Busca:

  Notícia
 
Camaçarico Retrospectiva-2017


Janeiro


O ano de 2017 começa começa com a Coluna antecipando a contratação emergencial de empresa para serviços de coleta e limpeza das ruas de Camaçari. O Camaçarico apurou que o contrato emergencial, com valor mensal entre R$ 5 e R$ 6 milhões, terá 3 meses de duração. Lixo em Camaçari envolve mais de R$ 80 milhões. Operação também foi antecipada pela Coluna (Confira) 


A edição de 4 de janeiro conta um pouco da história dos alcaides de Camaçari, cidade governada por apenas 5 prefeitos eleitos em 3 décadas (Confira) 


Ainda em janeiro, a Coluna mostra que começou frio o encontro da  empossada secretária de desenvolvimento social, Simara Ellery (PPS), com técnicos da pasta. Esposa do ex-prefeito  vem de uma Sedes com gestões desastrosas de Jailce Andrade, no 3º governo Caetano, e da dupla Hélio Santos e Mozart Vivas, no governo Ademar (Confira) 


A herança da secretaria de cultura  da gestão Ademar  foi notícia na coluna de 9 de janeiro. Na mesma edição a Coluna  lembra o triste aumento  dos registros de assassinatos em Camaçari. (Confira)


Os erros do alcaide Elinaldo ao nomear filhos de ex-prefeitos aliados  atropelam o discurso do  ex-opopsicionista e agora  dono da caneta (Confira)


A operação  de troca A ONG Associação Educativa e Cultural de Camaçari, mantenedora da Faculdade Metropolitana de Camaçari (Famec), pelo Instituituto Professor Raimundo Pinhiero no comando do programa Cidade do Saber foi denúncia da Coluna. Ainda na mesma edição a Coluna cita a liberação de cerca de R$ 2 milhões e 500 mil para a ONG que o alcaide Elinaldo tanto reclamou.


Na mesma edição o Camaçarico denuncia o uso irregular de recursos  na secretaria da cultura. A Coluna teve acesso a parte desses documentos. Com datas de 2013 e 2014, portanto nos 2 primeiros anos da gestão de Delgado, recibos apresentam a Secult como fonte pagadora e valores que variam de R$ 5 mil a R$ 500. (Confira)


A necessidade de  gestões equilibradas com respeito aos movimentos sociais e religiosos, tanto no Executivo, como no Legislativo, foi tema da Coluna de 16 de janeiro.


A Coluna também mostra o festival de contratações de apadrinhados do ex-prefeito Caetano (PT)  para o Hospital Geral de Camaçari (HGC) e outras estruturas controladas pelo governo do aliado Rui Costa.


O atraso nos salários  dos médicos pela ONG Instituto de Gestão e Humanização (IGH) foi outro destaque da edição. (Confira)


Sem fugir a regra, o 1º mês da nova gestão também teve nomeação do genrão do alcaide Elinaldo (Confira)


A nova gestão chega com o risco de acidente no Teatro Cidade do Saber (TCS). Denúncia cita equipamentos de segurança fora de especificações. (Confira) 


Já o interventor da Cidade do Saber  chega em modo analógico, passa atestado de descuido e apanha da ONG que comandava o programa. (Confira)


Fevereiro


O 2º mês do ano começa com notícias  sobre o antigo cinema de Camaçari que deve virar espaço multi-eventos, inclusive com projeção de  filmes. Abandono de importantes marcos históricos da cidade é briga antiga e solitária do Camaçarico. O mau uso de carro pago pelo município, flagrado em excesso de velocidade,  foi denunciado pelo Camaçarico. A prefeitura contestou, mas a emenda saiu pior. (Confira) 


A polêmica sobre o fechamento da Feira de Camaçari para realização de reformas necessárias e o estilo Elinaldo. (Confira)  


O retorno da ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro ao comando da Cidade do Saber, dcidido por medida liminar da Justiça, complica ainda mais a situação do programa de  apoio a jovens através de cursos e atividades de cultura, esporte e lazer. (Confira)


A Coluna mexe em mais um vespeiro ao questionar, como é da sua função e obrigação, a titularidade da subsecretaria de cultura de Camaçari. Disputa pelo cargo envolve o ex-prefeito e atual vice, José Tude (PMDB) e o vereador Jorge Curvelo (DEM). (Confira)


Fevereiro fecha com a gestão atestando distantância das novas tecnologias da comunicação. Na era analógica, o alcaide Elinaldo segue apanhando feio nas mídias sociais. Alerta não faltou. (Confira) 


Março


O triste mapa da violência em Camaçari abre março. Os bairro Verde Horizonte, Parque Verde e o Nova Vitória  disputam o título de mais violentos. Na mesma edição a Coluna desvenda o mistério do subsecretário de cultura. (Confira) 


O presidente do Legislativo de Camaçari, vereador Oziel Araújo (PSDB), terminou ficando no impedimento e levou cartão amarelo na disputa por aplicação de aumento para  os 21 vereadores. Já o alcaide Antonio Elinaldo recuou antes de levar cartão.


Estrangeiros recém-empossados na cidade, os secretários de serviços públicos e da infraestrutura são convidados a conhecer o centro de Camaçari (Confira)


Depois da 2ª derrota em Camaçari, o governador Rui Costa corre atrás do prejuízo, fala em sapato novo, mas prepara uma meia-sola na Via Cascalheira. Gestão do alcaide  Elinaldo caminha para fechar o 3º mês sem apresentar a tão alardeada auditoria sobre os desmandos do governo Delgado. (Confira)  


O velho ditado ‘primeiros os meus’ vem sendo seguido pelo ex-prefeito de Camaçari, deputado federal Luiz Caetano.  Preocupado com o futuro da família nesses tempos de adoecimento econômico e desemprego, o petista  assegurou logo o remédio no Hospital Geral de Camaçari para imunizar os seus. (Confira) 


A Coluna antecipou a suspensão da distribuição do peixe da Semana Santa para as cerca de 100 mil pessoas atendidas pelo Bolsa Família em Camaçari. O abandono do  Horto de Camaçari também foi destaque na edição  de 23 de março. (Confira)


A ONG Instituto professor Raimundo Pinheiro segue queimando patrimônio do município. Coluna denuncia  venda de veículos que  deveriam integrar o patromônio público. (Confira)


Março fecha com o anúncio de mais uma geradora de energia a partir da queima de derivados de petróleo. Mesmo  com aval técnico,  Camaçari  ganha empregos e mais poluição com a 3ª termelétrica. (Confira)


Abril


Quatro meses depois de empossada, a secretária de educação, professora Neurilene Martins, segue sem conhecer o projeto escolar  Pomar Encantado. Unidade  instalada no Parque Real Serra Verde, apesar do muito verde, é  um deserto em estrutura pedagógica.


A gastança com  os  recursos do Fundo de Cultura foi notícia na Coluna  de 4 de abril. Dia da Capoeira foi um verdadeiro ‘rabo de arraia’ nos cofres públicos. (Confira) 


Governo completa 100 dias e  não mostra avanços na área social. Casa da Criança e do Adolescente é uma dessas marcas do desprezo. (Confira) 


A Coluna critica a falta de transparência na divulgação dos salários dos secretários e das vantagens incorporadas de alguns colaboradores do governo. O debate sobre supersalários dos servidores de Camaçari é conta escondida na caixa preta do Instituto de Seguridade do Servidor Municipal (ISSM).  (Confira)


As intensas ligações da ONG  Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (ICEP) com a secretária de educação  só se ampliam e mostram  situações nada comuns para um gestor público. Denúncia da Coluna de 24 de abril começa a exibir essa intensa relação. (Confira) 


Maio


O caso das mochilas gigantes de Jequié têm antecedente em Camaçari. A Coluna conta o mico da Ford com a distribuição de mochilas inadequadas para os pequenos estudantes da rede municipal do município.  (Confira)


Depois de 10 anos sustentando o título de ‘Capital da Dança’, Camaçari perde o posto para Salvador. Mudança  também interfere no projeto que permite a estudantes carentes do município estudarem na escola de Ballet Bolshoi. (Confira)


O Comitê Institucional de Segurança Pública (CISP), é notícia  em maio. Formado desde 2015 pela prefeitura de Camaçari, Polícias Militar e Civil, Igreja Católica (Diocese de Camaçari), Conselho de Ministros Evangélicos de Camaçari (Comec), terreiros de camdomblé e Clube de Diretores Lojistas (CDL), o CISP pouco avanço mostrou. (Confira)


O 'fake newes' com manipulação de informações e adulteração de conteúdo de veículos eletrônicos de Camaçari foi denunciado pela Coluna de 25 de maio. (Confira) 


Coluna  fecha maio com antecipação de projeto de flexibilização das relações trabalhistas com a adoção do Reda (Regime de Direito Administrativo) para contratação de servidores no município. (Confira) 


Junho


Mês começa com o despertar da oposição. Depois da denúncia do Camaçarico, a bancada antigovernista na Câmara de Vereadores de Camaçari acorda e promete votar contra a criação do Reda para seleção de servidores no preenchimento de vagas na prefeitura. (Confira)


Mais uma vez Camaçari é notícia. Números passam longe  da capacidade de gerar emprego, renda e novas tecnologias. O município sede do maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul é destaque na lista dos 30 mais violentos do país.


Equívocos do atual governo premiam  ex-gestores da  ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestora até março deste ano do programa Cidade do Saber. Grupo de privilegiados abocanhou 25% de todo o dinheiro destinado ao pagamento das indenizações. (Confira)


Em junho a Coluna antecipou a mudança do SAC do centro  da cidade para o shopping Boulevard. Tranbsferência não agradou comércio da região, mas foi festejado pelo centro de compras que ganha importante equipamento e gordo aluguel. (Confira)


E o projeto cartão de ponto chegou em junho com  cara de que nunca será aplicado. Controle de frequência  esbarra em detalhes burocráticos que só beneficiam quem não tem como prática o trabalho e a presença no posto de serviço (Confira)


Coluna  cobra ações concretas que justifiquem a mudança da denominação de Praça da Simpatia para Praça Doutora Lúcia Eugênia, no bairro da Bomba. Coluna de  29 de junho pode ser republicada sem necessidade de altarações, tal a sua atualidade. (Confira)


Julho


 A música sertaneja abocanhou a grande fatia dos cachês do São João de Camaçari. Só a paranaense Naiara, dona do sucesso ’50 reais’,  faturou  30% mais que os baianos Saulo e Pablo. Coluna de 4 de julho também lembrou aburaqueira da avenida Jorge Amado, principal entrada da cidade, e a insensibilidade da secretária Joselene Cardin.  (Confira) 


A confusão conceitual e os consequentes riscos das declarações da secretária da cultura, Marcia Tude, sobre a Casa da Criança e do Adolescente de Camaçari, não passaram  em branco. O Camaçarico de 11 de julho registrou. (Confira) 


A disputa na TV Câmara (canal 53) com grandes o prejuízos para a população, foram do ar desde fevereiro,  foi destaque do Camaçarico de   de 14 de julho. Greve, feriadão e falta de diálogo deixam sem aula cerca de 40 mil alunos de 99 escolas do município. (Confira)


Agosto


A lua de mel entre comerciantes da Feira de Camaçari e o alcaide Elinaldo acaba com ação na Justiça. Permissionários, acostumados com o  custo zero,  pedem na Justiça a suspensão da taxa  de condomínio.


A Filarmônica 28 de Setembro espera ajuda para o desfile de aniversário da cidade. Conjunto criado em 1991 segue a partitura do descaso com as tradições culturais da cidade. São destaques na Coluna de 2 de agosto. (Confira) 


'Maior infrator' foi o título da Coluna de 4 de agosto, que denuncia o descaso com  R$ 4 milhões de recursos federais que  deixaram de ser aplicados pelo governo do ex-petista e depois sem partido, Ademar Delgado. Descaso tem as marcas dos ex-gestores da Sedes, Hélio Santos e Mozart Vivas. (Confira) 


Atolada em irregularidades, as obras de  reurbanização da Bacia do Rio Camaçari, parada desde o começo de 2016, não devem recomeçar antes de 2018. Coluna  apurou  diferença de R$ 38 milhões. Caso vem sendo denunciado pelo Camaçarico. (Confira) 


Camaçarico de 13 de agosto comenta os riscos de aposentadoria precoce do ex-alcaide Luiz Caetano, diante da enxurrada de processos e pend~encias com a Justiça. (Confira) 


A pressa da atual gestão em apagar atos de vandalismo  na  antiga estação de trens foi comentada pela Coluna de 21 de agosto. Pichacões contra o prefeito ACM Neto, logo apagadas, mostraram velocidades diferentes para obra de restauração do patrimônio e limpeza de propaganda negativa contra aliado. (Confira)   


Setembro


A ação dos grupos políticos de oposição e a greve dos professores ajudaram a tirar o brilho do desfile de 7 de Setembro na Gleba E. Festa cívica também mostrou o desgaste do alcaide, como registrou com exclusividade o Camaçarico, obrigado a deixar o desfile pelos fundos do palanque, quebrando assim  a tradição do encerramento da festa. (Confira)  


O Camaçarico 15 de setembro destaca o abandono de Jauá e sua marca principal, a escultura metálica do papagaio que batiza o povoado.


A apreensão, reboque e multa do veículo oficial a serviço do vereador Junior Borges também foi destaque da Coluna. O Camaçarico lembrou o aleijão do uso do bem público para  atender interesses particulares.  (Confira)


A falta de um discurso afirmativo contra a violência e a pouca ajuda do governo do estado foi notícia na Coluna de 21 de setembro.  As 13 mortes registradas no município após o assassinato de um policial militar foram tratadas como mais um caso de violência.


Coluna também lembra os 39 anos da Limpec e sua gastança do dinheiro do contribuite para  não varrer nem 1 metro quadrado de rua. (Confira) 


O mês de setembro  encerra com o anúncio do sepultamento da Semana Global do Empreendedorismo de Camaçari. Importante evento de construção e reforço do comércio local, com transações, cursos e lazer ficou em 9 edições. Pá de cal tem o DNA da prefeitura  (Confira) 


Outubro


A mamata do subsecretário da administração, Carlinhos Matos, pouco presente no posto, foi denunciada pela Coluna de 10 de outubro. Ex-vereador e candidato derrotado pelo DEM na disputa de 2016 para prefeitura de Riachão do Jacuípe, Carlinhos é mais um acerto da política miúda comandada pelo agora alcaide Elinaldo que tanto criticou. (Confira) 


Camaçari é 4º lugar no ranking das cidades onde se matam mais jovens com idades de 12 a 18 anos no Brasil. Notícia postada na semana em que se comemora o Dia das Crianças é mais um alerta que prefeitura e governo do estado não querem ver. (Confira)


Depois de Busca Vida, a praia de Guarajuba  entra no circuito da segregação. Sem controle sobre ação dos condomínios que privatizam o espaço público, prefeitura segue o figurino 'Polo Ralph Lauren' dos antecessores. (Confira) 


Governo soma 290 dias e não exibe nenhum sinal concreto e oficial de recuperação e requalificação do centro antigo do município. Com quase 10 meses de governo a população continua sem saber qual o destino da antiga estação de trens, do antigo cinema e qual função terá o casarão que abrigou as sedes da Prefeitura e Câmara de Vereadores. (Confira) 


Nem a avenida Luis Eduardo  escapou da falta de controle de qualidade da secretária  de infraestrutura. Via requalificada foi inaugurada com postes de sinalização instalados na ciclovia. (Confira)


O projeto de construção do novo Fórum de Camaçari é outro exemplo do descuido e da falta de entendimento entre prefeitura e  Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), responsável pela obra. Desencontro gerou prejuízo para pedestres, em especial para cadeirantes e portadores de necessidades especiais. (Confira)  


O ano de 2017 está indo sem respostas sobre a denúncia feita pelo Camaçarico no final de outubro. Quase 9 meses depois de receber consistente denúncia da sua própria Procuradoria, sobre o comportamento funcional da servidora comissionada Adriana do Nascimento Guedes, o alcaide Antonio Elinaldo (DEM) segue como se nada estivesse acontecendo. (Confira)


Novembro


Como mostrou a Coluna no começo do ano, parceria entre a secretária de educação e sua antiga parceira, a ONG Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (ICEP), só faz crescer. Convênio de quase R$ 800 mil entre prefeitura e ICEP é a mais recente demonstração de fortalecimento de vínculos. (Confira)


Na mesma edição, o Camaçarico denuncia e lamenta o fechamento da biblioteca Jorge Amado. Mesmo  justificando que nada mudou, transferência do acervo da maior biblioteca do município da sua sede própria, na avenida 28 de Setembro, para a Cidade do Saber, mexe com identidade e centraliza quando o caminho é justamente criar novos espaços. (Confira)  


O projeto de  redução de benefícios dos servidores  de Camaçari,  aprovado pela Câmara de Vereadores, foi notícia no Camaçarico de 8 de novembro. Coluna antecipou o pacote de cortes.


Conta feita pela Coluna mostra que a nomeação da esposa do vereador (DEM) licenciado da Câmara de Salvador e atual secretário de turismo e cultura da capital, Claudio Tinoco,  em Camaçari, não pode sair com salário baixo.


Na mesma edição o Camaçarico mostrou que a oposição saiu chamuscada com o  3º incêndio registrado este ano na secretaria de infraestrutura.  Parlamentares e articuladores  políticos do PT e PCdoB dormiram 3 dias com o cheiro de fumaça, para só na segunda-feira (5), baterem na porta da secretaria da SSP.  (Confira)


As dificuldades do alcaide Elinaldo de comandar seus aliados mais próximos só  trouxe  problemas  e desgastes em 2017. O caso  da contratação  de 3 irmãos e do cunhado pela Câmara de Vereadores de Salvador  foi denunciado pela Coluna. (Confira)


O desmonte da atual composição do Conselho de Cultura de Camaçari é roteiro antigo. Coluna mostrou que estrutura que deveria fiscalizar e propor não  passou de mero espectador sentado na última fila. (Confira)


Coluna de 23 de novembro mostra o tamanho da dívida ativa de Camaçari. Herança, fruto de débitos tributários e não tributários deixada pelo ex-alcaide Ademar Delgado é mais uma peça que desconstrói a fama de hábil nas finanças e na gestão da coisa pública. (Confira)


Mal assessorado, o alcaide Elinaldo passou longe das comemorações em defesa da consciência negra. Esqueceram de informar que ele é negão, veio da base da pirâmide social e econômica e governa uma cidade com maioria afrodescendente. (Confira) 


O Camaçarico fecha novembro com informações nada animadoras para o governador Rui Costa. Números de pesquisa feita pela banda governista ligada ao governo do estado, que a Coluna teve acesso, também mostram desconforto para o prefeito de Camaçari. (Confira)


Dezembro


Camaçarico começa dezembro antecipando o troca-troca e os novos titulares das pastas do desenvolvimento social, habitação e esportes. O empréstimo junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) foi outra informação antecipado pela Coluna. (Confira)


Coluna também comentou sobre a escolha da ex-vereadora Janete Ferreira, que deixa a Limpec e assume  a secretaria de desenvolvimento social e cidadania (Sedes). O desaparelhamento de toda a rede de serviços e programas coordenados pela Sedes é  sua missão. (Confira)


Depois de ver minguarem seus planos de disputar uma vaga na Assembleia Legislativa o vereador Oziel Araújo (PSDB) quer  garantir seu direito de disputar a reeleição para a presidência da Câmara. Plano B passa pelo aliado Jorge Curvelo, jurado como o sucessor no projeto de alternância no comando do Legislativo, biênio 2018/2020. Ajuste é mais uma dor de cabeça para o prefeito. (Confira)


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


27/12/2017

Mais Notícias

General teme infiltração do crime organizado nas Forças Armadas
Igrejas e times de futebol devem R$ 14 bilhões ao Fisco
Gilmar Mendes vira 'muso' de marchinhas de Carnaval
IPVA com desconto de 10% pode ser quitado até 7 de fevereiro
Jornalista nega racismo e fala sobre os medos da mídia tradicional
Temer descumpre meta do Minha Casa, Minha Vida
Mais da metade dos brasileiros quer uma imprensa imparcial
PT faz campanha para levar militantes ao julgamento de Lula
Salvador vai gastar cerca de R$ 55 milhões com Carnaval
Quase 19 mil empresas fecharam as portas na Bahia em 2017


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2018 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL