Busca:

  Notícia
 
Presidente da Assembleia do Rio recebeu R$ 58 mi de propina


O Ministério Público Federal do Rio afirma que os deputados estaduais Jorge Picciani e Paulo Melo, ambos do PMDB, receberam mais de R$ 112 milhões em propinas num período de 5 anos. Picciani, atual presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), foi conduzido de forma coercitiva pela PF, na manhã desta terça-feira para depoor. Melo é seu antecessor no cargo.


Segundo o MPF, documentos levantados ao longo dos últimos seis meses provam que havia ‘uma divisão de poder na organização criminosa’, que não se limitava ao Executivo. “Essa investigação é um desdobramento da Operação Ponto Final, em que se identificou todo o esquema de corrupção na Fetranspor ao Executivo. Só que, junto com a entrega das planilhas de corrupção do Executivo, essas planilhas também trouxeram a corrupção dos deputados estaduais Paulo Melo e Jorge Picciani”, explicou a procuradora Andréa Bayão Pereira Freire.


Segundo a procuradora, a propina paga pelos empresários ligados ao transporte público no Estado era dividida. “Havia um compartilhamento, um proveito criminoso, de Sérgio Cabral com Jorge Picciani e Paulo Melo. Cabral tinha uma conta de propina na Fetranspor, como já está dissecado na Operação Ponto Final, e havia determinações de saída de recursos dessa conta para conta de Paulo Melo e Jorge Picciani”, narrou Andréa.


Os pagamentos eram mensais, de forma a existir um maior controle sobre as ações dos deputados. “Essas planilhas dizem para nós que, no período de 15 de julho de 2010 a 14 de julho de 2015, foram pagos da conta da Fetranspor para Picciani R$ 58,58 milhões, e para Paulo Melo R$ 54,3 milhões. Desse dinheiro, parte foi paga a mando de Sérgio Cabral”, afirmou a procuradora. “Havia um projeto de poder de enriquecimento ilícito por muitos integrantes do PMDB Rio.”

Mais Notícias

Presidente do TJ-Bahia agora é Cidadã Camaçariense
Depoimento de ex-sócio complica o ex-gerente da Transpetro
Salvador é uma das campeãs em violência contra a mulher
Helder nega irregularidade apontada pelo Ministério Público
Celulares irregulares serão bloqueados pela a partir de 2018
Aumento na arrecadação de impostos melhora contas do governo
Justiça italiana condena Robinho a 9 anos de prisão por estupro
Pesquisa mostra crescimento na aceitação de Luciano Huck
Camaçarico 23 de novembro 2017
MP pede o bloqueio de R$ 3 milhões dos bens de Helder


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2017 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL