Busca:

  Notícia
 
Protesto contra corte de verbas culpa Bolsonaro e Rui


Mais de 200 em todo país e  nas capitais realizaram protestos contra o ontra o bloqueio de recursos para a educação anunciado pelo Ministério da Educação (MEC). Universidades e escolas também fizeram paralisações, após a convocação de uma greve de um dia por parte de entidades ligadas a sindicatos, movimentos sociais e estudantis e partidos políticos. Os atos foram pacíficos. 


Essa foi a primeira grande onda de manifestações durante o governo do presidente Jair Bolsonaro, pouco mais de quatro meses após ele ter tomado posse. Em Dallas (EUA), Bolsonaro classificou os manifestantes de "idiotas úteis" e "imbecis". Mais tarde, por meio do porta-voz Otávio Rêgo Barros, disse que as manifestações de "legítimas e democráticas, desde que não se utilizem de violência, nem destruam o patrimônio público".


Na Bahia, escolas públicas e particulares de Salvador amanheceram sem aula. A suspensão das atividades ocorreu somente nesta quarta-feira (15) . Estudantes e professores fizeram protesto no Centro da cidade que, segundo organizadores, manifestação reuniu 50 mil pessoas. 


 O protesto na Bahia também criticou o governador Rui Costa. Professores das universidades estaduais (Uneb, Uesc, Uefs e Uesb   reclamam da falta de reajuste  salarial e  da ameaça de corte  dos salário dos grevistas que   ultrapassam mais de  um mês de movimento. Manifestações também foram realizadas em Feira de Santana, Vitória da Conquista, Ilhéus e Juazeiro, no interior do estado.


MEC bloqueou 24,84% dos gastos não obrigatórios dos orçamentos das instituições federais. Essas despesas incluem contas de água, luz e compra de material básico, além de pesquisas. 


O ministro interino da Economia, Marcelo Guaranys, disse que a arrecadação do governo foi abaixo do esperado e, por isso, foi feito o congelamento temporário de verbas. garantiu que "está aberto ao diálogo" e que o ministro se reuniu com reitores de federais.

Mais Notícias

Governador defende mensalidade em universidade pública
Camaçarico 20 de maio 2019
As fake news dominaram as informações durante campanha
Salvador sedia Semana Climática da América Latina e Caribe
Estilo conciliador do petista Wagner frustra oposição
Uso da inteligência artificial pode aumentar o desemprego
Deputados discutem projeto próprio para reforma da Previdência
Bolsonaro quer afrouxar regras para motorista infrator
Camaçarico 16 de maio 2019
Camaçari e os 461 anos de celebrações do Divino Espírito Santo de Abrantes


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2019 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL