Busca:

  Notícia
 
Pandemia provoca o fechamento de 331 mil vagas em maio

A economia brasileira fechou 331.901 vagas de trabalho com carteira assinada em maio. O Brasil registrou em maio 703.921 contratações e 1.035.822 demissões. Em maio do ano passado o saldo entre contratações e demissões havia ficado positivo, com geração de 32.140 postos. Entre março e maio, 1,487 milhão de vagas formais deixaram de existir,  segundo números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).


No acumulado do ano, o Brasil fechou 1.144.875 postos formais de trabalho. No mesmo período do ano passado o país havia gerado 351.063 vagas formais. Segundo a Organização Mundial do Trabalho (OIT), 305 milhões de pessoas em todo o mundo devem perder trabalho entre abril e junho.


Na comparação com maio de 2019, o número de contratações caiu 48%. Entretanto, em relação a abril, quando a economia brasileira começou a sentir de maneira mais forte os efeitos da pandemia do novo coronavírus, houve um aumento de 14% nas contratações. Os números do Governo Federal também apontam queda de 31,9% nas demissões em maio, na comparação com abril deste ano.


Em maio, a agricultura foi o único setor com geração de postos de trabalho, com aumento de 15.993. O setor de serviços foi o que mais fechou postos de trabalho, com redução de 143.479, seguido da Indústria geral, com  redução de 96.912, o Comércio (-88.739), e Construção (-18.858).


Dentro do setor de serviços, a área que mais fechou vagas de emprego formal foi a de alojamento e alimentação, que ficou com saldo negativo de 54.313, seguida pela área de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, que encerrou 37.687 postos de trabalho. G1

Mais Notícias

Internet móvel de 5ª geração começa cara e restrita
Medo do futuro faz 71% dos brasileiros reduzirem gastos
Camaçari registra 308 novos casos de Covid-19 em 48 horas
Camaçarico 15 de julho 2020
TSE quer suspender identificação digital nas eleições
Governo estuda imposto sobre compras no comércio eletrônico
Metade das vítimas de violência contra LGBT são negros
Supremo concede prisão domiciliar para Geddel
Camaçari registra aumento recorde com 179 casos em 24 horas
Quadro biográfico dos colonizadores de Camaçari


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2020 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL