Busca:

  Notícia
 
Promoção da Black Friday pode ser armadilha para consumidor

O mês de novembro já não é o período ideal para garimpar preços. De acordo com a economista do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Ione Amorim, passou a hora de fazer pesquisas para avaliar os descontos oferecidos na Black Friday, marcada para os dias 23 e 24 de novembro. “A pesquisa feita hoje já está muito comprometida”, diz. Ela explica que nessa época os preços já podem ter sido artificialmente elevados para simular descontos.


Segundo a especialista, para quem se planeja e se dedica em tempo de pesquisa, a Black Friday pode, sim, ser uma boa oportunidade, mas sem monitoramento de preços prévios é difícil fazer bons negócios na data. O recomendado é que essa busca seja feita com cerca de três meses de antecedência. Ela acrescenta que o efeito manada na hora das compras pode levar o consumidor ao sentimento de “estar perdendo alguma coisa”, o que resulta em compras por impulso. “Muitas vezes a pessoa está comprando algo que ela não tem nenhuma necessidade, mas ela foi psicologicamente estimulada”, argumenta. 


Além do planejamento das compras e do orçamento, algumas dicas práticas podem ajudar os consumidores a fugir de enganações. Vale lembrar também que no caso de não ter feito pesquisas anteriormente, existem ferramentas na internet que comparam preços no decorrer do tempo e são úteis para fugir valores contaminados. O Buscapé, Mais Barato Proteste e Já Cotei são exemplos dessas plataformas. Com informações do Estadão

Mais Notícias

Gilmar Mendes nega recurso e Caetano fica inelegível
MP não quer uso de drones durante o carnaval de Salvador
TJ-BA compra mais leite em pó que toda rede municipal da capital
Quase metade dos baianos está com restrição de crédito
Previdência quer cobrar mais de quem ganha mais
Previdência vai pagar R$ 400 a idoso em extrema pobreza
Reforma da Previdência começa a tramitar no Congresso
Camaçarico 20 fevereiro 2019
Flamengo se recusa a indenizar vítimas do incêndio no alojamento
Jogador brasileiro é tratado como mercadoria, diz procuradora


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2019 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL