Busca:






Adelmo Borges


Façam suas apostas



A campanha eleitoral 2018 já está nas ruas. Vencido o prazo estabelecido, os registros dos candidatos foram apresentados (ao TSE e TRE’s) decorrendo os prazos para que a corte determine a aceitação ou não, no juízo de cada caso específicos até o último dia do mês de agosto. Considerando o perfil dos candidatos, se observa a divisão de classe que emerge das camadas da sociedade.


A direita radical representada por Jair Bolsonaro, o centro-direita social democrática com Geraldo Alckmim, Marina, Henrique Meireles e Álvaro Dias, e a esquerda com Lula, Ciro Gomes e Geraldo Boulos.


O Brasil dos candidatos, até então, parece ser diferente do Brasil real. Durante o primeiro debate pela TV e em seus pronunciamentos a preocupação é fugir dos assuntos polêmicos residindo na troca de acusações pessoais tendo por base denuncias de desvio de conduta e má utilização de cargos públicos.


O Brasil real se confronta atualmente com aproximadamente 14 milhões de desempregados dos quais estão 9,9% entre brancos; entre pretos, 15,0%; e entre pardos, 14,4% segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicilio – Pnad. Os investimentos nacionais (soma dos governos federal, estadual e municipal) em saúde, educação e segurança foram reduzidos nos últimos dois anos em 8,3%, 6,8% e 12,3% respectivamente. Mais de 40% de crianças e adolescentes de até 14 anos vivem em situação domiciliar de pobreza no Brasil, o que representa 17,3 milhões de jovens. Em relação àqueles em extrema pobreza, o número chega a 5,8 milhões de jovens, ou seja, 13,5%. O que caracteriza a população como pobres e extremamente pobres é rendimento mensal domiciliar per capita de até meio e até um quarto de salário mínimo, respectivamente, segundo os dados do "Cenário da Infância e da Adolescência no Brasil", O déficit habitacional é de 22,5%. Apenas 12,4% das estradas federais são pavimentadas, o custo Brasil, com impacto maior na produção e nos serviços é o terceiro maior do mundo.


Os dados de intenção de votos até então registrados, nesse primeiro momento, ainda não asseguram veracidade eleitoral. Os analistas afirmam que a partir da exposição na TV é que passará a tomar veracidade. Dados do IBGE afirmam que 96,3% da população tem acesso a TV, 18% a internet e 6,8% utilizam rotineiramente as redes sociais. Assim, o tempo de TV dos candidatos devem se constituir fundamental para que a população possa conhecer os pleiteantes e suas propostas. Outra questão é a decisão que a justiça eleitoral deve ofertar quanto ao registro dos candidatos com pendencias judiciais em primeira e segunda instancia.


É esperar para se certificar.


Adelmo Borges  adelmobs@terra.com.br é dirigente do Rede Sustentabilidade em Camaçari


 
Últimas Publicações

Sagrado sonho
Paredão
Opções
A instituição, a idéia
Tempestade perfeita
DEUS, vida longa à duquesa
Atletas, artistas e políticos
Preliminares para o início do jogo
Façam suas apostas
A hora do H


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2018 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL