Busca:








know-how A chamada ‘Blitz Popular’, realizada quarta-feira (19), por vereadores da oposição, em unidades de saúde da Orla de Camaçari, é o caminho que os antigovernistas encontraram para mostrar serviço, ganhar mídia e manter a necessária pressão sobre a gestão do demista Antonio Elinaldo.


know-how 2 Ação não exibe apenas as carências do sistema de atendimento médico no município nesses 7 meses de governo. Sem  preocupação com o retrovisor, 'Blitz' expõe a herança dos antecessores Ademar Delgado, ex-PT e agora sem rumo partidário, e Luiz Caetano (PT), festejados e nunca cobrados pelos mesmos que hoje apontam o dedo contra o adversário.


know-how 3  Válida, necessária e legítima, ação dos 5 integrantes da bancada da oposição traz uma outra lição que a aposição, até o ano passado liderada pelo hoje alcaide, nunca aprendeu. A própria rede de saúde, o perdulário programa Cidade do Saber, o criminoso abandono da Casa da Criança e do Adolescente, a precariedade e os riscos de funcionamento da feira, e o perigoso sistema de transportes são exemplos de uma agenda negativa que os hoje governistas exploraram de forma envergonhada. Preferiram os discursos. São pouquíssimos os registros de visitas e inspeções a unidades mantidas ou gerenciadas com o apoio do município.


Conta de somar A distribuição das cerca de 20 toneladas de alimentos para entidades assistenciais de Camaçari, recolhidos durante o Camaforró-2017, e o início da campanha do agasalho é o começo de um projeto de posicionamento e empoderamento da esposa do prefeito Antonio Elinaldo (DEM).


Conta de somar  2  Lançado recentemente, e que tem com diretora-presidente Ivana Paula, o ‘Abrace Camaçari’ preenche um espaço deixado pelas primeiras-damas dos governos Ademar e Caetano. Enquanto Edyla Delgado não se envolvia oficialmente com a gestão, a deputada Luiza Maia exercia esse poder obtendo dividendos eleitorais fomentando a participação política. Vazio deixado no comando de ações não menos importantes e legítimas de voluntariado, agora começa a ser preenchido pela atual primeira-dama.


Conta de somar 3  O ‘Abrace Camaçari’, tem tudo para seguir os passos de outra superestrutura de atendimento à população carente através de doações e campanhas solidárias. Comandada pela esposa do presidente da Assembleia Legislativa, Ângelo Coronel (PSD), a também primeira-dama Eleusa Corone avança com sua ‘Assembleia de Carinho’, distribuindo alimentos, enxovais e buscando novos espaços na sociedade.  


Conta de somar 4  A distribuição de cestas básicas, enxovais para gestantes, vale gás, colchão e até auxílio aluguel, com frequência irregular durante quase todo o último ano da gestão Delgado, e suspenso totalmente desde janeiro com a posse de Elinaldo, continua sob a responsabilidade da secretaria de desenvolvimento social (Sedes). A Coluna apurou que as ações de assistência social que envolvem avaliação de necessidades e distribuição desses benefícios seguem sob o comando da Sedes e serão coordenadas por uma central de atendimento.


Nova frequência O radialista e ex-candidato a prefeito (2008) e vereador (2010) de Camaçari, Marco Antonio, troca o PRP pelo PP. Adesão ao projeto do vice-governador e secretário de planejamento do estado, João Leão, comandante da legenda na Bahia, deve acontecer nos próximos dias.


Nova frequência 2 Marco Antonio, que assume a secretaria geral do PP de Camaçari, chega com o pastor Jailton Silva. Ex-candidato a vereador e também vindo o PRP, Jailton deve herdar a presidência municipal da legenda. Gilberto D’Errico, braço-direito de Leão no município, segue sem abalos.


Prestigio Camaçari, sede do maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul, vai ficar de fora da visita que o ex-presidente Lula fará à Bahia em agosto. Roteiro do ônibus da caravana da pré-campanha pelo 3º mandato presidencial nas eleições de 2018 inclui apenas a capital, Feira de Santana, Cruz das Almas e São Francisco do Conde. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


20/7/2017

 





Nevralgia

Nevralgia A decisão do vereador Junior Borges (DEM) de entregar os 11 cargos, que indicou na gestão municipal de Camaçari, é mais um incômodo para o alcaide e companheiro de legenda. Diferente da dor de dente que martela Antonio Elinaldo, desde a semana passada, mas com desfecho satisfatório nos próximos dias, o aborrecimento do vereador é ‘dente’ que pode lhe agoniar por muito tempo.


Nevralgia 2 Borges nega a agulhada no alcaide com a entrega dos cargos. Assegura ao editor do Camaçarico que está tudo azul, segue com Elinaldo, acredita no projeto do atual governo que ele ajudou a construir, e não vê motivos para rompimento. Diz que os cargos devolvidos, que Elinaldo não deve mexer, é apenas um sinal de  desprendimento. Mesmo evitando falar sobre sua postulação, a Coluna apurou que Borges é candidatíssimo a deputado estadual e vem somando apoios antes inimagináveis.


Nevralgia 3 Vereador em 2º mandato e listado entre os ‘puro sangue’ do time azul, Junior Borges não está sozinho no projeto de primazia da máquina e dos apoios na base governista de Camaçari para a conquista de uma das 63 cadeiras na Assembleia Legislativa. O atual vice-prefeito e 3 vezes alcaide de Camaçari, José Tude (PMDB), também candidato a deputado estadual, segue de olho no mesmo filão de votos. Acordo antigo, como mostrou a Coluna em julho do ano passado (Confira), é dente inexistente, segundo radiografia de gente grande do governo elinaldista.


Nevralgia 4  Se a disputa entre Junior e Tude já causava desconforto na base elinaldista, inflamação se ampliou com o compartilhamento, pelo vice-prefeito, de postagem de internauta acusando o vereador Junior Borges de ‘oportunista’. Dono do prejuízo, Borges minimizou reprodução de comentário num grupo de whatsApp, enquanto Tude, ao invés do curativo, preferiu deixar a ferida aberta com o seu silêncio.


Nevralgia 5 Nessa disputa, tanto o vereador, quanto o atual vice-prefeito falam em dobradinha com o deputado federal Paulo Azi. Candidato a reeleição com o apoio de toda a máquina municipal, Azi é o parceiro ideal para quem sonha sair de Camaçari com parte da eleição assegurada.


Nevralgia 6 Junior Borges aposta no seu histórico, enquanto Tude joga com seu raio-x eleitoral e a nova conjuntura política. Borges apoiou o companheiro de legenda e candidato a reeleição, Paulo Azi, e o atual prefeito Elinaldo para estadual em 2014. No mesmo pleito, Tude foi candidato a deputado estadual pelo PTN (atual Podemos) em dobradinha com o federal João Carlos Bacelar.


Nevralgia 7 As candidaturas do vereador aliado de 1ª hora e do vice-prefeito e também parceiro de governo, é boticão que seguramente abala a arcada governista e vai exigir cirurgia do ‘doutor’ Elinaldo.


Nevralgia 8 Longe da confusão da prefeitura o vereador e presidente do Legislativo Municipal, Oziel Araújo (PSDB), segue firme e com quase nenhum risco de extração do processo de disputa por uma cadeira na Assembleia Legislativa. Com consultório montado e operando em alta, graças ao comando de um orçamento anual de pouco mais de  R$ 47 milhões, Oziel só observa.


Nevralgia 9 Na arcada oposicionista, os vereadores petistas Téo Ribeiro e Jackson Josué aguardam anestesiados. Com a deputada Luiza Maia cumprindo o 2º e último mandato, e o deputado Bira Coroa correndo por fora, em outras bases, por total falta de vontade do ‘doutor’ Caetano em manter o companheiro de legenda empoderado para um 3º mandato, Téo e Jackson esperam na antessala. Jackson, agora presidente municipal do PT, anda jogando e anunciando até gol de cabeça, enquanto Téo segue discreto, mas predestinado. Sabem que os votos do eleitorado oposicionista existem e tendem a crescer com insatisfação natural de parte dos que votaram em Elinaldo. 


Nevralgia 10 Risco do boticão vem da vizinha Dias D’Avila, base do abonado empresário Raimundo Ramos de Andrade, o Raimundinho da JR, candidatíssimo e tido como a melhor alternativa do deputado federal e 3 vezes prefeito de Camaçari, Luiz Caetano, para reforçar o caixa da sua reeleição Bahia adentro.   


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


18/7/2017

 





Chuvisco

Chuvisco  A programação da TV Câmara de Camaçari exibida até  fevereiro através do canal 53 da TV Litorânea, segue fora do ar e agora virou caso de Justiça. Briga entre o grupo RTVC Camaçari Ltda, controlador da transmissora do sinal, e a Câmara de Vereadores de Camaçari priva milhares de telespectadores dos debates no Plenário do Legislativo e de sua programação com noticiários e produções locais.


Chuvisco 2 Depois de tentativas de acordo que a presidência do Legislativo não detalha, muito menos a direção do grupo controlador da TV Litorânea evita comentar,  disputa foi para outro canal, o da Justiça. A Coluna apurou que a escolha pela Câmara, de uma outra empresa para realizar serviço de cabeamento da nova rede digital do canal 53 entre os estúdios da TV Câmara e a sede da transmissora, teria sido um dos motivos da briga. Nenhum dos 2 lados confirma, muito menos desmente a informação.


Chuvisco 3 Sem transmissão por TV e pressionado por outros vereadores e setores preocupados com suspensão da programação, o presidente da Câmara, vereador Oziel Araújo (PSDB), recorreu à Justiça. Decisão, ainda que em caráter liminar, manda que a programação do canal 53 volte ao ar até dia 22. De acordo com decisão do Juiz César Borges, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Camaçari, caso não normalize a programação a partir do dia 23, pagará multa diária de R$ 10 mil.


Chuvisco 4 A Câmara de Vereadores garante que todas as providências técnicas, com mudança de sistema de transmissão para digital, foram tomadas, mas a operadora não cumpriu sua parte do acordo.  Já a defesa da TV Litorânea evita comentar. Para o advogado da TV Litorânea, Emanoel Monteiro, a Câmara não tem razão para contestar a decisão. Segundo ele, uma audiência de conciliação foi marcada para 3 de agosto, mas a Justiça antecipou a decisão. O representante da TV Litorânea acredita que possui argumentos para reverter a decisão. Caso não consiga, vai recorrer para o Tribunal de Justiça.


Chuvisco 5 A concessão de canal para a TV Câmara é assegurada por Lei Federal. Ainda de acordo com a legislação, o poder Legislativo não terá nenhum custo com aluguel de horário, cabendo apenas as despesas de produção da programação.


Chuvisco 6 Briga não deixa apenas o telespectador sem as informações sobre a Câmara de Camaçari e  a cidade. Com a programação fora do ar, a própria rede  de canais pagos sofre perda de audiência. Segundo fonte da Coluna, o canal 33 tem boa penetração e ajuda a reforçar a programação da TV Litorânea.


Feriadão  Final de semana prolongado para cerca de 2 mil professores do município. Intransigência entre prefeitura e educadores deixa sem aula cerca de 40 mil alunos de 99 escolas do município, já brindados com uma educação nota vermelha.


Festim  A gestão do alcaide Antonio Elinaldo caminha para os 200 dias e segue livre do tiroteio do oposicionista Téo Ribeiro (PT). O experiente vereador e dono do título de decano, graças aos 5 mandatos consecutivos, prometeu trégua de 100 dias. Como mostrou a Coluna (Confira), prazo venceu em abril, mas o petista histórico que não esconde o desejo de disputar a sucessão municipal de 2020, segue com artilharia recolhida.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


14/7/2017

 





Caminhos

Caminhos  As declarações da secretária da cultura, Marcia Tude, sobre a Casa da Criança e do Adolescente de Camaçari, ao site Camaçari Notícias, devem ter passado despercebidas pelo comando do governo Elinaldo. Mas, causou estranheza em setores da inteligência municipal.


Caminhos 2 Na longa entrevista, postada na última sexta-feira (Confira), a titular da Secult relata o seu projeto de integração da Casa da Criança ao programa Cidade do Saber, e das dificuldades encontradas para essa unificação. Fala até em ‘passar por cima das políticas públicas’ e das amarras da Lei. Chega a citar a LOAS (Lei Orgânica da Assistência Social) como entrave para a integração dos 2 espaços localizados na Rua do Telégrafo.


Caminhos 3 Diferente da manifestação da secretária, as leis não ‘dificultam a integração’. Elas asseguram o acesso. Quando foi inaugurada pelo então prefeito e seu pai, José Tude, a Casa da Criança era um programa de apoio a crianças e adolescentes carentes sem a garantia de políticas públicas. Foi graças à LOAS que o espaço passou a ser  considerado serviço de convivência e fortalecimento de vínculos, apesar do desmonte das últimas gestões. 


Caminhos 4 Justamente por garantia dessa Lei, a Cidade do Saber é diferente da Casa da Criança que não se resume a bateria e percussão e outros cursos, a cada dia com menos estrutura. Espaço batizado pelo Camaçarico como ‘primo pobre’, tal a sua penúria diante da gastança do ‘primo rico’ Cidade do Saber, assegurava atendimentos psicossocial, pedagógico e nutricional, suspensos na gestão Ademar Delgado e ainda sem solução no governo Elinaldo.


Caminhos 5 Sobre a discussão de integração de 2 programas aparentemente parecidos, mas diferentes, o debate  amplo com a sociedade, governo e gente que entende do assunto, é o melhor caminho.


Dura Lex, sed Lex As declarações das principais lideranças políticas do município e do estado, chocadas com o que classificaram de desnecessária exposição pública do choro do ex-ministro, o peemedebista Geddel Vieira Lima, dão a dimensão da preocupação  desses agentes públicos com seus pares. Se mostraram indignados e até criticaram a decisão do juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, de liberar o vídeo do interrogatório, que apenas seguiu o princípio: ‘a lei é dura, mas é a lei’, ou no bom latim ‘Dura Lex..’.


Dura Lex, sed Lex 2  Mesmo com mandato e poder de decisão, nada fazem quando inocentes pretos, pobres, da periferia são injustamente presos ou são execrados na mídia, independente da existência de condenação legal. Comportamento solidário lembra uma conhecida figura jurídica, o ‘Habeas Corpus Preventivo’, comum no Direito, mas assegurado por poucos.


Coragem A prefeitura de Camaçari tem uma  excelente oportunidade de ajustar e acabar com as distorções no Bolsa Família. Os cerca de 43 mil beneficiários do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) no município vão precisar passar por recadastramento. Só o programa de transferência de renda do governo federal para população mais carente atende mais de 20 mil famílias no município. Número representa cerca de 30% dos quase 300 mil habitantes de Camaçari.


Substituição Por falar em CadÚnico e otras cositas más, o ex-vereador e suplente na atual legislatura, Pedrinho de Pedrão é o novo coordenador do Cras do Nova Vitória. Posto responsável pelo atendimento de mais de 15 bairros e uma população estimada em 50 mil pessoas, é importante reforço nas pretensões de Pedrinho de retornar ao Legislativo.


Substituição 2 Até o governo Ademar, quem tinha grande influência na unidade da secretaria de desenvolvimento social (Sedes) e com poder de distribuir benefícios, era o hoje vereador Binho do 2 de Julho (PCdoB). Pedrinho disputou pelo PSC e  somou 518 votos no último pleito. Já o vereador Binho do 2 de Julho, que chegou a se alinhar ao governo Antonio Elinaldo (DEM) nos primeiros meses de mandato, mas segue na bancada  da oposição, se elegeu com 2.112 votos. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


11/7/2017

 





Distância

Distância A prisão e o consequente enfraquecimento do PMDB do ex-ministro Geddel Vieira Lima não tem nenhuma influência na gestão de Camaçari. Quem garante é o prefeito Antonio Elinaldo (DEM). Em conversa com o editor da Coluna, na manhã desta sexta-feira (7), o alcaide lembra que as escolhas de auxiliares ligados ao vice-prefeito, o peemedebista José Tude, nem será assunto de discussão.


Distância 2 A atual secretária de cultura e filha do vice, Márcia Tude, e o seu subsecretário, João Batista Rezende de Almeida, assim como o ouvidor Oswaldinho Marcolino, seguem nos seus cargos e contribuindo para Camaçari, assegurou. Completa lembrando que o processo de escolha foi seu e não precisou de aval de lideranças fora.


Distância 3 Elinaldo ‘lamenta, mas não comemora a prisão de Geddel’. Também critica os equívocos de alguns dos seus partidários, e dos adversários, quando usam as redes sociais para associarem sua imagem e do ex-presidente Lula a Geddel. Para o prefeito de Camaçari esse tipo de comportamento não ajuda a construir caminhos capazes de tirar o país da crise, muito menos tornar a atividade política mais saudável e eficiente na busca de soluções que atendam a população.


Distância 4 Sobre a possível  queda do presidente, Elinaldo se esquiva. Garante que é cedo e precipitado falar sobre as especulações que sinalizam a saída do presidente Michel Temer (PMDB), por atos de corrupção, e a sua substituição pelo seu companheiro de legenda, o deputado e presidente da Câmara, Rodrigo Maia.


Certidão  Os vereadores de Camaçari acabam de ganhar um presentão da prefeitura. Vão poder botar nome ou oficializarem titulações em mais de 1.100 logradouros, hoje sem identificação. De acordo com levantamento da secretaria do desenvolvimento urbano e meio ambiente (Sedur), dos mais de 2 mil logradouros (ruas, praças e avenidas) do município, apenas 822 são nominados oficialmente com CEP (Código de Endereçamento Postal).


Certidão 2 Mesmo com uma média de mais de 50 indicações de nomes de logradouros por cada um dos 21 representantes do Legislativo, cabe um estudo mais detalhado e cuidadoso. Muitos desses espaços já possuem nomes e referências históricas reconhecidas pelos moradores da região que não podem ser desrespeitados. Uma campanha por bairro ou região, como fazem algumas cidades, pode ser o caminho para evitar demolições da história oral da urbanização do município, esquecimentos imperdoáveis ou homenagens injustas. 


Ex-gambiarra A prefeitura jura que juntou as pontas certas dos fios da rede elétrica da praça Montenegro. Logradouro que abriga a Catedral do padroeiro São Thomaz de Cantuária andava com problemas de iluminação desde o mês passado. Depois do último apagão de terça-feira (4), e do choque aplicado pela imprensa no alcaide Elinaldo, município garante que a solução agora é definitiva.


Currículo A irmã do deputado federal Nelson Pelegrino (PT) é a nova bam-bam-bam da Superintendência de Vigilância e Proteção da Saúde (Suvisa). Antes de assumir a superestrutura da secretaria de saúde do estado (Sesab), Sandra Pelegrino teve missão destacada nas duas últimas gestões do alcaide Luiz Caetano (2005/2012), em camaçari. No 1º ano do governo do petista ocupou cargo na secretaria de educação (Seduc). Voltou em 2007 para atuar na secretaria de saúde do município (Sesau), onde até 2011 ocupou a diretora administrativa-financeira, a subsecretaria e chegou a assumir provisoriamente o cargo de titular da pasta com a demissão de Camilo Pinto, pela então prefeita em exercício, a vice Tereza Giffoni.


Currículo 2 Mesmo fora da prefeitura, Sandra Pelegrino não perdeu o vínculo com Camaçari. Voltou a interagir com o município a partir de 2014, gestão Ademar Delgado, como dirigente Fundação Estatal Saúde da Família (Fesf-SUS). Entidade venceu licitação para gerir parte do programa de saúde de Camaçari. Com presença em dezenas de municípios baianos e especializada em fornecer serviços de gestão e médicos para prefeituras, a Fesf-SUS tinha no seu comando, além de Sandra Pelegrino, o doutor Carlos Trindade, presidente da fundação e ex-secretário de saúde do município no 2º governo Caetano. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


7/7/2017

 





Em família

Em família  A Coluna festeja a preocupação do vereador Oziel Araújo (PSDB) na defensa da implantação de programas de apoio e recuperação de jovens  envolvidos em situação de vulnerabilidade social. Um dos mecanismos defendidos pelo presidente do Legislativo é a celebração de convênio com o município de Camaçari (Confira) para a cessão de psicólogos e assistentes sociais.


Em família 2  O que o vereador provavelmente não sabe é que o município não possui sequer psicólogos e assistentes sociais para suprirem suas necessidades mínimas. Processo de desmonte da secretaria de desenvolvimento social (Sedes), iniciado no final da 3ª gestão do petista Luiz Caetano (2009/2012) e prosseguido ainda com mais eficiência pelo governo Ademar Delgado (sem partido), segue sem perspectivas de mudança e atendimento de pendências básicas, nesses primeiros 6 meses do alcaide Antonio Elinaldo (DEM). 


Em família 3  Como tem denunciado o Camaçarico, a Sedes sequer conseguiu tirar a Casa da Criança e do Adolescente do século passado (Confira). Mesmo sob nova direção, não existe uma política de inclusão com equipe satisfatória de profissionais e atendimento conectado com as novas tecnologias necessárias para ajudar a formar e dar condições de competitividade aos jovens carentes de Camaçari atendidos pelo programa. 


Em família 4  Antes de propor convênios, Oziel precisa usar sua força política para pressionar o alcaide a sair do imobilismo e botar a Sedes para fazer cumprir a política pública para o setor. Batizado de Suas (Sistema Únicos de Assistência Social), conjunto de políticas não gera apenas propostas. Traz dinheiro para fazer o sistema funcionar em Camaçari. Sem esse apoio doméstico, não adianta tentar cuidar do vizinho, no caso projetos comunitários e mantidos pelo  governo do estado e outras estruturas.  


Canjica  A música sertaneja comandou parte do São João de Camaçari e terminou levando os maiores cachês do Camaforro-2017. De acordo com o quadro de pagamentos exibidos no site da prefeitura de Camaçari, a dupla mato-grossense Maiara & Maraisa faturou R$ 250 mil pela apresentação na noite de abertura da festa, quinta-feira (22/6). Já Naiara Azevedo, principal atração da sexta-feira (23/6), levou R$ 180 mil. 


Canjica 2 Valor pago à paranaense Naiara, dona do sucesso ’50 reais’,  ficou quase 30% maior que os recebidos pelos baianos Saulo e Pablo, cada um R$ 120 mil. O mesmo cachê foi pago a outro ilustre representante da música nordestina, o cantor e compositor Geraldo Azevedo. Na mesma cota dos 128 salários mínimos ficaram a banda Cavaleiros do Forró e o ex-cigano Tayrone.


Trator A secretária de infraestrutura, Joselene Cardin, continua com dificuldade para entender que a avenida Jorge Amado precisa ficar impecável. É regra para qualquer gestor minimamente competente manter a entrada da cidade com bom aspecto. Cuidado também agrada os munícipes.


Trator 2 Quando se trata da cidade sede do maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul, descuido ganha conotações ainda mais graves. Ao insistir em ignorar a importância da Jorge Amado, a doutora Joselene não apenas reforça sua distância de qualquer sentimento de pertencimento de Camaçari. Também empurra o seu chefe Elinaldo, nascido e criado na cidade, para um buraco ainda mais profundo que os existentes na via.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


4/7/2017 Atualização às 21h46

 





Muito mais

Muito mais A mudança da denominação de Praça da Simpatia para Praça Doutora Lúcia Eugênia, no bairro da Bomba, não pode ficar apenas na placa nova, ou quicá, no busto, como sugerem alguns. Muito mais que homenagear a ex-vereadora falecida em 2015, e cutucar o ex-alcaide Luiz Caetano (PT) com a deletada da expressão que virou sua marca, espaço exige requalificação com arborização e redefinição dos seus equipamentos.


Muito mais 2 Caminho obrigatório de centenas de alunos das escolas e unidades de educação Casa da Criança e Cidade do Saber, espaço nasceu simpático aos antigos comerciantes do anexo da Feira,   remanejados com as obras de reurbanização da bacia do Rio Camaçari. Mas, sem nenhuma simpatia e preocupação com a crescente atmosfera de educação, arte e cultura da Rua do Telégrafo.


Muito mais 3 Medida do alcaide Elinaldo precisa garantir limites que evitem a vitrine e a consequente interação de crianças e adolescentes com os bares nada culturais e educativos, únicos equipamentos do espaço, ao lado do estacionamento e de um acanhado e escondido parque com quadra poliesportiva.


Muito mais 4  Requalificar o espaço com a integração e recuperação do Horto Florestal é a grande oportunidade do alcaide se redimir do vacilo da sua assessoria. Integrar a praça ao espaço de preservação da nossa mata nativa e de outras espécies, redesenhando sua missão, tem tudo a ver com a história da Doutora Lúcia. O Pólo Industrial de Camaçari, que completa 40 anos em franco crescimento, no próximo ano, pode ser esse grande parceiro. 


Emancipação  O vereador Junior Borges caminha em direção contrária ao seu partido, o DEM. Candidatíssimo a uma vaga na Assembleia Legislativa, Borges embola ainda mais a divisão de votos na base governista, hoje disputada pelo ex-prefeito e atual vice, José Tude (PMDB), e pelo presidente do Legislativo, Oziel Araújo (PSDB).


Emancipação 2 A Coluna apurou que as negociações  do hoje democrata envolvem o PSD do senador Otto Alencar, e o PRB, legenda ligada à Igreja Universal.  Insatisfação do evangélico Junior Borges com a gestão do parceiro Antonio Elinaldo é antiga. Articulado e com plano de voo para além da enfadonha Câmara de Camaçari, o ex-dirigente da Associação Municipal dos Estudantes Secundaristas (Ames) terminou rifado da disputa pela presidência do Legislativo. Também não ganhou a tão sonhada secretaria do esporte, lazer e juventude (Sedel) como prêmio de consolação.


Stand-by  Outro que está com a mala arrumada, faz tempo, é deputado federal Luiz Caetano. Insatisfação com a legenda é antiga, mas o 3 vezes prefeito segue oscilando e sem afivelar a decisão. A Coluna apurou que o Podemos, ex-PTN, comandado pelos irmãos João e Maurício Bacelar, pode ser o guarda-chuva.


Stand-by 2  Mesmo sem o potencial eleitoral de 2014, alimentado pela máquina da prefeitura de Camaçari, quando conquistou 125 mil votos, Caetano continua reconhecido como uma liderança atraente. O PSB da senadora Lídice da Mata, e o PSD do senador Otto Alencar, também são possíveis abrigos. Até o PHS, hoje na órbita de ACM Neto, mas comandado por seu apadrinhado Junior Muniz, não pode ser descartado. Além do cenário político ainda nebuloso, Caetano, que já passou pelo PCdoB, PMDB, PSB e PSDB, aguarda pendências na Justiça que podem inviabilizar sua presença na disputa de outubro de 2018.


Modus operandi  Parece ser marca da gestão municipal de Camaçari, independente de quem esteja no poder,  esconder informação e se recusar a  prestar esclarecimentos  sobre seus atos. Mesmo sendo uma estrutura pública, bancada pelo dinheiro da população, prefeitura segue sem responder. A última é a cobrança de uma módica taxa de R$ 250 para alunos matriculados no curso de inglês da Cidade do Saber. Denúncia do site Camaçari Notícias (Confira), não havia sido respondida pela  prefeitura até o fechamento da Coluna.


Modus operandi 2  Esconder informação e  nunca responder o que é obrigado por Lei, é prática que vem dos tempos do antecessor do alcaide Elinaldo, e dos seus antecessores. Na atual gestão o Camaçarico pediu explicações sobre a venda de ingressos para o camarote do Camaforró, realizada antes da escolha da empresa vencedora que administraria o espaço.


Modus operandi 3  Como aconteceu na gestão anterior, a Coluna não obteve resposta. O governo do ex-petista e agora sem pouso partidário, Ademar Delgado, sequer respeitou a Lei de Acesso à Informação, ao negar dados sobre o repasse de recursos públicos para cooperativas contratadas pela ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestora do programa Cidade do Saber (Confira).


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


29/6/2017

 





Labor

Labor  A Câmara de Vereadores de Camaçari  só retoma as atividades no Plenário Osvaldo Nogueira e nas comissões a partir de agosto. Recesso começa oficialmente dia 30, mas os trabalhos estão suspensos desde o dia 20. Balanço do 1º semestre mostra que os 21 vereadores realizaram 20 sessões ordinárias, 4 sessões extraordinárias, 6 sessões especiais e 11 audiências públicas.


Labor 2 Trabalhos renderam a apresentação de 600 proposições, 39 projetos de lei de autoria parlamentar, 1 projeto de resolução, 1 projeto de emenda à Lei Orgânica, 86 requerimentos, 442 indicações, 22 moções e discussão de 9 projetos de lei de autoria do Poder Executivo.


Labor 3 Conta rápida mostra que o número de sessões ordinárias poderia ter sido maior. Período de março a junho somou 16 terças-feiras e 15 quintas-feiras. Diferente do trabalhador, que tem direito a 30 dias de férias, os 21 representantes do povo de Camaçari trabalham oficialmente 9 meses. Os 3 meses de recesso se completam com os nunca menos de 60 dias iniciados em 15 de dezembro e oficialmente encerrados dia 15 de fevereiro.


Alegria, alegria Depois da secura dos 6 primeiros meses de governo, a gestão do alcaide Antonio Elinaldo parece que estabilizou o caixa. Pulada a fogueira do Camaforró, onde segundo o próprio Elinaldo, foram gastos cerca de R$ 3,5 milhões, a prefeitura já prepara o Reveillon.


Alegria, alegria 2  A notícia, divulgada pelo site Camaçari Notícias, sinaliza dias de fartura e cumprimento do calendário do verão das festas dos padroeiros das localidades. Novos tempos coincide com o ano eleitoral de 2018.


Corpo a corpo  Já está fechada a dobradinha oficial para as eleições parlamentares de 2018, na base governista de Camaçari. O ex-prefeito e atual vice, José Tude (PMDB), confirma sua disputa para uma vaga na Assembleia Legislativa. Faz dobradinha com o federal e candidato a reeleição Paulo Azi (DEM).


Corpo a corpo 2   Candidato em 2014 pelo PTN, Tude somou 14.456 votos em Camaçari  e ficou na 3ª suplência com pouco mais de 22 mil votos em todo estado. Paulo Azi, eleito com 110 mil votos, saiu de Camaçari com 7.656 apoios transferidos pelo então vereador Elinaldo e seu grupo. Agora, com a máquina municipal nas mãos, conta engorda para Azi, e amplia de forma substancial as chances de Tude voltar ao Legislativo Estadual. Eleição de Tude, independente de legenda, é parte do acordo fechado antes das eleições e noticiado pelo Camaçarico de 25 de julho de 2016 (Confira).


Corpo a corpo 3  Quem corre por fora na disputa, também dentro da base governista, é o vereador, presidente da Câmara, e pastor a Assembleia de Deus, Oziel Araújo (PSDB). Com 2.222 apoios no pleito de 2016, o tucano não quer apenas dobrar sua votação, natural quando um político disputa outro cargo eletivo.


Corpo a corpo 4  Com o crescente apoio do segmento evangélico e do presidente estadual da Convenção Estadual das Assembleias de Deus na Bahia, pastor Valdomiro Pereira, Oziel se apresenta como nova opção no eleitorado religioso do estado. Herança dos votos-fiéis  tende a ficar ainda mais favorável a Oziel com o isolamento dos deputados Carlos Ubaldino e Angela Souza, ambos do PSD e denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) por desvio de verbas.


Corpo a corpo 5  Discreto e sempre avançando, Oziel faz outro importante movimento de reforço com o atual estadual e candidato a uma vaga na Câmara Federal, Pastor Sargento Isidório (PDT). Eleito com 123 mil votos, sendo pouco mais de 6 mil conquistados em Camaçari, o comandante do projeto social Dr. Jesus, de apoio a jovens envolvidos em situações de risco, é outro bom cabo eleitoral.  


Memória   As obras de recuperação e  transformação da antiga estação de trens de Camaçari em espaço memorial e de exposições começam ainda neste 2017. A expectativa é da secretaria da cultura (Secult) que tem assegurado R$ 3 milhões do governo federal, sendo que R$ 1 milhão chegam imediatamente. Projeto total chega a R$ 5 milhões e também garante a requalificação do antigo cinema e da ex-sede dos poderes Executivo e Legislativo, que  vira arquivo público.


Memória 2 Obras em todos os imóveis localizados no coração de Camaçari, segundo a secretária de cultura, Mácia Tude, começam pela estação e devem custar R$ 559 mil. Valor é 50% maior que os cerca de R$ 340 mil projetados no começo do ano, segundo estudos da própria prefeitura, como mostrou a Coluna (Confira). 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


26/6/2017

 





Pólvora

Pólvora  A mudança na estrutura do Camaforró 2017 está deixando as autoridades de segurança preocupadas. A Coluna apurou que a ampliação do espaço da festa, com a transferência  do Carramanchão e outros equipamentos para a via de acesso ao Espaço 2000 está obrigando a polícia e a Superintendência de Trânsito e Transporte (STT) a criarem um plano B nada confortável.


Pólvora 2  Com a desativação da via secundária, até o ano passado usada para circulação do público, parte da avenida Jorge Amado, passa a ter função de circulação de pessoas.


Pólvora 3  Sem parte do trecho da pista sentido Via Parafuso/Prefeitura, da avenida Jorge Amado, carros terão de entrar pelo shopping ou seguir pelo bairro Nova Vitória. Fonte ligada à área de segurança garante que a solução preocupa as polícias Militar e Civil.


Pólvora 4  Com a nova rota de tráfego de veículos, além da necessidade de ampliação do já insuficiente policiamento, mudança tem a agravante da questão da segurança. Motoristas terão de passar por uma região com vias estreitas e conhecida como a campeã em registros de crimes provocados pelo tráfico de drogas.


Balancê Alegria e bons lucros são avaliações de gente do mercado para o ‘espaço vip’ do Camaforró-2017. A Coluna apurou que o custo total de produção é estimado em R$ 150 mil, mas a previsão de lucro não será menor que 100%, dizem essas mesmas fontes. Além dos R$ 31 mil pagos ao município pelo uso 2.440 metros quadrados de área (menos de R$ 13 por m²), conta soma mais cerca de R$ 120 mil com montagem de estrutura, decoração e custos de apoio.


Balancê 2 Espaço não garante apenas conforto para as 1.585 pessoas, limite oficial de público permitido por dia de festa. Além da ala situada a 2 metros do chão e vista privilegiada para o palco principal e toda a festa, camarote vip conta com área de apoio e relax. Graças a parceria com empresas de alimentos, quiosques garantirão aos cerca de 4 mil vips esperados para os 3 dias de festa, um cardápio que vai do nordestino ao japonês.


Olha a cobra O empresário e promoter Francisco Xavier, dono da empresa Chico’s Tour, garante que não existe nenhum problema na comercialização antecipada dos ingressos para o camarote vip do Camaforró, como noticiou o Camaçarico (Confira). Segundo ele, os valores dos ingressos fazem parte de uma estimativa de mercado, independente de quem vai explorar o espaço. Lembra que sua condição de maior no segmento de venda de ingressos de Camaçari, com 15 anos de mercado, assegura a primazia nesse tipo de negócio.


Olha a cobra 2  Chico Tour, como é conhecido, só não soube explicar de onde partiu a autorização para a venda de ingressos antes da divulgação do vencedor da licitação. Ao contrário do empresário, que ligou e posteriormente conversou pessoalmente com o editor, a prefeitura e sua coordenação de eventos continuam silenciosas, mesmo com a cobra viva e enrolada nos seus pés.


Chutômetro Por falar Camaforró, a Coluna avisa aos contadores oficiais de público que a atual área do espaço Camaçari soma cerca de 28 mil metros quadrados. Como as medições juramentadas estimam em 5 pessoas por cada metro quadrado, o espaço, em tese, poderia abrigar até 140 mil pessoas. Poderia.


Chutômetro 2 Nas contas oficiais, sempre infladas para não fugir da tradição, os experts terão de abater dos seus cálculos generosos os espaços ocupados pelos palcos, áreas das estruturas de apoio, pelas 198 barracas, sanitários, pelo parque de diversões e camarote vip com seus quase 2.500 metros quadrados oficiais.


Fogueirinha O ex-alcaide de Camaçari, Ademar Delgado (sem partido) não vai passar seu aniversário sem foguete, licor e fogueira. Longe da pompa e da lenha farturenta dos últimos 4 anos, quando comandou o 2º maior orçamento da Bahia, Delgado arma arraiá sábado (24), em sua residência da Volta do Robalo, Arembepe, orla do município. Apartado dos amigos do poder, Ademar festeja o seu São João nº 67 com café da manhã e cercado de seleto grupo de aliados e familiares.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


19/6/2017

 





Olha a cobra

Olha a cobra  Tem bicho estranho no arraiá que escolheu a empresa responsável pelo ‘Camarote Vip’ do Camaforró-2017. Antes mesmo da abertura da licitação, ocorrida na tarde de quarta-feira (14), os postos de comercialização e o valor do passaporte que dá acesso ao espaço vip do São João de Camaçari já estavam sendo anunciados na internet.


Olha a cobra 2  Postagem nas redes sociais, na manhã de terça-feira (13), portanto mais de 24 horas antes da abertura da licitação, já detalhava o valor da casadinha (R$ 150) e o local para aquisição do passaporte.


Olha a cobra 3  A Coluna quer saber como a empresa Chico’s Tour, responsável pela venda dos passaportes, definiu o preço antes da licitação, e com qual autorização iniciou a comercialização de um produto que sequer tinha responsável definido, já que o processo na modalidade Pregão Presencial só aconteceu na tarde do dia seguinte.  


Olha a cobra 4  Concorrendo sozinha, já que não apareceu mais nenhuma empresa para disputar o negócio, a Toldos São Paulo venceu com a oferta de R$ 31.500, exatos R$ 1.395 acima do valor mínimo exigido pelo município para instalação e exploração do espaço.  


Mimo  A velha guitarra, marca do Espaço Camaçari 2000, volta a ser destaque depois de 12 anos ignorada pelas gestões dos petistas Luiz Caetano e Ademar Delgado, atualmente sem pouso partidário. A reforma do símbolo é um presentinho do alcaide Antonio Elinaldo (DEM) a seu vice e agora cumpade, José Tude (PMDB), criador do espaço durante sua 2ª gestão (1997/2000). Peça instalada a cerca de 20 metros de altura do chão, sinaliza o espaço com cerca de 28 mil metros quadrados e palco de grandes festas e manifestações.


Profano Quem reúne correligionários e amigos num rala-buxo cola base é o ex-prefeito e deputado federal Luiz Caetano. Batizada de 'Forró da Colina', festa acontece neste sábado (17), a partir das 14h, no sítio da família, na Via Cascalheira. Espaço que começa a ser chamado pelos caetanistas de ‘colina’, é mais que reforço de imagem por conta da formação geográfica do local. Apelido busca associar, ainda que subliminar, a outra colina, a sagrada e comandada pelo Senhor do Bonfim.


Quórum Mesmo responsáveis pelo atendimento às populações carentes, os grandes atores desse cenário de violência que atinge Camaçari, os técnicos dos CRAS (Centros de Referências de Assistência Social), ficaram de fora da Audiência Pública realizada na manhã de quarta-feira (14), na Câmara de Vereadores.


Quórum 2  A Coluna apurou que a ausência não foi descuido apenas da secretaria de desenvolvimento social (Sedes), estrutura que coordena os CRAS. A secretária de educação (Seduc), Neurilene Martins; e o titular da saúde (Sesau), Doutor Elias Natan também não compareceram ao encontro que reuniu no plenário do Legislativo, autoridades policiais, parlamentares, representantes de igrejas, do Ministério Público, lideranças comunitárias, e  populares.  


Quórum 3 Sem o olhar social de quem está acostumado a lidar com as carências e injustiças, um dos combustíveis da violência, encontro promovido pelo vereador e presidente do Legislativo, Oziel Araújo (PSDB) registra pouco avanço, apesar da cobertura da mídia, e da quase unânime presença dos vereadores.


Quórum 4 Enquanto as polícias Militar e Civil, que mesmo representando a parcela mais visível do quadro de violência gerado pela ausência de políticas públicas eficientes, enfrenta o debate, a prefeitura se omite. A assistência social, a saúde e a educação sinalizam com suas ausências e consequente falta de propostas concretas o descuido da gestão Elinaldo com a construção de soluções para o problema.


Quórum 5 Ao seguir a velha fórmula dos antecessores, governo municipal ajuda a manter a discussão num patamar insuficiente, tradicionalmente mais centrada na repressão policial respaldada pela lei, e na fé como instrumento de salvação de uma sociedade adoecida por causas sociais e econômicas maiores e mais amplas.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


15/6/2017

 





Ponto facultativo

Ponto facultativo A promessa de implantação do cartão de ponto eletrônico para todos os servidores da prefeitura de Camaçari, como forma de controlar presença e melhorar a qualidade do servido prestado ao munícipe não vai sair da gaveta. É o que sinaliza o ofício nº 01241.17.2017, enviado no final de maio às secretarias, pelo titular da pasta da administração (Secad), Reginaldo Paiva.

 







Ponto facultativo 2 Cópia do documento que o Camaçarico teve acesso (Confira ao lado) mostra que os secretários deverão enviar correspondência indicando ‘interesse em adquirir os aparelhos para serem instalados em suas Secretarias, Setores, Escolas e Unidades de Saúde’. Ainda segundo o ofício, ‘as respostas caso positivas’, devem ser encaminhadas ‘em caráter de urgência’ à coordenadoria de serviços e gestão de contratos (CGC), ‘inclusive com a indicação da quantidade desejada’.


Ponto facultativo 3 Assinado pelo secretário Reginaldo Paiva, ofício termina lembrando o valor da conta que cada secretaria terá com o relógio de ponto e com a produção dos cartões. Cada ponto eletrônico vai custar R$ 6.016,20, enquanto o valor unitário do documento de identificação do servidor, em poliester e acompanhado de cordão, caixa protetora do cartão e clipe porta crachá, custará R$ 75,34.  


Ponto facultativo 4 Confirmado o processo de facultar a grupos de servidores a obrigação de bater ponto, a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM) segue a velha regra de manter privilégios na máquina municipal. Além de transferir para as secretarias a tarefa de listar quem deve bater ponto, e quem terá direito a comprovar presença longe do big brother, a nova gestão de Camaçari rasura seu discurso de modernização e busca constante da eficiência. Medida fez parte do  pacote de medidas moralizadoras anunciadas no período de montagem e anúncio do secretariado.


Ponto facultativo 5 Com base nos valores anunciados pela Secad, Coluna estima que município gastaria cerca de R$ 600 mil com relógios de ponto e cartões magnéticos, caso democratizasse o ponto eletrônico incluindo todos colaboradores da prefeitura. Com os crachás dos cerca de 6 mil servidores efetivos e comissionados o custo ficaria em torno de R$ 450 mil. Somados às mais de duas dezenas de relógios espalhados em secretarias e unidades, os custos com as máquinas não ficariam por menos de R$ 150 mil.


De novo? Não satisfeita com o recuo do ponto amplo, geral e irrestrito, a Secad segue inovando e inicia o recadastramento do recadastrado. Mesmo depois de realizar atualização dos dados pessoais de seu quadro de servidores efetivos, em fevereiro, como mostra o site da prefeitura (Confira), município quer nova comprovação. Em comunicados entregues semana passada, o secretário Reginaldo Paiva solicita aos secretários que realizem a coleta de informações sobre endereço dos servidores. 


De novo? 2   Prazo para que o servidor apresente comprovação de moradia pela 2ª vez, em menos de 3 meses, termina dia 20. Documento lembra que comprovação terá de ser através de atestado ou recibo de água, luz ou telefone fixo. Segundo a comunicação da Secad, conta de celular, provavelmente por ser um aparelho móvel, não serve para comprovação de moradia fixa. Quem não comprovar residência não recebe o auxílio-transporte no salário de julho. 


Ligado O radialista Marco Antonio está de volta ao microfone. Agora com o reforço da imagem, o comunicador apresenta o ‘Fala Cidade’. Programa é exibido de segunda à sexta, das 10h50 às 11h55, na TV Litorânea, canal 33.  


Desligado Já a TV Câmara, mantida pelo Legislativo de Camaçari, segue fora do ar. Sessões e outros programas do canal 53 não estão disponíveis para o telespectador. Grade de programação, hoje formada por jornal e programa de debates, só pode ser acessada no circuito interno do Legislativo, ou através da página do Facebook da Câmara. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


13/6/2017

 

Clique na imagem para ampliar




Presentinho

Presentinho  Comerciantes da José Nunes de Matos, conhecida como 'Rua do SAC', estão apreensivos com a mudança do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) para o shopping Camaçari Boulevard. A transferência do equipamento, gerido pelo governo do estado, e prevista para acontecer até o final do ano, ameaça a sobrevivência de pequenos empresários dos ramos de fotocópia, fotos documentais, lanchonete e outros serviços alimentados pela movimentação de pessoas atraídas pelo SAC.


Presentinho 2 Ruim para comerciantes da ‘Rua do SAC’, bom para o shopping. Mudança não apenas reforça o combalido caixa do Boulevard, com taxas de aluguel e condomínio. Atrai para seus corredores cerca de 500 clientes/dia, número estimado de pessoas que buscam serviços como carteira de identidade, habilitação para veículos, Embasa e secretaria de fazenda do estado, na unidade de Camaçari.


Memória Se depender da prefeitura, Camaçari deixa de ter edição impressa do Diário Oficial do Município. Projeto de Lei do Executivo quer extinguir a publicação em papel, permanecendo apenas com a edição on-line, acessada via internet. Sob a alegação de economia, que a Coluna apurou ser inferior a R$ 20 mil mensais, medida vai de encontro à política de registro documental.


Memória 2  Economia de palito com restrição de publicação de leis, decretos e atos do município também confronta uma importante corrente de pesquisadores, sobre a importância do documento impresso e os riscos de violação com as cada vez mais sofisticadas tecnologias de manipulação de dados digitais.


Memória 3 Na mesma escrita da pouca trnsparência, a Câmara de Vereadores segue apenas com sua edição digital. Não faz como o Legislativo estadual e da capital que publicam seus arquivos nos DOs do estado e de Salvador.


Memória 4 História do Diário Oficial do Município, hoje na edição nº 728, é cheia de borrachas e reescritas. A ideia de publicação nasceu no 1º governo Luiz Caetano (1986/1988), como Boletim Oficial.  Com  a gestão do sucessor, José Tude (1989/1992), publicação  deixou de circular.  Voltou, já como Diário Oficial do Município, em  1993,  pela caneta  do prefeito Humberto Ellery.  Em 1997, quando  retoma o poder municipal pela 2ª vez, Tude  volta a  deletar  a publicação, retomada  na 2ª gestão Caetano (2005/2008).


Leniência A Coluna quer saber, e a prefeitura precisa informar, como estão as apurações e as possíveis medidas judiciais para recuperar o caminhão ano 2009, placa JSH-3762, usado para transporte do baú do programa ‘Ponto móvel’; e o corsa 2012, placa NZR-9893. Os veículos integrados ao programa Cidade do Saber foram  vendidos pela ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro no apagar das luzes do contrato com a prefeitura de Camaçari, em março, como denunciou o Camaçarico (Confira).


Leniência 2 A ONG, que alegou serem os veículos de sua propriedade, precisa explicar como uma entidade sustentada em praticamente 100% das suas despesas pelos cofres municipais teria bens. Gestada no gabinete do então prefeito e hoje deputado federal Luiz Caetano (PT), ONG surgiu em 2007 sem patrimônio e tinha por finalidade gerir o programa Cidade do Saber. Como explica o acúmulo de patrimônio após 10 anos de atuação dedicada  exclusivamente a gerir um programa público.


Leniência 3 Não é apenas com a ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro que a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM) tem mostrado lentidão, suavidade, generosidade, sinônimos para a tão em moda ‘leniência’.


Leniência 4 A população de Camaçari não viu, com exceção das imagens do Centro de Zoonozes, registros oficiais sobre o estado de abandono que a atual gestão diz ter encontrado a máquina municipal. Termos como ‘herança maldita’, ‘pente fino’ e ‘auditoria’, comuns nas falas do então candidato a alacaide, durante seus discursos inflamados no seu ‘Camaçari de Verdade’, viraram passado.


Colírio O médico oftalmologista Rafael Leal é o mais novo amigo da imprensa de Camaçari. O profissional da Clinica Sermege não recebeu título, muito menos disputou qualquer votação. O reconhecimento é consenso entre os profissionais da imprensa, reunidos quarta-feira (7/6), durante almoço no restaurante Feijão do Lindu. Encontro selou a campanha vitoriosa pela ajuda ao radialista Toni Paulo. Graças a sensibilidade do doutor Rafael, que se mostra um seguidor e cumpridor do ‘Juramento de Hipócrates’, Toni receberá gratuitamente todo o acompanhamento oftalmológico necessário para restabelecer sua saúde visual. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


8/6/2017

 





Regador

Regador  O Horto de Camaçari deixou de ser marco na luta pela preservação e garantia de um programa de educação ambiental. Abandonado pelas últimas gestões municipal, espaço segue o caminho da motosserra na gestão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM).


Regador 2 A sinalização é do próprio governo municipal ao deixar o espaço de fora da programação da Semana do Meio Ambiente. A comemoração em ‘grade estilo’, como destaca a prefeitura, acontece nesta quarta-feira (7), com o lançamento oficial do programa Camaçari Mais Verde. Anunciado como ‘uma ação de governo’ e listada entre as ‘políticas públicas de meio ambiente’, o programa celebra seu início com plantio de mudas de espécies nativas na nova avenida Industrial Urbana, via requalificada pela atual gestão.


Regador 3 Esquecido e em processo constante e intenso de corte nas últimas 3 décadas, Horto virou espaço perigoso e cenário para crimes menores e até assassinato. Graças ao abandono da prefeitura, ocupações promovidas pelo próprio município, e por vizinhos espertos que avançaram seus limites com a omissão do poder público, espaço que deveria ser de lazer, estudo e contemplação murcha e se transforma em chão proibido.


Regador 4 Inaugurado em meados dos anos 1970, espaço que já teve limite na rua do telégrafo e avançava até o outro lado do Rio Camaçari, soma menos de 30 mil dos cerca de 80 mil metros quadrados do seu tamanho original. A última capada, que subtraiu quase 100 espécies nativas e cerca de 10 mil metros quadrados, veio em 2012 com a construção de uma das pistas da nova via criada com a reurbanização da Bacia do Rio Camaçari. 


Regador 5 Garantir o Horto Municipal como espaço de lazer, formação e preservação de uma consciência ambiental não é favor. É obrigação e missão constitucional do governo. O alcaide Elinaldo não pode se mirar no passado equivocado dos seus antecessores ‘sem raiz’.


Regador 6 O governo que começa (apenas 157 dias), precisa sair da mesmice do passado com ações pontuais, como atos simbólicos  com plantação de mudinhas. Os rios, as matas, as lagoas, as dunas do Parque de Abrantes, só para ficar num grande e significativo exemplo de riqueza ambiental de Camaçari, precisam de um prefeito com capacidade de agir e gerir a cidade de forma transversal. Para ter futuro saudável é preciso pensar e agir agora.


Currículo Mais uma vez Camaçari é notícia. Infelizmente, não é pela sua capacidade de gerar emprego, renda e novas tecnologias, como sede do maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul. Destaque nacional e mundial também não tem relação com suas belezas naturais. Município mais rico do estado aparece em 15º na lista dos 30 mais violentos do país, com taxa de 77,7 homicídios para cada 100 mil habitantes. Números exibidos pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) são de 2015. Seguramente poderiam ser de 2016 ou deste ano.


Top  Apenas 11 dos 121 dos empregados da ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestora até março deste ano do programa Cidade do Saber, vão ficar com 25% de todo o dinheiro destinado ao pagamento das indenizações. 


Top 2  Dos R$ 2 milhões (R$ 2.018.731,02), valor total das rescisões de todos os contratados pela ONG, pouco mais de R$ 519 mil vão para as contas desse grupo formado por menos de 10% do quadro de empregados.


Top 3  Na lista, que a Coluna teve acesso, dos 11 que receberão acima de R$ 37 mil, formada por ex-diretores e assessores do programa, os ‘Tops’ são a ex-diretora geral e presidente da ONG, Ana Lúcia Alves da Silveira, e seu diretor Júlio Pinheiro, com R$ 63 mil, cada. Ao lado dos também diretores Arnoldo Valente e Devison Marinho, quarteto terá direito, tudo dentro da Lei, a pouco mais de R$ 230 mil, mais de 10% do total do bolo de R$ 2 milhões das indenizações.


Top 4 Essa é a 2ª indenização recebida por empregados e diretores da ONG. Em 2013, processo de  desligamento efetivado num dia, com recontratação imediata resultou num prejuízo de cerca de R$ 1 milhão aos cofres públicos. A manobra, que rasgou a CLT, foi denunciada pela Coluna (Confira), com base na auditoria do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).  


Top 5  O dinheiro, depositado semana passada, pela prefeitura, na conta do Senalba (sindicato empregados em entidades culturais, recreativas de assistência social de orientação e formação profissional da Bahia), pode sair na véspera do São João. O sindicato tem até 15 dias úteis, portanto 3 semanas, para fazer as transferências das indenizações correspondentes ao período de contratação entre abril 2013 a março 2017.  


Penitência A velocidade da informação pode até explicar, mas não justifica o esquecimento. Por uma questão de justiça, a Coluna lembra que o vereador José Marcelino (PT), citado pelo Camaçarico (Confira), não foi o único oposicionista a apoiar o projeto de criação do Reda municipal. O companheiro de bancada antigovernista, Binho do Dois de Julho (PCdoB), também concordou com o projeto. Os 2 integraram a comissão especial que analisou e aprovou a proposta. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


6/6/2017

 





Transparência

Transparência A bancada de oposição na Câmara de Vereadores de Camaçari discorda e promete votar contra a criação do Reda (Regime Especial de Direito Administrativo) para seleção de servidores no preenchimento de vagas na prefeitura, Câmara e empresas descentralizadas do município. Em nota enviada à Coluna (Confira a íntegra abaixo), antigovernistas também lembram que não compareceram à 1ª votação, por discordarem da forma como aconteceu a sessão do dia 2 de maio, realizada a portas fechadas e sem a presença da população nas galerias.


Transparência 2 Formado pelos vereadores Dentinho do Sindicato, Jackson Josué, José Marcelino e Téo Ribeiro, do PT; e Binho do Dois de Julho (PC do B), time oposicionista só não explica o silêncio diante da proposta equivocada apresentada pelos governistas. Antes da denúncia do Camaçarico (Confira), nenhum dos edis se manifestou contra o projeto que tramita no Legislativo desde 10 de março.


Transparência 3 Conectados aos novos tempos da internet e com presença quase diária nas redes sociais, oposicionistas esqueceram de postar suas discordâncias sobre o projeto do Reda. O Camaçarico lembra que a proposta não apenas teve tramitação silenciosa. Passou distante do debate obrigatório com as dorminhocas entidades representativas dos servidores e demais estruturas da sociedade organizada. Mesmo com prejuízos para os trabalhadores que vierem a ser contratados pelo município, entidades e parlamentares seguiram mobilizadas apenas contra as perdas alojadas na reforma trabalhista do governo Temer.


Transparência 4 Apesar do esperneio midiático, projeto de emenda à Lei Orgânica teve tramitação tranquila e contou com o apoio de parte da bancada oposicionista. Depois de aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça, texto foi confirmado dia 20 de abril pela Comissão Especial, integrada pelo experiente parlamentar e ex-presidente do Legislativo, José Marcelino, como comprovam documentos sobre a tramitação da matéria. Com 16 dos 21 votos, portanto maioria folgada, projeto caminha para a 2ª e decisiva votação e aprovação.


NOTA DE ESCLARECIMENTO


BANCADA DE OPOSIÇÃO 


Em virtude da matéria publicada nesta terça-feira (30/05), na coluna Camaçarico, do site Camaçari Agora, a respeito do posicionamento da Bancada de Oposição no que se refere a Proposta de Emenda à Lei Orgânica nº 001/2017 seguem abaixo esclarecimentos:


A Sessão Ordinária em que foi realizada a primeira votação da referida Proposta, no dia 02 de maio, aconteceu a portas fechadas e não contou com a participação da Bancada de Oposição que se recusou a participar por entender que os cidadãos devem ter livre acesso para acompanhar o trabalho do legislativo.


A Proposta ainda será submetida a mais uma votação e a Bancada de Oposição ratifica que votará contrária por concluir que: se não existe orçamento para reajuste dos salários dos servidores públicos, como exposto pela Secretaria da Fazenda em Audiência Pública de Prestação Contas do Poder Executivo referente ao 1º quadrimestre de 2017, não vemos possibilidade de contratação através de REDA. Outro fato importante a ser observado, como bem foi destacado na coluna Camaçarico, é que o Sistema Simplificado de Seleção de Pessoal não garante benefícios como FGTS, aviso prévio, hora extra, licença prêmio e evolução funcional com melhoria de salário aos funcionários. 


OBS 1: A Proposta de Emenda à Lei Orgânica nº 001/2017 que “Acrescenta os incisos XIX e XX ao Art. 24 da Lei Orgânica Municipal, para acrescentar o princípio da economicidade, bem como permitir a contratação pelo Regime Especial de Direito Administrativo REDA nos casos onde se aplicar a terceirização do serviço público (atividade meio)".


OBS 2: Compõem a Bancada de Oposição na Câmara os vereadores Jackson Josué (PT), Dentinho do Sindicato (PT), Marcelino (PT), Téo Ribeiro (PT) e Binho do Dois de Julho (PC do B).  bancadadeoposicaocamacari@gmail.com


Foco ‘O Patrimônio Material e Imaterial do Município de Camaçari’ é o tema da seleção de  fotografias promovida pela prefeitura. Mesmo louvável e importante, concurso dividido nas categorias estudantil, amadora e profissional,   deixa de fora parte de uma importante visão sobre esse rico e transversal município. De acordo com o regulamento do concurso capitaneado pela pasta da cultura (Secult), fotógrafos profissionais que não residam na Grande Salvador estão fora da mostra.  


Foco 2 Com uma composição singular, Camaçari não é apenas a cidade sede do maior complexo industrial integrado do hemisfério sul. Mais que abrigar um pólo de altíssima tecnologia, município com quase 790 quilômetros quadrados de área é formado por uma faixa invejável de 42 quilômetros de praias e uma zona de miolo com rios, dunas, mata atlântica e todo seu rico ecossistema. Com tamanha diversidade fica difícil não atrair olhares de todos os cantos do planeta. Deixar esses registros de fora é no mínimo usar a lente errada.


Teclado Hoje, 1º de junho, o Brasil comemora o Dia da Imprensa.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


1/6/2017

 





Mudança

Mudança O sonho do emprego público eterno começa a virar passado em Camaçari. Projeto inicia a flexibilização das relações trabalhistas com a adoção do Reda (Regime de Direito Administrativo) para contratação de servidores no município.


Mudança 2  Alteração na Lei Orgânica que institui o Reda foi aprovado sem questionamentos em 1ª votação. Aguarda agora a 2ª e última confirmação pelo plenário do Legislativo. De autoria do presidente do Legislativo, Oziel Araújo (PSDB), e mais 10 vereadores da base governista, projeto segue incólume e sem nenhuma resistência entre os vereadores oposicionistas.


Mudança 3 Aprovação abre caminho para a adoção do sistema simplificado de seleção de pessoal pela prefeitura, Câmara de Vereadores e estrutura descentralizada. Novo mecanismo vai permitir muito mais que a simples contratação de pessoal por até 4 anos (2 anos renovado por mais 2). 


Mudança 4 Diferente do Concurso Público, o Reda é rápido e reduz gastos para os cofres públicos ao instituir uma nova e simplificada relação de trabalho. Benefícios como FGTS, Aviso Prévio, hora extra, licença prêmio e evolução funcional com melhoria de salário deixam de existir para o funcionário contratado pelo Reda. 


Mudança 5 Mesmo sem nenhuma linha mexendo no atual sistema de ingresso, o Reda deve ganhar primazia no processo de contratação de novos servidores. Com a inclusão dos incisos 19 e 20 ao Artigo 24 da Lei Orgânica do Município de Camaçari, o Concurso Público é praticamente aposentado. 


Mudança 6 Município possui hoje cerca de 5 mil servidores efetivos. Boa parte concursada, enquanto outra entrou para o serviço público através de processos simplificados de seleção, ou por apadrinhamento, anteriores à Constituição de 1988. 


Mudança 7 Também contratados pelo povo para cumprir um ‘Reda de 4 anos’, com direito a renovação ‘Ad Eternum’, vereadores, independente de governistas ou oposicionistas, seguem despreocupados e distantes do debate que deveria ser público e de suas responsabilidades. 


Mudança 8 Com tramitação silenciosa, proposta precisa apresentar garantias de lisura e de democratização das oportunidades para não virar um mecanismo de contratação de apadrinhados políticos, inclusive dos oposicionistas. 


Desafinada Sem a ajuda financeira da prefeitura, desde o início da gestão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM), a Banda Municipal de Camaçari (Bamuca) segue tocando com cada vez menos força. Projeto de formação de jovens músicos espera a renovação do convênio anual de cerca de R$ 270 mil. É com esse dinheiro que a Bamuca mantém sua estrutura de ensaios e qualificação para os cerca de 100 jovens que formam seu time de músicos, bailarinos e pessoal de apoio.


Desafinada 2 Com mais de 4 mil jovens beneficiados nesses 40 anos de existência, a Bamuca segue, independente da alternância no poder municipal, trazendo prêmios, divulgando a cidade e reforçando o orgulho de Camaçari. Com mais de 500 troféus, título de campeã do Norte/Nordeste, e 3 vezes decacampeã baiana na sua categoria, a Bamuca não pode parar.


Aplauso O Teatro Cidade do Saber (TCS) está pronto para receber espetáculos. Mesmo com necessidade de obras maiores, o TCS foi liberado pelo Corpo de Bombeiros (CB), após a realização de serviços que asseguraram as medidas mínimas de segurança para a reabertura do espaço. 


Apupo Graças às trapalhadas do novo governo, o fechamento do TCS gerou um grande prejuízo para a cena cultural da cidade. A prova do roteiro alinhavado que deixou Camaçari de fora da grande agenda baiana de eventos, são os recentes ajustes no sistema de combate a incêndio. Medidas poderiam ter sido realizadas desde o começo do ano.   


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


30/5/2017

 





Equívoco

Equívoco Camaçari Agora condena a ação política de grupos que manipulam imagens e textos, tentando atrelar falsas informações a veículos de comunicação. A mais recente e condenável ação envolveu o Camaçari Notícias que teve sua imagem atrelada a uma falsa notícia sobre a administração de Camaçari e seu alcaide (Confira).


Equívoco 2 Os líderes políticos, independente do alinhamento, precisam orientar sua tropas sobre o respeito aos limites, ao trabalho e ao compromisso com a informação dos veículos. As redes sociais são necessárias, fortalecedoras da democracia e da liberdade de expressão, mas não podem ser usadas como condutor de mentiras e engenhosas manipulações. Nesse caso a criatividade vira crime. Os novos tempos mostram que crime é tudo que a população quer varrer da política e do poder.


Sinal  verde O ex-candidato a vereador Fábio Lima (PSL) será o novo chefe da unidade orla do Detran de Camaçari. Posto vai funcionar em Arembepe e deve ser inaugurado em junho pelo governador Rui Costa. Indicação de Lima tem o aval do deputado federal Luiz Caetano (PT). 


Sinal vermelho Por falar em caetanistas, a Coluna apurou que o 3 vezes alcaide de Camaçari enfrenta dificuldade dobrada para arrumar colocação para seus correligionários na máquina pública. Além dos limites impostos pelo governador que não esquece o maltrato durante a campanha estadual que lhe custou uma destoante derrota municipal para Paulo Souto (DEM), Caetano apresenta problemas com boa parte dos currículos dos indicados, considerados muito aquém das exigências para as funções oferecidas. 


Respeito A situação de descontrole, com a instalação de vendedores de frutas e outras mercadorias nas escadarias da Catedral de São Thomaz de Cantuária, não chega a ser comparado, muito menos exige reação igual a de Jesus ao expulsar os ‘vendilhões’ do templo. A desordem e desrespeito a um espaço de fé e casa do padroeiro de Camaçari exige apenas uma ação enérgica do alcaide Elinaldo.


Energia  O sacerdote Tata Ricardo Tavares, do terreiro Lemba, esteve quarta-feira (24), com a presidente do Supremo Tribunal federal (STF), ministra Cármen Lúcia. O líder religioso, um dos representantes dos terreiros da Bahia, conversou com a ministra sobra a ação, em tramitação no Supremo, que quer proibir o abate de animais na religiões de matriz africana.


Energia 2 Durante conversa com Cármen Lúcia, que estava de branco em homenagem ao axé, Tata Ricardo e a ialorixá Jaciara Ribeiro ouviram da presidente do STF palavras de apoio a luta contra a discriminação e contra a intolerância religiosa.


Abandono  Essa é a impressão que motoristas têm ao chegar a Camaçari pela Via Parafuso. A avenida Jorge Amado, principal entrada da cidade, está totalmente esburacada. Com cerca de 2 quilômetros, a Jorge Amado é caminho obrigatório para o centro administrativo municipal, Fórum, Ministério Público e região central. Pelo visto, a titular da secretária de infraestrutura e habitação, a doutora Joselene Cardin, deve chegar de helicóptero. A sede da Seinfra também está localizada na importante via. 


Barra pesada  População de Barra do Jacuípe pede socorro. Ponto turístico e um dos mais belos trechos da orla de Camaçari, localidade vive uma espécie de ‘toque de recolher’ a partir das 18h. Os bandidos ocupam as ruas e a população evita sair de casa.


Arraiá Pouco mais de R$ 2 milhões é quanto a prefeitura de Camaçari promete gastar com a produção do Camaforró 2017. Desse valor, cerca de R$ 1 milhão e 200 mil será consumido com o pagamento das mais de 60 atrações locais e artistas convidados. Festa de 22 de junho até a madrugada do dia 25 terá entre as novidades o camarote pago e o reposicionamento do espaço caramanchão, que passa para a área externa, ampliando a área de shows. Estrutura  para comes e bebes terá 180 barracas.


Arraiá 2 A banda Cavaleiros do Forró, o sanfoneiro Cicinho de Assis, Nayara Azevedo, autora do sucesso ’50 reais’, o cantor e compositor Geraldo Azevedo, e o romântico Tayrone estão entre as estrelas do palco principal. Toda a grade de programação será anunciada oficialmente pela coordenação de eventos, nesta sexta-feira (26) à noite, durante lançamento da festa, no shopping Boulevard.


Formação A Odebrecht Engenharia e Construção e a Odebrecht Transport inscrevem até dia 31, estudantes Engenharia (Civil, Elétrica e Mecânica), Administração, Ciências Contábeis e Economia para o Programa Estágio de Férias. Estágio começa em junho. Cinfira no site www.odebrecht.com/jovemparceiro


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


25/5/2017

 





Foco

Foco  A gestão do alacide Antonio Elinaldo (DEM) precisa andar rápido para garantir sua parte no projeto de construção e execução de políticas públicas capazes de contribuir de forma efetiva para redução da desigualdade e seus frutos danosos, identificados na violência contra os jovens como a forma mais perversa desse descuido governamental.


Foco 2 Mesmo insistindo no velho mantra ‘estamos arrumando a casa’, repetido por todo gestor que chega e não planeja suas ações de forma efetiva, novo governo de Camaçari perigas seguir o mesmo caminho dos antecessores que quase nada fizeram em políticas sociais.


Foco 3 Esse atraso ficou claro na fala do promotor Adauto Araújo da Silva Júnior, represente do Ministério Público Estadual (MPE), sobre o papel do Comitê Institucional de Segurança Pública (CISP), na manhã de segunda-feira (22), na Cidade do Saber (TCS). Para uma seleta plateia, formada pelo alcaide, seu vice, vereadores, secretários, subsecretários, assessores, representantes da PM no município, e da imprensa, o promotor foi didático e direto.


Foco 4 Lembrou que era preciso ‘ ter foco’ e cobrou concentração de recursos e ações para impedir mais mortes de jovens. Segundo estatísticas apresentadas pela própria PM, durante o encontro, 85% dos assassinatos no município têm as drogas como motivação e elemento. Com poucas oportunidades com escola, atividades de esporte, lazer e cultura, e acompanhamento social, esses jovens viram presas fáceis do tráfico de drogas e seu nocivo e poderoso processo de cooptação.


Foco 5 Para o promotor Adauto, é preciso inverter esse ciclo vicioso. Em visita a comunidade de Barra do Pojuca, em março deste ano, o representante do MPE constatou a ineficiência do sistema municipal. Segundo ele, o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) é subutilizado e não passa de um mero ‘avalizador de benefícios sociais’. Destacou que na mesma localidade, projetos como a ONG Manguezal realiza trabalho importante de inclusão e fortalecimento de vínculos.


Foco 6 Distante 49 quilômetros da sede e ponto extremo no limite Norte do município, Barra do Pojuca também apresenta problemas com transporte e segurança. Durante sua visita encontrou salas de aula e vias públicas pichadas com símbolos de facções criminosas que atuam na região, e menores em situação de risco envolviudos com esses grupos.


Foco 7 De forma muito clara e direta, o promotor cobrou ações para acabar com o que chamou de ‘menino invisível’, abandonado pelas políticas públicas, só identificado pelo estado quando começa a praticar atos infracionais. Envolvido no trabalho do Comitê desde 2015, o promotor buscou respostas dos presentes ao questionar ‘o quê nós podemos fazer para que esse menino de 10 anos não vire estatística?’. O Adauto também falou de ‘laço de territorialidade’ e ‘ vínculo de pertencimento’ como mecanismos capazes de reverter essa realidade que se desenha com cada vez mais sangue em Camaçari.


Foco 8 Formado pela prefeitura de Camaçari, Polícias Militar e Civil, Igreja Católica (Diocese de Camaçari), Conselho de Ministros Evangélicos de Camaçari (Comec), terreiros de camdomblé e Clube de Diretores Lojistas (CDL), o CISP terá duas reuniões, uma técnica e outra ordinária, na 1ª quinzena de junho. A imprensa, apesar da sua importância nesse universo, não participa do comitê.


Foco 9 Atrasada no seu cronograma de ações de inclusão, a prefeitura precisa fazer o dever de casa. Cobrar do governo do estado a manutenção de viaturas e pessoal das polícias Militar e Civil, hoje respondendo por parcela dessa responsabilidade, não é a saída. É preciso botar para funcionar, na sede e nas localidades da orla e zona rural, estruturas com cursos de arte, esporte, lazer e atividades que proporcionem a esses jovens o despertar da cidadania. Sem essas estruturas, um dos pecados da gestão passada, não será possível assegurar caminhos de conquistas para esses jovens a partir do desenvolvimento de novas habilidades e aumento da autoestima com a construção de uma identidade.


Ajudinha Waldeck Ornelas vai colaborar, sim, com o governo Elinaldo. Segundo o alcaide, o ex-ministro, ex-senador e ex-secretário de planejamento do estado é um ‘amigo’ com grande experiência. Elinaldo negou que Waldeck vá assumir posto no governo municipal. Oficialmente ninguém fala, mas a Coluna apurou que Waldeck, coordenador do governo paralelo montado por ACM para controlar a gestão estadual do aliado rebelde João Durval (1983/1986), vai contribuir com a formulação de projetos indispensáveis na captação de recursos para o município.


Partitura A Orquestra Pró-Sinfônica de Camaçari retoma suas atividades no começo do 2º semestre. A garantia é do prefeito Elinaldo. Segundo fontes do Camaçarico, o maestro Bira Marques, coordenador do projeto até final do ano passado, é o mais cotado para manter o comando da batuta.


Partitura 2 Outro nome não menos qualificado e que foi sondado pela secretária de cultura, Márcia Tude, é o do professor Joélio Santos. Nascido e criado em Camaçari, Joélio é formado pela Escola de Música da Universiodade Federal da Bahia (UFBA), mestrando e um dos responsáveis pelo início do programa de educação musical na rede municipal. Também é sua partitura a revitalização da Filarmônica 28 de Setembro e a montagem de uma orquestra filarmônica em Monte Gordo.


Cronograma O Teatro Cidade do Saber (TCS) volta a funcionar nos próximos meses, após a realização de serviços emergenciais de recuperação que estão impedindo a sua utilização.


Cronograma 2 A tão alardeada auditoria nas contas do programa Cidade do Saber, prometido para o início do governo, pode ter seus resultados divulgados só em 2018. Ainda segundo o prefeito, o pente fino começou nesse mês de maio e não fica pronto antes do final do ano.


Cronograma 3 Elinaldo também assegurou que o novo formato de gestão tripartite da Cidade do Saber vai ampliar a oferta de cursos e atividades com redução de cerca de 70% dos custos de manutenção, se comparados com o governo passado. Sem dar detalhes, Elinaldo disse que o programa agora gerido pelas pastas da cultura (Secult), da educação (Seduc) e do esporte, lazer e juventude (Sejuv), vai consumir cerca de R$ 2 milhões em 2017, contra os cerca de R$ 7 milhões gastos em 2016.


Repeteco Mais uma vez a prefeitura segue a velha regra do abafa e não realiza uma entrevista coletiva que permita aos profissionais da imprensa uma participação efetiva com apuração mais detalhada e transparente das informações públicas.  Além do atraso, a ‘coletiva’ terminou imprensada entre a apresentação do Comitê Institucional de Segurança Pública (CISP), pela PM e Ministério Público, e uma reunião de secretários e vereadores para discutir o mesmo tema.


Repeteco 2 O resultado foi a velha desorganização que livra prefeito e secretários dos incômodos questionamentos e deixa profissionais de comunicação frustrados. A desorganização foi tamanha que nem a nova marca da Cidade do Saber foi apresentada. Também não foi detalhado o novo formato tripartite, entre Secult, Seduc e Sejuv, a forma de contratação dos educadores que irão ministrar os cursos previstos para começar dia 5 de junho.


Ciranda Depois de quase 10 anos representada pela coruja, símbolo da sabedoria, o programa Cidade do Saber ganha nova identidade visual. Em tons de verde, cor da nova gestão, marca exibe uma ideia de união com 7 corpos abraçados em forma de círculo. O programa gerido até março deste ano pela ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro agora é ‘Centro educacional, cultural e esportivo de Camaçari’.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


23/5/2017

 





Escorregão

Escorregão Depois de 10 anos sustentando o título de ‘Capital da Dança’, Camaçari perde para Salvador o Festival Nacional de Dança Ballace. Com a transferência, não desce do palco apenas a chance de alunos carentes do município estudarem na escola de Ballet Bolshoi, em Santa Catarina, considerada uma das melhores do mundo. 


Escorregão 2 O processo de desmonte dos cursos de dança, iniciado na gestão do antecessor, o ex-petista e hoje sem pouso partidário, Ademar Delgado, ganhou reforço no governo do atual alcaide, Antonio Elinaldo (DEM). As aulas de dança na Casa da Criança, suspensas desde o ano passado, não fazem parte do calendário 2017 de atividades da instituição, iniciado semana passada.  Um dos cursos mais procurados pelos jovnes de Camaçari também não foi iniciado na Cidade do Saber. Aulas estão previstas para junho.


Escorregão 3  Ausência de coreografia atinge o orgulho da cidade como novo polo de jovens  artistas. Avança sobre a desconstrução de uma estrutura criada a partir de 2007, com técnicos e pessoal de apoio da cidade, envolvidos na produção do festival.


Escorregão 4 Perdem todos com o passo em falso. O faturamento dos hotéis e restaurantes da cidade  deixam de atender nos 3 dias do evento cerca de mil pessoas, entre bailarinos, familiares e professores envolvidos num dos maiores festivais para jovens dançarinos do Brasil.


Escorregão 5 A Coluna apurou que as tentativas de manutenção do festival em Camaçari se estenderam até fevereiro deste ano. Sem resposta concreta da secretaria da cultura (Secult), organizadores decidiram transferir a 17ª edição do Ballace para o Teatro da Cidade. Festival acontece entre os dias 15 e 17 de junho.


Escorregão 6 Nessas 10 edições, o palco do Teatro da Cidade do Saber (TCS) exibiu mais que grandes nomes da dança mundial, como a brasileira Ana Maria Botafogo. Embalou sonhos de futuro para dezenas de jovens da rica e desigual Camaçari. Mesmo com o escorregão, a Camaçari que dança aposta na volta do Ballace em 2018, para festejar a 18ª edição do festival. 


Média A deputada estadual Luiza Maia (PT) quer instituir o ‘Dia do repórter de política’ no calendário oficial da Bahia. O Projeto de Lei, em tramitação na Assembleia Legislativa desde o final de abril, define o 17 de agosto como a data comemorativa, mesmo dia de fundação da Associação Bahiana de Imprensa (ABI).


Média 2 Segundo justificativa da deputada, que garante não desmerecer os demais profissionais setoristas de segurança, esporte, cultura, economia, o repórter de política tem como missão ser o ‘instrumento facilitador do controle social que os cidadãos devem exercer sobre os governantes’.


Média 3 A proposta da deputada casa com a festa de aniversário da ABI e engorda a folhinha de homenagens aos profissionais da imprensa. Desde 1931 que o 7 de abril é conhecido como Dia do Jornalista. Completa o calendário de festejos o 1º de junho, Dia da Imprensa. A data, antes lembrada no 10 de setembro, quando começou a circular o jornal  ‘A Gazeta’  do Rio de Janeiro,  veículo chapa branca ligado ao rei Dom João VI ‘,  foi mudada em 1999 para homenagear o ‘Correio Braziliense’,  outra publicação também fundada em 1808.


Mídia Será no próximo dia 7 de junho o almoço por adesão em solidariedade ao Radialista Antonio Paulo, o querido Tony da Camaçari FM. Encontro no tradicional restaurante Feijão do Lindu, visa arrecadar recursos para ajudar a custear o tratamento médico do profissional.Presenças devem ser confirmadas pelo whatsApp 98793 5295.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


20/5/2017

 





Improviso

Improviso Mesmo sob nova direção, a Cidade do Saber segue como ‘dantes no quartel de Abrantes’. Nem diferente e muito menos sem a ineficácia dos tempos da ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, programa comandado pela secretaria de cultura (Secult), abre matrículas para alunos sem saber quem vai ministrar as aulas previstas para começar em 20 dias. Ao anunciar cursos sem contratar professores e educadores, sem debater plano de aula e detalhes fundamentais com quem vai ministrar os cursos, os experts responsáveis  pela engenharia acreditam poder construir de cima para baixo.


Improviso 2 Tragédia que está sendo paga pelas centenas de jovens do município, com atraso de precioso semestre de cursos e atividades de cultura, esporte e lazer, foi antecipada em várias postagens pelo Camaçarico. Governo Elinaldo teve 3 meses após a vitória de outubro para planejar as mudanças no programa antes da posse em janeiro.


Improviso 3 Ano de 2017  começou e as dúvidas só aumentam. Vai municipalizar, ou adota outra ONG e segue o velho modelo criado pelo ex-prefeito Luiz Caetano (PT). A intervenção trapalhona, no final de janeiro, só aumenta as dúvidas e expõe a ausência de um projeto de cultura do governo que se inicia. 


Improviso 4 Minado por uma disputa preocupada apenas com o feudo capaz de render dividendos políticos, debate sobre o futuro do programa segue sem acontecer. Não precisa ser engenheiro para saber que construir o telhado antes das paredes é  coisas de quem continua sem saber.


Palmatória  Do outro lado da rua do Telégrafo, a Casa da Criança segue esquálida e reforçando a  exclusão de jovens carentes. Graças a falta de pulso e cegueira do ex-menino pobre e hoje alcaide Elinaldo, programa começa sua atividades desconectado da realidade e sem as mínimas condições de funcionamento.


Palmatória 2 Sem material de trabalho para educadores, programa gerido pela secretaria de desenvolvimento social (Sedes) vive na era anterior ao Sistema Único de Assistência Social (SUAS).


Palmatória 3 Vivendo na era pré-SUAS, programa que sequer está fornecendo merenda regular para seus alunos, passa longe da inclusão digital e das novas tecnologias de som e imagem, necessárias para que esses jovens possam acompanhar o mundo real.


Apagador  A açodada e até antipedagógica demissão de 87 de um total de aproximadamente 300 diretores e vices de escolas e da rede municipal de Camaçari é o mais novo desgaste da titular da secretaria de educação (Seduc).


Apagador 2 Sem questionar o direito de promover as mudanças, apesar de ter atingido alguns diretores e vices eleitos pelo voto direto da comunidade escolar, a professora doutora Neurilene Martins só fez ampliar a sua situação nada confortável na pasta. Medida deixou praticamente sem comando escolas com histórico de dificuldades estruturais e de gestão.


Apagador 3 Depois do estrago com repercussão negativa nas comunidades, a titular da Seduc, que já enfrenta outro grave problema com a falta de coordenação pedagógica, recuou e está chamando de volta parte desses gestores. Volta aos postos é lousa apagada. A Coluna apurou que esses diretores e vices convidados ainda não tiveram suas antigas gratificações de funções asseguradas. Benefícios variam de  R$ 400 a R$ 1.700 de acordo com o tamanho da unidade escolar.


Apagador 4 Mês passado o Camaçarico mostrou a mal contada e sem nenhuma coincidência história da contratação da ONG Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (ICEP) para a organização da Jornada Pedagógica de Camaçari, realizada em março (Confira).


Apagador 5 Usando o processo de inexigibilidade, quando o contratante define o contratado sem necessidade de seleção, a titular da Seduc pagou R$ 50 mil ao instituto onde ela e o seu subsecretário, Márcio Vila Flor, trabalharam como técnicos. Despreocupada com o risco dessa mistura de interesses, a secretária acredita que a parceria tende a crescer com o aproveitamento de boa parte do know-how desenvolvido pelo instituto na gestão da educação  em Camaçari.


Apagador 6 Colecionando noticias pouco abonadoras nos seus menos de 150 dias no posto, a professora doutora Neurilene já aparece na lista das substituíveis. A Coluna apurou que o nome da ex-secretária de educação, Iere Fernandes Normando pode ser a alternativa.


Apagador 7 Iere geriu a Seduc entre 1997 e 2004 durante os 2 governos do cunhado José Tude (PMDB), substituído nos 2 últimos anos (2003/2004) pelo vice Helder Almeida (DEM), atual secretário de governo. A irmã da esposa do ex-alcaide e atual vice-prefeito ficou conhecida como a secretária de criou em 2001 o programa bolsa universitária. Mantido nos governos seguintes, programa começou atendendo 130 estudantes com ajuda mensal de R$ 200.


Apagador 8 Confirmada a mudança, o 3 vezes alcaide amplia seu poder sobre a máquina municipal. Com a pasta da cultura (Secult) comandada por sua filha, Márcia Tude, o vice engorda seu poder político com a aliada gerindo a maior fatia do Orçamento 2017, estimado em pouco mais de R$ 219 milhões.


Presença  A comunicação perdeu quinta-feira (11) o radialista Diniz Oliveira. Profissional competente e dedicado, Diniz, 72, vivia o mundo do rádio desde os 22 anos. Trabalhou nas principais emissoras da Bahia e teve importante passagem por Camaçari, onde comandou o microfone da Metropolitana AM. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


16/5/2017 Atualização às 18h38

 



Anterior | |1| 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 | Próxima

Encontrado(s): 589 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2017 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL