Busca:

  Notícia
 
Toffoli critica estrelismo e diz que Lava Jato não é instituição


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, criticou nesta segunda-feira (12) a percepção de que a operação Lava Jato virou uma instituição. Segundo ele, a investigação nasceu de acordos republicanos, feitos pelos Três Poderes. Ainda segundo Toffoli, participou em São Paulo  de evento de empresários, a operação “não manda nas instituições”.


Toffoli afirmou que, durante os últimos anos, qualquer reação de algum poder em relação à operação foi percebida erroneamente como uma tentativa de acabar com a Lava Jato. “Não se pode permitir na República que algo se aproprie das instituições. (...) Temos que dizer isso abertamente. A Operação Lava Jato é fruto da institucionalidade, não é uma instituição”, disse, completando: “Um país não se faz de heróis, se faz de projetos”.


Ele criticou a tentativa de criação de um fundo de R$ 2,5 bilhões voltado para a operação. E elogiou, por outro lado, a sugestão de inclusão do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) no Banco Central, tirando o órgão da disputa entre Ministérios da Justiça e da Economia. 


Mais cedo, o presidente do STF deu sinais de que de fato encabeçou a campanha para a redução da Constituição Federal. Durante participação de cerca de uma hora e meia na 20ª Conferência Anual Santander, o magistrado falou por pelo menos cinco vezes sobre a necessidade de se tirar da Carta Magna temas pertinentes, por exemplo, à economia.


“Sou a favor da desidratação da Constituição Federal”, disse o ministro do STF durante sessão de perguntas e respostas no evento. Antes, durante sua apresentação, o ministro do STF havia falado que tem conversado com o presidente da República Jair Bolsonaro e com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para que as questões tributárias sejam retiradas da Constituição.


Na avaliação de Toffoli, a cada reforma que se faz no Brasil, o texto constitucional cresce e, por isso, ocorre a judicialização dos temas, o que colabora para aumentar a insegurança jurídica no País. O presidente do STF recebeu o apoio do presidente da Câmara dos Deputados Federais, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para quem uma Constituição mais enxuta trará maior segurança jurídica para os investidores. Estadão 

Mais Notícias

Justiça investiga 26 ex-governadores por corrupção
Viúvas de Brumadinho enfrentam dor, dificuldades e preconceito
Bolsonaro faz piada sobre sua relação agressiva com a imprensa
Morre aos 63 anos a professora Eunice Pereira
Caetano assume cargo na executiva nacional do PT
Erro na correção do Enem não altera inscrição para o Sisu
Novas regras não garantem fim dos candidatos laranjas nas eleições
Maioria defende demissão de servidor que não trabalha
Final de semana com festas em Abrantes e Monte Gordo
Aplicativo chinês avança e já ocupa o 2º lugar em downloads


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2020 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL