Busca:

  Notícia
 
Militares representam 30% dos atletas brasileiros em Tóquio


Terceiro-sargento da Marinha, a baiana Ana Marcela da Cunha é uma das esperanças de medalha na natação

Dos 302 atletas da equipa brasileira  que disputará Jogos de Tóquio, 91 são militares, o que corresponde a 30%. Essa proporção foi equivalente aos jogos Rio-2016, quando dos 465 que integraram a delegação brasileira, 145 eram militares em 27 modalidades. Número mostra crescimento na comparação com a Olimpíada de Londres, em 2012, quando 51 do total de 259 atletas eram militares, 19% da delegação do País à época. Na Olimpíada do Rio, atletas militares conquistaram 13 das 19 medalhas do Brasil, o correspondente a 68% dos pódios do Brasil. Em Londres, eles conseguiram cinco medalhas.


Os militares são integrantes do Programa Atletas de Alto Rendimento (PAAR) do Ministério da Defesa, que vão competir em 21 das 46 modalidades do programa olímpico no Japão. E, muitos são candidatos à medalha em vários esportes. São os casos, por exemplo, das baianas Beatriz Ferreira (boxe, terceiro-sargento da Marinha) e Ana Marcela da Cunha (maratona aquática, terceiro-sargento da Marinha). Arthur Nory (ginástica, terceiro-sargento da Força Aérea), Duda Lisboa (vôlei de praia, terceiro-sargento do Exército).


Nessa lista um dos destaques é o baiano Keno Marley, de 21 anos, boxeador meio-pesado (até 81kg) e também terceiro-sargento do Exército, é outro atleta que destaca a importância das Forças Armadas em sua preparação para os Jogos. “Estou me preparando há bastante tempo. O PAAR tem uma importância grande, porque consigo me manter no esporte e com alto rendimento”, disse o vice-campeão dos Jogos Pan-Americanos Lima, em 2019, que deixou o interior da Bahia, para se dedicar ao boxe em São Paulo com apenas 13 anos.


“É um orgulho ter essa oportunidade de disputar os Jogos Olímpicos e fazer parte da Marinha. Fico mais confiante, com o apoio recebido, para realizar um sonho que é trazer uma medalha e estar no pódio”, disse a líder do ranking mundial de boxe Beatriz Ferreira.


O Ministério da Defesa gasta aproximadamente R$ 38 milhões por ano com 549 atletas do PAAR, mas o montante pode oscilar dependendo do desligamento de alguns militares ou incorporação de outros ao programa. O valor inclui salário, assistência médica e locais de treinamento nas instalações esportivas localizadas em organizações militares das Forças Armadas. O soldo recebido pelos atletas das Forças Armadas gira em torno de R$ 4 mil, dependendo da patente e da corporação.


Criado em 2008, o programa considera os resultados em competições nacionais e internacionais e as medalhas para incluir novos atletas. Assim, para ser um atleta das Forças Armadas é preciso fazer parte da elite do esporte. Mesmo em um cenário marcado pela retração de gastos nas esferas pública e privada por causa da pandemia de covid-19, sob o governo do presidente Jair Bolsonaro os investimentos nos atletas militares não foram prejudicados.


Em meio às dificuldades impostas pela pandemia tanto do ponto de vista financeiro quanto técnico, o auxílio das Forças Armadas acabou sendo fundamental para atletas como Gabriel Constantino, atual recordista sul-americano nos 110m com barreiras (13s18) e terceiro-sargento do Exército. “Tivemos diversas adaptações e não seria possível treinar com tão alta performance. Continuei mantendo meus treinos, fisioterapia, acompanhamento médico e com nutricionista”, disse.

Mais Notícias

Camaçari registra 1 óbito e 50 novos casos de Covid em 24h
Lucro da Ambev no 2º trimestre deste ano supera 130%
Junho registra saldo positivo com geração de 309 mil empregos com carteira
Polêmica faz COB pedir moderação de atletas nas redes sociais
Iphan proíbe construção de centro esportivo que agride patrimônio
Camaçari registra 31 novos casos de Covid-19 em 24h
Camaçarico 28 de julho 2021
Adolescentes de 12 a 17 anos entram na fila da vacina contra a Covid-19
Baiano vence e avança em direção ao pódio em Tóquio
Ciro vai para ministério e deixa a mãe na sua vaga no Senado


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2021 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL