Busca:

  Notícia
 
Ford retoma produção de peças para o mercado de reposição

Cerca de 500 funcionários da Ford em Camaçari (BA), de um total de 4 mil, vão retomar ao trabalho na segunda-feira (22) para a produção de peças para o mercado de reposição. Mesma medida já havia sido anunciada na quarta-feira (17), pelos funcionários da unidade de motores em Taubaté (SP). 


Algumas concessionárias já começavam a constatar falta de alguns componentes para manutenção de modelos da marca. A decisão do retorno na Bahia ocorreu após audiência de conciliação entre o Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari e representantes da Ford no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) local.


Segundo Júlio Bonfim, presidente do sindicato, com o acordo todos os trabalhadores vão continuar recebendo salários e não haverá demissões ao longo do período das negociações, que foi estendido para 90 dias. Anteriormente, o prazo dado pela empresa para encerrar negociações era esta semana, informa ele.


Em nota, a Ford confirma que, em negociações com os sindicatos dos metalúrgicos de Taubaté e de Camaçari foi firmado compromisso para retorno das atividades nas duas fábricas. Também faz parte dos acordos a continuidade das negociações diretamente com a Ford, com um cronograma de reuniões semanais.


“A partir de agora a Ford vai trabalhar junto às entidades sindicais de cada localidade para organizar o retorno dos empregados às atividades”, informa a empresa, que não divulgou números de funcionários que devem trabalhar a partir de segunda-feira.


No caso dos trabalhadores de Taubaté, ficou acertada também uma reunião entre o sindicato e dirigentes globais da Ford até o dia 25. Segundo Cláudio Batista, presidente do Sindmetau, é esse pessoal que tem poderes de decisão de reverter o encerramento das atividades da montadora no Brasil. “Caberá ao sindicato levar proposta concreta de alternativas”, afirma.


A Ford anunciou o encerramento da produção de veículos no País no dia 11 de janeiro, data em que as atividades das fábricas de Camaçari, onde eram feitos os modelos Ka e EcoSport, e de Taubaté, responsável por motores, foram paralisadas. Desde então a empresa tenta negociar o valor da indenização aos funcionários, mas não houve acordo com os sindicatos.


Outra fábrica do grupo em Horizonte (CE), que produz o jipe Troller T4, vai manter a produção até o fim do ano e depois também será fechada. Segundo o governo do Ceará, que tenta atrair interessados em manter a produção do veículo desenvolvido no Estado, três interessados já procuraram a Ford. A unidade emprega cerca de 500 pessoas.


A Ford também enfrenta dificuldades em negociar o fim do contrato de parte de suas 283 revendas no Brasil, que não aceitaram a primeira proposta de indenização feita pela empresa. A montadora reservou US$ 4,1 bilhões para indenizar trabalhadores, concessionários, fornecedores e para o encerramento de atividades produtivas. O grupo se manterá no mercado brasileiro como importador de automóveis premium da marca. 

Mais Notícias

Elinaldo defende compra conjunta de vacina contra a Covid-19
Camaçari registra 279 novos casos de Covid-19 em 24 horas
Camaçarico 24 de fevereiro 2021
Governo quer mudar lei que proíbe nepotismo no serviço público
Estudantes brasileiros não sabem resolver problemas de matemática
Conta de luz em 2021 deve subir 8% e será a mais cara desde 2018
Posto terá de informar composição do preço do combustível
Natan reconhece que Camaçari vive colapso sem leitos e UTI
Camaçari registra 311 novos casos e 7 óbitos pela Covid em 24h
Bahia antecipa ´ toque de recolher` para às 20h


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2021 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL