Busca:

  Notícia
 
Produção industrial baiana acumula perda de 6,6% entre janeiro e maio

A produção industrial (de transformação e extrativa mineral) da Bahia cresceu 3,6% em maio na comparação com abril, que registrou queda de 0,7%. Na comparação com igual mês do ano anterior, a indústria baiana assinalou queda de 1,0%. A variação acumulada entre janeiro e maio de 2017 registrou taxa de -6,6% em relação ao mesmo período de 2016.  


Ainda segundo dados analisados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), o indicador, no acumulado dos últimos 12 meses, recuou 8,2% frente ao mesmo período anterior, queda menos intensa do que a observada em abril último (-8,3%).


A expansão no ritmo da produção industrial nacional, com taxa de 4,0%, na comparação entre maio de 2017 com o mesmo mês do ano anterior, foi acompanhada por nove dos 14 locais pesquisados, com destaque para os aumentos mais acentuados assinalados por Santa Catarina (9,5%), Paraná (7,6%), Ceará (7,4%), Rio Grande do Sul (7,4%) e São Paulo (4,3%). Por outro lado, Mato Grosso (-3,5%), Pernambuco (-3,2%), Bahia (-1,0%), Goiás (-0,6%) e Amazonas (-0,1%) assinalaram taxas negativas nesse mês. No acumulado dos 5 primeiros meses do ano, 10 dos 14 locais pesquisados registraram taxa positiva, com destaque para os aumentos em Rio de Janeiro (4,6%), Santa Catarina (4,3%), Espírito Santo (3,4%) e Paraná (3,1%). As maiores quedas do período ocorreram em Bahia (-6,6%) e Mato Grosso (-1,4%).


No confronto com maio de 2016, a indústria baiana apresentou queda de 1,0%, com 8 das 12 atividades pesquisadas assinalando queda da produção. O setor de Metalurgia (-41,9%) foi a principal influência negativa no período, explicada pela menor fabricação dos itens barras, perfis e vergalhões de cobre e de ligas de cobre. Outros resultados negativos no indicador foram observados nos segmentos de Coque, produtos derivados de petróleo e biocombustíveis (-4,4%), Produtos químicos (-6,6%), Bebidas (-27,0%) e Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-79,9%).


A principal contribuição positiva ficou com Veículos (43,0%), influenciada pelo aumento na produção de automóveis. Outros setores que apresentaram resultados positivos foram: Couros, artigos para viagem e calçados (54,1%), Produtos alimentícios (4,7%) e Celulose, papel e produtos de papel (5,3%).


No acumulado entre janeiro e maio de 2017, comparado-se com o mesmo período do ano anterior, a produção industrial baiana registrou queda de 6,6%, com 9 dos 12 segmentos da indústria geral influenciando o resultado, com destaque para Metalurgia com recuo de 41,0% e Coque, produtos derivados de petróleo e biocombustíveis, que teve queda de 14,0%.

Mais Notícias

Vila de Abrantes comemora domingo emancipação de Camaçari
Bahia gera em agosto 2.400 postos de trabalho com carteira
Supremo manda para a Câmara denúncia contra Temer
Mortes por suicídio no Brasil aumentam 12% em 4 anos
Fundo partidário já distribuiu R$ 408 milhões este ano
Banco Central prevê inflação de 3,2% em 2017
Inspeção mostra que maioria das lanchas apresenta problemas
Justiça bloqueia bens da empresa dona da Cavalo Marinho
Camaçarico 21 de setembro2017
Justiça manda suspender cobrança de taxa na Feira de Camaçari


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2017 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL