Busca:

  Notícia
 
Amazon amplia automação e gera cortes de postos de trabalho


Empresa com o maior valor do mundo comercializa via internet produtos diversos

A Amazon gigante mundial que comercializa via internet produtos diversos, incluindo brinquedos, eletrônicos, vestuários e acessórios, está implementando máquinas para automatizar um trabalho de encaixotar pedidos de clientes,  hoje realizado por trabalhadores. Essas instalações normalmente empregam mais de duas mil pessoas, mas com a automação do trabalho é estimado um corte de mais de 1,3 mil funcionários da empresa. Com a mudança, a Amazon pretende gastar US$ 1 milhão por máquina, mais as despesas operacionais.


Considerada  uma das maiores do mundo, a Amazon faturou no ano passado US$ 232,9 bilhões, um crescimento de 31% em relação à temporada anterior.  A empresa é avaliada em torno de US$ 840 bilhões, é a mais valiosa do mundo, seguida da Microsoft com  valor de US$ 800 bi. 


A tecnologia escaneia mercadorias que chegam por uma esteira e as embala segundos depois em caixas personalizadas para cada item, disseram à agência de notícias Reuters duas pessoas envolvidas no projeto. A ideia da Amazon é instalar duas máquinas em dezenas de armazéns, removendo pelo menos 24 funções em cada local. A empresa espera recuperar os custos da automação em menos de dois anos.  


O plano mostra como a Amazon está tentando reduzir mão-de-obra e aumentar lucros, já que a automação da tarefa mais comum do armazém,  que é pegar um item,  ainda está fora do seu alcance. A Amazon é famosa por sua iniciativa de automatizar o maior número possível do seu negócio, seja no preço de mercadorias ou no transporte de itens em seus depósitos. Mas a empresa está em uma posição precária ao considerar a substituição de empregos que lhe renderam subsídios e boa vontade pública.


A Amazon foi criada por Jeff Bezos em 1994, quando a internet ainda não havia se popularizado. Prevendo os avanços que poderiam acontecer na rede, o executivo resolveu criar um novo modelo de negócio: vendas e distribuição online de livros.


A Amazon chegou ao Brasil em 2012, quando vendia apenas livros eletrônicos. Em 2014, a empresa de Jeff Bezos expandiu seus negócios em solo brasileiro, adicionando a venda de livros físicos. Mas foi somente em 2017 que a Amazon deixou de comercializar exclusivamente livros e ampliou os negócios. Hoje é possível encontrar na Amazon Brasil produtos de inúmeras categorias. No Brasil a empresa tem um centro de distribuição na cidade de Cajamar, interior de São Paulo. O espaço tem 47 mil metros quadrados e possui tecnologia toda baseada nos padrões americanos.

Mais Notícias

Governador defende mensalidade em universidade pública
Camaçarico 20 de maio 2019
As fake news dominaram as informações durante campanha
Salvador sedia Semana Climática da América Latina e Caribe
Estilo conciliador do petista Wagner frustra oposição
Uso da inteligência artificial pode aumentar o desemprego
Deputados discutem projeto próprio para reforma da Previdência
Bolsonaro quer afrouxar regras para motorista infrator
Camaçarico 16 de maio 2019
Camaçari e os 461 anos de celebrações do Divino Espírito Santo de Abrantes


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2019 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL