Busca:

  Notícia
 
Número de meninos e meninas de 6 a 14 anos fora da escola cresce 171%

O número de meninos e meninas de 6 a 14 anos fora da escola em 2021 apresentou um crescimento de 171% na comparação com 2019. Foram 244 mil crianças e adolescentes  que não estavam matriculados no segundo trimestre. Esses são os primeiros dados sobre os efeitos da pandemia na Educação brasileira e mostram que, além de dificuldades de garantir aprendizagem durante o ensino remoto, o Brasil também enfrenta problemas em dar acesso à educação. 


Os números são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e foram tabulados pelo movimento Todos pela Educação. Segundo a pesquisa, o Brasil recuou em relação à universalização do atendimento escolar para crianças e adolescentes. O porcentual de crianças e jovens de 6 a 14 anos matriculados no ensino fundamental ou médio ficou em 96,2%, o menor valor desde 2012. Em 2019, o índice era de 98%.


Os dados do IBGE também apontam para outro desafio: aumento de crianças e jovens que, embora estejam matriculados, ficaram atrasados na trajetória escolar. Neste ano, o Brasil teve crescimento de estudantes de 6 a 14 anos matriculados na pré-escola, uma etapa voltada para crianças de 4 e 5 anos. Também houve aumento de jovens de 15 a 17 anos ainda no fundamental.


“Com o fechamento prolongado das escolas no Brasil, houve um distanciamento grande entre crianças, jovens e suas escolas. Isso cria desengajamento e consequentemente leva algumas crianças e jovens, principalmente os mais pobres, a sair da escola”, explica Gabriel Corrêa, líder de políticas educacionais do Todos pela Educação. 


No ano passado, o IBGE estimava que 4,9 milhões de crianças não recebiam lições escolares em meio à pandemia. O aumento da pobreza no Brasil também faz com que crianças e jovens tenham de ajudar financeiramente em casa – o que os afasta das escolas. 


Na Bahia, um dos efeitos da pandemia foram os pedidos dos adolescentes para a troca de turno – eles querem estudar à noite, para dar conta de outras tarefas durante o dia “Percebemos que os estudantes passaram a ter outras atividades econômicas”, diz Rainer Guimarães, superintendente de gestão da Informação Educacional na Bahia. O Estado ainda não tem balanço de queda nas matrículas. Estadão

Mais Notícias

Saúde estadual registra 69 novos casos de Covid em Camaçari
Camaçarico 19 de janeiro 2022
Servidores da Receita, PF e Banco Central puxam a lista dos maiores salários
Aumento do volume do São Francisco pode atingir cidades baianas
Camaçari registra 25 novos casos de Covid-19 em 24 horas
Bahia registra 100 óbitos pela gripe Influenza em 79 dias
Camaçari não registra nenhum novo caso de Covid-19 em 24 horas
Pandemia aumenta pobreza e deixa bilionários ainda mais ricos
Maioria defende a vacinação de crianças contra a Covid-19
Camaçari registra 18 novos casos de Covid-19 em 24 horas


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2022 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL