Busca:

  Notícia
 
Amazon é investigada por usar informação de clientes


Companhia é a líder do comércio online e está no Brasil vendendo tudo desde 2017

A Comissão Europeia (CE) abriu uma investigação preliminar contra o gigante norte-americano de vendas na Internet Amazon por supostas práticas contrárias à concorrência. As indagações preliminares pelo departamento dirigido pela comissária Margrethe Vestager começaram em setembro. Com indícios sólidos, a CE, sediada em Bruxelas (Holanda), suspeita que a empresa sediada em Seattle, que funciona como vendedor online, mas também oferece sua plataforma como vitrine e mercado para comerciantes independentes, reúne e utiliza “informação confidencial de concorrência” desses  comerciantes.


Em seu comunicado, a Comissão de Concorrência diz que os acordos que a Amazon tem com os vendedores que utilizam sua plataforma para comercializar “permitem que ela utilize ‘os dados de terceiros”. Em particular, a comissão focará em se o uso desses dados por parte da empresa de Jeff Bezos como vendedor varejista “afeta a concorrência”.


Concretamente, o comunicado diz que a CE estudará como funciona o serviço Buy Box e como seleciona os vendedores que participam dele. O Buy Box é uma ferramenta que mostra preferencialmente os produtos de um comerciante sobre outro, portanto “ganhar o Buy Box, como explica a comissão, parece fundamental os vendedores independentes”.


“O comércio eletrônico impulsionou a concorrência no comércio varejista e ampliou as oportunidades de escolha e reduziu os preços. Devemos nos assegurar de que as grandes plataformas online não eliminem esses benefícios ao utilizar um comportamento anticoncorrencial”, disse em um comunicado a comissária europeia de Concorrência, Margrethe Vestager.


A Amazon já teve outros problemas com a Comissão Europeia. Em 2017 precisou pagar 250 milhões de euros (1 bilhão de reais) por impostos devidos em Luxemburgo. Bruxelas considerou à época que as vantagens fiscais concedidas pelo Grande Ducado eram ilegais. Também ocorreu um confronto em 2015, quando a Comissão investigou se o gigante de Seattle tinha uma posição de monopólio no setor do livro eletrônico. A questão se resolveu amistosamente e sem sanção porque a Amazon aceitou mudanças nos contratos assinados com as editoras. 


A Amazon foi criada por Jeff Bezos em 1994, quando a internet ainda não havia se popularizado. Prevendo os avanços que poderiam acontecer na rede, o executivo resolveu criar um novo modelo de negócio: vendas e distribuição online de livros.


Atualmente a Amazon comercializa produtos diversos, incluindo brinquedos, eletrônicos, vestuários e acessórios. Além disso, a gigante do varejo online oferece serviços, como a Amazon Web Services (serviços de armazenamento em nuvem), Amazon Prime (streaming) e Alexa (assistente virtual). El País

Mais Notícias

Presidente da Alba cobra mais habilidade na questão Amazônia
Camaçarico 23 de agosto 2019
Quase 10 mil farão domingo as provas do Encceja em Camaçari
Gratidão
Nasa diz que desmatamento na Amazônia aumenta com queimada
Roberto Carlos é o deputado campeão de faltas às sessões
Bolsonaro critica Macron por chamar a Amazônia de `nossa´
Frase do Dia
Camaçari avança para a semifinal do Baiano de Futebol 7 Série A
Genro de Emílio Odebrecht também enviou dólares para a Suíça


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2019 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL