Busca:








Bola de neve Quase 8 anos depois de exonerados, um grupo de ex-assessores do Legislativo de Camaçari segue sem receber seus direitos. A velha política de punir o profissional que trabalhou na gestão do adversário, ou que virou desafeto, deixa frutos amargos.


Bola de neve 2 Um desses ex-servidores atingidos é o ex-coordenador da TV Câmara, o jornalista Antonio Arcanjo. Zebrinha, como era carinhosamente conhecido, morreu em novembro do ano passado, com dificuldades financeiras e sem receber seus direitos.  


Bola de neve 3 Lista é longa e vem engordando a cada novo presidente. Segundo apurou a Coluna, descompromisso vem desde os tempos da presidente Luiza Maia (PT). Prosseguiu com Zé de Elísio (PTdoB), Téo Ribeiro (PT), José Marcelino (PT), e Oziel Araújo (PDT). A 6 meses de terminar o mandato, o atual presidente, Jorge Curvelo (Democratas), não sinaliza mexer na regra, onde o pagamento da chamada verba rescisória correspondente às férias não pagas, é feito de acordo com as conveniências de cada grupo que está no poder. 


Conexão Quase 2 anos depois da denúncia do Camaçarico (Confira), sobre o altíssimo índice de verminose infantil na comunidade de Cordoaria, nada foi feito para reduzir essa absurda realidade. O último movimento da prefeitura foi colocar ´panos quentes` na reclamação da comunidade que realizou protesto contra a eterna promessa de instalar uma rede de água tratada na comunidade de cerca de mil moradores. Durante a reunião, na última segunda-feira (6), as promessas de busca de soluções em conjunto com o governo do Estado, através da Embasa e Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia (Cerb), foram renovadas.  


Conexão 2 Mesmo cortada por estradas com acesso pelas vias Parafuso (BA-535), Cascalheira (BA-531) e estrada do Coco (BA-099), Cordoaria não tem a mesma sorte que seus vizinhos. O condomínio residencial classe média alta, Alphaville-3, localizado a cerca de 3 quilômetros da comunidade de remanescentes quilombolas, conta com água encanada.


Memória   Depois das entrevistas com os pré-candidatos a prefeito de Camaçari, o editor avança com a série “Camaçari 360”, ouvindo pesquisadores e figuras da cidade, sobre a história e seus personagens. Série começou com o professor, historiador e pesquisador Diego Copque, que nesta quarta-feira (8) prossegue com sua aula de história de Camaçari.


Memória 2 Na entrevista de segunda-feira (6), o professor iniciou seus relatos sobre os estudos que reposicionam a data de fundação do município para 1558, diferente dos conhecidos e festejados 262 anos no 28 de Setembro.


Memória 3 Na próxima segunda-feira (13), sempre a partir das 18h, no Instagram @joaleitefilho01, a série “Camaçari 360” exibe outro importante capítulo da história do município. O ex-vereador e pesquisador José Raimundo Mônaco fala de sua pesquisa sobre o Poder Legislativo de Camaçari, e sua vivência no cenário político nas últimas 5 décadas. Série prossegue com entrevistas com ex-prefeitos e outros personagens que ajudaram a construir a cultura, a história econômica e social do município.


Memória 4 Além do Instagram @joaleitefilho01, todas as 7 entrevistas com os pré-candidatos a prefeito, e a primeira conversa com o professor Diego Copque podem ser acessadas pelo You Tube João Leite Filho.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


7/7/2020

 







Não brinque  O título de “Prefeito Amigo da Criança” pela Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do Adolescente, dado ao alcaide de Camaçari, Antonio Elinaldo (Democratas),  está longe de ser um real atestado de gestor compromissado com essa parcela da população de Camaçari.


Não brinque 2 Premiação com critérios questionáveis fica clara com o agraciamento de Camaçari. Fora do radar de critérios da Abrinq, responsável pela premiação, Camaçari exibe uma grande dívida ao descuidar de um projeto emblemático, como a Casa da Criança e do Adolescente.


Não brinque 3 Descuido com o espaço, que atende com aulas de arte cerca de 600 jovens carentes, sendo boa parte em situação de vulnerabilidade social, vem sendo denunciada pelo Camaçarico desde a gestão do alcaide Luiz Caetano. Descumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente virou marca na Casa da Criança, que em agosto festeja 29 anos.  


Não brinque 4 O último alerta foi feito pela Coluna no final do 3º ano do atual gestor (Confira). De dezembro de 2019 pra cá, quase nada mudou.  Nessa conta do descaso, equipamento gerido pela secretaria de desenvolvimento social e cidadania (Sedes), segue sua triste trajetória longe dos padrões de atendimento mínimos e aplicação das políticas públicas de apoio, inclusão e proteção à criança e ao adolescente.


Não brinque 5 Fantasia, com o que deveria ser real, chega ao condenável e criminoso fake news. Em material distribuído pela prefeitura para a imprensa e postado no seu site, no último dia 23 (Confira), a gestão da Casa da Criança informa que com a suspensão das aulas presenciais, “os educadores estão realizando atividades de maneira virtual através de vídeo aulas”.


Não brinque 6 Como uma unidade que sequer dispõem de internet, equipamentos como computadores para a inclusão digital dos alunos, TV smart e outros recursos tecnológicos para as aulas presenciais, vai se conectar remotamente às crianças e adolescentes que na sua maioria sequer dispõem de alimentação, moradia digna e outras necessidades mínimas.


Não brinque 7 Segundo apurou a Coluna, a falsa notícia gerou um desconforto entre os educadores da unidade. Pega na mentira, a Sedes agora busca uma saída com a construção de um projeto emergencial. Esquece que a maioria, senão a totalidade desses alunos, não dispõe  de um celular.


C`est fini  Eleição, para o ex-prefeito de Camaçari, Luiz Caetano (PT), com retratinho na urna e direito a voltar ao poder de forma presencial e inequívoca, só depois de 2026. Com a última pá de cal, jogada em junho pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o 3 vezes alcaide pode até voltar, mas já terá 72 anos e uma conjuntura ainda mais desfavorável com o processo de purificação das instituições democráticas.


C`est fini 2 Pacote de restrições e apertos, no caso da contratação da Fundação Humanidade Amiga (Fhunami), para produção de fardamentos, ainda inclui o pagamento de multa de R$ 304 mil e devolução de igual valor aos cofres públicos. Cheio de processos e ações de cobrança por irregularidades em suas contas durante seus últimos 2 governos (2005/2012), saldo vermelho do petista ultrapassa os R$ 10 milhões.


Calibre Camaçari fechou junho com 10 registros de assassinatos. Conta dos 6 meses do ano, segundo a secretaria de segurança pública (SSP-BA), soma 109 assassinatos. Foram 22 mortes violentas em janeiro, 18 em fevereiro, 21 em março, 20 em abril e 18 em maio. Na comparação com os mesmos primeiros 6 meses de 2019, Camaçari registrou um crescimento de 23 casos.


Compromisso Depois das entrevistas com os pré-candidatos a prefeito de Camaçari, nas eleições de novembro, o editor segue ampliando o debate sobre a cidade. Inicia na segunda-feira (6) uma série de Lives com figuras da cidade.


Compromisso 2 Batizado de "Camaçari 360", justamente pela sua proposta de abrangência, encontros, sempre às segundas, a partir das 18h, no Instagram @joaleitefilho01, começa com o professor, historiador e pesquisador Diego Copque.


Compromisso 3 Autor do livro em fase de finalização “Do Joanes ao Jacuípe, uma história de muitas querelas, tensões e disputas locais", Diego Copque vai contar a história do município fundado no século 16, onde hoje é Vila de Abrantes, e sua importante presença na história da Bahia desde 1558.


Varejeira Os moradores da rua da Citiba, próxima ao antigo parque da vaquejada, em Barra do Pojuca, convidam o secretário de serviços públicos para um cafezinho. Acreditam ser essa a única forma de sensibilizar o doutor Armando Mansur sobre a necessidade de erradicação do lixão existente na região. Sem coleta de lixo, comunidade reclama do abandono e dos riscos de doenças provocadas pelo grande número de insetos e outros animais atraídos pela imundice causada pelo acúmulo de todo tipo de dejetos.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com  Instagram @joaoleitefilho01 (Editor)


2/7/2020

 







Números Camaçari segue dando salto na conta de perdas de vidas, seja por morte ´matada`, ou ´morrida`, nesse caso provocada pela Covid-19. Levantamento feito pelo site Compartilha Bahia, confirmado e ampliado pelo Camaçarico, mostra que nos 22 dias deste mês, o município registrou 6 assassinatos, 2 a mais, ou um crescimento de 50% em relação ao mesmo mês fechado de 2019. Os números do mês passado, disponibilizados pela secretaria de segurança pública (SSP-BA), também exibem aumento em relação ao mesmo período de 2019. Foram 18 assassinatos em maio deste ano, enquanto no mesmo mês de 2019 a SSP-BA contou 16 mortes violentas.


Números 2 Já os números de óbitos pelo coronavírus saltaram dos 10 registros oficiais em 1º de junho, para 31 até segunda-feira (22). Ainda segundo a secretaria de saúde do município (Sesau), o primeiro óbito pela Covid-19 foi registrado em abril, evoluindo para 10 no mês de maio.


Números 3 Conta dos casos de contaminados também mostra uma evolução preocupante. No começo de junho eram 249 casos, que saltaram para 804 até segunda-feira (22). Com base nesses dados da última atualização, Camaçari registrou um crescimento de 223% no número de casos em 22 dias. Quase o mesmo percentual (220%), com crescimento duplicado, é achado nos registros de óbitos, que no começo de junho eram 10, mas que somavam 31 até a noite de segunda-feira (22).


Números 4 Mas, esse crescimento não parece sensibilizar empresários e prefeitura que acabam de fechar um acordo para reabertura, a partir de 1º de julho, de shoppings, lojas de rua, academias, salões de beleza, e outras atividades. Protocolo define até o que parecia ser impossível: o estabelecimento de horários para funcionamento do comércio ambulante. Ainda segundo a nota distribuída pela prefeitura, a medida pode até não acontecer, caso os números da Covid-19 continuem no sinal vermelho.


Números 5 Caso se conforme essa abertura, a prefeitura de Camaçari engrossa a lista das grandes cidades, em especial as capitais, que preparam medidas de flexibilização, mesmo sem condições de garantir a retomada de parte das atividades produtivas sem a devida segurança.


Números 6 Como noticiou o Camaçari Agora (Confira), pesquisa da universidade inglesa de Oxford mostra que além de Salvador, outras 7 capitais não estavam prontas para permitir a volta de atividades comerciais e o afrouxamento de outras medidas de redução do isolamento social.


Números 7  Camaçari não está longe desse perfil traçado pela universidade, responsável pelos mais avançadas pesquisas, inclusive de vacinas contra a Covid-19. Estudo diz que essas cidades não realizaram testes em volume adequado, muito menos possuem um programa de rastreamento de contato para tentar conter o contágio. Completa a lista de oposição à flexibilização, o desconhecimento da população sobre o que fazer se estiver contaminado.


Números 8 Decisão do município pela possibilidade de flexibilização mostra a pressão do comércio para o afrouxamento das medidas de restrição de atividades e consequente fim do isolamento social surtiu efeito. Mais uma vez os interesses de setores empresariais, ajudados por políticos preocupados apenas com seus interesses eleitorais, prevalecem sobre a vida.


Números 9 Caso se confirme, decisão empurra o alcaide Antonio Elinaldo (Democratas), que diz seguir e respeitar as orientações da Organização Mundial de Saúde, para uma posição perigosa. O avanço dos casos, provocado por essa flexibilização, seguramente não terá mea-culpa dessas mesmas entidades empresariais. Vão pagar o preço as famílias que perderão seus entes, e o alcaide que verá seu desgaste político aumentar com o consequente prejuízo eleitoral.


Quarentena  Quem anda sumido do front oficial é o vereador doutor Elias Natan (PSDB). Coincidentemente, o ex-secretário de saúde de Camaçari e responsável pelo desenho e execução inicial do plano de prevenção e enfrentamento do Covid-19 no município, teve sua aparição midiática reduzida justamente com o aumento dos casos. Para não perder a pegada, usa as redes sociais para pedir moderação com fogos durante os festejos juninos.


Compromisso O empresário Heckel Pedreira (Rede) é o entrevistado desta quarta-feira (24), a partir das 18h, na série de Lives com os pré-candidatos a prefeito de Camaçari. Entrevistas, que podem ser conferidas no Instagram @joaoleitefilho01, começaram na segunda-feira (15), com o pedetista Oziel Araújo. Série prosseguiu na quarta-feira (17), com Fábio Lima (PP), e fechou a semana, sexta-feira (19), com o educador Sócrates Magno (PSOL). Na segunda-feira (22) desta semana foi a vez do empresário e ex-vereador Antonio Carlos Soares (PL). Conversas com todos os pré-candidatos, sempre às segunda, quartas e sextas, às 18h, prosseguem até o começo de julho.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


23/6/2020

 







Diferenças A secretaria de educação de Camaçari (Seduc) garante que só pagou o que foi executado pela agora quebrada construtora Andrade Mendonça, para a construção de 6 creches no município. Em documento enviado à Coluna, a Seduc informa que os pouco mais de R$ 6,8 milhões pagos à construtora correspondem aos serviços executados. Deste total já consumido, R$ 3,8 milhões saíram dos cofres do fundo de desenvolvimento da educação (Fundeb), enquanto outros R$ 3 milhões foram repassados pela prefeitura.


Diferenças 2 Projeto total de construção das 6 creches ultrapassa os R$ 22 milhões. Cerca de R$ 15 milhões são do governo federal (Fundeb) enquanto R$ 4 milhões serão aplicados pelo município nas obras de construção das unidades. Fecha a conta outros cerca de R$ 3,5 milhões que serão empregados pela prefeitura na aquisição de mobiliário e outros equipamentos.


Diferenças 3 Planilha apresentada pela Seduc mostra que a creche do Limoeiro está com 82,45% dos serviços concluídos, enquanto a unidade localizada no bairro Industrial parou com 55,45% das obras realizadas. Outras 3 creches:  Verdes Horizontes, Lama Preta e Novo Horizonte estão com pouco mais de 23% dos serviços concluídos pela Andrade Mendonça. Mais atrasada está a de Catu de Abrantes, com 14% das obras.


Diferenças 4 Mesmo supervisionada pela mesma secretaria de infraestrutura (Seinfra), obras de construção das creches exibem diferenças em relação aos serviços de duplicação do viaduto do Trabalhador. Segundo apurou a Coluna, as obras das creches seguem uma metodologia de controle do governo federal, que exige medição e auditoria externa. Como mostrou o Camaçarico (Confira), obras de duplicação do viaduto, estimadas em R$ 13,4 milhões e previsão de inauguração em abril passado, terão um acréscimo de cerca de 30%, algo em torno de R$ 4 milhões. Cobrada, a Seinfra  ainda não informou quanto foi gasto, o que foi feito, e o novo cronograma físico-financeiro da obra.


Diferenças 5 Com a suspensão do contrato com a Andrade Mendonça, e sem 2ª colocada na licitação para concluir a obra, a prefeitura terá de realizar um novo processo de contratação. Fontes ouvidas pela Coluna asseguram que as obras, atrasadas desde fevereiro, e com nova previsão para este mês de junho, não serão retomadas antes de outubro, prazo mínimo de 3 meses para a realização e finalização da nova licitação.


Diferenças 6 Com capacidade para atender 1.100 crianças, as 6 creches terão cerca de 240 profissionais, entre pedagogos e equipes de apoio. O prejuízo pedagógico só não vai ser maior por conta da pandemia. Com o Covid-19, as aulas e todo o calendário deste ano foram alterados.


Sem filtros O editor da Coluna inicia nesta segunda-feira (15), uma série de Lives com os pré-candidatos a prefeito de Camaçari. Conversas sobre planos de governo e suas contribuições para a Camaçari do futuro acontecem até a primeira semana de julho, sempre às segundas, quartas e sextas, a partir das 18h, no Instagram @joaoleitefilho01.


Sem filtros 2 O vereador pedetista Oziel Araújo abre a série, nesta segunda-feira. Expectativa é que todos os pré-candidatos aceitem o convite e ajudem a ampliar essa interação com a população e o eleitor, expondo suas propostas e entendimentos.


Miudeza O alcaide de Simões Filho, o emedebista Dinha Tolentino, segue na contramão da política graúda e de respeito à educação. Para economizar alguns reais, o esposo da deputada estadual Katia Oliveira, do mesmo partido, suspendeu os contratos dos cerca de 200 educadores do município, regidos pelo Reda.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


15/6/2020

 







Caminhos Mesmo sem definir um protocolo para reabertura e funcionamento seguro do comércio e demais atividades produtivas em Camaçari, a prefeitura dá mais um passo que não deixa de  estimular a retomada desregulada e perigosa desses setores durante a pandemia do Covid-19.


Caminhos 2 Sob o pretexto de compensar as perdas salariais dos servidores que tiveram cortes nos seus salários com as medidas de combate ao coronavírus, a prefeitura anunciou nesta quarta-feira (10), a antecipação do pagamento do salário de junho e de metade do 13º salário. Seguindo a tradição dos anos anteriores, os cerca de 6 mil servidores irão receber o 13º no próximo dia 15, e o mês de junho no dia 22.


Caminhos 3 Conta feita pela Coluna mostra que a economia do município terá uma injeção que ultrapassa os R$ 50 milhões. São cerca de R$ 30 milhões em salários e aproximadamente R$ 13 milhões com a antecipação de metade do 13º. Fecha a conta os cerca de R$ 12 milhões, pagos nos próximos dias, para aposentados e pensionistas do município.


Caminhos 4 Fontes empresariais ouvidas pelo Camaçarico não escondem que as antecipações salariais, comuns em períodos juninos sem a realidade da pandemia, vão estimular a desobediência da população, com riscos de redução ao já baixo isolamento social. Preocupados, defendem a adoção de um protocolo de funcionamento que permita essa flexibilização segura dos setores hoje impedidos de atuar.


Caminhos 5 Com as máquinas registradoras desligadas desde a última semana de março, lojas de roupas, confecções, calçados, perfumaria e até salões de beleza vão se sentir estimulados a arriscar, dizem comerciantes ouvidos pela Coluna.


Caminhos 6 A falta de um diálogo mais amplo é a principal queixa do setor. Lembram que os encontros com a administração municipal foram infrutíferos e sem prosseguimento. Com as portas fechadas, empresários cobram, com urgência, a construção desse pacto que defina regras de funcionamento com segurança, de forma a tirar a atividade da paradeira com a consequente retomada dos empregos.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


10/6/2020

 







Ferruada O destrato da prefeitura de Camaçari com a construtora Andrade Mendonça, vencedora da licitação para construção da duplicação do viaduto do Trabalhador, não vai representar apenas atraso na melhoria da mobilidade na entrada principal da cidade-sede do maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul.


Ferruada 2 Suspensão das obras, antecipada pelo Camaçarico (Confira), e posteriormente confirmada pela prefeitura, também vai gerar prejuízo aos cofres públicos. Segundo fontes da Coluna, custos com o novo contrato, e as despesas comuns nessas mudanças são estimados em cerca de R$ 4 milhões, algo em torno de 30% do custo total do serviço, anunciado durante seu lançamento em outubro do ano passado, em R$ 13,4 milhões.


Ferruada 3 Com as obras paradas desde o começo de abril, mês previsto para a entrega dos serviços, conclusão vira um mistério de prazos e custos totais. Agora é aguardar a secretaria de infraestrutura (Seinfra), fiscal da obra, informar o novo cronograma físico-financeiro.


Ferruada 4 O viaduto é mais uma pedra no sapato do alcaide Antonio Elinaldo, na sua caminhada para a reeleição. O mais grave é que o incômodo tem sempre a pasta comandada pela secretária Joselene Cardim, campeã no ranking municipal de prazos atropelados e consequentemente aumento de custos.


Ferruada 5 O desempenho da doutora não foi diferente na requalificação da avenida Jorge Amado. Atrasos e custos crescentes no cronograma físico-financeiro da avenida de entrada da cidade terminaram por manquejar a imagem da gestão com resultados negativos nas urnas de 2018, ano eleitoral igual a esse 2020.


Zumbido Mesmo com falhas no formato, a Live de lançamento do Programa Participativo de Governo (PGP) da candidata petista Ivoneide Caetano não deixou de ser um passo no fortalecimento do seu nome na disputa pela prefeitura de Camaçari.


Zumbido 2 A transmissão de pouco mais de 90 minutos, e acompanhada por “quase 2 mil pessoas”, segundo o apresentador da Live, o esposo da candidata e ex-prefeito Luiz Caetano, serviu muito mais como mobilizador da militância. O excesso de discursos e a pouca objetividade do roteiro não ajudaram a entender o que é, como será construído esse programa, e onde ele, o eleitor/morador entra como elemento efetivo nessa sempre difícil engenharia de construção de um cronograma de governo feito com a participação do povo.


Zumbido 3 Com o tema saúde, o PGP inicia nesta quarta-feira (10), a partir das 17h30, a série de debates sobre temas principais. Com mais dificuldades que o encontro presencial, a construção do PGP nos moldes virtuais vai exigir muita mobilização para não virar uma proposta construída exclusivamente pelos partidos da base da candidata petista.


Zumbido 4 Sem essa preocupação, o PGP pode cair no mesmo vazio do Orçamento Participativo. Implantado na 2ª gestão Caetano (2005/2008), o OP e suas propostas de obras e serviços  indicados pela população terminaram sendo deletados pelas demandas da política.


Zumbido 5  Quem não participou da Live do PGP foi o vereador Téo Ribeiro. Segundo apurou a Coluna, o único petista que não bateu ponto na transmissão alegou problemas de conexão de internet na região de Monte Gordo, onde tem casa.


Zumbido 6  Essa não é  a versão de petistas ouvidos pela Coluna. Acostumados com as oscilações entre amor e ódio, do decano vereador com ex-prefeito Caetano, dizem que interferência na conexão foi provocada pelo intenso movimento de outras abelhas não habitantes no criatório mantido pelo petista.


Zumbido 7 Desconforto, que aparece de forma mais intensa com Téo, vem ferroando os outros 3 vereadores do PT. O aumento do espaço e a autonomia para voos dado pelo 3 vezes prefeito às novas lideranças petistas também vem interferindo na polinização da atual base na Câmara.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


8/6/2020 -

 







 







Ferruada O destrato da prefeitura de Camaçari com a construtora Andrade Mendonça, vencedora da licitação para construção da duplicação do viaduto do Trabalhador, não vai representar apenas atraso na melhoria da mobilidade na entrada principal da cidade-sede do maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul.


Ferruada 2 Suspensão das obras, antecipada pelo Camaçarico (Confira), e posteriormente confirmada pela prefeitura, também vai gerar prejuízo aos cofres públicos. Segundo fontes da Coluna, custos com o novo contrato, e as despesas comuns nessas mudanças são estimados em cerca de R$ 4 milhões, algo em torno de 30% do custo total do serviço, anunciado durante seu lançamento em outubro do ano passado, em R$ 13,4 milhões.


Ferruada 3 Com as obras paradas desde o começo de abril, mês previsto para a entrega dos serviços, conclusão vira um mistério de prazos e custos totais. Agora é aguardar a secretaria de infraestrutura (Seinfra), fiscal da obra, informar o novo cronograma físico-financeiro.


Ferruada 4 O viaduto é mais uma pedra no sapato do alcaide Antonio Elinaldo, na sua caminhada para a reeleição. O mais grave é que o incômodo tem sempre a pasta comandada pela secretária Joselene Cardim, campeã no ranking municipal de prazos atropelados e consequentemente aumento de custos.


Ferruada 5 O desempenho da doutora não foi diferente na requalificação da avenida Jorge Amado. Atrasos e custos crescentes no cronograma físico-financeiro da avenida de entrada da cidade terminaram por manquejar a imagem da gestão com resultados negativos nas urnas de 2018, ano eleitoral igual a esse 2020.


Zumbido Mesmo com falhas no formato, a Live de lançamento do Programa Participativo de Governo (PGP) da candidata petista Ivoneide Caetano não deixou de ser um passo no fortalecimento do seu nome na disputa pela prefeitura de Camaçari.


Zumbido 2 A transmissão de pouco mais de 90 minutos, e acompanhada por “quase 2 mil pessoas”, segundo o apresentador da Live, o esposo da candidata e ex-prefeito Luiz Caetano, serviu muito mais como mobilizador da militância. O excesso de discursos e a pouca objetividade do roteiro não ajudaram a entender o que é, como será construído esse programa, e onde ele, o eleitor/morador entra como elemento efetivo nessa sempre difícil engenharia de construção de um cronograma de governo feito com a participação do povo.


Zumbido 3 Com o tema saúde, o PGP inicia nesta quarta-feira (10), a partir das 17h30, a série de debates sobre temas principais. Com mais dificuldades que o encontro presencial, a construção do PGP nos moldes virtuais vai exigir muita mobilização para não virar uma proposta construída exclusivamente pelos partidos da base da candidata petista.


Zumbido 4 Sem essa preocupação, o PGP pode cair no mesmo vazio do Orçamento Participativo. Implantado na 2ª gestão Caetano (2005/2008), o OP e suas propostas de obras e serviços  indicados pela população terminaram sendo deletados pelas demandas da política.


Zumbido 5  Quem não participou da Live do PGP foi o vereador Téo Ribeiro. Segundo apurou a Coluna, o único petista que não bateu ponto na transmissão alegou problemas de conexão de internet na região de Monte Gordo, onde tem casa.


Zumbido 6  Essa não é  a versão de petistas ouvidos pela Coluna. Acostumados com as oscilações entre amor e ódio, do decano vereador com ex-prefeito Caetano, dizem que interferência na conexão foi provocada pelo intenso movimento de outras abelhas não habitantes no criatório mantido pelo petista.


Zumbido 7 Desconforto, que aparece de forma mais intensa com Téo, vem ferroando os outros 3 vereadores do PT. O aumento do espaço e a autonomia para voos dado pelo 3 vezes prefeito às novas lideranças petistas também vem interferindo na polinização da atual base na Câmara.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


8/6/2020 

 







Calculadora Chama a atenção a discrepância dos registros da secretaria de saúde do estado (Sesab) e a realidade de Camaçari. No último boletim da Sesab, atualizado no final da tarde desta quinta-feira (4), Camaçari aparece com 286 casos confirmados e 6 óbitos.


Calculadora 2 Defasagem, que em relação a Camaçari, com 365 casos e 15 óbitos, de acordo com o último boletim da Sesau desta quinta-feira (4), chega a 79 casos e mais que o dobro de mortes. Essa diferença não deve ser exclusividade do município, acreditam técnicos da secretaria do município ouvidos pela Coluna. De acordo com o boletim nº 72 da Sesab, a Bahia soma 23.463 casos e 790 óbitos registrados em 322 dos 417 municípios do estado.


Calculadora 3 A secretaria de saúde de Camaçari (Sesau) não  fala, mas a Coluna apurou que a expectativa de pico no número de casos no município deve ocorrer em meados desse mês de junho. Ninguém arrisca uma centena.


Configuração  Nesses tempos de pandemia, a disputa eleitoral em Camaçari ganhou componentes diferenciados e vem mostrando com mais intensidade as novas lideranças envolvidas na disputa pelas 21 cadeiras na Câmara de Vereadores.  


Configuração 2 A Coluna anotou 3 nomes: o administrador Jamesson da Silva (PSL) e os petistas Mário Neves, professor e ex-secretário de educação; e o bacharel em Direito e ex-diretor do Ceped, Tagner Cerqueira.


Configuração 3 Diferente da maioria dos candidatos e vereadores com mandato, acuada pelo coronavírus, que impôs o isolamento social, esse time segue avançando e conquistando novos espaços. Com presença intensa nas redes sociais e usando a mais nova ferramenta ´receitada` pelo Covid-19, a Live, essas novas lideranças sinalizam a presença de um ´vírus` que tende a promover mudanças profundas no Legislativo de Camaçari.


Off-line Quem anda sumido, desde os primeiros sinais mais intensos do Covid-19, é o vice-prefeito José Tude (DEM). Incluído no chamado grupo de risco, o 3 vezes prefeito setentão radicalizou no isolamento social. Vacinado contra riscos e desgastes políticos que a pandemia pode causar, Tude não é visto nem nos espaços online, participando de debates e manifestações, comuns nesses tempos de Lives.


Lexotan  O Instituto Paraná divulga segunda-feira (8), uma nova pesquisa sobre a sucessão municipal em Camaçari. Registrado terça-feira (2), no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), levantamento que começou as escutas telefônicas na quarta-feira (3), também vai perguntar ao eleitor sobre a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM). A coleta recolhe até sábado (6), as opiniões de eleitores, da sede, orla e zona rural.


Braziuuuuuu Exatos 10 anos depois, muito pouco mudou com a Lei da Ficha Limpa. Festejada neste 4 de junho, véspera do dia Mundial do Meio Ambiente, Lei que retirou o direito de participar do processo eleitoral, condenados por crimes contra o patrimônio público e outras irregularidades, segue sem a força necessária, bem ao jeitinho brasileiro.


Braziuuuuuu 2 Sem entender a necessidade de sanear a política desses maus exemplos, população insiste em manter essa cadeia de desmandos. Ao abrir mão do seu poder de renovar, recoloca de volta na fila do poder, justamente quem deveria expurgar.


Braziuuuuuu 3 Mesmo impedidos de disputar o voto e retomarem formalmente o poder, esses políticos seguem como se quase nada mudou, indicando parentes, cônjuges e aliados como substitutos, verdadeiros laranjas.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


4/6/2020 Atualização às 18h57

 







Concreto As obras de duplicação do viaduto do Trabalhador, principal entrada de Camaçari, seguem sem previsão de conclusão. Iniciadas em outubro do ano passado, e com prazo de entrega no mês de abril, serviços orçados em R$ 13,4 milhões, estão parados e sem data para finalização.


Concreto 2 Segundo apurou a Coluna, a Construtora Andrade Mendonça LTDA, vencedora da licitação, atravessa problemas financeiros e deve ser substituída pela construtora Celi, 2ª colocada na licitação. A Coluna tentou obter maiores detalhes sobre o processo de suspensão do contrato.


Concreto 3 Até o fechamento do Camaçarico, a secretária de infraestrutura, Joselene Cardim, não havia respondido aos questionamentos sobre estágio da obra, quanto já foi gasto, o valor recebido pela construtora, a previsão para a retomada da cronograma, e o novo prazo para a conclusão dos trabalhos.


Destrava  Não foi fácil, mas o alcaide Antonio Elinaldo (DEM), finalmente adotou medidas duras e necessárias, que poderiam ter sido aplicadas desde o começo de maio. Fechar a Feira de Camaçari, principal polo de movimento de pessoas no coração da sede do município, e a decretação do toque de recolher são ações necessárias e indispensáveis, independente do vírus da política e toda a sua cadeia de contaminação.


Destrava 2 O início da adoção de medidas efetivas para conter o avanço do Covid-19 nas regiões de Vila de Abrantes, e alguns bairros da sede e orla, completam esse pacote corajoso, com efeitos futuros no “achatamento da curva”, como gostam de dizer as autoridades médicas.


Destrava 3 Agora é intensificar os testes e a fiscalização nos bairros, punindo os donos de estabelecimentos de qualquer perfil de atividade que insistem em desrespeitar a Lei. Cobrar das lideranças religiosas o cumprimento do distanciamento e lotação dos templos também é missão acima dos pecados. Manter as decisões e endurecer com todos os segmentos é a certeza de que a gestão não será responsável pelo avanço do coronavírus no município, que segundo o último boletim emitido nesta segunda-feira (1), conta 255 casos e 10 òbitos.


Destrava 4 Ceder às pressões de setores preocupados apenas com seus lucros é tudo que a luta contra o coronavírus não quer. Esse atraso não gera apenas preço alto para a saúde da população. O avanço dos adversários do alcaide, que deixaram a imobilidade da quarentena, justamente pela lacuna na adoção dessas medidas, é uma das marcas dessa demora. Com tudo novo para aprender com essa pandemia, é missão do gestor manter a conexão com as experiências adotadas em outras cidades que estão vencendo a luta contra o Covid-19.


Simbólico Camaçari pode ter dois representantes no Conselho de Cultura do Estado da Bahia (CEC-BA). O líder religioso do candomblé, Tata Ricardo, e o produtor cultural Bispo da Cultura, ex-representantes do Conselho Municipal de Cultura de Camaçari, disputam cadeiras diferentes. Bispo concorre na vaga de conselheiro do “território de identidade” da Região Metropolitana de Salvador, enquanto Tata Ricardo pleiteia uma vaga no segmento “patrimônio imaterial”.


Simbólico 2 Camaçari nunca teve assento titular no CEC. Quem chegou mais perto foi a ex-secretária de cultura do município, Elisângela Sena, suplente do segmento “culturas populares”.


Simbólico 3 As inscrições de eleitores é via internet e podem ser feitas até noite desta segunda-feira (1) pelo site do CEC-BA. A votação, também de forma remota, acontece no próximo dia 30. Os conselheiros estaduais, com mandato até 2023, não recebem jeton. Terão direito apenas a restituição de custos com passagem, deslocamentos e outras despesas.


Simbólico 4 Pelo visto, o Conselho de Cultura do Estado da Bahia não precisa apenas de uma renovação urgente. Carece de um conselheiro gramatical. No site da entidade, o CEC-BA fala em eleições, informa datas, prazos de inscrição, e lista os Territórios e Segmentos Culturais que “possuem acento” no colegiado. Atrapalhado, o prestigiado conselho troca a palavra “acento”, referente ao sinal gráfico, pela expressão correta, “assento”, que designa o móvel onde os conselheiros sentam.


Hoje e Sempre Resgatar a credibilidade das instituições e imprimir força à democracia é missão da imprensa. Mas, essa luta não é apenas dos profissionais que hoje são lembrados justamente no dia da 1º publicação do Correio Braziliense, editada em 1808, pelo brasileiro Hipólito José da Costa.  Sociedade e governo também precisam fazer sua parte.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


1/6/2020

 







Alerta  “Nós precisamos estabilizar também esse gráfico de Camaçari, que continua com uma taxa muito alta”. O puxão de orelha, mesmo em tom de alerta e preocupação, é do governador Rui Costa e foi aplicado na estrutura de combate ao coronavírus no município, durante live realizada na quarta-feira (27).  


Alerta 2 O petista não falou por falar. Segundo apurou a Coluna, o Centro Intensivo de Combate ao Coronavírus (CICC) está com todos os seus 10 leitos de UTI e os 6 de semi-UTI, ocupados. Limite também atinge as 5 UTIs do Hospital Santa Helena (HSH), da rede particular. Ainda segundo fontes do Camaçarico, o governo municipal busca caminhos. A ampliação da capacidade de UTIs do HSH é uma das alternativas para garantir atendimento aos casos  crescentes de vítimas da Covid-19 no município.


Alerta 3  Com o Centro Intermediário de Combate ao Coronavírus, prometido para o começo do mês, mas com previsão de início de funcionamento só nos próximos dias, Camaçari entra na lista dos municípios com o sistema no limite do estrangulamento.


Alerta 4 Com números crescentes, que até o começo da noite desta quinta-feira (28), mostravam 190 casos confirmados e 9 óbitos, Camaçari fica muito próxima do exemplo da cidade que descuidou do dever de casa da prevenção, amolecendo no cumprimento da lei baixada pelo próprio alcaide Antonio Elinaldo (DEM).


Alerta 5 Chama a atenção nessa contribuição, os comerciantes de atividades não essenciais. Apoiados pela omissão da fiscalização da gestão, esses comerciantes seguem contribuindo com o crescimento das curvas da contaminação e dos óbitos.


Alerta 6 Esse é o preço da leniência da gestão com esses maus empresários, aí incluídos os permissionários da Feira de Camaçari. Esse descuido, não é novidade e virou tema diário nas redes sociais. A movimentada de segunda-feira (25), na praia de Itacimirim, o funcionamento das lojas de artigos para o lar, de material de construção e dos bares, são exemplos só do triplo feriado encerrado na quarta-feira (27). 


Alerta 7 Nessa clara tentativa de se equilibrar entre as recomendações da Organização Mundial de Saúde e as pressões da política miúda, gestão termina descuidando da realização de ações enérgicas e necessárias para manter a população em casa e evitar aglomerações.


Alerta 8 Movimento equivocado da atual gestão vira munição para os adversários que, imobilizados com o isolamento exigido pela pandemia, tentam compensar com ações de artilharia nas redes sociais. Sabem que o erro grave do adversário pode ser mortal e decisivo para o boletim que vai definir o quadro sucessório.


Alerta 9 Infelizmente, o atual governo municipal segue a tradição das últimas gestões e mantém uma máquina viciada e ineficiente. O coronavírus apenas expõe a Camaçari onde o jeitinho é a lei, sempre alimentado pelos cofres municipais.


Reprovados O artigo “Além de uma quase coincidência”, do professor e historiador Diego Copque, é mais um atestado do descuido dos governantes de Camaçari com a memória da cidade. Postado na seção Colunistas do Camaçari Agora (Confira), texto lembra que Camaçari precisa resgatar sua data de fundação, que segundo o pesquisador é comprovada com registros de 29 de maio de 1558.


Reprovados 2 No texto, o pesquisador registra que Camaçari tem duas datas. O conhecido e festejado 28 de Setembro, quando a cidade comemora com fanfarras e desfiles escolares, a emancipação, e o 29 de maio, que amanhã completa 462 anos de fundação.


Reprovados 3 O próprio Diego Copque é vítima desse descaso. O autor do livro "Do Joanes ao Jacuípe, uma história de muitas querelas, tensões e disputas locais", espera o apoio do município, desde o ano passado, para transformar sua pesquisa em documento.


Reprovados 4 Ao negar apoio a importante publicação, a gestão do alcaide Antonio Elinaldo vai muito além da contribuição para o empobrecimento bibliográfico de uma cidade que pouco sabe sobre seu passado. Graças a sua equipe de assessores desconectados e que ampliam esse deserto marretando parte da história que ainda existia, a gestão pratica uma ação política de contribuição para alienação e estimulo à ignorância.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


28/5/2020

 





Máscara

Máscara Mesmo ainda sem pacientes, o centro intermediário de enfrentamento ao coronavírus de Camaçari já apresenta sinais de contaminação. É o que mostra o contrato de gestão da unidade, assinado no final do mês passado, entre a secretaria de saúde do município (Sesau) e Santa Casa de Misericórdia de Oliveira dos Campinhos, estrutura do Instituto de Saúde Nossa Senhora da Vitoria (INSV). Com validade de 90 dias e valor total de pouco mais de R$ 4,2 milhões, contrato chama a atenção pelo adiantamento de R$ 1,9 milhão, quase 50% dos gastos estimados pelo município de Camaçari com a unidade.


Máscara 2 Segundo fontes ouvidas pela Coluna, essa antecipação não é comum, mesmo em casos emergenciais. Garantem que esses custos com adequação do espaço, instalação de equipamentos, seleção e treinamento de pessoal, e outras despesas, deveriam ser bancados pelo contratado, no caso o INSV.


Máscara 3  Ainda segundo essas mesmas fontes, acostumadas com números e procedimentos, o contratado, no caso o instituto com sede no povoado de Oliveira dos Campinhos, cidade de Santo Amaro da Purificação, precisa ter capacidade financeira para bancar esses custos, que geralmente são diluídos no decorrer do contrato.


Máscara 4 Prometido para começo de maio e ainda sem data para inauguração, unidade que vai funcionar no antigo Hospital da Mulher terá 20 leitos de observação e capacidade de atendimento para até 60 pacientes. Até o fechamento da Coluna, a Sesau não havia respondido os questionamentos sobre participação de outras entidades no processo de contratação para gestão do centro intermediário, e os motivos para a antecipação de quase metade do valor total do contrato.


Finalmente  A Câmara de Vereadores de Camaçari demorou para entender seu papel como formulador e fiscalizador nessa pandemia do Covid-19. Depois dos muito alertas do Camaçarico, desde o começo de abril (Confira), e das cobranças nas redes sociais, a Casa do Povo resolveu adotar as sessões virtuais.


Finalmente  2 Os trabalhos serão retomados na próxima terça-feira (26). Transmissão será no prédio do Legislativo, com cada um dos 21 vereadores falando de seus gabinetes. Sessão transmitida pela TV Câmara Canal 25.1, e redes sociais, permitirá a população assistir os debates.


Finalmente 3 Desde março, o Legislativo realizou algumas sessões relâmpago, para  aprovar medidas e proposições do alcaide Antonio Elinaldo (DEM). Acomodada e sob a máscara do coronavírus, a maioria dos vereadores, governistas e oposicionistas pouco se mexeu para conectar  o Legislativo a essa nova e necessária realidade. Agora, terão a oportunidade de voltar a cumprir seu papel constitucional, buscando junto com o Executivo e sociedade os melhores caminhos e soluções para enfrentar o coronavírus e suas consequências no município.


Tudo como dantes O distrito de Vila de Abrantes, região cortada pela estrada do Coco (BA-099), em Camaçari, segue em destaque nos casos de contaminação pelo Covid-19. Vizinha a Lauro de Freitas, uma das cidades campeãs de casos de contaminação no estado, região registra números diferenciados.


Tudo como dantes 2 Deacordo com o último boletim da secretaria de saúde do município (Sesau), região que vai até Arembepe (9 casos), é a campeã com um total de 53 registros, o que equivale a 40% dos 132 registros em todo o município. Distrito, que também tem metade das 6 mortes oficiais em toda a Camaçari, conta 32 registros nas localidades conhecidas como Vila de Arbrantes (17 casos), e outros 15 na vizinha Catu de Abrantes.


Tudo como dantes 3 Mesmo com números incomuns, não se tem notícia de ações mais intensas da Sesau na região, como barreiras sanitárias, realização de testagem da população e outras práticas mais amplas e duras para conter o avanço do Covid-19 na região.


Distanciamento O ex-deputado estadual Bira Coroa está fora da campanha da candidata petista do seu partido em Camaçari, a advogada Ivoveide Caetano. Segue em quarentena e só vai para o corpo a corpo na  campanha de reeleição do vereador José Mardelino. Hoje na 2ª suplência, Bira aguarda a movimentação de Rui no primeiro escalão e os resultados das urnas, com a eleição de deputados para o comando de algumas cidades, quando espera voltar  à Assembleia Legislativa.


Distanciamento 2 Já o 3 vezes alcaide de Camaçari, e esposo da candidata petista, o também ex-deputado Luiz Caetano, anda reclamando do isolamento que vem sofrendo por parte do governador. Acha que Rui Costa poderia reduzir a fita métrica política e ampliar a contaminação do seu bem avaliado governo em favor de Ivoneide. 


Distanciamento 3 Mesmo sem o contato mais próximo, comum noutros 22 de maio, Dia do Abraço, o encontro do alcaide Antonio Elinaldo (DEM) com o vereador petista Jackson Josué não ficou sem clima de carinho. Jackson participou, na tarde desta sexta-feira, da inauguração da Unidade Básica de Saúde (UBS) de Barra do Jacuípe, orla do município, ao lado do secretário estadual de saúde, Fábio Villas Boas, que representou o governador.


Números A população de Camaçari segue apoiando a luta contra o coronavírus e  todas as medidas adotadas pelo município para conter o avanço da doença. Pesquisa realizada entre os dias 8 e 12  deste mês, pelo Instituto Elege, que a Coluna teve acesso, mostra que a maioria está preocupada com a pandemia. Dos quase 1 mil moradores ouvidos na sede, orla e zona rural do município, 75% são contrários a reabertura de todo o comércio e atividades, como  lojas, academias e salões de beleza. Número  ainda maior (88,7%) defende a manutenção das escolas fechadas.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


22/5/2020 Atualização às 20h22

 





Contaminação

Contaminação A atividade empresarial formal, no segmento de transportes de passageiros  em Camaçari, com pagamento de impostos e todas as garantias necessárias, caminha para a extinção. A  crise provocada pela pandemia do Covid-19, foi apenas o último passageiro da Viação Cidade Industrial (VCI), que  retira seus ônibus da rua a partir de quinta-feira (21).


Contaminação 2 Com a medida, comunicada aos funcionários na última segunda-feira (18), o sistema legalizado de transporte no município passa a contar apenas com a Cooastac. Cooperativa de veículos, que roda com dificuldades ainda maiores, vai "assumir" as linhas deixadas pela VCI, segundo informe oficial da prefeitura do município.


Contaminação 3  Com a  decisão da VCI, sistema de transporte por ônibus no município-sede do maior complexo industrial intregrado do Hemisfério Sul, se já era precário, passa a ser operado quase que na sua integralidade pelos clandestinos.


Contaminação 4 Operando no vermelho mesmo antes da pandemia, a empresa que já contou com 140 ônibus, hoje opera com menos de 20 veículos. Nessa conta de diminuir, mais de 50 trabalhadores da VCI já foram demitidos. Cortes devam avançar com a impossibilidade de transferir trabalhadores do município para outras linhas que atendem cidades da Região Metropolitana de Salvador.


Contaminação 5 Crise é velha e tem combustível na indefinição do poder municipal. Sem política de mobilidade, Camaçari avança na oferta de serviços clandestinos, dominado no município pelo ´ligeirinho´, com seus padrinhos dentro do próprio governo e na Câmara de Vereadores. Segundo apurou a Coluna, sistema com veículos sem licença para transportar passageiros, inspeção e outras garantias indispensáveis para atuar no setor, conta com mais de 400 veículos.


Igual e diferente Apesar do crescimento lento em relação a outras cidades do estado, com população menor,  Camaçari passa a impressão que o município exibe uma situação de efetiva redução e controle da doença. Essa sensação se reforça quando a secretaria de saúde do município (Sesau) exibe formato gráfico sobre a incidência semanal do Covid-19, prática comum no protocolo oficial sobre doenças transmissíveis. De acordo com o último boletim da Sesau, divulgado na noite de terça-feira (19), município tem 113 casos oficias de contaminados e 6 mortes.


Igual e diferente 2 Ao contrário das campanhas do distanciamento social, dos cuidados, e do decreto da prefeitura que proíbe o funcionamento de parte do comércio e outras atividades produtivas no município, divulgação dos dados oficiais nesse formato parecem destacar justamente outro caminho.


Igual e diferente 3 Nesses gráficos a Sesau deveria exibir o acumulado de casos confirmados, destacando a curva ascendente e real, justamente para que a população entenda a necessidade de manter o isolamento. Mas, não é o que acontece. Nos seus Boletins, a secretaria de saúde do município usa esses mesmos números numa construção visual que passa a impressão de que os casos estão em queda.


Igual e diferente 4 Para facilitar esse entendimento, a Coluna exibe um gráfico, com os mesmos números e períodos apresentados no Boletim. Os registros se referem ao período  compreendido  entre a 12ª semana (15 a 21 de março), e 21ª semana, iniciada dia 17 de maio e que deve ser encerrada dia 23.


Igual e diferente 5 Nos dois gráficos ao lado, o reproduzido no site da prefeitura (Acima), e o produzido pela Coluna (Abaixo), transmitem leituras diversas. Diferente do gráfico usado pela prefeitura, onde aparecem os picos por semana, com o sobe e desce dos números, no gráfico feito pelo Camaçarico, a curva de crescimento dos casos aparece de forma real e incontestável. Felizmente, a confusão oficial sobre o Covid-19 no município ficou menor com a supressão de outro gráfico, sobre os casos confirmados, recuperados e óbitos, exibido até o Boletim do dia 18.


Igual e diferente 6  Ampliar essa transparência não é apenas necessária para reforçar a luta contra o Covid-19. É fundamental para que a população entenda que ela precisa saber a verdade de forma clara.


Precarização A pandemia do Covid-19 começa a ampliar seus reflexos negativos no mercado de trabalho. Empresa de seleção de mão de obra está oferecendo contrato temporário com salário de pouco mais de 1,5 Salário Mínimo, R$ 1.675,24 mil + vale transporte, para assistente social que more em Camaçari.


Precarização 2 De acordo com informações postadas no site da empresa intermediadora de mão de obra, o profissional da Assistência Social será contratado para para trabalhar num grande hospital localizado no bairro Camaçari de Dentro. Vai atuar na linha de frente, realizando o trabalho de admissão de paciente Covid-19, registro de óbito e outras funções relacionadas ao coronavírus.


Precarização 3 Valor oferecido pelo hospital para contrato com carga de 30 horas semanais, segundo apurou a Coluna, fica abaixo da média de 2,5 SMs (R$ 2.600) pagos na iniciativa privada, que chega a remunerar esses profissionais em até R$ 4,5 mil.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


20/5/2020

 

Clique na imagem para ampliar






Alerta Enquanto Salvador e outras cidades da Região Metropolitana seguem ampliando as restrições, Camaçari parece viver numa ilha de isolamento e segurança, como se estivesse no estágio da volta gradual à normalidade, com a estabilização, o controle, e a redução dos casos, comuns no pós-pico do Covid-19.


Alerta 2 Na sexta-feira (15), e até o final da manhã deste sábado (16), a região central da sede do município, onde estão a feira e a maioria das lojas e pontos comerciais da cidade, parecia viver um dia quase normal. O grande movimento de pessoas nas ruas, estacionamentos de veículos lotados, pontos de aglomeração, e boa parte do comércio aberto, atestavam que o decreto do alcaide Antonio Elinaldo (DEM), com validade recalibrada até o final do mês, não passa de uma determinação placebo.


Alerta 3 Com bares, lojas de roupas, de calçados, de móveis e eletrodomésticos, e até de artigos para o lar, todos proibidos de funcionar, mas em plena atividade, Camaçari atesta seu descompromisso e acende acende a luz amarela. Até a Feira de Camaçari, xodó do alcaide, segue operando sem restrições. No piso superior as lojas de roupas, eletroeletrônicos e de outras mercadorias, não sabem o que é o decreto que deveria  manter esses segmento fechado. Na área dos restaurantes alguns boxes seguem com os fogões ligados. Até as barbearias, outro segmento proíbido, embelezam clientes despreocupados e seguros de que a lei não é pra valer por lá. Mesmo autorizados, os pontos de vendas de frutas e demais alimentos não exibem o menor controle de distanciamento e higiene.


Alerta 4 Nessa epidemia de irresponsabilidade sobre os riscos da doença e os prejuízos para a saúde da população, e para os cofres do município, não apenas o cidadão comum e segmentos, como o do comércio, que promove até carreta pela reabertura das lojas, apresenta dificuldades de encontrar seu lugar nesse conjunto de entendimento das suas obrigações. A prefeitura dá a sua ajuda com a ausência de fiscalização e ações mais duras e concretas de restrição e conscientização dos riscos do Covid-19.


Alerta 5 Mas, parte significativa da população segue consciente e cobrando. Durante Live do alcaide Antonio Elinaldo, no começo da noite de sexta-feira (15), onde ele respondeu perguntas previamente gravadas da imprensa, não foram poucas as reclamações sobre o funcionamento do comércio. Internautas aproveitaram a interação através das redes sociais para cobrar fiscalização de bares e lojas.


Alerta 6 Depois da desastrada ação fiscalizadora comandada pela secretaria de desenvolvimento urbano (Sedur), o anúncio da formação de uma força-tarefa parece ser o ´remédio` que faltava. Comandada pelo chefe da Superintendência de Trânsito e Transportes (STT), Alfredo castro, estrutura precisa ser o sinal de que o governo municipal entendeu que só anunciar construção de estrutura para atender os doentes, distribuir cestas básicas e outras ações de caráter educativo não são suficientes para virar o jogo. Escolha, justamente do coronel e ex-comandante-geral da PM, no comando dessa  força-tarefa pode ser a pressão que faltava.


Alerta 7 Decisão é tomada justamente quando os números avançam. Atualização feita pela secretaria de saúde do estado (Sesab) mostra que Camaçari já registra 100 casos de contaminação. O número é diferente do boletim da pasta municipal (Sesau), distribuído no começo da noite de sexta-feira (15), que contava 91 casos. Na comparação com segunda-feira (11), quando o município somava 74 registros oficiais, aumento de 26 casos representa um salto de 35% em 5 dias.


Alerta 8 Números crescentes mostram que as ações da prefeitura precisam ser intensificadas. Barrar o avanço do coronavírus com medidas duras, como o toque de recolher, determinando o fechamento de toda as atividades comerciais, com exceção das farmácias, das 20h às 5h da manhã do dia seguinte, já adotado em Lauro de Freitas, e outras cidades, integra um conjunto de medidas necessárias e urgentes. Camaçari não é uma ilha. Está muito próximo e conectado com Salvador, com quase 5 mil casos, e a Lauro, com 192 registros. Interligado a Lauro, justamente pela orla e zona rural do município, Camaçari exibe nessas regiões um índice de contaminados acima da média.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


16/5/2020

 







Sinal vermelho Mesmo com todos os alertas, placas e até barreiras indicando irregularidades, inclusive no sensor do Ministério Público (MP), o processo licitatório, comandado pelo município de Camamari, no valor de R$ 375 mil, para contratação de equipamentos de sinalização para a Superintendência de Trânsito e Transportes de Camaçari (STT), parece ignorar os alertas e segue sem compromisso com os princípios constitucionais da Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência na coisa pública.


Sinal vermelho 2 É o que comprova o Diário Oficial nº 1412, de terça-feira (12), que na página 14 publica a Portaria 055/2020. Assinada pelo superintendente da STT, coronel-PM Alfredo Casto, ato publicado justamente um dia após a denúncia da Coluna (Confira), designa o servidor Jailson Cursino de Souza para fiscalizar a execução do contrato vencido pela B.E. Santana Serviços de Informática LTDA, de propriedade do servidor lotado na Segov, Paulo Magno.


Sinal vermelho 3 Fontes da Coluna, com experiência em gestão e conscientes dos novos mecanismos externos de controle praticados pelo MP, garantem que o caso é para cancelamento imediato da licitação. Ainda segundo essas mesmas fontes, inclusive quadros da atual gestão municipal, causa estranheza a mudez do alcaide Antonio Elinaldo (DEM).


Acerto Finalmente, o governo de Camaçari avançou de forma eficaz e necessária na transparência com os gastos do erário público, independente de ser dinheiro municipal, estadual ou federal, com a prevenção e combate ao Covid-19 no município. Com a comissão de acompanhamento das medidas de enfrentamento à Covid-19 (Camec), os riscos de traquinagens com o sagrado dinheiro que salva vidas ganha um forte antivírus.


Acerto 2 Com esse time, formado por técnicos das secretarias de saúde (Sesau), fazenda (Sefaz), administração (Secad), controladoria (CGM), e da comissão de Licitação (Compel), município precisa avançar com a publicação das contas do coronavírus num único espaço no site da prefeitura, como sugeriu no começo de abril a Coluna (Confira). Afinal, mostra os números para o patrão, o munícipe, é obrigação.


Acerto 3 Com os casos de contaminação e os óbitos pelo Covid-19 aumentando, a prefeitura de Camaçari não teve outro caminho senão prorrogar até o dia 31 de maio as medidas restritivas ao funcionamento do comércio. Decreto assinado pelo alcaide Antonio Elinaldo foi publicado na atrde desta quarta-feira (13).


Vírus A estrutura de comunicação do governo do alcaide de Camaçari, Antonio Elinaldo (DEM), continua inovando e conectando o chefe ao atraso, com todos os seus reflexos políticos negativos  gerados por decisões equivocadas. O mais novo insight, provavelmente imaginado por algum guru e seus oráculos fake, foi o lançamento da entrevista “coletiva virtual”.


Vírus 2 Marcada para a próxima sexta-feira (15), a partir das 17h, conversa com o gestor de Camaçari será ao vivo, mas sem a presença simultânea dos profissionais de imprensa fazendo perguntas.


Vírus 3  Com o perigoso e condenável filtro da ausência da interação direta, já que as perguntas sobre sua gestão na prevenção e combate ao Covid-19 serão enviadas em vídeo gravado, até às 12h de sexta-feira, portanto 5 horas de antecedência, a ´Live` do alcaide exibe um modelo com mecanismos de confinamento e restrição. Para usar o termo da moda seria uma entrevista coletiva Lockdown.


Vírus 4 Apesar dos tempos da conexão simultânea e interativa com diversas pessoas, a assessoria do alcaide prefere que ele passe longe das plataformas que assegurem essas conversas de forma livre e sem censura, como exige a transparência com a coisa pública e a política republicana.


Vírus 5 Facilmente disponibilizadas de forma gratuita na rede mundial de computadores, a Coluna lista entre as muitas opções, que aumentam a cada dia, o Google meet, o Microsoft teams, o Zoom meetings, e o Skype.


Vírus 6  Para evitar maiores atropelos, o Camaçarico sugere que essa entrevista coletiva siga a velha fórmula do presencial, mas com transmissão ao vivo pelas redes sociais do gestor de Camaçari. É só cumprir a regra e adotar as medidas de distanciamento e segurança exigidas pela sempre lembrada e citada Organização Mundial de Saúde (OMS). Realizar essa conversa de esclarecimentos e balanço das ações do Covid-19 no município,  utilizando o sistema de conexão simultânea e online, é outro caminho para que o demista Elinaldo não seja acusado de tentar exercer o perigoso e antidemocrático controle da informação.


Big brother  À quantas andam as câmeras de segurança do sistema de monitoramento administrado pela prefeitura. Nesses tempos de pandemia e necessidades crescentes de controle de movimento da população e obediências às regras de isolamento social, imagens desse sistema são de vital serventia. Inaugurado em meados de 2018, o centro de operações de Camaçari (Cocam) contava na época, com anunciadas 900 câmeras espalhadas pela cidade.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


13/5/2020

 







Escorrego O titular da secretaria de governo de Camaçari (Segov), José Gama, não parece focado no princípio da moralidade e da impessoalidade com a coisa pública. Não dá para fazer outra leitura após o resultado do processo licitatório para contratação de equipamentos de sinalização para Superintendência de Trânsito e Transportes de Camaçari (STT).


Escorrego 2 Publicada no Diário Oficial nº 1401, de 24 de abril, o resultado do Pregão Presencial, número 02/2020 da STT, no valor de R$ 375 mil, exibe como vencedor a empresa B.E. Santana Serviços de Informática LTDA (Confira).


Escorrego 3 Uma simples consulta na internet mostra que a B. E. Santana tem como proprietário o Sr. Paulo Magno, assessor técnico da Segov, comandada pelo mesmo doutor Gama, titular da pasta que deveria ser olhos, ouvidos e, principalmente, filtro do governo do demista Antonio Elinaldo.  


Escorrego 4 O empresário e assessor lotado na Segov, desde janeiro de 2019, já sonhou com uma das 21 cadeiras da Câmara de Camaçari. Candidato a vereador pelo PSDC (Partido Social Democrata Cristão), Paulo da Informática, somou apenas 40 votos no pleito de 2016.


Escorrego 5 Segundo apurou a Coluna, o descuido do doutor Gama, responsável pelas publicações dos atos do governo municipal no D.O., já está na mira do Ministério Público Estadual (MPE). Ainda de acordo com fontes do Camaçarico, pedido de investigação, primeira fase desses procedimentos, foi solicitado ao MP de Camaçari pela promotora Rita Tourinho, do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Patrimônio e da Moralidade Administrativa (Gepam), sediado na capital.


Escorrego 6 Mesmo considerado cristão novo na política de Camaçari, o doutor Gama exibe trajetória veloz e ascendente no jogo do poder que cerca o alcaide Elinaldo. Vice-prefeito de Heliópolis, cidade distante cerca de 300 quilômetros de Camaçari, até o final de 2016, e ligado ao ex-deputado federal José Carlos Aleluia, Gama assumiu um posto de assessor já no começo do governo Elinado. Em abril de 2018 deu mais um salto para o comando da poderosa secretaria de governo, pasta que tem previsão orçamentária de cerca de R$ 56 milhões em 2020.


Sem capacete Continua longe da realidade, a proposta da prefeitura de Camaçari de ajudar, com cestas básicas, os profissionais autônomos do sistema de transporte, com suas atividades suspensas desde abril pela pandemia do coronavírus.


Sem capacete 2 O benefício, que começa a ser distribuído nesta terça-feira (12), deixa de fora a maioria da mais significativa e fragilizada parcela do segmento atingido pelas restrições impostas pelas normas de prevenção e combate ao Covid-19. Com uma frota formada por cerca de 800 mototaxistas, ajuda da prefeitura ignora o tamanho do setor, já que só vai beneficiar os cadastrados e regularizados, que não somam 100 profissionais.


Expresso-2021 Não espere para antes da próxima gestão municipal, a conclusão e entrega ao público do projeto de transformação da antiga estação de trens de Camaçari em espaço de cultura e memória da cidade. Anunciado semana passada como mais uma etapa do programa de requalificação do centro antigo de Camaçari, obra na antiga parada de trens não tem hora, muito menos dia para o apito de inauguração.


Expresso-2021 2 Apesar da simplicidade do projeto, que não pode desfigurar o histórico prédio, muito menos demolir, como criminosamente foi feito com o cinema e o casarão sede dos poderes municipais, reforma só começa depois da suspensão do “Estado de Calamidade Pública”, segundo a própria secretaria da cultura (Secult).


Expresso-2021 3 Como o “Estado de Calamidade Pública” tem prazo até dezembro, e o cronograma anunciado fala em 4 meses de serviços, inauguração do espaço, com verba federal de R$ 1 milhão, assegurada e engavetada desde o primeiro ano da gestão Elinaldo, só acontece em meados do próximo ano.


Exemplo O empresário Jose Macedônio, do ramo de alimentos, aplicou uma verdadeira ensaboada nos colegas do segmento de material para construção. Mesmo com toda a estrutura e custos baixíssimos, até agora não se tem notícia de qualquer projeto desse poderoso e abonado setor, de   instalação de lavatórios públicos para higienização da população, em especial moradores/cidadãos que vivem em situação de rua.


Exemplo 2 Fundamental nesses tempos de prevenção e combate ao Covid-19, ação de Macedônio, independente do estímulo extra da condição de pré-candidato a vereador pelo Republicanos, legenda da base do alcaide e candidato a reeleição Antonio Elinaldo, precisa ser copiada e ampliada. Segundo apurou a Coluna, projeto, que começou pela praça do Alto da Cruz, vai avançar para outros espaços públicos.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


11/5/2020

 







Risco A prefeitura de Camaçari segue sem informar de forma detalhada quanto já foi gasto com prevenção e combate ao Covid-19 no município. Ao ignorar a sugestão da Coluna (Confira), de criar um espaço específico no site do município para informar gastos e origem dos recursos detalhando fontes (federal, estadual e do próprio município), a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM) não parece preocupada com a contaminação posterior provocada pela falta de transparência, ainda mais em ano eleitoral.


Risco 2 Até agora, o que se sabe, são os números soltos apresentados pelas autoridades. Conta exibida semana passada, pelo doutor Luiz Duplat, secretário de saúde do município, citava a cifra de R$ 21 milhões. Desse valor, ainda segundo Duplat, titular da Sesau, desde o começo de abril, quando substituiu o também médico Elias Natan (PSDB), que retornou ao Legislativo, R$ 9 milhões foram gastos com o Centro Intensivo de Combate ao Coronavírus (CICC), instalado na antiga clínica Clirca.


Alívio Depois de suspender vantagens e até cortar salários de servidores, a prefeitura de Camaçari conseguiu assegurar um respiro nas contas dos seus colaboradores efetivos. Com o adiamento até julho, dos descontos em folha dos empréstimos consignados, servidores com contrato com a Caixa compensam as perdas com os cortes provocados pelo plano de redução de despesas do município para combater o Covid-19.


Alívio 2 De acordo com números que a Coluna teve acesso, medida atinge pouco mais da metade dos 5,5 mil servidores do município. Esse grupo representa cerca de R$ 2,1 milhões descontados mensalmente na folha, que agora ficam suspensos. Ficam fora desse respirador, os servidores com consignado em outros bancos e financeiras que somam prestações mensais de cerca de R$ 500 mil. Ainda dentro dessa matemática do perde menos, a quase a totalidade dos consignados morde 30% dos salários dos efetivos, índice limite estipulado pela lei para comprometimento da renda do servidor. 


Alívio 3 A realidade não é muito diferente no Instituto de Seguridade do Servidor de Camaçari. Dos pouco mais de 2 mil aposentados e pensionistas na folha do ISSM, cerca de 900 estão pendurados na Caixa, enquanto outros quase 300 aposentados e pensionistas estão fora desse alívio, por possuírem contrato consignado com o Bradesco. Assim como os efetivos, a maioria também usa o limite de 30% das aposentadorias e proventos para pagar as prestações dos empréstimos que somam mensalmente cerca de R$ 850 mil mensais.


Descompromisso A Superintendência de Trânsito e Transportes de Camaçari (STT) segue com seus agentes no ´plantão quarentena`, com 1 dia de trabalho e 9 de folga. Mesmo depois da denúncia da Coluna, a STT se mobilizou apenas para ajudar a organizar as filas da Caixa.


Descompromisso 2 Com a perigosa omissão do alcaide Antonio Elinaldo, a tropa do coronel PM Alfredo Castro segue distante do trabalho de combate e prevenção ao Covid-19, como alertou a Coluna (Confira). Mesmo com efetivo treinado para atuar em aglomerações, a STT sequer realiza blitze educativas, muito menos sugere a implantação de barreiras sanitárias, já adotadas em cidades vizinhas.


Teimosia A confirmação de contaminação do vereador Dilson Magalhães (PSDB), pelo Covid-19, deixou a Câmara de Vereadores de Camaçari em polvorosa. O desconforto poderia ter sido evitado, caso o presidente da casa, o vereador Jorge Curvelo (DEM) seguisse a lógica e as recomendações das autoridades médicas e adotasse a sessão virtual, como sugeriu o Camaçarico (Confira), o cenário seria outro.


Teimosia 2 O vereador Dilson Magalhães, como homem público e cidadão esclarecido, tem culpa por não ter adotado as devidas medidas protetivas. Mas, o Legislativo, como um todo, não pode apontar o dedo para um dos seus membros, como se nada pudesse fazer para evitar essa perigosa situação. O prejuízo já está instalado. Cabe agora adotar todas as medidas de segurança cabíveis nessa situação.


Fora de cena Depois de muitas manifestações e protestos virtuais e atos na porta da prefeitura e Câmara de Vereadores, os artistas de Camaçari parecem que começam a ser ouvidos. Além dos padrinhos na Câmara de Vereadores, músicos, atores e produtores também passaram  a ser lembrados, ainda que tardiamente, pela secretaria de cultura (Secult).


Fora de cena 2 Para amenizar as dificuldades da artistagem, sem cachê e espaço de trabalho desde o mês de março, com a suspensão de todas as atividades produtivas, a Secult, com o aval do Conselho de Cultura, quase um apêndice da pasta comandada pela secretária Marcia Tude, sai da quarentena remunerada e resolve montar editais para produções. Nesse pacote emergencial serão beneficiados cerca de 600 artistas de diversas matizes culturais, com cachês que variam de R$ 600,00 a R$ 1.800,00.


Fora de cena 3 Feito às pressas, chamamento que vai distribuir R$ 360 mil, fala em inscrição de propostas para seleção até o final desse mês de maio, e pagamentos a partir de junho. Caso a Secult estivesse conectada às implicações da pandemia e seus prejuízos para o setor, esses projetos teriam sido substituídos por propostas emergenciais e já estariam em execução desde o mês passado.


Fora de cena 4 Completa e comprova esse roteiro de descuido e omissão a fonte pagadora desse ´dindin`. Esse recurso, que sai do Fundo de Cultura do Município, alimentado com dinheiro repassado pelo estado, é parte do cerca de R$ 1,6 milhão disponível desde o começo do ano na conta do Conselho de Cultura do Município. Segundo apurou a Coluna, cerca de 30% desse valor, aproximadamente R$ 500 mil, estão comprometidos com pagamentos de projetos.


Fora de cena 5 Restam, portanto, pouco mais de R$ 1 milhão, que seriam usados em eventos calendarizados, suspensos pela pandemia. Nessa conta não entram os repasses feitos pelo estado nos últimos meses, que a Coluna não sabe quantificar. Somados a esses novos valores, que fontes ouvidas pela Camaçarico calculam em mais de R$ 500 mil, a situação dos artistas seguramente seria menos complicada que o atual cenário.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


7/5/2020


 

 







Barbeiragem  Motoristas dirigindo sem máscara, passageiros desprotegidos, e sistema de transporte operando sem fiscalização, portanto sem garantias  de aplicação das normas determinadas pela própria prefeitura para controle e combate à propagação do Covid-19. Essa é a imagem da Camaçari que a Superintendência de Trânsito e Transportes (STT) do município insiste em ignorar e ajudar a reforçar.


Barbeiragem 2 Operando por dia com pouco mais de 10 dos seus cerca de 80 agentes, a STT segue descumprindo seu papel constitucional de fiscal e defensor da saúde da população. Segundo apurou a Coluna, desde meados do mês que o órgão, comandado pelo coronel e ex-comandante-geral da PM, Alfredo Castro, se colocou na quarentena.


Barbeiragem 3 Esse inexplicável distanciamento se confirma com a escala de plantão, que define 1 dia de trabalho e 9 de folga para os agentes de trânsito. Reforça essa desprotegida estrutura de apoio diário, a presença em serviço de apenas duas viaturas para a cobertura de um município com 759 quilômetros quadrados de território. Sede do maior complexo industrial integrado da América Latina, Camaçari, que mesmo com movimento reduzido pela pandemia, mantém uma circulação de veículos, ainda que menor, se comparada aos mais de 180 mil que trafegam nos dias normais.


Barbeiragem 4 Também é injustificável a ausência das blitz educativas, serviço de testagem de temperatura. Não faltam exemplos de aglomerações perigosas que a STT poderia contribuir para amenizar. Um dos casos mais simbólicos são as filas nas agências bancárias, em especial na Caixa Econômica, onde estão sendo pagos os auxílios emergenciais numa cidade onde quase metade dos seus 300 mil moradores tem renda mensal de até 3 Salários Mínimos (R$ 3.135).


Barbeiragem 5 Mas, esse descuido vai além da falta de uma gestão que operacionalize de forma eficiente as ações e os gastos da STT. É o que mostra o Diário Oficial nº 1387, de 3 de abril deste ano. Documento oficial do município exibe a renovação do contrato anual de R$ 645 mil de aluguel do aplicativo para gestão de trânsito, que tem como carro chefe o chamado talão eletrônico de multas.


Barbeiragem 6 Mesmo gastando quase R$ 54 mil mensais com um único contrato, a STT não vem aplicando esse serviço. Segundo apurou a Coluna, esse descuido, denunciado em novembro do ano passado (Confira), e reforçado no Camaçarico de janeiro (Confira), continua, só que agora justificado pela pandemia do Covid-19.


Saudades Longe do contágio necessário para assegurar apoios para a reeleição, os 21 vereadores de Camaçari decidiram retomar seu contato com o eleitor, suspenso desde o mês passado com a quarentena imposta pelo Covid-19. 


Saudades 2 Segundo apurou a Coluna, as atividades serão retomadas partir de segunda-feira (4), com a implantação do sistema de turnão, das 8h às 14h, para o funcionamento dos gabinetes e setores da área administrativa. Para evitar aglomerações e riscos de contágio, acesso será controlado com testagem de temperatura, uso de máscara, aplicação de álcool gel, distanciamento e outros cuidados.


Sintomas Quem anda provocando ciumeira na banda governista no Legislativo de Camaçari é o vereador doutor Elias Natan. O tucano, que deixou a pasta da saúde (Sesau) no final de março, segue como se nada mudou. Mesmo sem o cargo de presidente da comissão de saúde da Câmara de Vereadores, presidida pelo colega de legenda, Pastor Neilton, o doutor Natan virou o representante do Legislativo nas ações contra o Covid-19 no município.


Sintomas 2 Sem esconder a ´sombra` sobre o atual titular, o também médico Luiz Duplat, participa de reuniões sobre o esquema de combate ao coronavírus, inspeciona obras de implantação de unidades especiais para atendimentos de pacientes contaminados, dá entrevistas, e até aparece ao lado do alcaide nos registros oficiais.


Sintomas 3 A ciumeira ficou ainda maior depois que o doutor Natan passou a usar o pomposo colete com o brasão do Legislativo. Sem direito ao mimo, e mantendo o controle da poderosa máquina da Sesau, com orçamento milionário e generosos espaços na mídias nesses tempos de pandemia, os colegas até providenciaram um apelido carinhoso  para o colega. Na intimidade dos gabinetes, o doutor Natan vem sendo chamado de ´OLX´, numa referência ao site de compra e venda de produtos que tem como lema o bordão ´desapega´.


De novo O vencimento da 1ª parcela e da cota única do IPTU será mais uma vez adiado. Com a nova data, dia 31 de maio, o contribuinte de Camaçari não terá mais 10% de desconto no pagamento da cota única. Em tempos de cortes provocados pelo Covid-19, abatimento será de 5%.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


30/ 4/2020

 







Lâmina O alcaide Antonio Elinaldo (DEM) enviou nesta terça-feira (28), o projeto de Lei que reduz em 20% seu salário, do seu vice, dos secretários, e subsecretários do governo de Camaçari. O pacote veio depois da cobrança do Camaçarico (Confira), sobre a indefinição de medidas que estendessem os sacrifícios financeiros, já impostas aos servidores, a todos os membros do primeiro escalão, servidores com remunerações mais altas, e até representantes do Legislativo.


Lâmina 2 O pacote de medidas, que começa a valer já no salário de maio, e que pode se estender até outubro, a depender das receitas futuras com impostos, também inclui o corte de 15% sobre as vantagens salariais dos cerca de 3 mil servidores com vencimentos acima de R$ 4 mil.


Lâmina 3 Segundo apurou a Coluna, cerca de R$ 2 milhões mensais é o valor da economia estimada para os cofres do município com mais esse pacote de redesenho da máquina municipal para enfrentar a crise financeira em decorrência da pandemia do Covid-19. Número, muito próximo do projetado pela Coluna, representa cerca de 5% da folha de pessoal composta por cerca de 7,4 mil servidores, entre efetivos, Redas e nomeados para funções de confiança fora do quadro.


Lâmina 4 Mesmo já brindados com a mudança no calendário de vantagens alterado com o pacote anterior (Confira), servidores não foram esquecidos nesse novo projeto que a Câmara de Vereadores vota em duas sessões extraordinárias nesta quarta-feira (29) e na quinta-feira (30). Diferente da fala do alcaide, que assegurou que as medidas não mexeriam em vantagens dos servidores, o novo pacote também suspende os 2,67% referentes a última parcela, que seria depositada em julho. Já os 2,67% de abril devem ser pagos, como parte do acordo de reposição das perdas salariais que a categoria vem sofrendo desde 2016. A suspensão do acordo não pode ocorrer antes que o Projeto de Lei seja votado e aprovado pelo Legislativo, para seguir para sanção do Executivo, lembram os servidores.


Lâmina 5 O ajuste no Legislativo, outra cobrança do Camaçarico, segue o exemplo do Executivo e corta 20% nos vencimentos dos 21 vereadores. Pacote também atinge com a tesoura dos 15% os salários dos assessores parlamentares e cargos de confiança da Câmara de Vereadores.


Lâmina 6 Levantamento feito pela Coluna, com base em dados salariais de janeiro deste ano, postados no site do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), mostra que só com a redução na remuneração dos 21 representantes do povo, em R$ 2,5 mil, o equivalente a 20% do bruto mensal de R$ 12.599,00, a soma extra ganha R$ 52 mil.


Lâmina 7 Somados aos cerca de R$ 290 mil, fruto dos descontos de 15% nos vencimentos dos assessores do Legislativo, conta fecha próximo dos R$ 350 mil mensais. Diferente da prefeitura, os vereadores não mexeram nos salários dos servidores de carreira. Ainda segundo dados do TCM, dos 61 efetivos da Casa, 21 estão acima do teto mensal de R$ 4 mil.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


28/ 4/2020


 

 







Caminhos O alcaide de Camaçari segue muito próximo do prejuízo político quando alimenta a perigosa ausência de decisões mais duras e necessárias no pacote de medidas de redução de gastos com a máquina pública de Camaçari para fazer frente ao coronavírus e todas as suas consequências na cidade.


Caminhos 2 O demista Antonio Elinado, que deveria dar o exemplo iniciando os cortes pela própria carne, e em setores privilegiados da gestão, preferiu inaugurar as necessárias reduções, já neste abril, pelo bolso do servidor, na sua maioria com com salários já comprometidos com outros descontos e sem reposição da inflação. Como antecipou a Coluna (Confira), pacote de medidas importantes e necessárias de ajustes nas contas municipais, que também atinge fornecedores e contratados pelo município, está aquém do tamanho desejado.


Caminhos 3 Com esse atraso, alegado pela necessidade de estudos e detalhamento de medidas, o alcaide deixa de promover cortes onde é possível e devem ser feitos imediatamente. Conta feita pela Coluna mostra que reduzir em 20%, o seu salário, do vice-prefeito, dos secretários, subsecretários, e dos servidores com vencimentos  acima de 6 Salários Mínimos (SMs), o equivalente a R$ 6.270, geraria uma economia mensal superior a R$ 1,7 milhão. Ficariam fora dessa cota de sacrifício do corte de 20% nos vencimentos, os pouco mais de 3,7 mil servidores com remuneração de até 3 SMs (3.135), o equivalente a 50% do quadro de efetivos do município.


Caminhos 4 Com base nos números de dezembro de 2019, últimos postados no site do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), a Coluna encontrou 1.293 servidores com salário mensal acima dos 6 SMs (R$ 6.270,00), mas que não batem no teto constitucional de R$ 16.811,29, recebidos pelo prefeito. Só o corte de 20% nessa faixa resultaria numa economia superior a R$ 1,5 milhão.


Caminhos 5 Ainda segundo o site do TCM, abastecido com informações da própria prefeitura, o alcaide Antonio Elinaldo não está só no seu patamar salarial bruto de quase R$ 17 mil. Existe um grupo de  48 servidores que acumula vantagens e outros penduricalhos que permitem um embolso mensal igual, em alguns caso até superior ao recebido pelo prefeito. Aplicando só nessa casta, formada por procuradores, auditores, médicos, profissionais da engenharia, da contabilidade, da informática, e até por 2 professores, o corte de 20% (R$ 3.200,00) representaria puco mais de R$ 150 mil, portanto quase 10% de todo o grupo com vencimentos acima de 6 SMs.


Caminhos 6 Somados esses cerca de R$ 150 mil abatidos dos ´48 tops`, aos mais de R$ 1,5 milhão dos 1.293 servidores acima de 6 SMs e abaixo do teto, conta vai para quase R$ 1,7 milhão/mês. Engorda essa conta, outros cerca de R$ 60 mil mensais provenientes dos 20% cortados no salário do prefeito (R$ 3,2 mil), do vice-prefeito e secretários (R$ 3 mil), e subsecretários (R$ 2,4 mil).


Caminhos 7 Nessa multiplicação pela vida, a Câmara de Vereadores pode ampliar ainda mais esse fundo emergencial. Só com a redução na remuneração dos 21 representantes do povo, em R$ 2,5 mil, o equivalente a 20% do bruto mensal de R$ 12.599,00, a soma extra em favor da saúde ganharia mais R$ 52 mil. A Coluna não teve acesso a números da Superintendência de Trânsito e Transportes (STT) e Instituto de Seguridade Social do Município (ISSM).


Equilíbrio A prefeitura de Camaçari vai esperar um quadro de evolução mais preciso dos casos de Covid-19 no município, para definir com os empresários um cronograma de retomada das atividades suspensas desde meados de março.


Equilíbrio 2 Segundo apurou a Coluna, o alcaide Antonio Elinaldo (DEM) não vai ceder às pressões de setores preocupados apenas com os lucros, apesar do discurso de defesa dos empregos. Nada será definido antes da primeira semana de maio, quando espera inaugurar o centro intensivo de combate ao Covid-19, unidade especial com 10 UTIs, na antiga clínica Clirca, e a outra estrutura, classificada como intermediária, no antigo Hospital da Mulher, para casos menos graves. As duas unidades estavam desativadas e estão sendo adaptadas e equipadas com recursos do município.


Equilíbrio 3 Com essas estruturas prontas e uma avaliação dos casos no município, que somam 35 contaminados e 1 óbito, informado no começo da tarde deste sábado (25), só então será definido quando e como lojas, salões de beleza, academias, templos religiosos e bares voltarão a funcionar.


Receituário O ex-titular da secretaria de saúde de Camaçari, o médico ortopedista Elias Natan, nega que assumiu uma nova fala, a de vereador do PSDB preocupado apenas com acordos que facilitem a sua reeleição, como comentou o Camaçarico (Confira), sobre sua movimentação em defesa do comérico, desde que deixou a Sesau .


Receituário 2 Através de sua assessoria, o tucano garante que a questão produtiva, aliada aos compromissos com a saúde, nessa crise do coronavírus, sempre pautaram suas preocupações. Ainda de acordo com sua assessoria, Natan nunca deixou de se reunir com empresários para discutir caminhos de retomada das atividades comerciais, hoje suspensas pela necessidade de isolamento social exigido em casos de pandemia. 


Receituário 3 A assessoria só não comentou sobre a permanência do doutor Natan envergando o colete do SUS, já que não é mais o titular da Sesau. Símbolo, que deveria evitar com a retomada da função legislativa, não deixa dúvidas da manutenção da sua influência na pasta, e da sua necessidade de somar dividendos mantendo sua imagem atrelada ao antigo posto. Essa influência na Sesau não permanece apenas com a manutenção de sua equipe de assessores chaves no comando da pasta. O doutor Natan também não pode negar suas relações nada republicanas com o seu ex-sub, hoje titular da pasta, como registrou a Coluna do último dia 16, nota ´Contaminação´ (Confira).


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


25/4/2020

 



Anterior | |1| 2 3 4 5 6 7 8 9 | Próxima

Encontrado(s): 165 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2020 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL