Busca:








Novidade  ‘Emenda verbal’ é o novo instrumento legislativo adotado pela Câmara de Vereadores de Camaçari. O artifício, que sequer existe no Regimento Interno da Câsa, foi usado na sessão desta terça-feira (18), para concluir a votação do projeto que cria novos cargos e as secretarias de turismo e da orla.


Novidade 2 Para corrigir um erro, a Mesa Diretora aplicou outro erro. O projeto foi aprovado em 2ª e última votação com a tal ‘emenda verbal’ retirando o artigo 16, que constava na proposta original e referenciava uma tabela de cargos que não foi  enviado à Câmara pelo Executivo. Mesmo assim o projeto de reforma administrativa foi aprovada em 1ª votação na semana passada.


Novidade 3 Pelo Regimento, um projeto não pode ser modificado em 2ª votação. Nessa etapa do processo legislativo os vereadores apenas confirmam o que foi acatado e votado pela maioria dos vereadores na 1ª votação.


Vacilo Outra canetada no Regimento foi o voto do vereador Gilvan Souza (PR) no projeto de criação das secretarias do turismo e da orla. Mesmo anunciado como futuro titular do turismo, como adiantou o Camaçarico, o republicano votou favorável a criação da nova estrutura na máquina municipal, na sessão desta terça-feira (18).


Vacilo 2  O artigo 124 do Regimento é claro. Diz que o vereador deve se declarar impedido para votar em proposição que lhe beneficie. Descuido apenas exibiu a fragilidade da atual gestão da mesa. Erro poderia ter  sido evitado sem prejuízo para os interesses governistas. Mesmo com a abstenção de Gilvan a maioria situacion ista teria numero para aprovar.


Dança das cadeiras  O ex-prefeito de Guanambi, Charles Fernandes (PSD),  garantiu a última vaga de deputado federal. O TSE deferiu por 5x2 o registro da sua candidatura, na sessão desta terça-feira (18) à noite. Com a decisão, Joseildo  Ramos, ex-prefeito de Alagoinhas, assume a 1ª suplência de deputado federal. Mudança foi gerada com a decisão do TSE de  tornar o ex-prefeito de Camaçari inelegível. O petista Luiz Caetano teve sua reeleição anulada com base na Lei da Ficha Limpa, por crime crime de improbidade.


Calendário  Com a chegada do Natal e a aproximação do fatídico 31 de janeiro, último dia do mandato dos parlamentares eleitos em 2014, a expectativa e o astral andam em queda na tropa do ex-prefeito e deputado federal Luiz Caetano (PT). Com o carimbo de inelegível dado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Caetano enfrenta dias de muita pressão e quase nenhuma alegria.


Calendário 2 Mesmo com o discurso otimista renovado com o diploma recebido nesta terça-feira (18), longe dos holofotes da festa dos eleitos,  segunda-feira (17), no Teatro Castro Alves, tropa caetanista mostra sinais de desânimo com o clima crescente de incertezas.  


Calendário 3 A última ducha desanimadora foi dada pelo  Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na sua sessão realizada na noite de hoje, quando seu pedido de embargo de declaração foi rejeitado por unanimidade pelos 7 ministros da corte. Adversários do petista esperam agora que o TSE solicite do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) o cancelamento do diploma entregue nesta terça-feira com base em decisão do colegiado supeior que tornou o 3 vezes prefeito de Camaçari inelegível.


Calendário 4 Nos relatos de figuras ligadas ao mandato do parlamentar, ouvidas pela Coluna, expectativa é com as acomodações das lideranças. Sem o mandato e a consequente redução do poder de negociação, Caetano precisa encontrar caminhos para acomodar a tropa. 


Calendário 5 Sem mandato e os respectivos cargos na Câmara dos Deputados, sem possibilidades de nomear correligionários na prefeitura do adversário, com as prefeituras dos aliados no estado com  as cotas  cheias, sem perspectivas na atual Câmara de Vereadores de Camaçari, a partir de janeiro comandada por outro desafeto, e com restrições no governo do estado, 2019 não promete bons fluidos.


Foco  A secretaria de cultura (Secult) anunciou os 30 selecionados para o prêmio de R$ 10 mil do concurso 'Mestras e Mestres de Camaçari'. Os R$ 300 mil, oriundos do Fundo de Cultura do Município, serão distribuídos a 15 figuras da capoeira e 15 representantes de terreiros de candomble. O valor,  equivalente a pouco mais de 10 salários mínimos, pode ser gasto de forma livre pelos premiados. A premiação é uma espécie de reconhecimento pelo trabalho que esses mestres e mestras exercem ou exerceram.  


Foco 2 Sem questionar as inegáveis contribuições desses mestres e mestras, distribuir R$ 10 mil livres para serem gastos como entenderem, ajuda muito pouco a avançar na construção e consolidação da história desses senhores e senhoras e sua relação com a preservações das nossas raízes. 


Foco 3  Infelizmente, da forma como foi construído, o prêmio não exige nenhuma contrapartida dos agraciados, como realização de oficinas, cursos ou qualquer outra atividade que contribua de forma efetiva para a preservação e multiplicação dos 'saberes' e 'fazeres' desses mestres e mestras para futuras gerações. 


Foco 4  Seguramente, o formato dessa 1ª edição do prêmio 'Mestras e Mestres de Camaçari' não é o melhor caminho. Ainda durante a construção do prêmio, o editor da Coluna questionou representantes da Secult e conselheiros do Conselho de Cultura sobre esse formato. Agora, é aguardar as próximas edições do prêmio com a inclusão de novas categorias. 


Fora de cena  O prefeito Antonio Elinaldo (DEM) segue à risca o equivocado roteiro dos seus antecessores de desprestigiar os eventos culturais da cidade. A noite de segunda-feira (17)  foi mais um atestado desse distanciamento. Ao rifar da sua agenda a apresentação no Teatro Cidade do Saber (TCS) do espetáculo  “Herança Sagrada – A Côrte de Oxalá”,  dançado pelo internacional Balé Folclórico da Bahia, o alcaide não apenas confirmou sua pouca intimidade com a cultura.  


Fora de cena 2 Também perdeu a oportunidade de faturar a imagem de amigo das artes e, de quebra, ampliar  seu espaço nas redes sociais com selfies com gente famosa como a atriz global Gloria Pires, a cantora Margareth Menezes, o camaçariense Denny Denan (ex-Timbalada), e a turma do bloco Ilê Ayiê. 


Confira todas as Colunas acessando o link  http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


18/12/2018

 





Encantamentos

Encantamentos  Depois do 7x0 do Tribunal Superior Eleitoral, aplicado no deputado Luiz Caetano (PT), outro eleito para a Câmara dos Deputados vê seu mandato seguir pendurado. O TSE adiou o julgamento da ação contra o 1º suplente da coligação, o ex-prefeito de Guanambi, e liderado do senador Oto Alencar, Charles Fernandes (PSD). 


Encantamentos 2 Decisão do TSE deixa Charles na condição de eleito pela coligação, que até a sessão do dia 27 de novembro era do petista Caetano. Mas a dança das cadeiras não está finalizada com a diplomação dos eleitos e suplentes na segunda-feira (17). O petista Joseildo Ramos, que ficou na 2ª suplência, com 73.934 votos, passa a condição de 1º suplente com  grande possibilidade de virar o dono do mandato de forma definitiva, caso o TSE considere o pessedista inelegível, como fez com o ex-prefeito de Camaçari Luiz Caetano, eleito com 124.647 votos. Corte que começou favorável a Charles na sessão de terça-feira (11), recuou e apresentou divisão na sessão de quinta-feira (13), quando resultado final foi suspenso.


Encantamentos 3 Para quem gosta de coincidências na política, Joseildo Ramos, ex-prefeito de Alagoinhas e eleito originalmente 2º suplente com 182 votos a  menos que Charles e  50.531 votos distante do companheiro de partido Caetano, integra a corrente petista ‘Reencantar’, a mesma do governador Rui Costa. 


Dosimetria  Dias de sombra e pouco espaço na máquina municipal esperam o vereador e presidente do Legislativo de Camaçari, até o final do mês, Oziel Araújo (PSDB). A avaliação é de gente do círculo próximo ao alcaide Antonio Elinaldo (DEM). Sob a condição de anonimato, essas mesmas fontes consideraram um equívoco, quase uma traição, o comportamento do tucano ao abrir disputa com o governo municipal e até criar dificuldades para a aprovação de projetos de interesse do esquema político que comanda Camaçari até 2020. 


Dosimetria 2  Lembram que sinais dessa dificuldade do aliado se mostraram logo após a campanha de 2016. Não foi por falta de ajuda, dizem.  Ainda segundo essas mesmas fontes, Oziel recebeu o PSDB pronto, com candidatos potenciais e estrutura, isso sem falar na chamada ‘logística eleitoral’, fundamental para a eleição de um candidato. Já naquele final de 2017, com as urnas fechadas e sua eleição de vereador confirmada, ensaiou voo mais alto e pressionou para ser o presidente do Legislativo no biênio seguinte (2018/2019). 


Dosimetria 3  Mesmo sabendo que o acordo mostrava seu nome para os  2 anos subsequentes (2019/2020), conseguiu passar na frente do demista Jorge Curvelo. Em nome da unidade do governo que começava, Curvelo, 1º da fila e nome preferencial do prefeito e sem questionamentos dentro da base governista, aceitou esperar. 


Dosimetria 4  Apesar do recuo, materializado na sessão desta quinta-feira (13), quando colocou em votação todos os projetos de interesses do Executivo, que ele mesmo retirou de pauta na sessão de terça-feira (11), Oziel segue com o bico avariado. 


Dosimetria 5  Ao mostrar inabilidade política de enfrentar a parede dura da máquina municipal, o tucano terminou ferindo sua imagem e reduzindo as possibilidades de voo na máquina municipal. Sem essa estrutura não tem como amparar seus correligionários que deixam os cargos na máquina do Legislativo com a eleição do vereador Jorge Curvelo para a presidência da Casa, biênio 2019/2020.


Dosimetria 6  Isolado entre seus pares, Oziel hoje é quase uma unanimidade. Não conta com o apoio, muito menos  a simpatia da bancada da oposição, em especial do PT, sua ex-legenda. Na bancada governista também  encontra poucos fiéis, se é que sua ‘igreja’ ainda abrigue algum aliado com a ascensão de Curvelo, daqui a exatos 18 dias.


Dosimetria 7 Mesmo com as duas novas secretarias e os mais de 200 cargos de livre nomeação do prefeito, a partir de janeiro, não se sabe qual o espaço compensatório o tucano rebelde terá nessa estrutura. A Coluna também apurou que os espaço gerados com a reforma administrativa já estão encaminhados e praticamente definidos. Como em política tudo é possível, agora é aguardar o anúncio oficial do secretariado, antecipado pelo Camaçarico (Confira), mas previsto para a próxima terça-feira (18).  


Na fila  O suplente de deputado no exercício do mandato, Bira Coroa (PT), não vacilou e ajudou a aprovar o pacotão do governo do estado. Contrariando os trabalhadores que tanto diz defender, ao votar o aumento da contribuição do Planserv, Bira mirou no governador Rui Costa, único que pode lhe tirar da suplência e garantir uma cadeira na Assembleia Legislativa a partir de 2019. Caso não seja possível, está de bom tamanho uma sombra na máquina estadual pelos próximos 4 anos. 


Na fila 2  Outra  figura  nascida na política camaçariense que aguarda os desígnios do ‘gov’ é Luiza Maia (PT). Secretária de desenvolvimento econômico do estado desde maio, e quase ex-deputada, já que não disputou o 3º mandato, Luiza cedeu o mandato para o suplente Angelo Almeida (PSB) num acordo carimbado pelo governador.  


Sem limites  A cobrança de estacionamento pelo shopping Boulevard Camaçari não pegou apenas clientes de surpresa. Funcionários das lojas e do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) também precisam desembolsar para estacionar seus veículos no maior (em área construída) shopping do município. Como consolo a direção do Boulevard instituiu taxas especiais mensais de R$ 100 (carros) e R$ 50,00 (motos) para trabalhadores. 


Sem limites 2  O Boulevard também ampliou as medidas para evitar ou dificultar a evasão de receita com o uso das áreas externas, que fazem limite com o shopping, como estacionamento. Mandou cercar todo o shopping com arame farpado, aumentando assim o isolamento e o consequente risco de assalto para quem foge da taxa de R$ 5,00, cobrada por 4 horas de permanência de veículo. 


Sem limites 3  Diferente dos empregados das lojas, os funcionários do SAC,  filhos da indicação política de aliados ao governo do estado, começam a se mexer. Enviaram abaixo-assinado ao vereador petista Téo Ribeiro, solicitando ajuda para a isenção da taxa. Câmara de Vereadores de Camaçari teve a oportunidade de votar lei proibindo o estacionamento pago. A então vereadora Professora patrícia (PT) apresentou projeto em 2015, mas sua proposição ficou engavetada na comissão de constituição e justiça controlada pelos aliados do alcaide Ademar Delgado.    


Sem limites 4 Além de aceitar a obrigatoriedade de pagamento do estacionamento por parte dos seus  funcionários, a direção do SAC também dá a sua contribuiçãozinha para engordar o caixa das lojas do Boulevard Camaçari. Sem bebedouro, o SAC, que atende cerca de 300  pessoas por dia, logo logo começa a desembolsar um gordo aluguel para o shopping, empurra as centenas de usuários do seu indispensável serviço para as lojas, onde uma garrafinha de água mineral não sai por menos de R$2,50.


Confira todas as Colunas acessando o link  http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


14/12/2018

 





Bicadas

Bicadas  O vereador e presidente do Legislativo, Oziel Araújo (PSDB) segue, sem cerimônia, sua estratégia de mostrar insatisfação com o governo Antonio Elinaldo (DEM). Quem assistiu a sessão legislativa desta terça-feira (11) não teve dúvidas sobre o desconforto do tucano com o alcaide demista. 


Bicadas 2 Além de não colocar em pauta a Lei Orçamentária Anual (LOA), que precisa ser aprovada em duas votações até dia 15, quando o Legislativo entra em recesso, o tucano retirou da pauta o projeto que cria duas novas secretarias e amplia em 237 o número de cargos comissionados na máquina municipal.   


Bicadas 3 Na sua estratégia de tensionar com o alcaide, mesmo consciente da maioria folgada da bancada  governista para aprovar até passagem para o céu, Oziel deixou o lugar de presidente, onde só vota em caso de empate, para se juntar à bancada da oposição e engordar o ‘não’ ao projeto do prefeito que reajusta as taxas de publicidade no município. 


Bicadas 4 A menos de 20 dias para deixar o cargo, o presidente do Legislativo segue mostrando o bico. Fontes ouvidas pela Coluna acreditam que movimento de Oziel não passa de um voo desengonçado que visa apenas amparo para seu pessoal, a partir de janeiro, quando deixa o comando do poderoso orçamento de pouco mais de R$ 51 milhões.


Bicadas 5 Como mostrou o Camaçarico (Confira), os erros do tucano Oziel não são recentes. Equívocos na condução da máquina do Legislativo conseguiram transformar sua gestão em  quase unanimidade, com queixas  nas bases  governistas e oposicionistas que não disfarçam o rancor com o ex-petista.


Noca  O Legislativo de Camaçari segue rachado e sem perspectiva de unidade mínima necessária para o seu bom funcionamento. Um exemplo dessa fissura que só faz se aprofundar, com resultados danosos para a cidade e seu povo, patrão dos 21 vereadores, é o calendário de honrarias entregues todo final de ano a personalidades.


Noca 2 Nada menos que 4 sessões foram agendadas até a próxima semana para distribuir títulos de ‘Cidadão Camaçariense’, e as medalhas ‘Marquês de Abrantes’, ‘Desembargador Montenegro’ e ‘Zumbi dos Palmares’. O elástico calendário não visa tornar mais confortável as sessões de distribuição das honrarias, como querem fazer crer. Atende apenas aos interesses das bancadas governista e da oposição que não se entendem nem na hora da festa.


Noca 3 Na prática, as sessões separadas exibem uma discriminação contra os próprios homenageados que parecem ser festejados por uma banda do Legislativo.


Noca 4 Reforça esse festival de equívocos, que começou a ganhar corpo durante a gestão anterior, do ex-presidente José Marcelino (PT), a falta de  pulso do atual presidente da Casa, Oziel Araújo (PSDB). Com seu biênio como presidente encerrando neste 31 de dezembro, o tucano resolveu marcar um dia exclusivo, próxima terça-feira (18), para festejar seus homenageados. 


Noca 5 Outro que também instituiu seu calendário exclusivo é o também governista Gilvan Souza (PR). Marcou para esta quarta-feira (12) a festa da 3ª Edição do Prêmio Camaçari da Inclusão.


Noca 6 A confusão  começou na segunda-feira (10), com a sessão de entrega de honrarias para personalidades escolhidos pelos vereadores governistas. Na quarta-feira da próxima semana, dia 19, será a vez dos oposicionistas festejarem seus escolhidos.


Sem maquinista Segue descarrilado o projeto de recuperação e transformação da antiga estação de trens de Camaçari em espaço de cultura e memória.  Ignorado pelos últimos governos municipais, espaço se prepara para apagar a 2ª velinha de aniversário de abandono na gestão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM).


Sem maquinista 2  Apesar das promessas, do anúncio dos recursos assegurados, e da instalação de placa com imagem de como vai ficar o espaço, não se ouve, nem de longe, o apito do início das obras.


Sem maquinista 3  Completam o trem do descaso, que deveria ser pilotado pela pasta da cultura da doutora Márcia Tude, o antigo cinema e o prédio onde abrigou os poderes e Executivo e Legislativo, todos localizados no coração do município.


Ponto-40 A onda Bolsonaro, que tanto vem animando a indústria bélica, passou longe da unidade baiana da Taurus. A maior fabricante de armas do país fechou no começo da semana a sua unidade de produção de capacetes, instalada em Simões Filho. Tiro acertou 78 trabalhadores que agora estão sem emprego. Nessa lista de atingidos, 15 estão com lesões causadas pelo trabalho. Preocupados com novos disparos, trabalhadores estão acampados na porta da fábrica, localizada no Centro Industrial de Aratu.


Confira todas as Colunas acessando o link  http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


11/12/2018

 





Caminhos

Caminhos  A decisão do TSE que deixa, até agora, o deputado Luiz Caetano (PT) fora da disputa pela prefeitura de Camaçari, em 2020, não excitou apenas o PT e os petistas que sonham com o lugar do chefe. Grupos de tradicionais políticos do município, ligados em algum momento aos 2 lados do poder, preparam candidatura independente.


Caminhos 2  Autointitulados de centro, grupo tem entre seus nomes os ex-vereadores José Cupertino, Pedrinho de Pedrão e Vital Sampaio. Completam a lista: Maurício Bacelar, Gilberto D’Errico e Francisco Irmão.


Caminhos 3  A aposta desse grupo, com ligações  partidárias ao PSD, PP, Podemos, Avante e Solidariedade, é simples. Avaliam que a gestão Antonio Elinaldo (DEM) não se consolidou de forma positiva e definitiva para buscar a reeleição com seu apoio. Também acreditam que os 2 anos restantes de governo não serão suficientes para esse salto para um patamar seguro. 


Caminhos 4 Com reuniões cada vez mais frequentes e concorridas, o ‘centrão de Camaçari’  tem calendário e acredita que o prazo para a definição do melhor nome para a disputa deve sair antes do natal de 2019. Identificando descontentamentos, tanto do lado de Elinaldo, como na ala capitaneada pelo PT, grupo acredita que novas adesões devem ampliar essa base de debates.


Fila   Lista, divulgada pelo Camaçarico (Confira) só faz engordar com a decretação da inelegibilidade de Caetano pelo TSE. O atual diretor do hospital de Madre de Deus, Fábio Lima (PP), é o 9º pré-candidato a prefeito no espectro oposicionista ao prefeito Elinaldo. Além da sinalização de parte do PP do vice-governador João Leão, Lima conta com o apoio do deputado eleito Niltinho, e da simpatia do deputado federal Luiz Caetano.


Fila 2 Fábio, que não está para brincadeira, começa botar pra funcionar sua máquina de votos. Um consultório móvel, onde atende comunidades carentes com médico e outras benesses, vai consolidar o voto dos vivos. Na outra ponta da estratégia para cercar o eleitor, ônibus vão promover o conforto na ‘hora difícil’, transportando parentes e amigos durante os sepultamentos de seus entes queridos. 


Fila 3  Relação de Fábio com Caetano, reforçada pela esposa do parlamentar, espécie de madrinha da jovem liderança, já foi beligerante. Candidato a vice-prefeito na chapa do radialista Marco Antonio, em 2008, Fábio Lima, não só foi derrotado pelo próprio Caetano, candidato a reeleição, como ganhou processo e condenação. Ficou inelegível e teve seus direitos políticos suspensos por 8 anos, por abuso de poder econômico e uso indevido de meio de comunicação durante período eleitoral.


Aperto Fontes governistas e até petistas não recomendam apostar em desfecho favorável ao deputado Caetano antes da diplomação, marcada para segunda-feira (17). O embargo de declaração feito ao próprio TSE, datado do dia 30 de novembro, onde apresenta dúvidas sobre a sentença e pede a sua modificação, só deve ser anunciado pelo relator depois desse prazo, acreditam essas mesmas fontes. Com o calendário andando contra e uma decisão desfavorável do relator ministro Admar Gonzaga, do TSE, o parlamentar recorre ao Supremo Tribunal Federal (STF), onde entra com agravo de instrumento. Posse dos novos deputados será 1º de fevereiro. 


Bisturi O Hospital Geral de Camaçari (HGC) o começa a ganhar cara nova. Desde novembro sob o comando da médica Maria Del Carmen, o nosocómio vem experimentando mudanças. Além da troca na diretoria administrativa, indicação do deputado Caetano, a nova diretora geral, escolha do secretário de saúde Fábio Vilas-Boas, com o aval do também federal petista Jorge Solla, reativou o relógio que andava sem bateria.


Bisturi 2 Coluna apurou que coordenadores, acostumados com o início da jornada matutina, sempre depois das 9h, agora pegam no batente cedo.


Bisturi 3 A circulação de gente sem Cremeb é outra meta da nova diretora que chegou a ser acusada de bolsonarista, numa postagem fake. No velho modelo de gestão do HGC, parlamentares e outros figurões não apenas circulavam livremente pelas enfermarias, ajudando a aumentar os níveis de contaminação do ambiente, como até  bisbilhotavam prontuário de paciente. Felizmente, não ministravam medicamentos. 


Confira todas as Colunas acessando o link  http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


6/12/2018

 





Recuo

Recuo  Vai para a gaveta o projeto de reeleição para presidente do Legislativo de Camaçari. A Coluna apurou que a proposta capitaneada pelo atual presidente e principal interessando na mudança da regra, o vereador Oziel Araújo (PSDB), deve ser retirada de pauta. Projeto pessoal do tucano esbarrou no acordo com o alcaide Elinaldo que determinava o revezamento do poder na Câmara com a eleieção para o biênio 2019/2020 do companheiro de  bancada governista Jorge Curvelo (DEM). 


Recuo  2  Também deixa de tramitar outra proposta que iria engordar ainda mais a já estufada verba de gabinete dos 21 vereadores do Legislativo de Camaçari. Sem acordo para votar a reeleição, Oziel resolveu dar o troco e sepultar a criação de mais um cargo de assessor para cada vereador. Com salário estimado em R$ 3 mil, o novo colaborador do mandato teria a função de acompanhar e assessorar os trabalhos nas comissões temáticas. 


Recuo  3 Atualmente, a verba mensal de cada gabinete para contratação de pessoal é de aproximadamente R$ 65 mil. Com essa cota, cada um dos 21 representantes do povo pode nomear até 10 assessores.


Cenário  "A gente vai continuar fazendo política, de uma forma ou de outra. Eu espero que de uma forma, com mandato. Se não tiver com mandato, eu vou fazer sem mandato". O trecho, parte dos quase 70 minutos do seu último programa, transmitido sábado (1) através de sua página no facebook, mostra que o deputado federal e 3 vezes prefeito de Camaçari, Luiz Caetano (PT), não vai abandonar o jogo. O que só vai se saber, a partir de meados ou final de 2019, é qual o tamanho de Caetano nessa disputa.


Cenário  2 Mesmo ferido e com poucas chances de assegurar seu 2º mandato, tirado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), num placar sintomático de 7X0, na sessão da última terça-feira (Confira), Caetano segue jogando o jogo que gosta e sabe jogar. Autodeclarando 'injustiçado', 'perseguido' e 'vítima' de um processo 'injusto', fruto de uma armação de seus adversários, garante que fez o certo e não cometeu nenhum crime de enriquecimento ilícito, muito menos usou dinheiro público para beneficiar aliados.


Cenário 3 Oscilando momentos de euforia, fragilidade, emoção e até lágrimas, Caetano prometeu retomar sua caminhada pelo estado, visitando suas bases que lhes renderam uma votação total de pouco mais de 124 mil votos. Garantiu que vai se manter vivo ajudando aliados na conquista do mandato de prefeitos pela Bahia. 


Cenário  4 Sem Caetano, a disputa paroquial de 2020 em Camaçari não pode ser classificada  como uma derrota sacramentada para o grupo oposicionista liderado pelo petista. A decisão do TSE, que juristas de todas as matizes reconhecem como sem salvação, não deixa o atual alcaide, natural candidato a reeleição, como nome imbatível. O demista Antonio Elinaldo precisar ajustar sua missa para mostrar que valeu a pena apear o PT do poder e colocar o DEM como a melhor alternativa para Camaçari. 


Cenário 5 Sem a principal liderança da oposição e de reconhecida capacidade eleitoral, o até então primeiro e único nome para a disputa, terá de compartilhar essa tarefa  de construção de uma nova alternativa com o governador Rui Costa, que naturalmente amplia seu cacife nesse tabuleiro, mesmo sem apresentar grandes realizações em Camaçari. Reeleito e dono da caneta, o não muito sintonizado com o estilo Caetano terá a ajuda de outro que já foi muito simpático ao ex-alcaide, o senador eleito Jaques Wagner. 


Cenário 6 Caetano que vinha em uma trajetória de ascensão e até reposição de seu cacife eleitoral em Camaçari, muito mais pelos erros nesses 2 anos de gestão do seu algoz no pleito de 2016, quando foi derrotado por quase 30 mil votos de  diferença, precisa reprogramar seu rosário. Se fortalecer como principal eleitor que decide quem vai enfrentar Elinaldo é sua tarefa de vida nos próximos meses. Criar a comoção popular vendendo a ‘injustiça’ da Justiça Eleitoral como ofertório para seu cofrinho eleitoral de senhor, é rota nessa estratégia de manutenção e reforço de imagem de grande líder, quase um mártir crucificado.  


Cenário 7  No provável cenário sem Caetano, a briga será entre os petistas, apesar da presença de aliados da base oposicionista. Em ordem alfabética, a lista é encabeçada pelo deputado estadual Bira Coroa (PT). Na suplência e esperançoso em assumir uma vaga na Assembleia Legislativa com o ajuste do governador no 1º escalão, Bira sonha em ser o nome de Rui, Wagner e Caetano. Diferente de Bira, que dificilmente teria as bênçãos de Caetano, os vereadores petistas Dentinho do Sindicato, Jackson Josué, José Marcelino e Téo Ribeiro buscam a clausura nos próximos meses. Rezam, se comportam, e até pregam o silêncio obsequioso como forma de evitarem pecados e assim, quem sabe, obter o sacramento do chefe.


Cenário 8  Fecha a lista petista a secretária de desenvolvimento econômico do estado, a quase ex-deputada estadual Luiza Maia (PT). A ex-vereadora e candidata a prefeita derrotada por José Tude, no pleito de 1988, não desiste do sonho. Pode até ser o nome de Caetano. Tudo vai depender de tudo.


Cenário 9 Correm por fora o midiático presidente do sindicato dos metalúrgicos e o irmão do deputado federal João Bacelar (Podemos). Entre outdoores, spots de rádio e outras peças publicitárias bancadas pelo sindicato que comanda, Júlio Bonfim (PCdoB) segue construindo sua imagem de eficiente e agregador. A alternativa, se a vaidade deixar, pode ser a disputa da vereança, hoje representada por Binho do 2 de Julho. Apesar da votação pífia para deputado estadual, em outubro, e vereador no pleito de 2016, Maurício Bacelar sabe que não é pecado sonhar com a unidade em torno do seu nome.


Aplauso As artes cénicas de Camaçari e da Bahia perdem uma das suas mais vigorosas representantes. A atriz e diretora Cilene Guedes deixou o palco na última quinta-feira (29). Muito mais que fundadora do Teatro Amador de Camaçari (TAC), ao lado do também diretor de teatro e seu companheiro Alberto 'Beto' Martins, Cilene foi a mais importante semente das artes cênicas na cidade. Foi o seu bando de atores que contou para a Bahia e para o Brasil que Camaçari fazia teatro e estava engajada. 


Apupo  Pena que esse trabalho foi sendo empurrado para fora de cena, graças a baixa capacidade de entendimento dos últimos secretários de cultura da cidade e seus irrealizáveis editais, e coisas tais e quais. Nessa conta não entra apenas as gestões  dos ex-alcaides Luiz Caetano e Ademar Delgado. O atual, Antonio Elinaldo, também merece o alarido pelo abandono da nossa arte maior.


Padrasto A decoração natalina da praça Abrantes, prevista para ser inaugurada nesta terça-feira (4), vai ficar uma lindeza. O lado feio fica por conta da intervenção equivocada do 'papai noel' da Sesp, que desalojou os artesãos instalados num espaço próprio, ao lado do módulo policial, para dar lugar à casinha do bom velhinho. Sem 'papai noel' na prefeitura para garantir seu espaço, artesãos terão de se contentar com os cantos da festa.  


Presente natalino  E o Boulevard Shopping Camaçari resolveu atropelar a Lei Municipal e decidiu botar catraca na porta. Clientes motorizados agora pagam para fazer compras. Por um período de 4 horas, carros custam R$ 5,00, e motos R$ 2,00. Diferente dos grandes shoppings instalados em Salvador, que  oferecem 30 minutos, o Boulevard Camaçari achou muito e assegura apenas 20 minutos de permanência sem custos. Provavelmente apostando na lei da gravidade natalina, quando todos os clientes são atraídos  para as lojas, shopping acredita que trocados extras vão ajudar a bancar os custos de um equipamento que desde a sua inauguração exibe baixo movimento nos seus corredores. 


Confira todas as Colunas acessando o link  http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


3/12/2018

 





Peças

Peças  O pacote de reforma na máquina municipal, enviado terça-feira (27/11) ao Legislativo, pelo alcaide Antonio Elinaldo (DEM), vai muito além da criação da secretaria de  turismo e da pasta batizada de prefeitura avançada da costa de Camaçari. Levantamento feito pela Coluna mostra que ajustes vão criar 237 novos postos de confiança de livre nomeação pelo chefe do poder Executivo. A campeã disparada é a secretaria de governo (Segov) que vai ganhar 207 novos cargos comissionados. 


Peças  2 Nas duas novas pastas serão criados 21 novos cargos, sendo 12 na estrutura de turismo, e 9 na chamada prefeitura da orla. Além dos secretários e seus subs, serão criadas 5 coordenações, 6 gerências, 5 assessorias técnicas e uma superintendência.


Peças  3  Também ganham novas superintendências as secretarias da saúde (Sesau),  desenvolvimento social e cidadania (Sedes), educação (Seduc) e serviços públicos (Sesp). Além de uma nova superintendência, como as demais pastas, a infraestrutura (Seinfra) será aquinhoada com 4 novas diretorias. Conta nesse pacote de 5 secretarias soma 9 novos cargos.

Peças  4  Conta feita pela Coluna mostra que os 237 novos cargos vão custrar aos cofres do município cerca de R$ 600 mil mensais. Valor representa um acréscimo de algo em torno de 3% da folha mensal de pouco mais de R$ 20 milhões. 


Peças  5  Município soma hoje quase 7 mil colaboradores. São 5.597 servidores efetivos, 919 cargos comissionados, que com o pacote sobe para 1.156. Conta inclui ainda os 20 agentes políticos, nomenclatura para os cargos de prefeito, vice, secretários e subs; e os 121 beneficiados pelo programa jovem aprendiz. Os trabalhadores terceirizados, estimados em 150, não entra nessa tabuada. 


Peças  6  Na compensação do inevitável desgaste com a criação de novos cargos, governo municipal aposta em programas de combate a desigualdade. Conjunto de medidas também inclui a implantação do Bolsa Social, que vai ajudar com repasse mensal que varia de R$ 100 a R$ 150, famílias com renda mensal de até 25% de 1 salário mínimo (R$ 250).


Peças 7  Outra cartada é o Mais Agricultura, programa de aquisição de alimentos feito pelo município diretamente dos agricultores familiares. Criação  da gratificação para servidores lotados em unidades escolares de difícil acesso é outra medida que a gestão acredita justa e que traz dividendos políticos. Outra cartada é o Mais Agricultura, programa de aquisição de alimentos feito pelo município diretamente dos agricultores familiares. Criação  da gratificação para servidores lotados em unidades escolares de difícil acesso é outra medida que a gestão acredita justa e que traz dividendos políticos.


Peças  8  Conjunto de mudanças, que o alcaide Elinaldo, com maioria folgada de 16 dos 21 vereadores, deve aprovar na Câmara, antes do recesso de final de ano, também inclui mudanças no Código Tributário Municipal, e a criação de uma agência reguladora e fiscalizadora dos serviços públicos concedidos pelo município de Camaçari (ARSEC). 


Peças  9  A atualização do programa de parcerias público-privadas (PPP) é outra novidade. No caso da  ARSEC, os 4 cargos: diretor presidente, com status e salário de secretário; diretor de regulação jurídica; de regulação técnica, e controlador, não serão nomeados agora. Indicações para a agência reguladora vão aguardar o início do programa de parcerias público-privadas, um dos focos de atuação na nova estrutura que também terá função de fiscalizar a atuação da máquina municipal.


Empoderada  Com a troca de Ilai Ellery por Andrea Montenegro, no comando da secretaria de desenvolvimento social e cidadania (Sedes), como antecipou o Camaçarico, a primeira-dama Ivana Paula ganha mais poder na estrutura municipal. A Coluna apurou que além de indicar a secretária, a esposa do alcaide Elinaldo também escolheu Mariana Oliveira, uma de suas  mais próximas colaboradoras no atual programa de voluntariado para ser a subsecretária da pasta.  


Empoderada 2  A saída da filha  do ex-prefeito Humberto Ellery não  ignifica 'game over' para a representante e herdeira política do clã. Ilai, que antes de assumir a Sedes tocava o projeto de comunicação da família, deve ser deslocada para outra função, o que pode representar alguns ajustes ainda não anunciados na máquina municipal.


Confira todas as Colunas acessando o link  http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


29/11/2018

 





Sintomas

Sintomas  O vereador Oziel Araújo segue mortalmente picado pelo perigoso e condenável vírus do poder sem limites. De costas para o púlpito, onde a simplicidade, o respeito, o equilíbrio e a igualdade são regras, o tucano insiste em atropelar a lei que proíbe a disputa pela reeleição para presidente do Legislativo de Camaçari, permanecendo assim por mais 2 anos (2019/2020).


Sintomas 2 O caminho perigoso pode ser longo e nada saudável para o processo de reciclagem e renovação necessárias numa democracia. Conquistado seu intento, tudo é possível. Quem sabe mais 2 anos de poder, a partir de 2021. E, depois, mais um biênio até 2024.


Sintomas 3 Na sessão desta quinta-feira (22), o vereador presidente colocou em votação um parecer de admissibilidade do seu projeto de reeleição, sem que o tema fosse discutido na comissão de constituição e justiça (CCJ). Sem cerimônia, Oziel atropelou o regimento interno da Câmara de Vereadores que também determina a distribuição do projeto para que seus colegas vereadores discutissem e até apresentassem emendas.


Sintomas 4 Com mais essa bicada na lei, atropelando prazos que tecnicamente tornam seu projeto de reeleição inviável, como detalhou a Coluna postada no último dia 7 (Confira), Oziel avança perigosamente.


Sintomas 5 Muito mais que o risco de ser abatido antes do pouso seguro, seu voo pode atingir a base aliada. Mesmo dona de 16 dos 21 votos da Casa, movimento de Oziel pode transformar a sucessão, palavrada para ser alternada pelo demista Jorge Curvelo, numa crise que vai estourar no colo do alcaide Elinaldo.


Tamanho-G Camaçari ganha duas novas secretarias a partir de janeiro de 2019. A secretaria avançada da costa de Camaçari, ou secretaria da orla, será comandada pelo atual vice-prefeito e 3 vezes alcaide de Camaçari, José Tude (DEM). A Coluna apurou que o cargo de sub-secretário deve ser ocupado por figura de intreira confiança de Tude. Com a nova pasta, o ex-prefeito passa a contar com 3 estruturas na sua cota de poder municipal: desenvolvimento econômico (Sedec), com  Waldy Freitas; e cultura (Secult), com a filha Márcia Tude. 


Tamanho-G 2 Como antecipou a Coluna, a outra estrutura, desmembrada da pasta do desenvolvimento econômico (Sedec), vai atender os anseios do setor turístico. A oficialização deve acontecer em meados de dezembro, após a aprovação pela Câmara de Vereadores do projeto de reforma administrativa. Com mais essas duas pastas, o chamado 1º escalão passa a contar com 20 estruturas com status de secretaria. 


Tamanho-G 3 A pasta do turismo será comandada pelo vereador Gilvan Souza (PR), que será substituído no Legislativo  por Cristiane Bacelar. Eleita pelo PR, a doutora Cristiane, irmã do deputado federal reeleito Jonga Bacelar (PR), migrou para o PRB. A subsecretária de turismo será Lúcia Bichara, profissional com larga experiência na coordenação e formulação de projetos no setor.  


Capitania  Também em janeiro a pasta do desenvolvimento social e cidadania (Sedes) ganha nova titular. Sai Ilai Ellery e entra a advogada Andrea Montenegro. Com a doutora Andrea, pasta chega a sua 4ª titular em 2 anos.


Capitania 2 Além da presença feminina, o comando da Sedes apresenta outra coincidência. Todas as titulares, desde a posse do novo governo, em janeiro de 2017, exibem sobrenomes conhecidos. A futura secretária vem da linhagem dos Montenegro, família com larga participação na política e considerada uma das mais antigas da cidade.


Capitania 3  Andrea Montenegro entra no lugar de Ilai Ellery, filha do ex-prefeito Humberto Ellery e da ex-deputada federal e 1ª titular da secretaria na atual gestão. Simara Ellery foi substituída por outra representante de família tradicional. A ex-vereadora Janete Ferreira, filha do ex-deputado Ferreira Ottomar, ex-Limpec e atual titular da pasta de relações institucionais (Serin), comandou a Sedes entre janeiro e abril deste ano.


Figa  O turismo na Bahia vai mal e a outrora campeã de visitantes do Nordeste, e uma das líderes em todas as medidas no setor em todo país, agora oscila entre a vice-liderança e o 3º lugar na região, atrás de Fortaleza e disputando turistas com Recife.


Figa 2  A constatação passa longe do tão em moda ‘fake news’. Quem garante é o ex-secretário de cultura e turismo do estado e ex-presidente da Bahiatursa, Paulo Gaudenzi. Considerado um dos maiores  formuladores e gestores no setor em todo país, Gaudenzi exibiu números de uma triste Bahia, na manhã desta quinta-feira (22), durante o 1º fórum de turismo de Camaçari.


Figa 3  Durante sua palestra sobre ‘turismo como vetor de desenvolvimento’, no hotel Vila Galé, orla do município, Gaudenzi citou dados que sinalizam a importância da atividade turística como geradora de emprego, maior que segmentos como a nossa tão festejada planta petroquímica. Lembrou o descaso com a nossa infraestrutura turística, como o fechamento desde 2015 do centro de convenções da Bahia. O resultado é a queda no número de passageiros que trocam Salvador por Fortaleza. Ainda segundo gaudenzi, na conta dos voos perdemos até para a capital pernambucana.


Figa 4  A palestra de Gaudenzi, presenciada pelo alcaide Elinaldo, seu vice, pelo futuro secretário de turismo, e empresários do setor no município, dá a dimensão da responsabilidade de criar uma estrutura de fomento ao turismo em Camaçari. De forma clara e inequívoca, o ex-secretário de turismo e guia  maior da Bahiatursa, desde a sua criação, deixou claro que turismo é muito mais que sacudir as fitinhas. 


Figa 5  Município com 42 quilômetros de praias, completados com um riquíssimo ecossistema formado por matas, rios, lagoas, dunas e um importante pedaço da história da Bahia, não precisa de mais uma estrutura para atender aliados políticos. Se for para apenas amarrar a fitinha sem os 3 nós e os respectivos pedidos, é melhor nem apostar.


Confira todas as Colunas acessando o link  http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


22/11/2018

 





Sombra

Sombra  Apesar da crise econômica, que anda fechando as portas de milhares de estabelecimentos em todo país, a Anivaldo Viana Campos ME segue fora dessa curva e não tem do que se queixar. Com nome  fantasia de Brasil Livros Empreendimentos, empresa  localizada na sede de Camaçari segue vencendo licitações de várias modalidades.  A Coluna apurou que a empresa já acumula um faturamento que nos próximos meses deve  ultrapassar os R$ 234 mil só com a soma dos contratos assinados neste ano com o município de Camaçari. 


Sombra 2  Independente da sua capacidade técnica, a participação da Brasil Livros no atual governo é cheia de coincidências. Um dos filhos do Sr. Anivaldo, André Elpidio Cerqueira Campos, além de noivo da filha do prefeito Antonio Elinaldo (DEM), tem importante presença na máquina municipal. Exerce a função de confiança de assessor jurídico da secretaria de saúde do município (Sesau) com vencimentos que beiram os R$ 8 mil. A nomeação do 'genrão', ano passado, foi notícia no Camaçarico.  


Sombra 3  André não está sozinho na contribuição dos Cerqueira Campos para a melhoria da eficiência da máquina municipal na atual gestão, e no aumento da renda familiar, é claro. Seu irmão, Maycon Cerqueira Campos tem função de confiança de coordenador, com salário de pouco mais de R$ 3,8 mil na estrutura da secretaria de agricultura e pesca (Seap). 


Sombra 4  Lista de licitações vencidas  pela Brasil Livros Empreendimentos, a partir de abril deste ano, inclui ainda o fornecimento do chamado material de escritório, como pastas, envelopes e outros artigos que somam pouco mais de R$ 126 mil com outros 4 contratos.   


Sombra 5  Fundada em  abril de 2002, a empresa exibe um leque de atividades conforme a classificação nacional de atividades econômicas (CNAE), do ministério da Fazenda. A Brasil Livros Empreendimentos também está habilitada a comercializar produtos alimentícios, material de escritório, roupas, instrumentos musicais, brinquedos, informática e até realizar serviços especializados em estruturas metálicas.  


Sombra 6  Só nesta área de estruturas, a empresa vai receber em 6 meses de contrato (23/8/2018 a 22/2/2019) pouco mais de R$ 108 mil para  realizar serviços de reforma e substituição de estruturas de 175 barracas utilizadas nas feiras itinerantes do município. Projeto é realizado através da parceria entre as secretarias de serviços públicos (Sesp) e a Seap, que tem um dos filhos do empresário como assessor nomeado.  


Boca pio  Se mudou, não parece. A feira de Camaçari continua com cara de pouca limpeza. Já as ilhas de privilegiados é constatação fácil. Os boxes usados como depósitos de grandes comerciantes seguem intocáveis, garantem os pequenos permissionários que marcham mensalmente com as taxas de manutenção do espaço.


Boca pio 2 Nessa mesma velocidade de mudança, comerciantes continuam intrigados com o destino que a gestão Elinaldo vai reservar ao espaço onde funcionou a Cesta do Povo, e a área pavimentada no ano passado, ao lado do estacionamento que faz limite com a Rua Costa Pinto.


Boca pio 3 Especulações é que não faltam. Os cerca de 300 metros quadrados ocupados pela Cesta seriam usados para abrigar o setor de alimentos resfriados como carnes e mariscos. A construção de uma creche no local, fechado desde o ano passado, é outra alternativa que aparece na lista de especulações. Com ou sem projeto, o resultado é um só. A feira continua com a mesma cara feia. 


Confira todas as Colunas acessando o link  http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


20/11/2018

 





Gordura

Gordura  A Câmara de Vereadores recebe nos próximos dias projeto de reforma administrativa na máquina municipal de Camaçari. A Coluna apurou que o alcaide Antonio Elinaldo (DEM) vai fatiar a pasta de desenvolvimento  econômico (Sedec), comandada pelo ex-vereador Waldy Freitas, e criar uma nova secretaria para atender o turismo.


Gordura 2  Longe da sede, escolha preferencial para instalar a nova estrutura é o eixo Monte-Gordo/Guarajuba, onde já funciona uma central de atendimento municipal (CAM). Proposta é  justamente desconcentrar Arembepe e iniciar a criação de um novo polo de decisão mais para Norte  da orla. 


Gordura 3  Com a criação da pasta do turismo, máquina passa a contar com 19 secretarias somadas às duas estruturas com status de 1º escalão: trânsito (STT) e seguridade (ISSM).


Já era  A Coluna descuidou e esqueceu o 15 de novembro nas contas dos prazos para apresentação e aprovação do projeto de reeleição do presidente da Câmara de Camaçari na mesma legislatura, como postou o Camaçarico do dia 7 (Confira). 


Já era 2  Com o feriado da próxima quinta-feira, o prazo de 5 sessões para 'admissibilidade', trâmite legal que antecede a votação em plenário,  o calendário empurra o projeto para mais 4 dias. Data coincide justamente com o 15 de dezembro, dia da eleição da Mesa Diretora biênio 2019/2020. 


Por gravidade  Com o vacilo do atual presidente Oziel Araújo (PSDB), que deixou para articular o projeto de reeleição aos 45 do 2º tempo, Jorge Curvelo (DEM) se confirma, apesar dos pesares,  como o nome para comandar o Legislativo pelos próximos 2 anos.  


Por gravidade 2  Acomodado e apostando no taco do amigo prefeito, Curvelo seguiu sem preocupação. Quase sobra. O demista só vem colecionando desgaste. Começou a legislatura com um cargo que não deveria assumir. Durante esses 2 anos foi líder do governo e cumpriu o ritual do embate com os antigovernistas. Também colecionou arranhões com vereadores da sua base, seus eleitores potenciais na disputa pelo novo comando da Mesa Diretora. Mas, como a força da gravidade do poder municipal é mais forte, Curvelo será o presidente.


Pó de giz  A eleição da professora Marcia Novaes, para a presidência do sindicato dos professores de Camaçari (Sispec), deixou uma sala de aula de derrotados. Lista dos reprovados é encabeçada pelo PCdoB que há exatos 33 anos, desde a fundação do sindicato, tenta tomar do PT o controle do Sispec.


Pó de giz 2  Com a derrota fica adiado  até 2022 o sonho de comandar a entidade e transferir da CUT, braço sindical petista, para a CTB, congênere do PCdoB no mesmo campo de organização dos trabalhadores.


Pó de giz 3  Também levou nota vermelha a ala petista ligada e conhecida como os 'influencer' do mandato do vereador Teo Ribeiro, que oficialmente ficou em cima do muro.


Pó de giz 4  Até uma banda governista instalada na secretaria de educação (Seduc) foi atingida pela aspersão de pó de giz da chapa 1. Além de inovar com ofícios tentando restringir a atuação das chapas, sob a capa de preservação do trabalho pedagógico nas escolas, ala demista pouco ajudou a somar votos para a coligação encabeçada pela professora Diana Cavalcanti (PT), com Klenio Kirk (PCdoB) na vice.


Pó de giz 5  Além das professoras Márcia, petista histórica, e Ana Bueno, representante do PSOL, outro educador aparece na lista dos vencedores. Fundamental na articulação e vitória da chapa, o professor e ex-secretário de educação, Márcio Neves, tem caminho novo para seguir.


Cadeado  Tiago Peixoto, presidente municipal do PSL, partido do presidente eleito Jair Bolsonaro, não vai dar passaporte para vereador  entrar no partido só para facilitar a reeleição.


Cadeado 2 A Coluna apurou que Tiago, primo da professora Dayana Pimentel, eleita deputada federal pelo PSL com a 4ª maior votação da bancada baiana, quase 137 mil votos, quer chapa com novas lideranças nas municipais de 2020.


Recall  A escolha da hora da visita ao stand da Ford, no Salão do Automóvel, semana passada, em São Paulo, deixou o deputado federal Daniel Almeida (PCdoB) na condição de papagaio de pirata do presidente Temer (MDB) que ele tanto critica e até chama de golpista.


Recall 2  O parlamentar baiano, que além de  comandar o partido no estado, preside a  comissão de desenvolvimento econômico, indústria, comércio e serviços da Câmara Federal, aparece em 3 das 4 imagens distribuídas pela assessoria da fábrica, ao lado de Temer e do vice-presidente de assuntos corporativos, comunicação e estratégia da Ford América do Sul, Rogelio Golfarb.


Confira todas as Colunas acessando o link  http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


12/11/2018

 





Mosca azul

Mosca azul  O vereador Oziel Araújo (PSDB) não quer largar o poder. Nesta semana o tucano tentou pela 3ª vez emplacar mudança na Lei Orgânica do Município para que o atual presidente da Câmara de Vereadores de Camaçari, no caso ele próprio, possa disputar a reeleição, ficando assim 4 anos (2017/2018-2019/2020) no comando do gordo orçamento que neste 2017 foi de pouco mais de R$ 51 milhões. 


Mosca azul  2  O movimento de Oziel, que seguramente não está sozinho, rasga o acordo que assegurava a troca de poder com outro vereador da base do alcaide Antonio Elinaldo (DEM). Proposta apresentada na terça-feira (6) tinha a assinatura de Oziel e mais 10 vereadores. Com a reação negativa e o esperneio entre os governistas, segundo apurou a Coluna, 4 vereadores recuaram e pediram para retirar a assinatura. Teve até vereador que disse que assinou sem ler.


Mosca azul 3  Pelo acordo, aí incluído o alcaide Elinaldo, que segue a regra dos antecessores e jura que não interfere na sucessão do Legislativo, o nome certo nesta sucessão é do líder do governo, vereador Jorge Curvelo (DEM). Rifado na disputa de 2016, reforçada pelo embate com o também demista Júnior Borges, Curvelo, agora certo de que seria o sucessor, cruzou os braços e terminou permitindo o avanço de Oziel. 


Mosca azul 4  Além de votos, o voo do tucano vai precisar de muita logística e precisão para conseguir  cumprir o roteiro exigido pelo Regimento Interno da Câmara. 


Mosca azul 5  O projeto que permite a reeleição tem caminho longo. Depois da comissão de constituição e justiça (CCJ) a proposta terá prazo de 5 sessões até retornar ao plenário para a sua admissibilidade ou recusa. Mais prazo de 10 dias úteis para que a comissão especial examine o “mérito”.


Mosca azul 6  Depois desse procedimento a proposta precisa ser aprovada por no mínimo 14 votos, o chamado quórum qualificado de 2/3 dos votos da Casa. Outra votação, a 2ª exigida pela Regimento, só pode acontecer com intervalo de 10 dias uteis.


Mosca azul 7  Fazendo as contas no calendário,  sem nenhum tropeço e a realização de todas as sessões, a proposta de reeleição deve ir para votação do plenário  no final de novembro. Com tudo nos conforme, só deve ser votada em 1º turno no dia 27 de novembro. Com o interstício de 10 dias uteis, votação final só acontece dia 11 de dezembro. Data antecede em exatos 4 dias o calendário definido pelo Regimento interno para a eleição da mesa diretora para o 2º biênio (2019/2020).


Mosca azul 8  A Câmara de Camaçari  acabou com a reeleição, no mesmo mandato em 2006, na gestão do vereador e presidente Bira Coroa (2005/2006). Movimento liderado pela então vereadora e companheira de PT, Luiza Maia, com o apoio do  alcaide Luiz Caetano, botou freio nas pretensões de Bira que tentou emplacar mais 2 anos temendo perder a disputa para a Assembleia Legislativa. Luiza foi eleita presidente para o biênio 2007/2008. Com a sua reeleição para a Câmara de Vereadores e a brecha da Lei Orgânica que permite a disputa para a presidência num novo mandato, Luiza foi ‘reeleita’ para mais 2 anos (2009/2010). 


Mosca azul 9  Outro que tentou mudar a regra para dobrar o mandato de 2 anos foi o também petista Téo Ribeiro. Articulação em 2014, durante o 2º ano do seu mandato, teve o freio do então alcaide prefeito Caetano, que fez cumprir o acordo com a eleição do companheiro de legenda José Marcelino para o biênio seguinte (2015/2016). Téo já havia sido rifado pelo compadre Caetano na disputa do biênio anterior. Apoio a Zé de Elísio para o comando da Câmara (2011/2012) rendeu racha e muitos impropérios.


Mosca azul 10  A política é cheia de nuances e muitas repetições, não necessariamente com os mesmos personagens. Seguindo esse princípio do recuo, do avanço, da parada, ou até da guinada de 180 graus, o apoio ou a desistência de Elinaldo ao amigo Curvelo não está fora da regra de voo na política.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


7/11/2018

 



Anterior | |1| | Próxima

Encontrado(s): 10 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2018 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL