Busca:








Território Apesar do discurso de controle e comando cada vez maior da gestão de Camaçari, os movimentos do alcaide Antonio Elinaldo (DEM) sinalizam caminho oposto. A nomeação da urbanista Juliana Paes, para uma assessoria especial, depois de demitida do cargo de secretária de desenvolvimento urbano (Sedur), exatos 7 dias antes, seguramente não ajuda na construção desse entendimento.


Território 2  Mais uma vez,  a doutora Juliana, escudada por poderosos padrinhos e conhecida pelo seu temperamento forte, já experimentado pelo próprio Elinaldo, deixa o prefeito em situação de desconforto num momento que precisa mostrar força e afirmação para os 32 meses restantes de gestão.


Território 3  Demitida ‘a pedido’, não por vontade própria, como quis aparentar a formalidade do decreto, a canetada veio em função da força da denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), com ampla repercussão negativa na imprensa, na opinião pública, em significativa parcela de aliados, e até entre gente da intimidade do prefeito.


Território  4 Mesmo sem condições de permanecer no posto, seguiu blindada no cargo por 2 longos meses, até segunda-feira (9). Ferida e escudada em argumentos pouco convincentes exibidos em nota divulgada na imprensa (Confira), o calvário da doutora Juliana só subtraiu para a imagem da gestão. 


Território  5 Convidada para  assumir o novo cargo na segunda-feira da semana passada, quando sua saída foi anunciada, a urbanista preferiu esperar. A Coluna apurou que a proposta  era realizar no mesmo ato, a comunicação da exoneração e o anúncio  da nomeação para a assessoria especial. 


Território 6 Ao assinar decreto trazendo de volta a auxiliar,  que mesmo com competência reconhecida até pelos adversários, mas ainda envolvida nas denúncias do MPE (Confira), Elinaldo contraria sua própria lógica. Se não queria ou podia rifar a auxiliar, a troca de cargo logo no início do escâdalo, teria sido a solução menos traumática para o governo. Mais uma vez o tempo ajudou a doutora, mas foi inimigo do alcaide.


Fotocópia   Depois de 16 meses sem avanços nas políticas públicas de assistência social, o governo Elinaldo aperta o botão verde e sinaliza a manutenção da velha cópia como se fosse um novo original. Illay Ellery, filha da ex-primeira dama do município e titular da secretaria de desenvolvimento social e cidadania (Sedes) até dezembro, assumiu a pasta no lugar da ex-vereadora e filha do ex-deputado Ferreira Otomar. Janete Ferreira, que comandava a Limpec até dezembro, passando depois para a Sedes, onde ficou até o começo de abril, foi agora deslocada para a pasta de relações institucionais (Serin). 


Fotocópia 2 Equívocos na gestão da Sedes nos últimos  governos de Camaçari foi assunto  do Camaçarico. Sob o título ‘papel carbono’ (Confira) texto historia o descompasso na Sedes, inaugurado no governo do hoje deputado federal Luiz Caetano (PT), e prosseguido com singular descompromisso nos 4 anos do petista e posteriormente sem partido, Ademar Delgado. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


20/4/2018

 





Diagnóstico

Diagnóstico O governo municipal está decidido a fechar os PAs (Pronto Atendimento), posteriormente  promovidos a UPAs, de Vila de Abrantes e Monte Gordo. Estudos da secretaria de saúde de Camaçari (Sesau) mostram que as unidades funcionam de forma subutilizada, gerando mais custos que benefícios. Como antecipou o Camaçarico (Confira), os cerca de 6 mil atendimentos mês realizados pelas unidades passarão para a responsabilidade da UPA de Arembepe. 


Diagnóstico 2 Ainda segundo fontes do governo, UPA de Arembepe, maior e melhor equipada e também operando com capacidade abaixo da sua estrutura, pode receber esses pacientes. Mas, a conta politica continua pesando, com incertezas sobre o melhor diagnóstico, como mostrou o Camaçarico do último dia 6. Uma das  queixas é o tempo de deslocamento de um paciente de Abrantes, ou Monte Gordo para Arembepe. Quem trabalha com a vida sabe que minutos são decisivos para salvar. 


Tubo Mesmo com um dos mais altos orçamentos do Brasil, Camaçari segue longe do nível de saneamento ideal para garantir mais saúde aos seus cerca de 300 mil habitantes. Como mostrou o Camaçari Agora (Confira), município aparece  na posição 64 da lista das 100 maiores cidades do país. Fica atrás de Vitóiria da Conquista, 4ª no ranking nacional. Camaçari também perde para Salvador (41º) e Feira de Santana (42ª).


Fermento  E o vereador Zé do Pão (PTB) continua mudo sobre as denúncias do Ministério Público Estadual em Camaçari. O seu colega e presidente do Legislativo de Camaçari, Oziel Araújo (PSDB), distribuiu nota para imprensa negando participação em qualquer irregularidade na casa do Povo. O tucano garante que renuncia ao mandato, caso seja provado  cometimento de qualquer crime contra os cofres públicos.


Fermento 2  O promotor Everardo Yunes pediu a prisão e afastamento das funções da dupla por prática de crimes de peculato e lavagem de dinheiro. Como mostrou o Camaçari Agora (Confira) o MP acusa os vereadores por desvio de R$ 25 mil dos cofres públicos com o pagamento de benefícios devidos a um ex-servidor do Legislativo.


Fermento 3 Não é a primeira tentativa do promotor que virou heroi nas redes sociais. Em recente ação, Yunes pediu o afastamento de 20 vereadores, entre eles Oziel e Zé do Pão, por irregularidades com o dinheiro público também envolvendo assessores que teriam sido usados como laranjas.


Dura lex, sed lex  O alcaide de Camaçari parece mais preocupado com a queixa dos motoristas infratores do que com o cumprimento da legislação que deveria aplaudir. Em recente comentário, publicado no site Camaçari Notícias, Elinado não apenas invadiu o sinal vermelho como deu 'cavalo de pau' ao sugerir que a Superintendência de Trânsito e Transportes (STT) alivie. 


Dura lex, sed lex 2 Com a ordem de multar menos e realizar mais ações educativas, Elinaldo mostra que gosta do jeitinho, muito comum nas gestões passadas, quando se estacionava em qualquer lugar, o trânsito em Camaçari era uma desordem, e o pedestre, a parte frágil dessa engrenagem, corria mais risco. 


Dura lex,  sed lex 3 A doutora Joselene Cardim, titular da pasta da infraestrutura (Seinfra), deve andar se espelhando na gestão ACM Neto (DEM). Assim como na capital, os serviços de requalificação asfáltica das vias de Camaçari não são completados com o imediato e necessário nivelamento das tampas da rede de esgoto, muito menos com a indispensável sinalização horizontal. Será que as medidas estão cobertas por algum código camaçariense de trânsito que o editor da Coluna desconhece.


Despedida  A deputada Luiza Maia (PT) vai mesmo encerrar seu mandato longe do plenário da Assembleia Legislativa. Em 2º e último mandato, como já havia anunciado, a parlamentar vai ocupar a secretaria de desenvolvimento econômico do estado (SDE). A Coluna apurou que a transição já começou com um madureza rápido, com aulas sobre a estrutura e o funcionamento da  pasta. 


Despedida 2 Troca faz parte de um acordo com o governador Rui Costa, que precisa  da vaga na Assembleia para acomodar outro aliado, o suplente da coligação Angelo Almeida (PSB). Mesmo dando tchau para o Legislativo, Luiza pode continuar no governo Rui, caso o companheiro de partido confirme a sua reeleição nas urnas de outubro. Com ou sem secretaria, Luiza Maia não se despede da política. Continua sonhando com o comando de Camaçari.


Pistão  Quase R$ 22 milhões foi o volume de recursos que Camaçari recebeu de Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS), nos últimos 8 anos com o pedágio controlado pela Bahia Norte, concessionária do sistema batizado de BA 093. 


Pistão 2 A conta total é de R$ 81 milhões e beneficia mais 6 municípios (Salvador, Simões Filho, Candeias, Mata de São João, Lauro de Freitas e Dias D’Avila). Camaçari ficou com a maior parcela, pouco mais de 25% desse bolo. Segundo informou a concessionária, repasse equivale ao período de agosto de 2010 a março deste ano. Valor representa para Camaçari
uma média mensal de R$ 230 mil nesses 91 meses. 


Pistão 3 Como o ISS representa 5% do movimento dos guichês, regra de três mostra que a Bahia Norte, com cerca de 121 quilômetros de rodovia e movimento de 22 milhões de veículos por ano, segundo números fornecidos pela concessionária, faturou nesses quase 8 anos cerca de R$ 1 bilhão e 600 milhões. Essa continha de aproximadamente R$ 200 milhões por ano, deve engordar nos próximos meses com a inauguração Via Metropolitana, ligação Camaçari pela  estrada do Coco (BA-099), com Lauro de Freitas pela CIA-Aeroporto (BA-526). 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


18/4/2018

 





Vitaminado

Vitaminado  O 3 vezes alcaide e atual vice-prefeito de Camaçari, José Tude (DEM), foi o grande beneficiado pelo processo de mudança no secretariado da gestão Elinaldo. Além de emplacar o fiel escudeiro Waldy Freitas, ex-sub e agora secretário da pasta do desenvolvimento econômico (Sedec), Tude deu um significativo salto no controle de parte estratégica da máquina municipal com a nomeação da arquiteta com especialização em gestão ambiental, Sílvia Carreira, para a secretaria de desenvolvimento urbano e meio ambiente (Sedur). Com a filha Márcia Tude na pasta da cultura (Secult), ex-prefeito conta agora com 3 secretarias. 


Vitaminado 2 Sem questionar as qualificações técnicas da substituta da doutora Juliana Paes, a Coluna não pode deixar de registrar que a nova titular da Sedur possui vínculos  familiares com o empresário João Fonseca, amigo e historicamente ligado ao agora candidato a deputado estadual José Tude, padrinho da indicação. Fonseca exibe significativa presença no mercado imobiliário na região de Guarajuba, um dos mais valorizados trechos da orla oceânica de Camaçari. 


Vitaminado 3  O ex-vereador e candidato derrotado a prefeito de Riachão de Jacuípe nas eleições de 2016, Carlinhos Matos, segue firme, forte e amparado pelo aliado Elinado. Listado como um dos  demitidos no pacote de abril, Carlinhos  apenas pulou de galho. Troca a sub da Secad pelo mesmo cargo e espinhosa missão na Sedur. Na sua vaga deixada na Secad entra André Anilton dos Santos, ex-secretário de finanças de Candeias. 


Vitaminado 4  Camaçari já tem secretário da fazenda. O nome escolhido pelo prefeito Elinaldo é  Joaquim Bahia. Ex-secretário de finanças de Feira de Santana, na gestão Zé Ronaldo, Bahia estava ajudando a arrumar as finanças de Santo Antonio de Jesus, até a manhã de hoje, quando anunciou  oficialmente sua saída. Auditor fiscal do estado, Joaquim Barbosa chega com o perfil técnico e sem  estrelismos, imaginados para o cargo desde o começo da gestão.  


Vitaminado  5  Se por um lado a rearrumação fortaleceu Tude, outro ex-prefeito, Helder Almeida,  troca de posto mas não perde a vigilância e o compromisso com o acompanhamento da gestão política do governo. Mesmo transferido para o comando da administração (Secad), aparentemente uma perda de poder,  Almeida garantiu  espaço privilegiado mantendo pessoas de sua confiança, com José Gama, na pasta de governo (Segov), e Joaquim Bahia na fazenda (Sefaz). Segundo fontes ligadas ao ex-prefeito, Helder é homem de partido, tem compromisso com o projeto político e não vai descuidar  da  construção que ele planejou, montou e que resultou na eleição de Elinaldo.


Sintonia  A condução do processo de troca de parte dos secretários de Camaçari, oficializada na segunda-feira (9), e antecipada pela Coluna de sábado (Confira), mostrou que a gestão do alcaide Elinaldo segue distante do ritual ideal exigido nesses processos envolvendo aliados. Não dá para negar que o jornalista Biaggio Talento e a arquiteta Juliana Paes foram vítimas dessa falta de sintonia. A comunicação realizada quase que simultaneamente pelo próprio alcaide, e pelo Camaçarico, de que seriam desligados, gerou suspresas e deixou arranhões que Elinaldo poderia ter evitado.


Sintonia  2  O governo pode até minimizar, mas a ausência de Biaggio na apresentação da sua substituta, a jornalista Wanessa Rodrigues, durante conversa  com a imprensa foi comentário geral. Com temperamento mais forte, e ferida pela Ação Civil do Ministério Público que a acusa de receber vantagens indevidas a partir do uso do cargo, a doutora Juliana sabia que precisava enfrentar os holofotes para tentar reduzir o estrago na sua imagem.  Quem conhece a doutora Juliana sabe que a sua saída  não foi  fruto de acerto consensual com o prefeito. 


Finalmente  O advogado Luciel Neto é o novo subsecretário de cultura de Camaçari. Festejado durante a montagem do  governo, no final de 2016, como forte nome para comandar a Secult, Neto terminou perdendo a briga para Marcia Tude, filha e herdeira política do ex-prefeito e atual vice.


Finalmente 2 Apesar de anunciado como subsecretário, Neto também foi apeado do cargo. Vaga tida como certa para o nome do amigo e cota do vereador Jorge Curvelo (DEM)  ficou para o aliado político do então peemedebista Tude, João Batista. Mesmo rifado do cargo que na prática nunca exerceu, o ex-candidato a prefeito da distante cidade de Rodelas segue amparado  com um cargo de coordenador. 


Piquenique A nova titular da secretaria de desenvolvimento urbano e meio ambiente (Sedur), Silvia Carreira, precisa fazer uma visitinha urgente ao quase finado Horto Florestal do município. 


Piquenique 2  O passeio pelo perigoso e degradado espaço, localizado ao lado da agora rebatizada praça Doutora Lúcia, antiga Simpatia, pode até virar um convescote com as indispensáveis presenças do alcaide Elinaldo, do seu vice Tude,  e da doutora Neurilene Martins, secretária da educação. O grupo, infelizmente sem a participação da ex-secretária Juliana Paes, responsável pelo aumento da degradação do espaço nos últimos 15 meses, seria a formação ideal para uma aula de como deixar a educação ambiental virar fogueira. 


Trator   Arembepe, litoral de Camaçari, protesta sábado (14) contra as invasões de suas áreas de proteção ambiental. Manifestação tem concentração a partir das 8h, na praça Santa Rita. Graças ao descuido dos governos municipal e do estado, o outrora famoso paraíso underground com sua aldeia hippie,  vem sofrendo constante e cada vez mais intensa destruição das suas dunas, flora e fauna, rios e lagoas. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


11/4/2018

 

Clique na imagem para ampliar




Pacote

Pacote  O alcaide Antonio Elinaldo (DEM) anuncia oficialmente na manhã de segunda-feira (9/4) a troca de quase metade dos titulares do 1º escalão. Pacote com afastamento da gestão ou mudança de postos também incliu número significativo de subsecretários e cargos de escalões menores. Mais traquejado e com entendimento maior da máquina, mudança busca sinalizar um aumento de poder e de decisão final de Elinaldo. 


Pacote 2 A Coluna apurou que a lista, que pode chegar a 8 nomes, é encabeçada pelo atual secretário de governo, o ex-prefeito de Camaçari, Helder Almeida (DEM), que passa a ocupar a pasta da administração (Secad). Almeida substitui Reginaldo Paiva, que deixa a pasta juntamente com o amigo Renato Almeida, titular da fazenda (Sefaz). 


Pacote 3 Outra troca, essa por total incompatibilidade com a missão, é da atual titular da pasta do desenvolvimento social e cidadania (Sedes), a ex-vereadora Janete Ferreira. No seu lugar assume Ilai Ellery, filha do ex-prefeito Humberto Ellery e da ex-titular da Sedes no 1º ano da gestão Elinaldo, Simara Ellery. Atual secretária de relaçãos institucionais (Serin), Dona Simara, como é  carinhosamente chamada, deixa o governo. Na  rearrumação política, seu grupo passa a ser representado pela herdeira política Ilay. 


Pacote 4 Com menos de 4 meses  no comando da Sedes, a filha do ex-deputado Ferreira Ottomar e gestora da Limpec (empresa de limpeza pública do município) durante o 1º ano da atual gestão, Janete Ferreira, deve ser deslocada para a secretaria de desenvolvimento econômico. Considerado cota do prefeito ACM Neto, o titular da Sedec, Sérgio Vilalva, deixa a pasta e retoma suas atividades empresariais em Salvador.


Pacote 5 Como também antecipou o Camaçarico (Confira), o jornalista Biaggio Talento deixa a coordenação de comunicação. Em seu lugar, com outro perfil e missão, entra Vanessa Rodrigues. A Coluna apurou que Biaggio troca a coordenação por novas missões na gestão mais identificadas com seu perfil de jornalista e redator. 


Pacote 6 Já o secretário Junior Borges, apesar do lobby, não vai migrar da secretaria da habitação (Sehab) para a estratégica secretaria de governo. Gama Filho é o nome mais provável para ocupar a Segov com a saída de Helder Almeida que segue com o trabalho de articulação e gestão do dia a dia da máquina municipal.  


Pacote 7  Segundo apurou a Coluna, o pacote também inclui a exoneração de subsecretários. Abre a lista o ex-vereador Cleber Alves, atual sub da secretaria de agricultura e pesca (Sedap). Outro que deixa o governo é o atual sub  da Secad. Conhecido pelo pouco comparecimento ao expediente e nenhuma identificação com a cidade, o ex-vereador e candidato a prefeito de Riachão do Jacuípe, Carlinhos Soares desembarcou em Camaçari no pacote de indicações do DEM. 


Pacote 8 Lista de mudanças com trocas de postos ou exonerações inlcui ainda os subsecretários Rubens Maciel (Seinfra), Cosme Alves (Sefaz), e Evaldo Souza (Segov). Num escalão mais abaixo o troca-troca inclui a ida do coronel Arcanjo para um posto estratégico na STT (superintendência de trânsito e transporte), além de mexida na coordenação da Orla. A demissão da advogada Adriana Guedes, imexível desde o governo passado e blindada na atual administração pelo agora ex-secretário da fazenda Renato Almeida, deve ser uma das primeiras da lista de exonerações previstas para os próximos dias.


Sacolejo  Precisou acontecer um fato político intenso, a decretação da prisão do ex-presidente Lula, para que os partidos de esquerda em Camaçari conseguissem se unir. Uma manifestação contra a prisão do petista, e pela presença de Lula na disputa presidencial de outubro reuniu cerca de 200 pessoas, na sua maioria militantes partidários. O número, que não tem como ser contestado, exibe um enfraquecimento da base oposiconista numa cidade eminentemente industrial e com maioria da população formada por trabalhadores. 


Sacolejo 2  Comparada com outras recentes manifestações, passeata pelo centro de Camaçari foi seguramente o maior desde a derrota  do PT e aliado nas eleições de 2016. Sem o deputado federal e ex-prefeito Luiz Caetano (PT), em São Bernardo (SP), prestando solidariedade a Lula, a Coluna registrou as presenças dos vereadores petistas Dentinho do Sindicato, Jackson Josué e José Marcelino; e Binho do 2 de Julho (PCdoB). Dos parlamentares estaduais, apenas Bira Coroa compareceu. A deputada Luiza Maia e o vereador Téo Ribeiro, ambos do PT, não bateram ponto no ato que  reuniu dirigentes petistas, do PCdoB, do PSOL, da Rede, além de representantes de sindicatos de trabalhadores.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


7/4/2018

 





Descarrilados

Descarrilados  A exclusão de Camaçari aa linha do  VLT (veículo leve sobre trilhos) ligando Salvador a Simões Filho, anunciado pelo governo Rui Costa, é mais um castigo que a população paga por culpa da miopia dos seus antigos gestores. Mesmo com a necessidade de implantação de um programa de transporte de massa, a cidade-sede do maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul seguiu caminho oposto. Hoje milhares de trabalhadores e moradores chacoalham no lento, perigoso e caro sistema de transporte por ônibus, isso sem falar na rede clandestina.


Descarrilados 2 Induzida pelo discurso miúdo da retirada da linha do trem, bandeira do ex-prefeito Luiz Caetano (2005/2012), Camaçari  simplesmente involuiu, quando a aposta correta seria o modal dos trilhos. O descarrilamento prosseguiu com o alcaide Ademar Delgado (2013/2016), e parece contar com um novo passageiro, o alcaide Antonio Elinaldo, que não apresentou nenhuma proposta de inclusão de Camaçari no roteiro do VLT. Projeto do governo do estado, ainda no papel, vai integrar o metrô da capital a cidades da Região Metropolitana.


Passageira  O ‘ligeirinho’, sistema de transporte a cada dia menos clandestino e quase oficial, segue firme e forte sob o beneplácito da prefeitura e sua briosa e eficiente superintendência de trânsito e transporte. Boa na arte de multar, a STT segue distraída e olhando para o outro lado quando deveria mirar carros sem condições de rodagem e que põem em perigo a vida de centenas de passageiros.


Passageira 2  Filho da demagogia dos gestores, mais preocupados com o suposto saldo eleitoral que os operadores desses sistema oferecem, o ‘ligeirinho’ avança e já transformou o largo da Tupinambás,  coração de Camaçari, no seu terminal de passageiros. 


Passageira 3  Ao se comportar como passageira e não motorista de um sistema cada dia mais ingovernável e com prejuízos para a população, prefeitura faz de contas que o problema não é com ela. Deixa na gaveta o termo de ajuste e conduta (TAC), assinado ainda na gestão passada com o Ministério Público Estadual (MPE), se comprometendo licitar e a implantar um moderno sistema de transporte.


Sutura  Como antecipou a Coluna (Confira), a secretaria de saúde (Sesau) prepara reestruturação de unidades de forma a tornar o serviço  de atendimento mais eficiente. Fonte do Camaçarico assegura que proposta não é fechar as unidades de Abrantes e Monte Gordo, classificadas como UPAs. Meta é criar condições para que a UPA de Arembepe, hoje subutilizada com estrutura e atendimento abaixo da sua capacidade médica. 


Papel carbono O alcaide Antonio Elinaldo segue longe de acertar o passo na secretaria de desenvolvimento social e cidadania (Sedes). Depois de passar 1 ano com muito acolhimento dos técnicos , mas poucas ações, com a gestão da ex-primeira-dama Simara Ellery, a pasta experimenta  desde janeiro situação ainda mais grave. Com a ex-vereadora Janete Ferreira a Sedes sequer identifica um trabalho de aproximação com os profissionais da pasta.


Papel carbono  2 O resultado dessa falta de sintonia com a política pública de assistência social coloca a gestão do demista no mesmo buraco do antecessor Ademar Delgado, e de parte dos 2 mandatos do petista Luiz Caetano. Nessa conta de subtrair, que só soma para os fidalgos da Camaçari do atraso, preocupados com a manutenção de seus territórios, a população carente de todas as idades vê seus direitos elementares escaparem, aumentando assim o fosso da desigualdade.


Alerta  O ato ecumênico ‘Toda vida importa’, sábado, a partir das 18h, no largo do Cajueiro, bairro Gleba C, vai pedir segurança, justiça e a apuração rápida com a identificação dos criminosos responsáveis pela chacina do domingo de Páscoa, quando 4  homens, com idades  entre 17 e 27 anos, foram executados em plena tarde e no meio de dezenas de pessoas.


Alerta 2 Segundo apurou a Coluna, até o fechamento dessa edição, nenhum suspeito havia sido preso. Na Delegacia de Homicídios de Camaçari, onde os crimes estão apurtados, ligações de vítimas com  assassinatos recentes e comércio de drogas reforçam a tese de briga de grupos rivais. Conta de abril soma 7 assassinatos até a manhã desta sexta-feira (6).


Freezer  Nesse pacote de desaparelhamento chama a atenção o novo Departamento de Polícia Técnica de Camaçari. Inaugurado com foguetório, no dia 1º de março, pelo governador Rui Costa, unidade  completa 1 mês sem iniciar o funcionamento do setor de necrópsia. 


Ventos  A  Coluna confirma que a Tecnologia e Sistemas Avançados (Tecsis) possui 522 empregados, sendo que cerca de 200 estão em regime de lay off, como informou na última edição do Camaçarico (Confira). Retifica apenas que as fábricas de pás para aerogeradores instaladas em Pernembuco e Rio Grande do Norte não pertencem ao grupo sediado em Sorocaba (SP). 


Ventos 2  Segundo apurou a Coluna, a direção da Tecsis espera apenas o aval do sindicato dos trabalhadores para efetuar o acordo de pagamento da recisão e de outros direitos dos trabalhadores em 8 parcelas. Sem novas encomendas, fábrica aposta na retomada dos negócios a partir do 2º semestre de 2019 ou começo de 2020 para reativar a produção.


Ao vivo  O radialista e ex-candidato a prefeito de Camaçari, Marco Antonio, agora comanda  programa matinal na rádio Baiana FM 89.3. Entrevistas e informações de utilidade pública ocupam as 3 horas do programa, exibido de  segunda à sexta a partir das 6h. 


Caminhos Sábado (7) é Dia do Jornalista. Data instituída em 1931 pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI) é um bom momento para reflexão. Parabéns para todos os profissionais que trabalham de forma séria e compromissada com a busca da informação. Leitor é consumidor e patrão, quer saber a verdade, e notícia é mercadoria que precisa ser entregue da forma mais limpa possível e livre das impurezas das negociatas e do desrespeito aos princípios básicos do jornalismo. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


6/4/2018

 





Muito mais

Muito mais  A etapa de instalação oficial do campus da UFBA em Camaçari, no último 27 de março,  é apenas o 1º vestibular que a prefeitura precisa se esmerar para ser aprovada. O resultado deste dever de casa constante que a equipe do alcaide Elinaldo precisará fazer nos próximos anos, para ajudar a consolidar a unidade  será fundamental para que Camaçari possa ter num futuro não muito distante, quem sabe nos próximos 10 anos, a sua universidade federal nos moldes da vizinha do Recôncavo da Bahia (UFRB).

Muito mais 2 Não será necessária apenas a contrapartida nas reformas físicas de espaços no Teatro Cidade do Saber, onde o campus vai funcionar nos próximos 3 anos, muito menos mais tijolo e argamassa no campus definitivo  numa área igual  a 40 campos de futebol, nas margens da BA-512. A consolidação do campus e a sua evolução para uma universidade autônoma passa muito além da construção de uma ‘engenharia’ com empresariado do polo industrial, o grande consumidor dessa mão de obra especializada que a UFBA vai formar e entregar de  mão beijada.

Muito mais 3 A Universidade de Camaçari passa pela construção de uma política de  consciência  coletiva da importância de um centro de estudo e pesquisa sobre uma cidade tão singular, que saiu da miúda Camaçari dos anos 1970 para a inchada, poluída, cheia de problemas e desiguladades. Mesmo sediando um sofisticado parque industrial automotivo, químico, petroquímico, de energias renováveis, Camaçari ainda consegue manter uma 'fabrica' de natureza com seu rico, singular e indispensável ecossistema.


Muito mais 4 Camaçari com sua singularidade e histórico de crescimento nos últimos 40 anos não pode virar objeto de um registro aqui, outro alí. Precisa e deve ter muito mais que uma  escola eminentemente técnica de 3º grau para atender o imediatismo da produção industrial.


Muito mais 5 Atrair a sociedade organizada para pensar, debater e construir a Camaçari do futuro, mirando seu presente e recolhendo seu passado são fundamentais para esse avanço. Isso só é possível com ensino, pesquisa e compartilhamento desses conhecimentos com a comunidade.


UTI  A reunião de segunda-feira (2), entre o alcaide, o secretário de saúde, vereador licenciado Doutor Elias Natan (PR), e dirigentes da Sesau, mostrou um diagnóstico nada animador. Fontes da Coluna asseguram que as queixas do prefeito continuam. A travação do sistema, como disse Elinaldo durante a reunião, e a falta de recursos podem até comprometer a permanência de funcionamento das UPAs de Abrantes e Monte Gordo, unidades responsáveis por cerca de 6 mil atendimentos/mês.


UTI 2 Caso a reestruturação se confirme, com o fechamento das UPAs de Abrantes e Monte Gordo, município com 300 mil habitantes, que chegou a ter  6 Unidades de Pronto Atendimento, passa a ser atendido por 3 UPAs: Arembepe, Gleba A, e a ser inaugurada UPA pediátrica Nova Aliança, também na sede. 


UTI 3 A 1ª a ser fechada foi a UPA da Gleba B, no governo do ex-petista e depois sem partido, Ademar Delgado (2013/2016). Na gestão Elinaldo, a UPA da Nova Aliança, na sede do município, foi fechada e em seu lugar será instalada uma UPA pediátrica.


Ponteiros O secretário da fazenda de Camaçari, Renato Almeida, garante que não disse o que disse ao editor da Coluna sobre o prazo dado ao alcaide Elinaldo e a sua permenência na Sefaz, como publicou o Camaçarico na sua edição do dia 27 de março (Confira). Em nota enviada  ao editor, Almeida diz que nada falou sobre sua saída em decorrência da perda de poder na pasta, durante a conversa que teve com o editor do Camaçarico, na coxia do Teatro Cidade do Saber (TCS), no começo da tarde de terça-feira (27/3), enquanto esperava a chegada do ministro da educação Mendonça Filho. 


Ponteiros 2 O Camaçarico lamenta, mas entende o recuo do secretário.  Acostumado a entrevistar fontes de todos os tamanhos nos últimos 30 anos, o editor reafirma a informação e lembra que a entrevista, mesmo rápida, coisa de 5 minutos, aconteceu de forma tranquila e aberta, até surpreendente para o editor que esperava recusa ou dificuldade do titular da Sefaz em tratar o assunto. Leia a íntegra da Nota de esclarecimento enviada dia 28 de março: "O Secretário Municipal da Fazenda de Camaçari/Ba, Sr. Renato dos Santos de Almeida, vem a público esclarecer que a matéria intitulada “Relógio”, reportada na última terça-feira, 28.03.2018, no Portal deNotícias Camaçari Agora não foram divulgadas e/ou prestadas pelo mesmo.Esclareça-se ainda que referido assunto tem sido tratado diretamente junto ao Chefe do Executivo, Sr. Elinaldo Araújo. Renato dos Santos de Almeida - Secretário da Fazenda"


Dicionário  O petista Téo Ribeiro (PT) resolveu replicar com o mesmo verbete aplicado pelo promotor  Everardo Yunes, do Ministério Público Estadual (MPE), durante sua peça em que pedia o afastamento dos vereadores de Camaçari por uso  ilegal de recursos públicos em benefício próprio. Lista dos 19 representantes do povo divulgada por Yunes  aparecia com nome completo e os 'vulgos', como são conhecidos pelo eleitor. 


Dicionário 2 Durante os festejos dos 70 anos do Legilslativo de Camaçari, na sessão da última quinta-feira (29/3), o vereador fez um discurso que chamou de 'desabafo'. Defendeu os colegas, que segundo ele, não cometeram nenhuma irregularidade, e mirou suas críticas no promotor responsável pela Ação Civil Pública. Sem cerimônia devolveu o tratamento recebido no documento do MPE, ao citar o promotor conhecido pelo 'vulgo' de Yunes.


Dicionário 2  Mesmo sem referência pejorativa, o termo 'vulgo', que qualquer dicionário considera sinônimo de 'tipo apelido', ou 'como a pessoa é chamada e conhecida', é uma expressão comumente usada na linguagem do jornalismo policial para classificar pessoas envolvidas em delitos ou acusadas de infrações. 


Prejú  Quebrada por problemas de gestão, segundo apurou a Coluna, a unidade de Camaçari da Tecnologia e Sistemas Avançados (Tecsis), fabricante de pás para aerogeradores enfrenta processo de recuperação judicial com seus cerca de 522 empregados na fila da recisão.


Prejú 2 Situação não é nova. Desde o final de 2017 que cerca de 200 empregados estavam em regime de lay off. A Tecsis chegou a ter 4 unidades no país até o fechamento em 2017 da matriz em Sorocaba (SP), que pode ser reativada. Além da unidade Camaçari, inaugurada em 2016, empresa opera com fábricas em Pernambuco e Rio Grande do Norte.


Palco  Não é novidade o desejo do servidor municipal e ex-coordenador de eventos de Camaçari, Bira Chinelli, de disputar a prefeitura da sua cidade natal. A Coluna apurou que o assunto vem sendo debatido entre os Chinelli há algum tempo. Recente enquete realizada pelo site Camaçari Notícias mostrou que a vontade de entrar para a política começa a se fortalecer quando seu nome, nunca citado em nenhuma lista política, muito menos nas redes socais, aparece como opção para o teste das urnas nas eleições para deputado estadual em outubro. Bira, sempre discreto, nada fala.


Apoio  Candidatíssimo a deputado estadual, o vereador licenciado de Salvador, o tucano Paulo Câmara, ganha reforço em Camaçari. Secretário nacional de assuntos federativos da secretaria de governo da Presidência da República, até o final desta semana, quando se desincompatibiliza do cargo em Brasília,  Câmara chega pelas mãos do vereador Dilson Magalhães Júnior (PEN). Um trator para a associação de agricultores e apicultores de Cancelas, e recursos para programas de esporte e lazer no bairro das Mangabas estão entre os benefícios conseguidos por Dilson Junior.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


3/4/2018

 





Relógio

Relógio  O secretário da fazenda de Camaçari, Renato Almeida, deu um prazo para o alcaide Elinaldo decidir se quer  ou não a sua permanência na equipe. Sem arrodeios e de forma tranquila,  Almeida  disse à Coluna, na tarde desta terça-feira (27) que  nas atuais condições, não vale ficar.  Reforma administrativa aprovada pelo Legislativo no ano passado esvaziou a Sefaz e somou mais  engrenagens para a secretaria de governo (Segov), comandada pelo ex-prefeito Helder Almeida. Como antecipou o Camaçarico, o titular da Sefaz não  vai sozinho. Reginaldo Paiva, comandante da pasta da administração (Secad), também deixa Camaçari.


Relógio 2 Não são apenas os ‘ponteiros’ do doutor Renato que consomem o tempo do prefeito Elinaldo. O alcaide vai precisar ajustar, provavelmente até abril, o tic-tac da máquina, que ele jura vai bater no seu ritmo. A Coluna apurou que os titulares da comunicação, o jornalista Biaggio Talento; da procuradoria, Bruno Nova; e o secretário do desenvolvimento econômico (Sedec), Sérgio Vilalva, estão na lista dos que devem deixar seus postos.  


Relógio 3 Outro que sonha assumir os ponteiros da secretaria de governo (Segov) é o atual titular da habitação (Sehab), o vereador licenciado Junior Borges (DEM). Desalojar Helder Almeida da caixa até agora blindada e reconhecida como  titular da engrenagem mais importante da máquina municipal não será tarefa fácil. Com relógios para todos os gostos, a vitrine da boataria fala na ida de Almeida para a Sefaz, com a saída de Renato Almeida.


Fora da UTI Já o doutor Elias Natan, vereador licenciado do PR, fica no comando da secretaria da saúde (Sesau). A insatisfação com o aperto nas contas, as cobranças de aliados, adversários e, principalmente, da população que madruga nos postos de saúde do município, rendeu resultado. Segundo o doutor Natan, os 18%, apenas 3 pontos percentuais acima do mínimo exigido por lei para aplicar na saúde, não garantiria sua permanência na Sesau.


Fora da UTI 2  Natan lembra que em 2017 contou com pouco mais de 21% de orçamento, qualquer coisa perto de R$ 150 milhões, que já não foi a dosagem ideal para um ‘paciente’, como Camaçari, em crescente demanda por serviços e atendimentos. Não seria em 2018, com os custos ainda maiores, que os 18% previstos para este ano seriam necessários. Pressionado, o alcaide Elinaldo vai ter que abrir o cofre, senão o mal estar  não se resume  á saída de Natan. Atinge sua base na Câmara de Vereadores, com  a volta de Niltinho para a suplência.


Juntinhos  O atual vice de Camaçari, José Tude, já deu adeus ao MDB. Como antecipou a Coluna, o 3 vezes alcaide do município assina ficha no DEM, provavelmente nesta quarta-feira (28). Entrada  será abonada pelo  prefeito Antonio Elinaldo  que  deve  assegurar para o novo demista o ‘25.123’, número que disputou nas eleições 2014 para a Assembleia Legislativa.


Juntinhos 2 Em lados diferentes, apesar de alojados na oposição ao então esquema político comandado pelo  ex-prefeito e candidato a deputado federal Luiz Caetano (PT), Elinaldo somou pouco mais de 27 mil votos em Camaçari, 13 mil a mais que Tude, também  postulante a uma das 63 vagas no Legislativo estadual.


Adubo eleitoral A Petrobras vai esperar passar as eleições de outubro para definir o futuro da Nitrofertil. Durante encontro com parlamentares da Bahia e representantes da prefeitura de Camaçari, o presidente da estatal, Pedro Parente, anunciou sobrevida para a planta que produz  fertilizantes, mas que desde 2016 gera prejuízo para os cofres da empresa.


Adubo eleitoral 2 Parente, que é ex-ministro das pastas da casa civil, planejamento  e minas e energia nos governos FHC, prometeu adiar por 120 dias, 4 meses a contar de julho, o início da parada da produção da unidade instalada no polo industrial de Camaçari.


Reprovado  A consolidação do campus da UFBA em Camaçari virou medalha para o DEM, que agora festeja um projeto iniciado na gestão do PT de Ademar e do seu agora ex-tutor, o ex-prefeito e deputado federal Luiz Caetano. Mesmo comandando os governos estadual e federal, onde as coisas da UFBA são finalizadas, os hoje oposicionistas ignoraram o bê-a-bá. Não perderam apenas o vestibular. Deixam sem direito a aprovação uma cidade que já deveria ter sua universidade.


Reprovado 2  Grupo de estudantes e militantes oposicionistas que se concentraram na porta da Cidade do Saber, no começo da tarde de terça-feira (27), está precisando de reciclagem sobre táticas de protesto. Além de chegaram atrasados, promoveram reunião na porta do teatro para debater estratégia. Se ação para atrapalhar o ato de assinatura do Acordo de Cooperação Técnica e Científica entre UFBA e prefeitura de Camaçari fosse prova prática,  grupo levaria nota baixa. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


27/3/2018

 





Adubo

Adubo  A reação dos políticos de todos os partidos contra o fechamento da unidade da Nitrofertil, instalada no pólo industrial de Camaçari, é mais um capítulo do teatrinho ‘como enganar o eleitor. A saída integral da Petrobras da linha de produção de fertilizantes era decisão da estatal desde 2016, portanto não foi nenhuma medida açodada, como alguns tentam rotular. Os números conspiravam contra a antiga Fafem, produtora de fertilizantes nitrogenados, que em 2017 acumulou prejuízo de R$ 200 milhões. A unidade de Sergipe exibia prejuízo 3 vezes maior.


Adubo 2 Real, mesmo, só o prejuízo com o fechamento de postos de trabalho, desgaste na imagem do pólo de Camaçari, e prejuízo para os cofres da prefeitura do município. Camaçari deve perder algo em torno de R$ 8 milhões por ano com os impostos municipais IPTU e ISS, e com a parcela de ICMS que a empresa deixa de contribuir para o bolo estadual.


Vaaacilo  Pode até parecer estranho, mas a dificuldade de fala do vereador Niltinho (PR) foi destaque na sessão desta quinta-feira (22), durante as homenagens pelos 70 anos do Legislativo de Camaçari.


Vaaacilo 2  A surreal lembrança foi do vereador Dilson Magalhães (PEN) que durante sua homenagem aos pares sacou o celular e exibiu uma gravação de um gago, com ampla visualização nas redes sociais. Ninguém entendeu nada.


Vaaacilo 3  Num momento em que a Câmara de Vereadores de Camaçari enfrenta desgaste nunca visto nas suas 7 décadas de funcionamento, com ações na Justiça contra todos os seus membros, o silêncio é o melhor remédio para evitar a falta de decoro.


Pacote completo O doutor Renato Almeida, ainda secretário da fazenda de Camaçari, não deve deixar o posto sozinho. Seu amigo e fiel escudeiro, Reginaldo Paiva, já aposentado da sefaz estadual e titular da pasta da administração (Secad) também se despede de Camaçari com a saída de Almeida.


Pacote completo 2  Reginaldo, professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), começou em Alagoinhas, na gestão Paulo César (2009/2016) ex-PSDB e hoje no PDT, onde foi controlador, secretário de saúde e  depois  titular da fazenda no lugar de Almeida que queria ser candidato a prefeito na sucessão de Paulo César.


Lembrança  Camaçari finalmente decidiu ir às ruas para protestar contra o assassinato da vereadora carioca Marielle Santiago. Manifestação no final do mês dedicado às mulheres também pede respeito e combate a violência.  Ato organizado por sindicatos em conjunto com uma frente de partidos, inclusive o PSOL, legenda de Marielle,  será sábado (24),  a partir das 9h, na praça Desembargador Montenegro. Caso o tempo ajude e a mobilização mostre volume de público, manifestação se transforma em caminhada pelo centro de Camaçari.


Penumbra A Coluna errou ao relatar a ausência de qualquer homenagem à vereadora Marielle Franco, durante a premiação do 'Abrace Mulher', postado na nota 'Sombra' (Confira). Vídeo com citação à militante negra assassinada semana passada no Rio foi exibido no começo da solenidade. Com exatos 2 minutos e 37 segundos, vídeo enviado posteriormente ao esse editor, pela assessoria do Abrace Camaçari, exibe nos seus últimos 10 segundos a imagem da vereadora, com o fundo musical 'Maria, Maria'.


Penumbra 2  A Coluna lembra que parte da plateia ainda chegava ao Teatro Cidade do Saber (TCS), na noite de sexta-feira (16), quando o vídeo foi exibido. Sequer o prefeito Antonio Elinaldo e parte dos secretários presentes assistiram a homenagem. Estavam no foyer do TCS conversando com lideranças e imprensa. 


Penumbra 3  Não é política editorial do Camaçari Agora distorcer ou sonegar de forma proposital qualquer informação. Frontalmente contra essa prática antijornalística, agora reforçada nas redes sociais pelo perigoso 'fake news'. Convidados presentes à festa ouvidos pela Coluna reforçaram a certeza de que nenhuma referência foi feita ao caso Marielle. Release distribuído pela assessoria da prefeitura, na manhã de sábado (17), e publicado no site da prefeitura (Confira), também não citou nenhuma homenagem a Marielle na noite de premiação.


Imagem  Sobre a postagem da Coluna do dia 12 de março, sob o título ‘Nota baixa’ (Confira), onde cita a ONG Instituto Chapada de Educação e Pesquisa, a assessoria do ICEP envia correspondência reafirmando que não existe nenhum ilícito na sua contratação pela prefeitura de Camaçari, por inexigibilidade para a sistematização de proposta pedagógica no valor total de pouco mais de R$ 747 mil.


Imagem 2  Reconhece que a secretária de educação de Camaçari, Neurilene Martins, “já fez parte da equipe de formadoras do Instituto, mas seu desligamento ocorreu muito antes de qualquer perspectiva de indicação ao cargo de secretária em Camaçari”. Ainda segundo o ICEP “não há a mínima chance de estabelecer um vínculo estratégico entre as duas ações. Nem legalmente, nem por bom senso”.


Imagem 3 A Coluna não questiona a qualificação técnica do Instituto Chapada de Educação e Pesquisa, comprovada por parcerias com empresas e prefeituras. O que não dá para negar é a presença do ICEP na gestão de Camaçari, a partir das posses da doutora Neurilene e do seu subsecretário Márcio Vila Flor, ex-integrantes dos quadros do ICEP. No começo do ano passado, como mostrou o Camaçarico, a doutora Neurilene contratou o ICEP para organizar a Jornada Pedagógica. E, já naquele momento, em entrevista a uma emissora de rádio local, falava em futuras parcerias com o ICEP. Concretizada nos meses seguintes, essa parceria já sofre questionamento através de Ação Civil Pública no Ministério Público Estadual do Município.


Imagem 4 O Camaçarico reconhece que as publicações associando a doutora Neurilene ao ICEP desgastam a imagem do instituto de atestada qualificação técnica. Acostumado com a construção de projetos de cidadania e inclusão, o ICEP sabe a importância da imprensa na vigilância das ações que assegurem legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência no serviço público.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


22/3/2018

 





Demora

Demora  O ex-prefeito e atual vice-prefeito de Camaçari, José Tude, caminha para trocar o MDB pelo DEM. Fontes da Coluna garantem que mudança tem '99% de chances'. Com a decisão do deputado Lucio Vieira Lima de permanecer no comando do ex-PMDB, Tude sabe que chances de se elegar deputado estadual pelo seu atual partido ficam menores diante do desgaste impostos ao partido com a prisão de Geddel e as ações na Justiça contra o clã dos Vieira Lima. A alternativa oferecida a Lucio, de trocar o MDB por uma legenda pequena para brigar com mais chances pela sua reeleição, agora descartada pelo irmão de Geddel, empurra o 3 vezes prefeito de vez para o DEM. 


Demora 2  Na base do alcaide Elinaldo tem quem classifique como atrasada a decisão de Tude. O ex-prefeito perdeu a chance de deixar o agora MDB antes do terremoto dos R$ 51 milhões encontrados num apartamento ligado ao ex-ministro Geddel. Em meados do ano passado, Elinaldo ofereceu a legenda e o seu número, o 25123, para que o seu vice disputasse com honras, mas Tude preferiu pensar. Entrar para o DEM aos 45 minutos do 2º tempo não é negativo. Chegada de Tude vai exigir mais velocidade na sua acomodalção na nova casa.  


Checkout  O secretário da fazenda de Camaçari, Renato Almeida, finalmente vai deixar o cargo. A informação foi postada na sexta-feira (16) no site Pauta Livre (Alagoinhas), editado pelo comunicador Ailton Borges. A saída, esperada desde o ano passado, quando as conversas sobre a substituição de Almeida foram iniciadas, juntou pressão do governo Elinaldo com o desconforto de Almeida. 


Checkout 2 Indicação do deputado federal Paulo Azi (DEM), Almeida precisa voltar para a secretaria estadual da fazenda, onde é auditor de carreira, para iniciar seu processo de aposentadoria. Obedecido todos os trâmites legais, que  segundo apurou a Coluna devem ser concluidos até final do ano, Almeida volta a ficar livre, e com cerca de R$ 30 mil mensais de aposentadoria, para novas missões do seu grupo político. 


Checkout 3 Daniel Ivo Nere Grave, atual secretário da fazenda de Alagoinhas e nome citado como  provável substituto, foi pensado pelo governo Elinaldo desde o ano passado. Mestre em desenvolvimento e gestão social, Grave ajudaria na arrumação da pasta de desenvolvimento social e cidadania (Sedes). Retirar Grave não parece ser operação fácil. O técnico da cidade vizinha, também gerida por alcaide sem expertise administrativa, como Camaçari, seria descobrir um santo para proteger outro.  


Sombra  O Prêmio Abrace Mulher, realizado na noite desta sexta-feira (16), no Teatro Cidade do Saber (TCS) seguiu o roteiro esperado. Nessa sua 1ª edição a homenagem às mulheres de Camaçari, mesmo bonita e emocionante, poderia ter ousado mais. A visão do artista e coreografo Anderson Hassys, a qualidade do quarteto de músicos e as vozes das cantoras homenageadas foram fundamentais para esfriar o roteiro conservador. 


Sombra 2 Coluna lamenta a ausência de qualquer citação ao assassinato da mulher, como todas as homenageadas, a vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco. Prefeito, a primeira-dama e anfitriã, ou qualquer outra homenageada, independente da cor partidária e do engessamento do roteiro da festa, sem fala dos agraciados, não poderia ter passado sem registro o brutal encerramento da vida da parlamentar do PSOL. Afinal, a noite era de festejo e empoderamento da mulher.


Currículo  O ex-alcaide de Camaçari (2013/16), Ademar Delgado (sem partido) vai ter de coçar o bolso para se defender da  condenação na 1ª Vara da Fazenda Pública de Camaçari que mandou bloquear seus bens no valor de R$ 2 milhões e 400 mil. Ademar, segundo a Justiça, praticou crime de improbidade ao gastar o dinheiro do município com festas e eventos evangélicos promovidos pelo Conselho de Ministros Evangélicos de Camaçari. 


Currículo  2 Outra bala na mira do ex-petista tem calibre ainda maior. O mesmo juiz César Borges deve decidir  sobre os pouco mais de R$ 5 milhões e 500 mil gastos com os pagamentos das contas de água e energia do Centro Comercial de Camaçari, durante seus 4 anos de gestão.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


19/3/2018

 





Contraponto

A secretaria de cultura de Camaçari (Secult) manda Nota contestando informações postadas na Coluna de 12 de março, nota ‘Desafinada (Confira). Na resposta enviada ao editor do Camaçarico a Secult garante que o processo de seleção para professor da Orquestra da Cidade do Saber segue todos os princípios exigidos nesse tipo de processo no setor público. Leia a íntegra da Nota


"Boa tarde, vimos através deste solicitar resposta ao texto publicado no portal "Camaçari Agora" no último dia 12/03. A matéria refere-se ao processo de seleção para professor da Orquestra da Cidade do Saber.


A Secretaria Municipal da Cultura esclarece que o processo público de seleção de professores para a Orquestra da Cidade do saber, encontra-se em andamento, não tendo, sequer, sido ultimada a sua primeira fase, que é a de habilitação dos candidatos, etapa realizada exclusivamente por servidores do município de Camaçari.


Portanto, repele, por conta de ser inverídica e totalmente descabida, a informação divulgada, através de veículo de mídia digital, de que profissional da área da música, que não compõe o quadro de servidores deste município, estaria participando de julgamento em que, em tese, concorre um filho seu.


Divulgar fatos que não correspondem à verdade, sem averiguar sua procedência e a veracidade dessas informações, imputa responsabilidade ao seu autor, além de, como é o caso,  em nada contribuir para o bom andamento do processo de seleção pública, que até aqui tem se mostrado hígido, transparente e legal.


Os resultados da seleção em comento, em todas as suas etapas, serão divulgadas, oportunamente, no veículo de imprensa oficial, como determina a lei, ficando à disposição de toda a população, e da imprensa em geral, para serem replicados. Até o presente momento, nenhum nome, de candidato ou julgador, foi apresentado, o que torna, via de consequência, totalmente falsa, sem nenhum fundamento, a notícia veiculada em jornal local."


Contraponto Enviada por e-mail na terça-feira (13) às 14h38, mas amplamente publicizada nas redes sociais desde às 13h, nota da Secult insiste em negar o óbvio. Assegura que: “Até o presente momento, nenhum nome, de candidato ou julgador, foi apresentado. A Coluna reafirma que é do conhecimento público a lista dos selecionados para a próxima etapa, concluída com a fase de avaliação curricular, quando a maioria dos concorrentes é eliminada para o processo seguinte.


Contraponto 2 A Secul também’ repele’ e classifica de ‘inverídica e totalmente descabida’, a informação de que “que profissional da área da música, que não compõe o quadro de servidores deste município, estaria participando de julgamento em que, em tese, concorre um filho seu.” Mais uma vez a Secult não questiona apenas a capacidade de levantamento de informação da Coluna. Vai além ao subestimar a inteligência do leitor. Diante do pequeno universo de profissionais habilitados para o exercício da função, é fácil identificar quem está ou não na disputa e toda a mecânica de funcionamento desse processo, inclusive quem vai julgar.


Contraponto 3 A Secult pode até negar oficialmente a escolha da banca, mas a Coluna apurou junto a candidatos que o maestro Bira Marques e os professores Jorge Sacramento e Angelo Rafael responderão pela seleção final com o julgamento das apresentações das ‘peças musicais’ dos concorrentes. A secretaria só não pode negar a lista de candidatos já postada no site da prefeitura.


Contraponto 4 Possuem idades variadas as denúncias de desmandos na gestão cultural de Camaçari feitas pelo Camaçari Agora. Não foram poucas as Colunas cobrando ações contra o desmonte da Orquestra Sinfônica, depois transformada em Pró-Sinfônica, no governo passado, e agora na atual gestão sobrevivendo sem funcionamento regular e grave prejuízo para o futuro de dezenas de jovens músicos do município.


Contraponto 5 Lista de denúncias avança com o Conselho de Cultura, que de tão aparelhado e descompromissado com a formulação e fiscalização, sua função constitucional, terminou sendo extinto pela atual titular da Secult, lastreada em denúncias, muitas  postadas no Camaçarico.


Contraponto 6  Exatos 14 meses depois de assumirem o controle da Secult, nenhuma linha foi apresentada sobre a auditoria nas contas do programa Cidade do Saber, muito menos sobre a ‘herança maldita’ na pasta da cultura. Parece seguir  tudo como dantes. Até o inseguro e em perigoso uso, Teatro Cidade do Saber continua a abrigar shows e eventos.


Contraponto 7  Camaçari precisa sair do passado, romper os velhos e carcomidos métodos, resgatar sua história, seus monumentos, e os saberes e fazeres de sua gente espalhada pela sede, zona rural e orla. Sem esse compromisso é fácil identificar quando a encenação não convence, a coreografia falseia o passo, a estética engana, a afinação dói nos ouvidos, e o reles texto transborda inverdades.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


13/3/2018

 





Escapou

Escapou  Por pouco, o alcaide Antonio Elinaldo (DEM) não faturou o título de inimigo das tartaruguinhas e por extensão da natureza. O cancelamento do projeto de funcionamento de um palco para apresentações artísticas nas areais da praia de Arembepe, durante a festa de encerramento do calendário de verão da Bahia livrou o gestor  de mais uma sapecada com repercussão nacional, tal a fama do outrora paraíso hippie dos anos 1970. 


Escapou 2  Mesmo com o aval e orientação do Centro TAMAR e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), recuo foi medida acertada. Muito mais que sujeira e depredação ambiental geradas pelas apresentações artísticas durante a festa de Arembepe, estrago que esse tipo de festa iria provocar justamente numa área de circulação de tartarugas marinhas cairia no colo do gestor. Espaço pode, e até deve ser usado para atividades culturais, mas com uma pegada mais leve.


Revezamento  A intensa presença de militantes a apoiadores da oposição, durante o cortejo de abertura da festa de Arembepe, na sexta-feira (9), foi mais um sinal de alerta para o alcaide de Camaçari. Enfrentando intenso desgaste com denúncias de desmandos por seus auxiliares, governo do DEM entra no seu 15º mês com baixo poder de reação e longe da proposta mudancista que tanto pregou na campanha.


Revezamento 2  Um desses sinais claros de descontentamento foi dado durante o show da banda Psirico. Chamado pelo cantor Márcio Vitor para anunciar o camafolia, durante  a festa de aniversário da cidade,  em setembro, a plateia não poupou vaias. 


Revezamento 3  Ruim para a situação, bom para a oposição. De olho num 4º mandato de prefeito, o deputado federal Luiz Caetano (PT) sai da condição de derrotado, justamente pelos erros cometidos nos últimos 8 anos de gestão, refroçados pelos 4 de seu agora ex-pupilo Ademar Delgado, para o status de queridinho das oposições e 1º na fila para 'salvar' Camaçari.


Revezamento 4   Sem novas lideranças, muita desinformação e uma tradição fisiológica da atividade política, município vive o ciclo vicioso da alternância das velhas práticas com novos rótulos. No meio desse ambiente de interesses nada sintonizados com as necessidades de implantação e fortalecimento de políticas públicas, o eleitor que tanto reclama dos gestores, termina reciclando e carimbando a solução que  descartou recentemente.


Nota baixa E a doutora Neurilene Martins, comandante da secretaria de educação (Seduc), aparece em mais uma situação que exige apuração rigorosa. Depois de contratar sem licitação o seu antigo empregador, a ONG Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (ICEP), e posteriormente formar parceria para implantação de projetos para serviços na pasta que comanda desde janeiro de 2017, a professora aparece em nova polêmica. 


Nota baixa 2 Como mostrou o Camaçari Agora (Confira), a pasta da doutora teve processo de compra de material suspenso semana passada pela Justiça. No entendimento do juiz César Borges, o tecido solicitado pela Seduc para confecção do fardamento apresenta especificações impossíveis de serem cumpridas por todos os concorrentes. Ata do pregão de 26 de fevereiro mostra que compra teve propostas de valores que variaram de pouco mais de R$ 2 milhões a quase R$ 6 milhões.


Nota baixa 3 A expectativa é  de que a doutora Neurilene preste esclarecimentos amanhã (13), na Câmara de Vereadores, durante Audiência Pública para apresentação dos seus projetos e ações. 


Sem caneta Não espere para antes do fechamento das urnas de 7 de outubro qualquer mudança no secretariado do governo Elinaldo. A orientação é manter os reprovados, que não são poucos, para evitar ainda mais desgastes.


Munição  O coronel Alfredo Castro garante que está na disputa 'pra valer' por uma vaga na Câmara Federal. Ex-comandante da PM e militar com intensa relação em Camaçari, onde comandou o 12º BPM, Castro sai pelo PDT e não se preocupa com os postulantes a reeleição Luiz Caetano (PT) e Paulo Azi (DEM), prováveis puxadores de votos no município. 


Desafinada  Seleção para professor da orquestra da Cidade do Saber segue embolada. Candidatos estranharam a presença de professor da UFBA como julgador do próprio filho candidato a uma das vagas no programa municipal de formação de jovens músicos.


Pauta  O sindicato dos jornalistas profissionais aposta na retomada do prêmio de jornalismo patrocinado até 2005 pelo comitê de fomento industrual de Camaçari (Cofic). Para a presidente do Sinjorba, Marjorie Moura, não existe data melhor para festejar o bom jornalismo incluindo a premiação na programação  dos 40 anos do Pólo Industrial de Camaçari.


Expertise A engenheira Rute Carvalhal participa quinta-feira (15), em São Francisco do Conde, do 3º Seminário de Proteção e Defesa Civil. Servidora da secretaria de saúde de Camaçari (Sesau) e especialista em engenharia de segurança, Rute Carvalhal vai falar sobre transporte com cargas perigosas. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


12/3/2018

 





Combustível

Combustível  O trabalho do Ministério Público Estadual (MPE), ganhou apoio do sindicato dos servidores de Camaçari (Sindsec). Em nota enviada ao MPE, o presidente da entidade, Silval Cerquera, não fica apenas nas palmas para o promotor Everardo Yunes, autor da ação  que acusa a titular da Sedur, Juliana Paes, de participação em esquema de propina para facilitação de liberação de licenças em empreendimentos imobiliários no município. 


Combustível 2  O dirigente diz no seu documento datado de 1º de março, que a Coluna teve acesso, "que sempre teve ciência da existência, a partir de 2017, das exigências de 'propina', por parte dos  atuais integrantes da Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Município de Camaçari". No documento timbrado e assinado, Silval ainda informa ao MPE que "está em busca, em seus  arquivos, de documentos fundamentais para a comprovação dos fatos delituosos constantes nas  Ações Civis Públicas e  Ações Penais".


Combustível 3 Essa queda de braço entre o MPE, vereadores e a secretária Juliana não acabou com as decisões do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) e do juiz da Vara Criminal de Camaçari, responsáveis pela não aceitação das ações apresentatadas pelo Ministério Público. Caso ainda vai render e deve bater no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em Brasília.


Explosivo  Por falar em Sinval, o presidente do Sindsec anda em queda de braço com a oposição. Adversários questionam o processo de reeleição por mais 4 anos, realizado no último dia 2. Dizem que o edital convocando o pleito e  definindo prazo para inscrição de chapas feriu a lei. Processo pouco transparente a gestão do sindicato está sendo questionado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). Através de inquérito civil aberto em setembro do ano passado.


Explosivo 2 Opositores lembram que eleição sequer apresentou legitimidade numérica. Apesar dos 600 servidores aptos para votar, chapa única encabeçada por Silval, que entra no seu 3º mandato consecutivo, somou apenas 38 votos.


Tração   Depois dos 12 meses de quase nenhuma ação efetiva, a secretaria de desenvolvimento social e cidadania (Sedes) parece que  se mantém na mesma rota de distanciamento das ações determinadas pelo Sistema Únicos da Assistência Social (Suas). Com dificuldade para entender as engrenagens e sensibilidades da pasta, como fortalecimento de vínculos familiares, comunitários e até entre  os agentes da Sedes, habilidade que a antiga titular da pasta, Sinara Ellery, possuía, a nova secretária, a  ex-vereadora e gestora da Limpec, Janete Ferreira, sinaliza endurecimento nas relações. 


Tração 2 Transferências de equipes e até de unidades do Cras, como a de Arembepe que vai funcionar na Estrada da Cetrel, são sinais nada animadores. Provavelmente acostumada com os frios números da Limpec, que  não varre sequer 1 metros quadrado de rua, a doutora Janete fala em economia. Uma das suas metas, segundo apurou a Coluna, é cortar as refeições servidas a moradores em situação de rua.


Tração 3 A justificativa apresentada durante reunião com técnicos beira o que tem de mais reacionário. Para os novos gestores da Sedes, esse alimento, muitas vezes o único consumido diariamente por essas pessoas, vítimas da crise econômica e de outros problemas, serve de estímulo para que se acomodem, permaneçam nessa condição e não busquem novos caminhos.

 







Velocidade  A secretária de cultura de Camaçari (Secult), Márcia Tude, perde mais uma data simbólica para recuperar e transformar a antiga estação de trens em espaço de exposição e memória do município. Com projeto de resgate e requalificação prometidos desde o governo do antecessor, antiga parada dos famosos trens 'Pirulito' e 'Marta Rocha' completa 75 anos de inaugurada no próximo dia 16 de abril, como mostra a placa instalada no imovel. As imagens ao lado mostram o estado original e o atual do importante registro. 


Velocidade  2 Mesmo com custo inferior a R$ 500 mil já assegurados por recursos federais, uma micharia para contas públicas, recuperação e adaptação do 'marco zero' do município é mais um vagão no trem de desgaste do alcaide Elinaldo. 


Velocidade  3 Descuido com parte do que restou da memória do município é apenas uma composição num trem gerido por burocratas pouco hábeis e que só fazem crescer e sobrecarregar a locomotiva do prefeito. Com a responsabilidade de corrigir o descaso dos últimos gestores, novo governo segue com a mesma baixa velocidade dos antecessores. O antigo cinema e o imóvel que abrigou os poderes Executivo e Legislativo, também no coração da cidade, são outros exemplos dessa marcha lenta com as coisas da cultura. 


Velocidade  4 Ainda no mesmo trilho, a antiga estação de trens do histórico distrito de Parafuso, sequer tem projeto de recuperação e transformação em espaço multiuso para a comunidade.


Repescagem   Sem candidato e até sem eleitor, a cadeira de representante do 'Artes visuais e artesanato' no Conselho de Cultura de Camaçari (CMCC), deve ser preenchida em nova eleição. Outra vaga  que deveria paresentar intensa disputa pelos artistas, mas que sequer teve um ator para o papel de titular do segmento 'Teatro'.  


Repescagem 2  Novas eleições para preenchimento das cadeiras titulares e dos suplentes de parte do colegiado devem acontecer em abril, depois da posse dos conselheiros para o biênio 2018/2019. Colegiado é formado por 21 conselheiros, sendo 9 eleitos pela comunidade, e outros 12 indicados pela prefeitura e entidades empresariais.


Repescagem 3 Resultado, com menos de 100 votos totais entre os 7 segmentos que conseguirar eleger representante, mostra que 'alguma' coisa está errada e precisa ser corrigida no CMCC. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


6/3/2018

 

Placa Estação de Trens de Camaçari. Clique na Imagem para ampliar




Consenso

Consenso Mesmo antes da inauguração do Departamento de Polícia Técnica (DPT-Camaçari), na tarde de quinta-feira (1º), o governador Rui Costa (PT) e o  prefeito Antonio Elinaldo (DEM) já exibiam 'laudos' idênticos sobre a culpabilidade da classe política. Nas últimas semanas, nada menos que 20 vereadores de Camaçari, entre titulares e suplentes no exercício do mandato; integrantes do governo municipal e figuras de maior envergadura, como o ex-governador Jaques Jagner, foram manchetes locais e nacionais sobre acusações de deslizes com o dinheiro do contribuinte.


Consenso 2 Diferente dos 'laudos' apresentados pelo Ministério Público e Polícia Federal, discursos do demista e do petista seguiram a tese da falta de provas e da consequente dúvida que beneficia os acusados. Elinaldo abriu sua fala com a máxima "o que está acontecendo não é bom para ninguém". O 'ninguém' a que o alcaide se referiu é a classe política, porque a população cansada da falta de transparência com a coisa pública pensa diferente. Como não poderia ser diferente, fala ganhou apoio da plateia formada por titulares de cargos e pelos próprios acusados.


Consenso 3 Pediu paciência até a apuração dos fatos e fez questão de lembrar a sua prisão, em dezembro de 2015, como mais um ato de injustiça. Num tom conciliador, surpreendeu boa parte de seus oponentes ao citar 4 vezes o nome do adversário que derrotou nas urnas, em outubro de 2016, o deputado federal Luiz Caetano (PT). 


Consenso 4 Seu discurso não foi, nem passou raspando, uma proposta de composição. Apenas fez um chamamento em defesa da classe política, perfurada pelas balas recentes das denúncias de irregularidades com o dinheiro do contribuinte. Ao chamar o governador, o secretário de saúde e vereador licenciado, Elias Natan, e o próiprio Caetano para a frente do palanque, durante sua fala, Elinaldo, muito mais que exibir união, cutucou o adversário que logo voltou para sua cadeira depois de resmungar com Rui sobre a situação.


Consenso 5 O discurso do governador não foi diferente. Ainda que de forma sutil e aparentemente fragmentada, Rui Costa falou em 'apurar' para desestabilizar a classe política. Citou a pergunta feita pelo editor da Coluna, minutos antes do início da inauguração sobre a situação de Camaçari, com 20 vereadores sob júdice. Repetiu que não iria comentar sobre 'inocente ou culpado'. Lembrou da necessidade do direito de defesa e da humilhação que 'todos' os políticos vem sofrendo. Ainda nessa mesma linha, citou 'juiz e promotor', como se linkasse esses personagens ao processo de desgaste que a política vem sofrendo.

 







Dissenso O governador voltou a mandar recado para os assodados e acostumados com o uso de munição inadequada. Com mira certa, mas sem citar nomes, Rui lembrou que não estava num 'ato político partidário' ou 'politico eleitoral'. Bem ao seu estilo simples, criticou os políticos que se comportam de forma explosiva, xingando seus adversários. Para o governador, essa prerrogativa, ainda que com limites, pertence ao 'povo'.


Dissenso 2 Acostumado com a munição livre, o deputado Luiz Caetano não poupou sequer as instalações onde funcionam o complexo de delegacias (18ª e da Mulher), agora reforçado com o DPT-Camaçari. Sem a menor cerimônia, como  mostra a imagem ao lado enviada para a Coluna, colocou uma faixa com sua foto e de seu candidato a deputado estadual, no pátio do complexo. O engenho publicitário instalado numa área onde não é permitida nenhuma publicidade, muito menos eleitoral, mesmo sob o pretexto de saudação pelo novo equipamento público, foi mais um tiro de festim.


Band-Aid A secretária Juliana Paes segue titular da secretaria de desenvolvimento urbano e meio ambinete (Sedur). A urbanista, agora amparada pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), que derrubou o pedido do Juiz César Borges, não terá dias fáceis. Mais do que ninguém, a doutora Juliana sabe que o ferimento está apenas protegido por curativo.


Band-Aid 2 Outro que se mantém no posto, mas com marcas expostas e cura duvidosa, é o presidente do Legislativo de Camaçari, vereador Oziel Araújo (PSDB). Depois do tiroteio que sofreu com a ações do Ministério Público, com grande repercussão na imprensa de todo o país e condenação nas redes sociais, o tucano ganha salvo conduto do TJ-BA. Assim como a doutora Juliana, liminar que garante a manutenção de Oziel no 2º posto mais importante de Camaçari teve a assinatura do presidente do colegiado baiano, desembargador Gesivaldo Britto.
Band-Aid 3 O governo não vê possibilidades de saída do vereador Flávio Matos (DEM), da base situacionista. Filho do ex-vereador de 3 mandatos, José Matos, pivô da crise na Sedur, Flávio fez questão de  comparecer a inauguração do DPT-Camaçari ao lado do alcaide. Já o papai, que não foi visto no evento, entregou o cargo de subsecretário da Sedur, por 'livre e expontânea pressão', segundo assegurou uma fonte da Coluna.


Prejú  Depois do tiro do Ministério Público, incluindo os 4 vereadores do PT, na lista de 20 titulares e  suplentes no exercício do mandato denunciados por irregularidades com o dinheiro do Legislativo de Camaçari, ficou ainda mais difícil para o partido no município apresentar um 2º nome para  disputar  uma das 63 vagas na Assembeia Legislativa. Os vereadores Jackson Josué, José Marcelino e Téo Ribeiro, os 3 nomes cotados, perderam o 'taime', avalia um importante petista.
Prejú 2 Com o fim de carreira parlamentar da deputada Luiza Maia, que não concorre a reeleição, depois de 2 mandatos consecutivos, o deputado Bira Coroa aparece como o único nome do PT na base de Camaçari. Daí até se  consolidar e faturar essa vantagem é outro tiroteio que o deputado está consciente e preparado. A imposição do nome do empresário Raimundinho da JR, pelo deputado federal Luiz Caetano, lembra a 1ª eleição de Bira. Presidente do Legislativo de Camaçari, em 2006, imaginava ser o nome de consenso, quando o então prefeito Caetano exibiu o empresário Ferreira Otomar como alternativa.


Prejú 3 Agora, com o morto na mesa fria do necrotério, a bancada da oposição reconhece que errou ao reforçar a divisão do Legislativo, não montando uma estratégia monolítica de espírito de corpo, união e defesa de toda a Câmara de Vereadores. 


Prejú 4 Vacilaram ao apostar na imputação da culpa no presidente da Casa, o tucano Oziel Araújo, atingindo por tabela a gestão do alcaide Antonio Elinaldo. Esqueceram a força das redes sociais, que tanto usam para futucar adversários. Condenados ou não, todos os 20 vereadores, independente de cor ou até ausência de tom partidário, sabem que estão reprovados pelo eleitorado.


Presença Jones Carvalho, atual diretor da Fundação Luiz Eduardo Magalhães, é candidatíssimo a deputado estadual. Figura muito próxima de Jaques Wagner, de quem foi assessor em Brasília e no governo estadual, Jones tem passagem e conta votos em Camaçari. Foi ouvidor na 2ª gestão do alcaide Caetano e teve  importante participação no projeto de implantação do OP (orçamento participativo). Da corrente Reencantar, Jones é o nome da prefeita Moema Gramacho, de Lauro de Freitas, e exibe  intensa presença na Grande Salvador.
Detalhes  O novo Departamento de Polícia Técnica de Camaçari começar a funcionar na próxima semana. Com necrotério e laboratórios para exames e perícias, antes realizados em Salvador, unidade ganha mais agilidade e velocidade na elucidação de crimes  e apoio às ações da polícia. Coordenada por Ricardo Neri, unidade conta com 15 profissionais entre peritos e técnicos. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


2/3/2018

 





Movimento

Movimento  A decisão do Juiz César Borges, de afastar a secretária de desenvolvimento urbano e meio ambiente de Camaçari, Juliana Paes (Confira), comprova a aposta errada do alcaide de Camaçari. Ao ignorar a voz das ruas e insistir na manutenção da doutora,  o demista menosprezou a tempestade que se formava na antessala do seu governo.


Movimento  2 Sem adotar as medidas necessárias, como o afastamento e a instalação de processo de investigação da titular da Sedur, Elinaldo começa seu 2º ano de gestão sem exibir sinais claros de que pretende virar o jogo.


Movimento  3 O alcaide sequer, como declarou ao Camaçarico, ouviu o subsecretário da Sedur, José Matos. Mesmo sendo um dos acusadores da doutora Juliana, na ação do Ministério Público, o ex-vereador segue intocável, ameaçador e alimentando a tempestade, como deixou claro seu herdeiro político, o vereador Flávio Matos (DEM).  


Movimento  4 Com quase toda a Câmara de Vereadores ‘sub judice’ (Confira) e linchada pela população, nas ruas e redes sociais, o Legislativo virou outro problema para o alcaide. Sem o presidente e aliado, o tucano Oziel Araújo, também afastado do cargo por acusação de crime contra o erário público, Elinaldo fica ainda mais fragilizado. Independente de nova decisão superior da Justiça, reintroduzindo a secretária no cargo, e o aliado Oziel novamente no comando da Câmara de Vereadores, a tempestade já se instalou e fez estragos.


Movimento  5 Desgaste não é novo, mas vinha sendo administrado, mesmo com prejuízo para a gestão. Expectativa de grandes obras e serviços já não surtem mais o mesmo efeito do passado. Conectado, o eleitor quer mais, aprendeu a identificar e reclamar com força. Agora exibe fome de obras com gastos justos e justiça para quem desrespeita essas regras antes nunca respeitadas, mas plantadas como enfeite na Constituição.  


Movimento  6  Ao virar ‘pai’ de filhos gerados por seus aliados residentes fora e dentro de Camaçari, como é o caso da doutora Juliana, da titular da pasta da educação, com sua ONG a tiracolo, e de outros adotados e protegidos, Elinaldo reforça a sensação de que seu governo virou uma creche.


Movimento  7  Muito mais que manter esses rebentos vivos e saudáveis, alcaide deveria incluí-los num programa de adoção com responsabilidade e reciprocidade com a cidade que lhes garante a tão importante e confortável sobrevivência. Programa não exclusivo para os ‘de fora’. Também se aplica a muitos filhos da terra que nada ou muito pouco contribuem.


Movimento  8  Longe do discurso xenófobo da oposição, que nos tempos de poder também adotou filhos alheios e causadores de boa parte da nossa herança de políticas públicas nefastas, Camaçari exige ações enérgicas do seu gestor.


Movimento  9  Ao derrotar o petista Caetano e todos os seus adversários, alguns convertidos em aliados num 2º momento, como o seu vice-prefeito Tude (MDB), Elinaldo representava a vontade de mudar, de fazer diferente, de respeitar as diferenças e de construir um governo para a maioria.


Movimento  10  Enquanto as ‘doutoras julianas’ aumentam os estragos, os prazos para as reformas e seus resultados práticos ficam curtos e politicamente apertados. Governar com portas e janelas fechadas não apenas sinaliza insegurança. Atrai novas tempestades, principalmente as movimentadas pelos aliados acostumados com a velha política de manter Camaçari como a grande creche do poder.   


Movimento  11 Se quiser, o alcaide pode aproveitar o furacão  para limpar a casa. Também pode iniciar a contagem regressiva dos 1.038 dias que faltam para o 31 de dezembro de 2020.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


27/2/2018

 





Narciso

Narciso Candidatíssimo a prefeito de Camaçari nas eleições de 2020, ou vereador, caso os parafusos não se apertem, o presidente do sindicato dos metalúrgicos de Camaçari, Júlio Bonfim, não perde tempo. Sob o pretexto de festejar as conquistas da categoria, o ‘capa preta’ do PCdoB municipal tem presença cativa em boa parte da mídia local. 


Narciso 2 Outdoors espalhados pela cidade, imagem em destaque na sede do clube de praia da categoria, em Jauá. Completa a campanha paga pelos cofres do sindicato, anúncios na mídia impressa e até spot de rádio, onde usa sua própria voz para apresentar avanços da categoria e posições sobre o atual momento político nacional, como a ‘Reforma da Previdência’. De ponto em ponto, Júlio segue soldando e reforçando sua base  para enfrentar o peso estrutural de uma disputa pelo voto do eleitor camaçariense. 


Narciso 3  Inclinado a apresentar um candidato a deputado estadual na base de Camaçari, o PCdoB deve buscar outro nome. Caso faça opção pelo dirigente do sindicato, terá de mandar o companheiro Júlio retirar imediatamente sua presença nas peças da campanha dos metalúrgicos para não cair na lâmina da Lei Eleitoral que pune com multa a prática de propaganda antecipada.


Tintol Parece longe de um desfecho confortável a crise gerada no time azul com o pedido de  prisão e afastamento da secretária Juliana Paes, da Sedur. Mesmo com decisão favorável por falta de provas, no entendimento do juiz, desconforto na base elinaldista segue desbotando a aliança de 2016. 


Tintol 2 O mais recente capítulo foi protagonizado pelo vereador Flavio Matos, filho do ex-vereador  e atual subsecretário da Sedur e desafeto da doutora Juliana. Em entrevista, na manhã de quinta-feira (22), ao radialista Roque Santos (Sucesso FM), Flávio Matos não economizou artilharia. Lembrou que a doutora Juliana 'não tomou sol durante a campanha', e que chegou  com o jogo resolvido, só para assumir o cargo. 


Tintol 3 Surpreendendo com o estilo coronelzinho, o vereador Flávio Matos enquadrou a secretária pedindo que ela se restringisse  ao seu trabalho técnico e respeitasse a tradição política da sua família. 'Vá trabalhar. Nós temos um nome nessa cidade. Você precisa fazer o seu, você chegou agora. O emprego que você faz parte, fomos nós do time azul que lhe demos. Faça jus ao seu salário e ao seu emprego", completou. 


Sem saber  A intervenção trapalhona na Cidade do Saber,  no final de janeiro do ano passado, portanto já na gestão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM), virou batalha na Justiça e deve render um 'prêmio de loteria' para a ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro (IPRP), gestora do programa de implementação de ações de arte, cultura, esporte e lazer para a população de Camaçari, desde a criação da Cidade do Saber, em 2007, até março de 2017. Graças aos descuidos jurídicos no tratamento do caso, o instituto pecador, como  comprovou auditoria do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), pode ser  canonizado e  ainda receber cerca de de R$ 10 milhões atualizados.


Sem saber 2  Processo que corre desde janeiro do ano passado contra a intervenção ganhou  decisão favorável, em dezembro de 2017. A juíza de Direito em Regime de Saneamento da 1ª Vara da Fazenda Pública de Camaçari, Maria Marta Góes Rodrigues de Moraes,  julgou improcedentes os argumentos apresentados pela prefeitura, com  base  na Lei  das Licitações (8.666/93), usados para intervir  e abreviar o 'Contrato de Gestão' do programa com o Instituto Professor Raimundo Pinheiro, que terminaria em março, portanto 2 meses depois do pedido. De acordo com decisão da juíza, que cabe recurso,  o pedido de intervenção deveria se basear nas leis  federal e municipal das Organizações  Sociais.


Sem saber 3  Além de perder  a ação  referente a intervenção, o município de Camaçari  foi condenado a pagar ao instituto pouco mais de R$ 8,9 milhões por faturas não pagas desde o ano de 2016, portanto  ainda na gestão do ex-petista e hoje sem partido Ademar Delgado.  A Coluna apurou que  desse montante quase R$ 6 milhões  seriam repasses  devidos  ao instituto e não pagos pelo governo de Delgado, enquanto os cerca de R$ 3 milhões restantes  já  estariam sob a responsabilidade  do  novo governo empossado em janeiro de 2017.


Sem saber 4  Para fechar a conta do 'prêmio de loteria' de R$ 10 milhões, sem atualização, que a ONG Instituto professor Raimundo Pinheiro teria direito a receber, segundo a Justiça, são acrescidos aos R$ 8,9 milhões de repasses para manutenção do programa que  não cumpridos pela prefeitura, outros R$ 800 mil serão destinados ao pagamento do advogado do instituto, e mais R$ 300 mil  que a ONG  terá direito por 'danos morais'. Entendeu a Justiça que o instituto teve sua imagem desgastada durante o processo de intervenção que durou 26 dias. A prefeitura deve recorrer e essa briga, que pode virar até precatório, não acaba antes dos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024.


Mudez  Debates na Câmara de Camaçari, só depois da festa de Arembepe, em março. Cronograma montado pela atual mesa diretora do Legislativo ocupou as sessões de ontem, quinta-feira (22), e as  próximas, dias  27 e 1º de março com a realização exclisiva de audiências públicas para prestação de contas de secretarias. Depois da pasta da saúde será a vez da finanças e da educação a informarem respectivamente seus feitos no 3º trimestre (outubro/dezembro) de 2017.


Mudez 2  Modelo não impede apenas  palanque da oposição sobre o caso da doutora Juliana. Como toda moeda, o outro lado tranquliza as bancadas governistas e antigovernistas que  não querem saber de debate sobre a acusação do MP que lista 20 vereadores e suplentes no exercício do mandato de montarem um esquema de transferência de recursos públicos usando funcionários dos gabinetes como laranjas. 


Indigesto  Não convidem para a mesma mesa o promotor Everardo Yunes e o juiz Ricardo Dias de Medeiros Netto. A Coluna apurou que depois do equívoco do juiz, o titular da 7ª Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público e Moralidade Administrativa está inconformado com a exposição negativa que recebeu na mídia (Confira). Mesmo amparado pelo Regimento do Ministério Público, Yunes foi desqualificado pelo titular da 1ª Vara Criminal de Camaçari, que se baseou em texto desatualizado sobre a competência da Promotoria para atuação em casos cível e penal.


Indigesto 2  Como mostrou o Camaçari Agora (Confira), Yunes vai em frente com suas ações contra a secretária Juliana Paes, titular da pasta do desenvolvimento urbano e meio ambiente de Camaçari (Sedur), seu marido e servidores da secretaria. Everardo Yunes garante que possui provas robustas sobre a atuação do grupo na comercialização de facilidades para obtenção de licenças de empreendimentos imobiliários no município. É aguardar os próximos capítulos.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


23/2/2018

 





Blindagem

Blindagem Depois da doutora Adriana Guedes, a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM) ganha outra figura imexível. Durante seu balanço de 1º ano de gestão e apresentação dos planos para 2018, na manhã de terça-feira (20), o prefeito de Camaçari não deixou dúvidas de que a doutora Juliana Franca Paes, titular da secretária de desenvolvimento urbano e Meio Ambiente (Sedur), fica no governo.


Blindagem 2  Mesmo sem justificativas para a ausência da doutora Juliana, em sessão prestigiada pela maioria dos secretários, o alcaide não economizou elogios à chefa da Sedur. Lembrou as qualidades da urbanista na implantação do PDDU (plano diretor de desenvolvimento urbano) e na melhoria do sistema de licenciamento de empreendimentos, justamente a área que é acusada pelo Ministério Público Estadual. Segundo o MPE, Juliana Paes integra um esquema criminoso de facilitação de licenças mediante recebimento de propina para empreendimentos na pasta que comanda.


Blindagem 3  Mesmo com repercussão em toda a imprensa local, estadual e até nacional, e ‘comentário do dia’ nas redes sociais desde a semana do carnaval, o caso da doutora Juliana não parece incomodar o alcaide. Deveria!


Blindagem 4  Muito mais que sinalizar despreocupação com os prejuízos políticos gerados pela manutenção da secretária, que o alcaide admitiu ao Camaçarico ter sido escolhida por influência do prefeito de Salvador e principal liderança política do grupo, ACM Neto, Elinaldo demonstra descuido com a preservação da transparência com a coisa pública. Em entrevista ao Camaçarico, Elinaldo disse na manhã de terça-feira (20) que ainda não havia conversado com o subsecretário da Sedur, ex-vereador José Matos, sobre sua participação no inquérito que acusa a doutora Juliana.


Blindagem 5  Reconhecido pelo próprio Elinaldo, como desafeto de Juliana, Matos segue formalmente dividindo com a doutora as principais funções da Sedur. O ex-vereador José Matos, pai do vereador Flávio Matos (DEM), voto importante e qualificado na bancada de Elinaldo, foi um dos ouvidos em janeiro pelo promotor Everardo Yunes, durante a fase de recolhimento de provas sobre a atuação da ‘quadrilha’. Segundo o MPE o esquema era comandado pela secretária e seu esposo Aridã Carneiro, com a participação de servidores da pasta.


Blindagem 6  Já a doutora Adriana Guedes, outra imexível citada na nota ‘Blindagem 1’, além de ação na Justiça, é acusada pela própria procuradoria do município de provocar danos ao erário público por sua atuação no comando  da procuradoria fiscal do município. Mesmo fora do cargo, segue poderosa e protegida pelo secretário de finanças, o também doutor Renato Almeida.


Equívoco Continua restritivo o trabalho da imprensa na Câmara de Vereadores de Camaçari. Sem espaço destinado para acomodação decente dos profissionais durante as sessões do Legislativo, agora sob o comando do vereador Oziel Araújo (PSDB), descaso segue a velha regra do desrespeito aos jornalistas e radialistas. Foi assim com os  antecessores José Marcelino e Téo Ribeiro, ambos do PT.


Equívoco 2 Além do tradicional aperto na ‘sala de imprensa’, um cubículo escuro e menor que uma cela destinada a presos de todos os tamanhos e status, o presidente Oziel, provavelmente  mau orientado, avançou na discriminação. Após a sessão de abertura dos trabalhos legislativos, na manhã desta terça-feira (20), o presidente e anfitrião se recusou a realizar uma entrevista coletiva no plenário. Preferiu atender em separado e com primazia, no seu gabinete, a reportagem da TV Bahia.


Equívoco 3 Ao fim da entrevista à emissora global, Oziel e o alcaide Antonio Elinaldo, voltaram ao plenário para realizar uma coletiva improvisada com os demais veículos. Sem comitê de imprensa ou qualquer entidade de classe atuante no município, imprensa de Camaçari segue desunida e fragilizada para regozijo do poder.


Marquetingue O presidente do Legislativo, o tucano Oziel Araújo, está aprendendo rápido as lições de construção de imagem. Durante seu pronunciamento na sessão de abertura dos trabalhos 2018 da Câmara de Vereadores, Oziel fez questão de exibir a Constituição do Brasil, como sua ‘bíblia’ e guia incondicional das suas ações no Legislativo.


Marquetingue 2 Acusado pelo Ministério Público de comandar um esquema de repasse de recursos públicos para si próprio e outros 19 vereadores, através de servidores laranjas, Oziel já havia usado outra referência no mundo da política. Durante sua  explicação rebatendo as denúncias do MPE, o tucano fez questão de exibir, ainda que de forma ‘acidental’, outra ‘biblia’, o livro ‘A Arte da Guerra’. Escrito pelo general e filósofo chinês Sun Tzu, no século 6 antes de Cristo, tratado apresenta lições até hoje seguidas sobre planejamento, estratégia e liderança.


Marreta O ex-vereador Pedrinho de Pedrão perdeu o cargo de coordenador do Cras (Centro de Referência e Assistência Social) do Nova Vitória. Pedrinho andou fazendo coro no grupo de suplentes e lideranças oposicionistas defensoras da 'lisura na política' com punição exemplar, de preferência perda dos mandatos dos 20 vereadores envolvidos no esquema de repasse de dinheiro  através de assessores laranjas.


Marreta 2 Segundo apurou a Coluna, a marretada veio da Câmara de Vereadores, casa que Pedrinho tanto defendeu e sonhava voltar com o apoio da máquina do maior Cras de Camaçari, responsável por cerca de 80 mil pessoas de  mais de 12 bairros.


Novos ares O Conselho de Cultura de Camaçari deve ganhar oxigênio novo e necessário para revigorar o importante colegiado de debates e proposições da produção artística e cultural da cidade.


Novos ares 2 Coluna destaca duas candidatas antenadas e com histórico nas suas áreas de atuação. A jornalista Jane Silva, postulante a representante do segmento ‘audiovisual’, e a poetisa  Edna Pessoa, candidata à cadeira ‘livro e literatura’.


Novos ares 3 Eleições para o biênio 2018/2019 acontecem dia 5 de março e escolhem  representantes e suplentes dos segmentos ‘música’, ‘audiovisual e novas mídias’, ‘teatro’, ‘dança’, ‘patrimônio material e imaterial’, ‘livro e literatura’, ‘artes visuais e artesanato’, ‘produção cultural’ e sociedade civil e movimentos sociais’. As outras 12 cadeiras são formadas por 9 conselheiros escolhidos pela prefeitura, 1 indicado pelo Legislativo, 1 pelo Cofic e outra pelo segmento empresarial.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


20/2/2018

 





A espera

A espera Mudo desde as denúncias do Ministério Público (MP), semana passada, envolvendo a sua secretária de desenvolvimento urbano, Juliana Paes, o alcaide de Camaçari, Antonio Elinaldo segue como se esperasse ‘Godot’. Escrito nos anos 1950 por Samuel Beckett, texto retrata a eterna espera de Vladimir e Estragon. Mesmo sendo escolhido o senhor do caminho de uma cidade, Elinaldo incorpora as dúvidas e incertezas dos personagens criados pelo dramaturgo irlandês quando decide nada decidir.


A espera 2 Insustentável no cargo de titular da Sedur, a doutora Juliana, denunciada pelo MP por formação de quadrilha (Confira), segue agarrada ao posto que já não lhe pertence. Sequer tem condições de se apresentar para seus subalternos para dizer que está sendo injustiçada por um complô de adversários.


A espera 3 Se é inocente, como diz e jura, terá de provar fora do cargo. Diferente do texto de Godot, a sua insistência e a indecisão do alcaide apenas aumenta as dúvidas da população/plateia que assiste essa confusa encenação.


A espera 4 Como reforçou na sua ineficaz e até incriminadora nota distribuída para a imprensa (Confira), sua reação de se manter no posto não fortalece sua verdade. Pelo contrário, robustece as dúvidas e enfraquece o governo municipal que ela tanto diz defender.


A espera 5 Com farta e pesada munição contra a doutora Juliana, seu maridão, conhecido pela desenvoltura com que se movimentava nos gabinetes da Sedur, e mais alguns funcionários integrantes do esquema criminoso de facilitação de licenças para empreendimentos imobiliários no município,  denúncia não vem do nada.


A espera 6 Tem a assinatura de José Matos, atual subsecretário da pasta, que até a postagem dessa Coluna seguia oficialmente comandada pela urbanista. Partido de quem partiu, movimento precisa ser explicado. Experiente e conhecedor do mapa eleitoral, ruas e becos de Camaçari, Matos foi vereador e liderou a bancada  governista do alcaide Luiz Caetano (PT). Mesmo sem mandato, conta com 1 voto no Legislativo, corporificado pelo seu filho e sucessor Flávio Matos (DEM), seu seguidor e integrante do projeto que resultou na eleição de Elinaldo.


A espera 7 Afinal de contas, o alcaide Elinaldo sabia, ou estava  inocente sobre os desejos e posteriormente das denúncias de Matos, feitas ao MP em janeiro. Se sabia, compactuou com a operação. Mas, se foi surpreendido, como a maioria da população, terá de receber explicações convincentes do aliado José Matos. Se é que existem.


A espera 8 O que não é novidade é o desconforto que a doutora Juliana vinha causando na gestão. Em reunião de secretários, realizada no começo do ano passado, a então empoderada titular da Sedur andou falando grosso. Comportamento autoritário chegou a atingir a imagem de chefe do prefeito. Desconforto, ainda segundo fontes da Coluna, teria sido superado em nome do projeto maior.


A espera 9 Como mostrou o Camaçari Agora, sobe para 20 o número de vereadores e suplentes  no mandato, envolvidos  em irregularidades com repasse de recursos públicos. Eleitos para defender Camaçari, vereadores,  segundo denúncias do Ministério Público, acreditam que maioria da população do município também integra  o quadro de personagens do texto 'Esperando Godot'. 


Certeza  Com a doutora Juliana Paes pendurada no cargo de secretária da Sedur, as ações criminosas contra o meio ambiente em Camaçari ganham fôlego. A invasão do Sangradouro, área de preservação vizinha a Aldeia Hippie de Arembepe, só faz crescer. 


Certeza 2 Destruição de regiões de  rios, lagoas e dunas com sua vegetação singular começou no 2º governo do petista Luiz Caetano, em 2006. Com cerca de 400 invasores com barracos e casas de todos os tamanhos, ocupação irregular passou pela gestão Ademar e segue fortalecida pelas incertezas dos ‘Vladimir’ e dos ‘Estragon’ da Sedur.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


15/2/2018 

 





Carnavalizando

Carnavalizando Mesmo desobrigados de desfilar no bloco 'Traquinos com a coisa pública', pela chamada presunção da inocência, parte significativa do poder de Camaçari não vai escapar da fantasia de 'Inimigos da cidade',  aplicada por uma população cansada de tanto desmando com o seu dinheiro. É o que sinalizaa mioria absoluta dos internautas manifestada nas centenas de postagens nas redes sociais.


Carnavalizando 2 Criado às vésperas do Carnaval pelo Ministério Público Estadual (MPE), com base em ações civis e penais de improbidade administrativa, 'bloco' é formado por nada menos que 44 integrantes.


Carnavalizando 3 Divididos por alas, desfilam na linha de frente, nada menos que 17 dos 21 vereadores de Camaçari. Chama a atenção a presença de todos os 5 oposicionistas e mais 12 governistas. A secretária municipal Juliana Paes e o seu marido Aridã  de Souza Carneiro reforçam o grupo dos vips. Também aparecem em destaque o ex-prefeito Ademar Delgado, sua vice-prefeita carmen Siqueira, e seu secretário de finanças camilo Pinto. Mais distante do som do trio, na ala dos laranjinhas, aparecem os 18 assessores da Câmara de Vereadores e os 4 servidores do município acusados pelo MPE de integrar o esquema na secretaria de desenvolvimento urbano. 


Carnavalizando 4 Bloco poderia ser maior, caso o atual prefeito,  Antonio Elinaldo, seu vice José Tude, e todos os seus secretários, também com salários engordados acima do estipulado pela lei, fossem citados pelo MPE. Como o atual poder municipal assumiu em janeiro do ano passado e não possui responsabilidade direta  com o processo de aumento ilegal de vecimentos, seus integrantes estão apenas sendo comunicados a restabelecer os valores legais e devolver o recebido de forma parcelada. 


Carnavalizando 5 Pelas contas do Ministério Público, bloco não gerou prejuízo menor que R$ 800 mil. São cerca de R$ 500 mil com a ala de integrantes do Legislativo, outros R$ 80 mil com a turma do ex-alcaide. Completam a conta os valores da propina na Sedur, conforme apurou o Camaçari Agora (Confira). 


Carnavalizando  6 A resposta da secretária de desenvolvimento  urbano, Juliana Paes, às acusações do MPE de participação em esquema criminoso de facilitação de licenças para empreendimentos em Camaçari deixou mais dúvidas que certezas. Nota distribuída pela assessoria da prefeitura na noite de quinta-feira (Confira) traz estranhos buracos. 


Carnavalizando 7 Além de não fazer qualquer referência sobre a inocência do seu marido, também acusado pelo Ministério Público, a doutora Juliana apresenta uma versão carnavalesca sobre o uso para fins pessoais da  caminhonete da prefeitura. Ao justificar o uso pessoal e a guarda da L200 Mitsubishi na garagem de sua residência, segundo ela por total falta de segurança nos estacionamentos e áreas sob a responsabilidade da prefeitura, a titular da Sedur fantasia de ET o esquema de vigilância noturna da prefeitura. 


Carnavalizando 8 Longe de Camaçari até a quarta-feira de cinzas (14), o projeto de descanso do alcaide seguramente não começou bom. Caso Juliana é fantasia apertada que deve incomodar o merecido relax de Elinaldo.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


9/2/2018 

 



Anterior | |1| 2 | Próxima

Encontrado(s): 23 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2018 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL