Busca:






Adelmo Borges


Atletas, artistas e políticos



Em época de disputa da maior competição esportiva mundial, a copa do mundo de futebol, momento de encontro de pessoas e cultura torna-se, também de reflexão. Os atletas têm dado pouca contribuição ao desenvolvimento humano e político aos povos. Analistas e cientistas políticos contabilizam a origem dos atletas das camadas menos favorecidas, assim como a ausência de necessidade de formação acadêmica para se notabilizarem, além de  não cultivarem um sentimento crítico das condições sociais das nações.


O que se observa, diante da mobilização e do interesse das pessoas pela competição, os políticos se articulam para tirar proveito dos frutos decorrentes das disputas, mesmo que as vitorias desejadas não se concretizem. O esforço dos atletas e a entrega nas competições sensibilizam as pessoas e potencializa a possibilidade de elegerem a competição como propósito momentâneo único, alienando-se das questões essenciais à vida sob o crivo de decisões políticas, tais como o emprego, segurança, alimentação, habitação, educação, saúde, mobilidade urbanos, respeito aos direitos individuais. Ao contrário se constituem milhões de jogadores e técnicos embriagados pela rivalidade e os dramas de cada partida.


Diferentemente dos artistas que através de músicas e espetáculos cênicos emitem mensagens criticas em relação ao processo histórico e do cotidiano, pouquíssimos atletas tem contribuído politicamente, dentro e fora dos estádios, utilizando da popularidade e da penetração social que dispõe para encaminha posições e mensagens que provoque a reflexão das preocupações pela preservação da vida, do meio ambiente e da dignidade humana.


A paixão pelo esporte movimenta recursos financeiros estratosféricos na medida em que as competições mundiais exigem a montagem de estruturas gigantescas no sentido de acomodar dentro dos padrões estabelecidos para treinamentos, aparato médico para os competidores direto, assim como     do contingente de torcedores que se deslocam de todo os lugares do planeta para acompanhar suas equipes favoritas. Destaca-se práticas do exercício de influencia e pagamento de propinas para garante sediar eventos da Copa do Mundo envolvendo dirigentes esportivos e governos locais.


Para não ser apenas critico cabe observar a contribuição que começa a se estabelecer em relação à mistura de raças, tanto nas grandes agremiações esportivas como nas seleções, notadamente a visibilidade da raça negra que se destacam em aproximadamente setenta por cento das seleções europeias.


Adelmo Borges adelmobs@terra.com.br é dirigente do Rede Sustentabilidade em Camaçari 


 
Últimas Publicações

Sagrado sonho
Paredão
Opções
A instituição, a idéia
Tempestade perfeita
DEUS, vida longa à duquesa
Atletas, artistas e políticos


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2018 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL