Busca:






Carlos Silveira


Um ligeiro passeio sobre o atual momento



O PT nos treze anos que governa o Brasil, (oito de Lula e cinco de Dilma), não só o governo federal, mais governos estaduais importantes e diversos governos municipais, não mexeu nos interesses do “andar de cima”, não implementou nenhuma reforma estruturante na sociedade brasileira, não fez nada ou quase nada que contrarie os interesses do grande capital, especialmente o capital financeiro e especulativo.


Fez um grande acordo com a burguesia brasileira, razão pela qual os bancos lucram nestes anos todos como nenhum outro setor na sociedade, agora mesmo o banco do André Stevens (este que esteve preso na operação Lava Jato) com todo o espalhafato lucrou em 2015 algo em torno 35%, como outros bancos nestes anos têm obtido lucros de 100% e até mesmo 150% ao ano, uma rápida analise nos balanços destas instituições pode-se constatar isto. Qual outro negocio no Brasil tem essa lucratividade e por que?


Isto não se dá por acaso, se dá pela combinação do “Lulismo” com o capital financeiro, pela aliança do PT com os mais ricos, foi isto que o Lula disse em 2001 na famosa “Carta aos Brasileiros”, com outras palavras, que não mexeria nos grandes interesses dos mais ricos do país e que poderia melhorar a vida dos mais pobres: “poderia dar três refeições ao dia aos que não tinham nem uma”.


Não gastarei aqui tinta para discorrer sobre as melhoria que implementou para os “do andar de baixo”, isto já foi dito  no Brasil e fora dele e até em versos e prosas. Aqui falaremos da postura do PT agora na hora que a crise econômica se agravou no Brasil e no mundo e que medidas precisam ser tomadas, e estão sendo tomadas em prejuízo dos trabalhadores.


Lula e Dilma nestes anos poderiam ao menos, terem regulamentado o Imposto sobre as Grandes Fortunas que esta previsto na Constituição de 1988, ou até mesmo medidas mais simples no âmbito do Imposto de Renda da Pessoa Física, isentando os que ganham pouco, diminuindo as alíquotas dos que ganham um pouco mais e aumentando as alíquotas dos que ganham muito mais.


Agora Dilma fala em reforma da Previdência, quer aumentar a idade mínima para a aposentadoria, fala em reforma Trabalhista, que é a flexibilização das regras da CLT para retirar direitos dos trabalhadores. O ajuste fiscal já elevou a taxa de desemprego nos últimos três meses a nove por cento ao ano, o que significa mais de um milhão e quinhentos mil desempregados no ano de 2015, podendo dobrar esta quantidade nos próximos meses, segundo cálculos dos economistas. A inflação passou de 10% e não dá sinais de diminuição, agora em janeiro/16 foi 0,92% a maior taxa para o mês de janeiro dos últimos anos.


Agora com a crise as medidas que estão sendo tomadas penalizam apenas ou mais os trabalhadores. Agora tem menos dinheiro para o Bolsa Família e os demais programas sociais, menos para a Agricultura Familiar, menos para a Habitação, menos para a Infraestrutura, para Educação, Saúde, etc.


Já nas manifestações do meio do ano de 2013 o PT não foi para as ruas, junto com a juventude, juventude essa que não lutou só para diminuir o preços das passagens do transporte coletivo no Brasil de norte a sul, ali ele e seus dirigentes já disseram para que serviriam no atual estagio da politica brasileira.


Resta-nos agora serrar fileiras com os movimentos sociais e em especial com os mais rebeldes, MTST, MSTs, movimentos de acampados e de ribeirinhos, movimentos grevistas que em 2015 que saltaram de 200 para mais de 1000 greves em todo o país, principalmente aqueles que têm passado por cima das direções “apelegadas da atualidade”, aqueles que ficam 10, 20 ou mais anos nas direções.


Resta-nos agora serrar fileiras com os partidos comprometidos com a luta politica de esquerda, com as candidaturas comprometidas com os interesses “do andar de baixo”, para em outubro dizer que no Brasil podemos construir um caminho diferente do que tem sido todos estes anos pós ditadura militar. O mundo tem nos dado exemplos... mais isto já é outro assunto para outra oportunidade.


Carlos Silveira cabras@contratosc.com.br é empresário contábil, bacharel em direito e professor. Filiado ao PSOL, foi um dos fundadores do PT na Bahia e ex-secretário municipal das pastas da Administração; Assistência Social; e Cidadania e Inclusão Social de Camaçari.


 
Últimas Publicações

13 ANOS DE HISTÓRIA DO MOVIMENTO POPULAR DE CAMAÇARI, DE 1977 – 1989 (3).
Junho
13 ANOS DE HISTÓRIA DO MOVIMENTO POPULAR DE CAMAÇARI DE 1977/1989 (1)
13 ANOS DE HISTORIA DO MOVIMENTO POPULAR DE CAMAÇARI DE 1977/ 1989 (2)
13 ANOS DE HISTÓRIA DO MOVIMENTO POPULAR DE CAMAÇARI, DE 1977 – 1989 (4)
13 Anos de História do Movimento Popular de Camaçari 1977/1989 (5)
Dona Luiza abriu uma garrafa de champanhe...
Qual a ligação existente entre mãe Rosa Vidal e o padre Valmir?
Quando eu ia a pé para Cachoeira, eu e minha Avó Josefina
Eu ontem à noite conversava com o jovem Laion sobre as manifestações
MEMÓRIA: Camaçari, 50 anos do golpe militar Considerações sobre a confissão de um torturador
Um ligeiro passeio sobre o atual momento
As mulheres na política de Camaçari
Não serei o taxi da contabilidade


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2017 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL