Busca:








No papel A parceria da prefeitura de Camaçari com a UFBA vem seguindo dentro dos conforme. O apoio do município ao campus da universidade federal, instalado na Cidade do Saber, de onde deve mudar para área maior nos próximos anos, recebeu elogio do reitor da UFBA, Paulo Miguez.


No papel 2 O reconhecimento foi feito durante reunião do reitor com representantes da Associação Bahiana de Imprensa (ABI) e Sindicato dos Jornalistas (Sinjorba), na última terça-feira (2), quando o professor Miguez reafirmou seu apoio à proposta de emenda constitucional (PEC) que obriga o diploma para exercício da profissão de jornalista e ao projeto das fake news, ambos em tramitação no Congresso.


No papel 3 Já com a cessão e reforma do imóvel onde funcionou o antigo Senai, no centro da cidade, palavrada pelo alcaide Antonio Elinaldo (União), falta agora a confirmação formal. Sem essa mudança, que precisa ser a mais breve possível, a UFBa-Camaçari não consegue ampliar sua oferta de cursos. 


Cidadania A defesa do meio ambiente, da ordem urbanística e do desenvolvimento urbano sustentável são as pautas do 1º Fórum Cidade, que acontece nos dias 15 e 16 de junho, no Teatro da Cidade do Saber (TCS). Promovido pela Comissão de Meio Ambiente, Mobilidade Urbana e Direito Urbanístico (COMAMDU) da Ordem dos Advogados do Brasil, Subseção Camaçari, encontro vai reunir representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, universidades, ONGs e entidades do setor produtivo, sindicatos e demais representações da sociedade civil.


Cidadania 2 Segundo o advogado Juan Sterfan, presidente da COMAMDU, o “Fórum Cidade” vai abordar questões como mobilidade urbana e a crise no transporte público, pertencimento e memória como pressupostos de defesa da cidade, IPTU progressivo, fundo municipal do meio ambiente, e mananciais e arborização urbana. A inscrição  é gratis (Clique aqui)


Cronologia Depois de comprovar, através de documentos históricos e vasta pesquisa, que Camaçari é mais antiga do que se festeja, o professor, historiador e pesquisador Diego Copque apresenta mais uma valiosa contribuição para o reposicionamento histórico do município.


Cronologia 2 Em seu último artigo, postado na seção Colunistas do Camaçari Agora (Confira), o professor exibe provas documentais de que a Câmara de Vereadores de Camaçari é mais antiga que os 75 anos festejados em março último. No texto intitulado “A Câmara Municipal de Camaçari e seus 87 anos de história recente” Copque comprova que o processo de representatividade popular tem três momentos e nasce em 1758, em Vila de Abrantes. Agora, com novas luzes, cabe ao Legislativo ampliar o debate e resgatar esse importante momento da história do município.


Cronologia 3 Do outro lado da praça do poder, a prefeitura segue muda e imóvel sobre os estudos do mesmo historiador que reposicionam a data de fundação do município. Provas documentais mostram que Camaçari é 200 anos mais antiga, portanto festejou 465 anos e não 265 anos neste 2023.


Caminhos A distância da atual gestão de Camaçari com as religiões de matriz africana e a consequente dificuldade de acesso a programas sociais bancados ou coordenados pela prefeitura é tema central da pauta que pais e mães de santo do município esperam discutir com o alcaide Elinaldo. Reunião, ainda sem data e proposta pelos representantes das religiões de matriz africana também deve discutir os “privilégios” recebidos pelas igrejas evangélicas. Movimento é coordenado pelo pai Ivan, do terreiro Ojú Omi, e pelo sacerdote do terreiro de Jauá, Tata Laercio.


Pressão  Os servidores efetivos e professores da rede municipal de Camaçari param suas atividades por 72 horas, entre amanhã (9) e quinta-feira (11). Categorias cobram melhorias salariais e de  condições de trabalho. Nessa conta de prejuízo os servidores vencem de goleada para os colegas da sala de aula. Cobram do alcaide Antonio Elinaldo (União) reposição salarial de 2023 (5,79%), 2022 (10,06%), 2021 (4,52%), 2020 (3,31%) e 2017 (06,29%). Manifestação das duas categorias, nesta-terça (9) pela manhã, tem ponto final na porta da prefeitura.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


8/5/2023 Fechamento: 15h54


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Imagem A presença de uma tampa de urna funerária foi mais um momento de infelicidade do Legislativo de Camaçari. Sob o pretexto de discutir a fila da regulação e suas consequências nefastas na vida da população, o vereador Dudu do Povo (Cidadania) resolveu enriquecer sua fala contra a política de controle de vagas nas UTIs, pelo governo do estado, com a exibição no plenário da inusitada peça mortuária. O resultado foi uma confusão entre governistas e oposicionistas que terminou encerrando antes do período regimental a sessão de quinta-feira (4).


Imagem 2 Tampa de caixão, alimentos e outras peças exibidas durante as sessões, agressões a colegas em falas no plenário, e uso de termos inadequados durante os discursos são provas incontestáveis que mostram o descuido e distanciamento do Legislativo de Camaçari da sua missão constitucional.


Imagem 3  Sem interesse de instalar a comissão de ética, como se julgar seus 21 integrantes fosse um crime, e com um Regimento Interno dúbio, onde tudo pode e nada é permitido, a depender do controle do leme, a Câmara de Camaçari segue precisando de ajustes. Não dá para o piorar o que já está abaixo do mínimo exigido pela cidade, onde o poder com missão de fiscalizar e defender o território e seus cidadãos se comporta longe do decoro da função.


Imagem 4 Nesse jogo de perde-perde, a bancada governista atuando de forma descoordenada, graças a estranha ausência do líder, o experiente vereador e ex-presidente da Casa, biênio 2021/2022, Ednaldo Borges (União), se junta a pouca unidade dos oposicionistas. Apostando no acirramento das relações no Legislativo como elemento desestabilizador da gestão do alcaide Elinaldo, antigovernistas terminam ajudando a expor uma faceta nada recomendável de um poder que é pago, e muito bem remunerado pelo povo, para defender a cidade.


Imagem 5 Cabe ao presidente da Casa, vereador Flávio Matos (União), fazer o que deveria ter sido feito em outras legislaturas, e de forma mais incisiva desde o início do processo de discussão da reforma do Regimento, no ano passado. Discutir diferenças e entender sua missão é obrigação da Câmara de Vereadores de Camaçari. Independente das  ações de cada parlamentar na geração de bônus ou ônus na conta das eleições de 2024, quando a maioria deve tentar a reeleição, a função do Legislativo precisa ser respeitada.  


Ritmo Mesmo andando, falando e se comportando como pré-candidato a prefeito de Camaçari, o presidente do Legislativo Municipal, vereador Flavio Matos (União), segue negando o seu projeto de governar a cidade a partir de 2025.


Ritmo 2 Um desses movimentos que sinalizam essa parcimônia é o “encontro de lideranças” que realiza na manhã deste sábado (6), na igreja da Restituição, sede do município. Segundo apurou a Coluna, nada de excepcional está no roteiro. Nesse roteiro, até os vereadores que apoiam seu projeto de suceder o atual gestor municipal foram aconselhados a não comparecerem para não antecipar o debate.  


Ritmo 3 Mesmo com a desistência, ainda que  implicita dos vereadores Elias Natan (PSDB) e Jorge Curvelo (União) e a intensa e assumida condição de pré-candidato do correligionário Helder Almeida, ex-alcaide e atual gestor da superintendência de trânsito e transporte (STT), Matos exercita a  paciência. Comandando a poderosa máquina do Legislativo e com presença cada vez mais intensa nas comunidades, Flavio Matos, reconhecido por aliados e até adversários como um candidato “leve” e com "baixa rejeição", aguarda o movimento dos ventos.   


Identidade O próximo sábado (6), na comunidade quilombola de Cordoaria, será de imersão e debate sobre ancestralidade, presente e futuro. Destaque para a exibição do filme “Nó”, do cineasta Midi Alves, a partir das 16h. Também integram a programação a peça teatral com a atriz Simone Requião, os poetas Revolução, FBK e Lucas Matos, e o grupo capoeira Aquilombar. Encontro aberto ao público, acontece na praça central da localidade.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


5/4/2023 Fechamento: 13h40


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Coluna Camaçarico 2 de maio 2023


Dosagem A publicação e posterior retirada do post sobre o Dia do Trabalhador, da página do Instagram da prefeitura de Camaçari, é apenas o mais recente exemplo de descuido da atual gestão com sua missão de governar e respeitar princípios que regem a administração da coisa pública. Ao reproduzir memes onde o trabalhador aparece como descompromissado com sua missão, a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (União) exibe uma grave falta de entendimento do seu papel de liderança e da sua capacidade de compreender o trabalhador.


Dosagem 2 Mesmo deletando da sua página a postagem agressiva, após a enxurrada de protestos nas redes sociais, durante todo o dia de ontem (1/5), a prefeitura de Camaçari apenas apaga uma peça numa lista de equívocos da sua comunicação.


Dosagem 3 O “pedido de desculpas”, na mesma página, onde justifica a postagem como “uma publicação leve e bem humorada”, na verdade não passa de uma peça publicitária que se desconstrói no próprio Instagram da prefeitura.


Dosagem 4 Na mesma página @prefcamacari, um vídeo intitulado “A vibe que todo camaçariense gosta” (Confira), que tem como pretexto mostrar os prazeres que a cidade oferece, reforça uma visão nada “leve e bem humorada”, além de ferir outro princípio, ainda mais grave. Numa afronta à legislação e ao compromisso do poder público com a saúde da população, que deveria defender, postagem de 15 segundos e mais de 2 mil visualizações, associa imagens da gastronomia e das belezas naturais do município ao consumo de bebida alcoólica.


 

 







Dosagem 5 Postado no Instagram da prefeitura desde a semana passada, vídeo aumenta ainda mais o seu teor perigoso e nada recomendável, quando atropela outro princípio, ao promover propaganda de uma marca de cerveja num canal oficial e acessado por toda a população, independente de horário e idade.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


2/4/2023 Fechamento: 7h43


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 

Print da imagem da peça publicitária exibida no Instagram da prefeitura CLIQUE PARA AMPLIAR A IMAGEM






Salgado O sistema de estacionamento rotativo pago em Camaçari, com previsão de início de funcionamento entre julho e agosto, terá tarifa mais cara que a cobrada em Salvador. Na capital o valor pela permanência de um veículo pequeno, por duas horas (120 minutos) é de R$ 3,00, enquanto que na zona azul de Camaçari os mesmos R$ 3,00 vão pagar apenas metade do tempo (60 minutos). 


Salgado 2 Já as motos vão pagar R$ 1,50 pelos mesmos 60 minutos de permanência, diferente da capital onde o estacionamento é grátis. O decreto, que não especifica tarifa para veículos como ônibus e vans, define apenas o valor de R$ 20,00 pela diária de permanência de uma caçamba.


Salgado 3 Segundo apurou a Coluna, o serviço deve disponibilizar cerca de 600 vagas na região central. Como o estacionamento poderá ser autorizado mediante pagamento por aplicativo, o serviço só deve gerar cerca de 100 postos de trabalho de guardadores.


Salgado 4 Datado de 12 de abril deste ano, decreto garante zona livre e sem tarifa de estacionamento aos domingos e feriados, inclusive nas regiões de praia, e gratuidade nas zonas pagas para permanência de até 30 minutos. A tarifação só vale de segunda à sexta das 8h às 18h e sábado das 8h às 13h. Mesmo nesses dias, algumas áreas centrais, classificadas como de baixa procura, permanecerão sem cobrança de estacionamento. 


Despertador  Demorou um ano para que o Conselho de Cultura de Camaçari (CMCC)  acordasse e entendesse a necessidade de inclusão de Camaçari nas comemorações  dos 200 anos da Independência da Bahia. Na quarta-feira passada (19) o colegiado, pressionado pela ampla repercussão na imprensa e nas redes sociais, finalmente se reuniu para ouvir o professor, pesquisador e historiador Diego Copque, o autor de dois livros que comprovam a contribuição e importância do município nas lutas que culminaram com o 2 de Julho de 1823.


Despertador 2 Com a omissão da prefeitura de Camaçari no processo, a inclusão de Camaçari no roteiro do Fogo Simbólico segue com poucas possibilidades. Mas, o município ainda pode contar sua história no desfile de 2 de Julho, pelas ruas da capital. O professor Copque apresentou um série de sugestões. Presença de Camaçari nos festejos vem sendo cobrada pelo Camaçarico desde o ano passado (Confira).


Despertador 3 Agora, é aguardar que o alcaide Antonio Elinaldo (União) acorde e mande as secretárias de educação, Neurilene Martins (Educação), e Marcia Tude (Cultura) fazerem o que precisa ser feito.


Despertador 4 Nesse berço do descuido, a Câmara de Vereadores tem significativa parcela. Cutucar as comissões de cultura, esporte e lazer, presidida pelo vereador Ivandel Pires (Cidadania), e de educação e assistência social, comandada por Jamessom Silva (União), também é função do presidente da Casa, vereador Flavio Matos (União).


Reforço O ex-vereador Val Estilos é o mais novo jogador do time do petista Luiz Caetano. Mesmo sem mandato, tirado em setembro do ano passado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA), por abuso de poder político e econômico (Confira), o ex-elinaldista segue administrando seu capital eleitoral e será de grande valia na disputa para prefeito em 2024.


Reforço 2  Segundo apurou a Coluna, Val Estilos, eleito com 3.005 votos pelo Republicanos, a segunda maior votação para o Legislativo nas eleições  proporcionais de 2020, não desiste de retomar o mandato e tem seu desejo estimulado pelos novos aliados.


Escolhido Quem deve encerrar sua participação no Legislativo, em dezembro de 2024, é o vereador Bispo Jair. O mais antigo vereador em atuação na Câmara de Camaçari, com 6 mandatos e prestes a completar 75 anos em maio, já tem sucessor. Passa o bastão e aposta todos os votos no filho Luiz Claudio, importante referência religiosa da Universal e bispo da igreja do Phoc 2.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


24/4/2023 Fechamento: 16h38


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Coluna Camaçarico 17 de abril 2023


Para sempre A prefeitura de Camaçari prepara concurso público para contratação de 141 novos servidores. Certame com previsão de início e conclusão ainda neste ano, visa preencher vagas de nível médio e superior com salários que variam de um mínimo (R$ 1.320), para transcritor do sistema braile, intérprete de língua de sinais e cuidador e educacional, a até pouco mais de R$ 9 mil para médico de PSF, uma das especialidades na lista das 20 vagas oferecidas para a categoria.


Para sempre 2 Seleção também abrirá 66 vagas para professor, além da contratação de psicólogo, assistente social, nutricionista, técnico fazendário, agentes de saúde e de endemia, fiscal do uso do solo, e técnico em segurança do trabalho.


Para sempre 3 Dentro dessa lista também estão os cargos de procurador (2 vagas), com salário inicial de R$ 6 mil; e auditor (6 vagas) com salário de R$ 3 mil. Apesar de aparecerem com remuneração inicial menor, na prática as duas categorias superam com folga o contracheque dos doutores, com o pagamento dos penduricalhos atrelados ao andamento de processos e à arrecadação municipal.


Para sempre 4 O termo de dispensa do contrato de R$ 1,6 milhão, com centro brasileiro de pesquisa em avaliação e de seleção e promoção de eventos (CEBRASPE), foi publicado no último dia 11 de abril, no Diário Oficial da Bahia – Municípios. Com previsão de somar cerca de 12 mil inscritos, custos com o processo seletivo será coberto com as taxas de inscrição de R$ 94 para candidatos aos cargos de nível técnico; R$ 238 para médico, procurador e auditor; e R$ 133 para as demais funções de nível superior.


Distância O concerto "The Beatles", apresentado pela Orquestra Ouro Preto, sexta-feira (14), no Teatro Cidade do Saber (TCS), foi mais um capítulo da desafinação da elite política de Camaçari com a cultura. Apresentação brasileira premiada em todo o mundo contou apenas com as presenças oficiais da secretária da pasta (Secult) e anfitriã do show, Marcia Tude, e seu pai o vice-prefeito José Tude (União).


Distância 2 O editor não identificou na plateia, formada por pouco mais de 500 privilegiados, na sua maioria estudantes, que lotaram o TCS, o alcaide Antonio Elinado (União), muito menos o oposicionista e candidato ao quarto mandato de gestor municipal e atual secretaria de relações institucionais do estado, Luiz Caetano (PT). Com agenda mais importante, os antagônicos na política seguem confluindo quando a pauta é cultura.


Barrufo A indicação, aprovada pela Câmara de Camaçari, criando um espaço no Legislativo para abrigar fumantes ganhou mais um adversário de peso e pode até ir parar na Justiça. A proposta do vereador petista Dentinho do Sindicato, que segundo disse à imprensa, é “proteger os não fumantes” e “resguardar o direito do fumante”, virou tema de debates nada abonadores no grupo de médicos do município.  


Barrufo 2 Preocupados com o equívoco e buscando evitar que a ideia seja acesa, médicos ouvidos pela Coluna lembram que a instalação de fumódromos contraria a política nacional de combate ao tabagismo que indica justamente a não criação desses espaços como forma de desestimular o uso do cigarro.


Barrufo 3 Aprovada de forma apertada por 9 votos a 8, proposta teve o apoio dos vereadores Tagner Cerqueira (PT), Vavau (PSB), Ednaldo Junior Borges, Manoel Jacaré e Herbinho (União), Niltinho (PSDB), Bispo Jair (Republicanos), Jamelão (Cidadania), além do autor.


De fato  Tem se mostrado pífia a estratégia do alcaide Elinaldo ao escolher o vereador e correligionário Ednaldo Junior Borges (União) para líder do governo do Legislativo. Se imaginou que o posto seguraria o aliado, apesar de considerado uma incógnita pela quase unanimidade dos observadores da política paroquial, Elinaldo agora experimenta um resultado desanimador nesses quase dois meses de trabalhos do Legislativo.


De fato 2 Presença esparsa nas sessões e discursos pouco convincentes, segundo seus próprios pares, terminaram contribuindo para o fortalecimento do companheiro de bancada governista, Dudu do Povo (Cidadania), que mesmo sem crachá de líder, faz as honras dos governistas. 


De fato 3 Apesar de não exibir o vernáculo, muitas vezes vazio, do ex-presidente da Casa, Dudu do Povo tem conseguido com suas construções simples e diretas se comunicar de forma eficiente, ao mesmo tempo em que sustenta a defesa do governo. Nessa missão ganha reforço do colega Flávio Matos (União), que em todas as sessões precisa deixar a cadeira de presidente do Legislativo para reviver seus tempos de líder do governo e ajudar na defesa da administração contra o tiroteio da oposição.


De fato 4 Como mostrou o Camaçarico de 23 de janeiro, nota “A voz” (Confira), o cargo de líder era desejado pelos vereadores Ivandel Pires e pelo próprio Dudu do Povo, ambos do Cidadania. Mas, o alcaide preferiu apostar na pule do agora ex-presidente da Casa. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


17/4/2023 Fechamento: 13h23


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Coluna Camaçarico 10 de abril 2023


Velocidade O novo comandante da superintendência de trânsito e transportes de Camaçari (STT), o ex-alcaide Helder Almeida (União), precisa agir rápido e começar a ordenar o trânsito no centro da cidade. Apesar de pouco mais de 30 dias no cargo, Almeida, que tem como missão principal retomar o sistema de transportes por ônibus, não pode descuidar do outro ´T`da sua pasta, o de trânsito.


Velocidade 2 Se promete botar o complexo sistema de transporte por ônibus para funcionar até junho, moralizar o trânsito é fichinha. Botar os agentes na rua é o primeiro passo do processo de implantação, numa etapa seguinte, do sistema de estacionamento pago, conhecido como “zona azul”. Em Camaçari, carros e motos, em especial, estacionam em qualquer lugar. Completa a desordem os caminhões e utilitários que usam as vias sem restrições para carga e descarga de mercadorias.


Fake O Dia do Jornalista, comemorado na última sexta-feira (7), não fugiu à regra e ganhou homenagens justíssimas. Como de costume, os festejos fakes em defesa da liberdade de expressão, etc, etc, etc, também ocuparam as redes sociais. Um desses falsos foguetórios partiu justamente de quem mostrou ser adversário de princípio tão importante e necessário para a democracia.


Fake 2 Para quem não lembra, o então presidente do Legislativo de Camaçari, vereador Ednaldo Borges (União), entrou com ação na Justiça, no ano passado, contra esse editor e o colega Compartilha Bahia, Julio Ribeiro, por “injúria, difamação ou calúnia” (Confira).


Fake 3 Criticado pelo seu comportamento de confronto com a imprensa e ameaça à liberdade de expressão, por notas e manifestações de repúdio da federação nacional dos jornalistas (Fenaj), sindicato dos jornalistas da Bahia (Sinjorba), associação bahiana de imprensa (ABI), veículos de imprensa, e até partido político (Confira), Borges (União) aposta na memória curta da sociedade. Na última sexta usou suas redes sociais para festejar princípios que ele não respeitou. Mesmo com o recuo, com a consequente retirada da ação na Justiça, o carimbo continua.


Recuados O movimento de apoio à inclusão de Camaçari no roteiro do Fogo Simbólico da Independência da Bahia só faz crescer. Apesar do grande número de postagens nas redes sociais pedindo a participação da cidade no 2 de Julho, e até a criação de um clip com música especial sobre  a importância de Camaçari nas lutas, a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (União) segue muda e imóvel. 


Recuados 2 Mesmo com a irrefutável base histórica documental que confirma a presença de Vila  de Abrantes nas lutas, tropa liderada pelo ´general`Elinaldo não se articulou com  a prefeitura de Salvador, responsável pela organização da festa, muito menos planeja qualquer participação no desfile dos 200 anos, pelas ruas do centro de Salvador.


Recuados 3 Letargia sobre a importante participação do município nas lutas de 1823 também é marca do grupo político opositor, comandado por outro ´general`, o três vezes alcaide do município e atual secretário   de relações institucionais do estado, Luiz Caetano (PT).


Recuados 4 Mesmo despreocupados com o resgate da história da cidade, e todas as suas consequências positivas para o fortalecimento do sentimento de pertencimento dos municípes, os  ´generais` querem mais. Um sonha com mais 4 anos para seu sucessor, enquanto o outro plneja a volta ao controle de Camaçari a partir de 2025.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


10/4/2023 Fechamento: 14h45


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao l


 

 







Coluna Camaçarico 3 de abril de 2023


Reprovados A unificação dos colégios estaduais José de Freitas Mascarenhas e Cidade de Camaçari, transformando as unidades num grande escolão com cerca de 3,5 mil alunos, segue sem debate e sob o silêncio perigoso de entidades que deveriam cuidar do ofício. Processo denunciado pelo Camaçarico em fevereiro do ano passado (Confira), não parece sensibilizar a APLB- Sindicato, o sindicato dos professores do município (Sispec), a representação dos estudantes, muito menos a própria secretaria municipal de educação (Seduc).


Reprovados 2 Apesar do impacto da medida para a cidade, a única manifestação veio de forma individual pelo professor Valdívio Pinto. Em artigo postado na seção Colunistas do Camaçari Agora (Confira), o professor do Colégio Estadual Cidade de Camaçari e secretário do núcleo da APLB no município, classifica a fusão de ´verdadeiro “armengue” acadêmico`.


Reprovados 3 A fala do professor, infelizmente isolada, passa longe das entidades que deveriam aprofundar o debate sobre os reflexos dessa união. A própria APLB não se manifesta oficialmente, assim como o Sispec, que mesmo sendo entidade representativa dos professores do município, parece ignorar seu amplo compromisso com a educação.


Reprovados 4 Os alunos, sempre barulhentos, também seguem mudos e alheios aos impactos dessa nova estrutura que apesar da piscina, do teatro e dos novos espaços de lazer e estudo, sinaliza baixo controle e riscos de aumento da violência, infelizmente comum nas escolas públicas. Fecha esse ciclo de ausências nada pedagógicas, a Seduc. Mesmo sem responsabilidade legal, por ser uma estrutura estadual de ensino, pasta municipal não busca dialogar com a secretaria de educação do estado. Afinal, qual o impacto dessa fusão para alunos, professores e servidores que residem no município.


Siameses Apesar do crescimento das manifestações, nas redes sociais, pedindo a inclusão de Camaçari nos festejos dos 200 anos da Independência da Bahia, a prefeitura e a representação do governo do estado no município seguem fazendo cara de paisagem.


Siameses 2 Reinvindicação, que os municípios Dias D`Ávila e Lauro de Freitas já fizeram oficialmente aos organizadores do desfile do 2 de Julho, em Salvador, continua ignorada pela gestão do alcaide Elinaldo (União). Reforça esse atestado de desconhecimento da necessidade desse resgate histórico o núcleo de poder liderado pelo ex-alcaide municipal e atual secretário de relações institucionais do estado, Luiz Caetano (PT).


Siameses 3 História sobre a formação de Vila de Abrantes, núcleo inicial da hoje grande Camaçari, e sua importância na luta contra o poder português são registradas pelo professor e historiador Diego Copque, em livros e recente artigo postado na seção Colunistas do Camaçari Agora (Confira).


Siameses 4 Diante da omissão dos dois principais personagens da história política recente do município, a Coluna acredita que tanto Antonio Elinaldo, como o seu adversário Luiz Caetano não leram os livros, ou sequer foram alertados por suas assessorias para a importância das publicações. “Do Joanes ao Jacuípe: uma história de muitas querelas, tensões e disputas locais” e “A Presença do Recôncavo Norte da Bahia na Consolidação da Independência do Brasil”, de autoria de Copque,  são o "bê á bá" para um entendimento sobre o passado da cidade que tanto esses chefes políticos projetam para o futuro em suas ações e discursos.


Gaveta Segue em modo espera o concurso público da Câmara de Vereadores de Camaçari. Segundo apurou a Coluna, decisão final da Justiça aguarda manifestação do Ministério Público. Ainda de acordo com fontes ouvidas pelo Camaçarico, provas não deixam dúvidas sobre a necessidade de anulação do concurso. Com resultado questionado na Justiça, certame disputado por mais de 4 mil candidatos, em novembro do ano passado, prevê a criação de 50 novas vagas para 13 cargos de nível fundamental, médio/técnico e superior e salários variando entre R$ 1,4 mil a R$ 6,5 mil. 


Mais um A manifestação, a partir das 15h desta segunda-feira (3), na porta do Ministério Público de Camaçari, é mais um capítulo da prática criminosa da intolerância religiosa. A vítima dessa vez é o babalorixá, servidor público e historiador João Borges. Também colunista do Camaçari Agora e doutorando, Borges acusa um motorista do serviço de transporte aplicativo 99 Pop de discriminação e desrespeito, durante uma viagem na noite do dia 27 de março.  


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


3/4/2022 Fechamento: 12h56


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Coluna Camaçarico 27 de março 2023


Descompromisso A pouco mais de três meses dos festejos pelos 200 anos da Independência da Bahia, Camaçari segue longe de qualquer ação que busque se incluir nas comemorações do 2 de Julho. Apesar da sua presença econômica, da proximidade com Salvador, e ser parte importante nos conflitos, com seus nativos e aliados lutando contra a manutenção do domínio português, município prefere ficar fora desse mapa.


Descompromisso 2 Infelizmente, a gestão do alcaide Elinaldo (União), assessorado pelas secretárias de educação, a professora doutora Neurilene Martins; e da cultura, Marcia Tude, provavelmente por não reconhecerem essa importância histórica do município, nada fizeram para incluir Camaçari nessa agenda de festejos.


Descompromisso 3 Diferente das titulares da Seduc e Secult, o professor e historiador Diego Copque reforça a importância do município onde mora e lamenta essa ausência em artigo intitulado "Camaçari, uma cidade sem identidade?", postado nesta segunda-feira (27), na seção Colunistas do Camaçari Agora (Confira).


Torniquete  Aguarde, o buzu tá vindo e tem previsão de parar no ponto em junho. Esse é o aviso dado, até agora, sobre o projeto de reativação do sistema de transporte por ônibus em Camaçari. O processo de chamamento público de empresas interessadas só deve ter resultado dia 10 de abril, quando serão abertas as propostas. O número estimado de passageiros, o valor da passagem e o número de linhas fecham esse roteiro anunciado pela superintendência de trânsito e transporte (STT), responsável pelo projeto.


Torniquete 2 Com tarifas de R$ 5 para as 38 linhas da sede, e R$ 7 para os 18 trechos da orla e zona rural, sistema terá um total de 56 roteiros. Números diferem do anunciado anteriormente, de 20 linhas e 42 ônibus para atender apenas os passageiros que circulam na sede. 


Torniquete 3 Projeto estartado e pilotado desde o começo de março pelo ex-alcaide e ex-titular da pasta de administração, Helder Almeida (União), também terá um sistema de integração complementar, com veículos menores, que podem ser microônibus ou vans. O que se sabe é que esses veículos farão a ligação entre localidades mais afastadas até um ponto de embarque na linha por ônibus.    


Torniquete 4 Pacote de ajustes e fechamento dessa conta, que não vai ser barata, prevê a criação do fundo de transportes, através de lei avalizada pela Câmara de Vereadores. Estrutura vai receber receitas vindas da cota de IPVA que o município tem direito, das taxas e multas oriundas do serviço de transporte e trânsito na cidade. A reestruturação da STT é outra medida. Segundo apurou a Coluna, a superintendência segue com três diretorias, mas terá seu organograma e tabela salarial redesenhados. A diretoria administrativa permanece, enquanto que as atuais de trânsito e de transportes passam a ser uma única estrutura. Com a junção, a terceira diretoria passa a responder pelo planejamento. 


Torniquete 5 Ainda segundo as contas do governo, sistema terá cerca de 1 milhão de passageiros mês. De acordo com os roteiros informados, 70% dos passageiros (700 mil) estão na sede, enqaunto  outros 300 mil serão atendidos nas demais linhas da orla e zona rural. Número de passageiros são do estudo realizado no ano passado ao custo de R$ 807 mil e pagos pela secretaria de serviços públicos (Sesp).


Torniquete 6 Esse não foi o primeiro diagnóstico sobre mobilidade bancado pela gestão do alcaide Antonio Elinaldo (União). Somados aos pouco mais de R$ 300 mil, pagos por estudo parecido, realizado em 2018 e bancado pela STT, município gastou mais de R$ 1 milhão e 100 mil.


Torniquete 7 Sistema de transporte por ônibus virou uma caixa preta graças a omissão da prefeitura que deixou de cumprir sua responsabilidade de regular e fiscalizar o serviço. Um desses pontos nebulosos é o Camaçari-Card. Sistema de bilhetagem eletrônica prejudicou passageiros e empresas que adquiriram esses vales para seus empregados. Segundo apurou a Coluna, rombo estimado não é menor que R$ 3 milhões.


Torniquete 8 Com números ainda por fechar, sistema vai precisar da ajuda do município, já que não pode sobrecarregar o bolso do usuário, muito menos tornar o negócio sem atração para os empresários. Essa conta só será conhecida depois que o passageiro subir no buzu e passar no torniquete. 


Maresia Moradores e comerciantes de Arembepe continuam esperando que a prefeitura reabra o estacionamento da praça dos Coqueiros e revise o plano de vagas para veículos em toda a famosa localidade. O descontrole do comércio, com a ocupação de espaços públicos sem o devido ordenamento e a requalificação das principais praças da localidade (dos Coqueiros e das Amendoeiras) também integra esse pacote de queixas.


Ausentes O processo de fusão dos colégios estaduais José de Freitas Mascarenhas e Cidade de Camaçari segue sem qualquer manifestação formal da APLB e do sindicato dos professores do município (Sispec). Alertado pelo Camaçarico desde maio do ano passado e novamente cobrado na  última Coluna (Confira), criação de um escolão com cerca de 3,5 mil alunos é risco de desemprego de profissionais da educação e aumento da violência.


Contramão O rebatismo da via Cascalheira (BA-531), agora “Estrada Governador Waldir Pires”, por sugestão do ex-deputado estadual e agora suplente Bira Coroa (PT), apenas muda o nome do problema. A importante ligação entre a sede e a orla de Camaçari segue perigosa, com sinalização precária, sem acostamento e carente de um projeto de duplicação de verdade. Sem esse pacote de medidas urgentes, diferente da obra ´meia boca` que alargou pouco mais de 2 dos 13 quilômetros da pista, em 2018, a pista segue perigosa para motoristas e pedestres, e sem serventia para o currículo do doutor Waldir.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


27/3/2022 Fechamento: 15h06


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Tapume A comunidade de Vila de Abrantes segue pleiteando a construção imediata da nova passagem entre a avenida Tiradentes e a rua Alice Uzeda. A antiga ligação, popularmente conhecida como “beco da Calçola”, foi fechada pelo governo do estado para a ampliação do Colégio Estadual Vila de Abrantes (Ceva).


Tapume 2 Obra definida e iniciada sem o devido debate com a comunidade terminou interferindo na mobilidade da região que perdeu uma importante via de ligação. Com a pressão da comunidade, governo do estado recuou e prometeu a construção de um novo acesso. Mesmo com a garantia de uma nova passagem, mais larga e com equipamentos urbanos, comunidade continua num beco sem saída com a indefinição sobre o início e o prazo de conclusão da nova via.


Tapume 3 Passagem é antiga e faz parte da história de Vila de Abrantes. Listada pela plataforma Google Maps como travessa Tiradentes, ligação com cerca de 200 metros já foi “beco do João do leite”, numa referência a um antigo morador da região. Depois passou a ser chamado de “beco dos Ciganos”, outra lembrança da comunidade. Importante via, não virou “beco da Calçola” por acaso. Passagem sempre esteve fora do mapa de urbanização da prefeitura.


Alavará Já na sede, a fusão dos colégios estaduais José de Freitas Mascarenhas e Cidade de Camaçari, reconhecida por educadores e especialistas como um equívoco, segue com as obras de vento em popa e sem questionamentos. As implicações negativas dessa nova unidade, com previsão de inauguração ainda neste ano, parecem que não sensibilizaram o sindicato dos professores (Sispec).


Alavará 2 O alerta para os riscos de aumento da violência e do desemprego de profissionais da educação foi dado pelo Camaçarico (Confira). Além de reunir um número recorde de cerca de 3,5 mil alunos, o escolão também avança sobre a história do município com supressão dos nomes das atuais unidades. Na época da postagem da Coluna, em 10 de maio do ano passado, era secretário de educação do estado o hoje governador Jerônimo Rodrigues (PT).   


Àgua de cheiro Mais uma vez o festival de Arembepe, segunda maior festa de Camaçari, depois do Camaforró, serviu de palco para a apresentação e reforço de nomes na disputa de outubro de 2024. Ex-alcaides, parlamentares com mandato, ex-vereadores, secretários municipais, empresários e lideranças, e até aspones não mediram esforços. Patrocínio de blocos, brindes, apoios e financiamento de comes e bebes fizeram parte da velha receita que o eleitor conhece e não se recusa a participar. Afinal, é festa e os salamaleques são sempre bem-vindos.


Velha quartinha Nos blocos dos cabeças de chapa a movimentação começa a se ajustar. Na base governista o processo parece se afunilar entre o atual presidente do Legislativo, Flávio Matos e o companheiro de União Brasil, o ex-alcaide e atual chefe da superintendência de trânsito e transporte (STT), Helder Almeida. Paramentados de branco, Matos e Helder distribuíram beijos, abraços e pousaram para selfies.


Velha quartinha 2 Mesmo presentes ao cortejo das baianas, na sexta-feira (17), os vereadores licenciados Elias Natan (PSDB), titular da pasta da saúde (Sesau); e Jorge Curvelo (União), comandante da pasta dos esportes (Sejuv), não sinalizam a mesma disposição de levar a disputa até o fim. O doutor Natan ainda apresentou grupo paramentado, enquanto o doutor Curvelo nem bloquinho armou. Lista situacionista dos que completaram o ritual, com a lavagem do adro da Igreja de São Francisco, fecha com o atual vice-prefeito José Tude (União), mais uma vez desfilando com o figurino de candidato que não é candidato.


Velha quartinha 3 Do lado oposicionista a novidade foi o fim da secura de anos anteriores, com a poderosa logística do governo do estado. Os petistas Luiz Caetano, ex-alcaide e atual secretário de relações institucionais do governo Jerônimo, e sua esposa, a deputada federal Ivoneide, seguiram o roteiro. Com fórmula universal dos beijos, abraços, afagos e selfies avançam reforçando o projeto dois em um, quase uma candidatura ´tanto faz`.


Velha quartinha 4 No cortejo dos novatos, quem desfilou simpatia foi a cantora e agitadora cultural Nivea Mafuane. Liderança do movimento negro e de mulheres ligadas ao candomblé é nome certo na disputa por uma das 21 cadeiras do Legislativo, em 2024. Outro nome que sai pelo grupo liderado pelo ex-alcaide Caetano é o professor João Dão. Ainda sem partido, a liderança nativa de Arembepe rompeu com o grupo governista, como antecipou o Camaçarico de 23 de janeiro, notas Troca-troca  (Confira).


Velha quartinha 5 Lista dos que ficaram na base do alcaide Antonio Elinaldo (União) também é grande. Um desses nomes que aproveitou Arembepe para reforçar sua postulação foi o empresário Renato dos Santos Paixão. Suplente na disputa de 2020, com 527 votos, Renatex, como é conhecido, aposta na nova conjuntura.


Equívocos O clima do festival de Arembepe, encerrado nesta segunda-feira (20), parece que andou mexendo com os vereadores Herbinho e Jamesson, ambos do União Brasil. Liderados do alcaide Elinaldo foram flagrados tentando dar “carteirada” para garantir acesso a espaços da festa com limitação de público e/ou restrição de presença.


Equívocos 2 Depois da repercussão negativa, com milhares de visualizações dos showzinhos de truculência exibidos nas redes sociais e carimbados da imprensa, dupla entra para a história negativa da festa 2023.


Alpiste  Quem apostou no caos, quebrou a cara com apresentação do cantor Igor kanário, na tarde de sexta-feira (17), durante o arrastão de abertura do Festival de Arembepe. Conhecido pela sua relação conflituosa com a polícia e confusões de foliões durante suas apresentações, o “príncipe do gueto”, como é chamado, parecia mais um rouxinol.


Alpiste 2 Tranquilo e sempre pedindo paz, o agora ex-deputado federal, portanto sem imunidade parlamentar, sabe que a paisagem mudou e precisa afinar o seu canto.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


20/3/2022 Fechamento: 14h07


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Fone de ouvido O cantor Igor kanário, conhecido como príncipe do gueto, será uma das atrações do festival de Arembepe. Para puxar o arrastão na tarde de sexta-feira (17), primeiro dos quatro dias da festa, o agora ex-deputado federal pelo União Brasil vai ganhar um cachê de R$ 90 mil. Bancada pela prefeitura de Camaçari, a remuneração não deixa de ser generosa se comparada aos R$ 320 mil pagos por quatro dias no carnaval de Salvador, um circuito mais longo e que exige mais tempo de apresentação do artista.


Fone de ouvido 2 Diferente da conta oficial da prefeitura, onde Vanessa da Mata, atração da noite de sábado (18), terá cachê de R$ 165 mil; e a banda Psirico de Márcio Victor, R$ 120 mil pelo show na noite de domingo (19), o que chama a atenção são os blocos locais e suas atrações "top".


Fone de ouvido 3 Um desses blocos, com camisa sendo vendida a R$ 60, terá como atração no seu desfile de domingo (19), o grupo Parangolé do cantor Tony Salles. Não se sabe qual será o cachê do marido da ex-Tchan Scheila Carvalho para a apresentação nos cerca de 2 quilômetros da passarela de Arembepe. No carnaval de Salvador, Tony Salles recebeu mais de 200 mil por dia de apresentação.


Fone de ouvido 4 Outro com cachê gordo bancado pelo governo do estado no carnaval de Salvador e presença confirmada puxando outro bloco no domingo de Arembepe é o cantor Filipe Escandurras. O autor dos sucessos  "Lepo Lepo" e  "Fui Fiel"  recebeu R$ 240 mil por duas participações no carnaval da capital.


Fone de ouvido 5 Na magia da festa de Arembepe, onde a matemática do financiamento das atrações é sempre um mistério, o cantor Lincoln não poderia ficar de fora. O artista vai animar o bloco apadrinhado pela primeira-dama do município,sábado (18). Lincoln, que saiu do carnaval direto para a UTI, por excesso de trabalho, recebeu cerca de R$ 110 mil por dia de show na festa de Salvador.


Fone de ouvido 6  Longe de ser um evento capaz de contemplar as várias linguagens culturais, com a consequente atração de um público mais diversificado e seus reflexos diretos na economia da localidade, e no fortalecimento da cultura local, o atual formato do chamado festival de Arembepe segue na contramão. Uma dessas constatações de que algo precisa ser feito é a ausência dos grandes comerciantes na festa. Restaurantes e até pousada, referências na localidade conhecida mundialmente pelas suas belezas naturais e a aldeia hippie, vão fechar durante os quatro dias de festa.


Compromisso O alcaide Antonio Elinaldo (União) precisa ser transparente com os projetos de requalificação de trechos da orla do município. Quais são as propostas de urbanização da área da lagoa das Virgens, em Itacimirim? Qual o modelo de portal definido pela prefeitura para Itacimirim, Barra do Jacuípe e Guarajuba, as três últimas localidades no trecho de orla do município?


Compromisso 2 Apesar de financiado com dinheiro da CAF (Corporação Andina de Fomento), com  contrapartida da prefeitura, projetos assinados pela secretaria de infraestrutura (Seinfra) são tratados como se fossem empreendimentos particulares. Segundo apurou a Coluna, projeto com o mesmo formato do portal de Guarajuba está previsto para as localidades de Barra do Jacuípe e Itacimirim.


Compromisso 3 O desrespeito é tamanho que sequer a base aliada do alcaide Elinaldo tem conhecimento dessas propostas. No sábado (11), o vereador Vaninho da Rádio (União) usou as redes sociais para denunciar o modelo de portal a ser construído em Guarajuba. Cobrou detalhes e falou do projeto com portaria que vai impedir a circulação livre da população, num total desrespeito à Lei.


Compromisso 4 Essas intervenções na orla, com avanço de barracas de grife sobre as areias das praias, uso de espaço público para fins particulares, e tentativas de transformar essas localidades em feudos de uma suposta elite não é novidade. Modus operandi se repetiu com o antecessor de Elinaldo, o antecessor do antecessor, e o alcaide que veio antes. Com o atual gestor municipal o velho modelo  apenas ganhou nova versão. Guarajuba é um desses exemplos mais significativos, como mostrou a Coluna de 20 de abril, notas Capitania 1,2,3 e 4 (Confira).


Ufa! Finalmente, os vereadores de Camaçari resolveram reduzir o escandaloso recesso parlamentar. Ajuste dos atuais 90 dias para 55 dias deixa mais próximo da vida real dos trabalhadores/eleitores com direito a apenas 30 dias de descanso anual, isso se for trabalhador com carteira. Cobrança antiga da população e da imprensa ganhou drible do presidente antecessor, que postergou a mudança sob o pretexto de incluir a medida na complexa reforma do Regimento Interno da Câmara. Redução das ´férias`dos 21 vereadores foi assunto do Camaçarico de 17 de março do ano passado (Confira).


Ufa! 2 Mirando seu currículo e de olho na vaga de pré-candidato a prefeito do seu grupo, em 2024, o atual presidente, vereador Flávio Matos (União), botou a mudança para andar com um simples projeto de resolução.


Ufa! 3 Com a redução do recesso parlamentar, que deve ser votada nos próximos dias, os trabalhos legislativos no plenário e nas comissões acontecerão de 2 de fevereiro a 17 de julho e de 1º de agosto a 22 de dezembro. Atualmente, as sessões acontecem de 15 de fevereiro a 30 de junho e de 1º de agosto a 15 de dezembro. Claro que nessa conta do recesso de começo de ano não entra a semana do carnaval. Na prática, os 55 sobem para 62 dias.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


13/3/2022 Fechamento: 14h21


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Coluna Camaçarico 8 de março 2023


Passaporte Quem não deve ter ficado nada satisfeito com a mexida na estrutura de turismo no estado foi o atual secretário estadual da pasta (Setur).  Maurício Bacellar Batista perdeu a queda de braço para o filho do ex-deputado Marco Medrado. Diogo Medrado, que já comandava com amplos poderes a Bahiatursa, agora rebatizada e anabolizada como superintendência de superintendência de fomento ao turismo do estado da Bahia (Sufotour), vai continuar a organizar a festança.


Passaporte 2 Tido como apadrinhado da ex-primeira-dama Aline Peixoto, Diogo Medrado não vai apenas coordenar as ações do calendário de festas que inclui ações no carnaval de Salvador, cidades do interior, e o São João em todo estado. Também fica longe do secretário Mauricio Bacellar o melhor da festa: o comando na definição e negociações das atrações.


Passaporte 3 Na política desde os anos 1980, o filho do ex-vereador Amélio Batista e irmão do deputado federal João Bacellar (PV) foi candidato a prefeito de Camaçari nas eleições de 2012 com o nome ´Maurício de Tude`, numa referência ao seu então padrinho político, o três vezes alcaide e atual vice-prefeito José Tude (União). Perdeu para o então petista Ademar Delgado. Também tentou sem sucesso uma vaga na Assembleia Legislativa em 2014. Em 2016 brigou por uma cadeira de vereador, mas seus pouco mais de mil votos não foram suficientes para garantir uma das 21 vagas do Legislativo de Camaçari.


Carona O ex-alcaide e novo comandante da superintendência de trânsito e transporte público do município (STT), Helder Almeida (União), garantiu o seu pupilo na pasta da administração (Secad). Com André Anilton, que era seu subsecretário na Secad, jogando de titular, Almeida retoma parte do poder que possuía no começo da primeira gestão do correligionário Antonio Elinaldo (2017/2020).


Carona 2 Em seu discurso de posse na nova função, segunda-feira (6), Helder Almeida cobrou do governador Jerônimo (PT) uma ajudinha na aquisição de ônibus elétricos para a nova rede municipal de transportes que ele começa a implantar. A montadora chinesa BYD é uma das maiores fabricantes de ônibus elétricos do mundo e negocia a aquisição da área que foi usada pela americana Ford em Camaçari até o começo de 2021.


Sombra Nessa ´dança das cadeiras` entre STT e Secad, o coronel Alfredo Castro não vai ficar no ponto e desamparado. O ex-titular da STT, amigo pessoal do vereador licenciado e atual titular da pasta de esportes (Sejuv), Jorge Curvelo (União), vai ocupar uma assessoria especial no gabinete do alcaide.


Currículo A imagem de republicano do ex-governador e agora ministro do governo Lula, Rui Costa (PT), segue sofrendo sérios arranhões. O seu projeto pessoal de assegurar à sua esposa, Aline Peixoto, um emprego vitalício no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), com salário de R$ 41 mil mensais, ganhou mais uma alfinetada da grande imprensa.


Currículo 2 Depois do editorial do jornal Folha de São Paulo, postado no dia 31 de janeiro (Confira), Rui volta a ser destaque negativo com manifestação de outro gigante da mídia brasileira, o jornal O Estado de São Paulo. Em editorial desta quarta-feira, dia 8 (Confira), o Estadão cita Rui e outros dois casos de nepotismo envolvendo aliados o presidente Lula e encerra com a indagação: “No caso envolvendo Rui Costa, há um aspecto especialmente desolador. O nepotismo não está sendo feito às escondidas, longe dos holofotes, em uma recôndita repartição pública. Ao contrário. É realizado à luz do dia. Um dos principais ministros de Lula está colocando sua mulher no TCM-BA e ninguém no governo vê nenhum problema. Ninguém se sente constrangido. Qual será o patamar ético dessa gente?”


Legenda  O vereador Dedel  Reis (Republicanos) não é suplente, como vem sendo nominado na transmissão da sessão do Legislativo de Camaçari pela TV Câmara. Dedel assumiu a titularidade em setembro do ano passado com a cassação do mandato do seu companheiro de legenda Val Estilos. Mesmo que fosse suplente no exercício do mandato, é vereador e ponto.


Legenda 2 Suplentes no exercício do mandato, são outros quatro vereadores. Dois pelo União: Vaninho da Rádio no lugar de Fafá de Senhorinho, atual secretaria da mulher (Semu) e Mar de Areias que substitui Jorge Curvelo, titular da pasta de esportes (Sejuv). Pelo PSDB, Gilvan Souza na vaga de Dr Elias Natan, atual chefe da saúde (Sesau) e Manoel Jacaré na vaga de Dilson Magalhães, titular da pasta de relações institucionais (Serin).


Referência História viva da política de Camaçari, o ex-vereador Jose Raimundo Mônaco é o aniversariante do dia. Dos 82 anos completados neste 8 de março, cerca de 50 são de vivência no mundo da política. Eleito em 1974 para o primeiro dos seis mandatos de vereador, sendo duas vezes presidente do Legislativo, Mônaco conhece como poucos a história do município e seus personagens.


Referência 2 Mesmo fora da política com mandato, Mônaco continuou mergulhado nos debates e dando importante contribuição. É de sua autoria um importante estudo sobre a história do Legislativo de Camaçari. Pesquisa engavetada pelos últimos presidentes precisa ser resgatada. Cabe ao atual, vereador Flávio Matos (União), materializar esse registro e mostrar que Camaçari tem memória. Um pouco dessa trajetória foi contada por Mônaco a esse editor, durante entrevista em julho de 2020 no YouTube (Confira). 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


8/3/2022 Fechamento: 15h16


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Camaçarico 1º de março 2023


Volante “Ou é um foguete, ou um tiro no pé”. A declaração dada ao Camaçarico pelo ex-alcaide Helder Almeida (União), reflete de forma clara a situação da gestão do correligionário Antonio Elinaldo que tem a missão de reativar o sistema de transporte por ônibus em Camaçari, se quiser se fortalecer na disputa sucessória de 2024.


Volante  2 Sobre sua ida para a superintendência de trânsito e transporte público do município (STT), para pilotar a missão, o atual titular da secretaria de administração (Secad) não esconde que o sucesso da empreitada, além de melhorar a imagem da administração, lhe cacifa como nome forte na disputa da sucessão do alcaide e companheiro de partido.


Volante  3 Mesmo sem o ´sim` do alcaide que preferiu desconversar durante encontro com a imprensa, no começo da tarde de terça-feira (28/2), na Câmara de Vereadores, operação de troca está encaminhada e não tem volta. Sem possibilidade de um ´duplo comando`, o problema agora é acomodar o coronel Alfredo Castro, atual gestor da STT, numa outra função.


Volante 4 Em conversa com o editor da Coluna, na mesma tarde de terça-feira, Helder Almeida reconhece as pressões dos motoristas do sistema de transporte por veículos pequenos, chamado de “ligeirinho”, das cooperativas e de outros setores envolvidos nesse lucrativo negócio. Na sua conta, as ferroadas desse vespeiro, que não serão pequenas, como mostrou o último Camaçarico (Confira), serão neutralizadas com a satisfação da população com a volta dos ônibus.


Volante 5 Decisão sobre a busca de uma saída para o sistema de transporte não foi por acaso. Veio com o freio de arrumação do Ministério Público. O atual sistema, onde ônibus é uma raridade, não possui gratuidade para idosos, exclui pessoas com deficiências, além de ter sua conta sem nenhum controle por parte do município, em especial o sistema de bilhetagem Camaçari Card. Foi o risco de ação civil por parte do MP, respaldada num termo de ajustamento de conduta (TAC) que se arrasta desde 2013, que assombrou o alcaide Elinaldo.


Volante 6 Mesmo com tudo por fazer, expectativa de Helder Almeida é botar as linhas para funcionar até o final do junho. Diferente das 60 linhas informadas em nota semana passada, desenho inicial começa pela sede com cerca de 20 linhas e 42 ônibus.


Volante 7  A aceitação da oferta do serviço por parte do empresariado e as condições de atratividade é outra conversa que vem sendo gestada. Mesmo reticente, a pista veio do próprio alcaide Elinaldo. Disse que para compensar a baixa lucratividade das linhas de passageiros, um problema em todas as grandes cidades, a prefeitura pode criar um inédito sistema que compense a empresa ou consórcio entregando a operação dos lucrativos serviços de transporte escolar e transporte universitário. De acordo com levantamento da Coluna os dois serviços, com cerca de 100 ônibus, representam uma despesa mensal para o município de R$ 2 milhões.


Volante 8 Conta que ainda não se sabe o tamanho, vai precisar de outras fontes de recursos. A Coluna apurou que o modelo inclui a criação de um fundo de transporte público, que precisa ser aprovado pela Câmara de Vereadores, para gerir as receitas vindas da cota de IPVA que o município tem direito, das taxas e multas oriundas do serviço de transporte e trânsito na cidade. Nessa equação que ainda está sendo calculada, entra ainda as receitas geradas com o Zona Azul. Prometida desde o começo da primeira gestão Elinaldo (2017/2020), a tarifação de estacionamento na região central da cidade deve implantar nos próximos meses.


Volante 9 Com a volta do buzu municipal, o sistema intermunicipal, outro desrespeito ao direito do cidadão de ter transporte  público, coloca na pista outro personagem e também peça importante na sucessão municipal do próximo ano. Com graves prejuízos para centenas de passageiros e para a microeconomia que se movimenta via ônibus em toda a Grande Salvador, operação das linhas entre a capital e Camaçari, responsabilidade do governo do estado, coloca ao volante o também ex-alcaide Luiz Caetano (PT), secretário todo poderoso do governo do companheiro Jerônimo.


Finalmente A acessibilidade para pessoas com dificuldades de locomoção ou portadores de necessidades especiais em todas as dependências do prédio do Legislativo de Camaçari vai virar realidade. A promessa foi feita na última terça-feira (28), pelo presidente da Casa. O vereador Flávio Matos (União) assegurou à Coluna, que cobra o equipamento desde março de 2021 (Confira), ainda na gestão do antecessor de Matos, que o elevador especial será instalado nos próximos meses.


Finalmente 2 Sem esse equipamento fundamental, parte da população fica impedida ou passa pelo constrangimento da desnecessária ajuda para acessar quase a metade dos 21 gabinetes dos vereadores localizados no primeiro andar do prédio.


Na mira  Como vem registrando a Coluna (Confira), o concurso público da Câmara de Vereadores de Camaçari dá mais um passinho para sua anulação. Apesar da demora, anúncio não deve passar de março. As evidências são grandes e se reforçam agora com uma segunda ação na Justiça. A primeira  ação está em fase final. Concurso também está sendo investigação pelo Ministério Público. Realizado no último semestre do ano passado, processo seletivo mobilizou cerca de 5 mil candidatos na disputa das 50 vagas em 13 cargos de nível fundamental, médio/técnico e superior, com salários que variam de R$ 1,4 mil a R$ 6,5 mil.


No limite  O  vereador Ednaldo Junior Borges (União) parece enfrentar dificuldades para entender a nova realidade e a sua função no Legislativo depois que deixou a presidência da Casa, em dezembro. Apesar de escolhido como novo líder do governo do alcaide e correligionário Antonio Elinaldo, o edil tem exibido sinais incontestáveis de desconforto.


No limite 2 Durante a sessão de abertura dos trabalhos da Câmara de Camaçari, terça-feira (28/2), o edil surpreendeu seus pares ao trocar de lugar e ir sentar ao lado dos três vereadores oposicionistas. Segundo apurou a Coluna, mesmo com assento marcado do outro lado do plenário, ao lado dos colegas de bancada governista, o vereador Ednaldo optou por fazer fronteira com o oposicionista Vavau Amorim (PSB), que divide com os petistas Dentinho do Sindicato e Tanger Cerqueira as três últimas cadeiras do canto antigovernista.


No limite 3 O estranho comportamento não é novidade e já vinha sendo comentado pelos colegas de Legislativo. O vereador não compareceu à reunião organizada pelo novo presidente Flávio Matos com todos os vereadores e imprensa, no último dia 15, num hotel da orla do município. Dos 21 vereadores, apenas Dedel (Republicanos), por motivos justificados, não se fez presente.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


1º/3/2022 Fechamento: 19h16


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Engrenagem O atual secretário da administração de Camaçari, Hélder Almeida (União) assume nos próximos dias a missão de devolver ao município um sistema de transporte por ônibus. Em crise desde o governo do antecessor Ademar Delgado (2013/2016), situação só fez piorar com a marcha à ré engatada a partir de 2017 pela gestão do atual alcaide Antonio Elinaldo (União).


Engrenagem 2 Sem controle e entregue a operadores clandestinos como o “ligeirinho” e outros serviços precários de transporte de passageiros interligando a sede, a orla e a zona rural, sistema vai precisar ser reconstruído do zero.


Engrenagem 3 Essa não será apenas uma missão de gestão. É a última cartada de Helder Almeida se quiser se manter na disputa para ser o nome da base governista na eleição para prefeito em 2024.


Engrenagem 4 Para cumprir a tarefa, Almeida substitui coronel PM Alfredo Castro, atual chefe da superintendência de trânsito e transporte público do município (STT). Ainda sem paradeiro definido, Castro vive uma situação nada confortável. Além de não conseguir impor um ritmo eficiente na gestão da STT, o ex-comandante geral da PM virou alvo de ação em tramitação na Justiça, como mostrou em janeiro do ano passado a Coluna (Confira). Ação, com decisões desfavoráveis a Castro, no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), agora aguarda decisão da Justiça de Camaçari.


Engrenagem 5 Helder, que foi gestor de Camaçari entre 2003 e 2004, não terá missão fácil, apesar de contar com algumas facilidades, como o conhecimento da estrutura da STT e posse de uma radiografia do setor. Afinal, o seu genrão Eduardo Barros foi diretor de trânsito e comanda desde fevereiro do ano passado a diretoria de transporte, tida como a ´02` na estrutura da STT.


Engrenagem 6 Em nota distribuída para a imprensa, na sexta-feira (17), Helder Almeida fala em implantar um “transporte regular no município em 90 dias” com a criação de cerca de 60 linhas só na sede, onde se concentra mais da metade dos 300 mil moradores do município. Comunicado não fala em número de ônibus, mas a Coluna apurou que serão necessários cerca de 100 ônibus para atender esse número de roteiros.


Engrenagem 7 Mesmo sem mostrar de onde sairão os recursos para iniciar o serviço, como remuneração da empresa, valor da tarifa, missão não vai ser fácil e exige coragem do alcaide Elinaldo para garantir as ações necessárias do auxiliar, reconhecido como focado e acostumado a cumprir desafios. Afinal, a retomada do sistema por ônibus vai mexer no esquema de transportes por veículos pequenos, conhecido como “ligeirinho”, além de outros ´atores` envolvidos nessa conta que não movimenta menos que R$ 10 milhões/mês com tarifas. De acordo com levantamento feito pela Coluna, caso o serviço seja mesmo implantado como se anuncia, uma parcela significativa dos cerca de 400 ligeirinhos que rodam diariamente na cidade vão voltar para a garagem.


Engrenagem 8 Ainda sem a clareza necessária, que o alcaide Elinaldo e seu novo  titulr da STT têm a obrigação de detalhar o mais breve possível, retomada do sistema por ônibus pode representar uma mudança ainda maior no atual serviço de transporte de passageiros.


Engrenagem 9 Dentro desse leque de possibilidades, não pode ser descartada a passagem com valor simbólico, ou até a ´tarifa zero`, quando o poder público banca toda a remuneração do sistema de operação das empresas prestadores do serviço. Já em aplicação em cidades do porte de Camaçari, modelo mexe num filão cheio de poderosos padrinhos na máquina municipal. Se bem executado vira conta de multiplicar no caixa de popularidade da gestão que soma ponto com a população.


Engrenagem 10 Com ou sem gratuidade, a gestão do alcaide Elinaldo vem colecionando equívocos no setor, com prejuízos imensuráveis para a população que sofre com transporte caro, inseguro e sem o devido controle do poder público. Isso sem falar na pontuação negativa para uma cidade sede de importante complexo industrial. Sem transporte público, Camaçari perde preciosos pontos na conta de atração de novos empreendimentos.


Engrenagem 11 Apesar de ter tido 6 anos para organizar e manter em operação o sistema de transporte por ônibus numa cidade sede de um dos maiores complexos industriais do planeta, Elinaldo preferiu olhar para o retrovisor. Só agora, pressionado pelo Ministério Público, o alcaide abandona o espelhinho. A 19 meses das eleições e menos de 670 dias para deixar o poder, Antonio Elinaldo vai precisar engatar a ´primeira`, acelerar e botar o buzu para andar. 


Amplificador  O rádio de Camaçari ganha nova atração a partir de março. Com microfone aberto, estilo ´fala povo`, programa vai ao ar pela Líder FM. Segundo apurou a Coluna, novo produto da FM 96.5 não apenas nasce com a chancela publicitária do governo do estado. Tem como padrinho o  secretário de relações institucionais do governo Jerônimo, e candidatíssimo ao 4º mandato de alcaide de Camaçari, Luiz Caetano (PT).


Reforço A OAB-Camaçari promove mais um avanço em defesa da cidadania e do cumprimento das leis. A subseção da ordem dos advogados, presidida por Eduardo Requião, lança nesta sexta-feira (24) a sua ouvidoria de acompanhamento de políticas públicas. Estrutura vai receber solicitações da população sobre serviços e a atuação das estruturas públicas de poder no município, seja Prefeitura, Estado ou União.


Necessário Uma consulta imperdível para quem sonha conquistar uma cadeira no Legislativo nas eleições do próximo ano é o e-Book Vereador 2024: Guia da Pré-Campanha de Sucesso. O cuidadoso trabalho do jornalista e publicitário Geraldo Honorato está disponível e pode ser baixado gratuitamente. Clique no link e confira as preciosas dicas. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


23/2/2022 Fechamento: 16h17


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Retrocesso O sistema de transporte intermunicipal entre Camaçari e Salvador segue de mal a pior. Situação fica ainda mais complicada para os passageiros com mais de 65 anos. Serviço prestado pela empresa de ônibus, que por ironia tem Avanço como nome fantasia, dá marcha ré e atropela diariamente o Estatuto do Idoso.


Retrocesso 2 Além de exibir um número deficitário de veículos para a grande demanda de usuários do roteiro Camaçari/Estação Mussurunga/Camaçari, a Avanço humilha velhinhos e velhinhas com restrições absurdas.


Retrocesso 3 Diferente das outras empresas que atendem roteiros na Grande Salvador, a Avanço impede que esses passageiros, com os mesmos direitos que os demais, utilizem os bancos comuns quando os exclusivos para idosos e portadores de necessidades especiais estão ocupados. O resultado é uma viagem de cerca uma hora num percurso de 40 quilômetros em pé.


Retrocesso 4 Humilhação tem o aval de quem deveria preservar os direitos da população. Conhecidos por exibirem na imprensa e nas redes sociais narrativas de desenvoltura e capacidade de articulação, o atual alcaide Antonio Elinaldo (União), e o antecessor e agora secretário do governo Jerônimo, o petista Luiz Caetano, seguem mostrando justamente o contrário. Não conseguem promover ações conjuntas entre município e estado. 


Fatia  Camaçari deve receber ao menos R$ 5 milhões em obras e serviços do Orçamento Federal com a rubrica da deputada federal Ivoneide Caetano (PT). Parcela dos cerca de R$ 13 milhões que a parlamentar terá direito de indicar ainda neste ano, corresponde aos 38.894 votos obtidos no município, quase 40% de um total de 105.885 votos em todo estado.


Fatia 2  Se o critério proporcional por base eleitoral for seguido, os cerca dos R$ 8 milhões restantes devem incluir Salvador e Santo Estevão, responsáveis cada um por pouco mais de 6 mil votos. Também devem levar uma talhada as cidades de Dias D`Avila, onde a petista conquistou 4 mil votos, e Lauro de Freitas (3 mil).


Fatia 3 Verba calculada em R$ 13 milhões é o naco que Ivoneide e outros 218 deputados federais novatos, eleitos em outubro passado, terão direito. Cota, com soma total de R$ 3 bilhões, foi acertada entre o presidente Lula (PT) e o comandante da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), como forma de adoçar os novos parlamentares que por lei não teriam direito a emendas no Orçamento 2023.


Bandeja Por falar bolo e fatias de poder, o governador Jerônimo (PT) tem como uma das suas prioridades a retomada da prefeitura de Camaçari. De olho nas eleições municipais de 2024, o governador já discute com sua base local um elenco de intervenções para fortalecer a oposição no eleitorado do município.


Bandeja 2 Segundo apurou a Coluna, agenda inclui obras de infraestrutura na região da Via Cascalheira (BA-531), inclusive com a retomada do projeto do transporte de massa por trilhos até o polo industrial. Bolo deve incluir outras benfeitorias que garantam condições ao atual secretário estadual de relações institucionais, Luiz Caetano, voltar ao poder pela 4ª vez.


Bandeja 3 Certezas na oposição e reticências na base governista. Do lado antipetistra apenas o atual secretário e ex-alcaide, Helder Almeida (União) se apresentou como pré-candidato. Estão na lista dos que são postulantes, mas continuam no armário aguardando a mão amiga do alcaide Elinaldo, os vereadores Flávio Matos, presidente da Câmara; e os colegas de Legislativo Doutor Elias Natan (PSDB), licenciado no comando da pasta da saúde; e Jorge Curvelo (União), também fora do plenário e cuidando da gestão da pasta de esportes.


Bandeja 4 Mesmo silencioso ou desconversando sobre a inclusão de seu nome, o três vezes alcaide e atual vice-prefeito José Tude (União), completa o leque de opções no time azul. O também candidato ao recorde de 4 mandatos só vai para a disputa se o cavalo passar selado`, diz uma fonte tudista da Coluna.


Glacê Como mostrou o último Camaçarico (Confira), trabalho no Legislativo de Camaçari só depois do carnaval. Pelo regimento, o recesso deveria acabar na próxima quarta-feira (15), mas as sessões plenárias só serão retomadas no dia 28 com a abertura dos trabalhos de 2023 e a tradicional fala de começo de ano do alcaide. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


13/2/2022 Fechamento: 16h45


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 

 







Camaçarico 7 de fevereiro 2023


Mais um nó O imbróglio sobre a revisão do plano diretor de desenvolvimento urbano (PDDU) de Camaçari ganhou nova instância e caminha para um desfecho desfavorável para o alcaide Antonio Elinaldo (União) e sua secretária de desenvolvimento urbano, Andrea Montenegro. Processo de licitação e contratação de empresa, orçado em R$ 7,7 milhões, agora vai passar pela lupa do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). O processo foi denunciado pela Coluna em março do ano passado (Confira) e novamente citado com as novas acusações de irregularidades divulgadas no Camaçarico de 4 de janeiro (Confira).


Pós-folia Apesar do regimento definir o dia 15 como fim do recesso da Câmara de Vereadores de Camaçari, volta aos trabalhos só deve acontecer depois que o último trio elétrico desligar o gerador. Resta saber se as sessões serão retomadas terça-feira, dia 28, com a tradicional fala do alcaide Elinaldo, ou se os 21 edis espicham as férias até a quinta-feira, 2 de março.


Pós-folia 2 Já o desfecho sobre o concurso para seleção dos 51 novos servidores da Câmara de Camaçari segue sem data. Contestado na Justiça, sob a lupa do Ministério Público, e com sua lisura chamuscada nas redes sociais (Confira), certame que envolveu mais de 5 mil candidatos aguarda a palavra final do presidente do Legislativo, vereador Flávio Matos (União). Expectativa é de que a decisão, segundo apurou a Coluna, se direciona para a anulação do concurso e deve ser anunciada em março.


Calibre Camaçari registrou em 2022 o menor número de assassinatos dos últimos 7 anos. Com as 11 mortes violentas informadas em dezembro, o ano passado fechou com 164 assassinatos. Número dos chamados crimes violentos letais intencionais (CVLI) em 2022 é menor que 2021 (216), 2020 (198), 2019 (198), 2018 (173) e 2017 (249).


Calibre 2 A Coluna esclarece que os números de dezembro foram obtidos através de pesquisa na Delegacia de Camaçari, já que desde o final do ano passado esses dados estão indisponíveis no site da secretaria de segurança pública (SSP-BA). Números apurados mensalmente até novembro, através da coleta de dados no boletim diário que a SSP, também conflita com informações prestadas pela pasta.


Calibre 3 Solicitados por e-mail no dia 10 de janeiro e só respondido no dia 2 deste mês, a SSP informa que Camaçari contou 119 assassinatos em 2022, portanto uma diferença de 45 registros comparados com os 164 apurados mês a mês pela Coluna.


Calibre 4 Ainda segundo a SSP, a Região Metropolitana de Salvador (RMS) registrou 565 assassinatos em 2022, enquanto que em todo o estado foram contadas 5.082 mortes violentas. Comparados com os 119 assassinatos informados pela SSP, município representou quase 20% dos registros na RMS.


Calibre 5 Caso o mesmo número da RMS seja usado como medida e comprado aos dados coletados durante todo o ano pela Coluna (565 X 164), percentual sobe e se aproxima dos 30%. Na proporção da conta geral da Bahia (5.082) X Camaçari (164), município representa pouco mais de 3% dos assassinatos no estado em 2022.


Massa cinzenta Camaçari segue longe de qualquer manifestação de intenção de se incluir nos festejos pelos 200 anos de Independência da Bahia. Apesar de fazer parte de tão importante momento da história, resgatada pelo pesquisador e historiador residente em Camaçari, Diego Copque, nos livros: “Do Joanes ao Jacuípe, uma história de muitas querelas, trensões e disputaas locais’ e “A presença do Recôncavo Norte da Bahia na Consolidação da Independência do Brasil”, as secretárias Neurilene Martins, da educação; Marcia Tude, da cultura; e Cristiane Bacelar, do turismo, seguem mirando outros desfiles.


Massa cinzenta 2 Enquanto a Camaçari do agora festejado como ´prefeito fitness` cochila com o resgate, a preservação e o compartilhamento da sua história, os vizinhos Dias D`Àvila, Mata de São João e Lauro de Freitas se exercitam. Articulam encontros, debates e querem ser incluídos no roteiro do Fogo Simbólico, uma das manifestações que precedem o grande desfile do 2 de Julho em Salvador.


Massa cinzenta 3 O descuido com a história não se resume ao governo municipal. Na oposição, a aridez de ações em defesa da história e memória de Camaçari também é marca. Um desses recentes exemplos de descuido foi o pedido de inclusão de Camaçari no roteiro do Fogo Simbólico. Feita ao governador Jerônimo (PT) pelo deputado estadual e também petista Junior Muniz, a Indicação simplesmente esqueceu de citar a fonte da pesquisa que fundamentou a sua solicitação. Pedido datado de 25 de janeiro, que a Coluna teve acesso, sequer menciona o trabalho do professor Copque, que no seu último artigo “Camaçari nas comemorações do bicentenário do 2 de Julho”, postado na seção Colunistas do Camaçari Agora (Confira), volta a cobrar ação das autoridades.


Confetes Inflada pelos resultados das urnas de outubro e apostando na sua capacidade de mobilização, os oposicionistas de Camaçari fazem festa pré-carnavalesca sábado (11). A concentração está marcada para às 15h, na praça Montenegro. Capitaneado pelo PT, o bloco rotulado de ´político-cultural` e batizado com o sugestivo “Pela Esquerda é Mais Gostoso” desfila até a praça da Gleba B. A produção do evento não informou se a festa terá rei momo, rainha ou coroação.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


7/2/2022 Fechamento: 16h23


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Camaçarico 30 de janeiro 2023


Lá e Cá A instalação de uma unidade da montadora BYD em Camaçari segue em modo “denghòu”, que em chinês quer dizer aguardar. O que parecia bem encaminhado com a Bahia, agora ganha um componente de dúvida com a entrada do governo do Paraná na disputa. O estado sulista se reuniu agora em janeiro com executivos da montadora e ofereceu a área da fábrica de motores da Stellantis, no município de Campo Largo, desativada no final do ano passado. 


Lá e Cá 2 Com esse jogo, os chineses alimentam o xiwàng (esperança) dos dois estados e ganha melhores condições de negociação.


Lá e Cá 3 Pelo visto, o protocolo de intenções assinado pelos chineses em outubro do ano passado com o governo da Bahia, envolvendo a área da antiga Ford, desativada em 2021, não é definitivo.


Lá e Cá 4 O projeto BYD, de uso das antigas instalações da Ford-Camaçari, prevê investimentos de R$ 3 bilhões com a geração de 1,2 mil empregos com a montagem de ônibus, caminhões e automóveis de passeio totalmente elétricos. Pacote também inclui uma unidade de produção de componentes para baterias de carros elétricos.


Mistério A ausência de Camaçari no Índice de Concorrência dos Municípios (ICM) 2022, da Secretaria de Acompanhamento Econômico (SEAE) do  Ministério da Economia (ME), continua sem explicação convincente. Segundo apurou a Coluna, nem a secretaria de governo (Segov), muito menos a pasta da fazenda (Sefaz) receberam qualquer comunicação sobre o estudo.


Mistério 2 Apesar da negativa do município, que promete buscar esse elo perdido, relatório do ICM-2022 (Confira), informa na página 15 que: “No dia 07 de abril de 2022, todos os 119 prefeitos foram notificados por meio do Ofício SEI nº 104787/2022/ME, sobre a participação do respectivo município na Edição 2022 do indicador.


Mistério 3 Como mostrou o Camaçarico na última edição (Confira), a prefeitura de Camaçari foi um dos 5 do país, de uma lista de 119 municípios a não responder o questionário. Estudo busca identificar cidades com maior capacidade de atração de novos investimentos e responsáveis por práticas gerenciais capazes de contribuir com a redução da burocracia e dos custos para se fazer negócio no seu território. 


Pecador  Depois de  dois anos de pandemia, a festa de Vila de Abrantes, em homenagens a São Sebastião, no próximo final de semana, não vai apenas exibir a nova praça da Matriz. Mesmo obrigada a refazer o projeto para reduzir os impactos visuais negativos num dos mais antigos sítios históricos do Brasil, como mostrou a Coluna (Confira), a prefeitura de Camaçari preferiu insistir no descompromisso ao ignorar a necessidade de requalificação total da área vizinha à quatrocentona igreja Espírito Santo. 


Pecador 2 Obras que consumiram mais de R$ 2,5 milhões simplesmente esqueceram de retirar postes e as perigosas redes elétrica e de telefonia que passam a poucos metros da fachada da igreja. Além do risco constante para os fiéis e visitantes, fiações nas proximidades de fachadas de prédios históricos, como é o caso do famoso templo construído pelos jesuítas em meados do século 16, são elementos condenados pela sua interferência visual.


Pecador 3 O projeto de requalificação da praça da Matriz, inaugurado no final de junho do ano passado,  também ignorou a necessidade de ordenar os pontos de vendas de alimentos e bebidas instalados na lateral do templo. Esquecer os pequenos comerciantes do local só atesta a precariedade do projeto que deveria requalificar toda a área.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


30/1/2022 Fechamento: 16h31


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Camaçarico 23 de janeiro 2023


Omissão  Apesar de ocupar uma posição estratégica no mapa econômico nacional e mundial, como sede de um dos maiores complexos industriais integrados do planeta, Camaçari segue sem fazer o dever de casa como deveria. A mais nova nota baixa veio com a ausência do município em responder as perguntas do Índice de Concorrência dos Municípios (ICM).


Omissão 2 Formulado pelo Ministério da Fazenda, o ICM-2022, que pode ser conferido no relatório de resultados (Confira), busca identificar através de um amplo questionário, formas de promover a concorrência com práticas que diminuam a burocracia e os custos de se fazer negócio no município.


Omissão 3 Da Bahia foram convocados os municípios de Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista e Camaçari. Diferente dos outros 3 conterrâneos baianos, a cidade comandada pelo alcaide Antonio Elinaldo (União) não respondeu ao questionário. De acordo com o estudo, que pontuou a atuação dos municípios detalhados em 9 capítulos, Salvador teve nota final de 543,91, Vitória da Conquista somou 519,81, e Feira de Santana aparece com 344,33.


Omissão 4 Só para efeito de registro, cidades nordestinas com tamanho populacional próximo de Camaçari responderam o questionário. Paulista (Pernambuco) somou nota 528,38, Caucaia (Ceará) alcançou índice 473,91, e Imperatriz (Maranhão) finalizou com pontuação de 483,26.


Omissão 5 Pesquisa que está na 2ª edição, busca saber como empreender no município, sua infraestrutura, legislação construtiva, liberdade econômica, concorrência em serviços públicos, relação na contratação entre iniciativa privada e poder público, e legislação tributária.


Omissão 6 Dos 119 municípios brasileiros de todos os estados e regiões do país enquadrados nesse perfil, com população acima dos 250 mil habitantes, Camaçari integrou a lista das 5 cidades brasileiras que não enviaram as respostas. Convocado pela primeira vez para compor o estudo Índice de Concorrência dos Municípios, Camaçari ficou ao lado de Campos dos Goytacazes (RJ), Cotia (SP), Embu das Artes (SP) e São João de Meriti (RJ) na relação dos que aparecem destacados com traço, quando deveriam exibir pontuações. 


Omissão 7 Como destaca na sua página na internet, o ICM “permitirá uma avaliação ampla e objetiva do ambiente de negócios dos municípios brasileiros, assim como a disseminação e a troca de experiências entre as cidades”. Coleta de dados também funciona como um instrumento de atração de investimentos estrangeiros e promoção de políticas públicas lideradas pelo Ministério da Economia, além de permitir o compartilhamento das melhores práticas com os demais municípios brasileiros.


Ducha O alcaide Elinaldo tomou literalmente um banho durante a lavagem em homenagem a São Francisco de Assis, padroeiro de Monte Gordo, na última sexta-feira (20). Cercado por servidores e professores do município, munidos de cartazes pedindo reajuste salarial, respeito e diálogo, o gestor de Camaçari terminou no meio de um aperto que não estava nos seus planos.


Ducha 2 Para piorar, o carro pipa da prefeitura, provavelmente cumprindo ordens de algum assessor aloprado, resolveu tentar dispersar o protesto usando jatos de água. Geralmente usada para o banho de resfriamento dos fiéis mais emocionados, a mangueira do poder dessa vez encharcou o alcaide e provocou efeito reverso com aumento da temperatura. 


Troca-troca O professor João Dão, importante liderança de Arembepe, é o próximo a oficializar sua migração para a base oposicionista. Segundo apurou a Coluna, ato oficial de adesão ao grupo liderado no município pelo ex-alcaide e secretário do governo Jerônimo, Luiz Caetano (PT), deve acontecer com desfile e pompas, durante a festa de Arembepe, na segunda quinzena de março.


Troca-troca 2 A ida do professor João Dão, que somou 960 votos pelo Cidadania, nas últimas eleições para vereador, não é apenas um descontentamento com a gestão Elinaldo. Acima de tudo é uma questão de matemática eleitoral. Seu principal reduto, Arembepe tem outros dois nomes de olho nos cerca de 9 mil votos do segundo maior colégio eleitoral da orla de Camaçari, depois de Vila de Abrantes, maior reduto de eleitores, atrás apenas da sede, com mais de 15 mil votos.


Troca-troca 3 No time dos caetanistas, o professor Dão vai enfrentar dois nomes de peso  na banda  governista. O vereador e candidato a reeleição, Deni de Isqueiro (União) e Fábio Lima (PP), atual sub-secretário da orla.


Troca-troca 4 O ano começou com a tropa oposicionista mostrando troféu retirado da prateleira governista. Adesão de Wagner Bispo, festejado pelos oposicionistas durante a lavagem de Monte Gordo, na última sexta-feira (20), é outra conta da conveniência política. Liderança da comunidade e ex-candidato a vereador pelo PSL, na base elinaldista, Wagner somou 532 votos nas eleições municipais de 2020. No colégio eleitoral de Monte Gordo, com cerca de 8 mil votos, Wagner vai enfrentar dois nomes de peso. Os suplentes de vereador no exercício dos mandatos, Vaninho da Rádio (União), 1.103 votos; e Manoel Jacaré (PSDB)  1.133 votos, que devem continuar na base governista.


Troca-troca 5 O pula pra lá, pula pra cá, e volta a pular novamente, infelizmente faz parte do processo político brasileiro. Nessa cama elástica, Camaçari tem mestrado, doutorado e pós-doutorado. Movimento deve se ampliar nos próximos meses, com tendência de fortalecimento da base oposicionista, agora com a máquina do governo federal e a manutenção do controle do estado.


Dor e Delícia O presidente do Legislativo de Camaçari, vereador Flavio Matos (União) começou seu biênio (2023/2024) experimentado a pior parte do poder. Convocar sessão extraordinária num dia e só apresentar a pauta de votação para a oposição, com os 6 projetos de Lei enviados pelo alcaide e correligionário Antonio Elinaldo, pouco antes do início da sessão, no dia seguinte, não foi um bom começo. Também não foi um bom exemplo o processo acelerado na montagem dos componentes das 13 comissões permanentes do Legislativo na véspera da votação dos pareceres dos mesmos projetos.


Dor e Delícia 2 O atropelo desnecessário, já que possui 18 dos 21 votos da Câmara, mostra que a articulação entre Legislativo e governo precisa melhorar. Para quem mira ser o nome do grupo na disputa sucessória de 2024, o equilíbrio é fundamental. Não basta apenas pilotar um orçamento de R$ 140 milhões nos próximos dois anos, que seguramente deixa o céu mais perto. Precisa garantir a confiança de todos os vereadores e mostrar para a cidade que tem espírito público e exerce a democracia, base fundamental para um gestor municipal. 


The voice O vereador Junior Borges (União) não está sozinho no desejo de ser o líder do governo na Câmara. Os governistas com histórico de fidelidade ao projeto do alcaide Elinaldo, Ivandel Pires e Dudu do Povo, ambos do Cidadania, também sonham com o posto. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


23/1/2022 Fechamento: 12h14


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 

Clique na imagem para ampliar






Camaçarico 17 de janeiro 2023


Mira O presidente do Legislativo de Camaçari, vereador Flavio Matos (União), começou a desmontar o circo de poder armado pelo antecessor e companheiro de legenda, Junior Borges. A primeira canetada é o projeto de lei, de autoria da Mesa Diretora da Câmara, que extingue a Fundação Vereador Dilson Magalhães.


Mira 2 Estrutura criada por Borges, em dezembro de 2021, para controlar toda a comunicação do Legislativo, inclusive contratação de produtoras e estruturas para tv e rádio, só aumentaria a gastança do dinheiro público. Com a mudança, os cargos voltam a ser definidos pelo presidente, que pode nomear e exonerar quando quiser, diferente o modelo da fundação, que assegurva período de mandato para os ocupantes dos cargos de direção. Estrago só não foi pior porque a fundação, desenhada com 80 cargos, não chegou a funcionar como planejou o antigo presidente.


Mira 3 Flávio Matos, que precisa economizar, começa seus dois anos de poder se deparando com “restos a pagar” de cerca de R$ 1,5 milhão deixado pelo antecessor. Segundo apurou a Coluna, Matos busca uma saída para a herança de Borges, de forma a não reduzir seu orçamento anual de cerca de R$ 70 milhões, com o pagamento de velhas despesas com fornecedores e terceirizados.


Mira 4  Buraco nas contas do Legislativo ultrapassavam os R$ 7 milhões e foram cobertos em parte por uma complementação de quase R$ 5 milhões feita pelo alcaide Elinaldo, no apagar do ano de 2022. Agora é aguardar os próximos movimentos do presidente. Flavio Matos vai precisar aplicar o princípio da transparência, se quiser comandar a Casa nos próximos dois anos sem as manchas da conivência e do descuido com o erário público.


Mira 5 Enfraquecimento de Junior Borges, que passou parte do processo sucessório estadual  exibindo  sinais de dúvidas sobre sua fidelidade ao grupo elinaldista, não deve findar com o esvaziamento do seu poder de empregabilidade. Riscos é que não faltam. Vão de perder participação no governo municipal, agora que não possui mais o poder da presidência, até de ficar inelegível, caso não consiga fechar suas contas.


Mira 6 Outro tiro, também de calibre considerável, que tem Borges como alvo, é a possibilidade, cada vez mais real, de anulação do concurso da Câmara. Patrocinado pelo ex-presidente no último dos quatro semestres da sua gestão, biênio (2021/2022), processo seletivo segue sob questionamentos na Justiça e sob a lupa do Ministério Público, como mostrou a Coluna (Confira). Concurso que mobilizou cerca de 5 mil candidatos na disputa das 50 vagas em 13 cargos de nível fundamental, médio/técnico e superior, com salários que variam de R$ 1,4 mil a R$ 6,5 mil, também vem passando por pente fino pela nova  gestão do Legislativo.


Mira 7 Além do pacote  do Legslativo, sessão também abre a porta para a aprovação de projetos apresentados pelo alcaide Antonio Elinaldo (União), que alteram estruturas na máquina municipal com a criação de cerca de 110 novos cargos comissionados em várias secretarias. Mexida no regime de previdência, estruturação da carreira de advogado e mudanças na Procuradoria também fazem parte dos 6 projetos de Lei enviados em regime de urgência na sexta-feira (13), mas só distribuídos aos vereadores nesta terça-feira.


Mira 8 Pacote de bondades inclui a criação da gratificação de 50% para os 21 coveiros dos 7 cemitérios do município e direito de licença a servidores efetivos para que posam frequentar cursos de graduação.


Mira 9 Para que esses projetos sejam aprovados vai precisar passar pelas comissões temáticas. Sem membros desde o final do ano passado, quando acabou o mandato dos antigos ocupantes desses colegiados, novas composições foram aprovadas em sessão extraordinária, realizada de forma virtual nesta terça-feira (17). Votação do pacote deve acontecer nesta quarta-feira (18). Antes de ir para a confirmação do plenário, já que o governo tem 18 dos 21 votos, projetos serão apreciados em modo´the flash`pelas comissões.


Mira 10 Apesar de ser parte interessada, os servidores, representados pelos sindicatos dos professores (Sispec), e dos servidores (Sindsec), nada, ou quase nada sabiam. De acordo com o presidente do sindicato dos professores, Sara Santiago, categoria  foi pega de surpresa. Sabiam apenas sobre a proposta de liberação de servidores para a realização de cursos. O editor tentou, mas até o fechamento da Coluna não conseguiu falar com o presidente do Sindsec, Edmilson Jesus.


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


17/1/2022 Fechamento: 16h18


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 







Stand-by Na mira do Ministério Público e da Justiça, o concurso público da Câmara de Vereadores de Camaçari segue em modo espera. Depois do festival de questionamentos, como mostrou o Camaçari Agora e a Coluna Camaçarico (Confira), o novo presidente do Legislativo, vereador Flávio Matos (União) adota a cautela e segura a homologação das 50 vagas distribuídas em 13 cargos de nível fundamental, médio/técnico e superior, com salários que variam de R$ 1,4 mil a R$ 6,5 mil. 


Stand-by 2 Mesmo sem definição, processo seletivo gestado e realizado pelo antecessor de Matos, vereador Junior Borges (União), tem todos os requisitos para a anulação. Ainda segundo fontes da Coluna, vai ser muito difícil para o atual presidente da Câmara de Camaçari carimbar um concurso que mobilizou mais de 5 mil candidatos e virou notícia negativa na imprensa e postagens nada abonadoras nas redes sociais, pelo seu festival de estranhezas.


Cortejo O ex-vereador Téo Ribeiro é pré-candidato a prefeito de Camaçari. A jura foi feita sábado (7), durante a procissão do padroeiro São Thomaz de Cantuária. Currículo de presidente do Legislativo, secretário municipal e 5 mandatos de vereador garante ao ainda petista todas as condições de jogo. Aos pés do santo, disse à Coluna que não está nem lá, no time azul do alcaide Antonio Elinaldo, muito menos na equipe vermelha, liderada pelo ex-gestor municipal e atual secretário do governo Jerônimo, Luiz Caetano.


Cortejo 2 Outro que caminhou sob a sombra de São Thomaz, mas manteve distância do grupo de Caetano foi o vereador e companheiro de legenda, Dentinho do Sindicato (PT). Pelo visto, pecados  cometidos por ambos os lados, durante a campanha, ainda não foram perdoados. 


Cortejo 3 Divisão na outrora unificada base caetanista mostra que o chefe vai ter que acender algumas velas para trazer os ex-coroinhas de volta ao entorno do seu andor. Pacote que traz a luz precisa começar já, com as velas e incensos na montagem da máquina do novo governo estadual.


Cortejo 4 O rompimento do ex-vereador Jackson Josué, ex-presidente municipal do PT (2017/2018), e agora filiado ao Podemos, com o grupo do ex-alcaide Caetano (PT), condenou de vez uma amizade de década. Quem acompanhou a procissão teve a certeza de que o agora subsecretário de serviços públicos da gestão Elinaldo não divide o mesmo andor com o ex-alcaide Caetano, sob pena de derrubarem o santo.


Cortejo 5 A imagem do padroeiro São Thomaz não ficou sozinha na missa campal em seu louvor, na noite de sábado (7). Faixas colocadas estrategicamente na lateral das filas de cadeiras destacavam outros ´santos`, os da política.


Cortejo 6 Na sequência desse altarzinho improvisado, uma das faixas em homenagem ao santo reuniu as imagens do alcaide Antonio Elinaldo, ao lado do presidente do Legislativoe companheiro de legenda, o vereador Flávio Matos (União). Ainda na base governista, outra peça exibia a foto do vereador licenciado e atual secretário de saúde, Doutor Elias Natan (PSDB).


Cortejo 7 No mesmo patamar  também foram colocadas saudações ao padroeiro com fotos dos petistas Luiz Caetano, da deputada Ivoneide Caetano, e do vereador Tagner. Ainda na ala oposicionista, a novidade foi a imagem do desconhecido Ariel Souza, cristão novo da igreja caetanista e motivo de blasfêmia de alguns petistas.


Cortejo 8 Por falar em santo, andor e pecados, a praça Desembargador Montenegro, onde fica a igreja matriz do padroeiro São Thomaz de Cantuária, segue fora do rosário de ações da secretaria de serviços públicos. A chegada da procissão, no finalzinho da tarde de sábado (7), seguida pela missa campal, mostraram que a Sesp, comandada pela doutora Arlene Rocha, continua longe de cumprir a penitência da claridade que é sua obrigação.


Cortejo 9 A velha queixa de comerciantes e transeuntes ficou evidenciada com o precário sistema de iluminação da região, coração e centro da cidade. Pena que a secretária não apareceu. Deixou para o alcaide Elinaldo o pecado pelo descuido com o santo e com a Igreja Católica.


Troca O 12º BPM de Camaçari tem novo comandante. O tenente-coronel Roberto Melo Assunção substitui o também oficial da Polícia Militar e mesma patente, Fabrício Oliveira Silva. Solenidade será na próxima quarta-feira (11), às 10h, na sede do batalhão Dom Pedro I. O tenente-coronel Fabrício ficou cinco meses no cargo e foi antecedido pelo também Tc Andre Luis Cunha Campos, que ficou 15 meses no posto.


Panelão O sindicato dos jornalistas da Bahia (Sinjorba) realiza no próximo sábado (14) a sua tradicional feijoada. Confraternização da imprensa e amigos da liberdade de expressão acontece a partir das 12h no clube 2004, praia de Armação, em Salvador. Festa será animada pelos cantores Alice Moraes e Renan Pinheiro. O passaporte pode ser adquirido pelo whatsapp: 71 3321 1914. 


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com – Editor


9/01/2022 Fechamento: 19h37


Todas as Colunas


Instagram Joao leite


You Tube joao leite 


 

 



Anterior | 1 2 3 |4| 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 | Próxima

Encontrado(s): 397 registros

Listando página: 4

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2024 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL