Busca:








Calculadora Chama a atenção a discrepância dos registros da secretaria de saúde do estado (Sesab) e a realidade de Camaçari. No último boletim da Sesab, atualizado no final da tarde desta quinta-feira (4), Camaçari aparece com 286 casos confirmados e 6 óbitos.


Calculadora 2 Defasagem, que em relação a Camaçari, com 365 casos e 15 óbitos, de acordo com o último boletim da Sesau desta quinta-feira (4), chega a 79 casos e mais que o dobro de mortes. Essa diferença não deve ser exclusividade do município, acreditam técnicos da secretaria do município ouvidos pela Coluna. De acordo com o boletim nº 72 da Sesab, a Bahia soma 23.463 casos e 790 óbitos registrados em 322 dos 417 municípios do estado.


Calculadora 3 A secretaria de saúde de Camaçari (Sesau) não  fala, mas a Coluna apurou que a expectativa de pico no número de casos no município deve ocorrer em meados desse mês de junho. Ninguém arrisca uma centena.


Configuração  Nesses tempos de pandemia, a disputa eleitoral em Camaçari ganhou componentes diferenciados e vem mostrando com mais intensidade as novas lideranças envolvidas na disputa pelas 21 cadeiras na Câmara de Vereadores.  


Configuração 2 A Coluna anotou 3 nomes: o administrador Jamesson da Silva (PSL) e os petistas Mário Neves, professor e ex-secretário de educação; e o bacharel em Direito e ex-diretor do Ceped, Tagner Cerqueira.


Configuração 3 Diferente da maioria dos candidatos e vereadores com mandato, acuada pelo coronavírus, que impôs o isolamento social, esse time segue avançando e conquistando novos espaços. Com presença intensa nas redes sociais e usando a mais nova ferramenta ´receitada` pelo Covid-19, a Live, essas novas lideranças sinalizam a presença de um ´vírus` que tende a promover mudanças profundas no Legislativo de Camaçari.


Off-line Quem anda sumido, desde os primeiros sinais mais intensos do Covid-19, é o vice-prefeito José Tude (DEM). Incluído no chamado grupo de risco, o 3 vezes prefeito setentão radicalizou no isolamento social. Vacinado contra riscos e desgastes políticos que a pandemia pode causar, Tude não é visto nem nos espaços online, participando de debates e manifestações, comuns nesses tempos de Lives.


Lexotan  O Instituto Paraná divulga segunda-feira (8), uma nova pesquisa sobre a sucessão municipal em Camaçari. Registrado terça-feira (2), no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), levantamento que começou as escutas telefônicas na quarta-feira (3), também vai perguntar ao eleitor sobre a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM). A coleta recolhe até sábado (6), as opiniões de eleitores, da sede, orla e zona rural.


Braziuuuuuu Exatos 10 anos depois, muito pouco mudou com a Lei da Ficha Limpa. Festejada neste 4 de junho, véspera do dia Mundial do Meio Ambiente, Lei que retirou o direito de participar do processo eleitoral, condenados por crimes contra o patrimônio público e outras irregularidades, segue sem a força necessária, bem ao jeitinho brasileiro.


Braziuuuuuu 2 Sem entender a necessidade de sanear a política desses maus exemplos, população insiste em manter essa cadeia de desmandos. Ao abrir mão do seu poder de renovar, recoloca de volta na fila do poder, justamente quem deveria expurgar.


Braziuuuuuu 3 Mesmo impedidos de disputar o voto e retomarem formalmente o poder, esses políticos seguem como se quase nada mudou, indicando parentes, cônjuges e aliados como substitutos, verdadeiros laranjas.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


4/6/2020 Atualização às 18h57

 







Concreto As obras de duplicação do viaduto do Trabalhador, principal entrada de Camaçari, seguem sem previsão de conclusão. Iniciadas em outubro do ano passado, e com prazo de entrega no mês de abril, serviços orçados em R$ 13,4 milhões, estão parados e sem data para finalização.


Concreto 2 Segundo apurou a Coluna, a Construtora Andrade Mendonça LTDA, vencedora da licitação, atravessa problemas financeiros e deve ser substituída pela construtora Celi, 2ª colocada na licitação. A Coluna tentou obter maiores detalhes sobre o processo de suspensão do contrato.


Concreto 3 Até o fechamento do Camaçarico, a secretária de infraestrutura, Joselene Cardim, não havia respondido aos questionamentos sobre estágio da obra, quanto já foi gasto, o valor recebido pela construtora, a previsão para a retomada da cronograma, e o novo prazo para a conclusão dos trabalhos.


Destrava  Não foi fácil, mas o alcaide Antonio Elinaldo (DEM), finalmente adotou medidas duras e necessárias, que poderiam ter sido aplicadas desde o começo de maio. Fechar a Feira de Camaçari, principal polo de movimento de pessoas no coração da sede do município, e a decretação do toque de recolher são ações necessárias e indispensáveis, independente do vírus da política e toda a sua cadeia de contaminação.


Destrava 2 O início da adoção de medidas efetivas para conter o avanço do Covid-19 nas regiões de Vila de Abrantes, e alguns bairros da sede e orla, completam esse pacote corajoso, com efeitos futuros no “achatamento da curva”, como gostam de dizer as autoridades médicas.


Destrava 3 Agora é intensificar os testes e a fiscalização nos bairros, punindo os donos de estabelecimentos de qualquer perfil de atividade que insistem em desrespeitar a Lei. Cobrar das lideranças religiosas o cumprimento do distanciamento e lotação dos templos também é missão acima dos pecados. Manter as decisões e endurecer com todos os segmentos é a certeza de que a gestão não será responsável pelo avanço do coronavírus no município, que segundo o último boletim emitido nesta segunda-feira (1), conta 255 casos e 10 òbitos.


Destrava 4 Ceder às pressões de setores preocupados apenas com seus lucros é tudo que a luta contra o coronavírus não quer. Esse atraso não gera apenas preço alto para a saúde da população. O avanço dos adversários do alcaide, que deixaram a imobilidade da quarentena, justamente pela lacuna na adoção dessas medidas, é uma das marcas dessa demora. Com tudo novo para aprender com essa pandemia, é missão do gestor manter a conexão com as experiências adotadas em outras cidades que estão vencendo a luta contra o Covid-19.


Simbólico Camaçari pode ter dois representantes no Conselho de Cultura do Estado da Bahia (CEC-BA). O líder religioso do candomblé, Tata Ricardo, e o produtor cultural Bispo da Cultura, ex-representantes do Conselho Municipal de Cultura de Camaçari, disputam cadeiras diferentes. Bispo concorre na vaga de conselheiro do “território de identidade” da Região Metropolitana de Salvador, enquanto Tata Ricardo pleiteia uma vaga no segmento “patrimônio imaterial”.


Simbólico 2 Camaçari nunca teve assento titular no CEC. Quem chegou mais perto foi a ex-secretária de cultura do município, Elisângela Sena, suplente do segmento “culturas populares”.


Simbólico 3 As inscrições de eleitores é via internet e podem ser feitas até noite desta segunda-feira (1) pelo site do CEC-BA. A votação, também de forma remota, acontece no próximo dia 30. Os conselheiros estaduais, com mandato até 2023, não recebem jeton. Terão direito apenas a restituição de custos com passagem, deslocamentos e outras despesas.


Simbólico 4 Pelo visto, o Conselho de Cultura do Estado da Bahia não precisa apenas de uma renovação urgente. Carece de um conselheiro gramatical. No site da entidade, o CEC-BA fala em eleições, informa datas, prazos de inscrição, e lista os Territórios e Segmentos Culturais que “possuem acento” no colegiado. Atrapalhado, o prestigiado conselho troca a palavra “acento”, referente ao sinal gráfico, pela expressão correta, “assento”, que designa o móvel onde os conselheiros sentam.


Hoje e Sempre Resgatar a credibilidade das instituições e imprimir força à democracia é missão da imprensa. Mas, essa luta não é apenas dos profissionais que hoje são lembrados justamente no dia da 1º publicação do Correio Braziliense, editada em 1808, pelo brasileiro Hipólito José da Costa.  Sociedade e governo também precisam fazer sua parte.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


1/6/2020

 







Alerta  “Nós precisamos estabilizar também esse gráfico de Camaçari, que continua com uma taxa muito alta”. O puxão de orelha, mesmo em tom de alerta e preocupação, é do governador Rui Costa e foi aplicado na estrutura de combate ao coronavírus no município, durante live realizada na quarta-feira (27).  


Alerta 2 O petista não falou por falar. Segundo apurou a Coluna, o Centro Intensivo de Combate ao Coronavírus (CICC) está com todos os seus 10 leitos de UTI e os 6 de semi-UTI, ocupados. Limite também atinge as 5 UTIs do Hospital Santa Helena (HSH), da rede particular. Ainda segundo fontes do Camaçarico, o governo municipal busca caminhos. A ampliação da capacidade de UTIs do HSH é uma das alternativas para garantir atendimento aos casos  crescentes de vítimas da Covid-19 no município.


Alerta 3  Com o Centro Intermediário de Combate ao Coronavírus, prometido para o começo do mês, mas com previsão de início de funcionamento só nos próximos dias, Camaçari entra na lista dos municípios com o sistema no limite do estrangulamento.


Alerta 4 Com números crescentes, que até o começo da noite desta quinta-feira (28), mostravam 190 casos confirmados e 9 óbitos, Camaçari fica muito próxima do exemplo da cidade que descuidou do dever de casa da prevenção, amolecendo no cumprimento da lei baixada pelo próprio alcaide Antonio Elinaldo (DEM).


Alerta 5 Chama a atenção nessa contribuição, os comerciantes de atividades não essenciais. Apoiados pela omissão da fiscalização da gestão, esses comerciantes seguem contribuindo com o crescimento das curvas da contaminação e dos óbitos.


Alerta 6 Esse é o preço da leniência da gestão com esses maus empresários, aí incluídos os permissionários da Feira de Camaçari. Esse descuido, não é novidade e virou tema diário nas redes sociais. A movimentada de segunda-feira (25), na praia de Itacimirim, o funcionamento das lojas de artigos para o lar, de material de construção e dos bares, são exemplos só do triplo feriado encerrado na quarta-feira (27). 


Alerta 7 Nessa clara tentativa de se equilibrar entre as recomendações da Organização Mundial de Saúde e as pressões da política miúda, gestão termina descuidando da realização de ações enérgicas e necessárias para manter a população em casa e evitar aglomerações.


Alerta 8 Movimento equivocado da atual gestão vira munição para os adversários que, imobilizados com o isolamento exigido pela pandemia, tentam compensar com ações de artilharia nas redes sociais. Sabem que o erro grave do adversário pode ser mortal e decisivo para o boletim que vai definir o quadro sucessório.


Alerta 9 Infelizmente, o atual governo municipal segue a tradição das últimas gestões e mantém uma máquina viciada e ineficiente. O coronavírus apenas expõe a Camaçari onde o jeitinho é a lei, sempre alimentado pelos cofres municipais.


Reprovados O artigo “Além de uma quase coincidência”, do professor e historiador Diego Copque, é mais um atestado do descuido dos governantes de Camaçari com a memória da cidade. Postado na seção Colunistas do Camaçari Agora (Confira), texto lembra que Camaçari precisa resgatar sua data de fundação, que segundo o pesquisador é comprovada com registros de 29 de maio de 1558.


Reprovados 2 No texto, o pesquisador registra que Camaçari tem duas datas. O conhecido e festejado 28 de Setembro, quando a cidade comemora com fanfarras e desfiles escolares, a emancipação, e o 29 de maio, que amanhã completa 462 anos de fundação.


Reprovados 3 O próprio Diego Copque é vítima desse descaso. O autor do livro "Do Joanes ao Jacuípe, uma história de muitas querelas, tensões e disputas locais", espera o apoio do município, desde o ano passado, para transformar sua pesquisa em documento.


Reprovados 4 Ao negar apoio a importante publicação, a gestão do alcaide Antonio Elinaldo vai muito além da contribuição para o empobrecimento bibliográfico de uma cidade que pouco sabe sobre seu passado. Graças a sua equipe de assessores desconectados e que ampliam esse deserto marretando parte da história que ainda existia, a gestão pratica uma ação política de contribuição para alienação e estimulo à ignorância.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


28/5/2020

 





Máscara

Máscara Mesmo ainda sem pacientes, o centro intermediário de enfrentamento ao coronavírus de Camaçari já apresenta sinais de contaminação. É o que mostra o contrato de gestão da unidade, assinado no final do mês passado, entre a secretaria de saúde do município (Sesau) e Santa Casa de Misericórdia de Oliveira dos Campinhos, estrutura do Instituto de Saúde Nossa Senhora da Vitoria (INSV). Com validade de 90 dias e valor total de pouco mais de R$ 4,2 milhões, contrato chama a atenção pelo adiantamento de R$ 1,9 milhão, quase 50% dos gastos estimados pelo município de Camaçari com a unidade.


Máscara 2 Segundo fontes ouvidas pela Coluna, essa antecipação não é comum, mesmo em casos emergenciais. Garantem que esses custos com adequação do espaço, instalação de equipamentos, seleção e treinamento de pessoal, e outras despesas, deveriam ser bancados pelo contratado, no caso o INSV.


Máscara 3  Ainda segundo essas mesmas fontes, acostumadas com números e procedimentos, o contratado, no caso o instituto com sede no povoado de Oliveira dos Campinhos, cidade de Santo Amaro da Purificação, precisa ter capacidade financeira para bancar esses custos, que geralmente são diluídos no decorrer do contrato.


Máscara 4 Prometido para começo de maio e ainda sem data para inauguração, unidade que vai funcionar no antigo Hospital da Mulher terá 20 leitos de observação e capacidade de atendimento para até 60 pacientes. Até o fechamento da Coluna, a Sesau não havia respondido os questionamentos sobre participação de outras entidades no processo de contratação para gestão do centro intermediário, e os motivos para a antecipação de quase metade do valor total do contrato.


Finalmente  A Câmara de Vereadores de Camaçari demorou para entender seu papel como formulador e fiscalizador nessa pandemia do Covid-19. Depois dos muito alertas do Camaçarico, desde o começo de abril (Confira), e das cobranças nas redes sociais, a Casa do Povo resolveu adotar as sessões virtuais.


Finalmente  2 Os trabalhos serão retomados na próxima terça-feira (26). Transmissão será no prédio do Legislativo, com cada um dos 21 vereadores falando de seus gabinetes. Sessão transmitida pela TV Câmara Canal 25.1, e redes sociais, permitirá a população assistir os debates.


Finalmente 3 Desde março, o Legislativo realizou algumas sessões relâmpago, para  aprovar medidas e proposições do alcaide Antonio Elinaldo (DEM). Acomodada e sob a máscara do coronavírus, a maioria dos vereadores, governistas e oposicionistas pouco se mexeu para conectar  o Legislativo a essa nova e necessária realidade. Agora, terão a oportunidade de voltar a cumprir seu papel constitucional, buscando junto com o Executivo e sociedade os melhores caminhos e soluções para enfrentar o coronavírus e suas consequências no município.


Tudo como dantes O distrito de Vila de Abrantes, região cortada pela estrada do Coco (BA-099), em Camaçari, segue em destaque nos casos de contaminação pelo Covid-19. Vizinha a Lauro de Freitas, uma das cidades campeãs de casos de contaminação no estado, região registra números diferenciados.


Tudo como dantes 2 Deacordo com o último boletim da secretaria de saúde do município (Sesau), região que vai até Arembepe (9 casos), é a campeã com um total de 53 registros, o que equivale a 40% dos 132 registros em todo o município. Distrito, que também tem metade das 6 mortes oficiais em toda a Camaçari, conta 32 registros nas localidades conhecidas como Vila de Arbrantes (17 casos), e outros 15 na vizinha Catu de Abrantes.


Tudo como dantes 3 Mesmo com números incomuns, não se tem notícia de ações mais intensas da Sesau na região, como barreiras sanitárias, realização de testagem da população e outras práticas mais amplas e duras para conter o avanço do Covid-19 na região.


Distanciamento O ex-deputado estadual Bira Coroa está fora da campanha da candidata petista do seu partido em Camaçari, a advogada Ivoveide Caetano. Segue em quarentena e só vai para o corpo a corpo na  campanha de reeleição do vereador José Mardelino. Hoje na 2ª suplência, Bira aguarda a movimentação de Rui no primeiro escalão e os resultados das urnas, com a eleição de deputados para o comando de algumas cidades, quando espera voltar  à Assembleia Legislativa.


Distanciamento 2 Já o 3 vezes alcaide de Camaçari, e esposo da candidata petista, o também ex-deputado Luiz Caetano, anda reclamando do isolamento que vem sofrendo por parte do governador. Acha que Rui Costa poderia reduzir a fita métrica política e ampliar a contaminação do seu bem avaliado governo em favor de Ivoneide. 


Distanciamento 3 Mesmo sem o contato mais próximo, comum noutros 22 de maio, Dia do Abraço, o encontro do alcaide Antonio Elinaldo (DEM) com o vereador petista Jackson Josué não ficou sem clima de carinho. Jackson participou, na tarde desta sexta-feira, da inauguração da Unidade Básica de Saúde (UBS) de Barra do Jacuípe, orla do município, ao lado do secretário estadual de saúde, Fábio Villas Boas, que representou o governador.


Números A população de Camaçari segue apoiando a luta contra o coronavírus e  todas as medidas adotadas pelo município para conter o avanço da doença. Pesquisa realizada entre os dias 8 e 12  deste mês, pelo Instituto Elege, que a Coluna teve acesso, mostra que a maioria está preocupada com a pandemia. Dos quase 1 mil moradores ouvidos na sede, orla e zona rural do município, 75% são contrários a reabertura de todo o comércio e atividades, como  lojas, academias e salões de beleza. Número  ainda maior (88,7%) defende a manutenção das escolas fechadas.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


22/5/2020 Atualização às 20h22

 





Contaminação

Contaminação A atividade empresarial formal, no segmento de transportes de passageiros  em Camaçari, com pagamento de impostos e todas as garantias necessárias, caminha para a extinção. A  crise provocada pela pandemia do Covid-19, foi apenas o último passageiro da Viação Cidade Industrial (VCI), que  retira seus ônibus da rua a partir de quinta-feira (21).


Contaminação 2 Com a medida, comunicada aos funcionários na última segunda-feira (18), o sistema legalizado de transporte no município passa a contar apenas com a Cooastac. Cooperativa de veículos, que roda com dificuldades ainda maiores, vai "assumir" as linhas deixadas pela VCI, segundo informe oficial da prefeitura do município.


Contaminação 3  Com a  decisão da VCI, sistema de transporte por ônibus no município-sede do maior complexo industrial intregrado do Hemisfério Sul, se já era precário, passa a ser operado quase que na sua integralidade pelos clandestinos.


Contaminação 4 Operando no vermelho mesmo antes da pandemia, a empresa que já contou com 140 ônibus, hoje opera com menos de 20 veículos. Nessa conta de diminuir, mais de 50 trabalhadores da VCI já foram demitidos. Cortes devam avançar com a impossibilidade de transferir trabalhadores do município para outras linhas que atendem cidades da Região Metropolitana de Salvador.


Contaminação 5 Crise é velha e tem combustível na indefinição do poder municipal. Sem política de mobilidade, Camaçari avança na oferta de serviços clandestinos, dominado no município pelo ´ligeirinho´, com seus padrinhos dentro do próprio governo e na Câmara de Vereadores. Segundo apurou a Coluna, sistema com veículos sem licença para transportar passageiros, inspeção e outras garantias indispensáveis para atuar no setor, conta com mais de 400 veículos.


Igual e diferente Apesar do crescimento lento em relação a outras cidades do estado, com população menor,  Camaçari passa a impressão que o município exibe uma situação de efetiva redução e controle da doença. Essa sensação se reforça quando a secretaria de saúde do município (Sesau) exibe formato gráfico sobre a incidência semanal do Covid-19, prática comum no protocolo oficial sobre doenças transmissíveis. De acordo com o último boletim da Sesau, divulgado na noite de terça-feira (19), município tem 113 casos oficias de contaminados e 6 mortes.


Igual e diferente 2 Ao contrário das campanhas do distanciamento social, dos cuidados, e do decreto da prefeitura que proíbe o funcionamento de parte do comércio e outras atividades produtivas no município, divulgação dos dados oficiais nesse formato parecem destacar justamente outro caminho.


Igual e diferente 3 Nesses gráficos a Sesau deveria exibir o acumulado de casos confirmados, destacando a curva ascendente e real, justamente para que a população entenda a necessidade de manter o isolamento. Mas, não é o que acontece. Nos seus Boletins, a secretaria de saúde do município usa esses mesmos números numa construção visual que passa a impressão de que os casos estão em queda.


Igual e diferente 4 Para facilitar esse entendimento, a Coluna exibe um gráfico, com os mesmos números e períodos apresentados no Boletim. Os registros se referem ao período  compreendido  entre a 12ª semana (15 a 21 de março), e 21ª semana, iniciada dia 17 de maio e que deve ser encerrada dia 23.


Igual e diferente 5 Nos dois gráficos ao lado, o reproduzido no site da prefeitura (Acima), e o produzido pela Coluna (Abaixo), transmitem leituras diversas. Diferente do gráfico usado pela prefeitura, onde aparecem os picos por semana, com o sobe e desce dos números, no gráfico feito pelo Camaçarico, a curva de crescimento dos casos aparece de forma real e incontestável. Felizmente, a confusão oficial sobre o Covid-19 no município ficou menor com a supressão de outro gráfico, sobre os casos confirmados, recuperados e óbitos, exibido até o Boletim do dia 18.


Igual e diferente 6  Ampliar essa transparência não é apenas necessária para reforçar a luta contra o Covid-19. É fundamental para que a população entenda que ela precisa saber a verdade de forma clara.


Precarização A pandemia do Covid-19 começa a ampliar seus reflexos negativos no mercado de trabalho. Empresa de seleção de mão de obra está oferecendo contrato temporário com salário de pouco mais de 1,5 Salário Mínimo, R$ 1.675,24 mil + vale transporte, para assistente social que more em Camaçari.


Precarização 2 De acordo com informações postadas no site da empresa intermediadora de mão de obra, o profissional da Assistência Social será contratado para para trabalhar num grande hospital localizado no bairro Camaçari de Dentro. Vai atuar na linha de frente, realizando o trabalho de admissão de paciente Covid-19, registro de óbito e outras funções relacionadas ao coronavírus.


Precarização 3 Valor oferecido pelo hospital para contrato com carga de 30 horas semanais, segundo apurou a Coluna, fica abaixo da média de 2,5 SMs (R$ 2.600) pagos na iniciativa privada, que chega a remunerar esses profissionais em até R$ 4,5 mil.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


20/5/2020

 

Clique na imagem para ampliar






Alerta Enquanto Salvador e outras cidades da Região Metropolitana seguem ampliando as restrições, Camaçari parece viver numa ilha de isolamento e segurança, como se estivesse no estágio da volta gradual à normalidade, com a estabilização, o controle, e a redução dos casos, comuns no pós-pico do Covid-19.


Alerta 2 Na sexta-feira (15), e até o final da manhã deste sábado (16), a região central da sede do município, onde estão a feira e a maioria das lojas e pontos comerciais da cidade, parecia viver um dia quase normal. O grande movimento de pessoas nas ruas, estacionamentos de veículos lotados, pontos de aglomeração, e boa parte do comércio aberto, atestavam que o decreto do alcaide Antonio Elinaldo (DEM), com validade recalibrada até o final do mês, não passa de uma determinação placebo.


Alerta 3 Com bares, lojas de roupas, de calçados, de móveis e eletrodomésticos, e até de artigos para o lar, todos proibidos de funcionar, mas em plena atividade, Camaçari atesta seu descompromisso e acende acende a luz amarela. Até a Feira de Camaçari, xodó do alcaide, segue operando sem restrições. No piso superior as lojas de roupas, eletroeletrônicos e de outras mercadorias, não sabem o que é o decreto que deveria  manter esses segmento fechado. Na área dos restaurantes alguns boxes seguem com os fogões ligados. Até as barbearias, outro segmento proíbido, embelezam clientes despreocupados e seguros de que a lei não é pra valer por lá. Mesmo autorizados, os pontos de vendas de frutas e demais alimentos não exibem o menor controle de distanciamento e higiene.


Alerta 4 Nessa epidemia de irresponsabilidade sobre os riscos da doença e os prejuízos para a saúde da população, e para os cofres do município, não apenas o cidadão comum e segmentos, como o do comércio, que promove até carreta pela reabertura das lojas, apresenta dificuldades de encontrar seu lugar nesse conjunto de entendimento das suas obrigações. A prefeitura dá a sua ajuda com a ausência de fiscalização e ações mais duras e concretas de restrição e conscientização dos riscos do Covid-19.


Alerta 5 Mas, parte significativa da população segue consciente e cobrando. Durante Live do alcaide Antonio Elinaldo, no começo da noite de sexta-feira (15), onde ele respondeu perguntas previamente gravadas da imprensa, não foram poucas as reclamações sobre o funcionamento do comércio. Internautas aproveitaram a interação através das redes sociais para cobrar fiscalização de bares e lojas.


Alerta 6 Depois da desastrada ação fiscalizadora comandada pela secretaria de desenvolvimento urbano (Sedur), o anúncio da formação de uma força-tarefa parece ser o ´remédio` que faltava. Comandada pelo chefe da Superintendência de Trânsito e Transportes (STT), Alfredo castro, estrutura precisa ser o sinal de que o governo municipal entendeu que só anunciar construção de estrutura para atender os doentes, distribuir cestas básicas e outras ações de caráter educativo não são suficientes para virar o jogo. Escolha, justamente do coronel e ex-comandante-geral da PM, no comando dessa  força-tarefa pode ser a pressão que faltava.


Alerta 7 Decisão é tomada justamente quando os números avançam. Atualização feita pela secretaria de saúde do estado (Sesab) mostra que Camaçari já registra 100 casos de contaminação. O número é diferente do boletim da pasta municipal (Sesau), distribuído no começo da noite de sexta-feira (15), que contava 91 casos. Na comparação com segunda-feira (11), quando o município somava 74 registros oficiais, aumento de 26 casos representa um salto de 35% em 5 dias.


Alerta 8 Números crescentes mostram que as ações da prefeitura precisam ser intensificadas. Barrar o avanço do coronavírus com medidas duras, como o toque de recolher, determinando o fechamento de toda as atividades comerciais, com exceção das farmácias, das 20h às 5h da manhã do dia seguinte, já adotado em Lauro de Freitas, e outras cidades, integra um conjunto de medidas necessárias e urgentes. Camaçari não é uma ilha. Está muito próximo e conectado com Salvador, com quase 5 mil casos, e a Lauro, com 192 registros. Interligado a Lauro, justamente pela orla e zona rural do município, Camaçari exibe nessas regiões um índice de contaminados acima da média.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


16/5/2020

 







Sinal vermelho Mesmo com todos os alertas, placas e até barreiras indicando irregularidades, inclusive no sensor do Ministério Público (MP), o processo licitatório, comandado pelo município de Camamari, no valor de R$ 375 mil, para contratação de equipamentos de sinalização para a Superintendência de Trânsito e Transportes de Camaçari (STT), parece ignorar os alertas e segue sem compromisso com os princípios constitucionais da Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência na coisa pública.


Sinal vermelho 2 É o que comprova o Diário Oficial nº 1412, de terça-feira (12), que na página 14 publica a Portaria 055/2020. Assinada pelo superintendente da STT, coronel-PM Alfredo Casto, ato publicado justamente um dia após a denúncia da Coluna (Confira), designa o servidor Jailson Cursino de Souza para fiscalizar a execução do contrato vencido pela B.E. Santana Serviços de Informática LTDA, de propriedade do servidor lotado na Segov, Paulo Magno.


Sinal vermelho 3 Fontes da Coluna, com experiência em gestão e conscientes dos novos mecanismos externos de controle praticados pelo MP, garantem que o caso é para cancelamento imediato da licitação. Ainda segundo essas mesmas fontes, inclusive quadros da atual gestão municipal, causa estranheza a mudez do alcaide Antonio Elinaldo (DEM).


Acerto Finalmente, o governo de Camaçari avançou de forma eficaz e necessária na transparência com os gastos do erário público, independente de ser dinheiro municipal, estadual ou federal, com a prevenção e combate ao Covid-19 no município. Com a comissão de acompanhamento das medidas de enfrentamento à Covid-19 (Camec), os riscos de traquinagens com o sagrado dinheiro que salva vidas ganha um forte antivírus.


Acerto 2 Com esse time, formado por técnicos das secretarias de saúde (Sesau), fazenda (Sefaz), administração (Secad), controladoria (CGM), e da comissão de Licitação (Compel), município precisa avançar com a publicação das contas do coronavírus num único espaço no site da prefeitura, como sugeriu no começo de abril a Coluna (Confira). Afinal, mostra os números para o patrão, o munícipe, é obrigação.


Acerto 3 Com os casos de contaminação e os óbitos pelo Covid-19 aumentando, a prefeitura de Camaçari não teve outro caminho senão prorrogar até o dia 31 de maio as medidas restritivas ao funcionamento do comércio. Decreto assinado pelo alcaide Antonio Elinaldo foi publicado na atrde desta quarta-feira (13).


Vírus A estrutura de comunicação do governo do alcaide de Camaçari, Antonio Elinaldo (DEM), continua inovando e conectando o chefe ao atraso, com todos os seus reflexos políticos negativos  gerados por decisões equivocadas. O mais novo insight, provavelmente imaginado por algum guru e seus oráculos fake, foi o lançamento da entrevista “coletiva virtual”.


Vírus 2 Marcada para a próxima sexta-feira (15), a partir das 17h, conversa com o gestor de Camaçari será ao vivo, mas sem a presença simultânea dos profissionais de imprensa fazendo perguntas.


Vírus 3  Com o perigoso e condenável filtro da ausência da interação direta, já que as perguntas sobre sua gestão na prevenção e combate ao Covid-19 serão enviadas em vídeo gravado, até às 12h de sexta-feira, portanto 5 horas de antecedência, a ´Live` do alcaide exibe um modelo com mecanismos de confinamento e restrição. Para usar o termo da moda seria uma entrevista coletiva Lockdown.


Vírus 4 Apesar dos tempos da conexão simultânea e interativa com diversas pessoas, a assessoria do alcaide prefere que ele passe longe das plataformas que assegurem essas conversas de forma livre e sem censura, como exige a transparência com a coisa pública e a política republicana.


Vírus 5 Facilmente disponibilizadas de forma gratuita na rede mundial de computadores, a Coluna lista entre as muitas opções, que aumentam a cada dia, o Google meet, o Microsoft teams, o Zoom meetings, e o Skype.


Vírus 6  Para evitar maiores atropelos, o Camaçarico sugere que essa entrevista coletiva siga a velha fórmula do presencial, mas com transmissão ao vivo pelas redes sociais do gestor de Camaçari. É só cumprir a regra e adotar as medidas de distanciamento e segurança exigidas pela sempre lembrada e citada Organização Mundial de Saúde (OMS). Realizar essa conversa de esclarecimentos e balanço das ações do Covid-19 no município,  utilizando o sistema de conexão simultânea e online, é outro caminho para que o demista Elinaldo não seja acusado de tentar exercer o perigoso e antidemocrático controle da informação.


Big brother  À quantas andam as câmeras de segurança do sistema de monitoramento administrado pela prefeitura. Nesses tempos de pandemia e necessidades crescentes de controle de movimento da população e obediências às regras de isolamento social, imagens desse sistema são de vital serventia. Inaugurado em meados de 2018, o centro de operações de Camaçari (Cocam) contava na época, com anunciadas 900 câmeras espalhadas pela cidade.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


13/5/2020

 







Escorrego O titular da secretaria de governo de Camaçari (Segov), José Gama, não parece focado no princípio da moralidade e da impessoalidade com a coisa pública. Não dá para fazer outra leitura após o resultado do processo licitatório para contratação de equipamentos de sinalização para Superintendência de Trânsito e Transportes de Camaçari (STT).


Escorrego 2 Publicada no Diário Oficial nº 1401, de 24 de abril, o resultado do Pregão Presencial, número 02/2020 da STT, no valor de R$ 375 mil, exibe como vencedor a empresa B.E. Santana Serviços de Informática LTDA (Confira).


Escorrego 3 Uma simples consulta na internet mostra que a B. E. Santana tem como proprietário o Sr. Paulo Magno, assessor técnico da Segov, comandada pelo mesmo doutor Gama, titular da pasta que deveria ser olhos, ouvidos e, principalmente, filtro do governo do demista Antonio Elinaldo.  


Escorrego 4 O empresário e assessor lotado na Segov, desde janeiro de 2019, já sonhou com uma das 21 cadeiras da Câmara de Camaçari. Candidato a vereador pelo PSDC (Partido Social Democrata Cristão), Paulo da Informática, somou apenas 40 votos no pleito de 2016.


Escorrego 5 Segundo apurou a Coluna, o descuido do doutor Gama, responsável pelas publicações dos atos do governo municipal no D.O., já está na mira do Ministério Público Estadual (MPE). Ainda de acordo com fontes do Camaçarico, pedido de investigação, primeira fase desses procedimentos, foi solicitado ao MP de Camaçari pela promotora Rita Tourinho, do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Patrimônio e da Moralidade Administrativa (Gepam), sediado na capital.


Escorrego 6 Mesmo considerado cristão novo na política de Camaçari, o doutor Gama exibe trajetória veloz e ascendente no jogo do poder que cerca o alcaide Elinaldo. Vice-prefeito de Heliópolis, cidade distante cerca de 300 quilômetros de Camaçari, até o final de 2016, e ligado ao ex-deputado federal José Carlos Aleluia, Gama assumiu um posto de assessor já no começo do governo Elinado. Em abril de 2018 deu mais um salto para o comando da poderosa secretaria de governo, pasta que tem previsão orçamentária de cerca de R$ 56 milhões em 2020.


Sem capacete Continua longe da realidade, a proposta da prefeitura de Camaçari de ajudar, com cestas básicas, os profissionais autônomos do sistema de transporte, com suas atividades suspensas desde abril pela pandemia do coronavírus.


Sem capacete 2 O benefício, que começa a ser distribuído nesta terça-feira (12), deixa de fora a maioria da mais significativa e fragilizada parcela do segmento atingido pelas restrições impostas pelas normas de prevenção e combate ao Covid-19. Com uma frota formada por cerca de 800 mototaxistas, ajuda da prefeitura ignora o tamanho do setor, já que só vai beneficiar os cadastrados e regularizados, que não somam 100 profissionais.


Expresso-2021 Não espere para antes da próxima gestão municipal, a conclusão e entrega ao público do projeto de transformação da antiga estação de trens de Camaçari em espaço de cultura e memória da cidade. Anunciado semana passada como mais uma etapa do programa de requalificação do centro antigo de Camaçari, obra na antiga parada de trens não tem hora, muito menos dia para o apito de inauguração.


Expresso-2021 2 Apesar da simplicidade do projeto, que não pode desfigurar o histórico prédio, muito menos demolir, como criminosamente foi feito com o cinema e o casarão sede dos poderes municipais, reforma só começa depois da suspensão do “Estado de Calamidade Pública”, segundo a própria secretaria da cultura (Secult).


Expresso-2021 3 Como o “Estado de Calamidade Pública” tem prazo até dezembro, e o cronograma anunciado fala em 4 meses de serviços, inauguração do espaço, com verba federal de R$ 1 milhão, assegurada e engavetada desde o primeiro ano da gestão Elinaldo, só acontece em meados do próximo ano.


Exemplo O empresário Jose Macedônio, do ramo de alimentos, aplicou uma verdadeira ensaboada nos colegas do segmento de material para construção. Mesmo com toda a estrutura e custos baixíssimos, até agora não se tem notícia de qualquer projeto desse poderoso e abonado setor, de   instalação de lavatórios públicos para higienização da população, em especial moradores/cidadãos que vivem em situação de rua.


Exemplo 2 Fundamental nesses tempos de prevenção e combate ao Covid-19, ação de Macedônio, independente do estímulo extra da condição de pré-candidato a vereador pelo Republicanos, legenda da base do alcaide e candidato a reeleição Antonio Elinaldo, precisa ser copiada e ampliada. Segundo apurou a Coluna, projeto, que começou pela praça do Alto da Cruz, vai avançar para outros espaços públicos.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


11/5/2020

 







Risco A prefeitura de Camaçari segue sem informar de forma detalhada quanto já foi gasto com prevenção e combate ao Covid-19 no município. Ao ignorar a sugestão da Coluna (Confira), de criar um espaço específico no site do município para informar gastos e origem dos recursos detalhando fontes (federal, estadual e do próprio município), a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM) não parece preocupada com a contaminação posterior provocada pela falta de transparência, ainda mais em ano eleitoral.


Risco 2 Até agora, o que se sabe, são os números soltos apresentados pelas autoridades. Conta exibida semana passada, pelo doutor Luiz Duplat, secretário de saúde do município, citava a cifra de R$ 21 milhões. Desse valor, ainda segundo Duplat, titular da Sesau, desde o começo de abril, quando substituiu o também médico Elias Natan (PSDB), que retornou ao Legislativo, R$ 9 milhões foram gastos com o Centro Intensivo de Combate ao Coronavírus (CICC), instalado na antiga clínica Clirca.


Alívio Depois de suspender vantagens e até cortar salários de servidores, a prefeitura de Camaçari conseguiu assegurar um respiro nas contas dos seus colaboradores efetivos. Com o adiamento até julho, dos descontos em folha dos empréstimos consignados, servidores com contrato com a Caixa compensam as perdas com os cortes provocados pelo plano de redução de despesas do município para combater o Covid-19.


Alívio 2 De acordo com números que a Coluna teve acesso, medida atinge pouco mais da metade dos 5,5 mil servidores do município. Esse grupo representa cerca de R$ 2,1 milhões descontados mensalmente na folha, que agora ficam suspensos. Ficam fora desse respirador, os servidores com consignado em outros bancos e financeiras que somam prestações mensais de cerca de R$ 500 mil. Ainda dentro dessa matemática do perde menos, a quase a totalidade dos consignados morde 30% dos salários dos efetivos, índice limite estipulado pela lei para comprometimento da renda do servidor. 


Alívio 3 A realidade não é muito diferente no Instituto de Seguridade do Servidor de Camaçari. Dos pouco mais de 2 mil aposentados e pensionistas na folha do ISSM, cerca de 900 estão pendurados na Caixa, enquanto outros quase 300 aposentados e pensionistas estão fora desse alívio, por possuírem contrato consignado com o Bradesco. Assim como os efetivos, a maioria também usa o limite de 30% das aposentadorias e proventos para pagar as prestações dos empréstimos que somam mensalmente cerca de R$ 850 mil mensais.


Descompromisso A Superintendência de Trânsito e Transportes de Camaçari (STT) segue com seus agentes no ´plantão quarentena`, com 1 dia de trabalho e 9 de folga. Mesmo depois da denúncia da Coluna, a STT se mobilizou apenas para ajudar a organizar as filas da Caixa.


Descompromisso 2 Com a perigosa omissão do alcaide Antonio Elinaldo, a tropa do coronel PM Alfredo Castro segue distante do trabalho de combate e prevenção ao Covid-19, como alertou a Coluna (Confira). Mesmo com efetivo treinado para atuar em aglomerações, a STT sequer realiza blitze educativas, muito menos sugere a implantação de barreiras sanitárias, já adotadas em cidades vizinhas.


Teimosia A confirmação de contaminação do vereador Dilson Magalhães (PSDB), pelo Covid-19, deixou a Câmara de Vereadores de Camaçari em polvorosa. O desconforto poderia ter sido evitado, caso o presidente da casa, o vereador Jorge Curvelo (DEM) seguisse a lógica e as recomendações das autoridades médicas e adotasse a sessão virtual, como sugeriu o Camaçarico (Confira), o cenário seria outro.


Teimosia 2 O vereador Dilson Magalhães, como homem público e cidadão esclarecido, tem culpa por não ter adotado as devidas medidas protetivas. Mas, o Legislativo, como um todo, não pode apontar o dedo para um dos seus membros, como se nada pudesse fazer para evitar essa perigosa situação. O prejuízo já está instalado. Cabe agora adotar todas as medidas de segurança cabíveis nessa situação.


Fora de cena Depois de muitas manifestações e protestos virtuais e atos na porta da prefeitura e Câmara de Vereadores, os artistas de Camaçari parecem que começam a ser ouvidos. Além dos padrinhos na Câmara de Vereadores, músicos, atores e produtores também passaram  a ser lembrados, ainda que tardiamente, pela secretaria de cultura (Secult).


Fora de cena 2 Para amenizar as dificuldades da artistagem, sem cachê e espaço de trabalho desde o mês de março, com a suspensão de todas as atividades produtivas, a Secult, com o aval do Conselho de Cultura, quase um apêndice da pasta comandada pela secretária Marcia Tude, sai da quarentena remunerada e resolve montar editais para produções. Nesse pacote emergencial serão beneficiados cerca de 600 artistas de diversas matizes culturais, com cachês que variam de R$ 600,00 a R$ 1.800,00.


Fora de cena 3 Feito às pressas, chamamento que vai distribuir R$ 360 mil, fala em inscrição de propostas para seleção até o final desse mês de maio, e pagamentos a partir de junho. Caso a Secult estivesse conectada às implicações da pandemia e seus prejuízos para o setor, esses projetos teriam sido substituídos por propostas emergenciais e já estariam em execução desde o mês passado.


Fora de cena 4 Completa e comprova esse roteiro de descuido e omissão a fonte pagadora desse ´dindin`. Esse recurso, que sai do Fundo de Cultura do Município, alimentado com dinheiro repassado pelo estado, é parte do cerca de R$ 1,6 milhão disponível desde o começo do ano na conta do Conselho de Cultura do Município. Segundo apurou a Coluna, cerca de 30% desse valor, aproximadamente R$ 500 mil, estão comprometidos com pagamentos de projetos.


Fora de cena 5 Restam, portanto, pouco mais de R$ 1 milhão, que seriam usados em eventos calendarizados, suspensos pela pandemia. Nessa conta não entram os repasses feitos pelo estado nos últimos meses, que a Coluna não sabe quantificar. Somados a esses novos valores, que fontes ouvidas pela Camaçarico calculam em mais de R$ 500 mil, a situação dos artistas seguramente seria menos complicada que o atual cenário.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


7/5/2020


 

 







Barbeiragem  Motoristas dirigindo sem máscara, passageiros desprotegidos, e sistema de transporte operando sem fiscalização, portanto sem garantias  de aplicação das normas determinadas pela própria prefeitura para controle e combate à propagação do Covid-19. Essa é a imagem da Camaçari que a Superintendência de Trânsito e Transportes (STT) do município insiste em ignorar e ajudar a reforçar.


Barbeiragem 2 Operando por dia com pouco mais de 10 dos seus cerca de 80 agentes, a STT segue descumprindo seu papel constitucional de fiscal e defensor da saúde da população. Segundo apurou a Coluna, desde meados do mês que o órgão, comandado pelo coronel e ex-comandante-geral da PM, Alfredo Castro, se colocou na quarentena.


Barbeiragem 3 Esse inexplicável distanciamento se confirma com a escala de plantão, que define 1 dia de trabalho e 9 de folga para os agentes de trânsito. Reforça essa desprotegida estrutura de apoio diário, a presença em serviço de apenas duas viaturas para a cobertura de um município com 759 quilômetros quadrados de território. Sede do maior complexo industrial integrado da América Latina, Camaçari, que mesmo com movimento reduzido pela pandemia, mantém uma circulação de veículos, ainda que menor, se comparada aos mais de 180 mil que trafegam nos dias normais.


Barbeiragem 4 Também é injustificável a ausência das blitz educativas, serviço de testagem de temperatura. Não faltam exemplos de aglomerações perigosas que a STT poderia contribuir para amenizar. Um dos casos mais simbólicos são as filas nas agências bancárias, em especial na Caixa Econômica, onde estão sendo pagos os auxílios emergenciais numa cidade onde quase metade dos seus 300 mil moradores tem renda mensal de até 3 Salários Mínimos (R$ 3.135).


Barbeiragem 5 Mas, esse descuido vai além da falta de uma gestão que operacionalize de forma eficiente as ações e os gastos da STT. É o que mostra o Diário Oficial nº 1387, de 3 de abril deste ano. Documento oficial do município exibe a renovação do contrato anual de R$ 645 mil de aluguel do aplicativo para gestão de trânsito, que tem como carro chefe o chamado talão eletrônico de multas.


Barbeiragem 6 Mesmo gastando quase R$ 54 mil mensais com um único contrato, a STT não vem aplicando esse serviço. Segundo apurou a Coluna, esse descuido, denunciado em novembro do ano passado (Confira), e reforçado no Camaçarico de janeiro (Confira), continua, só que agora justificado pela pandemia do Covid-19.


Saudades Longe do contágio necessário para assegurar apoios para a reeleição, os 21 vereadores de Camaçari decidiram retomar seu contato com o eleitor, suspenso desde o mês passado com a quarentena imposta pelo Covid-19. 


Saudades 2 Segundo apurou a Coluna, as atividades serão retomadas partir de segunda-feira (4), com a implantação do sistema de turnão, das 8h às 14h, para o funcionamento dos gabinetes e setores da área administrativa. Para evitar aglomerações e riscos de contágio, acesso será controlado com testagem de temperatura, uso de máscara, aplicação de álcool gel, distanciamento e outros cuidados.


Sintomas Quem anda provocando ciumeira na banda governista no Legislativo de Camaçari é o vereador doutor Elias Natan. O tucano, que deixou a pasta da saúde (Sesau) no final de março, segue como se nada mudou. Mesmo sem o cargo de presidente da comissão de saúde da Câmara de Vereadores, presidida pelo colega de legenda, Pastor Neilton, o doutor Natan virou o representante do Legislativo nas ações contra o Covid-19 no município.


Sintomas 2 Sem esconder a ´sombra` sobre o atual titular, o também médico Luiz Duplat, participa de reuniões sobre o esquema de combate ao coronavírus, inspeciona obras de implantação de unidades especiais para atendimentos de pacientes contaminados, dá entrevistas, e até aparece ao lado do alcaide nos registros oficiais.


Sintomas 3 A ciumeira ficou ainda maior depois que o doutor Natan passou a usar o pomposo colete com o brasão do Legislativo. Sem direito ao mimo, e mantendo o controle da poderosa máquina da Sesau, com orçamento milionário e generosos espaços na mídias nesses tempos de pandemia, os colegas até providenciaram um apelido carinhoso  para o colega. Na intimidade dos gabinetes, o doutor Natan vem sendo chamado de ´OLX´, numa referência ao site de compra e venda de produtos que tem como lema o bordão ´desapega´.


De novo O vencimento da 1ª parcela e da cota única do IPTU será mais uma vez adiado. Com a nova data, dia 31 de maio, o contribuinte de Camaçari não terá mais 10% de desconto no pagamento da cota única. Em tempos de cortes provocados pelo Covid-19, abatimento será de 5%.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


30/ 4/2020

 







Lâmina O alcaide Antonio Elinaldo (DEM) enviou nesta terça-feira (28), o projeto de Lei que reduz em 20% seu salário, do seu vice, dos secretários, e subsecretários do governo de Camaçari. O pacote veio depois da cobrança do Camaçarico (Confira), sobre a indefinição de medidas que estendessem os sacrifícios financeiros, já impostas aos servidores, a todos os membros do primeiro escalão, servidores com remunerações mais altas, e até representantes do Legislativo.


Lâmina 2 O pacote de medidas, que começa a valer já no salário de maio, e que pode se estender até outubro, a depender das receitas futuras com impostos, também inclui o corte de 15% sobre as vantagens salariais dos cerca de 3 mil servidores com vencimentos acima de R$ 4 mil.


Lâmina 3 Segundo apurou a Coluna, cerca de R$ 2 milhões mensais é o valor da economia estimada para os cofres do município com mais esse pacote de redesenho da máquina municipal para enfrentar a crise financeira em decorrência da pandemia do Covid-19. Número, muito próximo do projetado pela Coluna, representa cerca de 5% da folha de pessoal composta por cerca de 7,4 mil servidores, entre efetivos, Redas e nomeados para funções de confiança fora do quadro.


Lâmina 4 Mesmo já brindados com a mudança no calendário de vantagens alterado com o pacote anterior (Confira), servidores não foram esquecidos nesse novo projeto que a Câmara de Vereadores vota em duas sessões extraordinárias nesta quarta-feira (29) e na quinta-feira (30). Diferente da fala do alcaide, que assegurou que as medidas não mexeriam em vantagens dos servidores, o novo pacote também suspende os 2,67% referentes a última parcela, que seria depositada em julho. Já os 2,67% de abril devem ser pagos, como parte do acordo de reposição das perdas salariais que a categoria vem sofrendo desde 2016. A suspensão do acordo não pode ocorrer antes que o Projeto de Lei seja votado e aprovado pelo Legislativo, para seguir para sanção do Executivo, lembram os servidores.


Lâmina 5 O ajuste no Legislativo, outra cobrança do Camaçarico, segue o exemplo do Executivo e corta 20% nos vencimentos dos 21 vereadores. Pacote também atinge com a tesoura dos 15% os salários dos assessores parlamentares e cargos de confiança da Câmara de Vereadores.


Lâmina 6 Levantamento feito pela Coluna, com base em dados salariais de janeiro deste ano, postados no site do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), mostra que só com a redução na remuneração dos 21 representantes do povo, em R$ 2,5 mil, o equivalente a 20% do bruto mensal de R$ 12.599,00, a soma extra ganha R$ 52 mil.


Lâmina 7 Somados aos cerca de R$ 290 mil, fruto dos descontos de 15% nos vencimentos dos assessores do Legislativo, conta fecha próximo dos R$ 350 mil mensais. Diferente da prefeitura, os vereadores não mexeram nos salários dos servidores de carreira. Ainda segundo dados do TCM, dos 61 efetivos da Casa, 21 estão acima do teto mensal de R$ 4 mil.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


28/ 4/2020


 

 







Caminhos O alcaide de Camaçari segue muito próximo do prejuízo político quando alimenta a perigosa ausência de decisões mais duras e necessárias no pacote de medidas de redução de gastos com a máquina pública de Camaçari para fazer frente ao coronavírus e todas as suas consequências na cidade.


Caminhos 2 O demista Antonio Elinado, que deveria dar o exemplo iniciando os cortes pela própria carne, e em setores privilegiados da gestão, preferiu inaugurar as necessárias reduções, já neste abril, pelo bolso do servidor, na sua maioria com com salários já comprometidos com outros descontos e sem reposição da inflação. Como antecipou a Coluna (Confira), pacote de medidas importantes e necessárias de ajustes nas contas municipais, que também atinge fornecedores e contratados pelo município, está aquém do tamanho desejado.


Caminhos 3 Com esse atraso, alegado pela necessidade de estudos e detalhamento de medidas, o alcaide deixa de promover cortes onde é possível e devem ser feitos imediatamente. Conta feita pela Coluna mostra que reduzir em 20%, o seu salário, do vice-prefeito, dos secretários, subsecretários, e dos servidores com vencimentos  acima de 6 Salários Mínimos (SMs), o equivalente a R$ 6.270, geraria uma economia mensal superior a R$ 1,7 milhão. Ficariam fora dessa cota de sacrifício do corte de 20% nos vencimentos, os pouco mais de 3,7 mil servidores com remuneração de até 3 SMs (3.135), o equivalente a 50% do quadro de efetivos do município.


Caminhos 4 Com base nos números de dezembro de 2019, últimos postados no site do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), a Coluna encontrou 1.293 servidores com salário mensal acima dos 6 SMs (R$ 6.270,00), mas que não batem no teto constitucional de R$ 16.811,29, recebidos pelo prefeito. Só o corte de 20% nessa faixa resultaria numa economia superior a R$ 1,5 milhão.


Caminhos 5 Ainda segundo o site do TCM, abastecido com informações da própria prefeitura, o alcaide Antonio Elinaldo não está só no seu patamar salarial bruto de quase R$ 17 mil. Existe um grupo de  48 servidores que acumula vantagens e outros penduricalhos que permitem um embolso mensal igual, em alguns caso até superior ao recebido pelo prefeito. Aplicando só nessa casta, formada por procuradores, auditores, médicos, profissionais da engenharia, da contabilidade, da informática, e até por 2 professores, o corte de 20% (R$ 3.200,00) representaria puco mais de R$ 150 mil, portanto quase 10% de todo o grupo com vencimentos acima de 6 SMs.


Caminhos 6 Somados esses cerca de R$ 150 mil abatidos dos ´48 tops`, aos mais de R$ 1,5 milhão dos 1.293 servidores acima de 6 SMs e abaixo do teto, conta vai para quase R$ 1,7 milhão/mês. Engorda essa conta, outros cerca de R$ 60 mil mensais provenientes dos 20% cortados no salário do prefeito (R$ 3,2 mil), do vice-prefeito e secretários (R$ 3 mil), e subsecretários (R$ 2,4 mil).


Caminhos 7 Nessa multiplicação pela vida, a Câmara de Vereadores pode ampliar ainda mais esse fundo emergencial. Só com a redução na remuneração dos 21 representantes do povo, em R$ 2,5 mil, o equivalente a 20% do bruto mensal de R$ 12.599,00, a soma extra em favor da saúde ganharia mais R$ 52 mil. A Coluna não teve acesso a números da Superintendência de Trânsito e Transportes (STT) e Instituto de Seguridade Social do Município (ISSM).


Equilíbrio A prefeitura de Camaçari vai esperar um quadro de evolução mais preciso dos casos de Covid-19 no município, para definir com os empresários um cronograma de retomada das atividades suspensas desde meados de março.


Equilíbrio 2 Segundo apurou a Coluna, o alcaide Antonio Elinaldo (DEM) não vai ceder às pressões de setores preocupados apenas com os lucros, apesar do discurso de defesa dos empregos. Nada será definido antes da primeira semana de maio, quando espera inaugurar o centro intensivo de combate ao Covid-19, unidade especial com 10 UTIs, na antiga clínica Clirca, e a outra estrutura, classificada como intermediária, no antigo Hospital da Mulher, para casos menos graves. As duas unidades estavam desativadas e estão sendo adaptadas e equipadas com recursos do município.


Equilíbrio 3 Com essas estruturas prontas e uma avaliação dos casos no município, que somam 35 contaminados e 1 óbito, informado no começo da tarde deste sábado (25), só então será definido quando e como lojas, salões de beleza, academias, templos religiosos e bares voltarão a funcionar.


Receituário O ex-titular da secretaria de saúde de Camaçari, o médico ortopedista Elias Natan, nega que assumiu uma nova fala, a de vereador do PSDB preocupado apenas com acordos que facilitem a sua reeleição, como comentou o Camaçarico (Confira), sobre sua movimentação em defesa do comérico, desde que deixou a Sesau .


Receituário 2 Através de sua assessoria, o tucano garante que a questão produtiva, aliada aos compromissos com a saúde, nessa crise do coronavírus, sempre pautaram suas preocupações. Ainda de acordo com sua assessoria, Natan nunca deixou de se reunir com empresários para discutir caminhos de retomada das atividades comerciais, hoje suspensas pela necessidade de isolamento social exigido em casos de pandemia. 


Receituário 3 A assessoria só não comentou sobre a permanência do doutor Natan envergando o colete do SUS, já que não é mais o titular da Sesau. Símbolo, que deveria evitar com a retomada da função legislativa, não deixa dúvidas da manutenção da sua influência na pasta, e da sua necessidade de somar dividendos mantendo sua imagem atrelada ao antigo posto. Essa influência na Sesau não permanece apenas com a manutenção de sua equipe de assessores chaves no comando da pasta. O doutor Natan também não pode negar suas relações nada republicanas com o seu ex-sub, hoje titular da pasta, como registrou a Coluna do último dia 16, nota ´Contaminação´ (Confira).


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


25/4/2020

 







Aperto O pacote de redução de gastos com a máquina pública de Camaçari, não vai ficar apenas nas medidas aprovadas pelos vereadores, nesta quinta-feira (23), que alteram direitos dos servidores, como antecipou semana passada o Camaçari Agora (Confira). 


Aperto 2 Para enfrentar essa nova fase, que o município estima perder cerca de 20% da receita, algo em torno de R$ 200 milhões, até o final do ano, prefeitura vai cortar benefícios de servidores que não estão trabalhando nesse período de isolamento social. 


Aperto 3 Segundo apurou o Camaçarico, esses ajustes começam a valer já no contracheque de abril, com o corte de cerca de R$ 600, referentes aos auxílios transporte e alimentação. Para o salário de maio, o governo projeta a suspensão do pagamento de horas extras, gratificações por condição especial de trabalho (CET), e suspensão da extensão da carga horária.


Aperto 4 Ainda segundo fontes governistas, medidas que estão sendo estudadas podem atingir até o pessoal da educação. Com uma folha de pessoal de aproximadamente R$ 42 milhões, Camaçari possui cerca de 7,3 mil servidores, sendo pouco mais de 6 mil efetivos, 800 sem vínculo funcional com o município, mas que exercem apenas cargo de confiança, e 400 Redas.


Aperto 5 Ajustes, que o governo do alcaide Antonio Elinaldo (DEM), justifica com a necessidade de direcionar recursos para setores prioritários, como folha de pessoal, e combate ao Covid-19, com mais investimentos em saúde e ampliação dos benefícios, como cestas básicas e ajuda financeira para a população mais carente, maior parcela das vítimas da crise, também mexe em outras áreas da gestão. 


Aperto 6 Mesmo sem informar números, o pacote que não representa menos de R$ 2 milhões mensais na máquina municipal, também passa pela suspensão de projetos não prioritários e planejados para este ano pelas secretarias. Renegociação de contratos com fornecedores, e alugueis de imóveis pelo município, estimados em cerca de R$ 6 milhões/ano.


Novo receituário Depois de defender com veemência o isolamento social, o uso da máscara e dos demais cuidados contra o contágio pelo coronavírus, o médico Elias Natan, trocou o discurso de titular da secretaria de de saúde (Sesau), pasta que ocupou até o final de março, para assumir uma nova fala, a de vereador do PSDB preocupado com a reeleição.


Novo receituário 2 Esse é o único diagnóstico para mudança de posição tão acelerada do governista, que agora defende a flexibilização do comércio. Mesmo sem abandonar um dos símbolos do posto que ocupava, o colete azul do SUS, e todas as implicações simbólicas da indumentária, o doutor Natan avança com novas bandeiras em busca do voto.


Novo receituário 3 Postou na sua conta do Instagram fotos e relatos de seus encontros, na quarta-feira (22), com os titulares da secretaria de governo (Segov), e da educação (Seduc). Com a professora doutora Neurilene Martins, da Seduc, o vereador foi light. Conversou sobre o projeto de apoio pedagógico aos cerca de 35 mil alunos que estão sem aulas por conta da pandemia.


Novo receituário 4 Já com o doutor José Gama, da Segov, a conversa foi sem rodeios e direta na defesa dos empresários que estão com seus pontos de vendas fechados. Apresentou, segundo texto postado na sua página, “uma pauta das associações comerciais por medidas que garantam sustentabilidade ao comércio local neste momento de enfrentamento ao novo Coronavírus”. 


Gesto Cestas básicas para 175 catadores que atuam na reciclagem e cerca de 8 mil kits de higiene e limpeza fazem parte do pacote de ajuda que a Braskem está assegurando para famílias carentes de Camaçari, Dias D` Ávila, Candeias, Simões Filho e Salvador. O programa, que em Camaçari vai beneficiar com os kits, famílias residentes no Parque Florestal, Mangueiral, Jardim Limoeiro e PHOC 3, faz parte da campanha de solidariedade nessa crise provocada pela pandemia do coronavírus.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


23/4/2020

 







Certezas  Felizmente sem mortes, e longe da lista de recordes provocados pelo coronavírus, Camaçari não se afasta da pole position de outra enfermidade que as autoridades não conseguem nem formular propostas, muito menos ações eficientes de combate. Até terça-feira (21), Camaçari registrou 28 assassinatos. Só num único dia, o domingo de Páscoa (13), município contou 8 mortes violentas.


Certezas 2 A 9 dias para fechar o mês, abril já supera o mesmo mês de 2019, com 22 assassinatos; o de 2018, com 18 registros oficiais; 2016 (22); e 2015 com o mesmo número. Ainda segundo dados oficiais fornecidos pelo site da Secretaria de segurança Pública (SSP-BA), nestes 21 dias de abril já exibe o mesmo número de 2017, também com 28 assassinatos. Nessa triste comparação, o mês que ainda não acabou só perde para abril de 2014, quando 34 pessoas foram assassinadas no município.


Certezas 3 Mais uma pesquisa realizada em Camaçari mostra que a maioria da população é contra a reabertura geral de lojas e pontos comerciais que não sejam dos ramos de medicamentos, gêneros alimentícios, material para construção e oficinas para reparos de veículos. Esse é o segundo estudo mostrado pela Coluna, que sinaliza  de forma clara esse desejo da maioria da população de cumprir o isolamento social.


Certezas 4 Levantamento que a Coluna teve acesso mostra que 72,3% defendem a manutenção do fechamento do comércio, enquanto 25,2% defendem a reabertura. Outros 2% não souberam responder.


Certezas 5 Estudo feito por telefone também mostra que 79,6% acham que as pessoas devem ficar em casa, contra 18,2% que defendem a volta da circulação pelas ruas. Outros 2% não souberam responder.


Certezas 6 Já a preocupação com a saúde dos estudantes supera a discussão sobre os prejuízos para a economia com as lojas fechadas. Essa certeza da população fica clara com o índice de 89,6% de defensores de que as escolas devem permanecer fechadas. Apenas 9% acham que as aulas devem ser retomadas, enquanto 1,5% não soube responder.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


22/4/2020

 







Contramão Dirigentes empresariais do comércio de Camaçari parecem seguir a receita bolsonarista de abrir as lojas, acreditando assim que manterão a economia ´viva`. Felizmente, essa mentalidade plana, que não mede os riscos crescentes de aumento dos casos de contaminação, com possíveis óbitos, e a consequente falência do sistema de saúde no município, como já acontece em muitas cidades, não conta com o apoio da população.


Contramão 2 Sondagem feita semana passada pela prefeitura, que a Coluna teve acesso, mostra que 90% são favoráveis ao isolamento social. Número, que indica a vontade e o medo de 9 em cada 10 camaçarienses consultados de saírem de casa, lembra a música ´O dia em que a Terra parou`.


Contramão 3 Nesses tempos de pandemia do Covid-19, a releitura da letra do baiano Raul Seixas  sinaliza que nesse jogo, mesmo com oferta de produtos, a conta sai cara para a população que ao sair de casa para cumprir sua parte do jogo da economia, aumenta seus riscos.


Navalha  A população de Camaçari espera agora os chamados cortes na´própria carne`nas contas da máquina da prefeitura e Câmara de Vereadores. Medidas de redução de despesas, que deveriam começar pelo exemplo do gestor e dos representantes do povo, se inverteu com mudanças no pagamento e no cronograma de benefícios de servidores, como férias e licenças, como informou na sexta-feira (17) o Camaçari Agora (Confira).


Navalha 2 Como já cobrou o Camaçarico (Confira), o alcaide Antonio Elinaldo (DEM) ainda não definiu se reduz, e de quanto será esse corte no seu salário. Também não sinalizou se a medida atinge os vencimentos do seu vice, dos secretários e dos cargos graúdos do governo, como forma de ajudar a ampliar os recursos no combate ao coronavírus.


Navalha 3 Segundo apurou a Coluna, os estudos, que já deveriam estar concluídos e anunciados com data de validade, sinalizam um percentual em torno de 20%. Confirmado esse tamanho, o prefeito, que hoje recebe cerca de R$ 16.811,29, passaria a contar com um bruto, portanto sem descontos, de R$ 13 mil. O vice-prefeito José Tude (DEM) e os secretários, com salários iguais de R$ 15.411,29, cairiam para R$ 12 mil, enquanto os subsecretários, remunerados mensalmente com R$ 12.329,03 passariam para a algo próximo de R$ 10 mil.


Navalha 4 Na Câmara de Vereadores, não se tem notícia nem de estudos sobre essas adequações ao novo momento de contenção de gastos. Os vereadores recebem mensalmente pouco mais de R$ 12,5 mil de salário. Estabelecidos os mesmos 20% que podem ser usados como taxa de corte no Executivo, os vereadores abririam mão de cerca de R$ 2,4 mil mensais.


Navalha 5 A bancada governista, com 15 dos 21 votos no Legislativo, deve aprovar na próxima quinta-feira (23) o pacote de mudanças nos benefícios dos cerca de 6 mil servidores.


Navalha 6 Também sem abrir mão da máscara e das luvas, e distantes de qualquer ação que implique em redução de benefícios, os agora 6 antigovernistas, com a inclusão do ex-tucano e neo-pedetista Oziel Araújo, que tanto cobram economia do alcaide Elinaldo, não dão o exemplo puxando esse coro por cortes.


Navalha 7 Numa continha rápida, Executivo e Legislativo contribuiriam mensalmente cerca de R$ 170 mil. Nos próximos meses esse volume alcançaria R$ 1 milhão. Só com o corte de 20% nos salários do alcaide, dos secretários, do vice-prefeito e dos subsecretários renderiam mais de R$ 111 mil mensais. Já os 21 vereadores transfeririam para o combate ao Covid-19 cerca de R$ 50 mil mensais, só com cortes nos salários.


Navalha 8 Ficam, portanto, fora dessa operação os R$ 1.750 de combustível e os R$ 3,2 mil de tíquetes alimentação que cada um dos 21 vereadores tem direito mensalmente. Nesse pacote agregado ao salário, entra ainda o carro alugado com todas as despesas de manutenção pagas pelos cofres públicos. Segundo apurou a Coluna, no Executivo não existe cota alimentação para secretário. Diferente das cotas do Legislativo, os gastos por secretário são mais difíceis de avaliar, já que as cotas de combustível variam de acordo com as necessidades de cada pasta. Na prefeitura, essa distribuição é controlada por um sistema eletrônico, que possui inclusive GPS para localização do veículo.  


Navalha 9 Quase 48 horas após a informação postada na sexta-feira (17) pelo Camaçari Agora, o PT de Camaçari soltou Nota Pública criticando o pacote da prefeitura que mexe no bolso do servidor. Documento divulgado no começo da noite de domingo (19), se posiciona contra o projeto e garante que a bancada de 4 vereadores da legenda vai defender a retirada de pauta do Projeto de Lei.


Navalha 10 Assim como o PT, único a se posicionar publicamente contra o projeto do Executivo, o PCdoB e o PDT, também integrantes na bancada oposicionista, seguem mudos e nada falam sobre cortes de gastos no Legislativo.


 Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


20/4/2020

 







Paradeira  Os empresários de ônibus de Camaçari já foram pedir seu quinhão de ajuda para conter o estrago nos torniquetes causado pelo Covid-19. Mesmo mais fortes e com mais gordura para queimar, setor que soma mais de 140 veículos e cerca de 600 empregados, foi atendido primeiro.  Nessa articulação de conversas, coordenada pelo secretário de governo (Segov), José Gama, segmentos mais frágeis e com necessidades de sobrevivência maiores, como os mototaxistas e taxistas, ainda não estão nessa agenda.


Paradeira 2 Só os autônomos das duas rodas reúnem cerca de 800 profissionais cadastrados na prefeitura. Somados aos mais de 400 taxis, entre comuns e especiais, segmento representa mais de 1.200 chefes de família que estão com suas atividades restritas, mas que precisam de soluções para continuarem sobrevivendo.


Paradeira 3 Lista dos profissionais liberais motorizados que precisam de ajuda avança com os motoristas autônomos do serviço de transporte escolar. São cerca de 80 profissionais que estão sem receber remuneração com a suspensão das aulas nas escolas públicas e privadas do município. Sem a renda mensal que não ultrapassava os 3 salários mínimos, pouco mais de R$ 3 mil, esses profissionais também querem ter uma conversinha com o alcaide. 


Movimento  Por falar em mobilidade, o ´ligeirinho`, serviço de transporte de passageiros em Camaçari, que apesar de clandestino, conta com o apoio mascarado da prefeitura, segue seus roteiros sem nenhuma preocupação com a segurança nesses tempos de pandemia. Mesmo contrariando normas da Organização Mundial de Saúde (OMS), serviço segue sem fiscalização e reunindo passageiros num mesmo veículo, prática que só ajuda a ampliar a possibilidade de propagação do coronavírus.  


Vacina  E o alcaide Antonio Elinaldo parece que resiste à ideia, que já contaminou seus colegas de Salvador, Simões Filho e Feira de Santana. Todos já decidiram cortar seus salários como forma de gerar mais receita para o combate ao Covid-19. Medida mais ampla, defendida pelo Camaçari Agora, com cortes nos salários de secretários e subsecretários, vem sendo discutida pelo governo municipal desde o mês passado, como informou o Camaçarico (Confira). 


Vacina 2 Muito mais que ampliação de recursos no combate ao avanço do coronavírus no município, medida também sinaliza solidariedade e esforço, que já vem sendo imposta à população de forma ainda mais impactante, com perda de emprego e um cenário pessimista para os próximos meses.


Contaminação A nomeação da enfermeira Norma Duplat, esposa do atual titular da secretaria de saúde de Camaçari, o médico obstetra Luiz Duplat, para uma das assessorias do vereador e também médico, o ortopedista Elias Natan (PSDB), ex-secretário da Sesau até o final de março, é o que se poderia chamar de caso grave de contaminação na máquina pública.


Contaminação 2 Ao realizarem o que se poderia chamar de ´procedimento` sem o uso das máscaras, luvas e outros requisitos indispensáveis para a assepsia na gestão da coisa pública, os doutores Duplat e Natan exibem sinais de perigosas segundas intenções.


Contaminação 3 Num momento grave e delicado de pandemia do coronavírus, onde milhares de vidas dependem de suas ações, tudo que a Sesau não precisa e não pode realizar é movimentos que mirem apenas questões pessoais e políticas.


Contaminação 4 Nesse processo de descuido com o ambiente limpo da gestão pública, a Câmara de Vereadores, através do seu presidente e aliado do governo municipal, também dá a sua contribuição. O demista Jorge Curvelo demostrou inabilidade ao permitir a compensação financeira da aliada, que ficou impedida de continuar no cargo comissionado que ocupava na secretaria, com a ascensão do marido, ex-subsecretário e agora titular da pasta.


Contaminação 5 Mesmo sabendo que a nomeação nos gabinetes dos 20 companheiros de Parlamento é um direito do titular da cadeira, Curvelo, oficialmente e responsável pela burocracia da nomeação da nova assessora, teria de adotar medidas mínimas de higiene política.


Contaminação 6 Apesar da missão de guardião da coisa pública e defensor da gestão do aliado e amigo, o alcaide Antonio Elinaldo (DEM), Curvelo preferiu deixar o vírus se espalhar. Sequer usou o condenável, mas comum expediente de mascarar a atípica e perigosa situação com a nomeação da esposa do aliado em outro gabinete no Legislativo.


Contaminação 7 Nesse momento de pandemia pelo Covid-19, que exigem todos os cuidados e ações, principalmente receita austera de transparência na gestão de recursos extras que chegam à casa dos milhões, um ambiente de dúvidas não ajuda. Muito pelo contrário, só amplia os riscos. Cabe agora ao ´doutor` Elinaldo conter o avanço desse vírus.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


16/ 4/2020

 





Freio

Freio  O Ministério Público Eleitoral de Camaçari prepara recomendação ao alcaide Antonio Elinaldo (DEM) e aos 21 vereadores do município sobre a distribuição ou permissão de bens, valores e benefícios durante os próximos meses deste ano de 2020. A ideia é evitar uso das máquinas da prefeitura e da Câmara de Vereadores nesse momento de grave crise e carência ainda maior da população com a pandemia do coronavírus.


Freio 2 Segundo apurou a Coluna, os promotores Everardo Yunes e Virgínia Libertador, responsáveis pelo MP Eleitoral em Camaçari, devem recomendar atenção redobrada por parte da prefeitura para que não utilize os programas sociais mantidos pela administração municipal, e os  bancados pelo governo federal, mas distribuídos pelo município, para a promoção de candidatos e partidos. Também tenha cuidado redobrado com os processos licitatório para aquisição de produtos e serviços.


Freio 3 MP também deve fiscalizar a distribuição dessas ajudas, como cestas básicas, por parte dos vereadores e até pelos oficialmente pré-candidatos, mas em plena campanha, facilmente comprovada pelas suas movimentações nas redes sociais e veículos de comunicação.


Quarentena E a Câmara de Vereadores de Camaçari voltou ao ´isolamento social`. Depois de realizarem 3 sessões extras, semana passada, que somaram menos de "uma hora de relógio", como costuma dizer o povão, os 21 vereadores seguem cuidando dos eleitores de outra forma. Assépticos e longe do debate institucional, que não deveriam abandonar, em especial respaldando a ação da prefeitura de manter fechados parte do comércio e templos religiosos, vereadores preferem se preocupar com cestas básicas e outras ´ajudas humanitárias`. 


Quarentena 2  Mesmo recebendo pressão, inclusive visita de parlamentares, o alcaide de Camaçari resiste e segue o figurino da Organização Mundial de Saúde (OMS). Renova por mais 15 dias o decreto de fechamento de parte do comércio e templos religiosos. Segundo apurou o Camaçarico, o ato deve ser aunciado ainda nesta terça-feira (14).  


Conectados Em tempos de distanciamento social provocados pelo Covid-19, os candidatos de Camaçari não perdem tempo e buscam manter o eleitor próximo para não deixar o voto ir para o HD do adversário. Sem a máquina, muito usada pelo seu marido, o também petista Luiz Caetano, nos 3 mandatos de prefeito do município, a candidata a prefeita e advogada Ivoneide Caetano, tem promovido reuniões virtuais. Novo formato com aplicativo que permite interação com dezenas de pessoas ao mesmo tempo, começou a ser usado no sábado (11), e vem acontecendo todos os dias, sempre a partir das 17h. Na agenda, encontros com músicos, nesta quarta-feira (15), e mulheres na quinta-feira (16).


Conectados 2 Outro que não vem brincando é o candidato a vereador pelo PSL, Jamesson Silva. Já com intensa presença nas redes sociais, Jamesson inicia a partir das 18h desta quinta-feira (16), sua Live semanal no Instagram e Facebook. Nesse primeiro encontro vai discutir justiça social e financeira nesse período de pandemia.


Conectados 3 Na mesma quinta-feira, também no mesmo horário, o cantor Pincel, outro postulante a uma das 21 cadeiras na Câmara de Vereadores de Camaçari faz show ao vivo, transmitido pela sua página no Instagram. Artista e morador de Arembepe, Pincel vai pedir ajuda para arrecadar alimentos para famílias carentes. 


Prevenção O serviço de atendimento telefônico 156, com orientações e informações sobre o coronavírus já foi acionado por quase 2 mil usuários residentes em Camaçari. Inaugurado dia 26 de março, serviço de ligação gratuita tem apresentado um número médio diário de 80 ligações durante as 9 horas do serviço, que funciona de domingo a domingo, das 8h às 17h.


Prevenção 2 Com uma equipe de 5 atendentes, o telefone 156 exibe um volume de ligações muito acima da média identificada nesse tipo de serviço. Segundo apurou a Coluna, a maioria das ligações são dúvidas sobre o Covid-19. Completam esse serviço, que ajuda a secretaria de saúde do município a mapear regiões e ampliar a eficácia de suas ações, o trabalho de orientação de como evitar contaminação, e o recebimento de denúncias de casos suspeitos. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


14/4 /2020 Atualização às 14h01

 







Assepsia  Com a decretação do Estado de Calamidade Pública, pela Assembleia Legislativa, e de outras medidas tomadas na alçada do município, Camaçari sinaliza um alto volume de recursos necessários e fundamentais para o combate ao avanço do coronavírus no município.


Assepsia 2 Conta que ninguém sabe de quanto será esse tamanho, que seguramente chega aos 2 dígitos de milhão, precisa receber um tratamento de transparência indispensável para não ser contaminada pelo vírus da irregularidade, muito presente no ambiente das administrações públicas, independente de ser municipal, estadual ou federal.


Assepsia 3 Já que a Câmara de Vereadores, aí incluída a oposição desarticulada e a silenciosa base governista, não realiza de forma intensa e efetiva essa fiscalização, a Coluna sugere ao alcaide Antonio Elinaldo (DEM) a  criação imediata de um espaço no site da prefeitura, detalhando todos os gastos da gestão com o combate ao coronavírus. Diferente da confusão gerada hoje com a publicação solta e desornenada dessas medidas, esse ícone garantiria o processo de trasparência com a informações detalhadas de todos os gastos. Quais os convênios realizados, quem recebeu, quanto recebeu, e qual serviço prestado.


Assepsia 4 Abastecido com uma periodicidade de no mínimo 2, 3 dias, esse espaço não apenas permitiria à população fiscalizar com um simples clique. Essa ajuda será fundamental para que a gestão não gaste errado, e sinalize para o contribuinte que deseja fazer a coisa certa.


Assepsia 5 Só com essa transparência, assegurada pelo olho do eleitor, a prefeitura poderá cobrar de forma rápida os possíveis excessos praticados por fornecedores inescrupulosos de produtos e serviços, patrocinadores de preços pandêmicos nesses tempos de medo e insegurança.


Receituário Se todas as medidas de apoio e atendimentos médicos e de internamento aos casos de Covid-19 em Camaçari se concretizarem, o município enfrentará a pandemia sem grandes problemas.


Receituário 2 Depois de assegurar o aluguel e montagem de uma unidade na antiga clínica Clirca, a prefeitura amplia essa possível rede com a habilitação do Hospital Santa Helena. Diferente do antigo Hospital da Mulher, outro incluído no programa emergencial, que junto com a Clirca, precisam de tudo, além do passivo em aberto com o município, o Santa Helena está em funcionamento e totalmente equipado. Unidade poderá dispor de forma imediata de parte de sua estrutura com UTI, semi-UTI e leitos para atender vítimas do coronavírus.


Receituário 3 No caso da Santa Helena, que já tem um acordo de pagamento em serviços médicos, por uma dívida de cerca de R$ 11 milhões por não pagamento de impostos atrasados, a prefeitura, segundo o Diário Oficial de quarta-feira (8), homologou a unidade para prestar serviços que somam quase R$ 9 milhões (R$ 8.885.997,00).  


Prejú Os pequenos produtores rurais de Camaçari pedem socorro. Com a suspensão das 7 feiras itinerantes, desde a última semana de março, por conta da pandemia do coronavírus, produção está se estragando nos quintais e os mais de 80 produtores estão sem dinheiro, ou qualquer ajuda da prefeitura.


Prejú 2 Reclamam e estranham o tratamento diferenciado com os comerciantes da Feira de Prejú Camaçari, que segue funcionando longe dos padrões de segurança alegados para suspender as  itinerantes, nesses tempos de  Covid-19. Com o fechamento da prefeitura, por conta do ponto facultativo desta quinta-feira (9) e do feriado santo de amanhã, documento pedindo soluções urgentes, só protocolado na próxima segunda-feira (13).


Prejú 3 Segundo apurou a Coluna, a falta de apoio e soluções, apesar da crise anunciada, vem desde os tempos do secretário Antonio Falcão, titular da pasta da agricultura e pesca (Sedap). Mais um ´pepino`no balaio de problemas para o novo titular. O engenheiro agrônomo Denilson Queiroz, assumiu a Sedap no final de março, em substituição a Falcão, vereador do ex-DEM e agora candidato a reeleição pelo Cidadania, que voltou para o Legislativo por força da Legislação Eleitoral.


Corona O Judas deste ano será queimado online. Impedida de festejar seu traidor, como nos anos anteriores, a população vai promover sua fogueira via internet. Nova realidade vai mostrar quem é mais criativo na velha arte de executar o inimigo. Nesse rastilho, muda tudo, até a velha tradição sempre cumprida na noite do próximo sábado (11). 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


9/4/2020

 





Quarentena

Quarentena  A Câmara de Vereadores de Camaçari segue fechada e pouco ou nada contribuindo com formulações para ajudar a enfrentar a crise do Covid-19 no município. Depois da cobrança do Camaçarico, pela realização de sessões online (Confira), a Câmara reagiu, mas ao seu modo.


Quarentena 2 Postou um vídeo em que o vereador Flavio Matos (DEM) dá uma aula de cuidados que a população deve ter, e as medidas que os governos estão adotando para minorar a grave crise que ameaça  a saúde da população e seus empregos.


Quarentena 3 Mesmo destacando na sua fala de cerca de 3 minutos que o “trabalho do Legislativo é fiscalizar”, que está “ansioso” e de que vivemos um momento de “reflexão e, sobretudo, responsabilidade”, não anuncia nenhuma novidade.


Quarentena 4 Resumindo, os vereadores seguem em quarentena e sem riscos de cortes de salário ou qualquer outra vantagem. Anunciaram apenas a devolução de parte do duodécimo, a sobra no repasse que a prefeitura envia para pagar as despesas do Legislativo. Essa proposta não inclui redução de salários de vereadores e cargos comissionados graduados.  


Quarentena 5 Distante de toda essa pandemia, o presidente do Legislativo, vereador Jorge Curvelo (DEM), sequer deu o ar da sua graça. Não se manifestou, muito menos apareceu em reunião do staff do governo do amigo e companheiro de longas lutas, Antonio Elinaldo.


Quarentena 6  De  forma isolada, vereadores usam as redes sociais para pedirem a suspensão de impostos municipais, das festas, até dos etc. Mas, seguem longe do consenso que deveriam buscar nesse momento de crise. Nada falam sobre doarem ao menos parte da sua cota de combustível e cederem os veículos a que têm direito, para reforço da frota nas ações de combate do Covid-19 no município.


Sem máscara Por pouco o alcaide Antonio Elinaldo não embarca na proposta dos pastores evangélicos e empresários, de reabrir o comércio e os templos do município. Não satisfeitos com a derrota, segmentos produtivos insistem numa outra modelagem, com a instituição de um rodízio de atividades no comércio, com dias e horários de funcionamento por grupos de atividades.


Sem máscara 2  O que esses mesmos empresários esquecem é que a proposta copiada da prefeitura de Vitória da Conquista, também bombardeada por lá, não se aplica a Camaçari. Diferente da cidade localizada no centro-sul do estado, onde o forte é a atividade comercial e de serviços, Camaçari, com os mesmos cerca de 300 mil habitantes que Conquista, tem seu motor na atividade industrial.


Sem máscara 3  Como se esse fator não fosse suficiente para mostrar que o comércio aberto é mais prejuízo que fechado, A Coluna lembra a proximidade de Camaçari de Salvador, e sua relação de interdependência com a capital, maior concentração de contaminados e mortes pelo Covid-19 no estado.


Incubação Por falar em esforço, o alcaide Elinaldo vai ou não vai cortar seu salário e de demais secretários, assessores e pessoal graduado da prefeitura para ampliar o caixa de combate ao coronavírus. As previsões para este resto de ano, e o alcaide sabe mais que ninguém, não serão nada boas, com a queda de receita proveniente de impostos.  


Incubação 2 Nesse movimento, que não se sabe a velocidade e o tamanho, a prefeitura anunciou no começo da noite desta segunda-feira (6) a criação de uma comissão de avaliação orçamentária e financeira  para estudar esses caminhos e soluções. Agora é aguardar o tempo entre a exposição  e a manifestação dos primeiros sintomas efetivos.


Vespeiro Apesar de plausível, a proposta do candidato a prefeito de Camaçari pelo PSol, de botar os servidores de todas as secretarias para trabalhar, não foi bem aceita por segmentos da categoria.


Vespeiro 2 Em Carta Aberta ao prefeito, publicada com exclusividade pelo Camaçari Agora (Confira), o educador Sócrates Magno não deixa dúvidas e defende com todas as letras a relocação de “pessoal de diversas secretarias que se encontram esvaziadas por conta da diminuição de atividades”, para engrossar o exército contra o hoje inimigo comum da população. A falta de estrutura para realizarem suas funções aparece no topo da lista de justificativas dos servidores para não saírem de casa.


Tons  Mesmo fora do cargo de secretário de saúde do município, o médico ortopedista Elias Natan (PSDB) segue colado nas ações da pasta que deixou semana passada, por força da Legislação Eleitoral. Com o Legislativo sem função, apesar desses tempos de crise e carência de contribuições, o vereador e doutor não deixou a trincheira da Sesau. Missão, apesar de espinhosa, ajuda a manter sua imagem de ´Mandetta` de Camaçari, com dividendos eleitorais inevitáveis.


Tons 2 Apesar do seu prestígio com o alcaide seguir em alta, ao ponto de fazer sombra ao atual titular, o seu ex-subsecretário desde o começo da gestão, o médico obstetra Luiz Duplat, Natan está consciente e segue sua estratégia. Sabe as diferenças entre hierarquia, poder, e teoria e prática.


Tons 3 Neste ritual, o agora vereador doutor Natan, não apenas segue controlando todos os cargos chaves da pasta. Também manteve o referencial simbólico da saúde nesses tempos de Covid-19. Por questões óbvias, passou a envergar o colete azul, já que o modelito bege é de uso exclusivo do agora secretário e não menos experiente, qualificado e conhecedor de Camaçari como poucos, o doutor Duplat.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


6/4/2020


 

 







Quadro O alcaide de Camaçari exibe sintomas inequívocos de contaminação pelo vírus da insegurança. Depois de mandar fechar o comércio e outros espaços, como templos religiosos, decisão necessária e recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como forma de conter o avanço do coronavírus, o demista Antonio Elinaldo recua e determina a reabertura dos espaços. Medida, adotada na tarde de sexta-feira (3), deveria valer a partir deste sábado (4). Deveria...


Quadro 2 É que o alcaide, mais uma vez recuou e decidiu manter tudo fechado. Em postagem de vídeo nas redes sociais e Nota distribuída por sua assessoria e publicada pelo Camaçari Agora (Confira), Antonio Elinaldo diz que atendeu ao "clamor da população do município” e seguiu a orientação de especialistas e entidades médicas".


Quadro 3 Ainda segundo a Nota, a medida, que deveria ser de sua única e exclusiva responsabilidade, tem co-autores. “ A decisão de flexibilizar o decreto foi tomada nesta sexta-feira (3), a partir de rodadas de diálogo com entidades religiosas e representantes do setor produtivo, que reivindicavam mudanças nas medidas adotadas pela Prefeitura Municipal para combater a proliferação do Coronavírus.”, diz outro trecho do documento.


Quadro 4 Esse vai e vem com riscos para a saúde da população mostra uma receita que o alcaide terá de seguir pelo bem dos cerca de 300 mil habitantes de Camaçari. Elinaldo precisa colocar de quarentena parte de seus assessores e outros interlocutores mais graduados e próximos, se quiser prosseguir com sua missão constitucional de líder e timoneiro da luta contra o Covid-19 no município. A outra alternativa é engrossar o time do presidente ´Isolado` Bolsonaro e suas visões miúdas sobre os riscos para a economia, mesmo com umas ´mortezinhas`, com a retomada das atividades produtivas. Esse risco Camaçari não pode correr.


Quadro 5 Alerta sobre esses dispensáveis colaboradores, já foi assunto do Camaçarico. Comentário postado em maio de 2019 (Confira), esse editor já alertava para o necessário e indispensável assessor competente, qualificado e que sempre lembra: “Vai dar M....”, o chamado VDM do bem. Mas, parece que os outros VDMs, os que Vivem Dizendo M...., seguem prestigiados na gestão.


Quadro 6 A contaminação do governo com suas medidas contraditórias, terminou ajudando a oposição a produzir vacina. Depois de quase 1 mês de paralisia, cheia de medos, e sem norte na condução de um conjunto de ações e agendas coordenadas para mostrar serviço na luta contra o coroanvírus em Camaçari, os antigovernistas saíram da quarentena.


Quadro 7  Para reforço do processo democrático e indispensável nesses momento de crise, começam a cobrar medidas que acelerem as ações de controle e prevenção. Movimento tenta manter lideranças oposicionistas vivas num ambiente onde o governo municipal é dono das ações, controla todo o processo, e vem lucrando sozinho como o grande inimigo do vírus.


Quadro 8 Não é por acaso que todos os gestores estão com altíssima aprovação pela população. Com recursos livres e desamarrados da legislação restritiva, por conta do momento de excepcionalidade, fazem a máquina andar a seu favor vacinando o eleitorado contra seus adversários imobilizados, que nada ou pouco podem fazer nesse novo ambiente, e diferente do modelo tradicional da velha política do tudo errado. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


4/4/2020

 



Anterior | 1 |2| 3 4 5 6 7 8 9 | Próxima

Encontrado(s): 177 registros

Listando página: 2

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2020 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL