Busca:

  Notícia
 
Camaçarico 18 dezembro 2018


Novidade ‘Emenda verbal’ é o novo instrumento legislativo adotado pela Câmara de Vereadores de Camaçari. O artifício, que sequer existe no Regimento Interno da Câsa, foi usado na sessão desta terça-feira (18), para concluir a votação do projeto que cria novos cargos e as secretarias de turismo e da orla.


Novidade 2 Para corrigir um erro, a Mesa Diretora aplicou outro erro. O projeto foi aprovado em 2ª e última votação com a tal ‘emenda verbal’ retirando o artigo 16, que constava na proposta original e referenciava uma tabela de cargos que não foi  enviado à Câmara pelo Executivo. Mesmo assim o projeto de reforma administrativa foi aprovada em 1ª votação na semana passada.


Novidade 3 Pelo Regimento, um projeto não pode ser modificado em 2ª votação. Nessa etapa do processo legislativo os vereadores apenas confirmam o que foi acatado e votado pela maioria dos vereadores na 1ª votação.


Vacilo Outra canetada no Regimento foi o voto do vereador Gilvan Souza (PR) no projeto de criação das secretarias do turismo e da orla. Mesmo anunciado como futuro titular do turismo, como adiantou o Camaçarico, o republicano votou favorável a criação da nova estrutura na máquina municipal, na sessão desta terça-feira (18).


Vacilo 2  O artigo 124 do Regimento é claro. Diz que o vereador deve se declarar impedido para votar em proposição que lhe beneficie. Descuido apenas exibiu a fragilidade da atual gestão da mesa. Erro poderia ter  sido evitado sem prejuízo para os interesses governistas. Mesmo com a abstenção de Gilvan a maioria situacion ista teria numero para aprovar. 


Dança das cadeiras  O ex-prefeito de Guanambi, Charles Fernandes (PSD),  garantiu a última vaga de deputado federal. O TSE deferiu por 5x2 o registro da sua candidatura, na sessão desta terça-feira (18) à noite. Com a decisão, Joseildo  Ramos, ex-prefeito de Alagoinhas, assume a 1ª suplência de deputado federal. Mudança foi gerada com a decisão do TSE de  tornar o ex-prefeito de Camaçari inelegível. O petista Luiz Caetano teve sua reeleição anulada com base na Lei da Ficha Limpa, por crime crime de improbidade.


Calendário  Com a chegada do Natal e a aproximação do fatídico 31 de janeiro, último dia do mandato dos parlamentares eleitos em 2014, a expectativa e o astral andam em queda na tropa do ex-prefeito e deputado federal Luiz Caetano (PT). Com o carimbo de inelegível dado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Caetano enfrenta dias de muita pressão e quase nenhuma alegria.


Calendário 2 Mesmo com o discurso otimista renovado com o diploma recebido nesta terça-feira (18), longe dos holofotes da festa dos eleitos,  segunda-feira (17), no Teatro Castro Alves, tropa caetanista mostra sinais de desânimo com o clima crescente de incertezas.  


Calendário 3 A última ducha desanimadora foi dada pelo  Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na sua sessão realizada na noite de hoje, quando seu pedido de embargo de declaração foi rejeitado por unanimidade pelos 7 ministros da corte. Adversários do petista esperam agora que o TSE solicite do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) o cancelamento do diploma entregue nesta terça-feira com base em decisão do colegiado supeior que tornou o 3 vezes prefeito de Camaçari inelegível.


Calendário 4 Nos relatos de figuras ligadas ao mandato do parlamentar, ouvidas pela Coluna, expectativa é com as acomodações das lideranças. Sem o mandato e a consequente redução do poder de negociação, Caetano precisa encontrar caminhos para acomodar a tropa. 


Calendário 5 Sem mandato e os respectivos cargos na Câmara dos Deputados, sem possibilidades de nomear correligionários na prefeitura do adversário, com as prefeituras dos aliados no estado com  as cotas  cheias, sem perspectivas na atual Câmara de Vereadores de Camaçari, a partir de janeiro comandada por outro desafeto, e com restrições no governo do estado, 2019 não promete bons fluidos.


Foco  A secretaria de cultura (Secult) anunciou os 30 selecionados para o prêmio de R$ 10 mil do concurso 'Mestras e Mestres de Camaçari'. Os R$ 300 mil, oriundos do Fundo de Cultura do Município, serão distribuídos a 15 figuras da capoeira e 15 representantes de terreiros de candomble. O valor,  equivalente a pouco mais de 10 salários mínimos, pode ser gasto de forma livre pelos premiados. A premiação é uma espécie de reconhecimento pelo trabalho que esses mestres e mestras exercem ou exerceram.  


Foco 2 Sem questionar as inegáveis contribuições desses mestres e mestras, distribuir R$ 10 mil livres para serem gastos como entenderem, ajuda muito pouco a avançar na construção e consolidação da história desses senhores e senhoras e sua relação com a preservações das nossas raízes. 


Foco 3  Infelizmente, da forma como foi construído, o prêmio não exige nenhuma contrapartida dos agraciados, como realização de oficinas, cursos ou qualquer outra atividade que contribua de forma efetiva para a preservação e multiplicação dos 'saberes' e 'fazeres' desses mestres e mestras para futuras gerações. 


Foco 4  Seguramente, o formato dessa 1ª edição do prêmio 'Mestras e Mestres de Camaçari' não é o melhor caminho. Ainda durante a construção do prêmio, o editor da Coluna questionou representantes da Secult e conselheiros do Conselho de Cultura sobre esse formato. Agora, é aguardar as próximas edições do prêmio com a inclusão de novas categorias. 


Fora de cena  O prefeito Antonio Elinaldo (DEM) segue à risca o equivocado roteiro dos seus antecessores de desprestigiar os eventos culturais da cidade. A noite de segunda-feira (17)  foi mais um atestado desse distanciamento. Ao rifar da sua agenda a apresentação no Teatro Cidade do Saber (TCS) do espetáculo  “Herança Sagrada – A Côrte de Oxalá”,  dançado pelo internacional Balé Folclórico da Bahia, o alcaide não apenas confirmou sua pouca intimidade com a cultura.  


Fora de cena 2 Também perdeu a oportunidade de faturar a imagem de amigo das artes e, de quebra, ampliar  seu espaço nas redes sociais com selfies com gente famosa como a atriz global Gloria Pires, a cantora Margareth Menezes, o camaçariense Denny Denan (ex-Timbalada), e a turma do bloco Ilê Ayiê. 


Confira todas as Colunas acessando o link  http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


18/12/2018

Mais Notícias

Governo e Dow Química nada sabem sobre buraco na Ilha
Palocci diz que propina de usina bancou campanha de Haddad
MP investiga irregularidades com salários em 16 Assembleias
Camaçarico 19 janeiro 2019
Bolsonaro pode escolher reitor da Universidade do Recôncavo
Governo pode cortar benefício do INSS sem avisar beneficiário
Baterista e fundador do grupo O Rappa more aos 53 anos
Filho de Bolsonaro recebeu em 1 mês R$ 96 mil em depósitos
Policial do Bope é o principal suspeito pela morte de Marielle
Monte Gordo e Abrantes festejam padroeiros neste final de semana


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2019 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL