Busca:

  Notícia
 
Cerca de 6 milhões tomaram empréstimo durante a pandemia

Cerca de 6 milhões de pessoas pediram empréstimo durante a pandemia. Os números são da  Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios da Covid-19 (Pnad Covid19) de outubro, elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Número representa cerca de 8,7% de algum morador dos 68,7 milhões de domicílios avaliados. Destes, em 5,2 milhões (7,5%) a solicitação foi atendida, mas em 801 mil (1,2%), o empréstimo não foi concedido.


Em comparação com o mês de setembro houve alta de 0,8 ponto percentual no número de domicílios que pediram empréstimo. Isso corresponde a uma elevação de cerca de 533 mil no número de domicílios nos quais algum morador solicitou crédito.


A Pnad Covid19 de outubro mostra que a Região Norte registrou a maior taxa de recusa de empréstimos. Lá foram cerca de 17,5% dos domicílios com solicitações recusadas. A maior procura por empréstimos foi na Região Sul (9,7%). O Sul também foi onde houve a menor taxa de recusa de empréstimo, aproximadamente, 10,0%.


Segundo o IBGE, o afastamento das pessoas do trabalho por causa do distanciamento social continua em queda. Entre os 84,1 milhões de ocupados no país, 4,7 milhões estavam afastados do trabalho por algum motivo, que pode ser licença médica, de maternidade ou férias, e 2,3 milhões afastados devido ao distanciamento. Isso significa recuos de 12,7% e de 22,0%, respectivamente, na comparação com setembro. Desde o início da pandemia, tais indicadores acumulam quedas de 75,3% e 85,1%, respectivamente.


A proporção de domicílios brasileiros que recebeu algum auxílio relacionado à pandemia passou de 43,6% em setembro para 42,2% em outubro. O valor médio do benefício ficou em R$ 688 por domicílio. Norte (58,4%) e Nordeste (56,9%) foram, mais uma vez, as regiões com os maiores percentuais de domicílios recebendo auxílios, entre os quais o emergencial e a complementação do governo pelo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda.


Conforme a pesquisa, em setembro e outubro, 19 unidades da Federação tiveram queda no percentual de domicílios onde um dos moradores recebe auxílio emergência. Os demais estados ficaram estáveis. Os maiores índices são os do Amapá (68,6%), do Pará (62,2%), do Maranhão (61,4%), de Alagoas (60,3%) e do Acre (59,6%). As unidade com menor proporção são os estados de Santa Catarina (22,9%), e do Rio Grande do Sul (28,8%) e o Distrito Federal (30%).

Mais Notícias

Aumentam as denúncias de negligência dos patrões com a Covid
Mais de 39 mil trabalhadores receberam o auxílio-doença em 2020
Camaçari mantém ´toque de recolher` até 19 de fevereiro
Camaçari registra 63 novos casos de Covid-19 em 24 horas
Rui admite dificuldades para encontrar substituto para a Ford
Governo do Amazonas não respeita a fila e vacina aliados
Bahia tem recorde de 4.991 novos casos de Covid em 24h
Assembleia renova Estado de Calamidade de Camaçari até junho
Camaçari registra 68 novos casos de Covid-19 em 24 horas
Camaçarico 20 de janeiro 2021


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2021 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL