Busca:








Retrocesso O sistema de transporte intermunicipal entre Camaçari e Salvador segue de mal a pior. Situação fica ainda mais complicada para os passageiros com mais de 65 anos. Serviço prestado pela empresa de ônibus, que por ironia tem Avanço como nome fantasia, dá marcha ré e atropela diariamente o Estatuto do Idoso.


Retrocesso 2 Além de exibir um número deficitário de veículos para a grande demanda de usuários do roteiro Camaçari/Estação Mussurunga/Camaçari, a Avanço humilha velhinhos e velhinhas com restrições absurdas.


Retrocesso 3 Diferente das outras empresas que atendem roteiros na Grande Salvador, a Avanço impede que esses passageiros, com os mesmos direitos que os demais, utilizem os bancos comuns quando os exclusivos para idosos e portadores de necessidades especiais estão ocupados. O resultado é uma viagem de cerca uma hora num percurso de 40 quilômetros em pé.


Retrocesso 4 Humilhação tem o aval de quem deveria preservar os direitos da população. Conhecidos por exibirem na imprensa e nas redes sociais narrativas de desenvoltura e capacidade de articulação, o atual alcaide Antonio Elinaldo (União), e o antecessor e agora secretário do governo Jerônimo, o petista Luiz Caetano, seguem mostrando justamente o contrário. Não conseguem promover ações conjuntas entre município e estado. 


Fatia  Camaçari deve receber ao menos R$ 5 milhões em obras e serviços do Orçamento Federal com a rubrica da deputada federal Ivoneide Caetano (PT). Parcela dos cerca de R$ 13 milhões que a parlamentar terá direito de indicar ainda neste ano, corresponde aos 38.894 votos obtidos no município, quase 40% de um total de 105.885 votos em todo estado.


Fatia 2  Se o critério proporcional por base eleitoral for seguido, os cerca dos R$ 8 milhões restantes devem incluir Salvador e Santo Estevão, responsáveis cada um por pouco mais de 6 mil votos. Também devem levar uma talhada as cidades de Dias D`Avila, onde a petista conquistou 4 mil votos, e Lauro de Freitas (3 mil).


Fatia 3 Verba calculada em R$ 13 milhões é o naco que Ivoneide e outros 218 deputados federais novatos, eleitos em outubro passado, terão direito. Cota, com soma total de R$ 3 bilhões, foi acertada entre o presidente Lula (PT) e o comandante da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), como forma de adoçar os novos parlamentares que por lei não teriam direito a emendas no Orçamento 2023.


Bandeja Por falar bolo e fatias de poder, o governador Jerônimo (PT) tem como uma das suas prioridades a retomada da prefeitura de Camaçari. De olho nas eleições municipais de 2024, o governador já discute com sua base local um elenco de intervenções para fortalecer a oposição no eleitorado do município.


Bandeja 2 Segundo apurou a Coluna, agenda inclui obras de infraestrutura na região da Via Cascalheira (BA-531), inclusive com a retomada do projeto do transporte de massa por trilhos até o polo industrial. Bolo deve incluir outras benfeitorias que garantam condições ao atual secretário estadual de relações institucionais, Luiz Caetano, voltar ao poder pela 4ª vez.


Bandeja 3 Certezas na oposição e reticências na base governista. Do lado antipetistra apenas o atual secretário e ex-alcaide, Helder Almeida (União) se apresentou como pré-candidato. Estão na lista dos que são postulantes, mas continuam no armário aguardando a mão amiga do alcaide Elinaldo, os vereadores Flávio Matos, presidente da Câmara; e os colegas de Legislativo Doutor Elias Natan (PSDB), licenciado no comando da pasta da saúde; e Jorge Curvelo (União), também fora do plenário e cuidando da gestão da pasta de esportes.


Bandeja 4 Mesmo silencioso ou desconversando sobre a inclusão de seu nome, o três vezes alcaide e atual vice-prefeito José Tude (União), completa o leque de opções no time azul. O também candidato ao recorde de 4 mandatos só vai para a disputa se o cavalo passar selado`, diz uma fonte tudista da Coluna.


Glacê Como mostrou o último Camaçarico (Confira), trabalho no Legislativo de Camaçari só depois do carnaval. Pelo regimento, o recesso deveria acabar na próxima quarta-feira (15), mas as sessões plenárias só serão retomadas no dia 28 com a abertura dos trabalhos de 2023 e a tradicional fala de começo de ano do alcaide. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


13/2/2022 Fechamento: 16h45


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 

 







Camaçarico 7 de fevereiro 2023


Mais um nó O imbróglio sobre a revisão do plano diretor de desenvolvimento urbano (PDDU) de Camaçari ganhou nova instância e caminha para um desfecho desfavorável para o alcaide Antonio Elinaldo (União) e sua secretária de desenvolvimento urbano, Andrea Montenegro. Processo de licitação e contratação de empresa, orçado em R$ 7,7 milhões, agora vai passar pela lupa do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). O processo foi denunciado pela Coluna em março do ano passado (Confira) e novamente citado com as novas acusações de irregularidades divulgadas no Camaçarico de 4 de janeiro (Confira).


Pós-folia Apesar do regimento definir o dia 15 como fim do recesso da Câmara de Vereadores de Camaçari, volta aos trabalhos só deve acontecer depois que o último trio elétrico desligar o gerador. Resta saber se as sessões serão retomadas terça-feira, dia 28, com a tradicional fala do alcaide Elinaldo, ou se os 21 edis espicham as férias até a quinta-feira, 2 de março.


Pós-folia 2 Já o desfecho sobre o concurso para seleção dos 51 novos servidores da Câmara de Camaçari segue sem data. Contestado na Justiça, sob a lupa do Ministério Público, e com sua lisura chamuscada nas redes sociais (Confira), certame que envolveu mais de 5 mil candidatos aguarda a palavra final do presidente do Legislativo, vereador Flávio Matos (União). Expectativa é de que a decisão, segundo apurou a Coluna, se direciona para a anulação do concurso e deve ser anunciada em março.


Calibre Camaçari registrou em 2022 o menor número de assassinatos dos últimos 7 anos. Com as 11 mortes violentas informadas em dezembro, o ano passado fechou com 164 assassinatos. Número dos chamados crimes violentos letais intencionais (CVLI) em 2022 é menor que 2021 (216), 2020 (198), 2019 (198), 2018 (173) e 2017 (249).


Calibre 2 A Coluna esclarece que os números de dezembro foram obtidos através de pesquisa na Delegacia de Camaçari, já que desde o final do ano passado esses dados estão indisponíveis no site da secretaria de segurança pública (SSP-BA). Números apurados mensalmente até novembro, através da coleta de dados no boletim diário que a SSP, também conflita com informações prestadas pela pasta.


Calibre 3 Solicitados por e-mail no dia 10 de janeiro e só respondido no dia 2 deste mês, a SSP informa que Camaçari contou 119 assassinatos em 2022, portanto uma diferença de 45 registros comparados com os 164 apurados mês a mês pela Coluna.


Calibre 4 Ainda segundo a SSP, a Região Metropolitana de Salvador (RMS) registrou 565 assassinatos em 2022, enquanto que em todo o estado foram contadas 5.082 mortes violentas. Comparados com os 119 assassinatos informados pela SSP, município representou quase 20% dos registros na RMS.


Calibre 5 Caso o mesmo número da RMS seja usado como medida e comprado aos dados coletados durante todo o ano pela Coluna (565 X 164), percentual sobe e se aproxima dos 30%. Na proporção da conta geral da Bahia (5.082) X Camaçari (164), município representa pouco mais de 3% dos assassinatos no estado em 2022.


Massa cinzenta Camaçari segue longe de qualquer manifestação de intenção de se incluir nos festejos pelos 200 anos de Independência da Bahia. Apesar de fazer parte de tão importante momento da história, resgatada pelo pesquisador e historiador residente em Camaçari, Diego Copque, nos livros: “Do Joanes ao Jacuípe, uma história de muitas querelas, trensões e disputaas locais’ e “A presença do Recôncavo Norte da Bahia na Consolidação da Independência do Brasil”, as secretárias Neurilene Martins, da educação; Marcia Tude, da cultura; e Cristiane Bacelar, do turismo, seguem mirando outros desfiles.


Massa cinzenta 2 Enquanto a Camaçari do agora festejado como ´prefeito fitness` cochila com o resgate, a preservação e o compartilhamento da sua história, os vizinhos Dias D`Àvila, Mata de São João e Lauro de Freitas se exercitam. Articulam encontros, debates e querem ser incluídos no roteiro do Fogo Simbólico, uma das manifestações que precedem o grande desfile do 2 de Julho em Salvador.


Massa cinzenta 3 O descuido com a história não se resume ao governo municipal. Na oposição, a aridez de ações em defesa da história e memória de Camaçari também é marca. Um desses recentes exemplos de descuido foi o pedido de inclusão de Camaçari no roteiro do Fogo Simbólico. Feita ao governador Jerônimo (PT) pelo deputado estadual e também petista Junior Muniz, a Indicação simplesmente esqueceu de citar a fonte da pesquisa que fundamentou a sua solicitação. Pedido datado de 25 de janeiro, que a Coluna teve acesso, sequer menciona o trabalho do professor Copque, que no seu último artigo “Camaçari nas comemorações do bicentenário do 2 de Julho”, postado na seção Colunistas do Camaçari Agora (Confira), volta a cobrar ação das autoridades.


Confetes Inflada pelos resultados das urnas de outubro e apostando na sua capacidade de mobilização, os oposicionistas de Camaçari fazem festa pré-carnavalesca sábado (11). A concentração está marcada para às 15h, na praça Montenegro. Capitaneado pelo PT, o bloco rotulado de ´político-cultural` e batizado com o sugestivo “Pela Esquerda é Mais Gostoso” desfila até a praça da Gleba B. A produção do evento não informou se a festa terá rei momo, rainha ou coroação.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


7/2/2022 Fechamento: 16h23


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Camaçarico 30 de janeiro 2023


Lá e Cá A instalação de uma unidade da montadora BYD em Camaçari segue em modo “denghòu”, que em chinês quer dizer aguardar. O que parecia bem encaminhado com a Bahia, agora ganha um componente de dúvida com a entrada do governo do Paraná na disputa. O estado sulista se reuniu agora em janeiro com executivos da montadora e ofereceu a área da fábrica de motores da Stellantis, no município de Campo Largo, desativada no final do ano passado. 


Lá e Cá 2 Com esse jogo, os chineses alimentam o xiwàng (esperança) dos dois estados e ganha melhores condições de negociação.


Lá e Cá 3 Pelo visto, o protocolo de intenções assinado pelos chineses em outubro do ano passado com o governo da Bahia, envolvendo a área da antiga Ford, desativada em 2021, não é definitivo.


Lá e Cá 4 O projeto BYD, de uso das antigas instalações da Ford-Camaçari, prevê investimentos de R$ 3 bilhões com a geração de 1,2 mil empregos com a montagem de ônibus, caminhões e automóveis de passeio totalmente elétricos. Pacote também inclui uma unidade de produção de componentes para baterias de carros elétricos.


Mistério A ausência de Camaçari no Índice de Concorrência dos Municípios (ICM) 2022, da Secretaria de Acompanhamento Econômico (SEAE) do  Ministério da Economia (ME), continua sem explicação convincente. Segundo apurou a Coluna, nem a secretaria de governo (Segov), muito menos a pasta da fazenda (Sefaz) receberam qualquer comunicação sobre o estudo.


Mistério 2 Apesar da negativa do município, que promete buscar esse elo perdido, relatório do ICM-2022 (Confira), informa na página 15 que: “No dia 07 de abril de 2022, todos os 119 prefeitos foram notificados por meio do Ofício SEI nº 104787/2022/ME, sobre a participação do respectivo município na Edição 2022 do indicador.


Mistério 3 Como mostrou o Camaçarico na última edição (Confira), a prefeitura de Camaçari foi um dos 5 do país, de uma lista de 119 municípios a não responder o questionário. Estudo busca identificar cidades com maior capacidade de atração de novos investimentos e responsáveis por práticas gerenciais capazes de contribuir com a redução da burocracia e dos custos para se fazer negócio no seu território. 


Pecador  Depois de  dois anos de pandemia, a festa de Vila de Abrantes, em homenagens a São Sebastião, no próximo final de semana, não vai apenas exibir a nova praça da Matriz. Mesmo obrigada a refazer o projeto para reduzir os impactos visuais negativos num dos mais antigos sítios históricos do Brasil, como mostrou a Coluna (Confira), a prefeitura de Camaçari preferiu insistir no descompromisso ao ignorar a necessidade de requalificação total da área vizinha à quatrocentona igreja Espírito Santo. 


Pecador 2 Obras que consumiram mais de R$ 2,5 milhões simplesmente esqueceram de retirar postes e as perigosas redes elétrica e de telefonia que passam a poucos metros da fachada da igreja. Além do risco constante para os fiéis e visitantes, fiações nas proximidades de fachadas de prédios históricos, como é o caso do famoso templo construído pelos jesuítas em meados do século 16, são elementos condenados pela sua interferência visual.


Pecador 3 O projeto de requalificação da praça da Matriz, inaugurado no final de junho do ano passado,  também ignorou a necessidade de ordenar os pontos de vendas de alimentos e bebidas instalados na lateral do templo. Esquecer os pequenos comerciantes do local só atesta a precariedade do projeto que deveria requalificar toda a área.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


30/1/2022 Fechamento: 16h31


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Camaçarico 23 de janeiro 2023


Omissão  Apesar de ocupar uma posição estratégica no mapa econômico nacional e mundial, como sede de um dos maiores complexos industriais integrados do planeta, Camaçari segue sem fazer o dever de casa como deveria. A mais nova nota baixa veio com a ausência do município em responder as perguntas do Índice de Concorrência dos Municípios (ICM).


Omissão 2 Formulado pelo Ministério da Fazenda, o ICM-2022, que pode ser conferido no relatório de resultados (Confira), busca identificar através de um amplo questionário, formas de promover a concorrência com práticas que diminuam a burocracia e os custos de se fazer negócio no município.


Omissão 3 Da Bahia foram convocados os municípios de Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista e Camaçari. Diferente dos outros 3 conterrâneos baianos, a cidade comandada pelo alcaide Antonio Elinaldo (União) não respondeu ao questionário. De acordo com o estudo, que pontuou a atuação dos municípios detalhados em 9 capítulos, Salvador teve nota final de 543,91, Vitória da Conquista somou 519,81, e Feira de Santana aparece com 344,33.


Omissão 4 Só para efeito de registro, cidades nordestinas com tamanho populacional próximo de Camaçari responderam o questionário. Paulista (Pernambuco) somou nota 528,38, Caucaia (Ceará) alcançou índice 473,91, e Imperatriz (Maranhão) finalizou com pontuação de 483,26.


Omissão 5 Pesquisa que está na 2ª edição, busca saber como empreender no município, sua infraestrutura, legislação construtiva, liberdade econômica, concorrência em serviços públicos, relação na contratação entre iniciativa privada e poder público, e legislação tributária.


Omissão 6 Dos 119 municípios brasileiros de todos os estados e regiões do país enquadrados nesse perfil, com população acima dos 250 mil habitantes, Camaçari integrou a lista das 5 cidades brasileiras que não enviaram as respostas. Convocado pela primeira vez para compor o estudo Índice de Concorrência dos Municípios, Camaçari ficou ao lado de Campos dos Goytacazes (RJ), Cotia (SP), Embu das Artes (SP) e São João de Meriti (RJ) na relação dos que aparecem destacados com traço, quando deveriam exibir pontuações. 


Omissão 7 Como destaca na sua página na internet, o ICM “permitirá uma avaliação ampla e objetiva do ambiente de negócios dos municípios brasileiros, assim como a disseminação e a troca de experiências entre as cidades”. Coleta de dados também funciona como um instrumento de atração de investimentos estrangeiros e promoção de políticas públicas lideradas pelo Ministério da Economia, além de permitir o compartilhamento das melhores práticas com os demais municípios brasileiros.


Ducha O alcaide Elinaldo tomou literalmente um banho durante a lavagem em homenagem a São Francisco de Assis, padroeiro de Monte Gordo, na última sexta-feira (20). Cercado por servidores e professores do município, munidos de cartazes pedindo reajuste salarial, respeito e diálogo, o gestor de Camaçari terminou no meio de um aperto que não estava nos seus planos.


Ducha 2 Para piorar, o carro pipa da prefeitura, provavelmente cumprindo ordens de algum assessor aloprado, resolveu tentar dispersar o protesto usando jatos de água. Geralmente usada para o banho de resfriamento dos fiéis mais emocionados, a mangueira do poder dessa vez encharcou o alcaide e provocou efeito reverso com aumento da temperatura. 


Troca-troca O professor João Dão, importante liderança de Arembepe, é o próximo a oficializar sua migração para a base oposicionista. Segundo apurou a Coluna, ato oficial de adesão ao grupo liderado no município pelo ex-alcaide e secretário do governo Jerônimo, Luiz Caetano (PT), deve acontecer com desfile e pompas, durante a festa de Arembepe, na segunda quinzena de março.


Troca-troca 2 A ida do professor João Dão, que somou 960 votos pelo Cidadania, nas últimas eleições para vereador, não é apenas um descontentamento com a gestão Elinaldo. Acima de tudo é uma questão de matemática eleitoral. Seu principal reduto, Arembepe tem outros dois nomes de olho nos cerca de 9 mil votos do segundo maior colégio eleitoral da orla de Camaçari, depois de Vila de Abrantes, maior reduto de eleitores, atrás apenas da sede, com mais de 15 mil votos.


Troca-troca 3 No time dos caetanistas, o professor Dão vai enfrentar dois nomes de peso  na banda  governista. O vereador e candidato a reeleição, Deni de Isqueiro (União) e Fábio Lima (PP), atual sub-secretário da orla.


Troca-troca 4 O ano começou com a tropa oposicionista mostrando troféu retirado da prateleira governista. Adesão de Wagner Bispo, festejado pelos oposicionistas durante a lavagem de Monte Gordo, na última sexta-feira (20), é outra conta da conveniência política. Liderança da comunidade e ex-candidato a vereador pelo PSL, na base elinaldista, Wagner somou 532 votos nas eleições municipais de 2020. No colégio eleitoral de Monte Gordo, com cerca de 8 mil votos, Wagner vai enfrentar dois nomes de peso. Os suplentes de vereador no exercício dos mandatos, Vaninho da Rádio (União), 1.103 votos; e Manoel Jacaré (PSDB)  1.133 votos, que devem continuar na base governista.


Troca-troca 5 O pula pra lá, pula pra cá, e volta a pular novamente, infelizmente faz parte do processo político brasileiro. Nessa cama elástica, Camaçari tem mestrado, doutorado e pós-doutorado. Movimento deve se ampliar nos próximos meses, com tendência de fortalecimento da base oposicionista, agora com a máquina do governo federal e a manutenção do controle do estado.


Dor e Delícia O presidente do Legislativo de Camaçari, vereador Flavio Matos (União) começou seu biênio (2023/2024) experimentado a pior parte do poder. Convocar sessão extraordinária num dia e só apresentar a pauta de votação para a oposição, com os 6 projetos de Lei enviados pelo alcaide e correligionário Antonio Elinaldo, pouco antes do início da sessão, no dia seguinte, não foi um bom começo. Também não foi um bom exemplo o processo acelerado na montagem dos componentes das 13 comissões permanentes do Legislativo na véspera da votação dos pareceres dos mesmos projetos.


Dor e Delícia 2 O atropelo desnecessário, já que possui 18 dos 21 votos da Câmara, mostra que a articulação entre Legislativo e governo precisa melhorar. Para quem mira ser o nome do grupo na disputa sucessória de 2024, o equilíbrio é fundamental. Não basta apenas pilotar um orçamento de R$ 140 milhões nos próximos dois anos, que seguramente deixa o céu mais perto. Precisa garantir a confiança de todos os vereadores e mostrar para a cidade que tem espírito público e exerce a democracia, base fundamental para um gestor municipal. 


The voice O vereador Junior Borges (União) não está sozinho no desejo de ser o líder do governo na Câmara. Os governistas com histórico de fidelidade ao projeto do alcaide Elinaldo, Ivandel Pires e Dudu do Povo, ambos do Cidadania, também sonham com o posto. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


23/1/2022 Fechamento: 12h14


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 

Clique na imagem para ampliar






Camaçarico 17 de janeiro 2023


Mira O presidente do Legislativo de Camaçari, vereador Flavio Matos (União), começou a desmontar o circo de poder armado pelo antecessor e companheiro de legenda, Junior Borges. A primeira canetada é o projeto de lei, de autoria da Mesa Diretora da Câmara, que extingue a Fundação Vereador Dilson Magalhães.


Mira 2 Estrutura criada por Borges, em dezembro de 2021, para controlar toda a comunicação do Legislativo, inclusive contratação de produtoras e estruturas para tv e rádio, só aumentaria a gastança do dinheiro público. Com a mudança, os cargos voltam a ser definidos pelo presidente, que pode nomear e exonerar quando quiser, diferente o modelo da fundação, que assegurva período de mandato para os ocupantes dos cargos de direção. Estrago só não foi pior porque a fundação, desenhada com 80 cargos, não chegou a funcionar como planejou o antigo presidente.


Mira 3 Flávio Matos, que precisa economizar, começa seus dois anos de poder se deparando com “restos a pagar” de cerca de R$ 1,5 milhão deixado pelo antecessor. Segundo apurou a Coluna, Matos busca uma saída para a herança de Borges, de forma a não reduzir seu orçamento anual de cerca de R$ 70 milhões, com o pagamento de velhas despesas com fornecedores e terceirizados.


Mira 4  Buraco nas contas do Legislativo ultrapassavam os R$ 7 milhões e foram cobertos em parte por uma complementação de quase R$ 5 milhões feita pelo alcaide Elinaldo, no apagar do ano de 2022. Agora é aguardar os próximos movimentos do presidente. Flavio Matos vai precisar aplicar o princípio da transparência, se quiser comandar a Casa nos próximos dois anos sem as manchas da conivência e do descuido com o erário público.


Mira 5 Enfraquecimento de Junior Borges, que passou parte do processo sucessório estadual  exibindo  sinais de dúvidas sobre sua fidelidade ao grupo elinaldista, não deve findar com o esvaziamento do seu poder de empregabilidade. Riscos é que não faltam. Vão de perder participação no governo municipal, agora que não possui mais o poder da presidência, até de ficar inelegível, caso não consiga fechar suas contas.


Mira 6 Outro tiro, também de calibre considerável, que tem Borges como alvo, é a possibilidade, cada vez mais real, de anulação do concurso da Câmara. Patrocinado pelo ex-presidente no último dos quatro semestres da sua gestão, biênio (2021/2022), processo seletivo segue sob questionamentos na Justiça e sob a lupa do Ministério Público, como mostrou a Coluna (Confira). Concurso que mobilizou cerca de 5 mil candidatos na disputa das 50 vagas em 13 cargos de nível fundamental, médio/técnico e superior, com salários que variam de R$ 1,4 mil a R$ 6,5 mil, também vem passando por pente fino pela nova  gestão do Legislativo.


Mira 7 Além do pacote  do Legslativo, sessão também abre a porta para a aprovação de projetos apresentados pelo alcaide Antonio Elinaldo (União), que alteram estruturas na máquina municipal com a criação de cerca de 110 novos cargos comissionados em várias secretarias. Mexida no regime de previdência, estruturação da carreira de advogado e mudanças na Procuradoria também fazem parte dos 6 projetos de Lei enviados em regime de urgência na sexta-feira (13), mas só distribuídos aos vereadores nesta terça-feira.


Mira 8 Pacote de bondades inclui a criação da gratificação de 50% para os 21 coveiros dos 7 cemitérios do município e direito de licença a servidores efetivos para que posam frequentar cursos de graduação.


Mira 9 Para que esses projetos sejam aprovados vai precisar passar pelas comissões temáticas. Sem membros desde o final do ano passado, quando acabou o mandato dos antigos ocupantes desses colegiados, novas composições foram aprovadas em sessão extraordinária, realizada de forma virtual nesta terça-feira (17). Votação do pacote deve acontecer nesta quarta-feira (18). Antes de ir para a confirmação do plenário, já que o governo tem 18 dos 21 votos, projetos serão apreciados em modo´the flash`pelas comissões.


Mira 10 Apesar de ser parte interessada, os servidores, representados pelos sindicatos dos professores (Sispec), e dos servidores (Sindsec), nada, ou quase nada sabiam. De acordo com o presidente do sindicato dos professores, Sara Santiago, categoria  foi pega de surpresa. Sabiam apenas sobre a proposta de liberação de servidores para a realização de cursos. O editor tentou, mas até o fechamento da Coluna não conseguiu falar com o presidente do Sindsec, Edmilson Jesus.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


17/1/2022 Fechamento: 16h18


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Stand-by Na mira do Ministério Público e da Justiça, o concurso público da Câmara de Vereadores de Camaçari segue em modo espera. Depois do festival de questionamentos, como mostrou o Camaçari Agora e a Coluna Camaçarico (Confira), o novo presidente do Legislativo, vereador Flávio Matos (União) adota a cautela e segura a homologação das 50 vagas distribuídas em 13 cargos de nível fundamental, médio/técnico e superior, com salários que variam de R$ 1,4 mil a R$ 6,5 mil. 


Stand-by 2 Mesmo sem definição, processo seletivo gestado e realizado pelo antecessor de Matos, vereador Junior Borges (União), tem todos os requisitos para a anulação. Ainda segundo fontes da Coluna, vai ser muito difícil para o atual presidente da Câmara de Camaçari carimbar um concurso que mobilizou mais de 5 mil candidatos e virou notícia negativa na imprensa e postagens nada abonadoras nas redes sociais, pelo seu festival de estranhezas.


Cortejo O ex-vereador Téo Ribeiro é pré-candidato a prefeito de Camaçari. A jura foi feita sábado (7), durante a procissão do padroeiro São Thomaz de Cantuária. Currículo de presidente do Legislativo, secretário municipal e 5 mandatos de vereador garante ao ainda petista todas as condições de jogo. Aos pés do santo, disse à Coluna que não está nem lá, no time azul do alcaide Antonio Elinaldo, muito menos na equipe vermelha, liderada pelo ex-gestor municipal e atual secretário do governo Jerônimo, Luiz Caetano.


Cortejo 2 Outro que caminhou sob a sombra de São Thomaz, mas manteve distância do grupo de Caetano foi o vereador e companheiro de legenda, Dentinho do Sindicato (PT). Pelo visto, pecados  cometidos por ambos os lados, durante a campanha, ainda não foram perdoados. 


Cortejo 3 Divisão na outrora unificada base caetanista mostra que o chefe vai ter que acender algumas velas para trazer os ex-coroinhas de volta ao entorno do seu andor. Pacote que traz a luz precisa começar já, com as velas e incensos na montagem da máquina do novo governo estadual.


Cortejo 4 O rompimento do ex-vereador Jackson Josué, ex-presidente municipal do PT (2017/2018), e agora filiado ao Podemos, com o grupo do ex-alcaide Caetano (PT), condenou de vez uma amizade de década. Quem acompanhou a procissão teve a certeza de que o agora subsecretário de serviços públicos da gestão Elinaldo não divide o mesmo andor com o ex-alcaide Caetano, sob pena de derrubarem o santo.


Cortejo 5 A imagem do padroeiro São Thomaz não ficou sozinha na missa campal em seu louvor, na noite de sábado (7). Faixas colocadas estrategicamente na lateral das filas de cadeiras destacavam outros ´santos`, os da política.


Cortejo 6 Na sequência desse altarzinho improvisado, uma das faixas em homenagem ao santo reuniu as imagens do alcaide Antonio Elinaldo, ao lado do presidente do Legislativoe companheiro de legenda, o vereador Flávio Matos (União). Ainda na base governista, outra peça exibia a foto do vereador licenciado e atual secretário de saúde, Doutor Elias Natan (PSDB).


Cortejo 7 No mesmo patamar  também foram colocadas saudações ao padroeiro com fotos dos petistas Luiz Caetano, da deputada Ivoneide Caetano, e do vereador Tagner. Ainda na ala oposicionista, a novidade foi a imagem do desconhecido Ariel Souza, cristão novo da igreja caetanista e motivo de blasfêmia de alguns petistas.


Cortejo 8 Por falar em santo, andor e pecados, a praça Desembargador Montenegro, onde fica a igreja matriz do padroeiro São Thomaz de Cantuária, segue fora do rosário de ações da secretaria de serviços públicos. A chegada da procissão, no finalzinho da tarde de sábado (7), seguida pela missa campal, mostraram que a Sesp, comandada pela doutora Arlene Rocha, continua longe de cumprir a penitência da claridade que é sua obrigação.


Cortejo 9 A velha queixa de comerciantes e transeuntes ficou evidenciada com o precário sistema de iluminação da região, coração e centro da cidade. Pena que a secretária não apareceu. Deixou para o alcaide Elinaldo o pecado pelo descuido com o santo e com a Igreja Católica.


Troca O 12º BPM de Camaçari tem novo comandante. O tenente-coronel Roberto Melo Assunção substitui o também oficial da Polícia Militar e mesma patente, Fabrício Oliveira Silva. Solenidade será na próxima quarta-feira (11), às 10h, na sede do batalhão Dom Pedro I. O tenente-coronel Fabrício ficou cinco meses no cargo e foi antecedido pelo também Tc Andre Luis Cunha Campos, que ficou 15 meses no posto.


Panelão O sindicato dos jornalistas da Bahia (Sinjorba) realiza no próximo sábado (14) a sua tradicional feijoada. Confraternização da imprensa e amigos da liberdade de expressão acontece a partir das 12h no clube 2004, praia de Armação, em Salvador. Festa será animada pelos cantores Alice Moraes e Renan Pinheiro. O passaporte pode ser adquirido pelo whatsapp: 71 3321 1914. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


9/01/2022 Fechamento: 19h37


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Camaçarico 4 de janeiro 2023


Roteiro A novela em que se transformou o processo de atualização do plano diretor de desenvolvimento urbano (PDDU) de Camaçari ganhou mais um capítulo picante com o pedindo de anulação da licitação que definiu a empresa vencedora. Como mostrou a Coluna em março (Confira), a revisão da Lei que organiza o crescimento e o funcionamento do município nas áreas urbana, rural e industrial, não está apenas custando uma fortuna aos cofres públicos.


Roteiro 2 Denúncia feita pelo Camaçarico, sobre essa construção perigosa, só agora começa a mobilizar parte da sociedade organizada. Ação popular, datada de 28 de dezembro último, cita o alcaide Antonio Elinaldo (União), a secretária da pasta do desenvolvimento urbano (Sedur), Andrea Montenegro e o Consórcio AUR-IBDI, como personagens de uma estranha e nada republicana licitação de R$ 7,7 milhões para atualização do PDDU. 


Roteiro 3 De acordo com a denúncia protocolada na Justiça, na semana passada, pelo vereador Tagner Cerqueira (PT), o processo exibe sinais claros de superfaturamento do valor do contrato e direcionamento da licitação para assegurar a vitória do consórcio, que estranhamente só foi formado oficialmente depois da licitação.


Roeiro 4 Nesse dramalhão, em que se transformou tão importante projeto para a cidade, e onde só os cofres públicos e a população perdem, completam as desconfianças o conflito de interesses caracterizado pela participação de profissionais que formam o consórcio, como destaca a denúncia. Ligados ao mercado imobiliário e com participação em construtoras e incorporadoras, esses profissionais vão definir regras com as quais eles trabalham nos seus projetos construtivos em que atuam e precisam da aprovação da prefeitura através da Sedur. 


Roteiro 5 Numa sequência de cenas incompatíveis com os princípios da impessoalidade e moralidade administrativa, que regem a coisa pública, a denúncia mostra que, num claro propósito de lesar os cofres municipais, o valor orçado inicialmente para a execução do contrato ficou quase 14 vezes mais caro. Saltou dos R$ 628 mil, previstos em 2020, para R$ 8,5 milhões, conforme indicação no orçamento (LOA) deste ano. 


Roteiro 6 Como mostrou o Camaçarico, em março, o valor também destoa para uma cidade com 300 mil habitantes. Para se ter uma ideia, o PDDU de Salvador, com população 10 vezes maior, quase 500 anos de fundação, e muito mais complexidade histórica e urbana que Camaçari, custou cerca de R$ 7 milhões em 2016.  


Roteiro 7 Com o PDDU de Camaçari desatualizado desde 2008, quando a Lei Federal (Estatuto das Cidades) determina a sua revisão a cada 10 anos, só quem perde é a cidade e sua população. Nesses 14 anos de defasagem a organização do espaço urbano, com destaque para as questões da mobilidade urbana, muitos projetos estão sendo tocados  de forma desordenada e até considerados prejudiciais à cidade, segundo técnicos ouvidos pela Coluna.


Roteiro 8  Sequência de equívocos não parece ser por acaso. Mudanças na legislação sem o devido debate (Confira), destruição do patrimônio (Confira), e falta de compromisso com a preservação da rica história da cidade (Confira) completam esse perigoso roteiro que vem sendo denunciado pela Coluna.


Roteiro 9 Afinal, estamos falando de um território de 785 quilômetros quadrados, onde convivem próximos e até interligados a um dos maiores complexos industriais integrados das américas, 42 quilômetros de praias, rios, nascentes, lagoas, dunas, vegetação exuberante, e um nada desprezível sítio histórico/arqueológico.


Time novo Por falar em PDDU, a ex-secretária da Sedur, a doutora Juliana Paes, agora integra o governo do petista Jerônimo Rodrigues. A urbanista e especialista em planejamento urbano, responsável pelo início do processo de revisão do plano diretor de Camaçari, inclusive com o começo dos estudos e realização de audiências públicas, foi nomeada assessora técnica no gabinete do vice-governador Geraldo Junior (MDB).


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


4/01/2022 Fechamento: 11h49


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Novela Depois de muitos questionamentos, mudanças de datas das provas, anulação (Confira), e restabelecimento da sua validade, como mostrou o Camaçari Agora (Confira), a Câmara de Vereadores de Camaçari finalmente divulga o resultado do seu Concurso Público.


Novela 2 O que parecia ser um final feliz com a publicização da lista aprovados, concurso ganha novos capítulos e volta a ter sua lisura questionada. Segundo apurou a Coluna, o resultado não exibe apenas interrogações no preenchimento das vagas em algumas categorias e dentro do critério de cotas.


Novela 3 Concurso iniciado com as provas escritas dia 6 de novembro, volta às barras da Justiça. Segundo apurou a Coluna, além da Ação que questiona os prazos de realização do concurso, um novo pedido, datado do último dia 15, na Vara da Fazenda Pública de Camaçari, fala em “agressão à isonomia, à concorrência, à moralidade” e acusa indícios de fraude com a coincidência dos candidatos aprovados com as maiores notas serem servidores do próprio Legislativo e ligados ao presidente da Casa, vereador Júnior Borges (União). 


Novela 4 Divulgado nos sites da Câmara e do Instituto Seprod (Confira), responsável pela aplicação das provas e todo o processo seletivo, resultados deixam dúvidas sobre o preenchimento de vagas em 8 dos 13 cargos oferecidos. O Edital não esclarece quem vai ficar com as vagas garantidas através da Ampla Concorrência e das Cotas, quando os mesmos candidatos aparecem com as melhores pontuações nas duas listas. 


Novela 5 Nas duas vagas para Analista Contábil, o mesmo candidato aparece em 1º lugar nas duas cotas. A mesma situação se repete nas disputas, com o mesmo número de vagas, para Analista de Compras e Licitações, Analista de Controle Interno, e Analista de Tecnologia da Informação.


Novela 6 Já na disputa para Assistente Legislativo, com 13 vagas, sendo 8 para Concorrência Ampla, uma PcD (Pessoa com Deficiência) e 4 para Cotas, 4 candidatos aparecem classificados em Ampla e Cotas. Mesmas dúvidas se repetem nas classificações de Auxiliar Legislativo e Redator de Debates, com os mesmos candidatos aprovados nas duas cotas.


Novela 7 Outro exemplo que suscita ainda mais dúvidas está na disputa para uma das vagas com o maior salário do concurso (R$ 6.552,71). Na briga pelas duas cadeiras de Procurador Jurídico, uma pela Ampla e outra pelas Cotas, a interrogação é quem fica com a 2ª vaga, já que o mesmo candidato obteve a 1ª colocação em Ampla e Cotas. Com um lugar definido, resta saber quem fica com a outra vaga. O candidato classificado em 2º na concorrência Ampla ou o adversário também na 2ª colocação, só que no critério Cotas.


Novela 8 Capítulo fica ainda mais emocionante quando a lista mostra que os dois candidatos aprovados e disputando a única vaga são assessores diretos do presidente do Legislativo. Nomeados desde janeiro do ano passado, quando Junior Borges iniciou seu biênio (2021/2022) de poder, Iago Santos, com cargo de procurador chefe do Legislativo, foi aprovado em 2º nas Cotas, enquanto o seu concorrente na disputa, Lucas Biondi, também comissionado do Legislativo, só que com cargo de subprocurador chefe da Câmara de Vereadores, foi o 2º colocado pelo critério Ampla.  


Novela 9 Processo seletivo mobilizou cerca de 5 mil candidatos na disputa das 50 vagas em 13 cargos de nível fundamental, médio/técnico e superior, com salários que variam de R$ 1,4 mil a R$ 6,5 mil.


Novela 10 Com o espichamento da novela do Concurso, não se sabe mais quando, nem como vai acabar a superprodução que o vereador Junior Borges (União) gostaria de protagonizar seu capítulo final, com a posse dos aprovados, antes do fim de seu mandato como presidente do Legislativo, próximo dia 31.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


23/12/2022 Fechamento: 19h41


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Réquiem  Sem dinheiro para fechar as despesas de 2022, último ano do seu mandato na presidência do Legislativo de Camaçari, o vereador Junior Borges (União) vai ter que recorrer ao alcaide e correligionário Antonio Elinaldo. Segundo apurou a Coluna, ajudinha estimada em cerca de R$ 5 milhões, precisa chegar antes dos fogos do dia 31. 


Réquiem 2 Sem o help do alcaide, Borges deixaria um buraco para o sucessor, o companheiro de legenda Flávio Matos. Além da imagem negativa, seria canetado pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) por não honrar as despesas que precisam ser cumpridas dentro da sua gestão.


Réquiem 3  No jogo do poder, Borges até que tentou fazer pressão. Segurou a votação das contas 2020 da prefeitura e o orçamento de 2023. Desgastado politicamente e ciente de que a condenação pelo TCM implicaria na sua inelegibilidade, só restou o recuo. Para não ampliar ainda mais sua pontuação negativa na caderneta do alcaide, pautou as proposições, aprovadas de forma acelerada em duas reuniões extraordinárias, na quinta-feira (15), mesmo dia da sessão que elegeu a nova mesa e finalizou os trabalhos legislativos de 2022.


Réquiem 4  Sem esse dinheiro, Borges não apenas deixa de cumprir a lei que exige fechamento das contas. Quebra uma regra mantida pelos antecessores, todos efetuando o pagamento do 13º salário dos servidores do Legislativo até dia 10 de dezembro. Com a ajudinha de Elinaldo, a expectativa é de que o salário de dezembro seja pago até a chegada do papai noel.


Réquiem 5 Descontrole nos gastos leva o presidente Junior Borges a outra marca negativa. É o primeiro dos últimos 8 presidentes a não fechar as contas. Estão na lista dos que nem devolveram dinheiro, muito menos pediram ajudinha ao alcaide de plantão nos últimos 17 anos, os presidentes Bira Coroa, do PT (2005/2006); Luiza Maia, PT, (2007/2008 e 2009/2010); Zé de Elísio, PTdoB (2011/2012); Téo Ribeiro, PT (2013/2014); José Marcelino, PT (2015/2016); Oziel Araújo, PSDB (2017/2018); e Jorge Curvelo, União (2019/2020).


Réquiem 6  Agora é aguardar a gestão do presidente Flávio Matos para, em nome da transparência,  clarear esses gastos e os motivos de Borges não ter conseguido fechar as contas, apesar do orçamento deste ano somar mais de 72 milhões.


Requiém 7 Mesmo com a ajudinha do alcaide, que também não anda com as contas fechando como deveria, ano de 2023 não será de facilidades e holofotes para Borges. Segundo apurou a Coluna, o quase ex-presidente do Legislativo não deve ser aproveitado no primeiro escalão do governo Elinaldo. Sem secretaria e acostumado com a pompa do poder, vai tentar assegurar a liderança do governo na Câmara, única alternativa para driblar a desconfortável sensação de ser um simples vereador sem caneta e com assento na bancada lateral do plenário.


Réquiem 8  Alternativa, ainda não descartada, segundo avaliam figuras graúdas da política paroquial dos dois lados, é  esperar a virada do ano e se aproximar da órbita do governo do petista Jerônimo. Entraria na cota do vice-governador e amigo, o atual presidente do Legislativo de Salvador, até dia 31, Geraldo Junior (MDB). Geraldinho tentou levar Borges, ainda durante a campanha. Vai não vai, como mostrou o Camaçarico (Confira), terminou empurrando Borges para o purgatório. 


Expectativa O vereador Flávio Matos (União) assume em janeiro o comando do Legislativo de Camaçari. Com perfil aguerrido e defensor intransigente do governo do alcaide Elinaldo, Matos vai precisar mudar a vestimenta e assumir a roupa do equilíbrio como cabeça do Legislativo.


Expectativa 2 Os discursos duros e os embates com os adversários vão ter que dar lugar ao presidente de todos, defensor do Legislativo e da sua independência. Na nova missão vai precisar viabilizar o funcionamento da Casa, como manda a lei, facilitando inclusive o poder de crítica e sugestões de mudanças nos rumos na gestão defendidas por seus pares.


Expectativa 3 Não faltam exemplos de presidentes que acreditando no seu poder de onisciência, onipresença e onipotência se isolam com seu séquito inexperiente e terminam seguindo o caminho do buraco na política.


Expectativa 4 Nesse caminho de construção e distanciamento do isolamento burro, Flávio Matos não pode abrir mão de aula externa, apesar do guia próximo e de total confiança, o pai e vereador por 4 mandatos, José Matos. Nesse jogo complexo, ainda mais cheio de elementos, quando se soma seu desejo de ser o candidato a prefeito do grupo na disputa de 2024, o aconselhamento de correligionários mais experientes será fundamental para errar menos.


Expectativa 5 Para se viabilizar como o candidato de Elinaldo  do grupo, na disputa municipal de 2024, Flávio Matos vai precisar de muito jogo de cintura e ações efetivas que cacifem seu nome como a melhor alternativa. Não dá para negar que o comando de um orçamento, que ultrapassa os R$ 150 milhões nos próximos 24 meses, será uma grande ajuda. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


19/12/2022 Fechamento: 19h22


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Equívoco  O processo de condução do Legislativo de Camaçari, pelo vereador presidente Junior Borges (União Brasil), segue deixando um histórico de dificuldades e até comprometendo o funcionamento dos trabalhos da Casa. O mais recente imbróglio do presidente que encerra seus 2 anos de poder no próximo dia 31, foi a atualização do Regimento Interno do Legislativo e os seus reflexos na eleição da nova Mesa Diretora, biênio 2023/2024. 


Equívoco  2 Esse é mais um desgaste nesse final de mandato. Na semana passada, Borges até ensaiou aprovar as mudanças na Lei Orgânica do Município (LOM), tentando impor um cronograma ´the flash` com a realização de nada menos que 11 audiências públicas, num período recorde de menos de 12 horas, como denunciou o Camaçarico (Confira).


Equívoco  3 Sem discussão ampla, dúvidas sobre artigos atazanando boa parte dos vereadores, inclusive da base elinaldista, e sem prazos para sua votação, mudanças no Regimento Interno do Legislativo vão ficando para 2023. Votação para escolha da nova Mesa Diretora, em chapa única, acontece na próxima quinta-feira (15), data determinada pelo atual Regimento.


Equívoco 4 Sem aprovação do novo Regimento, a nova composição não tem validade e volta a ter apenas os cargos de presidente, vice-presidente, primeiro secretário e dois suplentes. Segundo apurou a Coluna, duas chapas foram montadas durante reunião dos vereadores governistas no sábado (10). Pelo atual regimento, que segue valendo, eleição desta quinta-feira confirma Flávio Matos (presidente); Niltinho (PSDB) na vice-presidência; Herbinho (União) na primeira secretária; Professora Angelica (PP) na segundo secretaria;  e os vereadores Dedel (Republicanos) e  Manoel Filho  (PDT) nas duas suplências.


Equívoco 5 Mesmo sabendo das dificuldades, da sua redução de poder de articulação e desgaste na base governista, Borges tentou acelerar o processo e apostar numa ginástica regimental que não aconteceu. Chegou a anunciar oficialmentre no sábado, a nova chapa com base no Novo Regimento. Pela nova composição, que deve ser adiada para a eleição do biênio 2025/2026, a Mesa Diretora terá um cargo a mais. Mesa seria formada por Flavio Matos (União Brasil) na presidência; e os vereadores Niltinho (PSDB), na vice-presidência; Ivandel Pires (Cidadania), na segunda vice-presidência; Dedel Reis (Republicanos), na terceira vice-presidência; Herbinho (União Brasil), como primeiro secretário; a Professora Angélica (PP), na segunda secretaria; e Manoel Filho (PDT), na terceira secretaria.


Love, Love Depois de muitos desentendimentos,  rompimentos e até ameaças de ´Serasa`, o ex-alcaide de Camaçari, Luiz Caetano (PT) volta às boas com o empresário e agora deputado estadual eleito, Raimundinho da JR (PL).


Love, Love 2 Segundo apurou a Coluna, composição é o que popularmente se chama de ´juntar a fome com a vontade de comer`. O atual secretário de relações institucionais do governo Rui, com cargo certo e poder ainda maior na gestão do sucessor Jerônimo, quer Raimundinho para fortalecer a base governista na Assembleia.


Love, Love 3 Já o empresário, conhecido pela sua capacidade financeira, sabe que a secura da oposição atrapalha seu sonho de disputar e vencer a eleição para alcaide de Dias D´Àvila, em 2024. Candidato a deputado estadual pelo PDT em 2018 e postulante na disputa pelo comando de Dias D’Ávila em 2016, Raimundinho foi eleito em outubro com 35 mil votos, sendo que 2,7 mil votos em D´Àvila. Com a segunda maior votação para estadual na cidade, Raimundinho acredita que chegou a sua vez.


Love , Love 4 Por falar em Caetano, o 3 vezes alcaide de Camaçari deve seguir instalado no 3º andar. Confirmada sua permanência no mesmo pavimento do governador Jerônimo, pastas disponíveis são a das relações institucionais (Serin) e Casa Civil. No jogo de ganha mais, a Serin é tida como menos burocrática e com mais espaço para atuar junto ao gov, sem perder o foco em Camaçari.


Calibre Camaçari registrou em novembro o menor número de assassinatos deste ano e o menor dos últimos 6 anos. De acordo com números disponibilizados pelo site da secretaria de segurança pública (SSP-BA) foram 5 mortes violentas em novembro. 


Calibre 2 Na comparação com novembro do ano passado foram 5 registros a menos (10x5), 15 a menos em relação a 2020, 20 abaixo de 2019, 9 a menos na comparação com novembro de 2018, e 20 abaixo dos 25 assassinatos registrados em 2017.


Calibre 3 Os 153 registros computados pela SSP no período janeiro/novembro 2022 também foram os menores nos 6 últimos anos.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


12/12/2022 Fechamento: 17h31


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 

 







Camaçarico 8 de dezembro 2022


Recuo Depois da tentativa de discutir mudanças na Lei Orgânica Municipal (LOM) em 11 audiências públicas, num período recorde de menos de 12 horas para apreciação e debates, como denunciou a Coluna (Confira), o presidente da Câmara de Camaçari, vereador Junior Borges (União), caiu na real e empurrou a pauta para 2023.


Recuo 2 Segundo apurou o Camaçarico, a nova configuração do processo de revisão da LOM terá mais debates e a apresentação prévia das propostas. No modelo abortado na terça-feira (6), as entidades convidadas, como a OAB-Camaçari, nada sabiam sobre o teor das sugestões, já que não receberam previamente, para leitura e conhecimento mais detalhado, o estudo feito pelo Legislativo. Segundo nota postada no site da Câmara, as propostas foram aprovadas pela comissão especial de revisão da LOM, formada pelos vereadores Gilvan Souza (PSDB), Dr. Samuka (Cidadania), Tagner Cerqueira (PT) e Ivandel Pires (Cidadania).


Avanço Já a proposta de mudança do Regimento Interno da Câmara de Vereadores segue firme. Uma nova reunião será realizada segunda-feira (12). Expectativa do presidente Borges é entregar e festejar as mudanças modernizadoras antes do apito final da sua gestão, dia 31 de dezembro.


Delay Oito meses depois do alerta do Camaçarico, o projeto de contratação da empresa encarregada pela atualização do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU), finalmente começa ser esmiuçado por parte da Câmara de Vereadores. Já com pedido de investigação protocolado no Ministério Público, questionamentos seguramente vão ampliar as dores de cabeça do alcaide Antonio Elinaldo (União) e da sua auxiliar e responsavel direta pelo PDDU, a titular da pasta do desenvolvimento urbano (Sedur), Andrea Montenegro.


Delay 2 Como mostrou a Coluna em março (Confira), a revisão da Lei que organiza o crescimento e o funcionamento do município nas áreas urbana, rural e industrial, não está apenas custando uma fortuna aos cofres públicos. Afinal, são quase US$ 2 milhões vindos do pacote de empréstimo de US$ 80 milhões, feito em 2018 pela prefeitura de Camaçari, junto à Corporação Andina de Fomento (CAF), também conhecido como Banco de Desenvolvimento da América Latina.


Delay 3 Sem atualização desde 2008, quando a Lei Federal (Estatuto das Cidades) determina a sua revisão a cada 10 anos, PDDU de Camaçari está com 14 anos de defasagem. Processo de revisão, iniciado com estudos e audiências públicas na gestão da ex-secretária Juliana Paes, vai muito além do custo financeiro e não se horizontaliza apenas na questão do espaço urbano. Afastada do cargo em 2020, a doutora Juliana, que é urbanista e especialista em planejamento urbano, foi para a Justiça cobrar reparação. Segundo fontes da Coluna, ação promete render novos capítulos, inclusive com reflexos na sucessão do alcaide  Elinaldo.


Delay 4 Além do alto custo do projeto de revisão, singularidades de Camaçari potencializam os prejuízos com o atraso da conclusão de tão importante projeto. Crescimento populacional acelerado e consequente avanço desordenado da macha urbana são apenas alguns desses agravantes. Completam esse conjunto de complexidades, um território de 785 quilômetros quadrados onde convivem próximos e até interligados a um dos maiores complexos industriais integrados das américas,  42 quilômetros de praias, rios, nascentes, lagoas, dunas, vegetação exuberante, e um nada desprezível sítio histórico/arqueológico.


Delay 5 Um exemplo prático da necessidade de atualização do PDDU e os seus reflexos no atraso de sua revisão é a mobilidade urbana. Vivendo um verdadeiro caos, onde a população se arrisca em sistemas precários de locomoção, Camaçari segue longe de entender, regular e disciplinar o seu transporte público.


Delay 6 Apesar do silêncio e da omissão de quem é pago e eleito para defender a cidade, a Coluna   nunca abriu mão do seu compromisso de informar ao leitor. Questionou ações equivocadas, como mudanças na legislação sem o devido debate (Confira). Denunciou a destruição do patrimônio (Confira), ou cobrou descompromisso com o respeito e preservação da rica história da cidade (Confira).


Delay 7 Provavelmente movidos pelos novos ventos, vindos com a eleição do presidente aliado, e reforçados pela permanência do seu grupo no comando da máquina estadual, antigovernistas municipais azeitam o discurso de olho na disputa paroquial de 2024. Muito mais por força da gravidade da política, que precisa se conectar ao novo eleitor das redes sociais, debate sobre a questão ambiental, sobre a mobilidade, e sobre a ocupação do espaço urbano tendem a ganhar mais força. Bom para Camaçari.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


8/12/2022 Fechamento: 17h05


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Apressados A Câmara de Vereadores de Camaçari segue inovando e realiza nesta terça-feira e a amanhã, dia 7, nada menos que 11 audiências públicas para discutir mudanças na Lei Orgânica Municipal (LOM).


Apressados 2 Como se a LOM fosse uma simples Lei específica, que pode ser discutida e aprovada de forma menos complexa, o Legislativo de Camaçari mostra despreocupação e visão equivocada, quando  deveria ser o guardião da Lei maior da cidade.


Apressados 3 Esse estranho e acelerado processo conta com o aval do presidente do Legislativo, vereador Junior Borges (União), cuja gestão (biênio 2021/2022) que se encerra no próximo dia 31, e foi responsável pela contratação do escritório de advocacia formulador do estudo.


Apressados 4 Mesmo sem entregar para entidades,  com antecedência para  leitura e análise do  documento elaborado pela empresa especializada, o presidente Borges acredita ser possível discutir com entidades da sociedade civil, temas complexos como: “Organização do Município”, “Tributação e o Orçamento Municipal”, “Política de Mobilidade Urbana”, “Ordem Social do Município”, “Cultura, desportos e Lazer” e “Turismo”.


Apressados 5 Para se ter uma ideia do processo equivocado, cada audiência terá uma média de 60 minutos para discussão. Nesse primeiro dia serão 7 audiências. Amanhã, até o meio dia, serão realizadas as 4 restantes.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


6/12/2022 Fechamento: 10h


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Tempero  O encontro de um grupo de vereadores com o alcaide de Camaçari, sábado (26), na casa do secretário de relações institucionais, vereador licenciado Dilson Magalhães (PSDB), pode não ter sido um ato de desagravo ao presidente  municipal do União Brasil, secretário da pasta da administração (Secad), e ex-gestor de Camaçari, Helder Almeida. Mas ajudou a quebrar o desconforto gerado pela fala de Antonio Elinaldo durante inauguração da praça do Papagaio.


Tempero 2 Reunião na paradisíaca praia de Guarajuba, orla de Camaçari, apesar do caráter mais amplo de confraternização dos vereadores, serviu para reafirmar a pré-candidatura a prefeito do titular da Secad. Mesmo esquecido pelo alcaide, como registrou a Coluna (Confira), Helder garante que seu nome está posto e nega qualquer lapso do aliado.


Tempero 3 Diferente da cozinha oposicionista do chef Luiz Caetano (PT), onde os ingredientes aparecem praticamente escolhidos, a panela governista segue vazia. Segundo apurou o Camaçarico, o chef Elinaldo nada falou sobre sua receita de candidato durante o encontro, iniciado com a presença dos vereadores da base governista. Definição não deve acontecer antes do primeiro semestre de 2023.


Tempero 4 Acostumado com os temperos e ciente de que o processo de cozimento da candidatura a alcaide deve começar logo, Helder Almeida manipula seus ingredientes e já conta com o apoio explícito de dois vereadores: Jamesson e do anfitrião do almoço, Dilson Magalhães. Lista é maior e engorda com outros 5 vereadores, garantem fontes da Coluna.


Tempero 5 Também aparecem juntando ingredientes na cozinha governista, os vereadores Doutor Elias Natan (PSDB), licenciado e no comando da secretaria de saúde (Sesau); Flavio Matos (União), que deve ser escolhido presidente do Legislativo, biênio 2023/2024, no próximo dia 15 de dezembro, e o colega de partido, licenciado do mandato e atual titular da secretaria e esportes (Sejuv), Jorge Curvelo (União). Fecha a lista com chances reais, seja pelos critérios capacidade de agregar apoios e confiança, o atual vice-prefeito José Tude. Coincidência ou não, nenhum dos 4, apesar de convidados, apareceu para comer o feijão.


Tempero 6 Feijoada de final de ano, preparada por D. Edmêe Magalhães, que o atual secretário da Serin manteve a tradição do pai, o ex-vereador Dilson Magalhães, falecido em dezembro de 2014, registrou quórum qualificado com 14 dos 21 titulares do Legislativo, inclusive com a presença de 2 dos 3 representantes da oposição, além de lideranças. Sem definição sobre nomes, confraternização teve como destaques, além do cardápio, a performance do vereador Doutor Samuka (Cidadania), que deu um show de voz e violão.


Queridinho Quem anda de bola cheia com o governador eleito é o titular da secretaria de relações institucionais (Serin) do governo Rui Costa, o 3 vezes alcaide de Camaçari, Luiz Caetano. O petista que colou em Jerônimo, mostrou serviço na coordenação da campanha e ganhou a confiança do novo chefe, tem vaga garantida no primeiro escalão a partir de janeiro. Pode ficar na Serin, ir para a Casa Civil, ou pode até ocupar outro posto. Resta saber se vai querer ficar longe do ´gov`, onde tudo é mais rápido, fácil e flui melhor.


Queridinho 2 Já falando grosso, Caetano defendeu no último sábado (26), durante plenária ampliada do PT, em Salvador, a construção do projeto 100 prefeituras em 2024. Atualmente a legenda comanda 30 cidades. Vai ter que começar a fazer o dever pela própria casa, onde perdeu as duas últimas disputas e não mostrou números animadores no embate de outubro entre ACM Neto X Jerônimo.


Travados Com pouco mais de dois meses de inaugurado, o Museu de Camassary segue inacessível para cadeirantes, idosos, outras pessoas com dificuldade de locomoção. O motivo do desrespeito está na capacidade da titular da secretária de infraestrutura (Seinfra), Joselene Cardin, de cumprir a Lei.


Travados 2 Apesar de possuir rampas de acessibilidade dentro dos padrões, equipamento instalado na antiga estação de trens, coração da cidade, não se conecta aos dois lados das pistas da Avenida Eixo Urbano. Como mostrou a Coluna (Confira), museu segue ilhado graças às rampas, que mesmo  recuperadas recentemente, seguem fora dos padrões determinados pela Lei Federal sobre acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos.


Travados 3 Empurrão contra direitos elementares conta com o aval do alcaide Antonio Elinaldo (União Brasil), que apesar de gostar de festejar entrega de cadeiras de rodas, não consegue colocar sua secretária no prumo. Também contribuem com a inexplicável omissão, quando deveriam agir para corrigir essas e outras inclinações, o Ministério Público e a Ordem dos Advogados de Camaçari–OAB Camaçari.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


28/11/2022 Fechamento: 17h30


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Vernáculo Afinal, o ex-alcaide e atual secretário de administração, Helder Almeida, está ou não está fora da disputa pela pré-candidatura a gestor de Camaçari, no pleito de 2024?  A dúvida veio com a manifestação do próprio alcaide. No seu discurso, sexta-feira (18), durante a inauguração da nova praça do Papagaio, em Jauá, Antonio Elinaldo alimentou a confusão e gerou dúvidas ao dizer: “Eu tenho certeza que o futuro prefeito ou prefeita dessa cidade está aqui nesse palanque”. Afinal, o alcaide foi econômico e  citou ´nesse palanque` de forma ampla, como sua base de apoio na disputa contra seu adversário, o candidato do PT? Ou foi um ato falho?


Vernáculo 2 Em viagem de descanso, segundo apurou a Coluna, portanto com ausência anunciada, o secretário Helder Almeida, não é um nome que deve ser esquecido nessa fase de indefinições e definições. Mesmo que não seja o preferido do alcaide, o presidente municipal do União Brasil tem histórico e capacidade de articulação. Foi o formulador da engenharia política que construiu a bancada de oposição, com o então vereador Elinaldo, e avançou na construção da candidatura vitoriosa para prefeito em 2016.


Vernáculo 3 Presentes e com chances reais no palanque, o líder do governo e presidente do Legislativo a partir de janeiro, vereador Flavio Matos; o companheiro de legenda e secretário de esportes, vereador licenciado Jorge Curvelo; o ex-alcaide e atual vice-prefeito, José Tude, todos do União Brasil;  e o médico e  secretário de saúde, vereador licenciado Elias Natan (PSDB).


Vernáculo 4 No rol das lideranças femininas, a citação ´prefeita` foi uma referência direta para a titular da pasta de desenvolvimento urbano (Sedur). A doutora Andrea Montenegro não tem economizado munição para se manter nos holofotes, mesmo sabendo que as chances são poucas. De qualquer forma, segue reforçando o plabo B, com uma candidatura ao Legislativo.


Vernáculo 5 O palanque do papagaio estava cheio dos que se imaginam qualificados para ser a cabeça da chapa governista. Afinal, é livre o sonho de se achar dotado de capacidade de voo, poder de aglutinar, credibilidade e confiança.


Atenção O alcaide não tem se mostrado cuidadoso apenas com as palavras. A eficiência da sua própria segurança foi posta em dúvidas na noite de quinta-feira (10). Tentativa de assalto, segundo informou sua assessoria em nota, mostrou o relaxamento com a sua segurança. A Coluna apurou que o gestor seguia pela Via Parafuso num único veículo, portanto sem um segundo carro de apoio, natural e necessário.


Vigilante A nova diretoria do sindicato dos professores de Camaçari promete marcação cerrada. Com posse marcada para o próximo dia 10 de dezembro, a presidente do Sispec, professora Sara Santiago, não vai descuidar da luta em defesa da aplicação do plano de cargos e salários e do pagamento dos precatórios. Ainda na Justiça, grana gorda  se aproxima dos R$ 100 milhões. Com juros e outros penduricalhos, bambá pode ser multiplicado por 6.


Vigilante 2 Outro grupo de trabalhadores do município que promete tirar o atraso é o dos servidores. Depois de redesenhar a forma de luta da categoria, com ações concretas e de fortalecimento da categoria, Sindsec ataca por setores. Discute agora com os coveiros formas de pressão por melhores condições de trabalho.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


21/11/2022 Fechamento: 14h20


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 

 







Reprovado  O projeto quiosquelândia do alcaide de Camaçari segue firme, forte e desconstruindo conceitos que o poder público deveria respeitar e até ampliar. Depois de tentar atropelar o patrimônio histórico e ser obrigado a recuar nas obras de requalificação da praça da Matriz, em Vila de Abrantes (Confira), projeto de construção de novos quiosques para atender protegidos políticos avança sobre outra área nevrálgica e agora ameaça a saúde de centenas de jovens.


Reprovado 2 Seguindo essa lógica de altíssimo teor de descuido, o município inaugura nos próximos dias a nova praça do bairro Novo Horizonte. O que chama a atenção do projeto da  secretaria de infraestrutura (Seinfra) é a proximidade dos pontos de venda de bebidas alcoólicas das escolas municipais Ilay Ellery e Padre Paulo Tonucci.


Reprovado 3 Provavelmente inaugurando uma nova pedagogia, onde bebidas e jovens têm tudo a ver, a prefeitura construiu esses pontos a menos de 15 metros e de frente da portaria da escola Ilay. Reforça ainda mais essa estranha situação de perigo para um grande número de jovens e adolescentes, a proximidade da Padre Paulo, que faz limite lateral com a praça que não soma 2 mil metros quadrados.


Reprovado 4 Compromisso com os apoiadores eleitorais e descuido com conceitos sobre educação e proteção é antigo, atravessa gestões, e aprece não ser pauta dos conselhos tutelar e municipal dos direitos da criança e adolescente. Só para ficar num exemplo simbólico, a praça da Simpatia, construída e inaugurada na gestão do alcaide Ademar Delgado, hoje rebatizada de Dra. Lúcia Eugênia, é outro espaço com pontos de vendas de bebidas alcoólicas no caminho dos alunos da Casa da Criança e do Adolescente e da Cidade do Saber. 


Vestibular  Quem também andou tirando nota baixa e caminha para uma derrota na eleição para o comando do  sindicato dos professores de Camaçari (Sispec) é a  atual presidente e candidata à reeleição, professora Marcia Novaes (Chapa 2). Confirmados todos os prognósticos que a Coluna teve acesso, disputa que acontece quarta e quinta (16 e 17) deve ser vencida pela concorrente, Sara Santiago (Chapa 1).


Vestibular 2 Briga pelo comando do Sispec nos próximos 4 anos (2023/2026) não sai do PT. Apenas muda de protagonismo, com a retomada do comando pelo grupo do ex-prefeito Luiz Caetano. Racha envolvendo a estrutura do Sispec ficou desenhado de forma clara já na disputa para a Câmara Federal. A atual presidente apoiou Marta Rodrigues, vereadora de Salvador e irmã do governador eleito Jerônimo Rodrigues, enquanto a oposição reforçou a advogada Ivoneide Caetano, que ao contrário de Martinha, conseguiu uma das 39 vagas da bancada baiana no Congresso.


Vestibular 3 No perde e ganha, também saem derrotados o deputado Bira Coroa, não reeleito, o ex-vereador José Marcelino, e o ex-secretário de educação dos últimos dois governos de Caetano, Valter Lima.  Na listinha dos vencedores o destaque é o professor Márcio Neves, ex-secretário de educação na gestão Ademar Delgado; a liderança da CUT da região metropolitana, Josué Pereira; os vereadores Tagner e Dentinho do Sindicato, e a jovem liderança petista Caique Ara.


Lá e Cá Depois dos alinhamentos em níveis federal e estadual, com confirmação de presença nos grupos de transição e, provavelmente, participação nos governos Lula e Jerônimo, o PSOL de Camaçari aparece como a bola da vez. A dúvida já ronda setores da política e se reforça com a campanha considerada ´light` do candidato a alcaide pela legenda, em 2020, Sócrates Magno.


Lá e Cá 2 Com a possibilidade de eleições em dois turnos, como mostrou a Coluna (Confira), uma composição do PSOL local com o grupo comandado pelo petista Luiz Caetano, provável nome na disputa com o sucessor de Antonio Elinaldo (União Brasil), não é carta fora do baralho. Jeitoso, o petista vai fazer o possível e impossível para reeditar em Camaçari as alianças de Lula e Jerônimo. Agora é aguardar os próximos movimentos.


Cá e Lá Apesar do alinhamento politico-partidário, as conduções das gestões de Camaçari e Salvador nada se parecem. A mais recente diferença é justamente a necessidade de redesenho da administração para a disputa de 2024.  Em Salvador, o alcaide Bruno Reis (União Brasil) não perdeu tempo e já iniciou a rearrumação na equipe de governo parea garantir sua reeleição.


Cá e  Lá 2 Esse não parece ser o entendimento do correligionário de Camaçari. Segundo apurou e mostrou a Coluna (Confira), as necessidades de mexida nas peças são necessárias para enfrentar a nova realidade com Lula e Jerônimo no poder, e o consequente aumento do empoderamento do ex-alcaide  Caetano (PT). Atormentado pelas dúvidas, o alcaide não demonstra sinais de que vai tirar o ´papai noel` de quem poderia ter dado nos últimos anos presentes melhores com soluções de gestão para a cidade e consequentemente para o fortalecimento do seu grupo político.


Raízes Quinta-feira (17) tem debate sobre a contribuição da África para a filosofia, na Câmara de Vereadores de Dias D´Ávila. Conversa aberta ao público começa às 14h e terá as presenças dos professores Ana Amélia dos Santos Cardoso, João Borges, kota Sualankala e Ulians Souza. Simbolizado pelo Oluowo Ade, que em ioruba também significa senhor coroado que revela segredos e aconselha, projeto “Café Filosófico”, iniciado em Camaçari, busca ampliar o debate por toda a diáspora africana que é a Grande Salvador.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


14/11/2022 Fechamento: 14h38


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 


 

 







Camaçarico 7 de novembro 2022


Sem pressa A proposta de orçamento 2023 de Camaçari segue em modo gaveta. Lista de gastos com base em previsão de arrecadação, enviada à Câmara de Vereadores no último dia 14, pelo alcaide Antonio Elinaldo (União Brasil), continua inacessível.


Sem pressa 2 Sem marcar e realizar sessões desde meados de outubro, o presidente do Legislativo, Junior Borges (União Brasil), impede que a peça seja lida em plenário, publicada no portal da transparência, e distribuída para os vereadores que têm até 15 de dezembro para ler, discutir, apresentar emendas e votar, como manda a Lei. Tendência é não acontecer nada. Com maioria de 18 dos 21 vereadores, bancada governista não deve criar obstáculos. A expectativa é que o presidente Borges retome as sessões nesta terça-feira (8) e cumpra o ritual.


Com pressa Sem poder contrariar o executivo e a pouca intimidade com esse tipo de peça, foco da bancada da maioria nos próximos quase 40 dias será na eleição da nova mesa diretora da Câmara. No dia 15 de dezembro serão escolhidos o sucessor de Borges e os cargos de vice-presidente, primeiro secretário, segundo secretário, e os dois suplentes.


Com pressa 2 Com Flávio Matos (União Brasil) praticamente eleito, faltando apenas a confirmação no dia da votação, definição dos próximos dias fica por conta dos cargos de vice-presidente e das duas secretarias e suplências.


Feudo  No último Camaçarico (Confira), lista das secretarias com problemas de gestão e apontadas por fontes da Coluna como carentes de mudança e de um novo ritmo, caso o alcaide queira imprimir uma cara mais competitiva ao governo, mirando a sucessão de 2024, a secretaria da cultura (Secult) não foi citada. Comandada por Márcia Tude, filha do 3 vezes gestor municipal e atual vice-prefeito José Tude, a pasta é tida como território imexível, garantem. 


Negação O livro “Arembepe Aldeia do mundo”, escrito por Claudia Giudice, Luiz Afonso e Sérgio Siqueira é o mais novo alerta sobre a necessidade da prefeitura de Camaçari realizar o projeto de requalificação da Aldeia Hippie. Festejo sobre a publicação, que teve sessão de pré-lançamento sábado (5) na Flipelô e noite de autógrafos no próximo dia 17, em Salvador, põe ainda mais holofote sobre o abandono de importante referência da contracultura e seu valor como polo magnético de atração de turistas de todo o mundo para Camaçari.


Negação 2 Ao engavetar o projeto de requalificação da famosa e internacional parada surgida nos anos 1970, encomendado pelo município em 2018 ao artista e designer de espaços Gringo Cardia (Confira), a prefeitura contribui de forma irrefutável para a sua degradação. Abandonada e condenada a se transformar num espaço ´já foi`, área sequer recebeu obras básicas e medidas necessárias como controle das invasões e destruição do meio ambiente. 


Calibre Camaçari registrou em outubro o menor número de assassinatos deste ano e o 2º mais baixo dos últimos 6 anos. De acordo com números informados pela secretaria de segurança pública (SSP-BA) foram 8 mortes violentas em outubro. Na comparação mês a mês, desde 2017, outubro deste ano só fica acima do mesmo período de 2020, com 8 assassinatos. 


Calibre 2 Na comparação com outubro do ano passado foram 13 registros a menos (22 X 9), 14 a menos em relação a 2019, 5 abaixo de 2018, e 15 na comparação com outubro de 2017, quando Camaçari bateu recorde de 24 assassinatos.


Calibre 3 Os 148 registros computados pela SSP no período janeiro/outubro 2022 também foram os menores nos 6 últimos anos. Nos 10 primeiros meses 2021 foram 193, 177 em 2020, 166 em 2019, 149 em 2018, e 210 assassinatos em 2017.   


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


7/11/2022 Fechamento: 12h23


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Camaçarico 1º de novembro 2022


Amarrações Apesar da significativa vitória do seu candidato e correligionário ACM Neto (União Brasil), na sua base eleitoral, o alcaide de Camaçari e correligionário Antonio Elinaldo entra em modo sinal de alerta com a eleição do seu adversário para o governo da Bahia, o petista Jerônimo Rodrigues.


Amarrações 2 Com esse novo mapa, onde parte dos votos dados ao ex-prefeito de Salvador deixam de integrar cálculos futuros na conjuntura local, Elinaldo vai precisar refazer suas contas eleitorais e a condução do seu governo para enfrentar um adversário poderoso na sua sucessão, logo alí, em 2024.


Amarrações 3 Mesmo com um desempenho abaixo do potencial oposicionista, com Lula como grande impulsionador, ex-alcaide Luiz Caetano (PT) não conseguiu somar votos de forma significativa para o seu aliado na disputa estadual. Por conta da complexa conta política, o grupo caetanista, mesmo perdendo numericamente na sua principal base, sai com saldo positivo na conta geral diante da nova conjuntura.


Amarrações 4 Mas, número é número. No embate Neto X Jerônimo, o petista e ex-secretário de educação ficou cerca de 22 mil votos atrás (87.177 votos X 64.661 votos). Jerônimo registrou um crescimento de 6 mil votos em relação ao primeiro turno, enquanto que Neto ampliou sua frente em 14 mil votos no pleito de domingo (30).


Amarrações 5 Na comparação com a votação do presidente Lula, que somou em Camaçari 101.063 votos, a distância ficou ainda maior. Neto fechou as urnas com quase 14 mil votos e menos que o presidente eleito, enquanto que o governador eleito registrou uma distância de pouco mais de 36 mil votos. Conta rápida mostra que não foi inferior a 30 mil o número de votos dados em Camaçari à dobradinha Lula/Neto.


Amarrações 6 Com o seu partido mantido na máquina estadual, agora cevado com a caneta federal, Caetano busca ampliar sua base local e acabar, senão reduzir essa vantagem.


Amarrações 7 Acostumado com a negociação e conhecendo a capacidade de volatilidade da política e dos políticos de Camaçari, o petista não vai se furtar em exibir seu poder com o festival de cargos, favores e etc, na máquina estadual, e até federal, para desconstruir o aliado e assegurar um caminho de vitória do seu grupo na sucessão municipal de 2024.


Amarrações 8 Do lado oposicionista os caminhos estão claros e o time está armado e coeso sob a incontestável liderança do petista. Se vai ser o próprio, ou se indica sua esposa e agora deputada federal Ivoneide Caetano, é questão de calendário. Tudo vai depender da conjuntura que pode até permitir um ´plano C`, com outro nome para a sucessão de Elinaldo.


Amarrações 9 Já na banda governista, o alcaide Elinaldo vai precisar arrumar a casa se quiser fazer frente a essa onda petista. Mesmo com a significativa votação de ACM Neto, conta não pode ser atribuída exclusivamente ao alcaide. O carisma de Neto, empurrado pelo entendimento do eleitor sobre sua capacidade como gestor de capital, foi responsável por boa parte desse apoio em Camaçari e outras grandes cidades.


Amarrações 10 Negar que o alcaide não teve parcela importante nessa votação é tentar esconder a verdade. Afinal, a máquina municipal sempre tem força numa eleição. Só não dá para medir qual foi o peso pessoal de Elinaldo. Sem a divulgação de qualquer pesquisa de avaliação da sua gestão, fica difícil saber o tamanho da sua capacidade pessoal de convencimento do eleitor.


Amarrações 11 Diferente da oposição, com os dois nomes na vitrine desde sempre, a construção é mais complexa na banda governista. Apesar de dispor de mais 2 anos de gestão, conta real, onde se garante o saldo eleitoral positivo do governo e o seu consequente cacife na sucessão tem prazo até 2023, no máximo comecinho de 2024. Depois desse período o entendimento sobre o sucesso da gestão, com realizações beirando ou engolindo o calendário eleitoral, já não tem o mesmo efeito para quem teve dois mandatos para realizar.


Amarrações 12 O tempo conspira contra o alcaide. Elinaldo terá de definir e por em prática nos próximos 90 dias, no máximo, qual o governo vai atuar nesses menos de dois anos restantes antes do pleito. Essa é a conta que interessa. Com problemas de gestão, reconhecidos até pelos próprios aliados, Elinaldo terá de definir quais estratégias usará para vencer e manter seu grupo no poder por mais 4 anos.


Amarrações 13 Rearrumar a casa, trocar secretários e outras peças da máquina, necessárias para fazer o governo avançar era tarefa para o começo do segundo mandato, em 2021. Depois de perder dois preciosos anos, Elinaldo terá de corrigir rapidamente essas amarrações.  


Amarrações 14 São claros e não são poucos os nós na máquina, com destaque para as áreas da educação, infraestrutura urbana, desenvolvimento social, serviços públicos, e agricultura e pesca. Existem ainda amarrações complicadas que precisam ser desfeitas nas estruturas de governo, habitação e desenvolvimento urbano.


Amarrações 15 Fecha esse leque a definição do seu candidato à sucessão. Nomes não faltam. O atual secretário de saúde, vereador licenciado Elias Natan (PSDB); o vereador e provável presidente do Legislativo a partir de janeiro, Flávio Matos (União Brasil); o secretário de esportes e vereador licenciado Jorge Curvelo (União Brasil); e os ex-prefeitos Helder Almeida, atual secretário de administração e presidente municipal do União; e o atual vice de Elinaldo e três vezes alcaide do município, José Tude fecha a lista. Pleito de 2024, que pode ser em dois turnos em Camaçari, como mostrouCamaçarico (Confira), é mais um  elemento nessa engenharia de partidos e apoiadores. Agora é definir o adversário do grupo de Caetano e botar o time em campo.


Palpites O presidente do Legislativo de Camaçari até dezembro, vereador Junior Borges (União Brasil), segue sendo lembrado na bolsa de apostas sobre os novos reforços na base do governador Jerônimo Rodrigues. Novela do ´vai não vai` se arrasta desde abril (Confira), quando o presidente do Legislativo de Salvador e agora vice-governador eleito, Geraldo Junior (MDB), tentou levar o amigo Junior Borges para o outro lado, volta a ser pule.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


1/11/2022 Fechamento: 18h19


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Camaçarico 24 de outubro 2022


Equívoco O ato de força praticado pelo PT de Camaçari, capitaneado pela deputada federal eleita, Ivoneide Caetano (PT), arrancando pessoalmente propaganda eleitoral, não contribuiu para o processo democrático, para a eleição do seu candidato, muito menos para a imagem que nova parlamentar precisa construir. A destruição de propaganda do candidato ACM Neto (União Brasil) casada com Lula (PT), sábado (22), durante carreata do ex-prefeito de Salvador, em Camaçari, só amplia o clima de violência que se desenha e se espera não avançar nos próximos dias.


Equívoco 2 Situação fica ainda mais grave quando a PM, mesmo sem ordem judicial para promover a remoção dos chamados adesivos perfurados usados em veículos, dá apoio para tal prática. Ao usar o aparelho do estado para atender seus interesses políticos, a oposição em Camaçari, mas governo em nível estadual, não apenas expõe fragilidade. Coloca a própria corporação em situação de desgaste ao ter que bater continência por tabela.


Equívoco 3 Como deputada federal eleita e advogada, que por princípio deveria prezar pelo cumprimento da Lei, a também esposa do 3 vezes alcaide do município, Luiz Caetano, e um dos coordenadores da campanha do candidato Jerônimo, não pode se comportar como uma simples militante que segue de forma cega entendimentos equivocados. Abandonar essa prática é o primeiro passo, se quiser avançar na política e no Congresso Nacional, a partir de 2023, como liderança capaz de construir uma país melhor e democrático.


Equívoco 4 Conquistar novos apoios e reverter a derrota do seu candidato no primeiro turno no município é missão que precisa ser cumprida dentro dos preceitos democráticos. Botar a militância na rua e convencer o eleitor que o voto em Lula tem que ser casado com seu candidato a governador. Essa é tarefa para os próximos seis dias.


Segredo A gestão do alcaide Antonio Elinaldo (União Brasil), através de seus subordinados Joaquim Bahia, titular da secretaria da fazenda (Sefaz), e Andrea Montenegro, do desenvolvimento urbano (Sedur), precisa esclarecer qual o montante de recursos do fundo municipal do meio ambiente.


Segredo 2 Cobrança sobre o destino do dinheiro do fundo é antiga e vem sendo feita desde a gestão anterior do conselho municipal de meio ambiente (Comam), dirigido por Ana Mandim.


Segredo 3 Sem sequer responder a primeira solicitação, datada de 2020, a OAB-Camaçari voltou a cobrar informações em novo ofício, enviado no primeiro semestre deste ano. Segundo apurou a Coluna, o doutor Joaquim Bahia sequer aceitou marcar uma audiência com a OAB.


Segredo 4 A estranha situação já foi informada ao promotor Luciano Pita, do meio ambiente do MP de Camaçari. Afinal, esse dinheiro que deveria ser usado em programas de educação ambiental e outras ações, sempre em parceria com o Comam, segue no misterioso e condenável baú de 7 chaves das contas públicas.


Segredo 5 Pela Lei, o fundo deveria receber os recursos oriundos de taxas e multas por crimes ambientais no município. Acostumada com as ações midiáticas, mas pouca transparência, a Sedur informava no seu portal, em 2020, uma receita superior a R$ 1 milhão em “taxas de serviços públicos”, sem detalhar a parcela que deveria ir para o do fundo municipal do meio ambiente.


Segredo 6 Em nome da transparência com o dinheiro público, o ofício assinado pelo presidente da comissão de meio ambiente, mobilidade urbana e direito urbanístico da OAB (COMAMDU), Juan Sterfan, também solicita detalhes como conta bancária do fundo, dotação orçamentária anual, créditos adicionais e possíveis transferências de recurso da União e do Estado da Bahia.


Tinner Quem segue sem data para a inauguração é a nova praça do papagaio, em Jauá. Equipamento ganhou passarela sobre a lagoa, escultura em homenagem aos pescadores e novos equipamentos de lazer e contemplação. Mas, o que tem chamado a atenção dos nativos e visitantes mais atentos é a versão restaurada da escultura do artista Tati Moreno.


Tinner 2 Depois do abandono denunciado pela Coluna (Confira), peça finalmente foi recuperada. Só que ganhou cor diferente do tom original. Na contramão desses tempos de reafirmação da etnia, a gestão do alcaide Elinaldo resolveu dar uma repaginada no visual da escultura. O antigo dourado ouro da ave deu lugar a uma nuance mais amena. Agora a peça está quase ´branca`, diferente do ´pardo` de nascença. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


24/10/2022 Fechamento: 12h45


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 

 







Apostas  A festa eleitoral da região metropolitana, realizada pelo PT e partidos aliados, sexta-feira (14), em Camaçari, teve bom número, mais ou menos do mesmo tamanho do ato dos apoiadores de ACM Neto (União), no final do primeiro turno. Puxada pela força de Lula na Bahia, em especial na RMS, manifestação capitaneada pelo trio Jerônimo, Rui e Wagner, percorreu cerca de 1 quilômetro entre as praças Montenegro e Dos 46, onde foi encerrada com grande comício.


Apostas 2 Agora é aguardar a abertura das urnas para conferir se o grupo do ex-alcaide Caetano vira o jogo, que no primeiro turno teve vantagem de 14,4 mil votos em favor do grupo de Elinaldo. Na disputa do 2 de outubro o candidato ACM Neto somou 72,9 mil apoios, equivalente à metade dos votos válidos no município, enquanto Jerônimo conquistou 58,5 mil (40,3% dos válidos).  


Chama a Nasa O sistema de iluminação da praça Montenegro, uma das duas mais importantes de Camaçari, parece ser um problema que a prefeitura de Camaçari não consegue resolver. Sempre alternando noites escuras com iluminadas, espaço de grande circulação de pessoas e que tem como principal referência a igreja Matriz de São Thomaz de Cantuária, padroeiro da cidade, tem testado e reprovado a capacidade da secretaria de serviços públicos (Sesp).


Chama a Nasa 2 Para azar do alcaide Elinaldo (União Brasil), a praça ficou às escuras na noite de sexta-feira (14), justamente durante concentração do PT e seu candidato a governador Jerônimo Rodrigues. Agradecida, oposição usou o apagão para ampliar o repertório de críticas à gestão. 


Deficientes O alcaide Elinaldo precisa acordar e mandar cumprir imediatamente a lei que assegura acessibilidade ao museu de Camassary. Equipamento com pouco mais de duas semanas de inaugurado começa a ganhar público, em especial estudantes. Como mostrou o Camaçarico (Confira), museu localizado na antiga estação de trens, portanto limitado por vias férreas, continua inacessível para portadores de necessidades especiais ou pessoas com dificuldade de locomoção.


Deficientes 2 Nesse festival de contraditórios e desrespeitos, a prefeitura mostrou no último domingo (16), que portadores de necessidades especiais podem participar de uma corrida de 7 quilômetros, mas não podem ir ao museu.


Upgrade  Apesar de apresentar um bom panorama da história da cidade, o  Museu de Camassary precisa avançar. Com seu acervo predominantemente virtual, espaço não encontra problemas para ampliar seu conteúdo e com novos equipamentos que mostrem com mais detalhes a história de um dos mais antigos municípios do Brasil.


Upgrade  2 Nesse reforço, o capitão João Francisco da Costa, proprietário da fazenda Camassary, que tinha como casa grande, justamente o casarão que serviu de sede dos três poderes e foi demolido em 2019, é um capítulo da história da cidade que precisa ganhar clic. Citado pelo historiador Diego Copque, no seu livro "Do Joanes ao Jacuípe, uma história de muitas querelas, poder e disputa locais", o até então pouco conhecido capitão João Francisco, apesar da sua presença histórica e econômica, foi um importante comerciante, senhor de engenho e dono de boa parte das terras da região.


Upgrade  3  Nessa tarefa também  é necessário o resgate de documentos e peças, entre elas cerâmicas dos povos que viveram há cerca de 2 mil anos no região. Parte desse material  está  espalhado por  outras cidades, como  Mata de São João e Salvador. 


Prata da casa A Agência de Textos Comunicação Corporativa (ATcom-Comunicação Corporativa) completa 25 anos e mostra que é possível fazer e viver de comunicação empresarial na Bahia. Empresa comandada pelas profissionais de comunicação Cíntia Medeiros e Suely Temporal é exemplo de relação com o mercado e cuidado com a informação. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


17/10/2022 Fechamento: 12h30


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Deficientes Já passou da cota da incompetência e entra no desrespeito o descompromisso da secretaria de infraestrutura (Seinfra) com as pessoas portadoras de necessidades especiais que moram ou transitam em Camaçari. O mais novo exemplo são as rampas de travessia sobre a linha férrea (avenida Eixo Urbano), que corta a área central da sede do município.


Deficientes 2 “Recuperadas” com a inauguração no Museu de Camassary, equipamentos seguem longe do exigido pela Lei Federal. A gestão da Seinfra parece não saber que esses acessos construídos dentro das normas de segurança são indispensáveis para cadeirantes, idosos, outras pessoas com dificuldade de locomoção, mães com carrinhos de crianças e uma série de outras situações que tornam as escadas inapropriadas.


Deficientes 3 Diferente das rampas de acesso ao museu, que seguiram as normas da associação brasileira de normas técnicas (ABNT), a Seinfra preferiu improvisar e montar uma quase armadilha. Além de não possuírem a inclinação suave, como manda a Lei, a prefeitura construiu as tais rampas só de um lado da avenida Eixo Urbano.


Deficientes 4 Provavelmente, imaginando que ninguém atravessa para o outro lado da cidade, que tem como principal limite a praça Desembargador Montenegro, a igreja Matriz do padroeiro São Thomaz de Cantuária, a feira, e praticamente todo o comércio da região, a doutora Joselene Cardim e sua briosa equipe de planejadores, sequer construiu uma ladeirinha igual à instalada do outro lado da avenida.


Deficientes 5 A visão distorcida sobre acessibilidade se amplia com a omissão da secretaria de desenvolvimento urbano (Sedur). Pasta comandada pela doutora Andrea Montenegro, que deveria fiscalizar, é outra que reforça a miopia da gestão. Em recente distribuição de equipamentos a portadores de necessidades especiais, o alcaide Elinaldo (União Brasil) festejou a entrega de mais de 400 cadeiras de rodas nos últimos 5 anos.


Deficientes 6 Nessa ladeirinha do descaso, outro que tem lugar assegurado é o atual presidente do Legislativo de Camaçari. Com gestão (2021/2022) encerrando em dezembro, o vereador Junior Borges (União Brasil), que até andou intermediando conversa com o alcaide Elinaldo sobre melhoria e acessibilidade na cidade, também não cumpriu a Lei. Não instalou o elevador especial para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção acessarem os gabinetes dos vereadores e demais estruturas do Legislativo, localizados no primeiro andar da Câmara.


Deficientes 7 Nessa rampa de responsabilidade, o Ministério Público (MP), que parece não circular pela cidade, também integra essa lista de escorregões.


Dúvidas  Segue suspenso o concurso público para preenchimento de 50 vagas no Legislativo de Camaçari. Seleção, que teria as provas realizadas no próximo dia 23, foi considerada irregular pela Justiça de Camaçari, como mostrou o Camaçari Agora (Confira). A Câmara recorreu ao Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), e mais uma vez teve seu pleito negado pelo desembargador José Alfredo Cerqueira da Silva. Segundo apurou a Coluna, a Câmara de Vereadores, presidida pelo vereador Junior Borges, patrocinadora do concurso, já contratou novo advogado e deve recorrer da decisão do juiz relator do TJ-BA, datada de 4 de outubro.


Receituário A previsão de inauguração do Hospital Dia de Camaçari, no final de 2023, segue preocupando a secretaria de saúde (Sesau). Segundo apurou a Coluna, dúvida é o cumprimento do cronograma pela secretaria de infraestrutura.


Receituário 2 Conhecida por derrubar qualquer previsão, políticos governistas não esquecem as obras de melhorias da avenida Jorge Amado, exemplo de buraco eleitoral patrocinado pela Seinfra nas eleições de 2018. 


Receituário 3 Novo equipamento, que vai funcionar no antigo SAC, região central da sede, é vitrine para a campanha do pré-candidato a prefeito, o vereador licenciado e atual secretário de saúde, doutor Elias Natan (PSDB). 


Calibre Camaçari registrou em setembro um aumento no número de assassinatos em relação a agosto. Segundo a secretaria de segurança pública (SSP-BA), foram 14 assassinatos em setembro contra 10 em agosto informados pela estatística oficial. Nos 9 meses de 2022 o município soma 139 mortes violentas.


Calbre 2 Na comparação com setembro do ano passado, registros do mesmo mês deste ano são menores com placar 18 a 14. No entanto, os 14 registros oficiais de setembro deste ano superam o mesmo mês nos anos de 2020, 2019 e 2018. Setembro deste ano também é superado pelo mesmo mês de 2017 quando bateu o recorde de 23 assassinatos em 30 dias.


Calibre 3 Na comparação com os 6 últimos anos, soma janeiro/setembro 2022 também foi menor que mesmo período de 2021 (171), 2020 (169), 2019 (143), e 2017 (186). Supera apenas 2018 que contou 135 assassinatos. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


10/10/2022 Fechamento: 12h51


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 



Anterior | 1 2 3 |4| 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 | Próxima

Encontrado(s): 383 registros

Listando página: 4

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2024 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL