 5,30. O último reajuste, aplicado no ano passado, com base na variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), foi de 7,19%. 


Equilíbrio O 5 de junho não é apenas o Dia Mundial do Meio Ambiente. Em Camaçari, a próxima segunda-feira também festeja o Dia Municipal do Teatro da Solidão Solidária. Data será lembrada com uma variada manifestação cultural, a partir das 19h, no Teatro Cidade do Saber (TSC). Capitaneado pelo poeta, escritor, diretor de teatro e agitador cultural, também aniversariante do dia, Ivan Antonio, fundador do projeto, apresentação vai recolher doações de alimentos não perecíveis para ajudar a classe artística da cidade. Ainda dentro da programação do Teatro Solidão Solidária, acontece na quinta-feira (8), dia de Corpus Christi, um almoço na Uosc, bairro Gleba C, para pessoas em situação de rua, público com intensa relação com Ivan e participante de seus projetos culturais e de inclusão. 


Moderninha Depois do estacionamento tarifado, conhecido como zona azul, Camaçari se prepara para instalar um sistema de bicicletas de aluguel. Nos mesmos moldes das capitais e grandes cidades brasileiras, serviço deve começar a funcionar até o final do ano e terá como novidade as bicicletas infantis. Com aluguel diário, semanal, mensal e anual, serviço com tarifa diferenciada e desconto de 50% para estudante e idoso terá pontos na sede, orla e zona rural. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


29/5/2023 Fechamento: 13h11


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 

 







Foguinho Quem não vai andar com ele, com o governo e com o seu candidato à sucessão, pode desembarcar. O recado foi dado pelo alcaide Antonio Elinaldo (União), durante ´reunião de ajuste`, na manhã de sábado (20), com vereadores, secretários, subsecretários e assessores, num hotel da sede do município.


Foguinho 2 Durante as cerca de duas horas de conversa o alcaide lembrou o poder da sua rede de informações e cobrou mais empenho de alguns auxiliares. Falou das obras e pediu que combatam o discurso do adversário de que a eleição está ganha. Citou o secretário da agricultura e pesca, o ex-vereador Antonio Falcão, e o ex-vereador Val Estilos (Republicanos) como exemplos de lideranças que precisam corrigir suas estratégias de apoio ao governo.


Foguinho 3 Ainda segundo fontes ouvidas pela Coluna, Elinaldo acalmou os vereadores da base ao assegurar que o primo Áldene Motta, presidente da Limpec (Limpeza Pública), e as secretárias Arlene Rocha (Sesp-Serviços Púbicos), Renoildes Oliveira (Sedes-Desenvolvimento Social), e Andrea Montenegro (Sedur-Desenvolvimento Urbano), não estão na sua lista de candidatos ao Legislativo.


Foguinho 4 Ao informar previsão de reforma administrativa, com mudanças no secretariado, em janeiro, o alcaide acredita que começa 2024 com o time focado na disputa de outubro.


Foguinho 5 Confirmado o cronograma, os secretários Dilson Magalhães (Serin-Relações Institucionais), Elias Natan (Sesau-Saúde), Fafá de Senhorinho (Semu-Mulher) e Jorge Curvelo (Sedel-Esportes), deixam os cargos até o final de janeiro. Com a antecipação, voltam para a suplência dois meses antes do prazo de desincompatibilização, respectivamente, Manoel Jacaré e Gilvan Souza (PSDB), Vaninho da Rádio e Mar de Areias (União).


Foguinho 6 Lista dos que precisam deixar os cargos no chamado primeiro escalão, caso queiram disputar as eleições, pode ser maior. Inclui os secretários Antonio Falcão (Sedap-Agricultura), Cristiane Bacelar (Setur-Turismo), Helder Almeida (Trânsito-STT) Zé do Pão (Ouvidoria), e os subsecretários Cleber Alves (Sedec-Desenvolvimento Econômico), Ilay Ellery (Segov-Governo), Jackson Josué (Sesp-Serviços Púbicos), e Pastor Neilton (Sedes-Desenvolvimento Social). Apenas o vice prefeito e três vezes gestor da cidade, José Tude (União), por não ter cargo executivo, não precisa deixar a função.


Foguinho 7 Sobre seu candidato à sucessão, na disputa de outubro, o alcaide disse que o nome do grupo terá superpoderes. Vai atuar ao seu lado e com atribuições especiais, numa espécie de transição de comando da máquina municipal que acredita efetivar a partir de janeiro de 2025 com a vitória do seu grupo.


Foguinho 8 Apesar de ser uma reunião de fortalecimento de convicções, não deixaram de ocorrer as manifestações e alfinetadas. A atuação do vereador Dudu do Povo (Cidadania) foi festejada pelo assessor do executivo, Anderson da Silva. Fala do ex-petista, que também fez uma análise sobre rejeição do petista Caetano e da sua esposa, a deputada Ivoneide foi interpretada pelos presentes como uma indireta ao vereador Ednaldo Borges, ex-presidente do Legislativo, biênio 2021/2022.


Foguinho 9 Mesmo com as queixas sobre sua atuação como líder do governo e seu jogo de flertes e sinalizações intensas com o grupo oposicionista liderado no estado pelo PT, o vereador segue o figurino situacionista. Até pousou para foto como um dos nomes do time azul para a disputa de outubro de 2024.  


A tocha De volta ao roteiro dos festejos pela Independência da Bahia, agora com a passagem do Fogo Simbólico, no dia 30 de junho, cabe à prefeitura de Camaçari organizar a festa. Criar as condições mínimas para que o ato no município esteja à altura da importância histórica da cidade e das comemorações dos 200 anos da Independência da Bahia é o mínimo que pode se esperar de uma gestão.


A tocha 2 Para que a solenidade na praça Desembargador Montenegro aconteça dentro dos conformes, é necessário que a doutora Joselene Cardin, a mandachuva das obras na cidade, determine a realização imediata de uma “meia sola” na praça. Totalmente destruída, espaço principal e localizado no coração da cidade precisa de revisão no piso, limpeza de equipamentos e melhoria da iluminação. Descuido sem explicação com a praça onde fica a catedral do padroeiro São Thomaz de Cantuária, portanto principal marco da Igreja Católica na sede do município, vai além do pecado da incompetência.


A tocha 3 A passagem do símbolo da Independência da Bahia vai exibir um centro desordenado e sem projeto de requalificação. Presença de visitantes e da imprensa de todo o estado também vai atestar o descuido com o centro antigo. Como denunciou a Coluna (Confira), em 2019, na primeira gestão Elinaldo (União), foram demolidos o casarão centenário e sede dos três poderes, e o antigo cineteatro. Em seu lugar segue arrastada e sem prazo de conclusão, a construção de prédios modernosos.


A tocha 4 O quadrado que tem as praças Montenegro (da Catedral), que já teve um monumento ao 2 de Julho, e Abrantes, a avenida Getúlio Vargas, e o Centro Comercial como limites, é uma das marcas do projeto quiosquelândia do alcaide, como vem  denunciando a Coluna (Confira). O descontrole é tamanho que até um modernoso blindex virou parede de ponto comercial instalado na lateral da Catedral. 


A tocha 5  Nesse projeto de beneficiar aliados com pontos de vendas nas calçadas da região, o destaque é o Centro Comercial. Ampliado de forma desordenada, a “Feira de Camaçari”, como é conhecido o espaço onde se acha quase tudo, cresceu e ultrapassou seus limites.


A tocha 6 O resultado dessa falta de ordem e atropelo à missão do poder público também avança sobre os cofres públicos. Diferente dos demais comerciantes da cidade, os permissionários da feira estão isentos do pagamento das taxas de água, luz, segurança e limpeza. Não satisfeito, o alcaide tem autorizado a instalação de barracas, lojas e outros equipamentos na antiga faixa de recuo e proteção da própria feira. Longe da sua estética original, a feira inchou com pontos comerciais instalados nos passeios e áreas de circulação, ampliando ainda mais a desordem, com consequências na higiene e na segurança de todo o espaço.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


22/5/2023 Fechamento: 11h59


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Prática A prefeitura de Camaçari segue descuidando do processo de atualização do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU). Depois de cochilar por mais de 4 anos na atualização do conjunto da legislação responsável pelo ordenamento urbano e sua consequente relação com o planejamento e o futuro do município, a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (União) aposta em novos erros.


Prática 2 Monta uma licitação questionável, com preço considerado muito acima da média, e que resulta na escolha de um consórcio que vem sofrendo questionamentos sobre sua capacidade de realizar a tarefa.


Prática 3 Sinalizando despreocupação com todos os questionamentos sobre a legalidade do processo na Justiça, Ministério Público e até no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), como vem registrando  a Coluna (Confira), a prefeitura avança no descompromisso com a montagem de um calendário de audiências que não contempla a população e que termina dificultando a participação da comunidade. 


Prática 4 Pilotada pela secretaria de desenvolvimento urbano (Sedur), a primeira audiência, segunda-feira (15), no plenário da Câmara de Vereadores, se transformou num espetáculo de desrespeito à população, com agressões, gritos e muita desorganização. Processo que deveria assegurar direito de fala e manifestação das comunidades e representantes da sociedade organizada, virou uma bagunça, com as claques governistas e oposicionistas antecipando a disputa municipal de 2024. Confusão, que teve até polícia, só aumentou as expectativas negativas sobre a desordem da Sedur na construção do processo.


Prática 5 Festival de equívocos começou com a escolha do plenário do Legislativo. Realizado num espaço aquém do tamanho exigido para esse tipo de atividade, e reconhecido como um local sem a mínima neutralidade, já que se trata da ´casa dos vereadores`, audiência terminou sem o resultado esperado.


Prática 6 Apesar de contar como válida no cronograma exigido pelos trâmites legais, a primeira audiência não exibiu nenhum resultado efetivo. Nessa conta, a audiência de segunda-feira apenas serviu para confirmar e ampliar os riscos de condução do processo de revisão do PDDU nos atuais moldes.


Prática 7 Questionamentos sobre dia, local e horário para esses encontros foram as principais queixas. Realizada numa segunda-feira, audiência se mostrou incompatível com a agenda da população que trabalha e não dispõe de horário livre durante o período diurno.


Prática 8 Apesar das queixas, a manutenção de uma agenda que insiste nessa barreira, se confirma nas próximas audiências. Num claro atropelo da resolução do ConCidade, órgão do governo federal responsável pela fiscalização da política de desenvolvimento urbano, que determina uma série de procedimentos, a segunda audiência será realizada nesta quarta-feira (17), a partir das 8h, na Escola Eliza Dias de Azevedo em Vila de Abrantes. Acelerado, o terceiro encontro será dois dias depois, na sexta-feira (19), no mesmo horário, na Fundação Emaús, em Monte Gordo. Ao descartar os sábados e domingos a prefeitura de Camaçari aposta na redução da representatividade, quando deveria estimular a ampla participação, dizem lideranças comunitárias ouvidas pela Coluna.


Prática 9 Mesmo anunciando cronograma de realização de um total de 12 audiências públicas, 18 oficinas e 6 fóruns temáticos, a Sedur faz segredo. Afinal, quais as diferenças entre audiência pública, oficina e fórum? Como será o detalhamento das demandas das comunidades? Quais mecanismos o morador, seja do Joia do Rio, em Barra do Pojuca, ou de Parafuso, no outro extremo do município, vão poder usar para contar suas agruras e exigir o atendimento e inclusão dos seus pleitos no novo PDDU?


Prática 10  Nesse processo de fiscalização e transparência, não tem como não citar a Ordem dos Advogados, OAB-Camaçari, que sequer compareceu a tão importante instrumento de debate sobre o futuro da cidade. Na lista de contribuições aquém do esperado, não dá para esquecer a curta presença do representante do Ministério Público. O promotor Luciano Pita se fez presente apenas nos 30 minutos iniciais de uma sessão que durou pouco mais de 3 horas.


Prática 11 Infelizmente, o debate sobre o novo PDDU de Camaçari segue enviesado e cheio de riscos. Nem parece que é o futuro da cidade que está em jogo. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


16/5/2023 Fechamento: 14h32


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Lança Peça importante nas lutas contra o domínio português, encerradas simbolicamente no 2 de Julho de 1823, o município de Camaçari, nascido na histórica e heróica Vila de Abrantes, passa a integrar o roteiro do Fogo Simbólico, que sai da cidade de Cachoeira e encerra seu trajeto no Panteão de Pirajá, em Salvador.


Lança 2 Conquista capitaneada pelo professor, historiador e  autor do livro “A presença do Recôncavo Norte da Bahia na Consolidação da Independência do Brasil”, Diego Copque, não resgatou apenas Camaçari. Graças ao apoio de parte da imprensa, outros pesquisadores, e até agentes políticos mais sensíveis, os municípios de Mata de São João, Dias d`Àvila e Lauro de Freitas, também participantes das lutas contra os portugueses, serão incluídos no roteiro dos festejos que neste ano comemoram o bicentenário da Independência da Bahia.


Lança 3 Processo vitorioso para a história e futuro da cidade, infelizmente teve uma participação aquém do exigido e necessário da prefeitura de Camaçari. Os registros mostram que, ainda que timidamente, só nos últimos meses a gestão começou a se mexer.


Lança 4 Num equívoco sem precedentes, a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (União) além de se manter distante e ignorar todo o debate de revisão histórica, como o reposicionamento da data de fundação da cidade, tem exibido marcas inadmissíveis de retrocesso no processo de resgate da história do município. Equívocos na requalificação de Vila de Abrantes, sítio histórico do século 16, e a destruição de patrimônios viraram marcas da gestão. Em 2019 a prefeitura preferiu a marreta, quando deveria usar o pincel, ao demolir o casarão secular que sediou os três poderes. Também no coração da cidade, o antigo cinema foi outro não menos importante espaço de memória e pertencimento da cidade foi transformado em escombros, como denunciou o Camaçarico (Confira).


Lança 5 É nesse contexto que a atual gestão incorpora uma encarnação do general português Madeira de Melo, defensor dos interesses portugueses e contrários à independência e aos legítimos desejos do povo. 


Lança 6 Como diz o trecho do Hino ao 2 de Julho, de autoria de José dos Santos Barreto e Ladislau Dos Santos Titara: “Com tiranos não combinam... Brasileiros, brasileiros corações“, a cidadania venceu. Nessa luta de Camaçari não tem como deixar de reconhecer o apoio de outros veículos de imprensa, dos comunicadores Junior Clemente, Mário Augusto e Roque Santos, que se somaram às preciosas participações de historiadores e artistas como Filhos de Oyó, do mestre Plínio e da mestra Joseane; do cantor Bimbinho, e do poeta, escritor e agitador cultural Ivan Antonio. O coro contra o atraso, em defesa de um justo e necessário resgate histórico e reforço do sentimento de pertencimento da cidade ganhou as redes sociais cresceu com milhares de visualizações de depoimentos e manifestações de outros filhos, independente da certidão de nascimento.


Lança 7 Agora, incluída no roteiro de passagem do Fogo Simbólico, pela sua sede e por Vila de Abrantes, cabe ao poder público municipal garantir uma festa digna, com tamanho e importância de Camaçari. Ato de reconhecimento e fortalecimento desse novo momento passa pelo apoio efetivo da Câmara de Vereadores, outro poder distante de todo esse processo. Lista inclui as lideranças políticas ligadas ao governo do estado e representadas pelo ex-alcaide e atual secretário  de relações institucionais do estado, Luiz Caetano (PT). 


Lança 8 A passagem da chama da independência é apenas parte de um roteiro obrigatório que a prefeitura terá de completar com intensa, bonita e significativa participação no desfile de 2 de Julho, pelo centro de Salvador.


Lança 9 Cabem às comandantes Marcia Tude, da pasta da cultura, e Neurilene Martins, secretária de educação, garantirem as participações de escolas, fanfarras e outras peças e elementos que retratem um pouco da história de Camaçari e sua importância no processo de Independência da Bahia. 


Poluição Apesar dos furos, equívocos e consequentes questionamentos na Justiça, no Ministério Público e no Tribunal de Contas (TCM),  a prefeitura de Camaçari prossegue nesta segunda-feira (15), com seu projeto de atualização do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU). Na audiência pública, a partir das 13h, no plenário da Câmara de Vereadores, a secretaria do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Sedur), espera ouvir sugestões da população.


Poluição 2 Como vem mostrando a Coluna, processo de revisão que, pela lei, precisa ser atualizado a cada 10 anos, já soma 4 anos de atraso, já que o último PDDU é de 2018. Apesar de ter iniciado essa discussão em 2019, quando foram realizadas duas audiências públicas iguais a essa que acontece nesta segunda-feira, na sede do Legislativo, além das 8 oficinas, processo deu marcha ré e tem exibido sinais nada compatíveis com a moralidade da coisa pública.


Poluição 3 Festival de trapalhadas envolvendo a legislação responsável pelo ordenamento urbano e sua consequente relação com o planejamento e o futuro do município não começa com o processo de licitação para contratação de empresa especializada para a revisão do PDDU. 


Poluição 4 Como mostrou a Coluna de 4 de janeiro, licitação não apenas exibe um preço astronômico (Confira). Coleção de equívocos capitaneados pela doutora Andrea Montenegro, titular da Sedur, não é recente. A tentativa de retalhar uma legislação que precisa ser uniforme, ampla e eficiente para o futuro da cidade ficou clara com o projeto de criação de “Loteamento de acesso controlado”. Denunciado pela Coluna, proposta assinada pelo alcaide Antonio Elinaldo (União) não passava de uma ajudinha a construtores/incorporadores, além das sérias implicações para o direito de circulação da população e as possíveis perdas de receita de impostos (Confira).


Poluição 5 É nesse ecossistema que o novo PDDU de Camaçari está inserido. Agora é aguardar os próximos capítulos. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


15/5/2023 Fechamento: 12h08


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 


 

 







No papel A parceria da prefeitura de Camaçari com a UFBA vem seguindo dentro dos conforme. O apoio do município ao campus da universidade federal, instalado na Cidade do Saber, de onde deve mudar para área maior nos próximos anos, recebeu elogio do reitor da UFBA, Paulo Miguez.


No papel 2 O reconhecimento foi feito durante reunião do reitor com representantes da Associação Bahiana de Imprensa (ABI) e Sindicato dos Jornalistas (Sinjorba), na última terça-feira (2), quando o professor Miguez reafirmou seu apoio à proposta de emenda constitucional (PEC) que obriga o diploma para exercício da profissão de jornalista e ao projeto das fake news, ambos em tramitação no Congresso.


No papel 3 Já com a cessão e reforma do imóvel onde funcionou o antigo Senai, no centro da cidade, palavrada pelo alcaide Antonio Elinaldo (União), falta agora a confirmação formal. Sem essa mudança, que precisa ser a mais breve possível, a UFBa-Camaçari não consegue ampliar sua oferta de cursos. 


Cidadania A defesa do meio ambiente, da ordem urbanística e do desenvolvimento urbano sustentável são as pautas do 1º Fórum Cidade, que acontece nos dias 15 e 16 de junho, no Teatro da Cidade do Saber (TCS). Promovido pela Comissão de Meio Ambiente, Mobilidade Urbana e Direito Urbanístico (COMAMDU) da Ordem dos Advogados do Brasil, Subseção Camaçari, encontro vai reunir representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, universidades, ONGs e entidades do setor produtivo, sindicatos e demais representações da sociedade civil.


Cidadania 2 Segundo o advogado Juan Sterfan, presidente da COMAMDU, o “Fórum Cidade” vai abordar questões como mobilidade urbana e a crise no transporte público, pertencimento e memória como pressupostos de defesa da cidade, IPTU progressivo, fundo municipal do meio ambiente, e mananciais e arborização urbana. A inscrição  é gratis (Clique aqui)


Cronologia Depois de comprovar, através de documentos históricos e vasta pesquisa, que Camaçari é mais antiga do que se festeja, o professor, historiador e pesquisador Diego Copque apresenta mais uma valiosa contribuição para o reposicionamento histórico do município.


Cronologia 2 Em seu último artigo, postado na seção Colunistas do Camaçari Agora (Confira), o professor exibe provas documentais de que a Câmara de Vereadores de Camaçari é mais antiga que os 75 anos festejados em março último. No texto intitulado “A Câmara Municipal de Camaçari e seus 87 anos de história recente” Copque comprova que o processo de representatividade popular tem três momentos e nasce em 1758, em Vila de Abrantes. Agora, com novas luzes, cabe ao Legislativo ampliar o debate e resgatar esse importante momento da história do município.


Cronologia 3 Do outro lado da praça do poder, a prefeitura segue muda e imóvel sobre os estudos do mesmo historiador que reposicionam a data de fundação do município. Provas documentais mostram que Camaçari é 200 anos mais antiga, portanto festejou 465 anos e não 265 anos neste 2023.


Caminhos A distância da atual gestão de Camaçari com as religiões de matriz africana e a consequente dificuldade de acesso a programas sociais bancados ou coordenados pela prefeitura é tema central da pauta que pais e mães de santo do município esperam discutir com o alcaide Elinaldo. Reunião, ainda sem data e proposta pelos representantes das religiões de matriz africana também deve discutir os “privilégios” recebidos pelas igrejas evangélicas. Movimento é coordenado pelo pai Ivan, do terreiro Ojú Omi, e pelo sacerdote do terreiro de Jauá, Tata Laercio.


Pressão  Os servidores efetivos e professores da rede municipal de Camaçari param suas atividades por 72 horas, entre amanhã (9) e quinta-feira (11). Categorias cobram melhorias salariais e de  condições de trabalho. Nessa conta de prejuízo os servidores vencem de goleada para os colegas da sala de aula. Cobram do alcaide Antonio Elinaldo (União) reposição salarial de 2023 (5,79%), 2022 (10,06%), 2021 (4,52%), 2020 (3,31%) e 2017 (06,29%). Manifestação das duas categorias, nesta-terça (9) pela manhã, tem ponto final na porta da prefeitura.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


8/5/2023 Fechamento: 15h54


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Imagem A presença de uma tampa de urna funerária foi mais um momento de infelicidade do Legislativo de Camaçari. Sob o pretexto de discutir a fila da regulação e suas consequências nefastas na vida da população, o vereador Dudu do Povo (Cidadania) resolveu enriquecer sua fala contra a política de controle de vagas nas UTIs, pelo governo do estado, com a exibição no plenário da inusitada peça mortuária. O resultado foi uma confusão entre governistas e oposicionistas que terminou encerrando antes do período regimental a sessão de quinta-feira (4).


Imagem 2 Tampa de caixão, alimentos e outras peças exibidas durante as sessões, agressões a colegas em falas no plenário, e uso de termos inadequados durante os discursos são provas incontestáveis que mostram o descuido e distanciamento do Legislativo de Camaçari da sua missão constitucional.


Imagem 3  Sem interesse de instalar a comissão de ética, como se julgar seus 21 integrantes fosse um crime, e com um Regimento Interno dúbio, onde tudo pode e nada é permitido, a depender do controle do leme, a Câmara de Camaçari segue precisando de ajustes. Não dá para o piorar o que já está abaixo do mínimo exigido pela cidade, onde o poder com missão de fiscalizar e defender o território e seus cidadãos se comporta longe do decoro da função.


Imagem 4 Nesse jogo de perde-perde, a bancada governista atuando de forma descoordenada, graças a estranha ausência do líder, o experiente vereador e ex-presidente da Casa, biênio 2021/2022, Ednaldo Borges (União), se junta a pouca unidade dos oposicionistas. Apostando no acirramento das relações no Legislativo como elemento desestabilizador da gestão do alcaide Elinaldo, antigovernistas terminam ajudando a expor uma faceta nada recomendável de um poder que é pago, e muito bem remunerado pelo povo, para defender a cidade.


Imagem 5 Cabe ao presidente da Casa, vereador Flávio Matos (União), fazer o que deveria ter sido feito em outras legislaturas, e de forma mais incisiva desde o início do processo de discussão da reforma do Regimento, no ano passado. Discutir diferenças e entender sua missão é obrigação da Câmara de Vereadores de Camaçari. Independente das  ações de cada parlamentar na geração de bônus ou ônus na conta das eleições de 2024, quando a maioria deve tentar a reeleição, a função do Legislativo precisa ser respeitada.  


Ritmo Mesmo andando, falando e se comportando como pré-candidato a prefeito de Camaçari, o presidente do Legislativo Municipal, vereador Flavio Matos (União), segue negando o seu projeto de governar a cidade a partir de 2025.


Ritmo 2 Um desses movimentos que sinalizam essa parcimônia é o “encontro de lideranças” que realiza na manhã deste sábado (6), na igreja da Restituição, sede do município. Segundo apurou a Coluna, nada de excepcional está no roteiro. Nesse roteiro, até os vereadores que apoiam seu projeto de suceder o atual gestor municipal foram aconselhados a não comparecerem para não antecipar o debate.  


Ritmo 3 Mesmo com a desistência, ainda que  implicita dos vereadores Elias Natan (PSDB) e Jorge Curvelo (União) e a intensa e assumida condição de pré-candidato do correligionário Helder Almeida, ex-alcaide e atual gestor da superintendência de trânsito e transporte (STT), Matos exercita a  paciência. Comandando a poderosa máquina do Legislativo e com presença cada vez mais intensa nas comunidades, Flavio Matos, reconhecido por aliados e até adversários como um candidato “leve” e com "baixa rejeição", aguarda o movimento dos ventos.   


Identidade O próximo sábado (6), na comunidade quilombola de Cordoaria, será de imersão e debate sobre ancestralidade, presente e futuro. Destaque para a exibição do filme “Nó”, do cineasta Midi Alves, a partir das 16h. Também integram a programação a peça teatral com a atriz Simone Requião, os poetas Revolução, FBK e Lucas Matos, e o grupo capoeira Aquilombar. Encontro aberto ao público, acontece na praça central da localidade.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


5/4/2023 Fechamento: 13h40


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Coluna Camaçarico 2 de maio 2023


Dosagem A publicação e posterior retirada do post sobre o Dia do Trabalhador, da página do Instagram da prefeitura de Camaçari, é apenas o mais recente exemplo de descuido da atual gestão com sua missão de governar e respeitar princípios que regem a administração da coisa pública. Ao reproduzir memes onde o trabalhador aparece como descompromissado com sua missão, a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (União) exibe uma grave falta de entendimento do seu papel de liderança e da sua capacidade de compreender o trabalhador.


Dosagem 2 Mesmo deletando da sua página a postagem agressiva, após a enxurrada de protestos nas redes sociais, durante todo o dia de ontem (1/5), a prefeitura de Camaçari apenas apaga uma peça numa lista de equívocos da sua comunicação.


Dosagem 3 O “pedido de desculpas”, na mesma página, onde justifica a postagem como “uma publicação leve e bem humorada”, na verdade não passa de uma peça publicitária que se desconstrói no próprio Instagram da prefeitura.


Dosagem 4 Na mesma página @prefcamacari, um vídeo intitulado “A vibe que todo camaçariense gosta” (Confira), que tem como pretexto mostrar os prazeres que a cidade oferece, reforça uma visão nada “leve e bem humorada”, além de ferir outro princípio, ainda mais grave. Numa afronta à legislação e ao compromisso do poder público com a saúde da população, que deveria defender, postagem de 15 segundos e mais de 2 mil visualizações, associa imagens da gastronomia e das belezas naturais do município ao consumo de bebida alcoólica.


 

 







Dosagem 5 Postado no Instagram da prefeitura desde a semana passada, vídeo aumenta ainda mais o seu teor perigoso e nada recomendável, quando atropela outro princípio, ao promover propaganda de uma marca de cerveja num canal oficial e acessado por toda a população, independente de horário e idade.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


2/4/2023 Fechamento: 7h43


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 

Print da imagem da peça publicitária exibida no Instagram da prefeitura CLIQUE PARA AMPLIAR A IMAGEM






Salgado O sistema de estacionamento rotativo pago em Camaçari, com previsão de início de funcionamento entre julho e agosto, terá tarifa mais cara que a cobrada em Salvador. Na capital o valor pela permanência de um veículo pequeno, por duas horas (120 minutos) é de R$ 3,00, enquanto que na zona azul de Camaçari os mesmos R$ 3,00 vão pagar apenas metade do tempo (60 minutos). 


Salgado 2 Já as motos vão pagar R$ 1,50 pelos mesmos 60 minutos de permanência, diferente da capital onde o estacionamento é grátis. O decreto, que não especifica tarifa para veículos como ônibus e vans, define apenas o valor de R$ 20,00 pela diária de permanência de uma caçamba.


Salgado 3 Segundo apurou a Coluna, o serviço deve disponibilizar cerca de 600 vagas na região central. Como o estacionamento poderá ser autorizado mediante pagamento por aplicativo, o serviço só deve gerar cerca de 100 postos de trabalho de guardadores.


Salgado 4 Datado de 12 de abril deste ano, decreto garante zona livre e sem tarifa de estacionamento aos domingos e feriados, inclusive nas regiões de praia, e gratuidade nas zonas pagas para permanência de até 30 minutos. A tarifação só vale de segunda à sexta das 8h às 18h e sábado das 8h às 13h. Mesmo nesses dias, algumas áreas centrais, classificadas como de baixa procura, permanecerão sem cobrança de estacionamento. 


Despertador  Demorou um ano para que o Conselho de Cultura de Camaçari (CMCC)  acordasse e entendesse a necessidade de inclusão de Camaçari nas comemorações  dos 200 anos da Independência da Bahia. Na quarta-feira passada (19) o colegiado, pressionado pela ampla repercussão na imprensa e nas redes sociais, finalmente se reuniu para ouvir o professor, pesquisador e historiador Diego Copque, o autor de dois livros que comprovam a contribuição e importância do município nas lutas que culminaram com o 2 de Julho de 1823.


Despertador 2 Com a omissão da prefeitura de Camaçari no processo, a inclusão de Camaçari no roteiro do Fogo Simbólico segue com poucas possibilidades. Mas, o município ainda pode contar sua história no desfile de 2 de Julho, pelas ruas da capital. O professor Copque apresentou um série de sugestões. Presença de Camaçari nos festejos vem sendo cobrada pelo Camaçarico desde o ano passado (Confira).


Despertador 3 Agora, é aguardar que o alcaide Antonio Elinaldo (União) acorde e mande as secretárias de educação, Neurilene Martins (Educação), e Marcia Tude (Cultura) fazerem o que precisa ser feito.


Despertador 4 Nesse berço do descuido, a Câmara de Vereadores tem significativa parcela. Cutucar as comissões de cultura, esporte e lazer, presidida pelo vereador Ivandel Pires (Cidadania), e de educação e assistência social, comandada por Jamessom Silva (União), também é função do presidente da Casa, vereador Flavio Matos (União).


Reforço O ex-vereador Val Estilos é o mais novo jogador do time do petista Luiz Caetano. Mesmo sem mandato, tirado em setembro do ano passado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA), por abuso de poder político e econômico (Confira), o ex-elinaldista segue administrando seu capital eleitoral e será de grande valia na disputa para prefeito em 2024.


Reforço 2  Segundo apurou a Coluna, Val Estilos, eleito com 3.005 votos pelo Republicanos, a segunda maior votação para o Legislativo nas eleições  proporcionais de 2020, não desiste de retomar o mandato e tem seu desejo estimulado pelos novos aliados.


Escolhido Quem deve encerrar sua participação no Legislativo, em dezembro de 2024, é o vereador Bispo Jair. O mais antigo vereador em atuação na Câmara de Camaçari, com 6 mandatos e prestes a completar 75 anos em maio, já tem sucessor. Passa o bastão e aposta todos os votos no filho Luiz Claudio, importante referência religiosa da Universal e bispo da igreja do Phoc 2.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


24/4/2023 Fechamento: 16h38


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Coluna Camaçarico 17 de abril 2023


Para sempre A prefeitura de Camaçari prepara concurso público para contratação de 141 novos servidores. Certame com previsão de início e conclusão ainda neste ano, visa preencher vagas de nível médio e superior com salários que variam de um mínimo (R$ 1.320), para transcritor do sistema braile, intérprete de língua de sinais e cuidador e educacional, a até pouco mais de R$ 9 mil para médico de PSF, uma das especialidades na lista das 20 vagas oferecidas para a categoria.


Para sempre 2 Seleção também abrirá 66 vagas para professor, além da contratação de psicólogo, assistente social, nutricionista, técnico fazendário, agentes de saúde e de endemia, fiscal do uso do solo, e técnico em segurança do trabalho.


Para sempre 3 Dentro dessa lista também estão os cargos de procurador (2 vagas), com salário inicial de R$ 6 mil; e auditor (6 vagas) com salário de R$ 3 mil. Apesar de aparecerem com remuneração inicial menor, na prática as duas categorias superam com folga o contracheque dos doutores, com o pagamento dos penduricalhos atrelados ao andamento de processos e à arrecadação municipal.


Para sempre 4 O termo de dispensa do contrato de R$ 1,6 milhão, com centro brasileiro de pesquisa em avaliação e de seleção e promoção de eventos (CEBRASPE), foi publicado no último dia 11 de abril, no Diário Oficial da Bahia – Municípios. Com previsão de somar cerca de 12 mil inscritos, custos com o processo seletivo será coberto com as taxas de inscrição de R$ 94 para candidatos aos cargos de nível técnico; R$ 238 para médico, procurador e auditor; e R$ 133 para as demais funções de nível superior.


Distância O concerto "The Beatles", apresentado pela Orquestra Ouro Preto, sexta-feira (14), no Teatro Cidade do Saber (TCS), foi mais um capítulo da desafinação da elite política de Camaçari com a cultura. Apresentação brasileira premiada em todo o mundo contou apenas com as presenças oficiais da secretária da pasta (Secult) e anfitriã do show, Marcia Tude, e seu pai o vice-prefeito José Tude (União).


Distância 2 O editor não identificou na plateia, formada por pouco mais de 500 privilegiados, na sua maioria estudantes, que lotaram o TCS, o alcaide Antonio Elinado (União), muito menos o oposicionista e candidato ao quarto mandato de gestor municipal e atual secretaria de relações institucionais do estado, Luiz Caetano (PT). Com agenda mais importante, os antagônicos na política seguem confluindo quando a pauta é cultura.


Barrufo A indicação, aprovada pela Câmara de Camaçari, criando um espaço no Legislativo para abrigar fumantes ganhou mais um adversário de peso e pode até ir parar na Justiça. A proposta do vereador petista Dentinho do Sindicato, que segundo disse à imprensa, é “proteger os não fumantes” e “resguardar o direito do fumante”, virou tema de debates nada abonadores no grupo de médicos do município.  


Barrufo 2 Preocupados com o equívoco e buscando evitar que a ideia seja acesa, médicos ouvidos pela Coluna lembram que a instalação de fumódromos contraria a política nacional de combate ao tabagismo que indica justamente a não criação desses espaços como forma de desestimular o uso do cigarro.


Barrufo 3 Aprovada de forma apertada por 9 votos a 8, proposta teve o apoio dos vereadores Tagner Cerqueira (PT), Vavau (PSB), Ednaldo Junior Borges, Manoel Jacaré e Herbinho (União), Niltinho (PSDB), Bispo Jair (Republicanos), Jamelão (Cidadania), além do autor.


De fato  Tem se mostrado pífia a estratégia do alcaide Elinaldo ao escolher o vereador e correligionário Ednaldo Junior Borges (União) para líder do governo do Legislativo. Se imaginou que o posto seguraria o aliado, apesar de considerado uma incógnita pela quase unanimidade dos observadores da política paroquial, Elinaldo agora experimenta um resultado desanimador nesses quase dois meses de trabalhos do Legislativo.


De fato 2 Presença esparsa nas sessões e discursos pouco convincentes, segundo seus próprios pares, terminaram contribuindo para o fortalecimento do companheiro de bancada governista, Dudu do Povo (Cidadania), que mesmo sem crachá de líder, faz as honras dos governistas. 


De fato 3 Apesar de não exibir o vernáculo, muitas vezes vazio, do ex-presidente da Casa, Dudu do Povo tem conseguido com suas construções simples e diretas se comunicar de forma eficiente, ao mesmo tempo em que sustenta a defesa do governo. Nessa missão ganha reforço do colega Flávio Matos (União), que em todas as sessões precisa deixar a cadeira de presidente do Legislativo para reviver seus tempos de líder do governo e ajudar na defesa da administração contra o tiroteio da oposição.


De fato 4 Como mostrou o Camaçarico de 23 de janeiro, nota “A voz” (Confira), o cargo de líder era desejado pelos vereadores Ivandel Pires e pelo próprio Dudu do Povo, ambos do Cidadania. Mas, o alcaide preferiu apostar na pule do agora ex-presidente da Casa. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


17/4/2023 Fechamento: 13h23


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Coluna Camaçarico 10 de abril 2023


Velocidade O novo comandante da superintendência de trânsito e transportes de Camaçari (STT), o ex-alcaide Helder Almeida (União), precisa agir rápido e começar a ordenar o trânsito no centro da cidade. Apesar de pouco mais de 30 dias no cargo, Almeida, que tem como missão principal retomar o sistema de transportes por ônibus, não pode descuidar do outro ´T`da sua pasta, o de trânsito.


Velocidade 2 Se promete botar o complexo sistema de transporte por ônibus para funcionar até junho, moralizar o trânsito é fichinha. Botar os agentes na rua é o primeiro passo do processo de implantação, numa etapa seguinte, do sistema de estacionamento pago, conhecido como “zona azul”. Em Camaçari, carros e motos, em especial, estacionam em qualquer lugar. Completa a desordem os caminhões e utilitários que usam as vias sem restrições para carga e descarga de mercadorias.


Fake O Dia do Jornalista, comemorado na última sexta-feira (7), não fugiu à regra e ganhou homenagens justíssimas. Como de costume, os festejos fakes em defesa da liberdade de expressão, etc, etc, etc, também ocuparam as redes sociais. Um desses falsos foguetórios partiu justamente de quem mostrou ser adversário de princípio tão importante e necessário para a democracia.


Fake 2 Para quem não lembra, o então presidente do Legislativo de Camaçari, vereador Ednaldo Borges (União), entrou com ação na Justiça, no ano passado, contra esse editor e o colega Compartilha Bahia, Julio Ribeiro, por “injúria, difamação ou calúnia” (Confira).


Fake 3 Criticado pelo seu comportamento de confronto com a imprensa e ameaça à liberdade de expressão, por notas e manifestações de repúdio da federação nacional dos jornalistas (Fenaj), sindicato dos jornalistas da Bahia (Sinjorba), associação bahiana de imprensa (ABI), veículos de imprensa, e até partido político (Confira), Borges (União) aposta na memória curta da sociedade. Na última sexta usou suas redes sociais para festejar princípios que ele não respeitou. Mesmo com o recuo, com a consequente retirada da ação na Justiça, o carimbo continua.


Recuados O movimento de apoio à inclusão de Camaçari no roteiro do Fogo Simbólico da Independência da Bahia só faz crescer. Apesar do grande número de postagens nas redes sociais pedindo a participação da cidade no 2 de Julho, e até a criação de um clip com música especial sobre  a importância de Camaçari nas lutas, a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (União) segue muda e imóvel. 


Recuados 2 Mesmo com a irrefutável base histórica documental que confirma a presença de Vila  de Abrantes nas lutas, tropa liderada pelo ´general`Elinaldo não se articulou com  a prefeitura de Salvador, responsável pela organização da festa, muito menos planeja qualquer participação no desfile dos 200 anos, pelas ruas do centro de Salvador.


Recuados 3 Letargia sobre a importante participação do município nas lutas de 1823 também é marca do grupo político opositor, comandado por outro ´general`, o três vezes alcaide do município e atual secretário   de relações institucionais do estado, Luiz Caetano (PT).


Recuados 4 Mesmo despreocupados com o resgate da história da cidade, e todas as suas consequências positivas para o fortalecimento do sentimento de pertencimento dos municípes, os  ´generais` querem mais. Um sonha com mais 4 anos para seu sucessor, enquanto o outro plneja a volta ao controle de Camaçari a partir de 2025.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


10/4/2023 Fechamento: 14h45


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao l


 

 







Coluna Camaçarico 3 de abril de 2023


Reprovados A unificação dos colégios estaduais José de Freitas Mascarenhas e Cidade de Camaçari, transformando as unidades num grande escolão com cerca de 3,5 mil alunos, segue sem debate e sob o silêncio perigoso de entidades que deveriam cuidar do ofício. Processo denunciado pelo Camaçarico em fevereiro do ano passado (Confira), não parece sensibilizar a APLB- Sindicato, o sindicato dos professores do município (Sispec), a representação dos estudantes, muito menos a própria secretaria municipal de educação (Seduc).


Reprovados 2 Apesar do impacto da medida para a cidade, a única manifestação veio de forma individual pelo professor Valdívio Pinto. Em artigo postado na seção Colunistas do Camaçari Agora (Confira), o professor do Colégio Estadual Cidade de Camaçari e secretário do núcleo da APLB no município, classifica a fusão de ´verdadeiro “armengue” acadêmico`.


Reprovados 3 A fala do professor, infelizmente isolada, passa longe das entidades que deveriam aprofundar o debate sobre os reflexos dessa união. A própria APLB não se manifesta oficialmente, assim como o Sispec, que mesmo sendo entidade representativa dos professores do município, parece ignorar seu amplo compromisso com a educação.


Reprovados 4 Os alunos, sempre barulhentos, também seguem mudos e alheios aos impactos dessa nova estrutura que apesar da piscina, do teatro e dos novos espaços de lazer e estudo, sinaliza baixo controle e riscos de aumento da violência, infelizmente comum nas escolas públicas. Fecha esse ciclo de ausências nada pedagógicas, a Seduc. Mesmo sem responsabilidade legal, por ser uma estrutura estadual de ensino, pasta municipal não busca dialogar com a secretaria de educação do estado. Afinal, qual o impacto dessa fusão para alunos, professores e servidores que residem no município.


Siameses Apesar do crescimento das manifestações, nas redes sociais, pedindo a inclusão de Camaçari nos festejos dos 200 anos da Independência da Bahia, a prefeitura e a representação do governo do estado no município seguem fazendo cara de paisagem.


Siameses 2 Reinvindicação, que os municípios Dias D`Ávila e Lauro de Freitas já fizeram oficialmente aos organizadores do desfile do 2 de Julho, em Salvador, continua ignorada pela gestão do alcaide Elinaldo (União). Reforça esse atestado de desconhecimento da necessidade desse resgate histórico o núcleo de poder liderado pelo ex-alcaide municipal e atual secretário de relações institucionais do estado, Luiz Caetano (PT).


Siameses 3 História sobre a formação de Vila de Abrantes, núcleo inicial da hoje grande Camaçari, e sua importância na luta contra o poder português são registradas pelo professor e historiador Diego Copque, em livros e recente artigo postado na seção Colunistas do Camaçari Agora (Confira).


Siameses 4 Diante da omissão dos dois principais personagens da história política recente do município, a Coluna acredita que tanto Antonio Elinaldo, como o seu adversário Luiz Caetano não leram os livros, ou sequer foram alertados por suas assessorias para a importância das publicações. “Do Joanes ao Jacuípe: uma história de muitas querelas, tensões e disputas locais” e “A Presença do Recôncavo Norte da Bahia na Consolidação da Independência do Brasil”, de autoria de Copque,  são o "bê á bá" para um entendimento sobre o passado da cidade que tanto esses chefes políticos projetam para o futuro em suas ações e discursos.


Gaveta Segue em modo espera o concurso público da Câmara de Vereadores de Camaçari. Segundo apurou a Coluna, decisão final da Justiça aguarda manifestação do Ministério Público. Ainda de acordo com fontes ouvidas pelo Camaçarico, provas não deixam dúvidas sobre a necessidade de anulação do concurso. Com resultado questionado na Justiça, certame disputado por mais de 4 mil candidatos, em novembro do ano passado, prevê a criação de 50 novas vagas para 13 cargos de nível fundamental, médio/técnico e superior e salários variando entre R$ 1,4 mil a R$ 6,5 mil. 


Mais um A manifestação, a partir das 15h desta segunda-feira (3), na porta do Ministério Público de Camaçari, é mais um capítulo da prática criminosa da intolerância religiosa. A vítima dessa vez é o babalorixá, servidor público e historiador João Borges. Também colunista do Camaçari Agora e doutorando, Borges acusa um motorista do serviço de transporte aplicativo 99 Pop de discriminação e desrespeito, durante uma viagem na noite do dia 27 de março.  


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


3/4/2022 Fechamento: 12h56


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Coluna Camaçarico 27 de março 2023


Descompromisso A pouco mais de três meses dos festejos pelos 200 anos da Independência da Bahia, Camaçari segue longe de qualquer ação que busque se incluir nas comemorações do 2 de Julho. Apesar da sua presença econômica, da proximidade com Salvador, e ser parte importante nos conflitos, com seus nativos e aliados lutando contra a manutenção do domínio português, município prefere ficar fora desse mapa.


Descompromisso 2 Infelizmente, a gestão do alcaide Elinaldo (União), assessorado pelas secretárias de educação, a professora doutora Neurilene Martins; e da cultura, Marcia Tude, provavelmente por não reconhecerem essa importância histórica do município, nada fizeram para incluir Camaçari nessa agenda de festejos.


Descompromisso 3 Diferente das titulares da Seduc e Secult, o professor e historiador Diego Copque reforça a importância do município onde mora e lamenta essa ausência em artigo intitulado "Camaçari, uma cidade sem identidade?", postado nesta segunda-feira (27), na seção Colunistas do Camaçari Agora (Confira).


Torniquete  Aguarde, o buzu tá vindo e tem previsão de parar no ponto em junho. Esse é o aviso dado, até agora, sobre o projeto de reativação do sistema de transporte por ônibus em Camaçari. O processo de chamamento público de empresas interessadas só deve ter resultado dia 10 de abril, quando serão abertas as propostas. O número estimado de passageiros, o valor da passagem e o número de linhas fecham esse roteiro anunciado pela superintendência de trânsito e transporte (STT), responsável pelo projeto.


Torniquete 2 Com tarifas de R$ 5 para as 38 linhas da sede, e R$ 7 para os 18 trechos da orla e zona rural, sistema terá um total de 56 roteiros. Números diferem do anunciado anteriormente, de 20 linhas e 42 ônibus para atender apenas os passageiros que circulam na sede. 


Torniquete 3 Projeto estartado e pilotado desde o começo de março pelo ex-alcaide e ex-titular da pasta de administração, Helder Almeida (União), também terá um sistema de integração complementar, com veículos menores, que podem ser microônibus ou vans. O que se sabe é que esses veículos farão a ligação entre localidades mais afastadas até um ponto de embarque na linha por ônibus.    


Torniquete 4 Pacote de ajustes e fechamento dessa conta, que não vai ser barata, prevê a criação do fundo de transportes, através de lei avalizada pela Câmara de Vereadores. Estrutura vai receber receitas vindas da cota de IPVA que o município tem direito, das taxas e multas oriundas do serviço de transporte e trânsito na cidade. A reestruturação da STT é outra medida. Segundo apurou a Coluna, a superintendência segue com três diretorias, mas terá seu organograma e tabela salarial redesenhados. A diretoria administrativa permanece, enquanto que as atuais de trânsito e de transportes passam a ser uma única estrutura. Com a junção, a terceira diretoria passa a responder pelo planejamento. 


Torniquete 5 Ainda segundo as contas do governo, sistema terá cerca de 1 milhão de passageiros mês. De acordo com os roteiros informados, 70% dos passageiros (700 mil) estão na sede, enqaunto  outros 300 mil serão atendidos nas demais linhas da orla e zona rural. Número de passageiros são do estudo realizado no ano passado ao custo de R$ 807 mil e pagos pela secretaria de serviços públicos (Sesp).


Torniquete 6 Esse não foi o primeiro diagnóstico sobre mobilidade bancado pela gestão do alcaide Antonio Elinaldo (União). Somados aos pouco mais de R$ 300 mil, pagos por estudo parecido, realizado em 2018 e bancado pela STT, município gastou mais de R$ 1 milhão e 100 mil.


Torniquete 7 Sistema de transporte por ônibus virou uma caixa preta graças a omissão da prefeitura que deixou de cumprir sua responsabilidade de regular e fiscalizar o serviço. Um desses pontos nebulosos é o Camaçari-Card. Sistema de bilhetagem eletrônica prejudicou passageiros e empresas que adquiriram esses vales para seus empregados. Segundo apurou a Coluna, rombo estimado não é menor que R$ 3 milhões.


Torniquete 8 Com números ainda por fechar, sistema vai precisar da ajuda do município, já que não pode sobrecarregar o bolso do usuário, muito menos tornar o negócio sem atração para os empresários. Essa conta só será conhecida depois que o passageiro subir no buzu e passar no torniquete. 


Maresia Moradores e comerciantes de Arembepe continuam esperando que a prefeitura reabra o estacionamento da praça dos Coqueiros e revise o plano de vagas para veículos em toda a famosa localidade. O descontrole do comércio, com a ocupação de espaços públicos sem o devido ordenamento e a requalificação das principais praças da localidade (dos Coqueiros e das Amendoeiras) também integra esse pacote de queixas.


Ausentes O processo de fusão dos colégios estaduais José de Freitas Mascarenhas e Cidade de Camaçari segue sem qualquer manifestação formal da APLB e do sindicato dos professores do município (Sispec). Alertado pelo Camaçarico desde maio do ano passado e novamente cobrado na  última Coluna (Confira), criação de um escolão com cerca de 3,5 mil alunos é risco de desemprego de profissionais da educação e aumento da violência.


Contramão O rebatismo da via Cascalheira (BA-531), agora “Estrada Governador Waldir Pires”, por sugestão do ex-deputado estadual e agora suplente Bira Coroa (PT), apenas muda o nome do problema. A importante ligação entre a sede e a orla de Camaçari segue perigosa, com sinalização precária, sem acostamento e carente de um projeto de duplicação de verdade. Sem esse pacote de medidas urgentes, diferente da obra ´meia boca` que alargou pouco mais de 2 dos 13 quilômetros da pista, em 2018, a pista segue perigosa para motoristas e pedestres, e sem serventia para o currículo do doutor Waldir.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


27/3/2022 Fechamento: 15h06


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Tapume A comunidade de Vila de Abrantes segue pleiteando a construção imediata da nova passagem entre a avenida Tiradentes e a rua Alice Uzeda. A antiga ligação, popularmente conhecida como “beco da Calçola”, foi fechada pelo governo do estado para a ampliação do Colégio Estadual Vila de Abrantes (Ceva).


Tapume 2 Obra definida e iniciada sem o devido debate com a comunidade terminou interferindo na mobilidade da região que perdeu uma importante via de ligação. Com a pressão da comunidade, governo do estado recuou e prometeu a construção de um novo acesso. Mesmo com a garantia de uma nova passagem, mais larga e com equipamentos urbanos, comunidade continua num beco sem saída com a indefinição sobre o início e o prazo de conclusão da nova via.


Tapume 3 Passagem é antiga e faz parte da história de Vila de Abrantes. Listada pela plataforma Google Maps como travessa Tiradentes, ligação com cerca de 200 metros já foi “beco do João do leite”, numa referência a um antigo morador da região. Depois passou a ser chamado de “beco dos Ciganos”, outra lembrança da comunidade. Importante via, não virou “beco da Calçola” por acaso. Passagem sempre esteve fora do mapa de urbanização da prefeitura.


Alavará Já na sede, a fusão dos colégios estaduais José de Freitas Mascarenhas e Cidade de Camaçari, reconhecida por educadores e especialistas como um equívoco, segue com as obras de vento em popa e sem questionamentos. As implicações negativas dessa nova unidade, com previsão de inauguração ainda neste ano, parecem que não sensibilizaram o sindicato dos professores (Sispec).


Alavará 2 O alerta para os riscos de aumento da violência e do desemprego de profissionais da educação foi dado pelo Camaçarico (Confira). Além de reunir um número recorde de cerca de 3,5 mil alunos, o escolão também avança sobre a história do município com supressão dos nomes das atuais unidades. Na época da postagem da Coluna, em 10 de maio do ano passado, era secretário de educação do estado o hoje governador Jerônimo Rodrigues (PT).   


Àgua de cheiro Mais uma vez o festival de Arembepe, segunda maior festa de Camaçari, depois do Camaforró, serviu de palco para a apresentação e reforço de nomes na disputa de outubro de 2024. Ex-alcaides, parlamentares com mandato, ex-vereadores, secretários municipais, empresários e lideranças, e até aspones não mediram esforços. Patrocínio de blocos, brindes, apoios e financiamento de comes e bebes fizeram parte da velha receita que o eleitor conhece e não se recusa a participar. Afinal, é festa e os salamaleques são sempre bem-vindos.


Velha quartinha Nos blocos dos cabeças de chapa a movimentação começa a se ajustar. Na base governista o processo parece se afunilar entre o atual presidente do Legislativo, Flávio Matos e o companheiro de União Brasil, o ex-alcaide e atual chefe da superintendência de trânsito e transporte (STT), Helder Almeida. Paramentados de branco, Matos e Helder distribuíram beijos, abraços e pousaram para selfies.


Velha quartinha 2 Mesmo presentes ao cortejo das baianas, na sexta-feira (17), os vereadores licenciados Elias Natan (PSDB), titular da pasta da saúde (Sesau); e Jorge Curvelo (União), comandante da pasta dos esportes (Sejuv), não sinalizam a mesma disposição de levar a disputa até o fim. O doutor Natan ainda apresentou grupo paramentado, enquanto o doutor Curvelo nem bloquinho armou. Lista situacionista dos que completaram o ritual, com a lavagem do adro da Igreja de São Francisco, fecha com o atual vice-prefeito José Tude (União), mais uma vez desfilando com o figurino de candidato que não é candidato.


Velha quartinha 3 Do lado oposicionista a novidade foi o fim da secura de anos anteriores, com a poderosa logística do governo do estado. Os petistas Luiz Caetano, ex-alcaide e atual secretário de relações institucionais do governo Jerônimo, e sua esposa, a deputada federal Ivoneide, seguiram o roteiro. Com fórmula universal dos beijos, abraços, afagos e selfies avançam reforçando o projeto dois em um, quase uma candidatura ´tanto faz`.


Velha quartinha 4 No cortejo dos novatos, quem desfilou simpatia foi a cantora e agitadora cultural Nivea Mafuane. Liderança do movimento negro e de mulheres ligadas ao candomblé é nome certo na disputa por uma das 21 cadeiras do Legislativo, em 2024. Outro nome que sai pelo grupo liderado pelo ex-alcaide Caetano é o professor João Dão. Ainda sem partido, a liderança nativa de Arembepe rompeu com o grupo governista, como antecipou o Camaçarico de 23 de janeiro, notas Troca-troca  (Confira).


Velha quartinha 5 Lista dos que ficaram na base do alcaide Antonio Elinaldo (União) também é grande. Um desses nomes que aproveitou Arembepe para reforçar sua postulação foi o empresário Renato dos Santos Paixão. Suplente na disputa de 2020, com 527 votos, Renatex, como é conhecido, aposta na nova conjuntura.


Equívocos O clima do festival de Arembepe, encerrado nesta segunda-feira (20), parece que andou mexendo com os vereadores Herbinho e Jamesson, ambos do União Brasil. Liderados do alcaide Elinaldo foram flagrados tentando dar “carteirada” para garantir acesso a espaços da festa com limitação de público e/ou restrição de presença.


Equívocos 2 Depois da repercussão negativa, com milhares de visualizações dos showzinhos de truculência exibidos nas redes sociais e carimbados da imprensa, dupla entra para a história negativa da festa 2023.


Alpiste  Quem apostou no caos, quebrou a cara com apresentação do cantor Igor kanário, na tarde de sexta-feira (17), durante o arrastão de abertura do Festival de Arembepe. Conhecido pela sua relação conflituosa com a polícia e confusões de foliões durante suas apresentações, o “príncipe do gueto”, como é chamado, parecia mais um rouxinol.


Alpiste 2 Tranquilo e sempre pedindo paz, o agora ex-deputado federal, portanto sem imunidade parlamentar, sabe que a paisagem mudou e precisa afinar o seu canto.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


20/3/2022 Fechamento: 14h07


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Fone de ouvido O cantor Igor kanário, conhecido como príncipe do gueto, será uma das atrações do festival de Arembepe. Para puxar o arrastão na tarde de sexta-feira (17), primeiro dos quatro dias da festa, o agora ex-deputado federal pelo União Brasil vai ganhar um cachê de R$ 90 mil. Bancada pela prefeitura de Camaçari, a remuneração não deixa de ser generosa se comparada aos R$ 320 mil pagos por quatro dias no carnaval de Salvador, um circuito mais longo e que exige mais tempo de apresentação do artista.


Fone de ouvido 2 Diferente da conta oficial da prefeitura, onde Vanessa da Mata, atração da noite de sábado (18), terá cachê de R$ 165 mil; e a banda Psirico de Márcio Victor, R$ 120 mil pelo show na noite de domingo (19), o que chama a atenção são os blocos locais e suas atrações "top".


Fone de ouvido 3 Um desses blocos, com camisa sendo vendida a R$ 60, terá como atração no seu desfile de domingo (19), o grupo Parangolé do cantor Tony Salles. Não se sabe qual será o cachê do marido da ex-Tchan Scheila Carvalho para a apresentação nos cerca de 2 quilômetros da passarela de Arembepe. No carnaval de Salvador, Tony Salles recebeu mais de 200 mil por dia de apresentação.


Fone de ouvido 4 Outro com cachê gordo bancado pelo governo do estado no carnaval de Salvador e presença confirmada puxando outro bloco no domingo de Arembepe é o cantor Filipe Escandurras. O autor dos sucessos  "Lepo Lepo" e  "Fui Fiel"  recebeu R$ 240 mil por duas participações no carnaval da capital.


Fone de ouvido 5 Na magia da festa de Arembepe, onde a matemática do financiamento das atrações é sempre um mistério, o cantor Lincoln não poderia ficar de fora. O artista vai animar o bloco apadrinhado pela primeira-dama do município,sábado (18). Lincoln, que saiu do carnaval direto para a UTI, por excesso de trabalho, recebeu cerca de R$ 110 mil por dia de show na festa de Salvador.


Fone de ouvido 6  Longe de ser um evento capaz de contemplar as várias linguagens culturais, com a consequente atração de um público mais diversificado e seus reflexos diretos na economia da localidade, e no fortalecimento da cultura local, o atual formato do chamado festival de Arembepe segue na contramão. Uma dessas constatações de que algo precisa ser feito é a ausência dos grandes comerciantes na festa. Restaurantes e até pousada, referências na localidade conhecida mundialmente pelas suas belezas naturais e a aldeia hippie, vão fechar durante os quatro dias de festa.


Compromisso O alcaide Antonio Elinaldo (União) precisa ser transparente com os projetos de requalificação de trechos da orla do município. Quais são as propostas de urbanização da área da lagoa das Virgens, em Itacimirim? Qual o modelo de portal definido pela prefeitura para Itacimirim, Barra do Jacuípe e Guarajuba, as três últimas localidades no trecho de orla do município?


Compromisso 2 Apesar de financiado com dinheiro da CAF (Corporação Andina de Fomento), com  contrapartida da prefeitura, projetos assinados pela secretaria de infraestrutura (Seinfra) são tratados como se fossem empreendimentos particulares. Segundo apurou a Coluna, projeto com o mesmo formato do portal de Guarajuba está previsto para as localidades de Barra do Jacuípe e Itacimirim.


Compromisso 3 O desrespeito é tamanho que sequer a base aliada do alcaide Elinaldo tem conhecimento dessas propostas. No sábado (11), o vereador Vaninho da Rádio (União) usou as redes sociais para denunciar o modelo de portal a ser construído em Guarajuba. Cobrou detalhes e falou do projeto com portaria que vai impedir a circulação livre da população, num total desrespeito à Lei.


Compromisso 4 Essas intervenções na orla, com avanço de barracas de grife sobre as areias das praias, uso de espaço público para fins particulares, e tentativas de transformar essas localidades em feudos de uma suposta elite não é novidade. Modus operandi se repetiu com o antecessor de Elinaldo, o antecessor do antecessor, e o alcaide que veio antes. Com o atual gestor municipal o velho modelo  apenas ganhou nova versão. Guarajuba é um desses exemplos mais significativos, como mostrou a Coluna de 20 de abril, notas Capitania 1,2,3 e 4 (Confira).


Ufa! Finalmente, os vereadores de Camaçari resolveram reduzir o escandaloso recesso parlamentar. Ajuste dos atuais 90 dias para 55 dias deixa mais próximo da vida real dos trabalhadores/eleitores com direito a apenas 30 dias de descanso anual, isso se for trabalhador com carteira. Cobrança antiga da população e da imprensa ganhou drible do presidente antecessor, que postergou a mudança sob o pretexto de incluir a medida na complexa reforma do Regimento Interno da Câmara. Redução das ´férias`dos 21 vereadores foi assunto do Camaçarico de 17 de março do ano passado (Confira).


Ufa! 2 Mirando seu currículo e de olho na vaga de pré-candidato a prefeito do seu grupo, em 2024, o atual presidente, vereador Flávio Matos (União), botou a mudança para andar com um simples projeto de resolução.


Ufa! 3 Com a redução do recesso parlamentar, que deve ser votada nos próximos dias, os trabalhos legislativos no plenário e nas comissões acontecerão de 2 de fevereiro a 17 de julho e de 1º de agosto a 22 de dezembro. Atualmente, as sessões acontecem de 15 de fevereiro a 30 de junho e de 1º de agosto a 15 de dezembro. Claro que nessa conta do recesso de começo de ano não entra a semana do carnaval. Na prática, os 55 sobem para 62 dias.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


13/3/2022 Fechamento: 14h21


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Coluna Camaçarico 8 de março 2023


Passaporte Quem não deve ter ficado nada satisfeito com a mexida na estrutura de turismo no estado foi o atual secretário estadual da pasta (Setur).  Maurício Bacellar Batista perdeu a queda de braço para o filho do ex-deputado Marco Medrado. Diogo Medrado, que já comandava com amplos poderes a Bahiatursa, agora rebatizada e anabolizada como superintendência de superintendência de fomento ao turismo do estado da Bahia (Sufotour), vai continuar a organizar a festança.


Passaporte 2 Tido como apadrinhado da ex-primeira-dama Aline Peixoto, Diogo Medrado não vai apenas coordenar as ações do calendário de festas que inclui ações no carnaval de Salvador, cidades do interior, e o São João em todo estado. Também fica longe do secretário Mauricio Bacellar o melhor da festa: o comando na definição e negociações das atrações.


Passaporte 3 Na política desde os anos 1980, o filho do ex-vereador Amélio Batista e irmão do deputado federal João Bacellar (PV) foi candidato a prefeito de Camaçari nas eleições de 2012 com o nome ´Maurício de Tude`, numa referência ao seu então padrinho político, o três vezes alcaide e atual vice-prefeito José Tude (União). Perdeu para o então petista Ademar Delgado. Também tentou sem sucesso uma vaga na Assembleia Legislativa em 2014. Em 2016 brigou por uma cadeira de vereador, mas seus pouco mais de mil votos não foram suficientes para garantir uma das 21 vagas do Legislativo de Camaçari.


Carona O ex-alcaide e novo comandante da superintendência de trânsito e transporte público do município (STT), Helder Almeida (União), garantiu o seu pupilo na pasta da administração (Secad). Com André Anilton, que era seu subsecretário na Secad, jogando de titular, Almeida retoma parte do poder que possuía no começo da primeira gestão do correligionário Antonio Elinaldo (2017/2020).


Carona 2 Em seu discurso de posse na nova função, segunda-feira (6), Helder Almeida cobrou do governador Jerônimo (PT) uma ajudinha na aquisição de ônibus elétricos para a nova rede municipal de transportes que ele começa a implantar. A montadora chinesa BYD é uma das maiores fabricantes de ônibus elétricos do mundo e negocia a aquisição da área que foi usada pela americana Ford em Camaçari até o começo de 2021.


Sombra Nessa ´dança das cadeiras` entre STT e Secad, o coronel Alfredo Castro não vai ficar no ponto e desamparado. O ex-titular da STT, amigo pessoal do vereador licenciado e atual titular da pasta de esportes (Sejuv), Jorge Curvelo (União), vai ocupar uma assessoria especial no gabinete do alcaide.


Currículo A imagem de republicano do ex-governador e agora ministro do governo Lula, Rui Costa (PT), segue sofrendo sérios arranhões. O seu projeto pessoal de assegurar à sua esposa, Aline Peixoto, um emprego vitalício no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), com salário de R$ 41 mil mensais, ganhou mais uma alfinetada da grande imprensa.


Currículo 2 Depois do editorial do jornal Folha de São Paulo, postado no dia 31 de janeiro (Confira), Rui volta a ser destaque negativo com manifestação de outro gigante da mídia brasileira, o jornal O Estado de São Paulo. Em editorial desta quarta-feira, dia 8 (Confira), o Estadão cita Rui e outros dois casos de nepotismo envolvendo aliados o presidente Lula e encerra com a indagação: “No caso envolvendo Rui Costa, há um aspecto especialmente desolador. O nepotismo não está sendo feito às escondidas, longe dos holofotes, em uma recôndita repartição pública. Ao contrário. É realizado à luz do dia. Um dos principais ministros de Lula está colocando sua mulher no TCM-BA e ninguém no governo vê nenhum problema. Ninguém se sente constrangido. Qual será o patamar ético dessa gente?”


Legenda  O vereador Dedel  Reis (Republicanos) não é suplente, como vem sendo nominado na transmissão da sessão do Legislativo de Camaçari pela TV Câmara. Dedel assumiu a titularidade em setembro do ano passado com a cassação do mandato do seu companheiro de legenda Val Estilos. Mesmo que fosse suplente no exercício do mandato, é vereador e ponto.


Legenda 2 Suplentes no exercício do mandato, são outros quatro vereadores. Dois pelo União: Vaninho da Rádio no lugar de Fafá de Senhorinho, atual secretaria da mulher (Semu) e Mar de Areias que substitui Jorge Curvelo, titular da pasta de esportes (Sejuv). Pelo PSDB, Gilvan Souza na vaga de Dr Elias Natan, atual chefe da saúde (Sesau) e Manoel Jacaré na vaga de Dilson Magalhães, titular da pasta de relações institucionais (Serin).


Referência História viva da política de Camaçari, o ex-vereador Jose Raimundo Mônaco é o aniversariante do dia. Dos 82 anos completados neste 8 de março, cerca de 50 são de vivência no mundo da política. Eleito em 1974 para o primeiro dos seis mandatos de vereador, sendo duas vezes presidente do Legislativo, Mônaco conhece como poucos a história do município e seus personagens.


Referência 2 Mesmo fora da política com mandato, Mônaco continuou mergulhado nos debates e dando importante contribuição. É de sua autoria um importante estudo sobre a história do Legislativo de Camaçari. Pesquisa engavetada pelos últimos presidentes precisa ser resgatada. Cabe ao atual, vereador Flávio Matos (União), materializar esse registro e mostrar que Camaçari tem memória. Um pouco dessa trajetória foi contada por Mônaco a esse editor, durante entrevista em julho de 2020 no YouTube (Confira). 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


8/3/2022 Fechamento: 15h16


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Camaçarico 1º de março 2023


Volante “Ou é um foguete, ou um tiro no pé”. A declaração dada ao Camaçarico pelo ex-alcaide Helder Almeida (União), reflete de forma clara a situação da gestão do correligionário Antonio Elinaldo que tem a missão de reativar o sistema de transporte por ônibus em Camaçari, se quiser se fortalecer na disputa sucessória de 2024.


Volante  2 Sobre sua ida para a superintendência de trânsito e transporte público do município (STT), para pilotar a missão, o atual titular da secretaria de administração (Secad) não esconde que o sucesso da empreitada, além de melhorar a imagem da administração, lhe cacifa como nome forte na disputa da sucessão do alcaide e companheiro de partido.


Volante  3 Mesmo sem o ´sim` do alcaide que preferiu desconversar durante encontro com a imprensa, no começo da tarde de terça-feira (28/2), na Câmara de Vereadores, operação de troca está encaminhada e não tem volta. Sem possibilidade de um ´duplo comando`, o problema agora é acomodar o coronel Alfredo Castro, atual gestor da STT, numa outra função.


Volante 4 Em conversa com o editor da Coluna, na mesma tarde de terça-feira, Helder Almeida reconhece as pressões dos motoristas do sistema de transporte por veículos pequenos, chamado de “ligeirinho”, das cooperativas e de outros setores envolvidos nesse lucrativo negócio. Na sua conta, as ferroadas desse vespeiro, que não serão pequenas, como mostrou o último Camaçarico (Confira), serão neutralizadas com a satisfação da população com a volta dos ônibus.


Volante 5 Decisão sobre a busca de uma saída para o sistema de transporte não foi por acaso. Veio com o freio de arrumação do Ministério Público. O atual sistema, onde ônibus é uma raridade, não possui gratuidade para idosos, exclui pessoas com deficiências, além de ter sua conta sem nenhum controle por parte do município, em especial o sistema de bilhetagem Camaçari Card. Foi o risco de ação civil por parte do MP, respaldada num termo de ajustamento de conduta (TAC) que se arrasta desde 2013, que assombrou o alcaide Elinaldo.


Volante 6 Mesmo com tudo por fazer, expectativa de Helder Almeida é botar as linhas para funcionar até o final do junho. Diferente das 60 linhas informadas em nota semana passada, desenho inicial começa pela sede com cerca de 20 linhas e 42 ônibus.


Volante 7  A aceitação da oferta do serviço por parte do empresariado e as condições de atratividade é outra conversa que vem sendo gestada. Mesmo reticente, a pista veio do próprio alcaide Elinaldo. Disse que para compensar a baixa lucratividade das linhas de passageiros, um problema em todas as grandes cidades, a prefeitura pode criar um inédito sistema que compense a empresa ou consórcio entregando a operação dos lucrativos serviços de transporte escolar e transporte universitário. De acordo com levantamento da Coluna os dois serviços, com cerca de 100 ônibus, representam uma despesa mensal para o município de R$ 2 milhões.


Volante 8 Conta que ainda não se sabe o tamanho, vai precisar de outras fontes de recursos. A Coluna apurou que o modelo inclui a criação de um fundo de transporte público, que precisa ser aprovado pela Câmara de Vereadores, para gerir as receitas vindas da cota de IPVA que o município tem direito, das taxas e multas oriundas do serviço de transporte e trânsito na cidade. Nessa equação que ainda está sendo calculada, entra ainda as receitas geradas com o Zona Azul. Prometida desde o começo da primeira gestão Elinaldo (2017/2020), a tarifação de estacionamento na região central da cidade deve implantar nos próximos meses.


Volante 9 Com a volta do buzu municipal, o sistema intermunicipal, outro desrespeito ao direito do cidadão de ter transporte  público, coloca na pista outro personagem e também peça importante na sucessão municipal do próximo ano. Com graves prejuízos para centenas de passageiros e para a microeconomia que se movimenta via ônibus em toda a Grande Salvador, operação das linhas entre a capital e Camaçari, responsabilidade do governo do estado, coloca ao volante o também ex-alcaide Luiz Caetano (PT), secretário todo poderoso do governo do companheiro Jerônimo.


Finalmente A acessibilidade para pessoas com dificuldades de locomoção ou portadores de necessidades especiais em todas as dependências do prédio do Legislativo de Camaçari vai virar realidade. A promessa foi feita na última terça-feira (28), pelo presidente da Casa. O vereador Flávio Matos (União) assegurou à Coluna, que cobra o equipamento desde março de 2021 (Confira), ainda na gestão do antecessor de Matos, que o elevador especial será instalado nos próximos meses.


Finalmente 2 Sem esse equipamento fundamental, parte da população fica impedida ou passa pelo constrangimento da desnecessária ajuda para acessar quase a metade dos 21 gabinetes dos vereadores localizados no primeiro andar do prédio.


Na mira  Como vem registrando a Coluna (Confira), o concurso público da Câmara de Vereadores de Camaçari dá mais um passinho para sua anulação. Apesar da demora, anúncio não deve passar de março. As evidências são grandes e se reforçam agora com uma segunda ação na Justiça. A primeira  ação está em fase final. Concurso também está sendo investigação pelo Ministério Público. Realizado no último semestre do ano passado, processo seletivo mobilizou cerca de 5 mil candidatos na disputa das 50 vagas em 13 cargos de nível fundamental, médio/técnico e superior, com salários que variam de R$ 1,4 mil a R$ 6,5 mil.


No limite  O  vereador Ednaldo Junior Borges (União) parece enfrentar dificuldades para entender a nova realidade e a sua função no Legislativo depois que deixou a presidência da Casa, em dezembro. Apesar de escolhido como novo líder do governo do alcaide e correligionário Antonio Elinaldo, o edil tem exibido sinais incontestáveis de desconforto.


No limite 2 Durante a sessão de abertura dos trabalhos da Câmara de Camaçari, terça-feira (28/2), o edil surpreendeu seus pares ao trocar de lugar e ir sentar ao lado dos três vereadores oposicionistas. Segundo apurou a Coluna, mesmo com assento marcado do outro lado do plenário, ao lado dos colegas de bancada governista, o vereador Ednaldo optou por fazer fronteira com o oposicionista Vavau Amorim (PSB), que divide com os petistas Dentinho do Sindicato e Tanger Cerqueira as três últimas cadeiras do canto antigovernista.


No limite 3 O estranho comportamento não é novidade e já vinha sendo comentado pelos colegas de Legislativo. O vereador não compareceu à reunião organizada pelo novo presidente Flávio Matos com todos os vereadores e imprensa, no último dia 15, num hotel da orla do município. Dos 21 vereadores, apenas Dedel (Republicanos), por motivos justificados, não se fez presente.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


1º/3/2022 Fechamento: 19h16


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Engrenagem O atual secretário da administração de Camaçari, Hélder Almeida (União) assume nos próximos dias a missão de devolver ao município um sistema de transporte por ônibus. Em crise desde o governo do antecessor Ademar Delgado (2013/2016), situação só fez piorar com a marcha à ré engatada a partir de 2017 pela gestão do atual alcaide Antonio Elinaldo (União).


Engrenagem 2 Sem controle e entregue a operadores clandestinos como o “ligeirinho” e outros serviços precários de transporte de passageiros interligando a sede, a orla e a zona rural, sistema vai precisar ser reconstruído do zero.


Engrenagem 3 Essa não será apenas uma missão de gestão. É a última cartada de Helder Almeida se quiser se manter na disputa para ser o nome da base governista na eleição para prefeito em 2024.


Engrenagem 4 Para cumprir a tarefa, Almeida substitui coronel PM Alfredo Castro, atual chefe da superintendência de trânsito e transporte público do município (STT). Ainda sem paradeiro definido, Castro vive uma situação nada confortável. Além de não conseguir impor um ritmo eficiente na gestão da STT, o ex-comandante geral da PM virou alvo de ação em tramitação na Justiça, como mostrou em janeiro do ano passado a Coluna (Confira). Ação, com decisões desfavoráveis a Castro, no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), agora aguarda decisão da Justiça de Camaçari.


Engrenagem 5 Helder, que foi gestor de Camaçari entre 2003 e 2004, não terá missão fácil, apesar de contar com algumas facilidades, como o conhecimento da estrutura da STT e posse de uma radiografia do setor. Afinal, o seu genrão Eduardo Barros foi diretor de trânsito e comanda desde fevereiro do ano passado a diretoria de transporte, tida como a ´02` na estrutura da STT.


Engrenagem 6 Em nota distribuída para a imprensa, na sexta-feira (17), Helder Almeida fala em implantar um “transporte regular no município em 90 dias” com a criação de cerca de 60 linhas só na sede, onde se concentra mais da metade dos 300 mil moradores do município. Comunicado não fala em número de ônibus, mas a Coluna apurou que serão necessários cerca de 100 ônibus para atender esse número de roteiros.


Engrenagem 7 Mesmo sem mostrar de onde sairão os recursos para iniciar o serviço, como remuneração da empresa, valor da tarifa, missão não vai ser fácil e exige coragem do alcaide Elinaldo para garantir as ações necessárias do auxiliar, reconhecido como focado e acostumado a cumprir desafios. Afinal, a retomada do sistema por ônibus vai mexer no esquema de transportes por veículos pequenos, conhecido como “ligeirinho”, além de outros ´atores` envolvidos nessa conta que não movimenta menos que R$ 10 milhões/mês com tarifas. De acordo com levantamento feito pela Coluna, caso o serviço seja mesmo implantado como se anuncia, uma parcela significativa dos cerca de 400 ligeirinhos que rodam diariamente na cidade vão voltar para a garagem.


Engrenagem 8 Ainda sem a clareza necessária, que o alcaide Elinaldo e seu novo  titulr da STT têm a obrigação de detalhar o mais breve possível, retomada do sistema por ônibus pode representar uma mudança ainda maior no atual serviço de transporte de passageiros.


Engrenagem 9 Dentro desse leque de possibilidades, não pode ser descartada a passagem com valor simbólico, ou até a ´tarifa zero`, quando o poder público banca toda a remuneração do sistema de operação das empresas prestadores do serviço. Já em aplicação em cidades do porte de Camaçari, modelo mexe num filão cheio de poderosos padrinhos na máquina municipal. Se bem executado vira conta de multiplicar no caixa de popularidade da gestão que soma ponto com a população.


Engrenagem 10 Com ou sem gratuidade, a gestão do alcaide Elinaldo vem colecionando equívocos no setor, com prejuízos imensuráveis para a população que sofre com transporte caro, inseguro e sem o devido controle do poder público. Isso sem falar na pontuação negativa para uma cidade sede de importante complexo industrial. Sem transporte público, Camaçari perde preciosos pontos na conta de atração de novos empreendimentos.


Engrenagem 11 Apesar de ter tido 6 anos para organizar e manter em operação o sistema de transporte por ônibus numa cidade sede de um dos maiores complexos industriais do planeta, Elinaldo preferiu olhar para o retrovisor. Só agora, pressionado pelo Ministério Público, o alcaide abandona o espelhinho. A 19 meses das eleições e menos de 670 dias para deixar o poder, Antonio Elinaldo vai precisar engatar a ´primeira`, acelerar e botar o buzu para andar. 


Amplificador  O rádio de Camaçari ganha nova atração a partir de março. Com microfone aberto, estilo ´fala povo`, programa vai ao ar pela Líder FM. Segundo apurou a Coluna, novo produto da FM 96.5 não apenas nasce com a chancela publicitária do governo do estado. Tem como padrinho o  secretário de relações institucionais do governo Jerônimo, e candidatíssimo ao 4º mandato de alcaide de Camaçari, Luiz Caetano (PT).


Reforço A OAB-Camaçari promove mais um avanço em defesa da cidadania e do cumprimento das leis. A subseção da ordem dos advogados, presidida por Eduardo Requião, lança nesta sexta-feira (24) a sua ouvidoria de acompanhamento de políticas públicas. Estrutura vai receber solicitações da população sobre serviços e a atuação das estruturas públicas de poder no município, seja Prefeitura, Estado ou União.


Necessário Uma consulta imperdível para quem sonha conquistar uma cadeira no Legislativo nas eleições do próximo ano é o e-Book Vereador 2024: Guia da Pré-Campanha de Sucesso. O cuidadoso trabalho do jornalista e publicitário Geraldo Honorato está disponível e pode ser baixado gratuitamente. Clique no link e confira as preciosas dicas. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


23/2/2022 Fechamento: 16h17


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 



Anterior | 1 2 |3| 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 | Próxima

Encontrado(s): 383 registros

Listando página: 3

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2024 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL