Busca:






Carlos Silveira


Qual a ligação existente entre mãe Rosa Vidal e o padre Valmir?



Muito já se falou sobre a intolerância religiosa em nosso município nos últimos oito anos, bem como, muito já foi feito para superar esta pratica condenada por todos que defendem uma sociedade solidaria, uma sociedade onde possam conviver todas as formas de religiosidade e que haja respeito recíproco entre as religiões e os religiosos. 


Uma importante conquista dos últimos oito anos em nosso município é a democracia, no passado não era possível fazer oposição, mesmo já tendo acabado a ditadura militar no Brasil desde 1989, em Camaçari ela só acabou em 2004/2005 com a eleição do atual prefeito Caetano. Antes era difícil haver um posicionamento diferente do “estabelecimento”, queimavam os carros de som da oposição e tentavam fechar os sindicatos que não fossem alinhados com o “poder”, enfim, a oposição não tinha acesso às rádios locais, até mesmo outdoor, era proibido colar cartazes que não fossem os chamados “dos nossos”. Porém isto já ficou para trás, escrevo porque é importante registrar como fato histórico. 


Em 2007, quando fui Secretário da SEAS – Secretaria de Assistência Social do município de Camaçari – BA, tive a oportunidade de criar a COPIR – COORDENAÇÃO DA PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL, com ela o governo municipal passou a discutir e promover políticas públicas para a população negra do município. Com ela o governo passou receber oficialmente as Sacerdotisas e os Sacerdotes das Religiões de Matriz Africana como autoridades religiosas em audiências oficiais. Parece uma coisa simples, elementar, porém, aqui estes representantes religiosos nunca antes foram recebidos como tais pelos governos que antecederam ao atual. 


A criação e o funcionamento da COPIR pode empodeirar estes líderes religiosos e hoje o município presencia parte do reflexo desta questão quando os Sacerdotes e as Sacerdotisas vestem-se as suas vestes tradicionais e vão as ruas, buscam a participação política, posicionam-se diante do quadro político e da sucessão municipal, como aconteceu nos últimos dias. 


Porém, aqui gostaria de dizer que no diz 17 de junho eu tive a felicidade de participar de uma reunião diferente das que até então tenho participado, fui convidado por Mãe Rosa Vidal para me fazer presente em um Encontro de Casais no Terreiro de Candomblé onde ela é a líder espiritual e que fica localizado na Cascalheira, próximo a entrada de Cajazeiras, na comunidade chamada de Água Fria. Logo eu que pensava que este tipo de encontro só acontecia em Igrejas Católicas. Aceitei o convite de bom grado e lá me fiz presente no horário acertado, eu e minha Baixinha e pude participar de uma importante atividade em que diversos casais tiveram a oportunidade de externarem as suas opiniões sobre o que é o casamento, a família e a convivência entre os casais. Desde casais que vivem o casamento a pouco mais de três anos, casais que já estão juntos a mais de 30 anos e casais onde um já foi casado com outra e assim por  diante. Tudo isto sob o olhar atento, contemplativo e paciente do Padre Valmir, Pároco da Paróquia de São Tomas de Cantuária.  


Este fato inaugura uma nova relação entre as religiões no município de Camaçari, abre-se uma nova fase de harmonia entre as religiões e os religiosos por estas bandas. O Padre Valmir no encerramento do encontro pode dizer da sua satisfação de ser convidado e poder estar presente naquela atividade no terreiro de Mãe Rosa como pode dizer que tinha já visitado o Terreiro Giro de Boiadeiro de Mãe Neide em Parafuso e um outro que não me lembro o nome neste momento, mas que fica na Cascalheira, nas proximidades da Serra Verde. 


Neste mesmo domingo à noite na Missa das 19 horas, na Igreja de São Tomaz de Cantuária, o Padre Valmir pode falar com a comunidade Católica presente, da sua visita e do Encontro de Casais no Terreiro de Mãe Rosa e entre olhares surpresos por parte de alguns e discordantes por parte de outros a vida vai seguindo e este fato constitui-se um marco histórico na vida da comunidade camaçariense, pois se pode registrar que esta foi a primeira vez que ouço falar que um padre esteve visitando terreiros de candomblé neste município.


Mãe Rosa Vidal e Padre Valmir com esta atitude, como diz meu irmão Augusto de Paula, são “cúmplices” de um tempo novo, de um tempo onde as pessoas não serão mais discriminadas pelo seu credo religioso, pela sua forma de comunicar, cada um de sua forma, com o seu Deus... Esta liga entre este representante da Igreja Católica e esta representante do Candomblé é a liga que vai ajudando a banir de uma vez por todas a intolerância religiosa do nosso meio. E o que é mais importante é que ao final os casais foram abençoados por Mãe Rosa e o Padre Valmir.


Carlos Silveira cabras@contratosc.com.br é advogado, empresário contábil, secretário municipal de Cidadania e Inclusão e fundador do PT de Camaçari


 
Últimas Publicações

13 ANOS DE HISTÓRIA DO MOVIMENTO POPULAR DE CAMAÇARI, DE 1977 – 1989 (3).
Junho
13 ANOS DE HISTÓRIA DO MOVIMENTO POPULAR DE CAMAÇARI DE 1977/1989 (1)
13 ANOS DE HISTORIA DO MOVIMENTO POPULAR DE CAMAÇARI DE 1977/ 1989 (2)
13 ANOS DE HISTÓRIA DO MOVIMENTO POPULAR DE CAMAÇARI, DE 1977 – 1989 (4)
13 Anos de História do Movimento Popular de Camaçari 1977/1989 (5)
Dona Luiza abriu uma garrafa de champanhe...
Qual a ligação existente entre mãe Rosa Vidal e o padre Valmir?
Quando eu ia a pé para Cachoeira, eu e minha Avó Josefina
Eu ontem à noite conversava com o jovem Laion sobre as manifestações
MEMÓRIA: Camaçari, 50 anos do golpe militar Considerações sobre a confissão de um torturador
Um ligeiro passeio sobre o atual momento
As mulheres na política de Camaçari
Não serei o taxi da contabilidade


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2017 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL