Busca:






Cleiton Pereira


A Decadência Petista, também em Camaçari



Longe de querer entrar no demérito do estado deplorável em que encontra-se o Partido dos Trabalhadores - PT em âmbito nacional, elencarei a falência do petismo em Camaçari. Isso, a partir da análise superficial do comportamento de suas antigas lideranças e da ausência de novas lideranças na sigla vermelha.
Começamos com a divisão protagonizada pelo "criador" e pela "criatura". Ou seja, o ex-prefeito Caetano e seu sucessor Ademar (ambos do PT). Em que existe notória e descaradamente uma Estória de "racha" entre o grupo de que administra a cidade e compõem a base governista, chegando ao ponto de alguns se auto-intitularem PT1 ou PT2. Ao certo não se sabe quem é pertencente ao PT1 ou ao PT2, e o que significa cada sub-intitulação do petismo local. Pois, não apresentam NENHUMA NOVA IDEIA para a cidade, a não ser que são atuais "rivais" políticos.
De um lado, o ex-alcaide; que nunca teve identidade partidária, pertencendo a partidos de esquerda, centro e de DIREITA, carregando o discurso de insatisfação com o modelo de governar do atual chefe do executivo, que até a última eleição dizia ser o o IDEAL "PRA CONTINUAR". Esse, como cantarolava-se no jingle de campanha, seria o "trabalhador, honesto e competente...", a quem conhecia por longos anos e tinha TOTAL CONFIANÇA. Confiança esta, que foi evidenciada nas prévias do partido, sobrepondo inclusive a escolha da militância e lideranças, que queriam a época a candidatura do Deputado Estadual Bira Corôa (PT) para concorrer à prefeitura em 2012. Entretanto, o "caetanismo" falou mais forte e todos tiveram que engolir a seco a vontade inegociável de Caetano, que quis a todo custo e IMPÔS a candidatura de Ademar até o fim. O resultado do confronto com o Maurício de Tude (PTN) e a derrota deste todos já sabemos...
Do outro lado, o relacionamento após as eleições foi sendo abalado com a disputa de cargos, dinheiro e poder entre os dois (e seus "aliados"), que queriam e$paço$ no governo, mesmo sabendo que este já estava SUPERLOTADO, antes mesmo da aliança com os 18 partidos da base em 2012. O restante do TEATRO já virou historinha em muitos botecos e pizzarias da cidade, o qual me reservo em recontar. Onde entra a falência do PT (1 e 2) nisso tudo? Vou começar a dizer agora.
A militância que por tempos foi respeitada e temida por seus adversários políticos, foi derrotada e amansada por seu líder mor, quando a IGNOROU e lançou um candidato INDESEJÁVEL, cuja forma de lidar e tratar com o funcionalismo público municipal era questionada desde aquela época. O que já se fazia não esperar boa coisa. Todavia, o ex-presidente do PT na época era nada mais que Fábio Pereira, que fora substituído posteriormente por Luiza Maia, completando o jogo familiar de  Caetano, em DETRIMENTO do PT em Camaçari. Tudo que ele queria com isso era enfraquecer a legenda e tornar seu projeto familiar prioritário, para tornar muitos dos petistas dependentes políticos de suas jogadas. E conseguiu! Hoje o que se vê é um partido sem motivação interna e sem o surgimento de nada novo. Não existe sequer a renovação de lideranças. Quem seriam as novas lideranças do PT em Camaçari hoje em dia? São as mesmas de 20 anos atrás. Se é que se pode chamar de lideranças.
O pior de tudo é que alguns que eram para ter protagonismo nesse novo cenário, acabam por procurar "tirar o seu da reta", visando sabe-se lá o quê. Como é o caso do atual presidente do PT, ex-lider do governo petista e atual presidente da Câmara de Vereadores, cujo nome me falha na memória... Lembrei! É Marcelino. Esse tem se feito de morto quando o assunto é a "briga" (por cargos, dinheiro e poder) entre o ex e o atual prefeito. Nada fez ou tem feito para tentar inferir nessa peça teatral dos dois, talvez com MEDO de perder o seu mandato no futuro próximo, em razão de sua dependência de cargos no governo Ademar e de sua necessidade política em agradar Caetano para não ser "morto politicamente". Esse mesmo MEDO ocorre com o vereador eleito pela força do real na campanha, que entrou de paraquedas na Câmara, sendo EMPURRADO "na tora" pelo tio e pela tia, que na ausência de capacidade e amadurecimento político para adentrar em pautas mais importantes com a segurança, a saúde e a educação no município, se agarrou a SEDEL com unhas e dentes, para tentar angariar votos de pais de alunos, em contrapartida à doação de bolas, troféus e medalhas pelo órgão. A coisa é tão artificial, que mesmo este último tendo a relação parental, econômica e orientação com os "pseudos inimigos" (tio Caetano e tia Luiza) do atual alcaide, ficou do lado oposto ao projeto familiar. Será que alguém em sã consciência acredita nisso? Para com isso!
Observa-se que esse vereador do titio e da titia seria a tentativa de Caetano de renovar os quadros políticos do PT e assegurar a monarquia petista de sua família. Mas, é evidente que não deu certo. Face sua fraca atuação e aceitação política, que não motiva a base e nem intimida seus adversários.
Face à todo exposto, pergunta-se: Quem seria ou seriam os NOVOS QUADROS DO PT? Gilvan, Professora Patrícia, Oziel, Téo Ribeiro, Marcelino, etc... Esses são velhos quadros que possuem mandatos. E os que não possuem mandatos legislativos e tem voz ativa dentro do partido dos trabalhadores na cidade, existem? Onde? Quando? Aonde? Porquê? Não tem liderança feminina, nem jovem, nem LGBT, etc... Somente parentes de antigas lideranças com cargos de chefia no governo, sem ideias ou projetos para apresentar.
Toda essa FALTA DE COMANDO partidário e a insignificância de um partido altamente DEPENDENTE do ex-prefeito, preocupa o PT1 e PT2, que vê no comando do seu principal adversário partidário no município, que é o DEMOCRATAS do Vereador e pré-candidato Elinaldo, que a muito tempo é presidido pelo ex-gestor, articulador e coordenador da campanha de ACM NETO em 2012 e opositor ferrenho ao PT Hélder Almeida, a possibilidade concreta do fracasso do PT nas eleições de 2016. Enquanto falta no lado petista alguém que eleve a auto estima da militância e articule um futuro certo para a cidade e o partido, no lado opositor já se sabe quem será a figura responsável por aproximar o modelo de gestão de ACM NETO em Salvador, que está sendo exemplo pelo país, ao carisma e humildade do Vereador Elinaldo. Este, que tem se dedicado à árdua tarefa de combater firmemente os desmandos do governo do PT e buscar se preparar para o desafio de governar a cidade. Sem sombra de dúvidas Elinaldo é o "centroavante" de um time forte, que tem um técnico articulador e com espaço para fazer as mudanças necessárias para a competição que se aproxima. Enquanto o PT é tocado por um ventríloquo e marionetes, o Democratas tem um técnico e diversos jogadores. Mas, jogo é jogo. No apito final do juiz vamos conhecer o vencedor.
Só não vale a competição ser vendida pela FIFA!


Cleiton Pereira cleitonmpe@hotmail.com servidor público de carreira, militante e vice-presidente da JDEM


 
Últimas Publicações

Mobilidade em Camaçari? Quando? Onde?
Falta de educação e mortes no trânsito: de quem é a culpa?
Reduzir para acalmar: O que melhora no Transporte Público Coletivo?
Prefeitura descumpre TAC do Transporte Público e insiste na mentira!
Arrecadação de multas é prioridade!?
Projetos, Verbas, promessas... ACM NETO e ADEMAR: Quem avança e quem parou!
Quem fiscaliza a STT?
STT sem 'competência' para multar!
Greve na STT e seus culpados
Funcionalismo público falido
Os principais de Camaçari: Bira, Elinaldo, Luiza e Tude
Cadê o asfalto de Camaçari, que hoje é só buraco e remendo?
Novos trilhos para Camaçari ser uma só
"Água e Óleo: DEM X PT"
O Partido Verde está 'desmatando' Camaçari
Seja bem-vindo, comandante
'Lei Seca' começa a valer em Camaçari...
O pior inimigo de Elinaldo
A Decadência Petista, também em Camaçari
O "protesto" na quinta-feira e o PT


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2018 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL